Psicopatologia Infanto Juvenil: Autismo

599 visualizações

Publicada em

Construção de PTS e Plano de AEE em um caso de autismo por graduandas do curso de Psicologia, da UFC - Campus Sobral.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Psicopatologia Infanto Juvenil: Autismo

  1. 1. Autismo Infantil Construção de PTS e Plano de AEE Amanda Lima de Oliveira Paola Lopes Lima Tanna Romão Silva
  2. 2. Identificação • Nome: J. F. S. • Idade: 2 anos • Bairro Alto do Cristo • Mãe, pai e dois irmãos (10 e 15 anos) • Creche Lúcia Sabóia • PSF Alto do Cristo • Centro de Reabilitação de Sobral
  3. 3. • Pai impaciente • Mãe principal cuidadora • Maior proximidade com o irmão • Interesses: brinquedos de montar, bola, assistir DVD e Trem da Alegria. • Se irrita em situações de barulho ou quando pessoas falam muito alto • Rotina de sair todo final de semana para praça
  4. 4. • Creche Lúcia Sabóia no turno vespertino • Infantil II • Professora e cuidadora • Não tem AEE • Mesma atividades, mas avaliação diferentes • Corre e dorme • Professora e cuidadora diferentes • Não há reclamação de brigas entre as crianças
  5. 5. • PSF Alto do Cristo • Atraso nos exames solicitados • Divergência entre as informações • Centro de Reabilitação: T.O., Fono e Psicóloga • Atendimento multidisciplinar; grupo • Nunca diagnosticado; características recentes • Lotação; desligamento de casos como esse.
  6. 6. Contribuições: Eixo Familiar • Mediação da relação com a irmã • Intensificar a relação com o irmão para que este auxilie em atividades que estimulem o desenvolvimento da criança • Elaborar alternativas para trabalhar a impaciência do pai • Palestras em períodos regulares sobre o autismo e temas relacionados a serem realizadas na APASO
  7. 7. Contribuições: Eixo Escolar • Interlocução com a APAE • Atividades alternativas para o ensino • Busca sobre a proximidade de alguma escola que tenha AEE • Plano de AEE
  8. 8. Contribuições: Plano de AEE  OBJETIVOS DO PLANO • Possibilitar e estimular o desenvolvimento cognitivo da criança, através de recursos que remetem ao lúdico. • Identificar, organizar e planejar de forma coletiva e colaborativa com o professor da sala de aula e a cuidadora estratégias e recursos para a melhoria da aprendizagem; • Sala de recursos multifuncionais • Capacitação direcionada para as professoras e cuidadora  ATIVIDADES • Expressão artísticas: pintura, desenho, recortes e afins. • Brinquedos de montar e desmontar simples e complexos que exigem abstrações • Rotina juntamente com o aluno. • Atividades esportivas com bola: coordenação motora. • Músicas e expressão: linguagem oral e a expressão corporal • Atividades na sala de aula regular com os demais alunos, sendo também cobrado por elas.
  9. 9. Contribuições: Eixo Clínico • Neuropediatra: encaminhamento • Comunicação entre os profissionais • Profissionais esclarecidos na APASO: esclarecimento dos pais e acompanhamentos • Montagem de uma brinquedoteca com um profissional/associado capacitado assistindo às crianças • Melhor comunicação entre profissionais e familiares
  10. 10. Referências BORGES, H. C. M; BOECKEL, M. G. O impacto do transtorno autista na vida da mãe dos portadores. Disponível em: <https://psicologia.faccat.br/moodle/pluginfile.php/197/course/section/98/H ELLEN_CHRISTINA_MICHAELSEN_BORGES.pdf>. Acesso em: 23 nov. 2014 Ministério da Saúde, Linha de cuidado para a atenção às pessoas com transtornos do espectro do autismo e suas famílias na rede de atenção psicossocial do sistema único de saúde. Brasília, 2013. Imagens: http://www.boredpanda.com/5-year-old-painter-autism-iris-grace/ http://50watts.com/Drawing-Autism
  11. 11. Obrigada!

×