Reproducao

2.946 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.946
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
209
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
62
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reproducao

  1. 1. REPRODUÇÃO E HEREDITARIEDADE
  2. 2. Todo ser vivo justifica a sua existência na Biosfera por meio da reprodução: por um lado, foi produzido por este processo; pelo outro, por meio da reprodução, participa do processo de perpetuação da espécie.
  3. 3. É o material genético que se recebe e se transmite, assegurando a continuidade da vida. Hereditariedade é o fenômeno que assegura as semelhanças entre indivíduos da mesma espécie e a diferença entre uma espécie e outra..
  4. 4. O gene e o Controle das Características Hereditárias: a reprodução e a hereditariedade dependem do DNA (ácido desoxirribonucléico). O DNA se localiza em filamentos chamados cromossomos, no interior das células.
  5. 5. A estrutura conhecida como gene corresponde a um segmento ou pedaço da molécula de DNA. Os genes contêm as informações responsáveis pelas características do indivíduo. O organismo dos seres vivos trabalha de acordo com as ordens do DNA.
  6. 6. As características de um organismo não dependem apenas do DNA. O meio ambiente também é importante. As características são o resultado de um trabalho conjunto do gene e do meio ambiente..
  7. 7. Outra propriedade do DNA, da qual a hereditariedade depende, é a sua capacidade de preservação e autoduplicação, formando cópias exatamente iguais a serem transmitidas para as gerações posteriores
  8. 8. • Reprodução Sexuada: é o tipo de reprodução realizada pela união de células especializadas, os gametas. Na maioria dos casos, a produção de gametas está ligada a uma diferença de sexo nos indivíduos adultos:
  9. 9. o sexo feminino produz o gameta feminino, chamado óvulo; o sexo masculino produz o gameta masculino, denominado espermatozóide.
  10. 10. Fecundação: na fecundação o gameta masculino (haplóide) penetra no gameta feminino (também haplóide) para formar o ovo ou zigoto (diplóide). A atração e penetração do sptz animal no óvulo se dá em virtude da presença de uma substância produzida pelo óvulo, chamada fertilizina.
  11. 11. Sistema reprodutor masculino – Formado pelo pênis, pela próstata e pelos testículos e outros órgãos.
  12. 12. Nos testículos – as duas glândulas sexuais que se alojam no saco escrotal – são produzidos os espermatozóides (células reprodutoras) e a testosterona (hormônio sexual).
  13. 13. Os testículos do embrião situam-se na cavidade abdominal, pouco antes do seu nascimento eles descem e se alojam no interior de uma bolsa chamada saco escrotal ou escroto. Isso acontece porque a espermatogênese (formação dos espermatozóides) ocorre a uma temperatura um pouco mais baixa que a do interior do corpo.
  14. 14. O interior dos testículos é formado por milhares de pequenos tubos, chamados túbulos seminíferos. Nas paredes desses túbulos encontram- se as células germinativas ou espermatogônias. Até a puberdade, essas células dividem-se por mitose, produzindo novas espermatogônias. A partir da puberdade, parte delas, as mais internas, dividem- se por meiose, produzindo espermatozóides..
  15. 15. De cada testículo parte um canal emaranhado, o epidídimo, que se prolonga pelo canal deferente. Ligada a cada canal deferente há uma vesícula seminal
  16. 16. . Os canais deferentes unem-se, passando pela próstata – a maior glândula do sistema reprodutor masculino –, a outro canal que vem da bexiga. Formam um canal único, a uretra, que percorre longitudinalmente o pênis e se abre para o exterior.
  17. 17. O canal deferente e diversas glândulas - vesículas seminais e próstata - produzem secreções que, juntamente com os espermatozóides, compõem o esperma ou sêmem, líquido dentro do qual os sptz nadam. Esse movimento possível devido ao seu formato, que compreende cabeça, colo e cauda (flagelo).
  18. 18. O pênis fica ereto graças a sua formação: um tecido esponjoso, que pode se encher de sangue, e numerosos vasos sanguíneos. Durante a ereção, as artérias se dilatam, permitindo maior irrigação sanguínea, e as veias se contraem, dificultando a volta do sangue.
  19. 19. O orgasmo constitui o clímax do ato sexual. Ele resulta de intensa excitação, que, através de contrações, nos tubos, nas glândulas e nos tecidos do pênis, provoca a ejaculação.
  20. 20. Excitação e ejaculação também podem ocorrer em sonhos ou através da masturbação, são eliminados cerca de 100 milhões de sptz. (em cada ejaculação). Eventualmente, um desses sptz pode fecundar o óvulo.
  21. 21. Sistema reprodutor feminino – Formado por vulva, vagina, útero, ovários e trompas.
  22. 22. A vulva é o conjunto dos órgãos genitais externos da mulher. A vagina é um canal com revestimento fibromuscular pelo qual a mulher recebe o sêmen. Serve também para escoamento da menstruação e, no parto, para a saída do bebê do útero para o exterior.
  23. 23. O útero é dividido em duas partes: o colo, localizado no alto da vagina, e o corpo, que dá origem à menstruação e abriga o feto..
  24. 24. O ovário produz os óvulos – as células reprodutoras – e secreta os hormônios estrógeno e progesterona. As trompas de Falópio, onde ocorre a fecundação, ligam os ovários ao útero
  25. 25. CONTROLE HORMONAL DA REPRODUÇÃO Os hormônios gonadotróficos da hipófise, o folículo- estimulante e o luteinizante estimulam os testículos a produzir os sptz e o andrógeno chamados testosterona, que responsável pelos caracteres sexuais secundários masculinos. No homem a produção de sptz e hormônios é contínua.
  26. 26. Os mesmos hormônios da hipófise estimulam os ovários a produzirem óvulos, estrógeno e progesterona. Ao contrário dos testículos, os ovários respondem ciclicamente ao estímulo das gomadotrofinas (hormônios estimulantes).
  27. 27. A camada mais externa do ovário forma invaginações para dentro do órgão, que constituem os folículos ovarianos. As paredes dos folículos possuem as ovogônias, células - mães dos óvulos. A cada ciclo (de 28 a 30 dias) é liberado um óvulo, esse chama ovulação.
  28. 28. A medida que um folículo vai amadurecendo, secreta também estrógenos, hormônios que, além de responsáveis pelas características sexuais secundárias femininas, estimulam o espessamento do endométrio, mucosa que reveste internamente o útero.
  29. 29. Após a ovulação, o folículo se transforma em corpo amarelo (ou corpo lúteo) e passa a produzir progesterona. Esse hormônio também age sobre o endométrio, preparando-o para receber o embrião, caso haja fecundação. embrião
  30. 30. Não ocorrendo a fecundação, o corpo amarelo, degenera e a produção de progesterona cai. Em conseqüência, acontece a menstruação, pois o endométrio se destaca da parede uterina, sendo eliminado juntamente com sangue. Fecha-se, assim, um ciclo e tem início o seguinte, com o desenvolvimento de um novo folículo

×