Planejamento de obra aula 19 e 20

699 visualizações

Publicada em

Planejamento de Obras Civis: Legislações de obras e urbanismos da cidade de Sinop (Mato Grosso). Parâmetros urbanísticos em edificações residenciais.

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
699
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planejamento de obra aula 19 e 20

  1. 1. Profª Aline Cristina Souza dos Santos aline.engenheira@hotmail.com GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO E CIÊNCIA E TECNOLOGIA - SECITEC ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE SINOP
  2. 2. LEIS PARA EDIFICAÇÕES CÓDIGO DE OBRAS PLANO DIRETOR
  3. 3. http://www.sinop.mt.gov.br
  4. 4. http://www.sinop.mt.gov.br
  5. 5. http://sic.tce.mt.gov.br/home/index/id_entidade/41
  6. 6. http://sic.tce.mt.gov.br/home/index/id_entidade/41
  7. 7. http://sic.tce.mt.gov.br/home/index/id_entidade/41
  8. 8. http://sic.tce.mt.gov.br/home/index/id_entidade/41
  9. 9. O QUE É? Normas disciplinadoras do crescimento urbano.
  10. 10. QUAIS OS OBJETIVOS?  Coordenar o crescimento urbano;  Regular o uso do solo;  Controlar a densidade do ambiente edificado;  Proteger o meio ambiente;  Garantir espaços abertos destinados a preservar a ventilação e iluminação naturais adequadas a todos os edifícios;  Eliminar barreiras arquitetônicas que impedem ou limitam a possibilidade de deslocamento de pessoas portadoras de deficiência ou com dificuldade de locomoção.
  11. 11. O QUE DEFINE?  Tipo de ocupação permitido para um determinado lote;  Projeção máxima do edifício sobre o terreno (taxa de ocupação);  Áreas mínimas de ambientes e aberturas (portas e janelas);  Recuos a serem observados com relação às divisas;  Dimensões mínimas e detalhes construtivos de corredores, escadas e rampas;  Procedimentos de execução e regularização de obras, multas e autuações;  Demais especificações técnicas para edificações urbanas;  Etc...
  12. 12. O QUE É? PLANO DIRETOR “Instrumento básico de um processo de planejamento municipal para a implantação da política de desenvolvimento urbano, norteando a ação dos agentes públicos e privados.” (ABNT, 1991)
  13. 13. QUAIS OS OBJETIVOS? Fornecer orientações para: • I - a política de desenvolvimento urbano do município; • II - a função social da propriedade urbana; • III - o desenvolvimento urbano e ambiental; • IV - o ordenamento territorial do município; • V - os instrumentos da política urbana; • VI - a gestão da política urbana.
  14. 14. O QUE DEFINE?  Desenvolvimento urbano, ambiental, econômico, social e de mobilidade urbana;  Ordenamento territorial municipal (perímetro urbano e seus zoneamentos);  Índices, recuos e demais restrições de uso do solo urbano;  Transporte urbano e malha viária municipal;  Sistema municipal de informação;  Etc...
  15. 15. ALINHAMENTO Linha legal que serve de limite entre o terreno e o logradouro para qual faz parte. QUESTIONAMENTO DE PROJETO: O alinhamento do lote da edificação que estou projetando está definido?
  16. 16. QUESTIONAMENTO DE PROJETO: Quais os limites de afastamento do lote para o qual estou planejando?
  17. 17. QUESTIONAMENTO DE PROJETO: Qual a taxa de ocupação para a edificação que estou projetando?
  18. 18. QUESTIONAMENTO DE PROJETO: Qual o índice de aproveitamento para a edificação que estou projetando?
  19. 19. TAXA DE PERMEABILIDADE Percentual mínimo de área descoberta e permeável do terreno em relação a sua área total, dotada de vegetação que contribua para o equilíbrio climático e propicie alívio para o sistema público de drenagem urbana.
  20. 20. TAXA DE PERMEABILIDADE QUESTIONAMENTO DE PROJETO: Qual a taxa de permeabilidade para o lote da edificação que estou projetando?
  21. 21. ÁREA ÚTIL Espaços internos do imóvel, medidos a partir do piso, excluindo as paredes. QUESTIONAMENTO DE PROJETO: Qual a área útil mínima para os cômodos/ambientes da edificação que estou projetando?
  22. 22. ÁREA CONSTRUÍDA “É a área total coberta de uma edificação, o que inclui a área de projeção do telhado da edificação.” (NBR 12721:2006) QUESTIONAMENTO DE PROJETO: A área construída da edificação que estou projetando não ultrapassa o limite da minha profissão?
  23. 23. ÁREA CONSTRUÍDA
  24. 24. PAREDES É um elemento arquitetônico cuja função é a divisão ou vedação dos espaços. Podem ser de tijolos, gesso (drywall), concreto, pedra, barro ou algum outro elemento que permita resistência a construção. QUESTIONAMENTO DE PROJETO: Qual a espessura mínima para as paredes da edificação que estou projetando?
  25. 25. PÉ DIREITO Distância vertical medida entre o piso acabado e a parte inferior do teto de um ambiente, ou do forro, se houver. QUESTIONAMENTO DE PROJETO: Qual o pé direito mínimo para a edificação que estou projetando?
  26. 26. ÁREAS OU VÃOS DE ILUMINAÇÃO E VENTILAÇÃO Abertura para o ambiente externo de cada compartimento que promova iluminação natural e renovação do ar. QUESTIONAMENTO DE PROJETO: Qual a área mínima para iluminação e ventilação dos cômodos da edificação que estou projetando?
  27. 27. ÁREAS OU VÃOS DE ILUMINAÇÃO E VENTILAÇÃO
  28. 28. TIPOS DE COMPARTIMENTOS  1. Permanência prolongada noturna: dormitória.  2. Permanência prolongada diurna: sala jantar de estar, de visitas, de espera, de música, de jogos, de costura, de estudo e leitura, de trabalho, cozinhas, copas e átrios, digo, lavanderias.  3. Utilização Transitória: Vestíbulos, átrios, corredores, passagens, escadas, sanitárias, vestiários, despensas e depósitos.  4. Utilização especial: aqueles que pela sua destinação não se enquadrem nas demais classificações. QUESTIONAMENTO DE PROJETO: Qual a classificação de cada cômodo/ambiente da edificação que estou projetando? Quais os parâmetros específicos previstos para cada um deles?
  29. 29. ACESSIBILIDADE QUESTIONAMENTO DE PROJETO: A edificação que estou projetando será frequentada por portadores de necessidades especiais (PNE)? Quais as necessidades de acesso deverão estar previstas?
  30. 30. REFERÊNCIAS AZEREDO, Hélio Alves de. Edifício até sua cobertura. 2. Ed. São Paulo: Edgard Blücher Ltda. 1997. BORGES, Alberto de Campos; LEITE, Jaime Lopes; MONTEFUSCO, Elizabeth. Prática das pequenas construções, Volume 1. 8. Ed. rev e ampl. – São Paulo: Edgard Blücher, 2004. VARALLA, Ruy. Planejamento e controle de obras. Coleção primeiros passos da qualidade no canteiro de obras – São Paulo: O Nome da Rosa, 2003.

×