Por que estou candidato a vice presidente do CBHSF

45 visualizações

Publicada em

Carta aos membros

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
45
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Por que estou candidato a vice presidente do CBHSF

  1. 1. Jacobina (BA), 09 de setembro de 2016. Aos membros do CBH São Francisco Bacia do São Francisco Prezados membros Inicio este contato falando um pouco do que sou e de minha trajetória no Comitê do São Francisco. Por ser membro da Comissão de água do município, passei a acompanhar técnicos da Universidade Federal da Bahia – UFBA e do órgão gestor da Bahia na implantação do Comitê do Salitre e na instalação do Comitê do São Francisco em 17 de setembro de 2002 que em sua primeira formação o Salitre compôs a Comissão, sendo um de seus membros (ata anexa). Em dezembro de 2006, foi criado oficialmente o CBH Salitre e faço parte deste Comitê desde a sua formação como provisório, sendo seu presidente até o mês passado, continuando como membro titular. Sou membro do Fórum Baiano de Comitês de Bacias Hidrográficas, Conselheiro do Conselho Estadual de Recursos Hídricos – CONERH, membro do Grupo Técnico sobre Desenvolvimento Sustentável do CREA-BA e fui Coordenador Adjunto do Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas – FNCBH, suplente do Conselho Nacional de Recursos Hídricos – CNRH. Sou graduado no curso Superior em Gestão Ambiental (CREA-BA N° 051552221-0), Extensão em Ações de Gestão para Controle da Poluição em Bacias Hidrográficas - UFBA; Extensão em Gestão Participativa de Bacias Hidrográficas - UFAL e UFS e o curso de Residência Agrária em Processos Históricos e Inovações Tecnológicas no Semiárido - UFPB. Por estas vivências no CBHSF, desde a sua Implantação em 2002, é que atualmente sou membro do Comitê representando o Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Território da Diamantina, composto por 11 cidades, 9 delas pertencentes à Bacia é que me coloco como candidato a vice presidente, para compor a chapa do atual presidente Anivaldo Miranda. Não sou candidato a vice pelo meu próprio nome e sim por um Projeto que estamos há anos implantando no CBHSF e só agora com o Anivaldo Miranda começamos a ter os frutos colhidos da semeadura que fizemos. A governança no Sistema Hídrico não é fácil de conseguir em um universo de pensamentos heterógenos. Água é poder, e às vezes seguimento nenhum quer perder, ceder e buscar o consenso nas discussões travadas em busca dos usos múltiplos. Agradeço antecipadamente aos estados de Minas Gerais, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Goiás, Distrito Federal e aos membros do Governo Federal pelo
  2. 2. amadurecimento na construção da Governança de não laçarem-se candidatos a presidente, vice e secretário, por já entenderem que os governos já são Órgãos Gestores dentro do Sistema e como tais podem e devem fazer pelo Comitê como membros que são em busca da sonhada Gestão Descentralizada e Participativa preconizada pela Lei 9.433/97, enquanto que setores do governo da Bahia e não do Estado da Bahia, se lança candidato e ainda diz-se Coordenador da eleição das CCRs do Médio e do Submédio, na intenção de uma maioria na composição da DIREC e da DIREX. Represento a vanguarda de pessoas que têm lutado na implantação da verdadeira Gestão Hídrica na Bahia, tendo como entrave um governo que sequer implantou e implementou de fato e de direito os Comitês estaduais, um governo que sequer tem implementado os instrumentos preconizado na Lei nº 9.433/97 nos comitês baianos. Até hoje a Bahia não tem Comitê com Plano de Bacia, um governo que tem afirmado que jamais abre mão do VIÉS ECONÔMICO do Oeste da Bahia, não admite discutir a sustentabilidade, um governo que discute a Agência Única do São Francisco sem repassar a água subterrânea, porque a superficial já foi toda detonada, existe crise hídrica em praticamente todas as suas bacias hidrográficas da Bahia, um governo que sequer cumpriu o que prometeu ao FNCBH para realização do ENCOB 2016 em Salvador. Assim, não estou discutindo o nome do candidato a vice presidente, a pessoa, e sim qual o Projeto que esta pessoa defende. O projeto do Comitê omisso, sem voz, sem ser reconhecido até mesmo pelas instâncias como a Agência Nacional das Águas – ANA, dos Órgãos Gestores estaduais, do CNRH e acima de tudo do Setor Elétrico? Assim, como sempre, estive presente no Projeto defendido pelo atual presidente Anivaldo Miranda, ajudando-o nestas conquistas deste Comitê visível e autônomo para discutir com todos estes setores, principalmente o Elétrico, quanto as baixas vazões impostas sem diálogo com o Comitê, na revisão da Cobrança pelo uso da água, destinação dos recursos do Comitê na Fiscalização Preventiva e Integrada – FPI, na cooperação e financiamento de Planos Municipais de Saneamentos Básicos – PMSBs, em Simpósios com as Universidades, em Seminários com Povos Tradicionais (indígenas, quilombolas, geraiseiros e etc), é que venho apresentar o meu nome e o meu histórico e pedir-lhes um voto de confiança como candidato a vice presidente, para solidificar o trabalho iniciado e não permitir que pessoas que tenham outro alinhamento venham travar a luta iniciada e que precisamos solidificar até 2020, para as futuras gerações. Atenciosamente

×