SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 52
Baixar para ler offline
NEGOCIANEGOCIAÇÇÃOÃO
Algumas TAlgumas Téécnicas da Escola decnicas da Escola de
HarvardHarvard
Prof. Dr. Edmilson ManganoteProf. Dr. Edmilson Manganote
O que é Negociar?
O que significa Negociar?O que significa Negociar?
““Caracterizamos a negociaCaracterizamos a negociaçção como umão como um
processo potencialmente oportunista deprocesso potencialmente oportunista de
interainteraçção pelo qual duas ou mais partes,ão pelo qual duas ou mais partes,
partindo de um grau de suposto conflito,partindo de um grau de suposto conflito,
procuram obter mediante uma decisãoprocuram obter mediante uma decisão
comum, um resultado melhor do que teriamcomum, um resultado melhor do que teriam
obtido por outros meios.obtido por outros meios.””
DavidDavid LaxLax e Jamese James SebeniusSebenius emem TheThe ManagerManager asas NegotiatorNegotiator,
Free Press, 1986
O que significa Negociar?O que significa Negociar?
““NegociaNegociaççãoão éé um jogo que temum jogo que tem
jogadores, segue regras e que pode,jogadores, segue regras e que pode,
portanto, ser compreendido (nãoportanto, ser compreendido (não éé
aleataleatóório) e composto mediante umario) e composto mediante uma
sséérie de eventos previsrie de eventos previsííveis.veis.””
Roy Lewicki e Alexander Hiam em Negotiating na Deal
Making, John Wiley Trade, 1999.
Uma definiUma definiçção prão práática...tica...
NegociaNegociaççãoão éé o processo pelo qualo processo pelo qual
duas ou mais pessoas se comunicam,duas ou mais pessoas se comunicam,
buscando chegar a algum acordobuscando chegar a algum acordo
sobre valores escassos e/ou asobre valores escassos e/ou aççõesões
controladas, total ou parcialmente, porcontroladas, total ou parcialmente, por
ambas as partes ou, ainda, porambas as partes ou, ainda, por
qualquer das partes envolvidas.qualquer das partes envolvidas.””
Os lados...Os lados...
O nosso lado...O nosso lado...
O que precisamos saber sobre nO que precisamos saber sobre nóóss
mesmos? Quemmesmos? Quem éé você?você?
A autoA auto--compreensãocompreensão éé o primeiroo primeiro
passo para poder administrar nossaspasso para poder administrar nossas
reareaççõesões
O nosso lado...O nosso lado...
QualQual éé o seu estilo?o seu estilo?
CaracterCaracteríísticas fundamentaissticas fundamentais
–– AcomodaAcomodaççãoão
–– AcordoAcordo
–– EvasãoEvasão
–– ColaboraColaboraççãoão
–– CompetiCompetiççãoão
O nosso lado...O nosso lado...
O que você quer e por quê?O que você quer e por quê?
–– Para obter mais do que você tem...Para obter mais do que você tem...
–– Para obter uma fatia justa...Para obter uma fatia justa...
–– Para vencer...Para vencer...
–– Para não perder...Para não perder...
–– Para obter o que você deseja...Para obter o que você deseja...
–– Para obter o mPara obter o mááximo que você puder...ximo que você puder...
–– Para obter tudo...Para obter tudo...
–– Para acertar as contas...Para acertar as contas...
O outro lado...O outro lado...
O que precisamos saber sobre o outroO que precisamos saber sobre o outro
lado?lado?
Andar em direAndar em direçção ao outro ladoão ao outro lado éé oo
caminho mais curto para chegar ondecaminho mais curto para chegar onde
queremos ir...queremos ir...
O outro lado...O outro lado...
O Erro UniversalO Erro Universal –– PosiPosiçções em vez deões em vez de
interessesinteresses
–– Evitar posiEvitar posiççõesões
–– Administrar seu tempoAdministrar seu tempo
–– Deixar claro quais são seus interessesDeixar claro quais são seus interesses
–– Esclarecer os interesses delesEsclarecer os interesses deles
O outro lado...O outro lado...
HipHipóóteses errôneas sobre o outro ladoteses errôneas sobre o outro lado
–– NNóós somos mais espertos e temoss somos mais espertos e temos
habilidades especiaishabilidades especiais
–– NNóós somos mais bem informadoss somos mais bem informados
–– Eles não têm nenhuma alternativa...Eles não têm nenhuma alternativa...
–– A maldiA maldiçção do ganhador...ão do ganhador...
EmoEmoçções...ões...
EmoEmoçções na negociaões na negociaçção...ão...
Como gerenciComo gerenciáá--las?las?
Um bom acordoUm bom acordo éé aquele que soaaquele que soa
como discurso de vitcomo discurso de vitóória para todas asria para todas as
partes envolvidas, e os negociadorespartes envolvidas, e os negociadores
sentemsentem--se herse heróóis...is...
EmoEmoçções na negociaões na negociaçção...ão...
O que estO que estáá envolvido?envolvido?
As três conversas:As três conversas:
–– A conversa do que aconteceu...A conversa do que aconteceu...
Divergências...Divergências...
–– A conversa dos sentimentos...A conversa dos sentimentos...
Dos outros e as nossas...Dos outros e as nossas...
–– A conversa da identidade...A conversa da identidade...
Com nCom nóós mesmos...s mesmos...
EmoEmoçções na negociaões na negociaçção...ão...
A anA anáálise da linguagem corporallise da linguagem corporal
Gestos abertosGestos abertos –– mãos abertas com asmãos abertas com as
palmas para cima, mãos na cintura, sentarpalmas para cima, mãos na cintura, sentar--sese
na ponta da cadeira...na ponta da cadeira...
Gestos defensivosGestos defensivos –– brabraçços cruzados, sentaros cruzados, sentar--
se em uma perna, olhar no relse em uma perna, olhar no relóógio, nãogio, não
sustentar o olhar do outro...sustentar o olhar do outro...
Gestos avaliativosGestos avaliativos –– apoiar o rosto na palmaapoiar o rosto na palma
da mão, movimentada mão, movimentaçção da cabeão da cabeçça, coa, coççar oar o
queixo ou a barba, olhar por cima dosqueixo ou a barba, olhar por cima dos
óóculos...culos...
EmoEmoçções na negociaões na negociaçção...ão...
Como fazer para gerenciar suasComo fazer para gerenciar suas
emoemoçções e influir na dos outros?ões e influir na dos outros?
Negociando Valores...Negociando Valores...
Negociando Valores...Negociando Valores...
Apesar de ser um critApesar de ser um critéério correto, umrio correto, um
acordo justo nãoacordo justo não éé necessariamentenecessariamente
igual a um acordo inteligente. Paraigual a um acordo inteligente. Para
que um acordo seja tanto justo comoque um acordo seja tanto justo como
inteligente,inteligente, éé preciso compreenderpreciso compreender
outros conceitos universais que afetamoutros conceitos universais que afetam
a qualidade da negociaa qualidade da negociaççãoão
Negociando Valores...Negociando Valores...
Alvos, limites e a Zona de PossAlvos, limites e a Zona de Possííveisveis
Acordos (ZOPA)Acordos (ZOPA)
Zona de Possíveis Acordos
15 20
15 1818
Comprador
20
1717 Vendedor
Valores de Reserva
Negociando Valores...Negociando Valores...
Alvos, limites e a Zona de PossAlvos, limites e a Zona de Possííveisveis
Acordos (ZOPA)Acordos (ZOPA)
–– MASAMASA –– Melhor Alternativa Sem AcordoMelhor Alternativa Sem Acordo
–– O difO difíícil na determinacil na determinaçção da ZOPAão da ZOPA éé
saber o presaber o preçço limite do outro lado...o limite do outro lado...
–– Como estimar esse limite?Como estimar esse limite?
Construir confianConstruir confiançça...a...
InformaInformaçções de terceiros...ões de terceiros...
Inteligência externa...Inteligência externa...
Negociando Valores...Negociando Valores...
AncorarAncorar –– ÉÉ fazer a primeira proposta, ofazer a primeira proposta, o
primeiro lance...primeiro lance...
Quem deve ancorar primeiro?Quem deve ancorar primeiro?
–– Em geral, o OUTRO LADO...Em geral, o OUTRO LADO...
Podemos preferir ancorar? Sim...Podemos preferir ancorar? Sim...
–– Quando temos uma informaQuando temos uma informaçção importante queão importante que
o outro lado desconheceo outro lado desconhece
–– Quando temos algum segredo ou ponto fracoQuando temos algum segredo ou ponto fraco
–– Quando sabemos, ou suspeitamos, que existeQuando sabemos, ou suspeitamos, que existe
uma ZOPA muito amplauma ZOPA muito ampla
Negociando Valores...Negociando Valores...
Se você vai ancorar...LembreSe você vai ancorar...Lembre--se:se:
O resultado da negociaO resultado da negociaçção não ficarão não ficaráá
melhor do que a sua âncoramelhor do que a sua âncora
Tensões...Tensões...
Tensões nas NegociaTensões nas Negociaççõesões
Como gerenciComo gerenciáá--las?las?
O processo de negociaO processo de negociaçção envolveão envolve
vváárias tensões, istorias tensões, isto éé, atitudes, atitudes
adotadas na negociaadotadas na negociaçção em funão em funçção doão do
contexto e da interacontexto e da interaçção das partesão das partes
envolvidas...envolvidas...
As TAs Téécnicas de Harvardcnicas de Harvard
Os Sete Elementos...Os Sete Elementos...
A origem...A origem...
–– Roger Fisher e WilliamRoger Fisher e William UryUry, Universidade de, Universidade de
Harvard,Harvard, ““Como chegar ao simComo chegar ao sim –– A negociaA negociaççãoão
sem concessõessem concessões””, 1981, 1981
–– Nos cursos coordenados pelo Programa deNos cursos coordenados pelo Programa de
NegociaNegociaçção de Harvard, são ensinados seteão de Harvard, são ensinados sete
conceitosconceitos –– comunicacomunicaçção, relacionamento,ão, relacionamento,
interesses, opinteresses, opçções, legitimidade, alternativa eões, legitimidade, alternativa e
compromissocompromisso –– que caracterizam o que hojeque caracterizam o que hoje
conhecemos comoconhecemos como ““TTéécnicas de Negociacnicas de Negociaçção deão de
HarvardHarvard””
Os Sete Elementos...Os Sete Elementos...
ComunicaComunicaççãoão
–– Linguagem comumLinguagem comum
–– Pontos de referência comunsPontos de referência comuns
–– Interesses comunsInteresses comuns
–– Valores e cultura comunsValores e cultura comuns
Os Sete Elementos...Os Sete Elementos...
RelacionamentoRelacionamento
–– Busque pontos de comunhãoBusque pontos de comunhão
–– ReconheReconheçça que os envolvidos são, antes de maisa que os envolvidos são, antes de mais
nada, seres humanosnada, seres humanos
–– Separe o problema das pessoas nele envolvidasSepare o problema das pessoas nele envolvidas
–– Mantenha o foco no problemaMantenha o foco no problema
–– Evite acusaEvite acusaççõesões
–– Compreender nãoCompreender não éé o mesmo que concordaro mesmo que concordar
–– Envolva o outroEnvolva o outro
Os Sete Elementos...Os Sete Elementos...
AlternativasAlternativas
–– EstabeleEstabeleçça sua MASAa sua MASA
–– Quando possQuando possíível, fortalevel, fortaleçça sua MASAa sua MASA
–– Descubra a MASA da outra parteDescubra a MASA da outra parte
–– Tente enfraquecer a MASA da outra parteTente enfraquecer a MASA da outra parte
Os Sete Elementos...Os Sete Elementos...
InteressesInteresses
–– Barganha posicionalBarganha posicional –– A aA açção instintivaão instintiva
que tende a se concentrar no objeto deque tende a se concentrar no objeto de
nosso desejo na negocianosso desejo na negociaçção...ão...
–– Descubra os interessesDescubra os interesses –– seus e da outraseus e da outra
parte...parte...
Os Sete Elementos...Os Sete Elementos...
Legitimidade ou CritLegitimidade ou Critéérios Objetivosrios Objetivos
–– Por que a legitimidadePor que a legitimidade éé importante nasimportante nas
negocianegociaçções?ões?
–– Como sugerir a utilizaComo sugerir a utilizaçção de critão de critéériosrios
objetivos?objetivos?
Os Sete Elementos...Os Sete Elementos...
OpOpççõesões
–– Um dos fatores que mais claramenteUm dos fatores que mais claramente
distinguem o negociador treinado daqueledistinguem o negociador treinado daquele
que age apenas por instintoque age apenas por instinto éé aa
capacidade de criar opcapacidade de criar opçções antes deões antes de
efetivamente iniciar as trocas prefetivamente iniciar as trocas próóprias daprias da
negocianegociaççãoão
Os Sete Elementos...Os Sete Elementos...
CompromissoCompromisso
–– ResumoResumo –– tudo que foi acertado deve sertudo que foi acertado deve ser
sintetizado, para confirmasintetizado, para confirmaçção dos termosão dos termos
do negdo negóócio fechadocio fechado
–– Evite exigências posterioresEvite exigências posteriores
–– Formalize o acordoFormalize o acordo –– a celebraa celebraçção...ão...
Processos...Processos...
O Processo de NegociarO Processo de Negociar
TTááticas e gerenciamento do tempo...ticas e gerenciamento do tempo...
Tudo na vida tem comeTudo na vida tem começço, meio e fim.o, meio e fim.
A negociaA negociaçção tambão tambéém. Se deixarmosm. Se deixarmos
de cuidar dessa regra bde cuidar dessa regra báásica,sica,
acabamos permitindo que a ansiedadeacabamos permitindo que a ansiedade
venvençça a efica a eficáácia.cia.
O Processo de NegociarO Processo de Negociar
Os cinco passos da NegociaOs cinco passos da Negociaçção Eficazão Eficaz
–– PrepararPreparar
–– CriarCriar
–– NegociarNegociar
–– FecharFechar
–– ReconstruirReconstruir
O Processo de NegociarO Processo de Negociar
PrepararPreparar
–– InformaInformaççãoão
–– Cuidado com suposiCuidado com suposiçções errôneasões errôneas
–– ConheConheçça e fortalea e fortaleçça a sua MASA.a a sua MASA.
Considere enfraquecer a delesConsidere enfraquecer a deles
–– PrPréé--condicondiççõesões
–– DefiniDefiniçção da estratão da estratéégiagia
O Processo de NegociarO Processo de Negociar
Criar (condiCriar (condiçções e valor)ões e valor)
–– RelacionamentoRelacionamento
–– InteressesInteresses
–– OpOpççõesões
–– Padrões de legitimidadePadrões de legitimidade
O Processo de NegociarO Processo de Negociar
Negociar (para obter resultados)Negociar (para obter resultados)
–– Enquadrar o problemaEnquadrar o problema
–– Ouvir mais do que falarOuvir mais do que falar
–– Combinar empatia com assertividadeCombinar empatia com assertividade
–– Sumarizar com freqSumarizar com freqüüênciaência
O Processo de NegociarO Processo de Negociar
Negociar (para obter resultados)Negociar (para obter resultados)
–– O queO que éé importante ao receber propostas?importante ao receber propostas?
Poder responder simPoder responder sim
Poder responder nãoPoder responder não
Poder fazer uma biPoder fazer uma bióópsia da propostapsia da proposta
Poder responder com uma contrapropostaPoder responder com uma contraproposta
imediataimediata
Poder sugerir uma pausa para pensarPoder sugerir uma pausa para pensar
Poder fazer uma contraproposta apPoder fazer uma contraproposta apóós a pausas a pausa
O Processo de NegociarO Processo de Negociar
Negociar para obter resultadosNegociar para obter resultados
–– O queO que éé importante ao fazer propostas?importante ao fazer propostas?
Não tenha pressaNão tenha pressa
Enquadre com inteligênciaEnquadre com inteligência
Valorize a credibilidadeValorize a credibilidade
Separe e focalize as questões essenciaisSepare e focalize as questões essenciais
Proponha soluProponha soluççõesões
Feche a proposta com um conviteFeche a proposta com um convite
O Processo de NegociarO Processo de Negociar
Fechar (de forma bem sucedida)Fechar (de forma bem sucedida)
–– Quando fechar?Quando fechar?
–– O fechamento condicionadoO fechamento condicionado
–– A decisãoA decisão
–– Um compromisso firme...Um compromisso firme...
–– Previsão para resoluPrevisão para resoluçção de conflitosão de conflitos
O Processo de NegociarO Processo de Negociar
Reconstruir (Investir no seu futuro eReconstruir (Investir no seu futuro e
na sua reputana sua reputaçção)ão)
–– Elogiar quando merecidoElogiar quando merecido
–– A fala da vitA fala da vitóória do outro...ria do outro...
–– Afirmar legitimidadeAfirmar legitimidade
As Dificuldades...
Dificuldades...Dificuldades...
Como lidar com pessoas que tornam oComo lidar com pessoas que tornam o
processo de negociaprocesso de negociaççãoão
particularmente penoso e parecemparticularmente penoso e parecem
gostar desse tipo de atitude? Reagir egostar desse tipo de atitude? Reagir e
atacar simplesmente? Quais as outrasatacar simplesmente? Quais as outras
alternativas existentes a simplesmentealternativas existentes a simplesmente
desistir ou manda tudo pelos ares?desistir ou manda tudo pelos ares?
Dificuldades...Dificuldades...
Problema? Que Problema? As pressões...Problema? Que Problema? As pressões...
–– Pressão do tempoPressão do tempo
–– TeatralTeatral
–– AmeaAmeaççaa
–– AcusaAcusaççãoão
–– Propostas ilegPropostas ilegíítimastimas
–– Chantagem emocionalChantagem emocional
–– Chantagem realChantagem real
–– SubornoSuborno
Dificuldades...Dificuldades...
Problema? Que Problema? OProblema? Que Problema? O
comportamento desleal...comportamento desleal...
–– MentirasMentiras
–– Atos ilegais ou poucoAtos ilegais ou pouco ééticosticos
–– Aumento progressivo das exigênciasAumento progressivo das exigências
–– Quebra das regras do jogo combinadoQuebra das regras do jogo combinado
–– RevelaRevelaçção de informaão de informaçções confidenciaisões confidenciais
–– Abuso psicolAbuso psicolóógicogico
Dificuldades...Dificuldades...
Pessoas difPessoas difííceis...ceis...
Reagir ou não reagir, eis a questão!Reagir ou não reagir, eis a questão!
–– Regra GeralRegra Geral
Não se alterarNão se alterar
Não tentar se vingarNão tentar se vingar
Conseguir o que se quer...Conseguir o que se quer...
–– Conseguir o que se querConseguir o que se quer
Não reagirNão reagir
Manter o controleManter o controle
Sair de cenaSair de cena
A ética na negociação...
O fim...O fim...
O que aprendemos?
Prof. Dr. Edmilson Manganote
manganote@facamp.com.br
ejtmanganote@gmail.com
mangano@terra.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Capítulo 1 Inteligência Artificial RUSSELL
Capítulo 1 Inteligência Artificial RUSSELLCapítulo 1 Inteligência Artificial RUSSELL
Capítulo 1 Inteligência Artificial RUSSELLWellington Oliveira
 
A tecnologia
A tecnologiaA tecnologia
A tecnologiaPelo Siro
 
Métodos e técnicas de negociação
Métodos e técnicas de negociaçãoMétodos e técnicas de negociação
Métodos e técnicas de negociaçãoClaudiomar Borduchi
 
Negociacao em Compras
Negociacao em ComprasNegociacao em Compras
Negociacao em ComprasINSTITUTO MVC
 
Conhecimento filosófico
Conhecimento filosóficoConhecimento filosófico
Conhecimento filosóficoSandro Lôbo
 
Platão
PlatãoPlatão
Platãorafael
 
Miinha apresentacao platao
Miinha apresentacao plataoMiinha apresentacao platao
Miinha apresentacao plataoArthurGomes93
 
Trabalho sobre jogos
Trabalho sobre jogosTrabalho sobre jogos
Trabalho sobre jogoswilliamcid
 
Introdução à Tecnologia da Informação
Introdução à Tecnologia da InformaçãoIntrodução à Tecnologia da Informação
Introdução à Tecnologia da InformaçãoClausia Antoneli
 
Reducionismo, "holismo" e pensamentos sistêmico e complexo - Mariotti
Reducionismo, "holismo" e pensamentos sistêmico e complexo - MariottiReducionismo, "holismo" e pensamentos sistêmico e complexo - Mariotti
Reducionismo, "holismo" e pensamentos sistêmico e complexo - MariottiBruna Nogueira
 
Filosofia politica de maquiavel a rosseau
Filosofia politica   de maquiavel a rosseauFilosofia politica   de maquiavel a rosseau
Filosofia politica de maquiavel a rosseauAlan
 
apresentação sobre ética
apresentação sobre ética apresentação sobre ética
apresentação sobre ética Silvio Mmax
 
Trabalho inteligência intrapessoal
Trabalho inteligência intrapessoalTrabalho inteligência intrapessoal
Trabalho inteligência intrapessoalRaquel Machado
 
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesAula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesElizeu Nascimento Silva
 

Mais procurados (20)

Capítulo 1 Inteligência Artificial RUSSELL
Capítulo 1 Inteligência Artificial RUSSELLCapítulo 1 Inteligência Artificial RUSSELL
Capítulo 1 Inteligência Artificial RUSSELL
 
A tecnologia
A tecnologiaA tecnologia
A tecnologia
 
Métodos e técnicas de negociação
Métodos e técnicas de negociaçãoMétodos e técnicas de negociação
Métodos e técnicas de negociação
 
Negociacao em Compras
Negociacao em ComprasNegociacao em Compras
Negociacao em Compras
 
Ciberespaço
CiberespaçoCiberespaço
Ciberespaço
 
Conhecimento filosófico
Conhecimento filosóficoConhecimento filosófico
Conhecimento filosófico
 
Platão
PlatãoPlatão
Platão
 
Realidade Virtual
Realidade VirtualRealidade Virtual
Realidade Virtual
 
Comportamento
ComportamentoComportamento
Comportamento
 
Miinha apresentacao platao
Miinha apresentacao plataoMiinha apresentacao platao
Miinha apresentacao platao
 
Negociação e mediação
Negociação e mediaçãoNegociação e mediação
Negociação e mediação
 
Trabalho sobre jogos
Trabalho sobre jogosTrabalho sobre jogos
Trabalho sobre jogos
 
Introdução à Tecnologia da Informação
Introdução à Tecnologia da InformaçãoIntrodução à Tecnologia da Informação
Introdução à Tecnologia da Informação
 
Tribos urbanas
Tribos urbanasTribos urbanas
Tribos urbanas
 
Reducionismo, "holismo" e pensamentos sistêmico e complexo - Mariotti
Reducionismo, "holismo" e pensamentos sistêmico e complexo - MariottiReducionismo, "holismo" e pensamentos sistêmico e complexo - Mariotti
Reducionismo, "holismo" e pensamentos sistêmico e complexo - Mariotti
 
Filosofia politica de maquiavel a rosseau
Filosofia politica   de maquiavel a rosseauFilosofia politica   de maquiavel a rosseau
Filosofia politica de maquiavel a rosseau
 
apresentação sobre ética
apresentação sobre ética apresentação sobre ética
apresentação sobre ética
 
RENÉ DESCARTES
RENÉ DESCARTESRENÉ DESCARTES
RENÉ DESCARTES
 
Trabalho inteligência intrapessoal
Trabalho inteligência intrapessoalTrabalho inteligência intrapessoal
Trabalho inteligência intrapessoal
 
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesAula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
 

Destaque

Tesis de doctoradoportaguardia
Tesis de doctoradoportaguardiaTesis de doctoradoportaguardia
Tesis de doctoradoportaguardiaholachachorrro
 
Learn with Fun - March
Learn with Fun - MarchLearn with Fun - March
Learn with Fun - MarchPOSSIBLERS
 
UNIDAD I - INTRODUCCIÓN A LAS TICS - 6
UNIDAD I - INTRODUCCIÓN A LAS TICS - 6UNIDAD I - INTRODUCCIÓN A LAS TICS - 6
UNIDAD I - INTRODUCCIÓN A LAS TICS - 6ElviJE
 
P7 e2 iván_fernandez
P7 e2 iván_fernandezP7 e2 iván_fernandez
P7 e2 iván_fernandezivan_fg9
 
Ajith Mohan ADDC Approval
Ajith Mohan ADDC ApprovalAjith Mohan ADDC Approval
Ajith Mohan ADDC ApprovalAjith Mohan
 
Turma saúde niterói 15 ago 2015
Turma saúde niterói 15 ago 2015Turma saúde niterói 15 ago 2015
Turma saúde niterói 15 ago 2015claudiorochamiranda
 
How does e-reading change and influence our reading experience.
How does e-reading change and influence our reading experience.How does e-reading change and influence our reading experience.
How does e-reading change and influence our reading experience.Amy Qin
 
introduccion a las tic en la educacion
introduccion a las tic en la educacionintroduccion a las tic en la educacion
introduccion a las tic en la educacionyomiiii
 

Destaque (10)

Decision making
Decision makingDecision making
Decision making
 
Tesis de doctoradoportaguardia
Tesis de doctoradoportaguardiaTesis de doctoradoportaguardia
Tesis de doctoradoportaguardia
 
Learn with Fun - March
Learn with Fun - MarchLearn with Fun - March
Learn with Fun - March
 
Goal One
Goal OneGoal One
Goal One
 
UNIDAD I - INTRODUCCIÓN A LAS TICS - 6
UNIDAD I - INTRODUCCIÓN A LAS TICS - 6UNIDAD I - INTRODUCCIÓN A LAS TICS - 6
UNIDAD I - INTRODUCCIÓN A LAS TICS - 6
 
P7 e2 iván_fernandez
P7 e2 iván_fernandezP7 e2 iván_fernandez
P7 e2 iván_fernandez
 
Ajith Mohan ADDC Approval
Ajith Mohan ADDC ApprovalAjith Mohan ADDC Approval
Ajith Mohan ADDC Approval
 
Turma saúde niterói 15 ago 2015
Turma saúde niterói 15 ago 2015Turma saúde niterói 15 ago 2015
Turma saúde niterói 15 ago 2015
 
How does e-reading change and influence our reading experience.
How does e-reading change and influence our reading experience.How does e-reading change and influence our reading experience.
How does e-reading change and influence our reading experience.
 
introduccion a las tic en la educacion
introduccion a las tic en la educacionintroduccion a las tic en la educacion
introduccion a las tic en la educacion
 

Semelhante a Técnicas de negociação de Harvard para alcançar acordos benéficos

Aula 11 negociação final
Aula 11   negociação finalAula 11   negociação final
Aula 11 negociação finalAngelo Peres
 
Negociação: Estratégias para Resultados | Grupo P&B
Negociação: Estratégias para Resultados | Grupo P&BNegociação: Estratégias para Resultados | Grupo P&B
Negociação: Estratégias para Resultados | Grupo P&BGrupo P&B | Consultoria
 
Cur administração de conflitos dentro da empresa
Cur administração de conflitos dentro da empresaCur administração de conflitos dentro da empresa
Cur administração de conflitos dentro da empresaLuiz Gorga
 
NEGOCIAÇÃO EM COMPRAS - AULA 1
NEGOCIAÇÃO EM COMPRAS -  AULA 1 NEGOCIAÇÃO EM COMPRAS -  AULA 1
NEGOCIAÇÃO EM COMPRAS - AULA 1 Jorge Mariano
 
Os mais graves erros cometidos pelos negociadores vinte e cinco a considerar ...
Os mais graves erros cometidos pelos negociadores vinte e cinco a considerar ...Os mais graves erros cometidos pelos negociadores vinte e cinco a considerar ...
Os mais graves erros cometidos pelos negociadores vinte e cinco a considerar ...Fabiano Fersant
 
Curso MBA em MKT e Negociação - Primeira aula Unimep Professor Júnior
Curso MBA em MKT e Negociação - Primeira aula Unimep Professor JúniorCurso MBA em MKT e Negociação - Primeira aula Unimep Professor Júnior
Curso MBA em MKT e Negociação - Primeira aula Unimep Professor JúniorJuniorOmetto1234
 
Liderando Negociações Bem Sucedidas
Liderando Negociações Bem SucedidasLiderando Negociações Bem Sucedidas
Liderando Negociações Bem SucedidasSandro Magaldi
 

Semelhante a Técnicas de negociação de Harvard para alcançar acordos benéficos (20)

Aula 11 negociação final
Aula 11   negociação finalAula 11   negociação final
Aula 11 negociação final
 
Mediação
MediaçãoMediação
Mediação
 
Negociacao Multidimensional
Negociacao MultidimensionalNegociacao Multidimensional
Negociacao Multidimensional
 
Negociação: Estratégias para Resultados | Grupo P&B
Negociação: Estratégias para Resultados | Grupo P&BNegociação: Estratégias para Resultados | Grupo P&B
Negociação: Estratégias para Resultados | Grupo P&B
 
Cur administração de conflitos dentro da empresa
Cur administração de conflitos dentro da empresaCur administração de conflitos dentro da empresa
Cur administração de conflitos dentro da empresa
 
Negociação e mediação
Negociação e mediaçãoNegociação e mediação
Negociação e mediação
 
Negociação_Prof.Randes
Negociação_Prof.RandesNegociação_Prof.Randes
Negociação_Prof.Randes
 
Tecnicas de negociacao
Tecnicas de negociacaoTecnicas de negociacao
Tecnicas de negociacao
 
NEGOCIAÇÃO EM COMPRAS - AULA 1
NEGOCIAÇÃO EM COMPRAS -  AULA 1 NEGOCIAÇÃO EM COMPRAS -  AULA 1
NEGOCIAÇÃO EM COMPRAS - AULA 1
 
Nac t1
Nac t1Nac t1
Nac t1
 
Slides1
Slides1Slides1
Slides1
 
Slides1
Slides1Slides1
Slides1
 
Ebook negociação e resolução de conflitos volume IV competição
Ebook negociação e resolução de conflitos volume IV    competiçãoEbook negociação e resolução de conflitos volume IV    competição
Ebook negociação e resolução de conflitos volume IV competição
 
Os mais graves erros cometidos pelos negociadores vinte e cinco a considerar ...
Os mais graves erros cometidos pelos negociadores vinte e cinco a considerar ...Os mais graves erros cometidos pelos negociadores vinte e cinco a considerar ...
Os mais graves erros cometidos pelos negociadores vinte e cinco a considerar ...
 
Tec negociação part_1
Tec negociação part_1Tec negociação part_1
Tec negociação part_1
 
Palestra --slides
Palestra --slidesPalestra --slides
Palestra --slides
 
Palestra negociação 2015
Palestra negociação  2015Palestra negociação  2015
Palestra negociação 2015
 
Negociação em Compras
Negociação em ComprasNegociação em Compras
Negociação em Compras
 
Curso MBA em MKT e Negociação - Primeira aula Unimep Professor Júnior
Curso MBA em MKT e Negociação - Primeira aula Unimep Professor JúniorCurso MBA em MKT e Negociação - Primeira aula Unimep Professor Júnior
Curso MBA em MKT e Negociação - Primeira aula Unimep Professor Júnior
 
Liderando Negociações Bem Sucedidas
Liderando Negociações Bem SucedidasLiderando Negociações Bem Sucedidas
Liderando Negociações Bem Sucedidas
 

Mais de PMP

1300579454645 livro adm proc operacionais
1300579454645 livro adm proc operacionais1300579454645 livro adm proc operacionais
1300579454645 livro adm proc operacionaisPMP
 
Evangélico david-wilkerson-a-cruz-e-o-punhal
Evangélico david-wilkerson-a-cruz-e-o-punhalEvangélico david-wilkerson-a-cruz-e-o-punhal
Evangélico david-wilkerson-a-cruz-e-o-punhalPMP
 
O espiritismo na sua expressão mais simples allan kardec
O espiritismo na sua expressão mais simples   allan kardecO espiritismo na sua expressão mais simples   allan kardec
O espiritismo na sua expressão mais simples allan kardecPMP
 
Vera.lucia.m.de.carvalho. .espiritismo.-.novamente juntos.
Vera.lucia.m.de.carvalho. .espiritismo.-.novamente juntos.Vera.lucia.m.de.carvalho. .espiritismo.-.novamente juntos.
Vera.lucia.m.de.carvalho. .espiritismo.-.novamente juntos.PMP
 
A influenia de_atividades_ludicas_na_aprendizagem_de_conceitos_quimicos
A influenia de_atividades_ludicas_na_aprendizagem_de_conceitos_quimicosA influenia de_atividades_ludicas_na_aprendizagem_de_conceitos_quimicos
A influenia de_atividades_ludicas_na_aprendizagem_de_conceitos_quimicosPMP
 
1 ano quimica modelos atomicos caderno de atividades
1 ano quimica  modelos atomicos caderno de atividades1 ano quimica  modelos atomicos caderno de atividades
1 ano quimica modelos atomicos caderno de atividadesPMP
 
Analise do filme g+¬nio
Analise do filme g+¬nioAnalise do filme g+¬nio
Analise do filme g+¬nioPMP
 
Oficina03 matemática
Oficina03 matemáticaOficina03 matemática
Oficina03 matemáticaPMP
 
Profª amanda meira simetria de reflexão
Profª amanda meira                 simetria de reflexãoProfª amanda meira                 simetria de reflexão
Profª amanda meira simetria de reflexãoPMP
 

Mais de PMP (9)

1300579454645 livro adm proc operacionais
1300579454645 livro adm proc operacionais1300579454645 livro adm proc operacionais
1300579454645 livro adm proc operacionais
 
Evangélico david-wilkerson-a-cruz-e-o-punhal
Evangélico david-wilkerson-a-cruz-e-o-punhalEvangélico david-wilkerson-a-cruz-e-o-punhal
Evangélico david-wilkerson-a-cruz-e-o-punhal
 
O espiritismo na sua expressão mais simples allan kardec
O espiritismo na sua expressão mais simples   allan kardecO espiritismo na sua expressão mais simples   allan kardec
O espiritismo na sua expressão mais simples allan kardec
 
Vera.lucia.m.de.carvalho. .espiritismo.-.novamente juntos.
Vera.lucia.m.de.carvalho. .espiritismo.-.novamente juntos.Vera.lucia.m.de.carvalho. .espiritismo.-.novamente juntos.
Vera.lucia.m.de.carvalho. .espiritismo.-.novamente juntos.
 
A influenia de_atividades_ludicas_na_aprendizagem_de_conceitos_quimicos
A influenia de_atividades_ludicas_na_aprendizagem_de_conceitos_quimicosA influenia de_atividades_ludicas_na_aprendizagem_de_conceitos_quimicos
A influenia de_atividades_ludicas_na_aprendizagem_de_conceitos_quimicos
 
1 ano quimica modelos atomicos caderno de atividades
1 ano quimica  modelos atomicos caderno de atividades1 ano quimica  modelos atomicos caderno de atividades
1 ano quimica modelos atomicos caderno de atividades
 
Analise do filme g+¬nio
Analise do filme g+¬nioAnalise do filme g+¬nio
Analise do filme g+¬nio
 
Oficina03 matemática
Oficina03 matemáticaOficina03 matemática
Oficina03 matemática
 
Profª amanda meira simetria de reflexão
Profª amanda meira                 simetria de reflexãoProfª amanda meira                 simetria de reflexão
Profª amanda meira simetria de reflexão
 

Técnicas de negociação de Harvard para alcançar acordos benéficos

  • 1. NEGOCIANEGOCIAÇÇÃOÃO Algumas TAlgumas Téécnicas da Escola decnicas da Escola de HarvardHarvard Prof. Dr. Edmilson ManganoteProf. Dr. Edmilson Manganote
  • 2. O que é Negociar?
  • 3. O que significa Negociar?O que significa Negociar? ““Caracterizamos a negociaCaracterizamos a negociaçção como umão como um processo potencialmente oportunista deprocesso potencialmente oportunista de interainteraçção pelo qual duas ou mais partes,ão pelo qual duas ou mais partes, partindo de um grau de suposto conflito,partindo de um grau de suposto conflito, procuram obter mediante uma decisãoprocuram obter mediante uma decisão comum, um resultado melhor do que teriamcomum, um resultado melhor do que teriam obtido por outros meios.obtido por outros meios.”” DavidDavid LaxLax e Jamese James SebeniusSebenius emem TheThe ManagerManager asas NegotiatorNegotiator, Free Press, 1986
  • 4. O que significa Negociar?O que significa Negociar? ““NegociaNegociaççãoão éé um jogo que temum jogo que tem jogadores, segue regras e que pode,jogadores, segue regras e que pode, portanto, ser compreendido (nãoportanto, ser compreendido (não éé aleataleatóório) e composto mediante umario) e composto mediante uma sséérie de eventos previsrie de eventos previsííveis.veis.”” Roy Lewicki e Alexander Hiam em Negotiating na Deal Making, John Wiley Trade, 1999.
  • 5. Uma definiUma definiçção prão práática...tica... NegociaNegociaççãoão éé o processo pelo qualo processo pelo qual duas ou mais pessoas se comunicam,duas ou mais pessoas se comunicam, buscando chegar a algum acordobuscando chegar a algum acordo sobre valores escassos e/ou asobre valores escassos e/ou aççõesões controladas, total ou parcialmente, porcontroladas, total ou parcialmente, por ambas as partes ou, ainda, porambas as partes ou, ainda, por qualquer das partes envolvidas.qualquer das partes envolvidas.””
  • 7. O nosso lado...O nosso lado... O que precisamos saber sobre nO que precisamos saber sobre nóóss mesmos? Quemmesmos? Quem éé você?você? A autoA auto--compreensãocompreensão éé o primeiroo primeiro passo para poder administrar nossaspasso para poder administrar nossas reareaççõesões
  • 8. O nosso lado...O nosso lado... QualQual éé o seu estilo?o seu estilo? CaracterCaracteríísticas fundamentaissticas fundamentais –– AcomodaAcomodaççãoão –– AcordoAcordo –– EvasãoEvasão –– ColaboraColaboraççãoão –– CompetiCompetiççãoão
  • 9. O nosso lado...O nosso lado... O que você quer e por quê?O que você quer e por quê? –– Para obter mais do que você tem...Para obter mais do que você tem... –– Para obter uma fatia justa...Para obter uma fatia justa... –– Para vencer...Para vencer... –– Para não perder...Para não perder... –– Para obter o que você deseja...Para obter o que você deseja... –– Para obter o mPara obter o mááximo que você puder...ximo que você puder... –– Para obter tudo...Para obter tudo... –– Para acertar as contas...Para acertar as contas...
  • 10. O outro lado...O outro lado... O que precisamos saber sobre o outroO que precisamos saber sobre o outro lado?lado? Andar em direAndar em direçção ao outro ladoão ao outro lado éé oo caminho mais curto para chegar ondecaminho mais curto para chegar onde queremos ir...queremos ir...
  • 11. O outro lado...O outro lado... O Erro UniversalO Erro Universal –– PosiPosiçções em vez deões em vez de interessesinteresses –– Evitar posiEvitar posiççõesões –– Administrar seu tempoAdministrar seu tempo –– Deixar claro quais são seus interessesDeixar claro quais são seus interesses –– Esclarecer os interesses delesEsclarecer os interesses deles
  • 12. O outro lado...O outro lado... HipHipóóteses errôneas sobre o outro ladoteses errôneas sobre o outro lado –– NNóós somos mais espertos e temoss somos mais espertos e temos habilidades especiaishabilidades especiais –– NNóós somos mais bem informadoss somos mais bem informados –– Eles não têm nenhuma alternativa...Eles não têm nenhuma alternativa... –– A maldiA maldiçção do ganhador...ão do ganhador...
  • 14. EmoEmoçções na negociaões na negociaçção...ão... Como gerenciComo gerenciáá--las?las? Um bom acordoUm bom acordo éé aquele que soaaquele que soa como discurso de vitcomo discurso de vitóória para todas asria para todas as partes envolvidas, e os negociadorespartes envolvidas, e os negociadores sentemsentem--se herse heróóis...is...
  • 15. EmoEmoçções na negociaões na negociaçção...ão... O que estO que estáá envolvido?envolvido? As três conversas:As três conversas: –– A conversa do que aconteceu...A conversa do que aconteceu... Divergências...Divergências... –– A conversa dos sentimentos...A conversa dos sentimentos... Dos outros e as nossas...Dos outros e as nossas... –– A conversa da identidade...A conversa da identidade... Com nCom nóós mesmos...s mesmos...
  • 16. EmoEmoçções na negociaões na negociaçção...ão... A anA anáálise da linguagem corporallise da linguagem corporal Gestos abertosGestos abertos –– mãos abertas com asmãos abertas com as palmas para cima, mãos na cintura, sentarpalmas para cima, mãos na cintura, sentar--sese na ponta da cadeira...na ponta da cadeira... Gestos defensivosGestos defensivos –– brabraçços cruzados, sentaros cruzados, sentar-- se em uma perna, olhar no relse em uma perna, olhar no relóógio, nãogio, não sustentar o olhar do outro...sustentar o olhar do outro... Gestos avaliativosGestos avaliativos –– apoiar o rosto na palmaapoiar o rosto na palma da mão, movimentada mão, movimentaçção da cabeão da cabeçça, coa, coççar oar o queixo ou a barba, olhar por cima dosqueixo ou a barba, olhar por cima dos óóculos...culos...
  • 17. EmoEmoçções na negociaões na negociaçção...ão... Como fazer para gerenciar suasComo fazer para gerenciar suas emoemoçções e influir na dos outros?ões e influir na dos outros?
  • 19. Negociando Valores...Negociando Valores... Apesar de ser um critApesar de ser um critéério correto, umrio correto, um acordo justo nãoacordo justo não éé necessariamentenecessariamente igual a um acordo inteligente. Paraigual a um acordo inteligente. Para que um acordo seja tanto justo comoque um acordo seja tanto justo como inteligente,inteligente, éé preciso compreenderpreciso compreender outros conceitos universais que afetamoutros conceitos universais que afetam a qualidade da negociaa qualidade da negociaççãoão
  • 20. Negociando Valores...Negociando Valores... Alvos, limites e a Zona de PossAlvos, limites e a Zona de Possííveisveis Acordos (ZOPA)Acordos (ZOPA) Zona de Possíveis Acordos 15 20 15 1818 Comprador 20 1717 Vendedor Valores de Reserva
  • 21. Negociando Valores...Negociando Valores... Alvos, limites e a Zona de PossAlvos, limites e a Zona de Possííveisveis Acordos (ZOPA)Acordos (ZOPA) –– MASAMASA –– Melhor Alternativa Sem AcordoMelhor Alternativa Sem Acordo –– O difO difíícil na determinacil na determinaçção da ZOPAão da ZOPA éé saber o presaber o preçço limite do outro lado...o limite do outro lado... –– Como estimar esse limite?Como estimar esse limite? Construir confianConstruir confiançça...a... InformaInformaçções de terceiros...ões de terceiros... Inteligência externa...Inteligência externa...
  • 22. Negociando Valores...Negociando Valores... AncorarAncorar –– ÉÉ fazer a primeira proposta, ofazer a primeira proposta, o primeiro lance...primeiro lance... Quem deve ancorar primeiro?Quem deve ancorar primeiro? –– Em geral, o OUTRO LADO...Em geral, o OUTRO LADO... Podemos preferir ancorar? Sim...Podemos preferir ancorar? Sim... –– Quando temos uma informaQuando temos uma informaçção importante queão importante que o outro lado desconheceo outro lado desconhece –– Quando temos algum segredo ou ponto fracoQuando temos algum segredo ou ponto fraco –– Quando sabemos, ou suspeitamos, que existeQuando sabemos, ou suspeitamos, que existe uma ZOPA muito amplauma ZOPA muito ampla
  • 23. Negociando Valores...Negociando Valores... Se você vai ancorar...LembreSe você vai ancorar...Lembre--se:se: O resultado da negociaO resultado da negociaçção não ficarão não ficaráá melhor do que a sua âncoramelhor do que a sua âncora
  • 24.
  • 26. Tensões nas NegociaTensões nas Negociaççõesões Como gerenciComo gerenciáá--las?las? O processo de negociaO processo de negociaçção envolveão envolve vváárias tensões, istorias tensões, isto éé, atitudes, atitudes adotadas na negociaadotadas na negociaçção em funão em funçção doão do contexto e da interacontexto e da interaçção das partesão das partes envolvidas...envolvidas...
  • 27. As TAs Téécnicas de Harvardcnicas de Harvard
  • 28. Os Sete Elementos...Os Sete Elementos... A origem...A origem... –– Roger Fisher e WilliamRoger Fisher e William UryUry, Universidade de, Universidade de Harvard,Harvard, ““Como chegar ao simComo chegar ao sim –– A negociaA negociaççãoão sem concessõessem concessões””, 1981, 1981 –– Nos cursos coordenados pelo Programa deNos cursos coordenados pelo Programa de NegociaNegociaçção de Harvard, são ensinados seteão de Harvard, são ensinados sete conceitosconceitos –– comunicacomunicaçção, relacionamento,ão, relacionamento, interesses, opinteresses, opçções, legitimidade, alternativa eões, legitimidade, alternativa e compromissocompromisso –– que caracterizam o que hojeque caracterizam o que hoje conhecemos comoconhecemos como ““TTéécnicas de Negociacnicas de Negociaçção deão de HarvardHarvard””
  • 29. Os Sete Elementos...Os Sete Elementos... ComunicaComunicaççãoão –– Linguagem comumLinguagem comum –– Pontos de referência comunsPontos de referência comuns –– Interesses comunsInteresses comuns –– Valores e cultura comunsValores e cultura comuns
  • 30. Os Sete Elementos...Os Sete Elementos... RelacionamentoRelacionamento –– Busque pontos de comunhãoBusque pontos de comunhão –– ReconheReconheçça que os envolvidos são, antes de maisa que os envolvidos são, antes de mais nada, seres humanosnada, seres humanos –– Separe o problema das pessoas nele envolvidasSepare o problema das pessoas nele envolvidas –– Mantenha o foco no problemaMantenha o foco no problema –– Evite acusaEvite acusaççõesões –– Compreender nãoCompreender não éé o mesmo que concordaro mesmo que concordar –– Envolva o outroEnvolva o outro
  • 31. Os Sete Elementos...Os Sete Elementos... AlternativasAlternativas –– EstabeleEstabeleçça sua MASAa sua MASA –– Quando possQuando possíível, fortalevel, fortaleçça sua MASAa sua MASA –– Descubra a MASA da outra parteDescubra a MASA da outra parte –– Tente enfraquecer a MASA da outra parteTente enfraquecer a MASA da outra parte
  • 32. Os Sete Elementos...Os Sete Elementos... InteressesInteresses –– Barganha posicionalBarganha posicional –– A aA açção instintivaão instintiva que tende a se concentrar no objeto deque tende a se concentrar no objeto de nosso desejo na negocianosso desejo na negociaçção...ão... –– Descubra os interessesDescubra os interesses –– seus e da outraseus e da outra parte...parte...
  • 33. Os Sete Elementos...Os Sete Elementos... Legitimidade ou CritLegitimidade ou Critéérios Objetivosrios Objetivos –– Por que a legitimidadePor que a legitimidade éé importante nasimportante nas negocianegociaçções?ões? –– Como sugerir a utilizaComo sugerir a utilizaçção de critão de critéériosrios objetivos?objetivos?
  • 34. Os Sete Elementos...Os Sete Elementos... OpOpççõesões –– Um dos fatores que mais claramenteUm dos fatores que mais claramente distinguem o negociador treinado daqueledistinguem o negociador treinado daquele que age apenas por instintoque age apenas por instinto éé aa capacidade de criar opcapacidade de criar opçções antes deões antes de efetivamente iniciar as trocas prefetivamente iniciar as trocas próóprias daprias da negocianegociaççãoão
  • 35. Os Sete Elementos...Os Sete Elementos... CompromissoCompromisso –– ResumoResumo –– tudo que foi acertado deve sertudo que foi acertado deve ser sintetizado, para confirmasintetizado, para confirmaçção dos termosão dos termos do negdo negóócio fechadocio fechado –– Evite exigências posterioresEvite exigências posteriores –– Formalize o acordoFormalize o acordo –– a celebraa celebraçção...ão...
  • 37. O Processo de NegociarO Processo de Negociar TTááticas e gerenciamento do tempo...ticas e gerenciamento do tempo... Tudo na vida tem comeTudo na vida tem começço, meio e fim.o, meio e fim. A negociaA negociaçção tambão tambéém. Se deixarmosm. Se deixarmos de cuidar dessa regra bde cuidar dessa regra báásica,sica, acabamos permitindo que a ansiedadeacabamos permitindo que a ansiedade venvençça a efica a eficáácia.cia.
  • 38. O Processo de NegociarO Processo de Negociar Os cinco passos da NegociaOs cinco passos da Negociaçção Eficazão Eficaz –– PrepararPreparar –– CriarCriar –– NegociarNegociar –– FecharFechar –– ReconstruirReconstruir
  • 39. O Processo de NegociarO Processo de Negociar PrepararPreparar –– InformaInformaççãoão –– Cuidado com suposiCuidado com suposiçções errôneasões errôneas –– ConheConheçça e fortalea e fortaleçça a sua MASA.a a sua MASA. Considere enfraquecer a delesConsidere enfraquecer a deles –– PrPréé--condicondiççõesões –– DefiniDefiniçção da estratão da estratéégiagia
  • 40. O Processo de NegociarO Processo de Negociar Criar (condiCriar (condiçções e valor)ões e valor) –– RelacionamentoRelacionamento –– InteressesInteresses –– OpOpççõesões –– Padrões de legitimidadePadrões de legitimidade
  • 41. O Processo de NegociarO Processo de Negociar Negociar (para obter resultados)Negociar (para obter resultados) –– Enquadrar o problemaEnquadrar o problema –– Ouvir mais do que falarOuvir mais do que falar –– Combinar empatia com assertividadeCombinar empatia com assertividade –– Sumarizar com freqSumarizar com freqüüênciaência
  • 42. O Processo de NegociarO Processo de Negociar Negociar (para obter resultados)Negociar (para obter resultados) –– O queO que éé importante ao receber propostas?importante ao receber propostas? Poder responder simPoder responder sim Poder responder nãoPoder responder não Poder fazer uma biPoder fazer uma bióópsia da propostapsia da proposta Poder responder com uma contrapropostaPoder responder com uma contraproposta imediataimediata Poder sugerir uma pausa para pensarPoder sugerir uma pausa para pensar Poder fazer uma contraproposta apPoder fazer uma contraproposta apóós a pausas a pausa
  • 43. O Processo de NegociarO Processo de Negociar Negociar para obter resultadosNegociar para obter resultados –– O queO que éé importante ao fazer propostas?importante ao fazer propostas? Não tenha pressaNão tenha pressa Enquadre com inteligênciaEnquadre com inteligência Valorize a credibilidadeValorize a credibilidade Separe e focalize as questões essenciaisSepare e focalize as questões essenciais Proponha soluProponha soluççõesões Feche a proposta com um conviteFeche a proposta com um convite
  • 44. O Processo de NegociarO Processo de Negociar Fechar (de forma bem sucedida)Fechar (de forma bem sucedida) –– Quando fechar?Quando fechar? –– O fechamento condicionadoO fechamento condicionado –– A decisãoA decisão –– Um compromisso firme...Um compromisso firme... –– Previsão para resoluPrevisão para resoluçção de conflitosão de conflitos
  • 45. O Processo de NegociarO Processo de Negociar Reconstruir (Investir no seu futuro eReconstruir (Investir no seu futuro e na sua reputana sua reputaçção)ão) –– Elogiar quando merecidoElogiar quando merecido –– A fala da vitA fala da vitóória do outro...ria do outro... –– Afirmar legitimidadeAfirmar legitimidade
  • 47. Dificuldades...Dificuldades... Como lidar com pessoas que tornam oComo lidar com pessoas que tornam o processo de negociaprocesso de negociaççãoão particularmente penoso e parecemparticularmente penoso e parecem gostar desse tipo de atitude? Reagir egostar desse tipo de atitude? Reagir e atacar simplesmente? Quais as outrasatacar simplesmente? Quais as outras alternativas existentes a simplesmentealternativas existentes a simplesmente desistir ou manda tudo pelos ares?desistir ou manda tudo pelos ares?
  • 48. Dificuldades...Dificuldades... Problema? Que Problema? As pressões...Problema? Que Problema? As pressões... –– Pressão do tempoPressão do tempo –– TeatralTeatral –– AmeaAmeaççaa –– AcusaAcusaççãoão –– Propostas ilegPropostas ilegíítimastimas –– Chantagem emocionalChantagem emocional –– Chantagem realChantagem real –– SubornoSuborno
  • 49. Dificuldades...Dificuldades... Problema? Que Problema? OProblema? Que Problema? O comportamento desleal...comportamento desleal... –– MentirasMentiras –– Atos ilegais ou poucoAtos ilegais ou pouco ééticosticos –– Aumento progressivo das exigênciasAumento progressivo das exigências –– Quebra das regras do jogo combinadoQuebra das regras do jogo combinado –– RevelaRevelaçção de informaão de informaçções confidenciaisões confidenciais –– Abuso psicolAbuso psicolóógicogico
  • 50. Dificuldades...Dificuldades... Pessoas difPessoas difííceis...ceis... Reagir ou não reagir, eis a questão!Reagir ou não reagir, eis a questão! –– Regra GeralRegra Geral Não se alterarNão se alterar Não tentar se vingarNão tentar se vingar Conseguir o que se quer...Conseguir o que se quer... –– Conseguir o que se querConseguir o que se quer Não reagirNão reagir Manter o controleManter o controle Sair de cenaSair de cena
  • 51. A ética na negociação...
  • 52. O fim...O fim... O que aprendemos? Prof. Dr. Edmilson Manganote manganote@facamp.com.br ejtmanganote@gmail.com mangano@terra.com.br