Motoserras

2.183 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.183
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
323
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Motoserras

  1. 1. Treinamento para poda de árvores com a utilização motosserras.
  2. 2.  Objetivo Estabelecer um metodologia para a execução dos serviços de poda de árvores, com a correta utilização de motosserras.  Definição Define-se como poda de árvores, o ato de cortar árvores e ramos em pé.
  3. 3. Procedimentos e recomendações Para a execução de qualquer tarefa com eficiência e segurança, no corte de árvores, abate, corte de troncos em toras, corte de galhos, com a utilização de motosserras e outros equipamentos para corte e poda, deve-se seguir rigorosamente as recomendações técnicas e de segurança.
  4. 4.  Instruções de Segurança. - Somente pessoas autorizadas e devidamente treinadas é que deve executar os serviços de cortes e poda. Não operar o equipamento sem conhecimento para tal. - Sinalizar convenientemente o local de serviço mediante o uso de barreiras, cordões de isolamento e cones de sinalização.
  5. 5.  Antes do início dos serviços, deverá ser constatado a existência ou não de casas de marimbondos ou abelhas na árvore a ser podada. Caso da existência, além dos equipamentos de proteção o empregado deverá utilizar roupas protetoras contra tais insetos;  Cada ferramenta a ser utilizada no serviço, deverá ser içada por meio de corda em baldes de lona ou bolsa.  A distância mínima de segurança para as redes de alta tensão é de 2,00 metros e 1,00 para a baixa tensão.
  6. 6.  O empregado que irá efetuar a poda de árvores, deverá estar utilizando os equipamentos de proteção individual adequado, os quais se constituem de: luvas de segurança adequadas; capacete com jugular; óculos de segurança ou capacete com protetor facial acoplado; cinturão de segurança; protetor auricular; roupas adequadas; e botas de segurança.
  7. 7.  Utilizar métodos seguros para remoção de galhos com segurança.
  8. 8. Descrição do equipamento
  9. 9. ACIONAMENTO DAS MOTOSSERRAS Mistura a Gasolina Ar comprimido Eletricidade
  10. 10. RISCOS NA OPERAÇÃO DE MOTOSSERRAS A motosserra, ao lado da desfibradora de sisal e do trator agrícola, é uma das máquinas utilizadas na zona rural e uma das mais perigosas.
  11. 11. Entretanto, são inegáveis os benefícios que ela representa devido ao seu alto rendimento operacional. Isso ficou demonstrado na construção da rodovia e colonização da Transamazônica, ou quando uma Concessionária de Energia tem de correr contra o tempo para desmatar a área a ser tomada pelo reservatório de uma hidrelétrica.
  12. 12. Os riscos na operação de uma motosserra estão associados, principalmente a: Ferimentos com a lâmina Ruídos e vibrações Corte e queda da árvore A máquina é tão perigosa que mereceu um Anexo na Norma NR-12 - MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS do Ministério do Trabalho. Entre os Equipamentos de Proteção Individual - EPI recomendados para o operador de motosserras estão: capacete, óculos, protetor auricular (de concha), macacão, luvas e botas.
  13. 13.  Freio manual de corrente a) Pino pega corrente b) Protetor de mão direita c) Protetor de mão esquerda d) Trava de segurança do acelerador A máquina em si, por Norma, deverá possuir os seguintes dispositivos de segurança:
  14. 14. a) riscos de segurança e saúde ocupacional; b) especificações de ruído e vibração; e c) penalidades e advertências. Há que ser oferecido, também, um Treinamento Obrigatório para os Operadores de Motosserras, com carga horária mínima de 8 (oito) horas, com conteúdo programático relativo à utilização segura da motosserra, constante do Manual de Instruções. Todos os modelos de motosserras (diz ainda a Norma) deverão conter, em local bem visível, a seguinte advertência: O uso inadequado da motosserra pode provocar acidentes graves e danos à saúde. Ainda segundo as Normas, todas as motosserras só deverão ser comercializadas com o relativo MANUAL DE INSTRUÇÕES, contendo informações relativas à segurança e à saúde do operador, especialmente:
  15. 15. INCIDENCIA DE LESÕESINCIDENCIA DE LESÕES Cabeça 19% Olhos 9% Tronco 12% Braços 7% Mãos 19% Pernas 29% Coxas 5% Joelhos 13% Panturrilhas 11% Pés 14%
  16. 16.  A motosserra é uma máquina muito perigosa e só deve ser operada por pessoas treinadas no seu uso. Cerca de 85% dos acidentes com motosserra são provocados pela corrente (elemento cortante) em movimento.  Os casos fatais, por outro lado, em sua maioria, devem-se à queda de árvores, derrubadas sem a devida técnica.
  17. 17. 1 - Checagem inicial Nos serviços em que as motosserras são usadas intensamente (e mesmo nos casos esporádicos), deve-se examinar a máquina diariamente, para ter certeza de que ela está operando eficientemente. Deve-se checar a tensão da correia, a lubrificação, ventoinha, etc., segundo as recomendações do Catálogo do Fabricante e os Manuais de Operação e Manutenção que acompanham o equipamento. Cuidado ao abastecer, para evitar incêndio.
  18. 18. Cuidados no reabastecimento (Gasolina) 1 - Exigem o uso de E.P.I., guarda segura, bom estado de conservação e uso correto. 2 - O reabastecimento merece cuidado especial: a) esteja certo de que a máquina esfriou, antes de reabastecer; b) reabasteça em áreas ventiladas; c) recoloque a tampa do tanque e enxugue os respingos; e d) não fume em serviço. 3 - Leia e siga o Manual de Operação, bem como as advertências escritas no equipamento. 4 - Use todos os dispositivos de proteção.
  19. 19.  Técnica de Derrubada Praticamente todas as técnicas de corte da árvore em pé, consistem em proferirem-se 2 cortes ou talhos no tronco, com a motosserra. O primeiro consiste na retirada de uma cunha (num ângulo de 90 graus e a cerca de 1/4 a 1/3 do diâmetro), no lado onde se deseja que a árvore caia. O segundo corte é feito no lado oposto do tronco (cerca de 5 cm acima do corte em V inicial), provoca a queda da árvore.
  20. 20.  Aprenda a avaliar a árvore que vai ser abatida: observe o seu tamanho, diâmetro, estado, posição em relação às vizinhas, etc. Assim, por exemplo, se o seu diâmetro for cerca de duas vezes maior do que o tamanho da lâmina da motosserra, isto irá requerer uma técnica especial de corte.
  21. 21.  Antes do corte, há 12 itens a considerar: • Inclinação do tronco • Distribuição da copa • Limpeza em redor da árvore (área de trabalho) • Escolha da direção de tombamento • Escola da rota para uma possível fuga • Localização do companheiro de trabalho • Posição do veículo ou de benfeitorias • Presença de linhas de energia próximas • Uso da técnica de corte apropriada • A presença de áreas podres ou ocas no tronco • Velocidade e direção do vento, e • Observar quaisquer objetos (frutos, galhos, etc.) Que possam vir de cima.
  22. 22.  O equilíbrio do operador é muito importante, para controlar a máquina e mantê-la segura com firmeza. Há o perigo de ricolchete e mesmo de tombamento do homem, devido ao peso da motosserra. Evite cortes acima do ombro.  Observe a posição correta da mão esquerda durante o corte, tanto para fixar bem a motosserra, como para acionar com o dedo indicador, quando preciso, o mecanismo de segurança.
  23. 23.  Deve-se sempre acelerar a máquina antes do corte.  Se o operador é iniciante e não tem experiência, deve inicialmente treinar a derrubada de árvores pequenas, para aprender e praticar, antes de se aventurar a cortar as árvores de maior porte.  Remoção do Tronco e Pilhas Os riscos de acidente no uso da motosserra não param depois que a árvore é tombada e já se encontra no chão. Uma vez no chão, o tronco deve ser removido, ocasião em que a árvore será desgalhada. O tronco é, em geral, dividido em toras, que serão devidamente empilhadas ou transportadas.
  24. 24. As árvores caídas estão, em geral, sob tensão, dependendo do modo como esteja apoiada no chão. Via de regra o tronco fica submetido a duas forças de sentidos opostos: a tensão numa extremidade e a compressão na extremidade oposta. Há, portanto, de avaliar previamente essas forças, ante de iniciar a divisão do tronco em toras, pois pode haver o perigo de quebra da lâmina
  25. 25. A foto acima mostra a técnica correta para fracionar o tronco caído. Observa-se que o tronco está apoiado sobre roletes formados com galhos de diâmetro pequeno e, assim, a extremidade do tronco está em balanço e, portanto, sob tensão, não havendo (no caso), perigo de quebra da lâmina da motosserra.
  26. 26. 1. Critérios de contratação/capacidade aeróbica 3 vezes 2. Exames adimensionais/periódicos 3. Treinamento técnico introdutório/reciclagem 4. Organizar trabalho/esforço desnecessário 5. Equipamentos mais leves 6- Refeições – higiênicas/nutricionista – balanço. 7. Nível de motivação do operador 8. Aquecimento inicial de alongamento 9. Intervalos durante suas atividades 10. Controlar/inspecionar - EPI RECOMENDACÕES
  27. 27. Recomendações do trabalho com motosserras a) Não fumar quando estiver operando ou abastecendo a motosserra; b) Não operar a motosserra quando estiver sozinho. Ligar a mesma sem ajuda de outra pessoa. Não dar partida com a motosserra sobre a perna ou joelho; c) Manter o corpo e vestimenta longe da motosserra para dar partida e operá-la. Antes de dar partida, assegurar-se que a motosserra não esteja encostando em nada; d) Não colocar a motosserra quente em locais onde hajam produtos inflamáveis; e) Não usar a motosserra quando estiver em posição incorreta (desequilibrado) braços esticados, segurando com uma mão, etc; f) Muito cuidado ao cortar materiais finos, podem ricochetear na direção do operador ou fazê-lo perder o equilíbrio; g) Vibração, evitar a operação prolongada da motosserra se suas mãos começarem a adormecer, inchar ou ficarem tensas. Essas condições podem diminuir sua capacidade de controlar a motosserra.
  28. 28. h) FUMAÇA DO ESCAPAMENTO - Não operar a motosserra em locais fechados ou de pouca ventilação; i) Não transportar a motosserra pela alavanca de acionamento do freio da corrente. Somente pelo pegador manual; j) Desligar a motosserra quando transportá-la de um corte para outro; k) Não permitir a presença de outras pessoas ou animais perto da motosserra em movimento ou quando estiver cortando árvores; l) Antes de usar a motosserra revisar todas as precauções de segurança desta; m) A cada duas horas de uso a motosserra deve ser revisada: limpa (retirando as impurezas e vestígios de madeira), verificar as condições da correte bem como sua lubrificação.
  29. 29. 1. Manter distancia de segurança 2. Efetuar arranque com a maquina no solo 3. Ao derrubar posicionar-se do lado direito da arvore 4. Afastar-se do tronco da arvore quando estiver caindo 5. Derrubar sempre a favor do vento 6. Ao desgalhar deixar o tronco entre o operador e a motosserra. 7. Não realizar toragem no alto 8. Não fumar ao abastecer, nem no interior da floresta. 9. A longas distancias desligar a motosserra ao transportar. 10. Examinar diariamente se os dispositivos de segurança estão funcionando Corte com motosserra
  30. 30. Tipos de podas  PODA EMERGENCIAL É a poda executada em ramos de árvores visando livrar a fiação elétrica em situação crítica (temporais, curto-circuito etc.)  PODA PARCIAL EM V Visa eliminar os ramos que estão prejudicando a fiação elétrica primária e/ou secundária. A figura mostra a poda em "V" com afastamento para a rede primária.
  31. 31.  PODA PARCIAL EM FURO Visa eliminar os ramos que estão prejudicando a fiação elétrica secundária (baixa tensão). NOTA Normalmente a poda é executada em "V". Posteriormente a árvore se recompõe fechando a copa de modo a tomar a forma de um furo. Somente em copas muito densas é possível executar de inicio a poda em furo.
  32. 32.  PODA PARCIAL DE AFASTAMENTO SECUNDÁRIO Visa eliminar os ramos que estão próximo da fiação da rede elétrica secundária ( baixa tensão). NOTA As podas em "V" em "FURO" e de afastamento, são podas emergenciais e não habituais. A poda complementar de conformação ou contenção sempre são executadas pelas Prefeituras Municipais. A distância dos condutores aos galhos deve ser de no mínimo 2m para a ALTA TENSÃO e 1m para a BAIXA TENSÃO.
  33. 33. Acidentes com Motosserra
  34. 34. Considerações Finais

×