1
2
UNIVERSIDADE DO GRANDE RIO - PROFESSOR JOSÉ DE SOUZA HERDY
CSA - ESCOLA DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS
LOG 004 – GESTÃO...
3
verificar-se-á uma inversão de posições para a apuração do lucro no novo
exercício, se for mantido o mesmo critério.
Tec...
4
Por sua vez, o método PEPS (FIFO) é aplicável, com os mesmos
objetivos, em economias deflacionárias ou, até mesmo, com b...
5
9.4.2 MÉTODO DO CUSTO MÉDIO
9.5 CONTROLE DE ACURACIDADE DOS ESTOQUES INVENTÁRIO FÍSICO
O inventário físico é a contagem ...
6
REFERÊNCIAS
BALLOU, Ronald H.. Marketing Empresarial: transporte, administração de
materiais e distribuição física. São ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

9 -log_004_-_apostila_gestão_

155 visualizações

Publicada em

Gerenciamento de Estoque

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
155
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

9 -log_004_-_apostila_gestão_

  1. 1. 1
  2. 2. 2 UNIVERSIDADE DO GRANDE RIO - PROFESSOR JOSÉ DE SOUZA HERDY CSA - ESCOLA DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS LOG 004 – GESTÃO DE ESTOQUES 9 CONTROLE DOS ESTOQUES MÉTODO DE CUSTEIO É fato notório que os estoques constituem uma parcela significativa do ativo realizável de uma empresa (Ativo Circulante: Estoques) Em consequência, torna-se imperativo que tal segmento do capital circulante seja avaliado corretamente, de maneira que não haja distorções nos resultados econômico-financeiros das operações sociais. O emprego de um ou outro método, a longo prazo, não causa maiores diferenças nos resultados operacionais de uma empresa. No entanto, se comparados em um mesmo período, verificam-se alterações substanciais na apuração do lucro bruto. A seguir, observa-se as características de cada um desses métodos. 9.1 PEPS (FIFO) = PRIMEIRO A ENTRAR, PRIMEIRO A SAIR (FIRST IN, FIRST OUT) Este método de custeio parte do princípio de que o material utilizado (para venda, produção ou serviço) é retirado do lote mais antigo que estiver em estoque. Portanto, as saídas vão sendo avaliadas pelo custo mais antigo até o esgotamento do lote correspondente, ocasião em que passam a ser avaliadas pelo custo do lote de chegada imediatamente posterior, e assim por diante. O método PEPS (FIFO) tende, portanto, a superestimar os saldos em estoque ao final de cada exercício, ocasionando a apuração de um lucro bruto relativamente elevado. Como o saldo final de um exercício é o início do outro, Métodos de custeio dos estoques PEPS (FIFO) = Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair (First In, First Out); UEPS (LIFO) = Último a Entrar, Primeiro a Sair (Last In, First Out) e Custo Médio = Média Aritmética Ponderada.
  3. 3. 3 verificar-se-á uma inversão de posições para a apuração do lucro no novo exercício, se for mantido o mesmo critério. Tecnicamente, e mesmo por coerência, o primeiro a entrar deverá ser, sempre que possível, o primeiro a sair, até mesmo para evitar a perda de validade de determinados materiais que, com o decorrer do tempo, poderá perder suas características quimico-físico-mecânicas, tendo em visto o uso após a data indicada pelo fabricante quanto ao seu uso. 9.2 UEPS (LIFO) = ÚLTIMO A ENTRAR, PRIMEIRO A SAIR (LAST IN, FIRST OUT) Este método considera que os últimos lotes recebidos deverão ser os primeiros a ser utilizados, devendo os mais antigos permanecer em estoque. Assim, as saídas são avaliadas pelo custo mais recente até o esgotamento do lote correspondente, passando, nesta ocasião, a ser avaliada pelo custo do lote de chegada imediatamente anterior, e assim por diante. Verifica-se que o método UEPS (LIFO) tende a subestimar os saldos em estoque ao final de cada exercício, ocasionando a apuração de um lucro bruto relativamente baixo. Mantido o mesmo critério de avaliação no período seguinte, o lucro bruto tenderá a elevar-se. No Brasil este método não é utilizado por motivos legais. 9.3 CUSTO MÉDIO = MÉDIA ARITMÉTICA PONDERADA O custeio por esse método considera que os materiais, à medida que entram nos estoques, constituem-se em um único conjunto de bens realizáveis da empresa, sendo aplicados sem qualquer vinculação à sua data de chegada (de recebimento). A cada entrada de material é apurado um novo custo unitário resultante da relação entre o valor total do estoque do item e a quantidade existente. Ao contrário dos métodos PEPS (FIFO) e UEPS (LIFO), o custeio pelo Custo Médio mantém um equilíbrio permanente em relação à apuração do lucro bruto final de cada exercício. Não existem flutuações sucessivas em razão de super ou subavaliações dos estoque inicial e final. Por isso mesmo é o método mais empregado e aquele que menores atritos provocam em relação ao fisco. No entanto, existem aplicações significativas para os métodos PEPS (FIFO) e UEPS (LIFO). Tais aplicações referem-se ao planejamento das operações de venda de uma empresa quanto ao estabelecimento do preço de um produto. Em economias inflacionárias, o método UEPS (LIFO) é extremamente útil para se estabelecer um custo que remunere o capital de giro imobilizado em materiais.
  4. 4. 4 Por sua vez, o método PEPS (FIFO) é aplicável, com os mesmos objetivos, em economias deflacionárias ou, até mesmo, com baixos índices de inflação. 9.4 APLICAÇÃO PRÁTICA Uma empresa determinada empresa apresentou os seguintes registros de movimentação do item X, no mês de novembro de 2012. 1- Dia 01/11/2012 – Saldo Inicial de 200 unidades no custo unitário de R$ 5,00. 2- Dia 01/11/2012 – Saída de 20 unidades. 3- Dia 01/11/2012 – Entrada de 100 unidades a um custo unitário de R$ 6,00. 4- Dia 03/11/2012 – Saída de 50 unidades. 5- Dia 05/11/2012 – Saída de 120 unidades. 6- Dia 06/11/2012 - Saída de 80 unidades. 7- Dia 07/11/2012 – Entrada de 200 unidades a um custo unitário de R$ 4.50. 8- Dia 07/11/2012 - Saída de 100 unidades. 9.4.1 MÉTODO PEPS Data Quant Lote Valor Unitário Subtotal Quant Lote Valor Unitário Subtotal Quant Lote Valor Unitário Subtotal 01/nov 200 INI 5,00R$ 1.000,00R$ 200 INI 5,00R$ 1.000,00R$ 01/nov 20 INI 5,00R$ 100,00R$ 180 INI 5,00R$ 900,00R$ 100 LT1 6,00R$ 600,00R$ 180 INI 5,00R$ 900,00R$ 100 LT1 6,00R$ 600,00R$ 280 1.500,00R$ 50 INI 5,00R$ 250,00R$ 130 INI 5,00R$ 650,00R$ 100 LT1 6,00R$ 600,00R$ 230 1.250,00R$ 120 INI 5,00R$ 600,00R$ 10 INI 5,00R$ 50,00R$ 100 LT1 6,00R$ 600,00R$ 110 650,00R$ 10 INI 5,00R$ 50,00R$ 0 INI 5,00R$ -R$ 70 LT1 6,00R$ 420,00R$ 30 LT1 6,00R$ 180,00R$ 30 180,00R$ 200 LT2 4,50R$ 900,00R$ 30 LT1 6,00R$ 180,00R$ 0 LT1 6,00R$ -R$ 70 LT2 4,50R$ 315,00R$ 130 LT2 4,50R$ 585,00R$ 130 585,00R$ 06/nov Total 07/nov Total Total Total 03/nov Total 05/nov Entradas Saídas Saldo Controle de Estoque do Item X Método PEPS 01/nov
  5. 5. 5 9.4.2 MÉTODO DO CUSTO MÉDIO 9.5 CONTROLE DE ACURACIDADE DOS ESTOQUES INVENTÁRIO FÍSICO O inventário físico é a contagem dos itens que compõem os estoques da empresa, para checar se as quantidades correspondem aos registros dos controles do estoque. A acuracidade das quantidades dos itens, com relação aos registros de controle é um indicador muito importante na avaliação da Gestão dos Estoques, pois representa se os níveis de controle estão adequados e passa segurança quanto aos padrões de ética e zelo pelos materiais. Basicamente os inventários são instrumentos que permitem avaliar a confiabilidade dos instrumentos e procedimentos de controle. Podemos classificar os inventários físicos dentro de dois grupos: Data Quant Valor Unitário Subtotal Quant Valor Unitário Subtotal Quant Valor Unitário Subtotal 200 5,00R$ 1.000,00R$ 200 5,00R$ 1.000,00R$ 20 5,00R$ 100,00R$ 180 5,00R$ 900,00R$ 100 6,00R$ 600,00R$ 280 5,36R$ 1.500,00R$ 03/nov 50 5,36R$ 267,86R$ 230 5,36R$ 1.232,14R$ 05/nov 120 5,36R$ 642,86R$ 110 5,36R$ 589,29R$ 06/nov 80 5,36R$ 428,80R$ 30 5,36R$ 160,49R$ 200 4,50R$ 900,00R$ 230 4,61R$ 1.060,49R$ 100 4,61R$ 461,08R$ 130 4,61R$ 599,40R$ 01/nov 07/nov Controle de Estoque do Item X Método Custo Médio Entradas Saídas Saldo •é realizado de maneira constante, durante todo o ano. Seu principal objetivo é possibilitar a identificação prematura de possíveis erros nos registros dos itens e, com isso, permitir que correções sejam aplicadas antes que os erros possam causar maiores problemas ao processo produtivo. Inventário Rotativo • normalmente é realizado ao final do exercício fiscal, o que normalmente compreende um ano. Este tipo de inventário busca relacionar a movimentação de todos os itens durante o ano, mostrando suas quantidades de entrada e saída. Inventário Periódico
  6. 6. 6 REFERÊNCIAS BALLOU, Ronald H.. Marketing Empresarial: transporte, administração de materiais e distribuição física. São Paulo: Atlas, 2001. BERTAGLIA, Paulo Roberto. Marketing e Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento. 1. ed. São Paulo: Saraiva, 2000. BOWERSOX, Donald J.; Closs, David J.. Marketing Empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimento. São Paulo: Atlas, 2001. FLEURY, Paulo Fernando; Wanke, Peter,; Figueiredo, Kleber Fossati. Marketing Empresarial: a perspectiva brasileira. São Paulo: Atlas, 2000. FOSSATI, Kleber/Paulo Fernando Fleury/Peter Wenk. Marketing e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2003. www.gigaconteudo.com acessado em junho de 2012. AGRADECIMENTOS: Aos Professores Luiz Moura e Pablo de Barros que cederam parte desse material.

×