Como escrever um_livro

2.363 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Educação
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.363
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como escrever um_livro

  1. 1. 100 perguntas e respostas COMO ESCREVER UM LIVRO Ariel Rivadeneira COMOESCREVERUMLIVROArielRivadeneira Você está convencidode que quer ser um escri- tor porque sente a vocação em suas veias. No entanto, quando começa a escrever, descobre que ter idéias e saber como conduzi-las no papel não é a mesma coisa. Que não basta ter um bom personagem para elaborar uma excelente história ou escrever um poema especial, que redigir um texto que prenda a atenção do leitor leva tempo e envolve muita energia. Reconhecer a dificuldade de escrever e se fazer muitas perguntas já é um bom começo. Em Como escrever um livro, você encontrará o auxílio necessário para todas as suas dúvidas. * Como evitar que a minha história se complique excessivamente? * Como é possível, em poucas páginas, apresentar bem o personagem? *Qual é a chave para o começo de uma história? * Qual a diferença entre a voz própria e a voz narrativa? * Qual é a forma correta de escrever os pensamentos do personagem? Este livro é um guia de primeiros socor- ros para urgências literárias. A partir do momento em que decide escrever até o momento de ver seu livro publicado, você encontrará nesta obra um arsenal com- pleto para sair com êxito dos apuros. Em vez de tentar esquecer a possibilidade de ser um escritor, com os ensinamen- tos aqui expostos você verá seus desejos aumentados a cada página e poderá es- colher entre as várias alternativas para criar uma história interessante. Ariel Rivadeneira nasceu em Buenos Aires, Argentina. Há alguns anos reside em Barcelona, na Espa- nha, onde é jornalista e fundador da Grafein-Barcelona, uma oficina de escrita criativa. TambémédiretordeEscribiryPubli- car, uma revista de criação literária. Como escrever um livro é sua primeira publicação no Brasil. www.ediouro.com.br/comoescreverumlivro ComoEscreverMontado.indd 1ComoEscreverMontado.indd 1 28/11/08 11:07:5528/11/08 11:07:55
  2. 2. COMO ESCREVER UM LIVRO 100 perguntas e respostas
  3. 3. Ariel Rivadeneira COMO ESCREVER UM LIVRO 100 perguntas e respostas TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO Sonia Belloto
  4. 4. Título original: 100 respuestas a las 100 eternas preguntas del escritor novel © 2008 by Ariel Rivadeneira © 2008 by Grafein Ediciones Direitos de tradução cedidos à Ediouro Publicações Ltda., 2009 Editora: Cristina Fernandes Assistente editorial: Marcus Assunção Coordenadora de produção: Adriane Gozzo Assistente de produção: Juliana Campoi Preparação de textos: Alessandra Miranda de Sá Revisão: Rodrigo Fragelli Editora de arte: Ana Dobón Projeto gráfico e diagramação: Dany Editora Ltda. Capa: A2 Imagem de capa: © Tony Latham/zefa/Corbis/LatinStock Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Rivadeneira, Ariel Como escrever um livro : 100 perguntas e respostas / Ariel Rivadeneira ; tradução e adaptação de Sonia Belloto. — São Paulo : Ediouro, 2009. Título original: 100 respuestas a las 100 eternas preguntas del escritor novel. ISBN 978-85-00-01416-1 1. Arte de escrever 2. Estilo literário 3. Ficção - Arte de escrever 4. Ficção - Autoria 5. Perguntas e respostas I. Belloto, Sonia. II. Título. 08-11078 CDD-808.3 Índice para catálogo sistemático: 1. Ficção : Arte de escrever : Literatura 808.3 Todos os direitos reservados à Ediouro Publicações S.A. Rua Nova Jerusalém, 345 – Bonsucesso Rio de Janeiro – RJ – CEP 21042-235 Tel.: (21) 3882-8200 Fax: (21) 3882-8212 / 3882-8313 www.ediouro.com.br
  5. 5. Existem livros curtos que, para entendê-los como merecem, é preciso uma vida muito extensa. Francisco de Quevedo Um livro que não está escrito, é como se faltasse algo. Les Luthiers Não sei o que se admira tanto em Moisés pelos 10 mandamentos. Eu também escrevo e, a mim, Deus não me inspira o tema. Groucho Marx
  6. 6. 9 A síndrome do paciente: escritor NÃO TEM CORAGEM de confessar a si mesmo, mas se vê publi- cando um livro com uma capa lindíssima e seu nome destacado nela em letras garrafais. Um lançamento de sucesso e milhões de exemplares vendidos. Exame clínico Anotesuasreaçõesesensaçõesemduascolunas,colocando as confortáveis em uma e as desconfortáveis em outra. Você vai perceber que passará de uma para outra em menos tempo que a duração de um relâmpago. Escrever é um ato violento ou exuberante, um vazio ou uma realização. Um trajeto mais para lá ou mais para cá. Se você falhar no ato da criação Poderá amargurar-se diante das idéias que não consegue gerar e censurar-se, perdendo a autoconfiança. Ou fartar-se de palavras, sem saber o que fazer com as muitas que estão nos dicionários; ou ainda escrever um livro em que a falta do voca- bulário ou uma estrutura rebuscada o torne imperfeito. Se você falhar na técnica Poderá funcionar como um robô, usando constantemente asmesmaspalavras,damesmamaneira,tornando-se,assim,re- petitivo.Vocêcorreoriscodefazerexatamenteigualaqualquer outro escritor, como se contasse uma piada, sem se dar conta de
  7. 7. 10 que, para fazer literatura, não basta transcrever o que alguém já contou. Ou pode perder o controle e forçar tanto na linguagem que deixará o texto empobrecido. O que fazer, então? Seja qual for o caso, escrever é saudável. É como sonhar. Freud contava que havia uma cidade em que todos os ho- mens estavam apaixonados pela mesma mulher, até que um dia um deles, um homem bem pequeno, amanheceu dizendo que se sentia livre daquela obsessão. Ao ser indagado pelos vizinhos sobre como havia consegui- do, ele comentou que durante a noite tinha sonhado que aquela mulher o amava. E, sonhando, o homem resolveu o conflito. Resultados como este também são possíveis quando se escreve. Se você está lendo este livro, é porque está precisando de ajuda e porque ainda tem muitas dúvidas. Talvez tenha feito vários checkups e se tornou um hipo- condríaco literário, pesquisando constantemente, querendo compreender o que é ser escritor, qual o melhor treinamento, como multiplicar as idéias, evitar todos os tipos de bloqueio, dominarasestratégias,alinguagem,comoconseguirvozprópria e encontrar o narrador mais adequado para cada caso. Muitas pessoas não escrevem porque procuram respostas como as 100 que serão encontradas aqui. Então... avante! Não sofra; aja!
  8. 8. 11 1 Tenho vontade de escrever. Por onde começo? PRIMEIRO VOCÊ PRECISA saber de onde vem essa necessidade e até onde deseja avançar. Se quer escrever, deve ter claro o que quer escrever. De qualquer maneira, comece pelas primeiras palavras que lhe vêm à mente. Diz um provérbio árabe que uma palavra dita se converte em um conto. Assim, pela manhã, nas aldeias, todas as mulhe- res se juntavam à beira do rio e conversavam, entre risadas e afazeres. Certa ocasião, uma mulher disse para outra, que estava ao lado: — Meu marido me deu de presente um par de brincos de ouro. A interlocutora sussurrou ao ouvido de outra mulher: — O marido de Zulma deu a ela de presente um par de brincos de ouro com brilhantes. — Que sorte tem esta mulher que nós não temos? — per- guntou esta última à outra, acrescentando uma pérola ao bri- lhante. E a inveja trouxe a desconfiança. — Vai saber onde o marido arrumou isso! — exclamou uma das mulheres. — Certamente roubou de alguém — disse outra. E uma delas, a mais invejosa, afirmou: — Você tem razão. O marido de Zulma sempre sai à noite. Dizem que ele trabalhou em um palácio. Como é muito bonito, a princesa deve ter se apaixonado por ele e lhe dado a jóia.
  9. 9. 12 E então aquelas mulheres começaram a criar histórias que lhes vinham à mente. — Talvez por isso o rei tenha construído para o marido de Zulma um palácio que fica bem distante, com uma fortaleza que o cerca. Ao final de tanto falatório, chegou aos ouvidos de toda a população que o marido de Zulma tinha um romance secreto com a princesa. Você pode imaginar um final para esta história? Comosepodeperceber,combaseemapenasumafrase,uma série de opiniões divergentes foram estimuladas, até se chegar a uma conclusão final. Portanto,comeceporumafrasequepossasugeriralgomais, continue com uma série de opiniões divergentes, até chegar a uma conclusão final. E por que não começar com apenas uma palavra? A que você acaba de pensar agora, por exemplo. Divida essa palavra em sílabas. Cada sílaba vai gerar outras palavras, e você terá com o que começar. Ou comece só com um fragmento, que pode ser uma recor- dação, um sonho, uma observação, até que tenha o alicerce da estrutura.
  10. 10. Este livro foi composto em Esprit Book e impresso pela gráfica Edigraf sobre papel offset 75g para a Ediouro, em janeiro de 2009.
  11. 11. 100 perguntas e respostas COMO ESCREVER UM LIVRO Ariel Rivadeneira COMOESCREVERUMLIVROArielRivadeneira Você está convencidode que quer ser um escri- tor porque sente a vocação em suas veias. No entanto, quando começa a escrever, descobre que ter idéias e saber como conduzi-las no papel não é a mesma coisa. Que não basta ter um bom personagem para elaborar uma excelente história ou escrever um poema especial, que redigir um texto que prenda a atenção do leitor leva tempo e envolve muita energia. Reconhecer a dificuldade de escrever e se fazer muitas perguntas já é um bom começo. Em Como escrever um livro, você encontrará o auxílio necessário para todas as suas dúvidas. * Como evitar que a minha história se complique excessivamente? * Como é possível, em poucas páginas, apresentar bem o personagem? *Qual é a chave para o começo de uma história? * Qual a diferença entre a voz própria e a voz narrativa? * Qual é a forma correta de escrever os pensamentos do personagem? Este livro é um guia de primeiros socor- ros para urgências literárias. A partir do momento em que decide escrever até o momento de ver seu livro publicado, você encontrará nesta obra um arsenal com- pleto para sair com êxito dos apuros. Em vez de tentar esquecer a possibilidade de ser um escritor, com os ensinamen- tos aqui expostos você verá seus desejos aumentados a cada página e poderá es- colher entre as várias alternativas para criar uma história interessante. Ariel Rivadeneira nasceu em Buenos Aires, Argentina. Há alguns anos reside em Barcelona, na Espa- nha, onde é jornalista e fundador da Grafein-Barcelona, uma oficina de escrita criativa. TambémédiretordeEscribiryPubli- car, uma revista de criação literária. Como escrever um livro é sua primeira publicação no Brasil. www.ediouro.com.br/comoescreverumlivro ComoEscreverMontado.indd 1ComoEscreverMontado.indd 1 28/11/08 11:07:5528/11/08 11:07:55

×