SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 65
Baixar para ler offline
Desenho de
Moda
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page 1
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page 2
Desenho de
Moda
Tradução da Quinta Edição Americana
Bina Abling
Volume 1
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 22/08/11 18:39 Page 3
Rua Pedroso Alvarenga, 1245, 4º andar
04531-012 – São Paulo – SP – Brasil
Tel 55 11 3078-5366
contato@blucher.com.br
www.blucher.com.br
Segundo Novo Acordo Ortográfico, conforme 5. ed.
do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa,
Academia Brasileira de Letras, março de 2009.
É proibida a reprodução total ou parcial por quaisquer
meios, sem autorização escrita da Editora.
Todos os direitos reservados pela Editora
Edgard Blücher Ltda.
FICHA CATALOGRÁFICA
Abling, Bina
Desenho de moda, volume 1 / Bina Abling;
[traduzido por Maria Izabel Branco Ribeiro]. –
São Paulo: Blucher, 2011.
Título original: Fashion Sketchbook.
5a
ed. norte-americana.
ISBN 978-85-212-0616-3
1. Desenho de moda 2. Design 3. Moda
I. Título.
11-08644 CDD-646.4
Índices para catálogo sistemático:
1. Desenho de moda: Tecnologia 646.4
2. Design e moda: Tecnologia 646.4
Fashion Sketchbook
© 2007 by Fairchild Books, a division of
Condé Nast Publications, Inc. All rights reserved.
Publicado por acordo com a editora original, Fairchild Books,
uma divisão da Condé Nast Publications, Inc.
Desenho de Moda
Tradução para a língua portuguesa © 2011 Editora Edgard Blücher Ltda.
1ª reimpressão – 2013
Maria Izabel Branco Ribeiro – Tradutora
p.iv_Bina.indd ivp.iv_Bina.indd iv 18/01/2013 20:05:3018/01/2013 20:05:30
Desenho de Moda
Conteúdo
Volume 1
Conteúdo Expandido...................................................................................................... vii
Prefácio........................................................................................................................... xi
Introdução ...................................................................................................................... xii
Sugestões de ferramentas e equipamento ........................................................................ xv
Capítulo 1
Proporções da figura humana em desenho de moda............................................................................ 1
Capítulo 2
Formas básicas da figura humana................................................................................................................... 45
Capítulo 3
Desenhando o modelo............................................................................................................................................ 71
Capítulo 4
Cabeças em desenho de Moda.......................................................................................................................... 97
Capítulo 5
Desenhando homens ............................................................................................................................................... 121
Capítulo 6
Desenhando crianças .............................................................................................................................................. 165
Capítulo 7
Trajes e detalhes de trajes .................................................................................................................................... 195
Volume 2
Capítulo 8
Acessórios...................................................................................................................................................................... 239
Capítulo 9
Técnicas básicas de representação................................................................................................................... 271
Capítulo 10
Representação com cor.......................................................................................................................................... 301
Capítulo 11
Desenhando tricôs.................................................................................................................................................... 327
Capítulo 12
O traçado do designer e a ilustração de moda ........................................................................................ 355
Capítulo 13
Desenhos planos e specs ....................................................................................................................................... 385
Capítulo 14
Layout ............................................................................................................................................................................. 429
Apêndice ........................................................................................................................................................................ 449
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page v
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page vi
Volume 1
Prefácio ............................................................ xi
Introdução........................................................ xii
Sugestões de ferramentas e equipamento......... xv
Capítulo 1
Proporções da figura humana em
desenho de moda
Introdução........................................................ 1
Aprendendo a figura básica ............................. 2
Linhas de orientação........................................ 4
O alongamento de moda e a figura ................. 6
Interpretando a anatomia ................................ 8
Mapa da figura humana .................................. 10
Definição do tronco superior........................... 12
Definição do tronco inferior ............................ 16
Definição do tronco......................................... 17
Dinâmica de pose do tronco............................ 20
Desenhando a figura humana à mão livre....... 22
Esboço rápido: passo a passo .......................... 24
Esboço rápido.................................................. 26
Criando a figura de perfil ................................ 28
A figura de perfil.............................................. 29
A pose de perfil................................................ 30
Encontrando equilíbrio e movimento .............. 32
Usando uma linha de equilíbrio....................... 34
A importância do eixo frontal ......................... 36
Vistas posteriores ............................................. 38
A figura “mais cheia” ...................................... 40
Figuras de moda para gestantes ...................... 42
Resumo/Tarefas................................................ 44
Capítulo 2
Formas básicas da figura humana
Introdução........................................................ 45
Desenhando pernas: estrutura e forma ............ 46
Posando pernas................................................ 48
Escorço: pernas ................................................ 50
Desenhando pés ............................................... 52
Posando pés ..................................................... 56
Desenhando braços: estrutura e forma ............ 58
Escorço: braços ................................................ 60
Algumas sugestões ........................................... 64
Desenhando mãos: estrutura e forma .............. 66
Resumo/ Tarefas............................................... 70
Capítulo 3
Desenhando o modelo
Introdução........................................................ 71
Componentes de gestos.................................... 72
Tronco.............................................................. 76
Ângulos............................................................ 80
Linha de equilíbrio........................................... 84
Perna de apoio e linha de equilíbrio ................ 88
Os braços......................................................... 92
Resumo/Tarefas................................................ 96
Capítulo 4
Cabeças em desenho de Moda
Introdução........................................................ 97
Desenhando cabeças ........................................ 98
Desenhando a vista frontal da cabeça.............. 100
Desenhando a vista de três quartos da cabeça....... 102
Desenhando a cabeça de perfil......................... 104
Desenhando os elementos do rosto.................. 106
A técnica do diamante ..................................... 110
Posando a cabeça............................................. 112
Variedade de estilos para rostos e cabelos ....... 114
Desenhando o cabelo....................................... 116
Desenhando penteados .................................... 118
Resumo/Tarefas................................................ 120
Desenho de Moda
Conteúdo Expandido
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page vii
viii Desenho de Moda
Capítulo 5
Desenhando homens
Introdução........................................................ 121
Desenhando a figura masculina....................... 122
A figura masculina básica................................ 124
Comparando gestos masculinos e
femininos .................................................... 126
Trabalhando com gestos .................................. 128
Proporções da figura para trajes masculinos.......... 130
Desenhando pernas de homens........................ 132
Desenhando braços e mãos de homens............ 134
Desenhando cabeças de homens ...................... 136
Desenhando cabelos de homens....................... 138
Vestindo a figura masculina............................. 140
Calças masculinas ............................................ 144
Partes superiores de trajes masculinos ........... 146
Desenhando um terno..................................... 148
Desenho clássico para traje masculino............. 150
Croquis para trajes masculinos........................ 152
Artistas convidados:
Josh Prim ......................................................... 154
Catie Donhauser .............................................. 156
Sasha Flowers................................................... 158
Ilustrações antigas de trajes masculinos:
1900 – 1930................................................ 162
Resumo/Tarefas................................................ 164
Capítulo 6
Desenhando crianças
Introdução........................................................ 165
Grupos etários ................................................ 166
Bebês................................................................ 168
Crianças de 2 a 4 anos..................................... 170
Crianças pequenas ........................................... 171
Crianças .......................................................... 172
Menino pré-adolescente................................... 173
De pré-adolescente a adolescente..................... 174
Desenhando cabeças de crianças...................... 176
Penteados para crianças................................... 178
Desenhando braços e mãos de crianças........... 180
Desenhando pernas e pés de crianças .............. 182
Croquis de crianças.......................................... 184
Estilizando crianças.......................................... 186
Artistas convidados
Janet Kim......................................................... 188
Eri Mikami....................................................... 190
Antigas ilustrações de roupas infantis:
de 1920 a 1930 ........................................... 192
Resumo/ Tarefas............................................... 194
Capítulo 7
Trajes e detalhes de trajes
Introdução........................................................ 195
Perspectiva para moda..................................... 196
Desenhando saias............................................. 198
Desenhando saias godês e franzidas................. 200
Desenhado pregas ............................................ 202
Desenhando calças........................................... 204
Desenhando decotes e golas............................. 208
Desenhando mangas ........................................ 210
Desenhando uma blusa.................................... 212
Desenhando um blazer..................................... 214
Desenhando uma jaqueta................................. 216
Desenhando sobretudos................................... 218
Desenhando acolchoados................................. 220
Desenhando pele falsa...................................... 221
Desenhando babados....................................... 222
Desenhando cascatas........................................ 224
Desenhando ponto smock e franzidos
em série ....................................................... 226
Desenhando drapejados................................... 227
Proporções da noiva ........................................ 228
Poses para noivas............................................. 230
Looks para noivas ........................................... 232
Caudas de vestidos de noiva............................ 234
Detalhes de drapejados .................................... 236
Resumo/Tarefas................................................ 238
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page viii
Conteúdo expandido ix
Volume 2
Capítulo 8
Acessórios
Introdução........................................................ 239
Joalheria........................................................... 240
Desenho de cabeças para joalheria .................. 242
Desenhos de mãos e pés para joalheria............ 244
Óculos de sol ................................................... 246
Desenhando chapéus masculinos..................... 248
Desenhando chapéus femininos ....................... 250
Cintos............................................................... 252
Bolsas............................................................... 254
Desenho de artigos para pés ............................ 256
Saltos altos....................................................... 258
Desenhando calçados femininos ...................... 260
Calçados esportivos ......................................... 262
Artistas convidados
LaToya Leflore................................................. 264
Jason Buchanon ............................................... 266
Clara Yoo......................................................... 268
Resumo/Tarefas................................................ 270
Capítulo 9
Técnicas básicas de representação
Introdução........................................................ 271
Listras ............................................................. 272
Quadrados, xadrezes e padrões escoceses........ 274
Padrões............................................................. 276
Reduzindo uma estampa.................................. 278
Representando um tecido................................. 280
Representação do tecido .................................. 282
Tecidos pesados................................................ 284
Traço de caneta e marcador colorido .............. 286
Representação integral em preto...................... 288
Sombreado....................................................... 290
Luzes ou sombras............................................. 292
Sombreando a figura........................................ 294
Sombreado expressivo ..................................... 296
Tecidos transparentes....................................... 297
Artistas convidados
Jodie Lau.......................................................... 298
Resumo/ Tarefas............................................... 300
Capítulo 10
Representação com cor
Introdução........................................................ 301
Representação de cor de pele com
marcadores.................................................. 302
Representação de trajes masculinos
com marcadores ......................................... 304
Representação de roupas de crianças
com marcadores .............................................. 306
Guache............................................................. 308
Misturando cores para aquarela...................... 310
Representação de tecidos em aquarela............. 312
Desafios da cor em desenho de moda ............. 316
Yves Saint Laurent ........................................... 317
Emilio Pucci ..................................................... 318
Carolina Herrera.............................................. 318
Rudi Gernreich ................................................ 319
Geoffrey Beene................................................. 320
James Galanos ................................................. 321
André Courrèges.............................................. 322
Arnold Scaasi ................................................... 323
Representação do cabelo.................................. 324
Resumo/Tarefas................................................ 326
Capítulo 11
Desenhando tricôs
Introdução........................................................ 327
Tricô essencial ................................................. 328
Desenhando tricôs............................................ 330
Tricôs como desenhos planos ......................... 332
Poses e representações parciais ........................ 334
Pontos básicos de tricô..................................... 336
Padrões repetidos............................................. 338
Cordas e combinações ..................................... 340
Imitando padrões de tricotados ....................... 342
Tratamento de superfícies em tricô.................. 344
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page ix
x Desenho de Moda
Artistas convidados
Saida Mouradova............................................. 346
Christina Kwon................................................ 350
Resumo/ Tarefas............................................... 354
Capítulo 12
O traçado do designer e
a ilustração de moda
Introdução........................................................ 355
Combinando poses para looks de moda.......... 356
Atitudes em poses ............................................ 358
Atitudes e contradições.................................... 360
Ilustrador X designer ...................................... 362
Ver X sentir...................................................... 364
Exagero X informação..................................... 366
Estilização de projetos...................................... 368
Ênfase do design .............................................. 370
Direção de design............................................. 372
Artistas convidados
Joo Young Kang............................................... 374
Jodie Lau.......................................................... 376
Anthony Manfredonia ..................................... 380
Ilustrações antigas para roupas femininas ....... 382
Resumo/ Tarefas............................................... 384
Capítulo 13
Desenhos planos e specs
Introdução........................................................ 385
Padrões de figura para desenhos planos ......... 386
Partes de cima de vestimentas
Modelos para blusas e vestidos ................... 388
Partes de baixo
Modelos para saias e calças......................... 390
Estrutura para planos ...................................... 392
Entendendo planos........................................... 394
Planos de trajes de banho e roupas íntimas......... 396
Planos de vestidos e vestidos para noite........... 398
Planos de roupas femininas exteriores............. 400
Apresentação ou portfólio dos planos ............ 402
Croquis combinados com planos..................... 404
Planos de trajes masculinos.............................. 406
Planos de calças masculinas............................. 408
Planos de calças ............................................... 409
Planos de camisas, jaquetas e blazers
masculinos................................................... 410
Planos de crianças............................................ 412
Specs ............................................................... 414
Medindo e detalhando para um spec............... 416
Analisando uma roupa..................................... 418
Planos e specs................................................... 420
Artistas convidados
Catie Donhauser .............................................. 422
Jodie Lau.......................................................... 424
Resumo/ Tarefas............................................... 428
Capítulo 14
Layout
Introdução........................................................ 429
Composição para layout.................................. 430
Figuras e acessórios.......................................... 432
Espaço e formas em um layout........................ 434
Agrupando figuras ........................................... 436
Escolhas de layout .......................................... 438
Layout espontâneo........................................... 440
Artistas convidados
Elizabeth Kennedy ........................................... 442
Christina Kwon................................................ 446
Resumo/ Tarefas............................................... 448
Apêndice
Introdução........................................................ 449
Dicionário de desenho ..................................... 450
Alguns problemas ........................................... 478
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page x
Agradecimentos
Estou feliz em agradecer à equipe criativa de
Fairchild Books pelo seu tempo e seus talentos.
Agradecimento especialmente às editoras Olga
Kontzias, Beth Cohen e Jessica Rozler por suas
contribuições para este projeto. Agradeço a Merle
Thomason por sua ajuda na pesquisa de antigas
ilustrações de roupas masculinas, femininas e
infantis. Pela inspiração, eu agradeço aos meus
alunos e aos modelos de sala de aula Danuta,
Shaunna e Ignacio. Novamente, agradeço aos mo-
delos do Capítulo 3, Charmaine e Dovanna. Agra-
deço ao fotógrafo Michael Legrand, por seu belo
trabalho no Capítulo 3.
Agradeço também a Felicia DaCosta por suas
ideias, sugestões e suas belas amostras de tricô. Sou
muito grata a Joseph Pescatore pelas preciosas amos-
tras de musselina com que presenteou este livro. Ele
também foi generoso ao nos dedicar seu tempo e
talento ao fotografar os projetos do Capítulo 10.
Agradeço ao Nassau Community College de Garden
City, Nova York, por compartilhar seus recursos de
aula, seus arquivos de vestimentas e por seu apoio a
este projeto. Foi um prazer trabalhar com o fotógra-
fo de moda Stephen Sullivan, ter a excelência de seu
trabalho nas fotos das peças de designers e das amos-
tras de tecido deste livro. Obrigada a Fred Gross
pelas fotografias maravilhosas dos detalhes das
peças em tricô. Obrigada também a Debra Kanter,
por sua correção e tratamento do texto.
Também estou honrada pela introdução escri-
ta por Tim Gunn e pela de Anthony Manfredonia,
agradeço a eles por dividirem seus pensamentos e
seu comprometimento com a educação dos estu-
dantes de design.
Bina Abling
A quinta edição do Design de moda tem um
novo foco, incorporando referências fotográficas
em capítulos específicos coordenados com instru-
ções em desenho. O objetivo é integrar as instru-
ções apresentadas neste livro com suas outras
atividades para aulas como modelagem, tricô ou
história da moda, fazendo desta edição uma base
mais sólida para os objetivos de sua profissão, adi-
cionando mais subsídios técnicos e visuais.
Os capítulos sobre projetos para tricô (v. 2) e para
detalhes para vestuário (v. 1) agora incluem fotografias
de amostras tricotadas e de pedaços de tecido para refe-
rência. O capítulo sobre características das cores (v. 2)
agora traz tanto fotografias de desenhos têxteis do sécu-
lo XX como os processos técnicos para ilustrá-los. Os
capítulos sobre desenho da figura humana (v. 1) estão
expandidos com formas de tendência alongada,
incluindo imagens do período de gestação e looks para
noivas. O capítulo sobre cabeças em desenho de moda
(v. 1) agora inclui métodos mais detalhados. Os capítu-
los sobre trajes masculinos e trajes infantis (v. 1), ambos
atualizados para os padrões da indústria, contêm
novas opções de estilo e tamanho. O capítulo sobre
modelagem plana e specs (v. 2) foi revisado para for-
necer maior precisão. Tenho especial orgulho do
único apêndice do livro (v. 2), totalmente refeito,
para conter mais de 500 peças de vestuário e acessó-
rios como referência para a nomenclatura de moda.
O que pode ser mais agradável que desenhar?
Quanto mais sei a respeito, mais quero desenhar. Há
muito tempo que desenho; desde que me lembro, eu
desenho e, por cerca de 25 anos, o faço profissional-
mente. Tenho ensinado por quase o mesmo tempo e
ainda amo as carreiras que escolhi. Não posso me ima-
ginar entediada com meu trabalho. Desenhar para mim
é tão importante quanto respirar – é vital para o meu ser.
Sinceramente espero que você sinta da mesma forma.
Desenho de Moda
Prefácio
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xi
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xii
Éuma honra apresentar o Desenho de moda de
Bina Abling. É um excelente trabalho de uma
excelente artista e designer. Ex-aluna da Parsons
School of Design, Bina continua a conquistar reali-
zações extraordinárias.
Desenho de moda é uma fonte inestimável
para qualquer artista, ilustrador ou designer, mas
é de particular valor para estudantes de design de
moda. O Desenho de moda é a referência e ferra-
menta de aprendizado mais atualizada de sua
área, sendo representativa do currículo do curso
da Parsons. Utilizei as edições anteriores no
Departamento de Desenho de moda e posso falar
com conhecimento de causa sobre o poder do
livro em desmistificar o gênero para o novato, em
ajudar o estudante aplicado e em ampliar as con-
quistas do profissional.
Você verá que Desenho de moda é organiza-
do racionalmente e seu conteúdo apresentado de
modo lógico. Até onde sei, é o único livro de ilus-
tração de moda que incorpora estrutura vertical
de design de moda e sequência de apresentação
de tipos: desde os primeiros esboços ao desenho
de ilustração, de planos a specs técnicos. O livro
não diz o que projetar. Entretanto, é uma refe-
rência de como traduzir as imagens de seu cére-
bro para o papel. Todos os tópicos – mesmo
silhuetas, têxteis e tratamento de tecidos – são
cuidadosamente abordados, como acontece no
mercado de moda.
Por meio de sua abordagem prática ao dese-
nho, feita a partir de diagramas, você achará o
método e as técnicas de Bina fáceis de seguir e sin-
tetizar. E você tem a garantia de que não receberá
carga excessiva de métodos avançados ou técnicas
intimidantes. Preciso também afirmar que em
nosso universo regido pela tecnologia, o Desenho
de moda enfatiza que a mão pode ainda chegar
onde o computador não alcança.
Bina Abling e eu compartilhamos uma paixão
– educar futuros designers, imprimindo-lhes uma
miríade de opções profissionais e mais ainda, mer-
gulhando-os no mundo real. Desenho de moda é
uma ferramenta inestimável para quem procura
orientação para expressão artística, mas é um
recurso essencial para o designer de moda e/ou
ilustrador iniciante.
A tradução da criação do designer para o
papel é o cerne de Desenho de moda. É essencial
que a visão do que cria seja clara e bem articulada,
porque as roupas não existem exceto na mente do
designer. Eis o fundamento lógico para este livro.
Qualquer ajuda ou técnica que seja de auxílio para
artistas e designers será legítima se os capacitar a
retratar, com sucesso, as imagens que estão em
suas mentes. O que conta é o resultado final, não
os estratagemas ou métodos empregados para
atingi-los. Na Parsons, frequentemente invocamos
um mote: “Trabalhe duro, mas com inteligência!”
O Desenho de moda de Bina Abling personifica
perfeitamente esta frase.
Por fim, desfrute do processo de aprender e
seja paciente. Como aprender a tocar um instru-
mento musical ou a praticar um esporte, desenhar
leva tempo e demanda prática. Não há substituto
para ambos. Bina sempre encoraja estudantes a
relaxar e a apreciar seu trabalho. Como ela diz:
“Afinal, o que poderia ser mais divertido do que
desenhar?” Ela está certa!
Timothy M. Gunn
Diretor do Departamento de
Design de Moda
Parsons School of Design, New York, NY
Desenho de Moda
Introdução
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xiii
xiv Desenho de Moda
Aarte da moda encontra-se não só na textura
dos tecidos ou no modelado e no movimento da
roupa de um modelo caminhando sobre uma pas-
sarela. A moda começa em um pedaço de papel,
em um caderno de anotações, em um guardanapo
de papel, em um “Post-it” ou apenas sobre qual-
quer coisa que se tenha à mão no momento. Você
ficaria surpreso com o que poderia ser usado para
motivar sua inspiração. Não importa a forma que
sua tela assuma, você deve dominar um grau míni-
mo de maestria técnica de desenho para alcançar
seu resultado final: a perfeição do desenho da
forma humana.
Nunca estive ciente do quanto o design de moda
significava para mim, até que me inscrevi no High
School Summer Program da Parsons School of
Design, tendo Bina Abling como uma de minhas pro-
fessoras. Esse programa de verão foi minha primeira
incursão no mundo da moda. Bina nos ensinou a não
temer a folha em branco e a não ter medo de errar.
Como artista, é necessário usar sentimento
para evocar um desenho e encontrar seu senso de
“linha” e “espaço”, isto é, seu modo de desenhar.
Alguns artistas desenham com pinceladas curtas
de efeito, outros com linha mais angulares ou com
uma longa linha contínua, outros ainda, com uma
audaciosa mão pesada. Lembre, esse processo é
sobre encontrar seu próprio estilo – o que Bina
sempre me ensinou.
São duas as aplicações dos desenhos: há os dese-
nhos planos técnicos, que são projetos para a indús-
tria, e os desenhos de moda, que evocam sentimento
e movimento da criação. Ambos precisam comuni-
car a mesma informação, apenas de modo ligeira-
mente diferente. É importante para um designer ser
capaz de comunicar adequadamente os ajustamen-
tos de detalhes e construções. Se você não quiser
estar presente para mostrar os desenhos para sua
presumida audiência, seus projetos devem ser capa-
zes de falar por si mesmos e responderem as questões
que lhes forem colocadas. Em Desenho de moda há
um bem solucionado guia para todas as representa-
ções bidimensionais da indústria de design de moda
e as ferramentas para criá-las.
A intenção do Desenho de moda não é ensiná-
-lo a replicar os desenhos de outros, mas a desen-
volver o básico, com o qual você poderá desenvol-
ver seu próprio estilo. Eu incorporei as lições desse
livro e as instruções de Bina desde o tempo em que
me formei na Parsons School e os venho utilizan-
do por todos esses meus anos de trabalho na
indústria da moda. Eu me refiro a esses mesmos
conceitos quando oriento meus próprios alunos,
como professor na Parsons School. Todavia, eu
sempre os lembro para não copiar, mas para adap-
tar as orientações de acordo com a abordagem
dada ao desenho de moda.
Encorajo meus alunos e assistentes a nunca
usarem os modelos para desenho de moda. Digo
que, ao usá-los, seu senso de figura e estilo pessoal
de desenho nunca será desenvolvido. De fato,
para ajudar meus alunos a superar seu medo de
desenhar e errar (a concepção errônea da perfei-
ção) eu os faço usar caneta em vez de lápis em
seus cadernos de desenho. Isso lhes dá liberdade
para desenhar sem os limites da perfeição. Se você
errar, mexa-se ou desenhe em cima. Eu não consi-
go destacar suficientemente a importância do
caderno de desenho. Um caderno benfeito irá
mostrar a linha de pensamento, do conceito até a
finalização. O caderno de croquis é um dos aspec-
tos mais analisados da indústria da moda. Hoje,
muita ênfase é dada ao velho e bem-acabado port-
fólio, e o processo é pouco considerado. Os esbo-
ços e os desenhos acabados deveriam ter o mesmo
peso e deveriam se relacionar. De fato, meu cader-
no de croquis tem sido um fator decisivo para eu
ter conseguido alcançar marcos no decorrer de
minha carreira.
Desenhos enfatizam pequenos detalhes, tanto
os rápidos quanto aqueles bem delineados, e sem-
pre são consistentes quanto ao estilo. Assim, como
sou conhecido como designer, também sou como
desenhista e ilustrador de moda. Graças à orienta-
ção de Bina e a este livro aprimorei a técnica do
desenho e conquistei uma posição no mundo da
Alta Costura. Que este livro seja um recurso pre-
cioso para você e para sua carreira, como foi para
mim e para a minha.
Anthony Manfredonia, Designer-Chefe
Isaac Mizrahi Haute Couture
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xiv
rísticas particulares. Alguns são mais transpa-
rentes que outros e também podem variar em
espessura. Poucas variedades têm superfície
razoavelmente lisa e podem suportar todos os
meios, outros, de qualidade inferior, não supor-
tam uso tão extenso. A maioria deles é usada
como proteção para seu trabalho, ou em testes
preliminares para planejamento conceitual do
trabalho. Esse tipo de papel tem uso limitado; sua
grande vantagem é ser translúcido em vários
graus. É bom para correções e útil para cobrir o
desenho (como overlay).
Grafite/lápis
Os lápis grafite parecem lápis comuns de escrever,
recobertos de madeira. O grau de dureza varia de
6H, o mais duro, a 6B, o mais macio. Você preci-
sará testar essas minas para verificar o quanto as
Hs são mais duras e claras e os Bs são mais macias
e escuras. Todas essas minas são delicadas. Se você
derrubá-las, o grafite dentro da madeira pode que-
brar e você terá dificuldade quando for apontar
seu lápis, que sempre terá a ponta quebrada.
Também há lapiseiras. São suportes que prendem
as minas de grafite, que são compradas separada-
mente. Essas minas para lapiseira também são
designadas pela classificação que vai do 6H (mais
claro) até o 6B (mais escuro).
Sugestões de ferramentas e equipamento
Papel
A variedade de papeis é, ao mesmo tempo, maravilho-
sa e assustadora. Você deve ler as informações das
embalagens cuidadosamente para encontrar o tipo de
papel mais adequado. Os papéis mais usados para
desenho, vêm com dois tipos de superfície: papel velino
(vellum), levemente áspero; e o liso. Eles têm compor-
tamentos diferentes, então devem ser testados para
verificar qual apresenta melhor desempenho para os
objetivos desejados. O papel liso pode ser o mais indi-
cado para desenhos rápidos e é excelente para trabalho
com caneta. O papel áspero requer trabalho mais lento
e sua superfície é adequada para lápis. Os papéis para
trabalho têm vários graus de transparência, brancura e
condição de uso. É necessário testar ao menos duas
marcas diferentes de papéis e então experimentar faixas
de teste nelas. Sempre use a parte de cima ou da frente
do papel, porque o comportamento do verso é diferen-
te. Papel para aquarela vem em blocos ou folhas avul-
sas. Para uso em desenho de moda, papel para aquarela
com superfície levemente granulada, ao contrário da
superfície áspera, produz resultados melhores. Papeis
ásperos são muito absorventes e exigem muita habili-
dade para serem pintados.
Papel para cópia
Como acontece em relação a outros papéis, cada
fabricante produz papéis para cópia com caracte-
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xv
xvi Desenho de Moda
Lápis de cor
Você precisará de três tipos de lápis: 1. com mina
dura; 2. com mina macia; 3. aquarelado. Quanto
mais grossa a mina, mais macio e escuro o lápis
será. As minas mais duras conferem aos lápis
linhas mais nítidas. Há lápis aquarelados com
variações entre as duas categorias. Você deve
aprender a controlar as técnicas para cada tipo
de lápis, porque apresentam resultados muito
diferentes.
Canetas
Canetas apresentam diferentes tipos de pontas. Há
finas, chanfradas, largas e médias. Algumas têm
pontas de feltro, outras de metal ou de plástico.
Algumas são à prova d´água, ou permanentes, quer
dizer que não mancham se misturadas com outro
material. Seja cético e sempre teste seus materiais.
Caneta pincel
Há canetas com pontas parecidas com pincéis-.
Além do preto, também há coloridas. Teste a cane-
ta preta, porque algumas têm um tom avermelha-
do, enquanto outras tendem ao acinzentado, em
vez do preto puro.
Marcadores de ponta
de feltro
Há diferentes tipos de marcadores. Alguns fabri-
cantes usam diferentes elementos químicos que
agem como cor. Teste cada um dos marcadores
que comprar para assegurar que esteja “úmido” –
não seco – e verifique se pode ser usado com outro
tipo de marcador. A maioria dos marcadores é
compatível. Há novas opções para reposições de
tinta, muitos tipos de pontas e vasta gama de
cores. Alguns são tóxicos. Lembre-se sempre de
tampar o marcador após o uso e deixá-lo fora do
alcance de crianças.
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xvi
Sugestões de ferramentas e equipamento xvii
China Markers
O china marker tem a forma de lápis, com um
invólucro exterior de papel que deixa a ponta apa-
rente. O branco é sempre usado sobre representa-
ções de detalhes que, de outro modo, ficariam
perdidos nas camadas de tinta.
Tintas à base de água
Tanto guache como aquarela se dissolvem em
água; o guache é opaco enquanto a aquarela é
transparente. Essas tintas são usadas para criar
aguadas. Experimente ambas para encontrar com
qual trabalha melhor. Há uma incrível gama de
possibilidades para uso dessas tintas, que variam
do intenso para o delicado em uma mesma cor.
Pratique misturar a proporção de água em sua
tinta vagarosamente de modo a não formar
bolhas. Guache e aquarela são muito diferentes.
Há outras tintas de cores brilhantes que também
podem ser usadas em conjunto com aquarela.
Pincéis
Há pincéis de vários tamanhos. Sua numeração vai
de 0 a 12. Além do tamanho das pontas (que
podem ser chatas ou redondas) estão disponíveis
em diferentes tipos de pelos ou fibras. Geralmente,
os feitos com pelos de animais são melhores, pois
duram mais tempo, sem mancharem ou perderem
a forma. Encontre um pincel que tenha corpo ou
resistência à pressão e que seja adequado para
atender às suas necessidades. Quando comprar um
bom pincel, sempre o trate bem. Lave cada vez que
o usar e deixe-o secar na vertical, sempre apoiado
na parte de madeira, ou deitado, de modo que a
ponta não se dobre.
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xvii
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xviii
Desenho de
Moda
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xix
5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xx
No Capítulo 1, você estudará todos os passos
básicos do desenho da figura de moda, desde o con-
ceito inicial, seguindo todo o caminho até a aplicação
prática. Para entender esse tipo de desenho de figura,
dividiremos em partes, para analisarmos a estrutura (e
as indicações das linhas para costura) e as reuniremos.
Este livro foi concebido para simplificar o processo de
estudar as proporções em moda, assim, você poderá
aprender como desenhar a figura segundo seu próprio
estilo, e de acordo com os rumos que traçar.
Este capítulo ajuda a descobrir uma grande
variedade de métodos para desenhar a figura, desde
a pose frontal ao perfil, um sistema de grade, pro-
cessos de esboço rápido e desenho realista detalhado.
Apresentamos uma introdução ao desenho de gestos,
que, junto com análises dos desenhos de modelos
contidas no Capítulo 3, irão complementar o con-
teúdo dos Capítulos 1 e 2.
Oenfoque clássico para desenhar a figura huma-
na nas belas artes inclui anatomia, isto é, os ossos,
os músculos e a forma natural do corpo. Em dese-
nho de moda, o enfoque clássico é mimético, mas
usualmente evita a forma natural porque o rea-
lismo é abreviado pela idealização. Por exemplo,
para representar a realidade, o artista desenha a
figura com tamanho natural, tronco mais volumo-
so e quadris mais largos para mulheres. Inversa-
mente, na idealização, o artista desenha a figura
feminina com alongamento pouco natural, tronco
menos volumoso e quadris também estreitos de-
mais para corresponderem à realidade. Esse exage-
ro é o que separa o desenho de moda do desenho
das artes. O pintor Modigliani é uma das poucas
exceções. Suas formas alongadas e delgadas exce-
dem quase tudo dos atuais exageros da moda em
termos da extensão da figura.
Capítulo Um
Proporções da figura humana
em desenho de moda
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 1
2 Desenho de Moda
Aprendendo a figura básica
A própria natureza da moda dita que proporções estão sujei-
tas a mudar. Com razão, sabemos que essas mudanças não
alteram o básico que está ilustrado nas páginas seguintes.
O modo mais fácil é dividir a figura em partes e depois
reunir essas seções. Há dois modos. Ou separar em três partes
ou na metade.
Cada uma das três seções ilustradas à direita é igual em
tamanho às demais. A primeira seção ilustra o corpo da cabe-
ça à cintura; a segunda, da cintura ao joelho; e a última, do
joelho ao pé.
Alto da cabeça
A distância
entre a cabeça
e a cintura
é igual à
distância entre
os quadris e os
joelhos. É igual
à distância
entre os joelhos
e os tornozelos
1/3 1/3 1/3
1/3
1/3
Divida a
figura em
três partes Cintura
Joelhos
Tornozelos
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 2
Proporções da figura humana 3
Aqui a figura está desenhada
em duas seções iguais. A pri-
meira metade vai da cabeça ao
fim do tronco; a segunda meta-
de vai do fim do tronco ao tor-
nozelo. (Do tornozelo ao dedo
do pé há uma extensão.)
Estes métodos de dividir a
figura trabalham independen-
tes da escala utilizada. Depois
que você dominar estes méto-
dos, crie sua própria versão,
adaptando-as ao seu estilo.
Topo da cabeça
1/2
1/2 1/2
Divida a
figura ao
meio
O comprimento
do tronco é igual
ao comprimento
das pernas
Fim do tronco
Tornozelos
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 3
4 Desenho de Moda
Divida mais a figura e observe as relações entre as
seções. Cada parte é ligeiramente maior ou menor
em comparação à seguinte.
Agora, reúna novamente as figuras nas partes
naturais. As seções são ainda importantes e você
deverá continuar praticando desenhá-las, passo a
passo. O objetivo é criar a figura completa – todas
as partes devem se completar com facilidade.
Pé Cabeça Quadris Tórax Braço Coxa
Desenhando em proporções constantes
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 4
Proporções da figura humana 5
Lembre que esta não é uma
figura real, mas uma figura de
moda, que foi alongada para se
adaptar a estilos e tendências.
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 5
6 Desenho de Moda
Linhas de orientação
Como apresentado nestas figuras, há linhas de
orientação específicas nas figuras de moda que
dividem a forma em seções. Essas linhas de orien-
tação servem para dois propósitos. Primeiro, as
linhas definem e nomeiam partes da figura de
moda que você pode usar como guia para desenhar
uma pose específica. Segundo, as linhas imitam
vagamente as linhas de costura que podem se
encontrar em vestidos ou manequins. Nesse caso,
as linhas de orientação podem ajudá-lo a vestir a
figura de modo que os detalhes em uma vestimen-
ta sejam desenhados adequadamente.
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 6
Proporções da figura humana 7
Observe como estas linhas de costura dividem a figura e como cada parte está
diretamente relacionada à outra. Os recortes princesa, que são paralelos, que-
bram a figura em quatro partes – esquerda frontal e lateral; direita frontal e late-
ral. As linhas de costura são sempre necessárias ao se desenhar detalhes. Inclua-as
sempre em seu desenho de figura.
Base do pescoço
Linha do ombro
Cava
Axila
Ápice do busto
Curva do busto
Eixo frontal (do corpo)
Cintura
Distância entre as duas
cristas ilíacas
Recortes princesa
Linhas do biquíni (quadril)
Fim do tronco
Unidades do tronco
ou seções
Ombro
Peito
Quadril
Depressão do pescoço
Pescoço
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 7
8 Desenho de Moda
A indústria de moda reconhece a necessidade do
mercado por opções que respeitem os tipos de
figura das mulheres. Esses tipos têm sido
rotulados pelo comércio como “pequeno”,
“grande” e por falta de termo melhor, “médio”
é a figura média que o mercado identi-
ficou com modelo ou com o corpo
alongado, idealizado na ilustração
de moda.
As figuras pequena e grande são
desenhadas de modo mais natural,
realista. As figuras desta página ilus-
tram algumas das diferenças entre os
três tipos.
O termo “figura real”, como “dese-
nhando a partir da vida real”, refere-
se ao corpo humano natural. De
acordo com os pesos e medidas gerais,
a figura real tem, aproximadamente,
sete ou oito cabeças de altura. A figu-
ra menor, da página ao lado, é apro-
ximada da figura real.
O alongamento de moda e a figura
Pequeno Grande Modelo
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 8
Proporções da figura humana 9
Embora o esqueleto e a estrutura
muscular sejam essenciais para
estudar a figura real, a figura
de moda altera a realidade. A
figura de moda exagera o
corpo humano normal. Para a
moda, você estuda a figura de
modo idealizado, de acordo
com os cânones da moda. A
figura alongada nesta página
representa como a moda inter-
preta o corpo para o estilo.
O fato de a figura de moda ser uma abs-
tração da realidade não significa uma alte-
ração positiva nem negativa. Isso é feito
simplesmente para criar um suporte para as
roupas de modo que se justifique pelo pro-
jeto do detalhamento para moda.
Nas duas ilustrações desta página,
você verá que cada parte do corpo
é seguida por um número entre
parênteses. Esses números corres-
pondem aproximadamente a quantas
cabeças de altura (contadas a partir de
cima) está aquela parte do corpo. Por
exemplo: cintura (3); a cintura na figura
da esquerda está posicionada a três cabe-
ças de altura. (Favor notar que, na figura
da direita, a cintura está posicionada a
3 ½ de altura porque é uma figura alonga-
da de moda.)
1
2
3
4
5
6
7
8
9
91/2
Figura Real Figura de Moda
Queixo (1)
Ombro (1 2/3)
Cava (2 1/4)
Cintura (3 1/2)
Fim do tronco (4 ½)
Queixo (1)
Ombro (1 1/3)
Cava (2)
Cintura (3)
Fim do tronco (4)
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 9
10 Desenho de Moda
A anatomia de moda combina métodos de esboço,
estudo de figura e desenvolvimento de contorno. Os
métodos de esboço o ajudam a dividir o corpo em
segmentos de desenho. O estudo da figura permite
explorar ossos e músculos para o interior da estrutu-
ra da forma humana. O desenvolvimento de contor-
no permite a percepção dos limites da figura. Esta
página apresenta seis técnicas de desenho para inter-
pretar a mesma pose. Pratique cada uma para encon-
trar qual é mais adequada a você.
Interpretando a anatomia
Esqueleto Espiral Gesto
Cilindro espiral Cones Músculos
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 10
Proporções da figura humana 11
Fim do
tronco
Fêmur
Joelho:
patela
Fíbula
Tíbia
Combinar um esqueleto simplificado com uma forma
básica é um exercício útil e eficaz. Usando ambos os
elementos – estrutura e contorno –você será capaz de
sugerir uma pose do interior para o exterior, que dará
à figura tanto volume quanto peso. Para dar altura à
figura, use “cabeças de altura” (veja páginas 12-15
para o mapa que irá ajudá-lo). Para anatomia normal,
a figura pode ter de sete a oito cabeças de altura, como
mostrado aqui. O alongamento de moda sempre
estende a figura a nove ou dez cabeças de altura.
10
Cabeças de altura Perfil Vista frontal
6
5
1
0
2
4
7
9
8
3
Vértebra cervical
Clavícula
Esterno
Centro invisível
das costas
Costelas
Coluna:
Centro invisível
das costas
Quadris
Cava
Cintura
Rádio Ulna
Linha
do busto
A coluna é o
centro das costas
Escápula
Úmeros
Linha de equilíbrio
Quadris
Torno-
zelo
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 11
12 Desenho de Moda
Mapa da figura humana
Desenhar uma figura pode ser difícil quando
você não sabe por onde começar. Localização,
pose e proporções podem ser aspectos assustado-
res. Usar uma grade para mapear os diferentes
elementos elimina o trabalho de adivinhação. A
grade tem o propósito de apresentar a figura
imóvel, de pé. Com prática, você poderá dese-
nhar a figura em movimento e criar mudança de
posição nas poses. Depois de ter experiência com
o básico – proporções – você poderá trabalhar
independentemente da grade, aprendendo a dese-
nhar de acordo com seu estilo ou forma. A grade
é flexível. Desenhe em qualquer comprimento,
combinando subdivisões e você poderá criar
figuras para qualquer tamanho de papel.
0
2
4
6
8
10
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
1 Desenhe uma linha vertical
para a altura desejada de sua fi-
gura. A seguir, desenhe uma pe-
quena linha horizontal em cima e
embaixo de sua linha vertical.
2 Divida a linha em cinco par-
tes iguais e numere cada linha
com números pares de 0 a 10.
Essas serão suas partes maiores.
3 Divida cada seção pela
metade e numere com números
ímpares de 1 a 9. Essas serão
suas partes menores.
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 12
4 A grade agora está comple-
ta. As seções que você criou são
chamadas cabeças de altura.
Você está trabalhando em uma
figura que terá, aproximada-
mente, dez cabeças de compri-
mento.
5Desenhe a cabeça no primei-
ro espaço. Note que você pode
realmente desenhar dez cabeças,
exatamente do mesmo tama-
nho, nos espaços da grade – daí
“dez cabeças de altura”. Veja as
proporções. Coloque um ponto
no centro da linha, na grade
para marcar as proporções.
6Agora que as proporções da
figura estão completas, e você
tem uma grade de cabeças de
altura, precisa determinar as
cabeças de largura. Você cria o
corpo sistematicamente. Cada
parte corresponde à outra em
tamanho. Novamente, use o es-
paço de uma grade, somente
desta vez, desenhe uma cabeça
para os lados.
Proporções da figura humana 13
1 ½ cabeça
de largura
¾ de cabeça
de largura
1 ¼ cabeça
de largura
1 ¼ cabeça de altura
Ombro
3 ¼ cabeças de altura
Cintura
4 ¼ cabeças de altura
Fim do tronco
6 e ½ cabeças de altura
Joelho
Nove cabeças de altura
Tornozelo
Ombro
Cintura
Fim do
tronco
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 13
14 Desenho de Moda
Mapa da figura humana
7 Em proporção, as três
maiores áreas são relativas às
linhas dos ombros, à cintura e à
linha do tronco/quadril. As três
linhas que indicam essas áreas
devem ser desenhadas em tom
mais escuro. Com mais fre-
quência, usa-se a linha dos om-
bros mais larga e a da cintura,
mais estreita. Entre os dois
comprimentos, está a medida
da linha demarcadora do tron-
co. É mais larga que a da cin-
tura, mas mais estreita que a
dos ombros.
8 Preencha o contorno do
tronco.
9 Depois que terminar o con-
torno do corpo, adicione bra-
ços e pernas.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Queixo
Ombro
Cintura
Fim do
tronco
Joelho
7 8 9
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 14
10 Construa a figura equili-
brando da esquerda para a direita.
11 Preencha áreas do tronco.
Adicione linhas do busto e das rou-
pas íntimas.
12 Comece a arredondar a figura
para conseguir aparência mais natural.
Depois de se familiarizar com grade de proporções, você
será capaz de usá-la para posar a figura à medida que a
constrói. O esqueleto e estrutura muscular da forma huma-
na real são partes essenciais do desenho de figura porque a
forma idealizada tem suas bases na forma real. Além disso,
o desenho da figura de moda exagera a verdade e alonga o
corpo. A vida da moda daquela figura extralonga, extrama-
gra, muda de acordo com o estilo adotado. Esse estilo tem
pouca relação com a real figura humana.
Proporções da figura humana 15
10 11 12
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 15
16 Desenho de Moda
Recorte princesa Uma cava Torção do Uma cava
escondida tronco escondida
Definição do tronco superior
Ápice do busto Linha do busto
Linha da cintura
Recortes princesa
O tronco superior, desenhado mais largo na
linha do ombro, afunila em direção à cintura
com forma trapezoidal. O centro do seio é o
ápice do busto e cai na linha mediana do tórax.
As linhas curvas para o arco do seio estão acima
e abaixo do ápice da linha do busto. As linhas
do recorte princesa correm paralelas ao eixo
frontal.
Vire e posicione o tronco e as costuras princesa
se tornam parte da linha de contorno. A curva da
linha do busto pode definir a margem do tórax.
Algumas poses torcem todas as linhas de costura
através do tronco. Observe como as curvas da cava
crescem e diminuem com cada pose.
Linha do
ombro
Cava
Linha
da cava
Centro da
fonte do
peito
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 16
Proporções da figura humana 17
Definição do tronco inferior
As curvas do tronco inferior têm continuidade
diretamente nas coxas. A linha do biquíni come-
ça nas coxas e contorna para dentro da entreper-
na no eixo frontal, onde termina o tronco. Os
recortes princesa refletem as curvas dos quadris.
O cós sobe da cintura, em direção ao peito. As
linhas sobre a crista ilíaca são úteis para marcar
detalhes das vestimentas.
Cintura
Eixo frontal
Quadris
Fim do tronco
Coxa
Algumas poses podem esconder a entreperna e
cortar a extensão da linha do biquíni. A costura prin-
cesa pode se tornar uma linha de contorno. Outras
poses apoiam o quadril e empurram a coxa adiante,
longe do contorno usual. Sempre siga a linha de eixo
frontal para dividir o meio das pernas.
Linha do biquíni
Coxa atrás Coxa à frente
Entrepernas
oculta
Recortes princesa
Recorte
princesa
Cós
Crista ilíaca
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 17
18 Desenho de Moda
Definição do tronco
Alongamento da figura de moda é evidente no com-
primento do tronco. O realismo alterado da moda
é visto na extensão do tronco quando se enfatiza o
contorno do corpo na altura da linha do busto e do
quadril. Estes exemplos de tronco oferecem traba-
lho prático em formas e curvas do corpo feminino.
Comece desenhando seu tronco com o tórax. Olhe
as formas que se constituem a partir da caixa das
costelas. O tórax apresenta desafios de desenho
maiores que os quadris. Os quadris apenas se cur-
vam em direção às coxas.
Lembre-se de que os troncos das figuras de
moda são idealizados. Os tórax e a pélvis são dese-
nhados alongados, sujeitos à tendência na definição
da beleza da figura, que pode mudar com a estação.
Estilisticamente, o tronco é alongado para enfatizar
o conteúdo visual ou aumentar o impacto de um
elemento de modo naquele look.
Ombro
Cava
Contorno da
linha
dos seios
Ângulos
coordenados
Estático:
Sem ângulo
Costelas
e linha da
cintura Quadris
PeitoDimensões
interiores
Ângulos
opostos
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 18
Proporções da figura humana 19
Recorte
princesa
Peito
Linha da
cintura
Quadris
Quadril até
a linha da
cintura
Recorte
princesa
torna-se
linha de
contorno
Centro do corpo Linha do
ombro
Costura
princesa
Cava
Qualquer que seja o objetivo de seu estilo, você irá necessitar de um desenho
bem fundamentado com contornos e proporções identificáveis para o tron-
co de sua figura de moda. Parte desse foco da moda é o uso das linhas de
costura do tronco como orientação para a dinâmica das poses. Essas linhas
ajudam-no a definir a ação em seu desenho, alinhando o interior do tórax e
do tronco em conjunto com as linhas de contorno.
Tórax
Quadris
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 19
20 Desenho de Moda
Nas páginas anteriores sobre “Definição do
tronco”, você analisou os movimentos do tron-
co de um lado a outro. Ações de pose implicam
movimentos que vão da esquerda para a direita
e vice-versa. Agora você vai analisar movimen-
tos de cima (linha do ombro) para baixo (linha
dos quadris). Há outro fator a considerar: esti-
car e contrair. Contrair traz o tórax e a pélvis
contra o centro; o tórax se dobra na cintura (fi-
gura A), como se se aproximasse da pélvis. Con-
trariamente, a expansão da parte posterior do
tronco (figura C) o afasta da pélvis. Em uma
pose estática (figura B) há muito pouca ação
lateral e vertical.
Dinâmica de pose do tronco
A
A C
C
Curvatura do tronco
Extensão/
alongamento
do tronco
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 20
Proporções da figura humana 21
CBA
Costelas
para frente
Tronco
estático
Costelas
para trás
Topo:
tórax
Alongamento
na linha
da cintura
Coxa para
frente
Embaixo:
quadril
Curva na
linha da
cintura
Coxa
para trás
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 21
22 Desenho de Moda
1 2 3 4
3 O eixo frontal irá dividir a linha dos quadris na
entreperna, resultando na coxa direita e coxa
esquerda. Desenhar primeiro a perna de apoio.
4 Começar a perna estendida. Inicie, então pela
virilha em direção à parte interior da coxa.
Desenhando a figura humana à mão livre
Ângulos
Virilha
Centro/
frente
Linha de
equilíbrio Perna
de apoio
Perna
estendida
1 Comece seu desenho com ângulos de ação cru-
zando o tronco. Marque a altura e a largura do
tronco e coloque na pose.
2 Desça a linha de equilíbrio até o “chão”.
Estabeleça a altura da figura. Estabeleça a direção e
curva para o eixo frontal da figura.
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 22
Proporções da figura humana 23
5 Termine o desenho da perna estendida. Coloque o
pé mais abaixo do que o da perna de sustentação.
6 No lado do corpo mais perto de você, desenhe o
braço que descansa ou o coloque sobre o tórax. Esse
é o lado cheio, logo o ombro estará visível.
7 Desenhe o outro braço atrás do tórax, no lado
mais distante da pose.
8 Dê uma definição à forma e aos contornos, fina-
lizando a figura com as linhas interiores de costura.
5 6 7 8
Perna
estendida
Braço
atrás do
tórax
Braço
sobre o
tórax
Linhas
interiores
de costura
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 23
24 Desenho de Moda
1 Comece seu desenho com linhas de ação em
sua pose. Aqueles ângulos de ação dos ombros,
cintura e quadris estarão em distâncias propor-
cionais uns dos outros. Em seguida, leve uma
linha pelo meio dos ângulos de ação de sua pose
até o chão. Aquela linha central será seu eixo
frontal.
2 Preencha o volume do tórax e dos quadris.
Deixe um espaço para uma linha de cintura imagi-
nária. Comece uma forma para o pé, assim, sua
figura terá um chão.
3 Nesta pose, note que a frente da figura tem um
lado próximo e um distante. Isso afeta diretamente
o quanto a largura do tórax e do quadril irão ocu-
par a área da direita ou da esquerda de seu eixo
frontal. O lado mais próximo deverá ser maior do
que o mais distante – a parte que mais se afasta do
olhar deve ser menor. Em seguida, preencha a área
das coxas.
4 Depois de completar as coxas, prolongue a
linha de contorno passando pela panturrilha e pros-
seguindo até o calcanhar. Depois de completar a
primeira perna da pose, faça a segunda, antes de
começar os braços.
5 Conecte a segunda perna para esta pose no
eixo frontal, no ponto que será o final do tronco
nesta figura. Lembre de completar o pé da pri-
meira perna.
Esboço rápido: passo a passo
Centro/
frente
Longe
Perto
Tórax
Quadris
Coxa
Panturrilha
Chão
1 2 3 4 5
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 24
6 Quando desenhar a coxa da segunda perna,
coloque-a sobre, ou por cima ou à frente da outra
perna. Para fazê-lo menos confuso, preencha com
lápis, dando continuidade ao mesmo sombreado na
coxa da perna que está agora atrás da coxa da
segunda perna. Somente parte da coxa coberta será
visível na pose.
7 Quando completar a coxa e a panturrilha da
segunda perna, localize os braços nesta pose. A
partir do tórax, marque o que será a posição mais
próxima e mais distante para os braços. O braço
do lado mais próximo pode ter a curva do ombro.
8 O braço do lado mais próximo da pose, com a
curva do ombro, é o primeiro a ser desenhado.
Traga a axila até o tórax. O braço do lado mais dis-
tante será parcialmente escondido pelo tórax. O
sombreado a lápis na parte superior do braço irá
recordá-lo que a coxa também está encoberta.
9 Eis onde você desenha as linhas delgadas da cin-
tura, que se comunicam com os quadris. Você pode
também adicionar algumas linhas pontilhadas para
ajudá-lo a esconder partes dos membros na pose.
10 Para os passos finais do desenho, algumas
das linhas estruturais interiores podem ser apaga-
das. Em seguida, modele e arredonde o contorno
exterior. Note que no passo 9, a parte oculta da
coxa foi deslocada da parte da frente para o lado do
quadril. Esse é outro passo para dar acabamento
nesta pose específica. As mãos são as partes finais
do corpo a serem feitas.
Proporções da figura humana 25
6 7 8 9 10
Coxa
para
frente
Coxa para
trás
Braço próximo
sobre o tórax
Curva do
ombro
Braço
distante
atrás do
tórax
Conexão
quadril/
coxa
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 25
26 Desenho de Moda
O desenho gestual descreve o movimento. A própria
linha gestual é livre e expressiva, que flui por dentro e
para fora da figura. Ela cria uma imagem instantânea
do corpo presumindo uma pose. As poses gestuais são
rápidas, feitas em dois minutos, ou menos, desenha-
das a partir de um modelo vivo. Nesse curto período
de tempo, o artista deixa uma linha se soltar ao longo
da figura desenhada na página. Esse desenho rápido é
chamado de gesto.
Comece com uma linha livre (um rabisco), usan-
do o tamanho de cabeça com o qual você se sente
mais confortável.
Lembre-se de que nestas páginas as figuras apa-
recem separadas, mas na sua será só uma. Quando
você desenhar, adicione as partes em uma única
figura, até que se pareça com o último exemplo.
Esboço rápido
Opções em um gesto
Direção Ângulos Tronco Pernas Braços
Crie uma
direção ou
movimento
em uma
pose
Ângulos
adicionam
movimento
à pose
Linhas de
costura dão
estrutura
ao tronco
Perna de
suporte
mantem
o corpo de
pé sobre
a página
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 26
Proporções da figura humana 27
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 27
Criando a figura de perfil
Coluna Eixo do centro das costas
Tórax
Cava
Costelas
Cintura Linha da
cintura
Pélvis
Eixo
Quadris Linha da
frontal
calcinha
A vista lateral de uma figura é chamada de vista
de perfil. As feições frontais, que estão no centro
do corpo, agora determinam a linha de contor-
no. Aquelas linhas interiores são desenhadas
como curvas exteriores em uma pose de perfil.
Em razão do centro frontal e do centro posterior
terem se tornado as margens, você pode usar as
linhas de costura da lateral (de uma vestimenta),
no interior de um tronco, como orientação. Essa
linha que dividirá o tronco em frente e costas
será o perfil da figura.
• Use as costelas e a pélvis como estrutura.
• Desenhe linhas sobre a estrutura para sugerir
formas.
• Conecte as formas com o eixo frontal e o eixo
posterior.
• Defina o contorno da cintura. Localize a área
da cava e da linha da calcinha sobre o quadril.
• Preencha a curva da linha do busto para com-
pletar o tronco.
28 Desenho de Moda
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 28
A figura de perfil
vista oculta o ombro mais baixo e o lado mais alto
do quadril. Então, para tornar a pose de perfil mais
fácil de desenhar, você pode focalizar no eixo para
ajudá-lo a colocar a ação no desenho. Os exemplos
desta página ilustram três posições básicas para a
postura de moda de uma figura de perfil.
Quadris retos – note como eles parecem retos em
relação aos outros troncos.
Quadris para frente – aqui, os quadris estão se moven-
do para frente. A parte de baixo do tronco é empur-
rada para mais longe que a parte de cima do tronco.
Quadris para trás – o último tronco move os quadris
para trás em relação ao tórax.
A vista de perfil vira a pose de lado. Você está
desenhado apenas metade da caixa das costelas e
metade da pélvis. Os eixos frontal e posterior se
tornarão as linhas de contorno de seu desenho de
perfil. As curvas de seu desenho se tornarão mais
pronunciadas porque, desse ponto de vista, o tron-
co e o quadril são parte de seu contorno exterior
da figura de moda. Na pose de perfil, seu desenho
inclui a parte frontal e a posterior do corpo.
A figura de perfil se move com o eixo frontal do
corpo, que dita a maior parte da ação na pose.
Frequentemente, é difícil discernir os ângulos para
ação em uma pose de perfil porque esse ponto de
Proporções da figura humana 29
Quadris Quadris Quadris Quadris Quadris
eretos para trás para frente para frente para trás
Eixo
frontal
Eixo
frontal
Eixo
frontal
Coluna
ou eixo
posterior
Eixo
posterior ou
coluna
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 29
Desenhe um tronco em pose frontal com a linha
de eixo vertical dividindo-o em duas partes. Essas
duas partes cortam o tronco pela metade. Agora
desenhe o tronco de perfil. Um tronco inteiro de
perfil é igual em tamanho à metade de um tronco
frontal. A pose de perfil é a pose lateral do corpo,
logo, deve-se cortar o volume da pose frontal pela
metade. Essa versão mais estreita, a figura de per-
fil, ainda tem uma linha de equilíbrio para man-
ter a pose na página.
Outro método para avaliar a pose de perfil
é dividi-la pela metade, costas e frente, pela
linha de eixo. As linhas de costura estabilizam a
pose e revelam sua dinâmica, criando dois lados
separados para estudar e desenhar. Você pode
estudar essa linha com o eixo frontal e o eixo
posterior ou a coluna para maximizar as linhas
de contorno.
30 Desenho de Moda
A pose de perfil
Figura de
perfil
Figura
de frente
Eixo posterior/
coluna da
figura de perfil
Eixo
frontal da
figura de
frente
Eixo frontal
da figura
de perfil
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 30
Proporções da figura humana 31
Ponta do
pescoço
Eixo
frontal
Linha de
equilíbrio
Eixo
posterior
Eixo
posterior Depressão do
pescoço
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 31
32 Desenho de Moda
A linha de equilíbrio é uma linha que corre perpen-
dicular ao solo. Quando suspensa (ou desenhada)
contra a figura, irá impedi-la de tombar. Por exem-
plo, se os dois pés estiverem virados para a direita
ou para a esquerda da linha de equilíbrio, a figura
não ficará de pé ereta. As poses aqui mostradas
colocam cada pé em um lado diferente da linha de
equilíbrio ou colocam um dos pés diretamente na
linha de equilíbrio.
Todavia, há exceções à regra. Ao se desenhar
figuras de moda, todas as regras podem ser que-
bradas. A figura é, acima de tudo, uma idealiza-
ção do corpo. Nesta página, a segunda pose é
uma dessas exceções. A linha do ombro, da cin-
tura e os ângulos dos quadris seguem a mesma
direção, o que é incomum. Isso acontece porque
os joelhos se cruzam.
Encontrando equilíbrio e movimento
Linha de
equilíbrio
Chão
Depressão
do pescoço
Ângulos
independentes
previsíveis
Ângulos
coordenados
não usuais
Eixo
frontal
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 32
Proporções da figura humana 33
Linha de
equilíbrio
Eixo
frontal
Chão
Perna de
apoio Perna
estendida
Depressão
do pescoço
1Aqui a figura está parada e sem posar; não há ângulos. O
eixo frontal coincide com a linha de equilíbrio. O peso do corpo
cai, levemente, mais sobre uma das pernas, a de apoio.
2A perna que não suporta o peso do corpo, chamada de
perna estendida, está livre para se movimentar sem perturbar
o equilíbrio da pose.
3Com a perna de apoio ancorando a pose, os braços tam-
bém estão livres para se mover no espaço.
1 2 3
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 33
34 Desenho de Moda
Graças à
linha de
equilíbrio,
nenhuma
dessas
poses está
flutuando
na página
Usando uma linha de equilíbrio
Resolvendo problemas de poses
Há diversos desafios visuais ao desenhar a linha
de equilíbrio de uma pose.
1A perna de apoio, com quadril alto, fica des-
locada para trás da perna estendida ou relaxada.
2A linha de equilíbrio cai igualmente entre as
pernas porque o peso da pose é distribuído igual-
mente entre quadris e pernas.
3A perna de apoio, com quadril alto, é empur-
rada para frente da perna estendida ou relaxada.
A linha de equilíbrio
começa na depressão
do pescoço
Geralmente o
peso da pose é
apoiado pelo
quadril
mais alto
A linha de equilíbrio
mantém a figura de
pé, ereta, na página
O fim da linha de
equilíbrio cai no pé
da linha do “chão” da
página
As duas pernas
apoiam a pose
A perna
estendida está
atrás da perna
de apoio
Perna
do quadril
alto
1 2 3
A perna
estendida ou
relaxada
não suporta
o peso da pose
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 34
Proporções da figura humana 35
Quadril
mais baixo
Perna
de apoio
Perna
estendida ou
relaxada
Pose
frontal
Pose de
perfil
Pose de 3/4
A linha de
equilíbrio
geralmente fica
próximo à perna
de apoio
Ombro
mais baixo
Fim da
linha de
equilíbrio
Ombro
mais
baixo
Quadril
mais
alto
Ombro
mais alto
Quadril
mais alto
Ombro
mais
baixo
Ombro
mais alto
Ombro
mais alto
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 35
36 Desenho de Moda
O eixo frontal está no meio do tronco. Além
disso, a coluna está no centro das costas, não
importando onde ou como é a pose da figura. O
eixo frontal se move independente da linha de
equilíbrio. O eixo frontal não depende da posi-
ção da perna de apoio. O foco principal do eixo
frontal de seu desenho é ajudá-lo a mover as cos-
telas e a pélvis na pose.
Nesta página, o movimento é o mesmo em
todas as poses, à medida que a figura se afasta. O
eixo está entre os dois recortes princesa, que tam-
bém se movem. Os recortes seguem a direção do
movimento que o eixo frontal toma.
Na página ao lado, quatro poses enfatizam o
eixo posterior e o eixo frontal, destacando a perna
de apoio em vária possibilidades. Essas poses cha-
mam sua atenção para o fluxo da pose através do
meio da figura. A dinâmica do fluxo na pose se
move do tórax para os quadris. Você descobrirá
que o tronco e a perna de apoio precisam do eixo
frontal e do posterior para ajudá-lo a conectar os
ângulos em todas as poses.
A importância do eixo frontal
Eixo frontal
se move
com a pose,
acompanhado
pelas linhas
de costura
Movimento
Eixo do eixo Eixo Eixo
frontal frontal frontal frontal
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 36
Proporções da figura humana 37
Vista de costa Vista de Vista Vista de 3/4
posterior 3/4 perfil de perfil com torsão do
eixo frontal
Eixo Eixo Eixo Eixo Torção do
posterior posterior frontal posterior Eixo frontal
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 37
38 Desenho de Moda
Vistas posteriores
Parte posterior
do pescoço
Recorte princesa
Escápula
acima da
linha da cava
Coluna
como eixo
posterior oposto
ao eixo frontal
da cintura
Linha posterior da
linha dos quadris
Fim do
tronco – nádegas
Curva da coxa
Parte posterior
do joelho
Curva da
panturrilha
Tendão do tornozelo
Estreitamento
para dentro
do calcanhar
A pose vista de costas tem os mesmos ângulos de
ação – quadril alto, ombro baixo e linha de equilí-
brio – como na vista frontal. Na vista posterior, a
coluna se torna o eixo posterior, paralelo aos recor-
tes princesa e correndo até o final do tronco. As cur-
vas sutis da escápula, logo acima das cavas, nem
sempre são desenhadas, entretanto, as curvas das
nádegas sempre são. Há só uma sugestão de defini-
ção para a parte posterior do joelho e para o tendão
de aquiles nos tornozelos.
Eixo posterior
começa na
vértebra ou
na linha
do pescoço
Lado do
ombro
mais
baixo
Linha da
cintura segue
ângulo da
linha dos
quadris
Lado
do quadril
mais alto
Lado da
perna
de apoio Perna de
apoio para
esta pose
Linha de
equilíbrio
é puxada a
partir do
eixo
posterior
do pescoço
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 38
Proporções da figura humana 39
Poses de costas podem ser dramáticas. Se a pose
for usada para evidenciar o drama de um traje, ves-
tido, ou traje de gala, mantenha a pose posterior
simples para focar os detalhes da vestimenta. Essas
poses são muito simples até se tornarem quase de
perfil, mostrando tanto o lado do corpo quanto as
costas. Essas poses são mais difíceis de vestir por
causa das costuras laterais, a menos que seja para
esse ponto que o foco do traje tenha sido deslocado.
Para poses de
perfil, a
linha de
equilíbrio
pode começar
na orelha
Eixo
posterior
Escápula
Curva das
nádegas
Parte
posterior do
joelho
A linha de
equilíbrio
começa na
orelha e
termina no
chão ou
no pé
Eixo
osterior
segue a
coluna
no torso
posterior
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 39
40 Desenho de Moda
A figura “mais cheia”
Uma área nova e completa da moda
é dedicada à maioria, à mulher
“mais cheia”. O que é novo não é o
tamanho real, mas a atenção dada
pela indústria da moda ao estilo
dessa categoria. Surgiram designers e
divisões especializadas reconhecendo
o potencial desse mercado. Muitas
lojas de departamentos chegam a ter
andares inteiros dedicados a tais
tamanhos. Esse terreno crescen-
te da indústria pede sua pró-
pria figura de ilustração,
que não deverá ser dese-
nhadademodo alon-
gado como o usual.
Essa figura precisa
de estilo, atitude e
encanto próprios,
como qualquer
outra ilustração
de moda, é dese-
nhada de modo
mais realista com
oito cabeças de altura ou menos,
com corpo levemente mais volu-
moso e curto.
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 40
Proporções da figura humana 41
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 41
Pose Bolha Abdômen Abdômen
mais alto mais baixo
42 Desenho de Moda
Figuras de moda para gestantes
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 42
Proporções da figura humana 43
Look gestante
Look de moda gestante geralmente focaliza o con-
torno máximo da modelo grávida. Essa parte
redonda cobre cerca de 2/3 do tronco. Colocando
esse volume logo abaixo da linha do busto, pouco
acima da linha do biquíni, enfatiza o meio, como
uma bolha. Escolhendo a melhor pose para apre-
sentar uma grávida, separe esse tronco do look de
uma mulher de corpo inteiro da página anterior.
Proporções
Para qualquer pose ou movimento do corpo em
uma pose, mantenha a frontalidade do tronco com
o máximo volume. A proporção é de 2/3 do tronco
para a “bolha”.
2/3 do volume
do corpo
para gravidez
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 43
44 Desenho de Moda
Resumo
Neste capítulo você aprendeu o enfoque dado à
figura de moda. Essa figura é aceita na indústria e é
uma interpretação do corpo normal. Você foi apre-
sentado a todos os procedimentos básicos de dese-
nho para representar o corpo, de modo real ou
idealizado. Você reviu as partes do corpo, propor-
ções, anatomia, linhas de costura, grades, alonga-
mentos, sistema de altura por cabeças, eixos frontal
e posterior e linha de equilíbrio. Agora você pode
desenhar a figura de moda de acordo com vários
métodos. Você foi apresentado aos termos usados
para desenvolver suas habilidades de comunicação
visual e verbal. Tenha em mente que as figuras e ter-
mos são sujeitos a mudanças, de acordo com as idas
e vindas do mercado de moda.
Tarefas
Você irá começar um caderno de desenho, um diá-
rio com desenhos de moda. Comece com revistas e
catálogos de moda. Recorte e arquive fotos relacio-
nadas ao que você está aprendendo e isso o prove-
rá de imagens para desenhar. Você usará essas fotos
como referência para desenhos.
Para essa tarefa, comece um arquivo de fotos
que ilustrem poses em pé. O melhor material de
referência mostra a figura da cabeça aos pés.
Comece seu caderno colando as fotos na página à
esquerda. Use-as como fonte para o desenho na
página à direita.
1 Selecione uma pose frontal. Desenhe a figura
usando o método da grade.
2 Escolha uma pose de 3/4. Desenhe a figura,
usando as partes do corpo ou seções para construir
a pose.
3 Encontre uma pose de perfil. Desta vez, dese-
nhe a figura à mão livre, usando o método do gesto.
4 Escolha qualquer método de grade, unidades
de corpo ou seções, ou à mão livre para desenhar
uma figura mais cheia, em pose frontal. Lembre que
deverá haver contraste entre essa figura mais natu-
ral, realista, e as outras mais alongadas, idealizadas
utilizadas, nos anúncios típicos de moda.
5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 44

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Segmentação do Mercado de Vestuário - Moda
Segmentação do Mercado de Vestuário - ModaSegmentação do Mercado de Vestuário - Moda
Segmentação do Mercado de Vestuário - ModaDébora Cseri
 
Briefing de Coleção
Briefing de ColeçãoBriefing de Coleção
Briefing de ColeçãoCarlosReinke
 
Desenho Técnico do Vestuário - IFSC
Desenho Técnico  do  Vestuário - IFSCDesenho Técnico  do  Vestuário - IFSC
Desenho Técnico do Vestuário - IFSCVivian Los
 
Desenho tecnico moda (desenho)
Desenho tecnico moda (desenho)Desenho tecnico moda (desenho)
Desenho tecnico moda (desenho)Gisele Kanda
 
Workshop desenho de moda emone peccini
Workshop desenho de moda emone pecciniWorkshop desenho de moda emone peccini
Workshop desenho de moda emone pecciniEmone Peccini
 
Apostila modelagem básica feminina
Apostila modelagem básica femininaApostila modelagem básica feminina
Apostila modelagem básica femininaMarcia Ramos
 
A MODA-VESTUÁRIO FEMININA SEM PADRÕES DE MEDIDAS
A MODA-VESTUÁRIO FEMININA SEM PADRÕES DE MEDIDAS A MODA-VESTUÁRIO FEMININA SEM PADRÕES DE MEDIDAS
A MODA-VESTUÁRIO FEMININA SEM PADRÕES DE MEDIDAS Nathilucy Marinho
 
A influência histórica do vestuário na modelagem
A influência histórica do vestuário na modelagemA influência histórica do vestuário na modelagem
A influência histórica do vestuário na modelagemCarolina Domingues
 
01 modelagem-tecnologia-de-costura-e-modelagem-i-121212192016-phpapp01
01 modelagem-tecnologia-de-costura-e-modelagem-i-121212192016-phpapp0101 modelagem-tecnologia-de-costura-e-modelagem-i-121212192016-phpapp01
01 modelagem-tecnologia-de-costura-e-modelagem-i-121212192016-phpapp01Claudia Luzz
 
Máquina reta industrial lista de materiais
Máquina reta industrial   lista de materiaisMáquina reta industrial   lista de materiais
Máquina reta industrial lista de materiaisMari Ramondini
 
Aulas de desenvolvimento de coleção
Aulas de desenvolvimento de coleçãoAulas de desenvolvimento de coleção
Aulas de desenvolvimento de coleçãoCris Maia
 
Apostila de costura
Apostila de costuraApostila de costura
Apostila de costuraLeandro
 
Método de corte e costura sem mestre Toutemode ( clicar com o mouse lado di...
Método de corte e costura sem mestre   Toutemode ( clicar com o mouse lado di...Método de corte e costura sem mestre   Toutemode ( clicar com o mouse lado di...
Método de corte e costura sem mestre Toutemode ( clicar com o mouse lado di...Beatriz Esteves
 
Tcc modelagem plana utilização em saia godê
Tcc   modelagem plana utilização em saia godêTcc   modelagem plana utilização em saia godê
Tcc modelagem plana utilização em saia godêVanessa Martins
 
Materiais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil IIIMateriais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil IIIFernanda
 

Mais procurados (20)

Segmentação do Mercado de Vestuário - Moda
Segmentação do Mercado de Vestuário - ModaSegmentação do Mercado de Vestuário - Moda
Segmentação do Mercado de Vestuário - Moda
 
Briefing de Coleção
Briefing de ColeçãoBriefing de Coleção
Briefing de Coleção
 
Desenho Técnico do Vestuário - IFSC
Desenho Técnico  do  Vestuário - IFSCDesenho Técnico  do  Vestuário - IFSC
Desenho Técnico do Vestuário - IFSC
 
Desenho tecnico moda (desenho)
Desenho tecnico moda (desenho)Desenho tecnico moda (desenho)
Desenho tecnico moda (desenho)
 
Senai modelagem fem.
Senai modelagem fem.Senai modelagem fem.
Senai modelagem fem.
 
Ciclo da Moda
Ciclo da ModaCiclo da Moda
Ciclo da Moda
 
Workshop desenho de moda emone peccini
Workshop desenho de moda emone pecciniWorkshop desenho de moda emone peccini
Workshop desenho de moda emone peccini
 
Apostila modelagem básica feminina
Apostila modelagem básica femininaApostila modelagem básica feminina
Apostila modelagem básica feminina
 
bina abling
bina ablingbina abling
bina abling
 
A MODA-VESTUÁRIO FEMININA SEM PADRÕES DE MEDIDAS
A MODA-VESTUÁRIO FEMININA SEM PADRÕES DE MEDIDAS A MODA-VESTUÁRIO FEMININA SEM PADRÕES DE MEDIDAS
A MODA-VESTUÁRIO FEMININA SEM PADRÕES DE MEDIDAS
 
A influência histórica do vestuário na modelagem
A influência histórica do vestuário na modelagemA influência histórica do vestuário na modelagem
A influência histórica do vestuário na modelagem
 
01 modelagem-tecnologia-de-costura-e-modelagem-i-121212192016-phpapp01
01 modelagem-tecnologia-de-costura-e-modelagem-i-121212192016-phpapp0101 modelagem-tecnologia-de-costura-e-modelagem-i-121212192016-phpapp01
01 modelagem-tecnologia-de-costura-e-modelagem-i-121212192016-phpapp01
 
Máquina reta industrial lista de materiais
Máquina reta industrial   lista de materiaisMáquina reta industrial   lista de materiais
Máquina reta industrial lista de materiais
 
Aulas de desenvolvimento de coleção
Aulas de desenvolvimento de coleçãoAulas de desenvolvimento de coleção
Aulas de desenvolvimento de coleção
 
Apostila de costura
Apostila de costuraApostila de costura
Apostila de costura
 
Apostila completa modelagem
Apostila completa modelagemApostila completa modelagem
Apostila completa modelagem
 
Calças fem
Calças femCalças fem
Calças fem
 
Método de corte e costura sem mestre Toutemode ( clicar com o mouse lado di...
Método de corte e costura sem mestre   Toutemode ( clicar com o mouse lado di...Método de corte e costura sem mestre   Toutemode ( clicar com o mouse lado di...
Método de corte e costura sem mestre Toutemode ( clicar com o mouse lado di...
 
Tcc modelagem plana utilização em saia godê
Tcc   modelagem plana utilização em saia godêTcc   modelagem plana utilização em saia godê
Tcc modelagem plana utilização em saia godê
 
Materiais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil IIIMateriais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil III
 

Semelhante a Apostila Design de Moda

Semelhante a Apostila Design de Moda (20)

Ew15 design
Ew15 designEw15 design
Ew15 design
 
Manual de Redação
Manual de RedaçãoManual de Redação
Manual de Redação
 
Manual Secom
Manual SecomManual Secom
Manual Secom
 
Publique seu livro
Publique seu livroPublique seu livro
Publique seu livro
 
100 Ferramentas de coaching01.pdf
100 Ferramentas de coaching01.pdf100 Ferramentas de coaching01.pdf
100 Ferramentas de coaching01.pdf
 
Torraca; diego autorretrato surrealista
Torraca; diego   autorretrato surrealistaTorraca; diego   autorretrato surrealista
Torraca; diego autorretrato surrealista
 
ANDRE_UFPR_TCC.pdf
ANDRE_UFPR_TCC.pdfANDRE_UFPR_TCC.pdf
ANDRE_UFPR_TCC.pdf
 
Monitor recreacao
Monitor recreacaoMonitor recreacao
Monitor recreacao
 
Manual de especialidades_completo
Manual de especialidades_completoManual de especialidades_completo
Manual de especialidades_completo
 
Manual redacao câmara dos deputados
Manual redacao câmara dos deputadosManual redacao câmara dos deputados
Manual redacao câmara dos deputados
 
Curso de teclado completo
Curso de teclado completoCurso de teclado completo
Curso de teclado completo
 
Curso deteclado 33620_por
Curso deteclado 33620_porCurso deteclado 33620_por
Curso deteclado 33620_por
 
Apostila curso-teclado
Apostila curso-tecladoApostila curso-teclado
Apostila curso-teclado
 
Amg fichas lp_mat-2
Amg fichas lp_mat-2Amg fichas lp_mat-2
Amg fichas lp_mat-2
 
Amg fichas lp e mat
Amg fichas lp e matAmg fichas lp e mat
Amg fichas lp e mat
 
Grafoes-cap1e2.pdf
Grafoes-cap1e2.pdfGrafoes-cap1e2.pdf
Grafoes-cap1e2.pdf
 
Desenho técnico/desenho de moda
Desenho técnico/desenho de modaDesenho técnico/desenho de moda
Desenho técnico/desenho de moda
 
Tutoriais photoshop
Tutoriais photoshopTutoriais photoshop
Tutoriais photoshop
 
Manual do-bixo-2015
Manual do-bixo-2015Manual do-bixo-2015
Manual do-bixo-2015
 
Flash cs4
Flash cs4Flash cs4
Flash cs4
 

Apostila Design de Moda

  • 1.
  • 4. Desenho de Moda Tradução da Quinta Edição Americana Bina Abling Volume 1 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 22/08/11 18:39 Page 3
  • 5. Rua Pedroso Alvarenga, 1245, 4º andar 04531-012 – São Paulo – SP – Brasil Tel 55 11 3078-5366 contato@blucher.com.br www.blucher.com.br Segundo Novo Acordo Ortográfico, conforme 5. ed. do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, Academia Brasileira de Letras, março de 2009. É proibida a reprodução total ou parcial por quaisquer meios, sem autorização escrita da Editora. Todos os direitos reservados pela Editora Edgard Blücher Ltda. FICHA CATALOGRÁFICA Abling, Bina Desenho de moda, volume 1 / Bina Abling; [traduzido por Maria Izabel Branco Ribeiro]. – São Paulo: Blucher, 2011. Título original: Fashion Sketchbook. 5a ed. norte-americana. ISBN 978-85-212-0616-3 1. Desenho de moda 2. Design 3. Moda I. Título. 11-08644 CDD-646.4 Índices para catálogo sistemático: 1. Desenho de moda: Tecnologia 646.4 2. Design e moda: Tecnologia 646.4 Fashion Sketchbook © 2007 by Fairchild Books, a division of Condé Nast Publications, Inc. All rights reserved. Publicado por acordo com a editora original, Fairchild Books, uma divisão da Condé Nast Publications, Inc. Desenho de Moda Tradução para a língua portuguesa © 2011 Editora Edgard Blücher Ltda. 1ª reimpressão – 2013 Maria Izabel Branco Ribeiro – Tradutora p.iv_Bina.indd ivp.iv_Bina.indd iv 18/01/2013 20:05:3018/01/2013 20:05:30
  • 6. Desenho de Moda Conteúdo Volume 1 Conteúdo Expandido...................................................................................................... vii Prefácio........................................................................................................................... xi Introdução ...................................................................................................................... xii Sugestões de ferramentas e equipamento ........................................................................ xv Capítulo 1 Proporções da figura humana em desenho de moda............................................................................ 1 Capítulo 2 Formas básicas da figura humana................................................................................................................... 45 Capítulo 3 Desenhando o modelo............................................................................................................................................ 71 Capítulo 4 Cabeças em desenho de Moda.......................................................................................................................... 97 Capítulo 5 Desenhando homens ............................................................................................................................................... 121 Capítulo 6 Desenhando crianças .............................................................................................................................................. 165 Capítulo 7 Trajes e detalhes de trajes .................................................................................................................................... 195 Volume 2 Capítulo 8 Acessórios...................................................................................................................................................................... 239 Capítulo 9 Técnicas básicas de representação................................................................................................................... 271 Capítulo 10 Representação com cor.......................................................................................................................................... 301 Capítulo 11 Desenhando tricôs.................................................................................................................................................... 327 Capítulo 12 O traçado do designer e a ilustração de moda ........................................................................................ 355 Capítulo 13 Desenhos planos e specs ....................................................................................................................................... 385 Capítulo 14 Layout ............................................................................................................................................................................. 429 Apêndice ........................................................................................................................................................................ 449 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page v
  • 8. Volume 1 Prefácio ............................................................ xi Introdução........................................................ xii Sugestões de ferramentas e equipamento......... xv Capítulo 1 Proporções da figura humana em desenho de moda Introdução........................................................ 1 Aprendendo a figura básica ............................. 2 Linhas de orientação........................................ 4 O alongamento de moda e a figura ................. 6 Interpretando a anatomia ................................ 8 Mapa da figura humana .................................. 10 Definição do tronco superior........................... 12 Definição do tronco inferior ............................ 16 Definição do tronco......................................... 17 Dinâmica de pose do tronco............................ 20 Desenhando a figura humana à mão livre....... 22 Esboço rápido: passo a passo .......................... 24 Esboço rápido.................................................. 26 Criando a figura de perfil ................................ 28 A figura de perfil.............................................. 29 A pose de perfil................................................ 30 Encontrando equilíbrio e movimento .............. 32 Usando uma linha de equilíbrio....................... 34 A importância do eixo frontal ......................... 36 Vistas posteriores ............................................. 38 A figura “mais cheia” ...................................... 40 Figuras de moda para gestantes ...................... 42 Resumo/Tarefas................................................ 44 Capítulo 2 Formas básicas da figura humana Introdução........................................................ 45 Desenhando pernas: estrutura e forma ............ 46 Posando pernas................................................ 48 Escorço: pernas ................................................ 50 Desenhando pés ............................................... 52 Posando pés ..................................................... 56 Desenhando braços: estrutura e forma ............ 58 Escorço: braços ................................................ 60 Algumas sugestões ........................................... 64 Desenhando mãos: estrutura e forma .............. 66 Resumo/ Tarefas............................................... 70 Capítulo 3 Desenhando o modelo Introdução........................................................ 71 Componentes de gestos.................................... 72 Tronco.............................................................. 76 Ângulos............................................................ 80 Linha de equilíbrio........................................... 84 Perna de apoio e linha de equilíbrio ................ 88 Os braços......................................................... 92 Resumo/Tarefas................................................ 96 Capítulo 4 Cabeças em desenho de Moda Introdução........................................................ 97 Desenhando cabeças ........................................ 98 Desenhando a vista frontal da cabeça.............. 100 Desenhando a vista de três quartos da cabeça....... 102 Desenhando a cabeça de perfil......................... 104 Desenhando os elementos do rosto.................. 106 A técnica do diamante ..................................... 110 Posando a cabeça............................................. 112 Variedade de estilos para rostos e cabelos ....... 114 Desenhando o cabelo....................................... 116 Desenhando penteados .................................... 118 Resumo/Tarefas................................................ 120 Desenho de Moda Conteúdo Expandido 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page vii
  • 9. viii Desenho de Moda Capítulo 5 Desenhando homens Introdução........................................................ 121 Desenhando a figura masculina....................... 122 A figura masculina básica................................ 124 Comparando gestos masculinos e femininos .................................................... 126 Trabalhando com gestos .................................. 128 Proporções da figura para trajes masculinos.......... 130 Desenhando pernas de homens........................ 132 Desenhando braços e mãos de homens............ 134 Desenhando cabeças de homens ...................... 136 Desenhando cabelos de homens....................... 138 Vestindo a figura masculina............................. 140 Calças masculinas ............................................ 144 Partes superiores de trajes masculinos ........... 146 Desenhando um terno..................................... 148 Desenho clássico para traje masculino............. 150 Croquis para trajes masculinos........................ 152 Artistas convidados: Josh Prim ......................................................... 154 Catie Donhauser .............................................. 156 Sasha Flowers................................................... 158 Ilustrações antigas de trajes masculinos: 1900 – 1930................................................ 162 Resumo/Tarefas................................................ 164 Capítulo 6 Desenhando crianças Introdução........................................................ 165 Grupos etários ................................................ 166 Bebês................................................................ 168 Crianças de 2 a 4 anos..................................... 170 Crianças pequenas ........................................... 171 Crianças .......................................................... 172 Menino pré-adolescente................................... 173 De pré-adolescente a adolescente..................... 174 Desenhando cabeças de crianças...................... 176 Penteados para crianças................................... 178 Desenhando braços e mãos de crianças........... 180 Desenhando pernas e pés de crianças .............. 182 Croquis de crianças.......................................... 184 Estilizando crianças.......................................... 186 Artistas convidados Janet Kim......................................................... 188 Eri Mikami....................................................... 190 Antigas ilustrações de roupas infantis: de 1920 a 1930 ........................................... 192 Resumo/ Tarefas............................................... 194 Capítulo 7 Trajes e detalhes de trajes Introdução........................................................ 195 Perspectiva para moda..................................... 196 Desenhando saias............................................. 198 Desenhando saias godês e franzidas................. 200 Desenhado pregas ............................................ 202 Desenhando calças........................................... 204 Desenhando decotes e golas............................. 208 Desenhando mangas ........................................ 210 Desenhando uma blusa.................................... 212 Desenhando um blazer..................................... 214 Desenhando uma jaqueta................................. 216 Desenhando sobretudos................................... 218 Desenhando acolchoados................................. 220 Desenhando pele falsa...................................... 221 Desenhando babados....................................... 222 Desenhando cascatas........................................ 224 Desenhando ponto smock e franzidos em série ....................................................... 226 Desenhando drapejados................................... 227 Proporções da noiva ........................................ 228 Poses para noivas............................................. 230 Looks para noivas ........................................... 232 Caudas de vestidos de noiva............................ 234 Detalhes de drapejados .................................... 236 Resumo/Tarefas................................................ 238 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page viii
  • 10. Conteúdo expandido ix Volume 2 Capítulo 8 Acessórios Introdução........................................................ 239 Joalheria........................................................... 240 Desenho de cabeças para joalheria .................. 242 Desenhos de mãos e pés para joalheria............ 244 Óculos de sol ................................................... 246 Desenhando chapéus masculinos..................... 248 Desenhando chapéus femininos ....................... 250 Cintos............................................................... 252 Bolsas............................................................... 254 Desenho de artigos para pés ............................ 256 Saltos altos....................................................... 258 Desenhando calçados femininos ...................... 260 Calçados esportivos ......................................... 262 Artistas convidados LaToya Leflore................................................. 264 Jason Buchanon ............................................... 266 Clara Yoo......................................................... 268 Resumo/Tarefas................................................ 270 Capítulo 9 Técnicas básicas de representação Introdução........................................................ 271 Listras ............................................................. 272 Quadrados, xadrezes e padrões escoceses........ 274 Padrões............................................................. 276 Reduzindo uma estampa.................................. 278 Representando um tecido................................. 280 Representação do tecido .................................. 282 Tecidos pesados................................................ 284 Traço de caneta e marcador colorido .............. 286 Representação integral em preto...................... 288 Sombreado....................................................... 290 Luzes ou sombras............................................. 292 Sombreando a figura........................................ 294 Sombreado expressivo ..................................... 296 Tecidos transparentes....................................... 297 Artistas convidados Jodie Lau.......................................................... 298 Resumo/ Tarefas............................................... 300 Capítulo 10 Representação com cor Introdução........................................................ 301 Representação de cor de pele com marcadores.................................................. 302 Representação de trajes masculinos com marcadores ......................................... 304 Representação de roupas de crianças com marcadores .............................................. 306 Guache............................................................. 308 Misturando cores para aquarela...................... 310 Representação de tecidos em aquarela............. 312 Desafios da cor em desenho de moda ............. 316 Yves Saint Laurent ........................................... 317 Emilio Pucci ..................................................... 318 Carolina Herrera.............................................. 318 Rudi Gernreich ................................................ 319 Geoffrey Beene................................................. 320 James Galanos ................................................. 321 André Courrèges.............................................. 322 Arnold Scaasi ................................................... 323 Representação do cabelo.................................. 324 Resumo/Tarefas................................................ 326 Capítulo 11 Desenhando tricôs Introdução........................................................ 327 Tricô essencial ................................................. 328 Desenhando tricôs............................................ 330 Tricôs como desenhos planos ......................... 332 Poses e representações parciais ........................ 334 Pontos básicos de tricô..................................... 336 Padrões repetidos............................................. 338 Cordas e combinações ..................................... 340 Imitando padrões de tricotados ....................... 342 Tratamento de superfícies em tricô.................. 344 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page ix
  • 11. x Desenho de Moda Artistas convidados Saida Mouradova............................................. 346 Christina Kwon................................................ 350 Resumo/ Tarefas............................................... 354 Capítulo 12 O traçado do designer e a ilustração de moda Introdução........................................................ 355 Combinando poses para looks de moda.......... 356 Atitudes em poses ............................................ 358 Atitudes e contradições.................................... 360 Ilustrador X designer ...................................... 362 Ver X sentir...................................................... 364 Exagero X informação..................................... 366 Estilização de projetos...................................... 368 Ênfase do design .............................................. 370 Direção de design............................................. 372 Artistas convidados Joo Young Kang............................................... 374 Jodie Lau.......................................................... 376 Anthony Manfredonia ..................................... 380 Ilustrações antigas para roupas femininas ....... 382 Resumo/ Tarefas............................................... 384 Capítulo 13 Desenhos planos e specs Introdução........................................................ 385 Padrões de figura para desenhos planos ......... 386 Partes de cima de vestimentas Modelos para blusas e vestidos ................... 388 Partes de baixo Modelos para saias e calças......................... 390 Estrutura para planos ...................................... 392 Entendendo planos........................................... 394 Planos de trajes de banho e roupas íntimas......... 396 Planos de vestidos e vestidos para noite........... 398 Planos de roupas femininas exteriores............. 400 Apresentação ou portfólio dos planos ............ 402 Croquis combinados com planos..................... 404 Planos de trajes masculinos.............................. 406 Planos de calças masculinas............................. 408 Planos de calças ............................................... 409 Planos de camisas, jaquetas e blazers masculinos................................................... 410 Planos de crianças............................................ 412 Specs ............................................................... 414 Medindo e detalhando para um spec............... 416 Analisando uma roupa..................................... 418 Planos e specs................................................... 420 Artistas convidados Catie Donhauser .............................................. 422 Jodie Lau.......................................................... 424 Resumo/ Tarefas............................................... 428 Capítulo 14 Layout Introdução........................................................ 429 Composição para layout.................................. 430 Figuras e acessórios.......................................... 432 Espaço e formas em um layout........................ 434 Agrupando figuras ........................................... 436 Escolhas de layout .......................................... 438 Layout espontâneo........................................... 440 Artistas convidados Elizabeth Kennedy ........................................... 442 Christina Kwon................................................ 446 Resumo/ Tarefas............................................... 448 Apêndice Introdução........................................................ 449 Dicionário de desenho ..................................... 450 Alguns problemas ........................................... 478 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page x
  • 12. Agradecimentos Estou feliz em agradecer à equipe criativa de Fairchild Books pelo seu tempo e seus talentos. Agradecimento especialmente às editoras Olga Kontzias, Beth Cohen e Jessica Rozler por suas contribuições para este projeto. Agradeço a Merle Thomason por sua ajuda na pesquisa de antigas ilustrações de roupas masculinas, femininas e infantis. Pela inspiração, eu agradeço aos meus alunos e aos modelos de sala de aula Danuta, Shaunna e Ignacio. Novamente, agradeço aos mo- delos do Capítulo 3, Charmaine e Dovanna. Agra- deço ao fotógrafo Michael Legrand, por seu belo trabalho no Capítulo 3. Agradeço também a Felicia DaCosta por suas ideias, sugestões e suas belas amostras de tricô. Sou muito grata a Joseph Pescatore pelas preciosas amos- tras de musselina com que presenteou este livro. Ele também foi generoso ao nos dedicar seu tempo e talento ao fotografar os projetos do Capítulo 10. Agradeço ao Nassau Community College de Garden City, Nova York, por compartilhar seus recursos de aula, seus arquivos de vestimentas e por seu apoio a este projeto. Foi um prazer trabalhar com o fotógra- fo de moda Stephen Sullivan, ter a excelência de seu trabalho nas fotos das peças de designers e das amos- tras de tecido deste livro. Obrigada a Fred Gross pelas fotografias maravilhosas dos detalhes das peças em tricô. Obrigada também a Debra Kanter, por sua correção e tratamento do texto. Também estou honrada pela introdução escri- ta por Tim Gunn e pela de Anthony Manfredonia, agradeço a eles por dividirem seus pensamentos e seu comprometimento com a educação dos estu- dantes de design. Bina Abling A quinta edição do Design de moda tem um novo foco, incorporando referências fotográficas em capítulos específicos coordenados com instru- ções em desenho. O objetivo é integrar as instru- ções apresentadas neste livro com suas outras atividades para aulas como modelagem, tricô ou história da moda, fazendo desta edição uma base mais sólida para os objetivos de sua profissão, adi- cionando mais subsídios técnicos e visuais. Os capítulos sobre projetos para tricô (v. 2) e para detalhes para vestuário (v. 1) agora incluem fotografias de amostras tricotadas e de pedaços de tecido para refe- rência. O capítulo sobre características das cores (v. 2) agora traz tanto fotografias de desenhos têxteis do sécu- lo XX como os processos técnicos para ilustrá-los. Os capítulos sobre desenho da figura humana (v. 1) estão expandidos com formas de tendência alongada, incluindo imagens do período de gestação e looks para noivas. O capítulo sobre cabeças em desenho de moda (v. 1) agora inclui métodos mais detalhados. Os capítu- los sobre trajes masculinos e trajes infantis (v. 1), ambos atualizados para os padrões da indústria, contêm novas opções de estilo e tamanho. O capítulo sobre modelagem plana e specs (v. 2) foi revisado para for- necer maior precisão. Tenho especial orgulho do único apêndice do livro (v. 2), totalmente refeito, para conter mais de 500 peças de vestuário e acessó- rios como referência para a nomenclatura de moda. O que pode ser mais agradável que desenhar? Quanto mais sei a respeito, mais quero desenhar. Há muito tempo que desenho; desde que me lembro, eu desenho e, por cerca de 25 anos, o faço profissional- mente. Tenho ensinado por quase o mesmo tempo e ainda amo as carreiras que escolhi. Não posso me ima- ginar entediada com meu trabalho. Desenhar para mim é tão importante quanto respirar – é vital para o meu ser. Sinceramente espero que você sinta da mesma forma. Desenho de Moda Prefácio 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xi
  • 14. Éuma honra apresentar o Desenho de moda de Bina Abling. É um excelente trabalho de uma excelente artista e designer. Ex-aluna da Parsons School of Design, Bina continua a conquistar reali- zações extraordinárias. Desenho de moda é uma fonte inestimável para qualquer artista, ilustrador ou designer, mas é de particular valor para estudantes de design de moda. O Desenho de moda é a referência e ferra- menta de aprendizado mais atualizada de sua área, sendo representativa do currículo do curso da Parsons. Utilizei as edições anteriores no Departamento de Desenho de moda e posso falar com conhecimento de causa sobre o poder do livro em desmistificar o gênero para o novato, em ajudar o estudante aplicado e em ampliar as con- quistas do profissional. Você verá que Desenho de moda é organiza- do racionalmente e seu conteúdo apresentado de modo lógico. Até onde sei, é o único livro de ilus- tração de moda que incorpora estrutura vertical de design de moda e sequência de apresentação de tipos: desde os primeiros esboços ao desenho de ilustração, de planos a specs técnicos. O livro não diz o que projetar. Entretanto, é uma refe- rência de como traduzir as imagens de seu cére- bro para o papel. Todos os tópicos – mesmo silhuetas, têxteis e tratamento de tecidos – são cuidadosamente abordados, como acontece no mercado de moda. Por meio de sua abordagem prática ao dese- nho, feita a partir de diagramas, você achará o método e as técnicas de Bina fáceis de seguir e sin- tetizar. E você tem a garantia de que não receberá carga excessiva de métodos avançados ou técnicas intimidantes. Preciso também afirmar que em nosso universo regido pela tecnologia, o Desenho de moda enfatiza que a mão pode ainda chegar onde o computador não alcança. Bina Abling e eu compartilhamos uma paixão – educar futuros designers, imprimindo-lhes uma miríade de opções profissionais e mais ainda, mer- gulhando-os no mundo real. Desenho de moda é uma ferramenta inestimável para quem procura orientação para expressão artística, mas é um recurso essencial para o designer de moda e/ou ilustrador iniciante. A tradução da criação do designer para o papel é o cerne de Desenho de moda. É essencial que a visão do que cria seja clara e bem articulada, porque as roupas não existem exceto na mente do designer. Eis o fundamento lógico para este livro. Qualquer ajuda ou técnica que seja de auxílio para artistas e designers será legítima se os capacitar a retratar, com sucesso, as imagens que estão em suas mentes. O que conta é o resultado final, não os estratagemas ou métodos empregados para atingi-los. Na Parsons, frequentemente invocamos um mote: “Trabalhe duro, mas com inteligência!” O Desenho de moda de Bina Abling personifica perfeitamente esta frase. Por fim, desfrute do processo de aprender e seja paciente. Como aprender a tocar um instru- mento musical ou a praticar um esporte, desenhar leva tempo e demanda prática. Não há substituto para ambos. Bina sempre encoraja estudantes a relaxar e a apreciar seu trabalho. Como ela diz: “Afinal, o que poderia ser mais divertido do que desenhar?” Ela está certa! Timothy M. Gunn Diretor do Departamento de Design de Moda Parsons School of Design, New York, NY Desenho de Moda Introdução 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xiii
  • 15. xiv Desenho de Moda Aarte da moda encontra-se não só na textura dos tecidos ou no modelado e no movimento da roupa de um modelo caminhando sobre uma pas- sarela. A moda começa em um pedaço de papel, em um caderno de anotações, em um guardanapo de papel, em um “Post-it” ou apenas sobre qual- quer coisa que se tenha à mão no momento. Você ficaria surpreso com o que poderia ser usado para motivar sua inspiração. Não importa a forma que sua tela assuma, você deve dominar um grau míni- mo de maestria técnica de desenho para alcançar seu resultado final: a perfeição do desenho da forma humana. Nunca estive ciente do quanto o design de moda significava para mim, até que me inscrevi no High School Summer Program da Parsons School of Design, tendo Bina Abling como uma de minhas pro- fessoras. Esse programa de verão foi minha primeira incursão no mundo da moda. Bina nos ensinou a não temer a folha em branco e a não ter medo de errar. Como artista, é necessário usar sentimento para evocar um desenho e encontrar seu senso de “linha” e “espaço”, isto é, seu modo de desenhar. Alguns artistas desenham com pinceladas curtas de efeito, outros com linha mais angulares ou com uma longa linha contínua, outros ainda, com uma audaciosa mão pesada. Lembre, esse processo é sobre encontrar seu próprio estilo – o que Bina sempre me ensinou. São duas as aplicações dos desenhos: há os dese- nhos planos técnicos, que são projetos para a indús- tria, e os desenhos de moda, que evocam sentimento e movimento da criação. Ambos precisam comuni- car a mesma informação, apenas de modo ligeira- mente diferente. É importante para um designer ser capaz de comunicar adequadamente os ajustamen- tos de detalhes e construções. Se você não quiser estar presente para mostrar os desenhos para sua presumida audiência, seus projetos devem ser capa- zes de falar por si mesmos e responderem as questões que lhes forem colocadas. Em Desenho de moda há um bem solucionado guia para todas as representa- ções bidimensionais da indústria de design de moda e as ferramentas para criá-las. A intenção do Desenho de moda não é ensiná- -lo a replicar os desenhos de outros, mas a desen- volver o básico, com o qual você poderá desenvol- ver seu próprio estilo. Eu incorporei as lições desse livro e as instruções de Bina desde o tempo em que me formei na Parsons School e os venho utilizan- do por todos esses meus anos de trabalho na indústria da moda. Eu me refiro a esses mesmos conceitos quando oriento meus próprios alunos, como professor na Parsons School. Todavia, eu sempre os lembro para não copiar, mas para adap- tar as orientações de acordo com a abordagem dada ao desenho de moda. Encorajo meus alunos e assistentes a nunca usarem os modelos para desenho de moda. Digo que, ao usá-los, seu senso de figura e estilo pessoal de desenho nunca será desenvolvido. De fato, para ajudar meus alunos a superar seu medo de desenhar e errar (a concepção errônea da perfei- ção) eu os faço usar caneta em vez de lápis em seus cadernos de desenho. Isso lhes dá liberdade para desenhar sem os limites da perfeição. Se você errar, mexa-se ou desenhe em cima. Eu não consi- go destacar suficientemente a importância do caderno de desenho. Um caderno benfeito irá mostrar a linha de pensamento, do conceito até a finalização. O caderno de croquis é um dos aspec- tos mais analisados da indústria da moda. Hoje, muita ênfase é dada ao velho e bem-acabado port- fólio, e o processo é pouco considerado. Os esbo- ços e os desenhos acabados deveriam ter o mesmo peso e deveriam se relacionar. De fato, meu cader- no de croquis tem sido um fator decisivo para eu ter conseguido alcançar marcos no decorrer de minha carreira. Desenhos enfatizam pequenos detalhes, tanto os rápidos quanto aqueles bem delineados, e sem- pre são consistentes quanto ao estilo. Assim, como sou conhecido como designer, também sou como desenhista e ilustrador de moda. Graças à orienta- ção de Bina e a este livro aprimorei a técnica do desenho e conquistei uma posição no mundo da Alta Costura. Que este livro seja um recurso pre- cioso para você e para sua carreira, como foi para mim e para a minha. Anthony Manfredonia, Designer-Chefe Isaac Mizrahi Haute Couture 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xiv
  • 16. rísticas particulares. Alguns são mais transpa- rentes que outros e também podem variar em espessura. Poucas variedades têm superfície razoavelmente lisa e podem suportar todos os meios, outros, de qualidade inferior, não supor- tam uso tão extenso. A maioria deles é usada como proteção para seu trabalho, ou em testes preliminares para planejamento conceitual do trabalho. Esse tipo de papel tem uso limitado; sua grande vantagem é ser translúcido em vários graus. É bom para correções e útil para cobrir o desenho (como overlay). Grafite/lápis Os lápis grafite parecem lápis comuns de escrever, recobertos de madeira. O grau de dureza varia de 6H, o mais duro, a 6B, o mais macio. Você preci- sará testar essas minas para verificar o quanto as Hs são mais duras e claras e os Bs são mais macias e escuras. Todas essas minas são delicadas. Se você derrubá-las, o grafite dentro da madeira pode que- brar e você terá dificuldade quando for apontar seu lápis, que sempre terá a ponta quebrada. Também há lapiseiras. São suportes que prendem as minas de grafite, que são compradas separada- mente. Essas minas para lapiseira também são designadas pela classificação que vai do 6H (mais claro) até o 6B (mais escuro). Sugestões de ferramentas e equipamento Papel A variedade de papeis é, ao mesmo tempo, maravilho- sa e assustadora. Você deve ler as informações das embalagens cuidadosamente para encontrar o tipo de papel mais adequado. Os papéis mais usados para desenho, vêm com dois tipos de superfície: papel velino (vellum), levemente áspero; e o liso. Eles têm compor- tamentos diferentes, então devem ser testados para verificar qual apresenta melhor desempenho para os objetivos desejados. O papel liso pode ser o mais indi- cado para desenhos rápidos e é excelente para trabalho com caneta. O papel áspero requer trabalho mais lento e sua superfície é adequada para lápis. Os papéis para trabalho têm vários graus de transparência, brancura e condição de uso. É necessário testar ao menos duas marcas diferentes de papéis e então experimentar faixas de teste nelas. Sempre use a parte de cima ou da frente do papel, porque o comportamento do verso é diferen- te. Papel para aquarela vem em blocos ou folhas avul- sas. Para uso em desenho de moda, papel para aquarela com superfície levemente granulada, ao contrário da superfície áspera, produz resultados melhores. Papeis ásperos são muito absorventes e exigem muita habili- dade para serem pintados. Papel para cópia Como acontece em relação a outros papéis, cada fabricante produz papéis para cópia com caracte- 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xv
  • 17. xvi Desenho de Moda Lápis de cor Você precisará de três tipos de lápis: 1. com mina dura; 2. com mina macia; 3. aquarelado. Quanto mais grossa a mina, mais macio e escuro o lápis será. As minas mais duras conferem aos lápis linhas mais nítidas. Há lápis aquarelados com variações entre as duas categorias. Você deve aprender a controlar as técnicas para cada tipo de lápis, porque apresentam resultados muito diferentes. Canetas Canetas apresentam diferentes tipos de pontas. Há finas, chanfradas, largas e médias. Algumas têm pontas de feltro, outras de metal ou de plástico. Algumas são à prova d´água, ou permanentes, quer dizer que não mancham se misturadas com outro material. Seja cético e sempre teste seus materiais. Caneta pincel Há canetas com pontas parecidas com pincéis-. Além do preto, também há coloridas. Teste a cane- ta preta, porque algumas têm um tom avermelha- do, enquanto outras tendem ao acinzentado, em vez do preto puro. Marcadores de ponta de feltro Há diferentes tipos de marcadores. Alguns fabri- cantes usam diferentes elementos químicos que agem como cor. Teste cada um dos marcadores que comprar para assegurar que esteja “úmido” – não seco – e verifique se pode ser usado com outro tipo de marcador. A maioria dos marcadores é compatível. Há novas opções para reposições de tinta, muitos tipos de pontas e vasta gama de cores. Alguns são tóxicos. Lembre-se sempre de tampar o marcador após o uso e deixá-lo fora do alcance de crianças. 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xvi
  • 18. Sugestões de ferramentas e equipamento xvii China Markers O china marker tem a forma de lápis, com um invólucro exterior de papel que deixa a ponta apa- rente. O branco é sempre usado sobre representa- ções de detalhes que, de outro modo, ficariam perdidos nas camadas de tinta. Tintas à base de água Tanto guache como aquarela se dissolvem em água; o guache é opaco enquanto a aquarela é transparente. Essas tintas são usadas para criar aguadas. Experimente ambas para encontrar com qual trabalha melhor. Há uma incrível gama de possibilidades para uso dessas tintas, que variam do intenso para o delicado em uma mesma cor. Pratique misturar a proporção de água em sua tinta vagarosamente de modo a não formar bolhas. Guache e aquarela são muito diferentes. Há outras tintas de cores brilhantes que também podem ser usadas em conjunto com aquarela. Pincéis Há pincéis de vários tamanhos. Sua numeração vai de 0 a 12. Além do tamanho das pontas (que podem ser chatas ou redondas) estão disponíveis em diferentes tipos de pelos ou fibras. Geralmente, os feitos com pelos de animais são melhores, pois duram mais tempo, sem mancharem ou perderem a forma. Encontre um pincel que tenha corpo ou resistência à pressão e que seja adequado para atender às suas necessidades. Quando comprar um bom pincel, sempre o trate bem. Lave cada vez que o usar e deixe-o secar na vertical, sempre apoiado na parte de madeira, ou deitado, de modo que a ponta não se dobre. 5eFMnew-volume 1.qxd:4eFMv4 11/08/11 13:25 Page xvii
  • 22. No Capítulo 1, você estudará todos os passos básicos do desenho da figura de moda, desde o con- ceito inicial, seguindo todo o caminho até a aplicação prática. Para entender esse tipo de desenho de figura, dividiremos em partes, para analisarmos a estrutura (e as indicações das linhas para costura) e as reuniremos. Este livro foi concebido para simplificar o processo de estudar as proporções em moda, assim, você poderá aprender como desenhar a figura segundo seu próprio estilo, e de acordo com os rumos que traçar. Este capítulo ajuda a descobrir uma grande variedade de métodos para desenhar a figura, desde a pose frontal ao perfil, um sistema de grade, pro- cessos de esboço rápido e desenho realista detalhado. Apresentamos uma introdução ao desenho de gestos, que, junto com análises dos desenhos de modelos contidas no Capítulo 3, irão complementar o con- teúdo dos Capítulos 1 e 2. Oenfoque clássico para desenhar a figura huma- na nas belas artes inclui anatomia, isto é, os ossos, os músculos e a forma natural do corpo. Em dese- nho de moda, o enfoque clássico é mimético, mas usualmente evita a forma natural porque o rea- lismo é abreviado pela idealização. Por exemplo, para representar a realidade, o artista desenha a figura com tamanho natural, tronco mais volumo- so e quadris mais largos para mulheres. Inversa- mente, na idealização, o artista desenha a figura feminina com alongamento pouco natural, tronco menos volumoso e quadris também estreitos de- mais para corresponderem à realidade. Esse exage- ro é o que separa o desenho de moda do desenho das artes. O pintor Modigliani é uma das poucas exceções. Suas formas alongadas e delgadas exce- dem quase tudo dos atuais exageros da moda em termos da extensão da figura. Capítulo Um Proporções da figura humana em desenho de moda 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 1
  • 23. 2 Desenho de Moda Aprendendo a figura básica A própria natureza da moda dita que proporções estão sujei- tas a mudar. Com razão, sabemos que essas mudanças não alteram o básico que está ilustrado nas páginas seguintes. O modo mais fácil é dividir a figura em partes e depois reunir essas seções. Há dois modos. Ou separar em três partes ou na metade. Cada uma das três seções ilustradas à direita é igual em tamanho às demais. A primeira seção ilustra o corpo da cabe- ça à cintura; a segunda, da cintura ao joelho; e a última, do joelho ao pé. Alto da cabeça A distância entre a cabeça e a cintura é igual à distância entre os quadris e os joelhos. É igual à distância entre os joelhos e os tornozelos 1/3 1/3 1/3 1/3 1/3 Divida a figura em três partes Cintura Joelhos Tornozelos 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 2
  • 24. Proporções da figura humana 3 Aqui a figura está desenhada em duas seções iguais. A pri- meira metade vai da cabeça ao fim do tronco; a segunda meta- de vai do fim do tronco ao tor- nozelo. (Do tornozelo ao dedo do pé há uma extensão.) Estes métodos de dividir a figura trabalham independen- tes da escala utilizada. Depois que você dominar estes méto- dos, crie sua própria versão, adaptando-as ao seu estilo. Topo da cabeça 1/2 1/2 1/2 Divida a figura ao meio O comprimento do tronco é igual ao comprimento das pernas Fim do tronco Tornozelos 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 3
  • 25. 4 Desenho de Moda Divida mais a figura e observe as relações entre as seções. Cada parte é ligeiramente maior ou menor em comparação à seguinte. Agora, reúna novamente as figuras nas partes naturais. As seções são ainda importantes e você deverá continuar praticando desenhá-las, passo a passo. O objetivo é criar a figura completa – todas as partes devem se completar com facilidade. Pé Cabeça Quadris Tórax Braço Coxa Desenhando em proporções constantes 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 4
  • 26. Proporções da figura humana 5 Lembre que esta não é uma figura real, mas uma figura de moda, que foi alongada para se adaptar a estilos e tendências. 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 5
  • 27. 6 Desenho de Moda Linhas de orientação Como apresentado nestas figuras, há linhas de orientação específicas nas figuras de moda que dividem a forma em seções. Essas linhas de orien- tação servem para dois propósitos. Primeiro, as linhas definem e nomeiam partes da figura de moda que você pode usar como guia para desenhar uma pose específica. Segundo, as linhas imitam vagamente as linhas de costura que podem se encontrar em vestidos ou manequins. Nesse caso, as linhas de orientação podem ajudá-lo a vestir a figura de modo que os detalhes em uma vestimen- ta sejam desenhados adequadamente. 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 6
  • 28. Proporções da figura humana 7 Observe como estas linhas de costura dividem a figura e como cada parte está diretamente relacionada à outra. Os recortes princesa, que são paralelos, que- bram a figura em quatro partes – esquerda frontal e lateral; direita frontal e late- ral. As linhas de costura são sempre necessárias ao se desenhar detalhes. Inclua-as sempre em seu desenho de figura. Base do pescoço Linha do ombro Cava Axila Ápice do busto Curva do busto Eixo frontal (do corpo) Cintura Distância entre as duas cristas ilíacas Recortes princesa Linhas do biquíni (quadril) Fim do tronco Unidades do tronco ou seções Ombro Peito Quadril Depressão do pescoço Pescoço 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 7
  • 29. 8 Desenho de Moda A indústria de moda reconhece a necessidade do mercado por opções que respeitem os tipos de figura das mulheres. Esses tipos têm sido rotulados pelo comércio como “pequeno”, “grande” e por falta de termo melhor, “médio” é a figura média que o mercado identi- ficou com modelo ou com o corpo alongado, idealizado na ilustração de moda. As figuras pequena e grande são desenhadas de modo mais natural, realista. As figuras desta página ilus- tram algumas das diferenças entre os três tipos. O termo “figura real”, como “dese- nhando a partir da vida real”, refere- se ao corpo humano natural. De acordo com os pesos e medidas gerais, a figura real tem, aproximadamente, sete ou oito cabeças de altura. A figu- ra menor, da página ao lado, é apro- ximada da figura real. O alongamento de moda e a figura Pequeno Grande Modelo 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 8
  • 30. Proporções da figura humana 9 Embora o esqueleto e a estrutura muscular sejam essenciais para estudar a figura real, a figura de moda altera a realidade. A figura de moda exagera o corpo humano normal. Para a moda, você estuda a figura de modo idealizado, de acordo com os cânones da moda. A figura alongada nesta página representa como a moda inter- preta o corpo para o estilo. O fato de a figura de moda ser uma abs- tração da realidade não significa uma alte- ração positiva nem negativa. Isso é feito simplesmente para criar um suporte para as roupas de modo que se justifique pelo pro- jeto do detalhamento para moda. Nas duas ilustrações desta página, você verá que cada parte do corpo é seguida por um número entre parênteses. Esses números corres- pondem aproximadamente a quantas cabeças de altura (contadas a partir de cima) está aquela parte do corpo. Por exemplo: cintura (3); a cintura na figura da esquerda está posicionada a três cabe- ças de altura. (Favor notar que, na figura da direita, a cintura está posicionada a 3 ½ de altura porque é uma figura alonga- da de moda.) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 91/2 Figura Real Figura de Moda Queixo (1) Ombro (1 2/3) Cava (2 1/4) Cintura (3 1/2) Fim do tronco (4 ½) Queixo (1) Ombro (1 1/3) Cava (2) Cintura (3) Fim do tronco (4) 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 9
  • 31. 10 Desenho de Moda A anatomia de moda combina métodos de esboço, estudo de figura e desenvolvimento de contorno. Os métodos de esboço o ajudam a dividir o corpo em segmentos de desenho. O estudo da figura permite explorar ossos e músculos para o interior da estrutu- ra da forma humana. O desenvolvimento de contor- no permite a percepção dos limites da figura. Esta página apresenta seis técnicas de desenho para inter- pretar a mesma pose. Pratique cada uma para encon- trar qual é mais adequada a você. Interpretando a anatomia Esqueleto Espiral Gesto Cilindro espiral Cones Músculos 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 10
  • 32. Proporções da figura humana 11 Fim do tronco Fêmur Joelho: patela Fíbula Tíbia Combinar um esqueleto simplificado com uma forma básica é um exercício útil e eficaz. Usando ambos os elementos – estrutura e contorno –você será capaz de sugerir uma pose do interior para o exterior, que dará à figura tanto volume quanto peso. Para dar altura à figura, use “cabeças de altura” (veja páginas 12-15 para o mapa que irá ajudá-lo). Para anatomia normal, a figura pode ter de sete a oito cabeças de altura, como mostrado aqui. O alongamento de moda sempre estende a figura a nove ou dez cabeças de altura. 10 Cabeças de altura Perfil Vista frontal 6 5 1 0 2 4 7 9 8 3 Vértebra cervical Clavícula Esterno Centro invisível das costas Costelas Coluna: Centro invisível das costas Quadris Cava Cintura Rádio Ulna Linha do busto A coluna é o centro das costas Escápula Úmeros Linha de equilíbrio Quadris Torno- zelo 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 11
  • 33. 12 Desenho de Moda Mapa da figura humana Desenhar uma figura pode ser difícil quando você não sabe por onde começar. Localização, pose e proporções podem ser aspectos assustado- res. Usar uma grade para mapear os diferentes elementos elimina o trabalho de adivinhação. A grade tem o propósito de apresentar a figura imóvel, de pé. Com prática, você poderá dese- nhar a figura em movimento e criar mudança de posição nas poses. Depois de ter experiência com o básico – proporções – você poderá trabalhar independentemente da grade, aprendendo a dese- nhar de acordo com seu estilo ou forma. A grade é flexível. Desenhe em qualquer comprimento, combinando subdivisões e você poderá criar figuras para qualquer tamanho de papel. 0 2 4 6 8 10 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 Desenhe uma linha vertical para a altura desejada de sua fi- gura. A seguir, desenhe uma pe- quena linha horizontal em cima e embaixo de sua linha vertical. 2 Divida a linha em cinco par- tes iguais e numere cada linha com números pares de 0 a 10. Essas serão suas partes maiores. 3 Divida cada seção pela metade e numere com números ímpares de 1 a 9. Essas serão suas partes menores. 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 12
  • 34. 4 A grade agora está comple- ta. As seções que você criou são chamadas cabeças de altura. Você está trabalhando em uma figura que terá, aproximada- mente, dez cabeças de compri- mento. 5Desenhe a cabeça no primei- ro espaço. Note que você pode realmente desenhar dez cabeças, exatamente do mesmo tama- nho, nos espaços da grade – daí “dez cabeças de altura”. Veja as proporções. Coloque um ponto no centro da linha, na grade para marcar as proporções. 6Agora que as proporções da figura estão completas, e você tem uma grade de cabeças de altura, precisa determinar as cabeças de largura. Você cria o corpo sistematicamente. Cada parte corresponde à outra em tamanho. Novamente, use o es- paço de uma grade, somente desta vez, desenhe uma cabeça para os lados. Proporções da figura humana 13 1 ½ cabeça de largura ¾ de cabeça de largura 1 ¼ cabeça de largura 1 ¼ cabeça de altura Ombro 3 ¼ cabeças de altura Cintura 4 ¼ cabeças de altura Fim do tronco 6 e ½ cabeças de altura Joelho Nove cabeças de altura Tornozelo Ombro Cintura Fim do tronco 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 13
  • 35. 14 Desenho de Moda Mapa da figura humana 7 Em proporção, as três maiores áreas são relativas às linhas dos ombros, à cintura e à linha do tronco/quadril. As três linhas que indicam essas áreas devem ser desenhadas em tom mais escuro. Com mais fre- quência, usa-se a linha dos om- bros mais larga e a da cintura, mais estreita. Entre os dois comprimentos, está a medida da linha demarcadora do tron- co. É mais larga que a da cin- tura, mas mais estreita que a dos ombros. 8 Preencha o contorno do tronco. 9 Depois que terminar o con- torno do corpo, adicione bra- ços e pernas. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Queixo Ombro Cintura Fim do tronco Joelho 7 8 9 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 14
  • 36. 10 Construa a figura equili- brando da esquerda para a direita. 11 Preencha áreas do tronco. Adicione linhas do busto e das rou- pas íntimas. 12 Comece a arredondar a figura para conseguir aparência mais natural. Depois de se familiarizar com grade de proporções, você será capaz de usá-la para posar a figura à medida que a constrói. O esqueleto e estrutura muscular da forma huma- na real são partes essenciais do desenho de figura porque a forma idealizada tem suas bases na forma real. Além disso, o desenho da figura de moda exagera a verdade e alonga o corpo. A vida da moda daquela figura extralonga, extrama- gra, muda de acordo com o estilo adotado. Esse estilo tem pouca relação com a real figura humana. Proporções da figura humana 15 10 11 12 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 15
  • 37. 16 Desenho de Moda Recorte princesa Uma cava Torção do Uma cava escondida tronco escondida Definição do tronco superior Ápice do busto Linha do busto Linha da cintura Recortes princesa O tronco superior, desenhado mais largo na linha do ombro, afunila em direção à cintura com forma trapezoidal. O centro do seio é o ápice do busto e cai na linha mediana do tórax. As linhas curvas para o arco do seio estão acima e abaixo do ápice da linha do busto. As linhas do recorte princesa correm paralelas ao eixo frontal. Vire e posicione o tronco e as costuras princesa se tornam parte da linha de contorno. A curva da linha do busto pode definir a margem do tórax. Algumas poses torcem todas as linhas de costura através do tronco. Observe como as curvas da cava crescem e diminuem com cada pose. Linha do ombro Cava Linha da cava Centro da fonte do peito 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 16
  • 38. Proporções da figura humana 17 Definição do tronco inferior As curvas do tronco inferior têm continuidade diretamente nas coxas. A linha do biquíni come- ça nas coxas e contorna para dentro da entreper- na no eixo frontal, onde termina o tronco. Os recortes princesa refletem as curvas dos quadris. O cós sobe da cintura, em direção ao peito. As linhas sobre a crista ilíaca são úteis para marcar detalhes das vestimentas. Cintura Eixo frontal Quadris Fim do tronco Coxa Algumas poses podem esconder a entreperna e cortar a extensão da linha do biquíni. A costura prin- cesa pode se tornar uma linha de contorno. Outras poses apoiam o quadril e empurram a coxa adiante, longe do contorno usual. Sempre siga a linha de eixo frontal para dividir o meio das pernas. Linha do biquíni Coxa atrás Coxa à frente Entrepernas oculta Recortes princesa Recorte princesa Cós Crista ilíaca 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 17
  • 39. 18 Desenho de Moda Definição do tronco Alongamento da figura de moda é evidente no com- primento do tronco. O realismo alterado da moda é visto na extensão do tronco quando se enfatiza o contorno do corpo na altura da linha do busto e do quadril. Estes exemplos de tronco oferecem traba- lho prático em formas e curvas do corpo feminino. Comece desenhando seu tronco com o tórax. Olhe as formas que se constituem a partir da caixa das costelas. O tórax apresenta desafios de desenho maiores que os quadris. Os quadris apenas se cur- vam em direção às coxas. Lembre-se de que os troncos das figuras de moda são idealizados. Os tórax e a pélvis são dese- nhados alongados, sujeitos à tendência na definição da beleza da figura, que pode mudar com a estação. Estilisticamente, o tronco é alongado para enfatizar o conteúdo visual ou aumentar o impacto de um elemento de modo naquele look. Ombro Cava Contorno da linha dos seios Ângulos coordenados Estático: Sem ângulo Costelas e linha da cintura Quadris PeitoDimensões interiores Ângulos opostos 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 18
  • 40. Proporções da figura humana 19 Recorte princesa Peito Linha da cintura Quadris Quadril até a linha da cintura Recorte princesa torna-se linha de contorno Centro do corpo Linha do ombro Costura princesa Cava Qualquer que seja o objetivo de seu estilo, você irá necessitar de um desenho bem fundamentado com contornos e proporções identificáveis para o tron- co de sua figura de moda. Parte desse foco da moda é o uso das linhas de costura do tronco como orientação para a dinâmica das poses. Essas linhas ajudam-no a definir a ação em seu desenho, alinhando o interior do tórax e do tronco em conjunto com as linhas de contorno. Tórax Quadris 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 19
  • 41. 20 Desenho de Moda Nas páginas anteriores sobre “Definição do tronco”, você analisou os movimentos do tron- co de um lado a outro. Ações de pose implicam movimentos que vão da esquerda para a direita e vice-versa. Agora você vai analisar movimen- tos de cima (linha do ombro) para baixo (linha dos quadris). Há outro fator a considerar: esti- car e contrair. Contrair traz o tórax e a pélvis contra o centro; o tórax se dobra na cintura (fi- gura A), como se se aproximasse da pélvis. Con- trariamente, a expansão da parte posterior do tronco (figura C) o afasta da pélvis. Em uma pose estática (figura B) há muito pouca ação lateral e vertical. Dinâmica de pose do tronco A A C C Curvatura do tronco Extensão/ alongamento do tronco 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 20
  • 42. Proporções da figura humana 21 CBA Costelas para frente Tronco estático Costelas para trás Topo: tórax Alongamento na linha da cintura Coxa para frente Embaixo: quadril Curva na linha da cintura Coxa para trás 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 21
  • 43. 22 Desenho de Moda 1 2 3 4 3 O eixo frontal irá dividir a linha dos quadris na entreperna, resultando na coxa direita e coxa esquerda. Desenhar primeiro a perna de apoio. 4 Começar a perna estendida. Inicie, então pela virilha em direção à parte interior da coxa. Desenhando a figura humana à mão livre Ângulos Virilha Centro/ frente Linha de equilíbrio Perna de apoio Perna estendida 1 Comece seu desenho com ângulos de ação cru- zando o tronco. Marque a altura e a largura do tronco e coloque na pose. 2 Desça a linha de equilíbrio até o “chão”. Estabeleça a altura da figura. Estabeleça a direção e curva para o eixo frontal da figura. 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 22
  • 44. Proporções da figura humana 23 5 Termine o desenho da perna estendida. Coloque o pé mais abaixo do que o da perna de sustentação. 6 No lado do corpo mais perto de você, desenhe o braço que descansa ou o coloque sobre o tórax. Esse é o lado cheio, logo o ombro estará visível. 7 Desenhe o outro braço atrás do tórax, no lado mais distante da pose. 8 Dê uma definição à forma e aos contornos, fina- lizando a figura com as linhas interiores de costura. 5 6 7 8 Perna estendida Braço atrás do tórax Braço sobre o tórax Linhas interiores de costura 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 23
  • 45. 24 Desenho de Moda 1 Comece seu desenho com linhas de ação em sua pose. Aqueles ângulos de ação dos ombros, cintura e quadris estarão em distâncias propor- cionais uns dos outros. Em seguida, leve uma linha pelo meio dos ângulos de ação de sua pose até o chão. Aquela linha central será seu eixo frontal. 2 Preencha o volume do tórax e dos quadris. Deixe um espaço para uma linha de cintura imagi- nária. Comece uma forma para o pé, assim, sua figura terá um chão. 3 Nesta pose, note que a frente da figura tem um lado próximo e um distante. Isso afeta diretamente o quanto a largura do tórax e do quadril irão ocu- par a área da direita ou da esquerda de seu eixo frontal. O lado mais próximo deverá ser maior do que o mais distante – a parte que mais se afasta do olhar deve ser menor. Em seguida, preencha a área das coxas. 4 Depois de completar as coxas, prolongue a linha de contorno passando pela panturrilha e pros- seguindo até o calcanhar. Depois de completar a primeira perna da pose, faça a segunda, antes de começar os braços. 5 Conecte a segunda perna para esta pose no eixo frontal, no ponto que será o final do tronco nesta figura. Lembre de completar o pé da pri- meira perna. Esboço rápido: passo a passo Centro/ frente Longe Perto Tórax Quadris Coxa Panturrilha Chão 1 2 3 4 5 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 24
  • 46. 6 Quando desenhar a coxa da segunda perna, coloque-a sobre, ou por cima ou à frente da outra perna. Para fazê-lo menos confuso, preencha com lápis, dando continuidade ao mesmo sombreado na coxa da perna que está agora atrás da coxa da segunda perna. Somente parte da coxa coberta será visível na pose. 7 Quando completar a coxa e a panturrilha da segunda perna, localize os braços nesta pose. A partir do tórax, marque o que será a posição mais próxima e mais distante para os braços. O braço do lado mais próximo pode ter a curva do ombro. 8 O braço do lado mais próximo da pose, com a curva do ombro, é o primeiro a ser desenhado. Traga a axila até o tórax. O braço do lado mais dis- tante será parcialmente escondido pelo tórax. O sombreado a lápis na parte superior do braço irá recordá-lo que a coxa também está encoberta. 9 Eis onde você desenha as linhas delgadas da cin- tura, que se comunicam com os quadris. Você pode também adicionar algumas linhas pontilhadas para ajudá-lo a esconder partes dos membros na pose. 10 Para os passos finais do desenho, algumas das linhas estruturais interiores podem ser apaga- das. Em seguida, modele e arredonde o contorno exterior. Note que no passo 9, a parte oculta da coxa foi deslocada da parte da frente para o lado do quadril. Esse é outro passo para dar acabamento nesta pose específica. As mãos são as partes finais do corpo a serem feitas. Proporções da figura humana 25 6 7 8 9 10 Coxa para frente Coxa para trás Braço próximo sobre o tórax Curva do ombro Braço distante atrás do tórax Conexão quadril/ coxa 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 25
  • 47. 26 Desenho de Moda O desenho gestual descreve o movimento. A própria linha gestual é livre e expressiva, que flui por dentro e para fora da figura. Ela cria uma imagem instantânea do corpo presumindo uma pose. As poses gestuais são rápidas, feitas em dois minutos, ou menos, desenha- das a partir de um modelo vivo. Nesse curto período de tempo, o artista deixa uma linha se soltar ao longo da figura desenhada na página. Esse desenho rápido é chamado de gesto. Comece com uma linha livre (um rabisco), usan- do o tamanho de cabeça com o qual você se sente mais confortável. Lembre-se de que nestas páginas as figuras apa- recem separadas, mas na sua será só uma. Quando você desenhar, adicione as partes em uma única figura, até que se pareça com o último exemplo. Esboço rápido Opções em um gesto Direção Ângulos Tronco Pernas Braços Crie uma direção ou movimento em uma pose Ângulos adicionam movimento à pose Linhas de costura dão estrutura ao tronco Perna de suporte mantem o corpo de pé sobre a página 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 26
  • 48. Proporções da figura humana 27 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 27
  • 49. Criando a figura de perfil Coluna Eixo do centro das costas Tórax Cava Costelas Cintura Linha da cintura Pélvis Eixo Quadris Linha da frontal calcinha A vista lateral de uma figura é chamada de vista de perfil. As feições frontais, que estão no centro do corpo, agora determinam a linha de contor- no. Aquelas linhas interiores são desenhadas como curvas exteriores em uma pose de perfil. Em razão do centro frontal e do centro posterior terem se tornado as margens, você pode usar as linhas de costura da lateral (de uma vestimenta), no interior de um tronco, como orientação. Essa linha que dividirá o tronco em frente e costas será o perfil da figura. • Use as costelas e a pélvis como estrutura. • Desenhe linhas sobre a estrutura para sugerir formas. • Conecte as formas com o eixo frontal e o eixo posterior. • Defina o contorno da cintura. Localize a área da cava e da linha da calcinha sobre o quadril. • Preencha a curva da linha do busto para com- pletar o tronco. 28 Desenho de Moda 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 28
  • 50. A figura de perfil vista oculta o ombro mais baixo e o lado mais alto do quadril. Então, para tornar a pose de perfil mais fácil de desenhar, você pode focalizar no eixo para ajudá-lo a colocar a ação no desenho. Os exemplos desta página ilustram três posições básicas para a postura de moda de uma figura de perfil. Quadris retos – note como eles parecem retos em relação aos outros troncos. Quadris para frente – aqui, os quadris estão se moven- do para frente. A parte de baixo do tronco é empur- rada para mais longe que a parte de cima do tronco. Quadris para trás – o último tronco move os quadris para trás em relação ao tórax. A vista de perfil vira a pose de lado. Você está desenhado apenas metade da caixa das costelas e metade da pélvis. Os eixos frontal e posterior se tornarão as linhas de contorno de seu desenho de perfil. As curvas de seu desenho se tornarão mais pronunciadas porque, desse ponto de vista, o tron- co e o quadril são parte de seu contorno exterior da figura de moda. Na pose de perfil, seu desenho inclui a parte frontal e a posterior do corpo. A figura de perfil se move com o eixo frontal do corpo, que dita a maior parte da ação na pose. Frequentemente, é difícil discernir os ângulos para ação em uma pose de perfil porque esse ponto de Proporções da figura humana 29 Quadris Quadris Quadris Quadris Quadris eretos para trás para frente para frente para trás Eixo frontal Eixo frontal Eixo frontal Coluna ou eixo posterior Eixo posterior ou coluna 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 29
  • 51. Desenhe um tronco em pose frontal com a linha de eixo vertical dividindo-o em duas partes. Essas duas partes cortam o tronco pela metade. Agora desenhe o tronco de perfil. Um tronco inteiro de perfil é igual em tamanho à metade de um tronco frontal. A pose de perfil é a pose lateral do corpo, logo, deve-se cortar o volume da pose frontal pela metade. Essa versão mais estreita, a figura de per- fil, ainda tem uma linha de equilíbrio para man- ter a pose na página. Outro método para avaliar a pose de perfil é dividi-la pela metade, costas e frente, pela linha de eixo. As linhas de costura estabilizam a pose e revelam sua dinâmica, criando dois lados separados para estudar e desenhar. Você pode estudar essa linha com o eixo frontal e o eixo posterior ou a coluna para maximizar as linhas de contorno. 30 Desenho de Moda A pose de perfil Figura de perfil Figura de frente Eixo posterior/ coluna da figura de perfil Eixo frontal da figura de frente Eixo frontal da figura de perfil 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 30
  • 52. Proporções da figura humana 31 Ponta do pescoço Eixo frontal Linha de equilíbrio Eixo posterior Eixo posterior Depressão do pescoço 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 31
  • 53. 32 Desenho de Moda A linha de equilíbrio é uma linha que corre perpen- dicular ao solo. Quando suspensa (ou desenhada) contra a figura, irá impedi-la de tombar. Por exem- plo, se os dois pés estiverem virados para a direita ou para a esquerda da linha de equilíbrio, a figura não ficará de pé ereta. As poses aqui mostradas colocam cada pé em um lado diferente da linha de equilíbrio ou colocam um dos pés diretamente na linha de equilíbrio. Todavia, há exceções à regra. Ao se desenhar figuras de moda, todas as regras podem ser que- bradas. A figura é, acima de tudo, uma idealiza- ção do corpo. Nesta página, a segunda pose é uma dessas exceções. A linha do ombro, da cin- tura e os ângulos dos quadris seguem a mesma direção, o que é incomum. Isso acontece porque os joelhos se cruzam. Encontrando equilíbrio e movimento Linha de equilíbrio Chão Depressão do pescoço Ângulos independentes previsíveis Ângulos coordenados não usuais Eixo frontal 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 32
  • 54. Proporções da figura humana 33 Linha de equilíbrio Eixo frontal Chão Perna de apoio Perna estendida Depressão do pescoço 1Aqui a figura está parada e sem posar; não há ângulos. O eixo frontal coincide com a linha de equilíbrio. O peso do corpo cai, levemente, mais sobre uma das pernas, a de apoio. 2A perna que não suporta o peso do corpo, chamada de perna estendida, está livre para se movimentar sem perturbar o equilíbrio da pose. 3Com a perna de apoio ancorando a pose, os braços tam- bém estão livres para se mover no espaço. 1 2 3 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 33
  • 55. 34 Desenho de Moda Graças à linha de equilíbrio, nenhuma dessas poses está flutuando na página Usando uma linha de equilíbrio Resolvendo problemas de poses Há diversos desafios visuais ao desenhar a linha de equilíbrio de uma pose. 1A perna de apoio, com quadril alto, fica des- locada para trás da perna estendida ou relaxada. 2A linha de equilíbrio cai igualmente entre as pernas porque o peso da pose é distribuído igual- mente entre quadris e pernas. 3A perna de apoio, com quadril alto, é empur- rada para frente da perna estendida ou relaxada. A linha de equilíbrio começa na depressão do pescoço Geralmente o peso da pose é apoiado pelo quadril mais alto A linha de equilíbrio mantém a figura de pé, ereta, na página O fim da linha de equilíbrio cai no pé da linha do “chão” da página As duas pernas apoiam a pose A perna estendida está atrás da perna de apoio Perna do quadril alto 1 2 3 A perna estendida ou relaxada não suporta o peso da pose 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:31 Page 34
  • 56. Proporções da figura humana 35 Quadril mais baixo Perna de apoio Perna estendida ou relaxada Pose frontal Pose de perfil Pose de 3/4 A linha de equilíbrio geralmente fica próximo à perna de apoio Ombro mais baixo Fim da linha de equilíbrio Ombro mais baixo Quadril mais alto Ombro mais alto Quadril mais alto Ombro mais baixo Ombro mais alto Ombro mais alto 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 35
  • 57. 36 Desenho de Moda O eixo frontal está no meio do tronco. Além disso, a coluna está no centro das costas, não importando onde ou como é a pose da figura. O eixo frontal se move independente da linha de equilíbrio. O eixo frontal não depende da posi- ção da perna de apoio. O foco principal do eixo frontal de seu desenho é ajudá-lo a mover as cos- telas e a pélvis na pose. Nesta página, o movimento é o mesmo em todas as poses, à medida que a figura se afasta. O eixo está entre os dois recortes princesa, que tam- bém se movem. Os recortes seguem a direção do movimento que o eixo frontal toma. Na página ao lado, quatro poses enfatizam o eixo posterior e o eixo frontal, destacando a perna de apoio em vária possibilidades. Essas poses cha- mam sua atenção para o fluxo da pose através do meio da figura. A dinâmica do fluxo na pose se move do tórax para os quadris. Você descobrirá que o tronco e a perna de apoio precisam do eixo frontal e do posterior para ajudá-lo a conectar os ângulos em todas as poses. A importância do eixo frontal Eixo frontal se move com a pose, acompanhado pelas linhas de costura Movimento Eixo do eixo Eixo Eixo frontal frontal frontal frontal 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 36
  • 58. Proporções da figura humana 37 Vista de costa Vista de Vista Vista de 3/4 posterior 3/4 perfil de perfil com torsão do eixo frontal Eixo Eixo Eixo Eixo Torção do posterior posterior frontal posterior Eixo frontal 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 37
  • 59. 38 Desenho de Moda Vistas posteriores Parte posterior do pescoço Recorte princesa Escápula acima da linha da cava Coluna como eixo posterior oposto ao eixo frontal da cintura Linha posterior da linha dos quadris Fim do tronco – nádegas Curva da coxa Parte posterior do joelho Curva da panturrilha Tendão do tornozelo Estreitamento para dentro do calcanhar A pose vista de costas tem os mesmos ângulos de ação – quadril alto, ombro baixo e linha de equilí- brio – como na vista frontal. Na vista posterior, a coluna se torna o eixo posterior, paralelo aos recor- tes princesa e correndo até o final do tronco. As cur- vas sutis da escápula, logo acima das cavas, nem sempre são desenhadas, entretanto, as curvas das nádegas sempre são. Há só uma sugestão de defini- ção para a parte posterior do joelho e para o tendão de aquiles nos tornozelos. Eixo posterior começa na vértebra ou na linha do pescoço Lado do ombro mais baixo Linha da cintura segue ângulo da linha dos quadris Lado do quadril mais alto Lado da perna de apoio Perna de apoio para esta pose Linha de equilíbrio é puxada a partir do eixo posterior do pescoço 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 38
  • 60. Proporções da figura humana 39 Poses de costas podem ser dramáticas. Se a pose for usada para evidenciar o drama de um traje, ves- tido, ou traje de gala, mantenha a pose posterior simples para focar os detalhes da vestimenta. Essas poses são muito simples até se tornarem quase de perfil, mostrando tanto o lado do corpo quanto as costas. Essas poses são mais difíceis de vestir por causa das costuras laterais, a menos que seja para esse ponto que o foco do traje tenha sido deslocado. Para poses de perfil, a linha de equilíbrio pode começar na orelha Eixo posterior Escápula Curva das nádegas Parte posterior do joelho A linha de equilíbrio começa na orelha e termina no chão ou no pé Eixo osterior segue a coluna no torso posterior 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 39
  • 61. 40 Desenho de Moda A figura “mais cheia” Uma área nova e completa da moda é dedicada à maioria, à mulher “mais cheia”. O que é novo não é o tamanho real, mas a atenção dada pela indústria da moda ao estilo dessa categoria. Surgiram designers e divisões especializadas reconhecendo o potencial desse mercado. Muitas lojas de departamentos chegam a ter andares inteiros dedicados a tais tamanhos. Esse terreno crescen- te da indústria pede sua pró- pria figura de ilustração, que não deverá ser dese- nhadademodo alon- gado como o usual. Essa figura precisa de estilo, atitude e encanto próprios, como qualquer outra ilustração de moda, é dese- nhada de modo mais realista com oito cabeças de altura ou menos, com corpo levemente mais volu- moso e curto. 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 40
  • 62. Proporções da figura humana 41 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 41
  • 63. Pose Bolha Abdômen Abdômen mais alto mais baixo 42 Desenho de Moda Figuras de moda para gestantes 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 42
  • 64. Proporções da figura humana 43 Look gestante Look de moda gestante geralmente focaliza o con- torno máximo da modelo grávida. Essa parte redonda cobre cerca de 2/3 do tronco. Colocando esse volume logo abaixo da linha do busto, pouco acima da linha do biquíni, enfatiza o meio, como uma bolha. Escolhendo a melhor pose para apre- sentar uma grávida, separe esse tronco do look de uma mulher de corpo inteiro da página anterior. Proporções Para qualquer pose ou movimento do corpo em uma pose, mantenha a frontalidade do tronco com o máximo volume. A proporção é de 2/3 do tronco para a “bolha”. 2/3 do volume do corpo para gravidez 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 43
  • 65. 44 Desenho de Moda Resumo Neste capítulo você aprendeu o enfoque dado à figura de moda. Essa figura é aceita na indústria e é uma interpretação do corpo normal. Você foi apre- sentado a todos os procedimentos básicos de dese- nho para representar o corpo, de modo real ou idealizado. Você reviu as partes do corpo, propor- ções, anatomia, linhas de costura, grades, alonga- mentos, sistema de altura por cabeças, eixos frontal e posterior e linha de equilíbrio. Agora você pode desenhar a figura de moda de acordo com vários métodos. Você foi apresentado aos termos usados para desenvolver suas habilidades de comunicação visual e verbal. Tenha em mente que as figuras e ter- mos são sujeitos a mudanças, de acordo com as idas e vindas do mercado de moda. Tarefas Você irá começar um caderno de desenho, um diá- rio com desenhos de moda. Comece com revistas e catálogos de moda. Recorte e arquive fotos relacio- nadas ao que você está aprendendo e isso o prove- rá de imagens para desenhar. Você usará essas fotos como referência para desenhos. Para essa tarefa, comece um arquivo de fotos que ilustrem poses em pé. O melhor material de referência mostra a figura da cabeça aos pés. Comece seu caderno colando as fotos na página à esquerda. Use-as como fonte para o desenho na página à direita. 1 Selecione uma pose frontal. Desenhe a figura usando o método da grade. 2 Escolha uma pose de 3/4. Desenhe a figura, usando as partes do corpo ou seções para construir a pose. 3 Encontre uma pose de perfil. Desta vez, dese- nhe a figura à mão livre, usando o método do gesto. 4 Escolha qualquer método de grade, unidades de corpo ou seções, ou à mão livre para desenhar uma figura mais cheia, em pose frontal. Lembre que deverá haver contraste entre essa figura mais natu- ral, realista, e as outras mais alongadas, idealizadas utilizadas, nos anúncios típicos de moda. 5eChap1.qxd:4eChap. 01v4 11/08/11 13:32 Page 44