Tecido epitelial

1.377 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.377
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
62
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tecido epitelial

  1. 1. De modo geral, o corpo dos animais é constituído de aparelhos, que são formados de órgãos; estes, por sua vez, são constituídos de tecidos. O tecido é um conjunto de células semelhantes que realizam as mesmas funções. Seu estudo corresponde uma parte da Biologia chamada histologia. Os tecidos estão divididos em quatro tipos: epitelial, conjuntivo , muscular e nervoso.
  2. 2. Tecido Epitelial Os epitélios são basicamente tecidos de revestimento e proteção do organismo. Além de recobrirem todo o corpo do animal, revestem internamente órgãos, cavidades e canais, desempenhando inúmeras funções e tendo os mais variados aspectos.
  3. 3. Um epitélio típico e de ocorrência geral é a epiderme, que protege o corpo contra atrito ou traumas, desidratação, substâncias tóxicas do ambiente, penetração de bactérias, vírus e outros agentes nocivos. A epiderme permite ainda o relacionamento do organismo com o meio, recebendo estímulos, ambientais e tornado possíveis as reações adaptativas.
  4. 4. Os epitélios que revestem internamente os órgãos fazem absorção de água e alimentos, trocas respiratórias e ainda a eliminação de excretas. Há também os epitélios secretores ou glandulares, cuja função é a produção de substâncias especiais como suor, sebo, lágrimas, muco, leite e sucos digestivos.
  5. 5. Características: Os epitélios podem ser definidos como tecidos de células justapostas, unidas por uma finíssima camada de substância cimentante. Os epitélios não têm vascularização (com raras exceções) e são, portanto, alimentados por difusão, a partir de capilares sangüíneos dos tecidos conjuntivos das camadas diretamente em contato com eles.
  6. 6. Tais propriedades são decorrentes de especializações da membrana plasmática nas superfícies livres das células ou nas regiões de contato entre elas. Na superfície de contato com os tecidos conjuntivos, os epitélios apresentam uma membrana basal. Esta é uma fina lâmina composta por glicoproteínas e uma rede de fibrilas de proteína.
  7. 7. As glicoporteínas também conectam as células epiteliais, formando finas camadas entre elas (cimento ou glicocálix). Não há, portanto, verdadeiros espaços intercelulares como nos demais tecidos.
  8. 8. Os tipos de epitélios: Os epitélios são classificados com base em diferentes critérios, como a forma de suas células, o número de camadas celulares e as funções que desempenham. Quanto à forma das células eles podem ser pavimentosos, cúbicos e cilíndricos (prismáticos).
  9. 9. Um tipo especial de epitélio pavimentoso é o endotélio. Ele é fino, de espessura variável; reveste o coração, vasos sangüíneos e vasos linfáticos. Os mais finos capilares sangüíneos têm a parede formada apenas pelo endotélio.
  10. 10. Quanto ao número de camadas, os epitélios são basicamente simples ou estratificados. Os simples têm apenas uma camada celular;
  11. 11. os estratificados, várias. Mais raros sãos os epitélios pseudoestratificados, com uma só camada de células de diferentes alturas, e os de transição (mistos), com poucas camadas, sendo as células superficiais diferentes das basais.
  12. 12. Epitélio Glandular: certas células do nosso corpo são capazes de produzir determinadas substâncias que podem ser empregadas em outras partes do nosso corpo ou eliminadas do organismo. As células que têm essa capacidade são chamadas células glandulares e as substâncias produzidas são chamadas secreções As glândulas podem ser:
  13. 13. • Glândulas Exócrinas: as glândulas exócrinas lançam suas secreções na superfície do epitélio por meio de canais ou ductos.Geralmente esse tipo de glândula apresenta duas porções; porção secretora e ducto excretor. São exemplos de glândulas exócrinas: as lacrimais,as salivares e as mamarias.
  14. 14. * Glândulas endócrinas: seu produto é lançado na corrente sanguínea, neste caso, a secreção é chamada hormônio. As principais glândulas endócrinas são:
  15. 15. Tireóide: glândula endócrina dos vertebrados, situada em seu pescoço. Sua principal função é a secreção de dois hormônios derivados do aminoácido tironina: a tiroxina (ou tetraiodotironina - T4) e a triiodotironina (T3), que aumentam a velocidade das reações químicas em quase todas as células do organismo. Elevam, dessa forma, o nível geral do metabolismo corporal.
  16. 16. Hipófise: a hipófise é uma pequena glândula endócrina, também chamada de pituitária. Está localizada na base do cérebro, no osso esfenóide, produz e secreta um tipo específico de hormônio. Os principais hormônios produzidos e secretados pela hipófise são: a somatotrofina ou hormônio do crescimento, a prolactina, o hormônio folículo estimulante (FSH), o hormônio luteinizante (LH), o hormônio tiretrófico (TSH) e o hormônio adenocorticotrófico (ACTH).
  17. 17. Glândulas supra- renais: produz um hormônio chamado adrenalina. Afeta a circulação do sangue, pois sua secreção pode causar grande aumento do ritmo dos batimentos cardíacos. Além deste aspecto, a adrenalina também tem ação sobre o metabolismo do açúcar e as atividades musculares.
  18. 18. Glândulas paratireóides: são responsáveis pela quantidade de sais de cálcio e fósforo no sangue.
  19. 19. * Glândulas anfícrinas ou mistas: são aquelas que produzem uma secreção de eliminação externa e um hormônio de eliminação na corrente sanguínea. Um exemplo é o pâncreas. O pâncreas é um órgão situado no abdome,.Como glândula endócrina; produz o hormônio insulina e como exócrina produz suco pancreático.

×