Alfabetização tem conteúdos? Mairce da Silva Araújo UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA-UNEB CAMPUS VII – SENHOR DO BONFIM PED...
<ul><li>Em princípio, a reflexão sobre conteúdos pedagógicos deve nos remeter à própria especificidade da escola. Se a esc...
<ul><li>Se a função primordial da escola está ligada à questão do conhecimento, não tem sentido pensarmos qualquer momento...
<ul><li>Na escola desinteressada, a preocupação vai estar voltada para um  “desenvolvimento integral da criança” ,  nunca ...
Currículo oculto Curriculo: É um conjunto de conteúdos, habilidades, valores selecionados pela escola para serem oferecido...
As diferenças vão aparecendo dentro das escolas e beneficiam aos que falam a mesma linguagem e  cultivam os mesmos hábitos...
É, também, mediante vivências sutis como essas que a divisão social vai sendo reproduzida pela escola, a partir de um curr...
O que ainda se vê nas escolas é um distanciamento entre os conteúdos escolares e a realidade de vida dos alunos.  A sua ba...
Sione
Jacira
Aprendendo a ler, lendo, e a escrever, escrevendo <ul><li>O ensino da leitura e da escrita como instrumento de compreensão...
<ul><li>Uso escolarizado = Uso social  </li></ul><ul><li>consciência da linguagem </li></ul><ul><li>Fairclough </li></ul>
 
Viviane
Valci
Referências <ul><li>GARCIA, Regina Leite (org).  A formação da professora alfabetizadora: reflexões sobre a prática.São  P...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Alfabetização tem conteúdos?

2.914 visualizações

Publicada em

Trabalho feito para o componente curricular Alfabetização e ludicidade

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.914
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alfabetização tem conteúdos?

  1. 1. Alfabetização tem conteúdos? Mairce da Silva Araújo UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA-UNEB CAMPUS VII – SENHOR DO BONFIM PEDAGOGIA 2006.1 Por :Amanda Sione Jacira Valci Maisa Viviane Rogério
  2. 2. <ul><li>Em princípio, a reflexão sobre conteúdos pedagógicos deve nos remeter à própria especificidade da escola. Se a escola não é o único local de apropriação e produção do conhecimento, e talvez não seja nem o mais importante, ela é, no entanto, a instituição criada, essencialmente, para esta fim: ser um espaço de socialização do conhecimento. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Se a função primordial da escola está ligada à questão do conhecimento, não tem sentido pensarmos qualquer momento dessa escola em que os conteúdos culturais/pedagógicos não sejam o seu eixo central. É portanto a partir da relação escola/conhecimento que precisamos pensar a pré-escola e a alfabetização. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Na escola desinteressada, a preocupação vai estar voltada para um “desenvolvimento integral da criança” , nunca muito bem explicitado e, contraditoriamente, promovido por meio de atividades soltas, sem articulação umas com as outras. Já a escola preparatória se limita a preparar a criança para uma aprendizagem futura da leitura e da escrita, que se dará no nível da escola. </li></ul>
  5. 5. Currículo oculto Curriculo: É um conjunto de conteúdos, habilidades, valores selecionados pela escola para serem oferecidos aos alunos e que estão sempre articulados a interesses da sociedade. Saber-poder: ocultar essas diferenças que estão sempre sendo reforçadas e adequadas a visão política, econômica e social do mundo.
  6. 6. As diferenças vão aparecendo dentro das escolas e beneficiam aos que falam a mesma linguagem e cultivam os mesmos hábitos e valores. Serão então os mais capazes, e os outros os que “precisam ser educados”. Exemplo: • Formação de hábitos de higiene (presentes desde a pré-escola). Este tipo de atividades são desenvolvidas na escola de forma natural, mas não ajudam a criança a compreender a realidade social em que vivem.
  7. 7. É, também, mediante vivências sutis como essas que a divisão social vai sendo reproduzida pela escola, a partir de um currículo que naturaliza sucessos e fracassos dos alunos, fazendo desaparecer suas origens. Se o currículo fosse construído considerando as condições materiais de vida das crianças, elas não se veriam expostas a humilhações, como freqüentemente acontece em escolas que recebem crianças de classe baixa.
  8. 8. O que ainda se vê nas escolas é um distanciamento entre os conteúdos escolares e a realidade de vida dos alunos. A sua bagagem cultural, tem sido pouco valorizada. É importante considerar que a construção de um currículo que se comprometa com os interesses das classes exige uma preocupação, não só com a qualidade dos conhecimentos que seleciona, como também com uma metodologia que potencialize os alunos a responderem os desafios que o mundo lhes apresenta.
  9. 9. Sione
  10. 10. Jacira
  11. 11. Aprendendo a ler, lendo, e a escrever, escrevendo <ul><li>O ensino da leitura e da escrita como instrumento de compreensão e intervenção da realidade implica: </li></ul><ul><li>Possibilitar vivências com relevância e significado para a vida da criança. </li></ul><ul><li>Desafia-lás com situações diversificadas e significativas. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Uso escolarizado = Uso social </li></ul><ul><li>consciência da linguagem </li></ul><ul><li>Fairclough </li></ul>
  13. 14. Viviane
  14. 15. Valci
  15. 16. Referências <ul><li>GARCIA, Regina Leite (org). A formação da professora alfabetizadora: reflexões sobre a prática.São Paulo: Cortez, 2003. </li></ul>

×