Pág. 212
Pág. 215
Não usa mais o fundo dourado e sim o azul (céu
natural e não o Paraiso). Usa chão de pedra e mãos
tocam o outro
Esculturas com relevo. Muitas coisas
acontecendo ao mesmo tempo em
um espaço pequeno e sem muita
profundidade
Perspectiva – É a capacidade de representar o mundo
tridimensional em uma tela bidimensional, dando
profundidade
Mecenas –...
Pai do Renascimento, sábio de Florença. Rompe
com a arte Gótica. Analisa o que sobrou do império
romano. Faz a cúpula da C...
Pág. 229
Realismo, volumetria, fundo,
humanismo. Inaugura a pintura
renascentista. Muito importante
na pintura como precur...
Estudo da Anatomia ganha força. David retratado
como o menino que matou Golias, e não o rei David.
Humanização do divino. ...
Pág. 233
Muito bom em anatomia.
Usa a Anamorfose
(deformação intencional da
perspectiva). Cristo morto –
perspectiva invertida
Pág. 259
Pai da representação da perspectiva (é apaixonado
pela perspectiva). Encomendante da obra é
representado de joelhos, vesti...
Retábulo
Díptico. Pedaço do nariz do homem faltando como representação do fato dele ter sobrevivido a
guerra.
Pág. 260
Rio serpenteando ao fundo, que dá a sensação de
que ele vai pro fundo da tela. Estudo de anatomia,
usa o mesmo modelo para...
Fora do perfil do renascimento, usa um
pouco da perspectiva, mas não a
anatomia. Costuma fazer uma referência a
cena da Ad...
Pág. 252 - 254
Pág. 264
 Discípulo da Fra Fillippo Lippi
 Figuras santas, riqueza de detalhe, delicadeza.
 “O Nascimento de Vênus” = ´Tema pagã...
Inventor da tinta a óleo. Trabalha com o
pincel de um pelo só e com lentes de
aumento para fazer os detalhes. Usa uma
pers...
Pág. 236 Retábulo de Gand com as portas abertas
Essa é a cena de um casamento. A mulher não
está grávida, ela segura vários tecidos, dando
volumetria ao ventre = símbolo ...
Pág. 273
Pág. 274
Ninguém sabe que ele era. Usa a perspectiva aérea. Esse tríptico tem a cena da anunciação de Maria no
centro, José represe...
Descida de cristo da cruz
(imagem). Quadro
estruturado na diagonal.
Paralelo entre o corpo de
Cristo e Maria. Lágrima de
J...
Lágrima de João Evangelista
Está na passagem do quatrocento para o cinquecento, em uma época de maturidade do renascimento
(alto renascimento). Pinta ...
Batismo de Cristo (imagem). Perugino usa elementos equilibrados em suas obras. Ele é mestre de Rafael e
amigo de Leonardo....
Pág. 315
 Pintor, escultor, inventor, engenheiro, etc.
 Forte estudo de anatomia.
 Primeiro cientista a revelar um feto dentro d...
A Última Ceia. Nessa obra, pela primeira vez, Judas traidor está sentado no meio dos outros, e não isolado
do outro lado d...
Feto que da Vinci encontrou. Ele dissecou mais de 30 cadáveres
Pág. 300
 Era escultor e foi obrigado a pintar (Capela Sistina). Tratava
as pinturas como se fossem esculturas. Volumetria
anatômi...
A Morte de Laocoonte – escultura do período Helenístico que serve de inspiração para Michelangelo
David – Grande riqueza de detalhes
Teto da Capela Sistina – pág. 312
Cena do Juízo Final – parede da Capela Sistina
Escravo agonizante – pág. 313
 Discípulo de Perugino. Assim come ele, Rafael representa as
cenas sagradas do lado de fora da igreja, mas com o ponto
de...
Pág. 316
Pág. 319
Pág. 320
Platão e Aristóteles no centro (eles são o ponto de fuga). Platão é Leonardo da Vinci. Dentro desse
quadro há um autorretr...
Harmonia, ninguém aparece mais do que
ninguém, cores mais brilhantes, mais
vibrantes (por causa da água de Veneza,
que ref...
Discípulo de Bellini. “A Tempestade”
(imagem). José como um jovem
camponês do século XVI. Maria dá de
mamar para Jesus. Es...
“O Concerto Campestre” (imagem). Ninfas nuas e músicos em primeiro plano. Essas ninfas não são visíveis,
estão apenas no i...
“Vênus Adormecida” (imagem). Rompe com o formato triangular, ela é diagonal. Mão usada como um tapa-sexo.
Rompe com o Eixo vertical, deslocando Maria para o
lado, cria uma diagonal, cena feita com três
triângulos.
“Vênus de Urbino (imagem). Igual a de Giorgione, mas não está dormindo e está em um ambiente interno.
A Vênus é uma cortes...
“Amor Sacro e Amor Pagão”
“A Santa Noite (imagem). Foco central de luz,
linhas diagonais partem desse foco que surge
do nada.
“Júpiter e Io”
Essa Santa ceia de Veronese foi transportada para o ambiente de Veneza, com seus grandes
banquetes e festas.
Diagonal como linha de força. “São Jorge
Salva a Princesa”
“A última Ceia”. Dois focos de luz: Jesus e a Lamparina, que tem a representação do Espirito Santo.
Estilo meio gótico, mas já tem volumetria.
Alemão
Influência italiana, grande gravurista.
Influência de Bellini. Busca a verdade na
representação. Representação realista de...
Pintor Oficial de Henrique VIII. Preciosismo
técnico. Muitos de talhes, textura, riqueza
fantástica , mas tudo bem equilib...
História da arte   renascimento n1
História da arte   renascimento n1
História da arte   renascimento n1
História da arte   renascimento n1
História da arte   renascimento n1
História da arte   renascimento n1
História da arte   renascimento n1
História da arte   renascimento n1
História da arte   renascimento n1
História da arte   renascimento n1
História da arte   renascimento n1
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

História da arte renascimento n1

431 visualizações

Publicada em

História da Arte

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
431
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História da arte renascimento n1

  1. 1. Pág. 212
  2. 2. Pág. 215
  3. 3. Não usa mais o fundo dourado e sim o azul (céu natural e não o Paraiso). Usa chão de pedra e mãos tocam o outro
  4. 4. Esculturas com relevo. Muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo em um espaço pequeno e sem muita profundidade
  5. 5. Perspectiva – É a capacidade de representar o mundo tridimensional em uma tela bidimensional, dando profundidade Mecenas – são pessoas que enriqueceram com o comércio porém não eram reconhecidos pelo clero e pela nobreza. Financiavam artistas, filósofos, etc, pois eles queriam investir no movimento humanista, que tinha ideias parecidas com os interesses desses mecenas. Cores – aproxima-se do humano, do real. Luz – Feita para enxergar o que está acontecendo na tela.
  6. 6. Pai do Renascimento, sábio de Florença. Rompe com a arte Gótica. Analisa o que sobrou do império romano. Faz a cúpula da Catedral de Florença (imagem). Igrejas mais humanizadas com o teto mais baixo, teto abobadado. Pai da perspectiva
  7. 7. Pág. 229 Realismo, volumetria, fundo, humanismo. Inaugura a pintura renascentista. Muito importante na pintura como precursor de novas técnicas. Muitos artistas se inspiraram nele
  8. 8. Estudo da Anatomia ganha força. David retratado como o menino que matou Golias, e não o rei David. Humanização do divino. Perspectiva, proporção das figuras e ponto de fuga.
  9. 9. Pág. 233
  10. 10. Muito bom em anatomia. Usa a Anamorfose (deformação intencional da perspectiva). Cristo morto – perspectiva invertida
  11. 11. Pág. 259
  12. 12. Pai da representação da perspectiva (é apaixonado pela perspectiva). Encomendante da obra é representado de joelhos, vestindo uma armadura e em posição de adoração.
  13. 13. Retábulo
  14. 14. Díptico. Pedaço do nariz do homem faltando como representação do fato dele ter sobrevivido a guerra.
  15. 15. Pág. 260
  16. 16. Rio serpenteando ao fundo, que dá a sensação de que ele vai pro fundo da tela. Estudo de anatomia, usa o mesmo modelo para todas as figuras. Primeiro plano e segundo plano tem um abismo de distância. Composição triangular. O Martírio de São Sebastião (figura) era um tema comum no renascimento. Pág. 262
  17. 17. Fora do perfil do renascimento, usa um pouco da perspectiva, mas não a anatomia. Costuma fazer uma referência a cena da Adão e Eva sempre que pinta a Anunciação, em uma constante lembrança do pecado original. Influência gótica. Pintou os quartos do monges do mosteiro de São Marcos em Florença.
  18. 18. Pág. 252 - 254
  19. 19. Pág. 264
  20. 20.  Discípulo da Fra Fillippo Lippi  Figuras santas, riqueza de detalhe, delicadeza.  “O Nascimento de Vênus” = ´Tema pagão.  Figuras menos sólidas, recordam a arte gótica.  Anamorfose da Vênus (para atingir a delicadeza, certas partes do corpo dela firam distorcidas) quase imperceptível  Aparece pela primeira vez o nu feminina, nu pudico.  Inaugura o tema pagão
  21. 21. Inventor da tinta a óleo. Trabalha com o pincel de um pelo só e com lentes de aumento para fazer os detalhes. Usa uma perspectiva um tanto primitiva chamada pelos italianos de “perspectiva aérea”. Pág 236 Retábulo de Gand com as portas fechadas
  22. 22. Pág. 236 Retábulo de Gand com as portas abertas
  23. 23. Essa é a cena de um casamento. A mulher não está grávida, ela segura vários tecidos, dando volumetria ao ventre = símbolo da fertilidade. Cachorro = símbolo da fidelidade. Luz natural. Tamancos do homem apontam para fora = o mundo do homem é o mundo exterior. Tamancos da mulher apontam para dentro = o mundo da mulher é o mundo interior. Lustre com ima única vela acesa = como é uma cena de casamento, deve haver a presença do divino, representado nessa vela. Espelho tem o reflexo do casal de costas e duas testemunhas, uma delas sendo o próprio pintor. Jan Van Eyke assina o quadro com a frase “Jan Van Eyke esteve aqui”, como testemunha do casamento. A moldura do espelho tem as cenas da paixão de Cristo. Pág. 240
  24. 24. Pág. 273
  25. 25. Pág. 274
  26. 26. Ninguém sabe que ele era. Usa a perspectiva aérea. Esse tríptico tem a cena da anunciação de Maria no centro, José representado como carpinteiro no lado direito e os encomendantes da obra a esquerda observando a cena de Maria
  27. 27. Descida de cristo da cruz (imagem). Quadro estruturado na diagonal. Paralelo entre o corpo de Cristo e Maria. Lágrima de João evangelista. Pág. 276
  28. 28. Lágrima de João Evangelista
  29. 29. Está na passagem do quatrocento para o cinquecento, em uma época de maturidade do renascimento (alto renascimento). Pinta as paredes laterais da Capela Sistina. Cristo entrega as chaves a Pedro, dando a ele o poder de fundar sua igreja. O primeiro plano não está acontecendo na praça. Ponto de fuga leva essa cena para dentro da igreja, ao fundo.
  30. 30. Batismo de Cristo (imagem). Perugino usa elementos equilibrados em suas obras. Ele é mestre de Rafael e amigo de Leonardo. Vive na época da tinta a óleo.
  31. 31. Pág. 315
  32. 32.  Pintor, escultor, inventor, engenheiro, etc.  Forte estudo de anatomia.  Primeiro cientista a revelar um feto dentro do útero de uma mulher.  Tem 10.000 páginas manuscritas e escritas ao contrário (por medo da inquisição).  Leonardo explora muito o fundo com natureza, com o ponto de fuga no meio.  Busca a idealização das figuras.
  33. 33. A Última Ceia. Nessa obra, pela primeira vez, Judas traidor está sentado no meio dos outros, e não isolado do outro lado da mesa, como era mais comum ser retratado Pág. 296 - 298
  34. 34. Feto que da Vinci encontrou. Ele dissecou mais de 30 cadáveres
  35. 35. Pág. 300
  36. 36.  Era escultor e foi obrigado a pintar (Capela Sistina). Tratava as pinturas como se fossem esculturas. Volumetria anatômica. Não respeita as regras da pintura.  Dissecou corpos para entender como funcionava cada músculo.  Descobrimento da obra “A Morte de Laocoonte” = conjunto escultórico feito com uma única pedra.
  37. 37. A Morte de Laocoonte – escultura do período Helenístico que serve de inspiração para Michelangelo
  38. 38. David – Grande riqueza de detalhes
  39. 39. Teto da Capela Sistina – pág. 312
  40. 40. Cena do Juízo Final – parede da Capela Sistina
  41. 41. Escravo agonizante – pág. 313
  42. 42.  Discípulo de Perugino. Assim come ele, Rafael representa as cenas sagradas do lado de fora da igreja, mas com o ponto de fuga levando para dentro.  Conhecido como o pintor das Madonas.  Gostava de espiar as obras dos grandes artistas (influenciado por Michelangelo e Da Vinci)  Eixo vertical centralizado.  Representava as Madonas do forma muito doce.  Fez retratos e autorretratos.  Muito harmônico, muito simples e sempre triangular.
  43. 43. Pág. 316
  44. 44. Pág. 319
  45. 45. Pág. 320
  46. 46. Platão e Aristóteles no centro (eles são o ponto de fuga). Platão é Leonardo da Vinci. Dentro desse quadro há um autorretrato de Rafael e Michelangelo é representado sozinho, meio excluído (como era a personalidade dele).
  47. 47. Harmonia, ninguém aparece mais do que ninguém, cores mais brilhantes, mais vibrantes (por causa da água de Veneza, que reflete e faz tudo brilhar mais). Grande retratista. Pinturas religiosas, representação com um sentimento mais intenso. Bebês mais realistas. Composição triangular, eixo vertical, equilibrado e orgânico.
  48. 48. Discípulo de Bellini. “A Tempestade” (imagem). José como um jovem camponês do século XVI. Maria dá de mamar para Jesus. Essa obra tem vários nomes, e dependendo do nome que ouvimos, destacamos uma parte diferente dela.
  49. 49. “O Concerto Campestre” (imagem). Ninfas nuas e músicos em primeiro plano. Essas ninfas não são visíveis, estão apenas no imaginário dos músicos. Camponês no fundo não faz parte da cena.
  50. 50. “Vênus Adormecida” (imagem). Rompe com o formato triangular, ela é diagonal. Mão usada como um tapa-sexo.
  51. 51. Rompe com o Eixo vertical, deslocando Maria para o lado, cria uma diagonal, cena feita com três triângulos.
  52. 52. “Vênus de Urbino (imagem). Igual a de Giorgione, mas não está dormindo e está em um ambiente interno. A Vênus é uma cortesã do encomendante. Cachorro = fidelidade
  53. 53. “Amor Sacro e Amor Pagão”
  54. 54. “A Santa Noite (imagem). Foco central de luz, linhas diagonais partem desse foco que surge do nada.
  55. 55. “Júpiter e Io”
  56. 56. Essa Santa ceia de Veronese foi transportada para o ambiente de Veneza, com seus grandes banquetes e festas.
  57. 57. Diagonal como linha de força. “São Jorge Salva a Princesa”
  58. 58. “A última Ceia”. Dois focos de luz: Jesus e a Lamparina, que tem a representação do Espirito Santo.
  59. 59. Estilo meio gótico, mas já tem volumetria. Alemão
  60. 60. Influência italiana, grande gravurista. Influência de Bellini. Busca a verdade na representação. Representação realista de animais
  61. 61. Pintor Oficial de Henrique VIII. Preciosismo técnico. Muitos de talhes, textura, riqueza fantástica , mas tudo bem equilibrado. Caveira distorcida

×