SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
Responsabilidade social
Ms. Aline Corso
O que é?
A responsabilidade social é quando empresas, de forma
voluntária, adotam posturas, comportamentos e ações
que promovam o bem-estar dos seus públicos interno e
externo. É uma prática voluntária pois não deve ser
confundida exclusivamente por ações compulsórias
impostas pelo governo ou por quaisquer incentivos
externos (como fiscais, por exemplo).
O conceito, nessa visão, envolve o beneficio da
coletividade, seja ela relativa ao público interno
(funcionários, acionistas, etc) ou atores externos
(comunidade, parceiros, meio ambiente, etc.).
Com o passar do tempo, tal concepção originou algumas variantes ou nuances. Assim,
conceitos novos – muitas vezes complementares, distintos ou redundantes – são
usados para definir responsabilidade social, entre eles Responsabilidade Social
Corporativa (RSC), Responsabilidade Social Empresarial (RSE) e Responsabilidade
Social Ambiental (RSA).
A chamada RSC é, na maioria dos casos, conceito usado na literatura especializada
sobretudo para empresas, principalmente de grande porte, com preocupações
sociais voltadas ao seu ambiente de negócios ou ao seu quadro de funcionários.
O conceito de RSE, ainda que muitos vejam como sinônimo de RSC, tende a envolver
um espectro mais amplo de beneficiários (stakeholders), envolvendo aí a
qualidade de vida e bem estar do público interno da empresa, mas também a
redução de impactos negativos de sua atividade na comunidade e meio ambiente.
Na maioria das vezes tais ações são acompanhadas pela adoção de uma mudança
comportamental e de gestão que envolve maior transparência, ética e valores na
relação com seus parceiros.
Por fim, o conceito de Responsabilidade Social Ambiental (RSA), talvez mais atual e
abrangente, ilustra não apenas o compromisso de empresas com pessoas e valores
humanos, mas também preocupações genuínas com o meio ambiente.
Independentemente de que linha ou conceituação utilizar, fica evidente que empresas
variam bastante – o que muitas vezes é natural e reflete sua vocação como negócio –
na prioridade a ser dada a questões socioambientais, às vezes focando em certos
públicos em detrimento de outras ações sociais igualmente relevantes.
Críticas em relação ao papel das empresas
na responsabilidade social
É importante frisar que o conceito não deve ser confundido com filantropia ou
simples assistência social. Aqui, na lógica do “é melhor ensinar a pescar, do que dar o
peixe”, entende-se responsabilidade social como um processo contínuo e de
melhoria da empresa na sua relação com seus funcionários, comunidades e
parceiros. Não há viés assistencialista uma vez que há uma lógica embutida de
desenvolvimento sustentável e crescimento responsável. A maior parte das empresas
que adotam postura socialmente responsáveis auferem um crescimento mais
sustentável, ganhos de imagem e visibilidade e são menos propícias a litígios ou
problemas judiciais.
Apesar disso, não são poucos os críticos ou céticos desse movimento, que ganhou força
principalmente nos anos 70 e 80 após uma série de escândalos de imagem e uma
sucessão de problemas corporativos num ambiente de capitalismo predatório e
desumanizado. Um dos maiores críticos a esse engajamento crescente das empresas
em causas sociais foi o economista Milton Friedman o qual sempre defendeu que o
propósito de qualquer empresa é a “maximização do lucro” e geração de empregos,
não devendo portanto substituir atribuições do Estado. Se é bem verdade que o
conceito foi excessivamente explorado em campanhas publicitárias ou em projetos de
questionável impacto social, é fato que as empresas ainda necessitam aprimorar
sua relação com a sociedade de maneira a promover um desenvolvimento baseado
na ideia do “triple bottom line”, ou seja, calcado em um tripé que envolve o meio
ambiente, a economia e o social.
Certificações socioambientais
No intuito de estimular a responsabilidade social empresarial, uma série de
instrumentos de certificação foram criadas nos últimos anos. O apelo relacionado a
esses selos ou certificados é de fácil compreensão. Num mundo cada vez mais
competitivo, empresas vêm vantagens comparativas em adquirir certificações que
atestem sua boa prática empresarial. A pressão por produtos e serviços socialmente
corretos faz com que empresas adotem processos de reformulação interna para se
adequarem às normas impostas pelas entidades certificadoras.
Entre algumas das certificações mais cobiçadas atualmente enumeramos as seguintes:
*Selo Empresa Amiga da Criança*
Selo criado pela Fundação Abrinq para
empresas que não utilizem mão-de-obra
infantil e contribuam para a melhoria das
condições de vida de crianças e
adolescentes.
*ISO 14000*
O ISO 14000 é apenas mais uma das
certificações criadas pela International
Organization for Standardization (ISO). O
ISO 14000, parente do ISO 9000, dá
destaque às ações ambientais da empresa
merecedora da certificação.
*AA1000*
O AA1000 foi criada em 1996 pelo Institute
of Social and Ethical Accountability. Esta
certificação de cunho social enfoca
principalmente a relação da empresa com
seus diversos parceiros, ou
“stakeholders”. Uma de suas principais
características é o caráter evolutivo já que
é uma avaliação regular (anual).
*SA8000*
A “Social Accountability 8000” é uma das
normas internacionais mais conhecidas.
Criada em 1997 pelo Council on Economic
Priorities Accreditation Agency (CEPAA), o
SA8000 enfoca, primordialmente, relações
trabalhistas e visa assegurar que não
existam ações antissociais ao longo da
cadeia produtiva, como trabalho infantil,
trabalho escravo ou discriminação.
*ABNT-ISO 26000*
No dia 1º de novembro de 2010, foi
publicada a Norma Internacional ISO
26000 – Diretrizes sobre Responsabilidade
Social, cujo lançamento foi em Genebra,
Suíça. No Brasil, no dia 8 de dezembro de
2010, a versão em português da norma, a
ABNT NBR ISO 26000, foi lançada em São
Paulo. A norma é de grande utilidade a
empresas interessadas em adotar
programas de RSE uma vez que oferece
orientações relacionadas a sete princípios
norteadores de responsabilidade social:
● “Accountability”: ato de responsabilizar-se pelas consequências de suas ações e
decisões, respondendo pelos seus impactos na sociedade, na economia e no meio
ambiente, prestando contas aos órgãos de governança e demais partes
interessadas declarando os seus erros e as medidas cabíveis para remediá-los.
● Transparência: fornecer às partes interessadas de forma acessível, clara,
compreensível e em prazos adequados todas as informações sobre os fatos que
possam afetá-las.
● Comportamento ético: agir de modo aceito como correto pela sociedade – com
base nos valores da honestidade, equidade e integridade, perante as pessoas e a
natureza – e de forma consistente com as normas internacionais de
comportamento.
● Respeito pelos interesses das partes interessadas (stakeholders): ouvir,
considerar e responder aos interesses das pessoas ou grupos que tenham um
interesses nas atividades da organização ou por ela possam ser afetados.
● Respeito pelo Estado de Direito: o ponto de partida mínimo da responsabilidade
social é cumprir integralmente as leis do local onde está operando.
● Respeito pelas Normas Internacionais de Comportamento: adotar prescrições
de tratados e acordos internacionais favoráveis à responsabilidade social, mesmo
que não que não haja obrigação legal.
● Direito aos humanos: reconhecer a importância e a universalidade dos direitos
humanos, cuidando para que as atividades da organização não os agridam direta
ou indiretamente, zelando pelo ambiente econômico, social e natural que
requerem.
Empresas-modelo em
responsabilidade
socioambiental?
● Alcoa busca a sustentabilidade no setor de mineração
● Amanco investe em materiais de menor impacto ambiental
● Anglo American aposta no diálogo com as comunidades
● Bradesco leva educação financeira à população carente
● Braskem é líder global no uso de materiais renováveis
● Bunge cria embalagem biodegradável para margarina
● Etc.
Dicas para otimizar a
responsabilidade socioambiental da
sua empresa
1) O respeito ao meio ambiente como parte dos valores da empresa
A postura consciente, independente do que preconiza a legislação ambiental brasileira,
deve fazer parte dos valores da empresa. É preciso estabelecer, antes de mais nada, o
respeito por meio da adoção de práticas em favor da sociedade e do meio ambiente,
encarando as ações preventivas e sustentáveis como meta final. A empresa que investe
em açõs ambientais responsáveis beneficia o colaborador, constrói uma imagem
positiva no mercado e também sai na frente em produtividade, inovação e satisfação
ao cliente.
2) Os benefícios da inclusão da responsabilidade socioambiental na gestão
Para as empresas e indústrias que investem na gestão socioambiental como tópico
relevante de suas agendas, há inúmeras vantagens. Além do ganho de imagem pública
positiva e de vendas, há a possibilidade de investimentos estrangeiros, já que esse
quesito tem um importante peso na seleção desses negócios para receber o benefício.
Para que os empreendimentos possam usufruir desses frutos, no entanto, vale
destacar que é preciso que todas as suas ações nesse sentido sejam comunicadas à
sociedade e stakeholders. A comunicação adequada das ações socioambientais gera
mídia espontânea e retorno publicitário à empresa, além de reconhecimento por sua
postura de respeito à natureza e ao capital humano. Outro cuidado necessário por
parte das indústrias é o de prestação de contas aos investidores e à sociedade, o que
denota apreço e crescimento planejado, minimizando riscos judiciais. Transparência é
a palavra de ordem.
3) Exemplos práticos: como implantar e otimizar a responsabilidade
socioambiental nas corporações?
Gerenciar o ciclo de vida dos produtos, desde sua concepção até o descarte pelo
cliente, é o primeiro passo do planejamento. Outros bons exemplos são o reúso da
água dentro do processo produtivo e a criação de um sistema de reciclagem dos
resíduos sólidos, assim como o uso de fontes de energia limpas e renováveis no
processo produtivo. A empresa deve implantar sistema de gestão ambiental eficiente,
comprar matérias primas de empresas que compartilham dessa postura e dar
prioridade aos sistemas de transportes não poluentes com baixo índice de poluição
(como ferroviário e marítimo), adotando práticas que não provoquem danos ao meio
ambiente. A poluição de rios e os desmatamentos, ainda comuns no meio industrial,
são exemplos de práticas que acarretam prejuízos ecológicos e também comprometem
a imagem e o crescimento sustentável dos empreendimentos.
Os funcionários também devem ser envolvidos por meio de um treinamento que
enfoque a importância da sustentabilidade: é importante que o público interno seja o
primeiro a assumir uma atitude sustentável. De fato, é somente através da
conscientização dos colaboradores que as atitudes sustentáveis se transformam em
hábitos permanentes. Fornecedores também devem fazer parte deste ciclo, e a
comunidade precisa ser incentivada a compartilhar desses valores adotados pela
empresa.
Para implantar as ações acima como pertencentes ao modelo de gestão da sua
indústria, 3 passos essenciais se fazem necessários:
● Criar e implementar diretrizes estratégicas que explicite as novas metas e
princípios socioambientais da empresa e integrá-la aos processos cotidianos,
compartilhando-a com funcionários e dirigentes;
● Formular um código de ética que formalize e consolide os valores instituídos, de
modo que funcionários e dirigentes tomem decisões coerentes com esses valores;
● Implementar uma política corporativa de responsabilidade socioambiental, com o
intuito de avaliar os processos da indústria de maneira conivente com suas metas
e necessidades internas e também com as demandas e valores da sociedade, do
governo, do mercado e do meio ambiente.
ATIVIDADE:
Pesquisar
empresas com
responsabilidade
socioambiental.
Bibliografia
http://www.responsabilidadesocial.com/o-que-e-responsabilidade-social
EON, Fábio. O que é responsabilidade social? Revista ResponsabiliadeSocial.com, 2015.
http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/as-20-empresas-modelo-em-responsabili
dade-socioambiental#6
http://www.teraambiental.com.br/blog-da-tera-ambiental/dicas-para-otimizar-a-resp
onsabilidade-socioambiental-da-sua-empresa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ESG | Environmental, Social & Governance
ESG | Environmental, Social & GovernanceESG | Environmental, Social & Governance
ESG | Environmental, Social & GovernanceGrupo Index
 
Aula de Gestão Ambiental - UMC
Aula de Gestão Ambiental - UMCAula de Gestão Ambiental - UMC
Aula de Gestão Ambiental - UMCproftstsergioetm
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalRui Loureiro
 
Responsabilidade Socioambiental Corporativa
Responsabilidade Socioambiental CorporativaResponsabilidade Socioambiental Corporativa
Responsabilidade Socioambiental CorporativaVitor Vieira Vasconcelos
 
Etica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de TrabalhoEtica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de TrabalhoNyedson Barbosa
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações HumanasProf. Leonardo Rocha
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismocattonia
 
Ética Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em EquipeÉtica Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em EquipeVadeilza Castilho
 
Missão, visão e valores - conceitos
Missão, visão e valores - conceitosMissão, visão e valores - conceitos
Missão, visão e valores - conceitosRobson Costa
 
Responsabilidade Social Das Empresas
Responsabilidade Social Das EmpresasResponsabilidade Social Das Empresas
Responsabilidade Social Das Empresastecsefa
 

Mais procurados (20)

ESG | Environmental, Social & Governance
ESG | Environmental, Social & GovernanceESG | Environmental, Social & Governance
ESG | Environmental, Social & Governance
 
Ética e Responsabilidade Social
Ética e Responsabilidade SocialÉtica e Responsabilidade Social
Ética e Responsabilidade Social
 
Aula de Gestão Ambiental - UMC
Aula de Gestão Ambiental - UMCAula de Gestão Ambiental - UMC
Aula de Gestão Ambiental - UMC
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Responsabilidade Socioambiental Corporativa
Responsabilidade Socioambiental CorporativaResponsabilidade Socioambiental Corporativa
Responsabilidade Socioambiental Corporativa
 
Etica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de TrabalhoEtica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de Trabalho
 
Meio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpointMeio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpoint
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
 
A empresa
A empresa A empresa
A empresa
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
 
Ética Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em EquipeÉtica Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em Equipe
 
Missão, visão e valores - conceitos
Missão, visão e valores - conceitosMissão, visão e valores - conceitos
Missão, visão e valores - conceitos
 
Responsabilidade Social Das Empresas
Responsabilidade Social Das EmpresasResponsabilidade Social Das Empresas
Responsabilidade Social Das Empresas
 
Aula 2 - Missão, visão e valores
Aula 2 - Missão, visão e valoresAula 2 - Missão, visão e valores
Aula 2 - Missão, visão e valores
 
Iso14001
Iso14001Iso14001
Iso14001
 
Responsabilidade social (3)
Responsabilidade social (3)Responsabilidade social (3)
Responsabilidade social (3)
 
Análise SWOT
Análise SWOTAnálise SWOT
Análise SWOT
 

Destaque

O que é sustentabilidade? Cultura do consumo e do excesso.
O que é sustentabilidade? Cultura do consumo e do excesso.O que é sustentabilidade? Cultura do consumo e do excesso.
O que é sustentabilidade? Cultura do consumo e do excesso.Aline Corso
 
Sustentabilidade e Responsabilidade Social
Sustentabilidade e Responsabilidade SocialSustentabilidade e Responsabilidade Social
Sustentabilidade e Responsabilidade SocialPaulo Fernandes
 
Marketing Social, Responsabilidade Social, Sustentabilidade Empresarial
Marketing Social, Responsabilidade Social, Sustentabilidade Empresarial Marketing Social, Responsabilidade Social, Sustentabilidade Empresarial
Marketing Social, Responsabilidade Social, Sustentabilidade Empresarial renato fabregat
 
Terceiro setor e Responsabilidade social
Terceiro setor e Responsabilidade socialTerceiro setor e Responsabilidade social
Terceiro setor e Responsabilidade socialsaracfmarques2013
 
Tutorial para criar conta no Slideshare
Tutorial para criar conta no SlideshareTutorial para criar conta no Slideshare
Tutorial para criar conta no SlideshareGeorgia Stella
 
Responsabilidade social e sustentabilidade
Responsabilidade social e sustentabilidadeResponsabilidade social e sustentabilidade
Responsabilidade social e sustentabilidadeALVARO RAMOS
 

Destaque (7)

O que é sustentabilidade? Cultura do consumo e do excesso.
O que é sustentabilidade? Cultura do consumo e do excesso.O que é sustentabilidade? Cultura do consumo e do excesso.
O que é sustentabilidade? Cultura do consumo e do excesso.
 
Sustentabilidade e Responsabilidade Social
Sustentabilidade e Responsabilidade SocialSustentabilidade e Responsabilidade Social
Sustentabilidade e Responsabilidade Social
 
Marketing Social, Responsabilidade Social, Sustentabilidade Empresarial
Marketing Social, Responsabilidade Social, Sustentabilidade Empresarial Marketing Social, Responsabilidade Social, Sustentabilidade Empresarial
Marketing Social, Responsabilidade Social, Sustentabilidade Empresarial
 
Terceiro setor e Responsabilidade social
Terceiro setor e Responsabilidade socialTerceiro setor e Responsabilidade social
Terceiro setor e Responsabilidade social
 
Tutorial para criar conta no Slideshare
Tutorial para criar conta no SlideshareTutorial para criar conta no Slideshare
Tutorial para criar conta no Slideshare
 
Seccional Santos: Ética e responsabilidade social nas organizações
Seccional Santos: Ética e responsabilidade social nas organizaçõesSeccional Santos: Ética e responsabilidade social nas organizações
Seccional Santos: Ética e responsabilidade social nas organizações
 
Responsabilidade social e sustentabilidade
Responsabilidade social e sustentabilidadeResponsabilidade social e sustentabilidade
Responsabilidade social e sustentabilidade
 

Semelhante a RSE Guia Completo

responsabilidadesocial-160815192040.pptx
responsabilidadesocial-160815192040.pptxresponsabilidadesocial-160815192040.pptx
responsabilidadesocial-160815192040.pptxJoefersonDelfino2
 
RESPONSABILIDADE SOCIAL -1ª AULA2LA.pptx
RESPONSABILIDADE SOCIAL -1ª AULA2LA.pptxRESPONSABILIDADE SOCIAL -1ª AULA2LA.pptx
RESPONSABILIDADE SOCIAL -1ª AULA2LA.pptxJoefersonDelfino2
 
Responsabilidade social aprendiz
Responsabilidade social aprendizResponsabilidade social aprendiz
Responsabilidade social aprendizCarlos Santos
 
Ae aula 23_10_14 (3)
Ae aula 23_10_14 (3)Ae aula 23_10_14 (3)
Ae aula 23_10_14 (3)Katia Gomide
 
Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras
Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras
Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras alfredobottone
 
Responsabilidade Social 1
Responsabilidade Social 1Responsabilidade Social 1
Responsabilidade Social 1Eric Nakagawa
 
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambientalTrabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambientalJoao Moreira
 
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdf
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdfIndicadores Ethos de responsabilidade social.pdf
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdfjoseteste1
 
Responsabilidade Social Professor Danilo Pires
Responsabilidade Social  Professor Danilo PiresResponsabilidade Social  Professor Danilo Pires
Responsabilidade Social Professor Danilo PiresDanilo Pires
 
Responsabilidade social empresarial e sustentabilidade para a gestão empresarial
Responsabilidade social empresarial e sustentabilidade para a gestão empresarialResponsabilidade social empresarial e sustentabilidade para a gestão empresarial
Responsabilidade social empresarial e sustentabilidade para a gestão empresarialDenise Esteves
 
Apresentacao4_Responsabilidade.ppt
Apresentacao4_Responsabilidade.pptApresentacao4_Responsabilidade.ppt
Apresentacao4_Responsabilidade.pptNatanael Ferreira
 
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria Dialogus Consultoria
 
Guia ASGI - Metrô de São Paulo
Guia ASGI - Metrô de São PauloGuia ASGI - Metrô de São Paulo
Guia ASGI - Metrô de São PauloMetrdeSoPaulo
 
A responsabilidade social corporativa como instrumento de marketing
A responsabilidade social corporativa como instrumento de marketingA responsabilidade social corporativa como instrumento de marketing
A responsabilidade social corporativa como instrumento de marketingAmanda Jhonys
 
Responsabilidade social como imperativo ético
Responsabilidade social como imperativo éticoResponsabilidade social como imperativo ético
Responsabilidade social como imperativo éticoUniversidade Pedagogica
 
RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO IMPERATIVO ETICO
RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO IMPERATIVO ETICORESPONSABILIDADE SOCIAL COMO IMPERATIVO ETICO
RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO IMPERATIVO ETICOUniversidade Pedagogica
 

Semelhante a RSE Guia Completo (20)

responsabilidadesocial-160815192040.pptx
responsabilidadesocial-160815192040.pptxresponsabilidadesocial-160815192040.pptx
responsabilidadesocial-160815192040.pptx
 
RESPONSABILIDADE SOCIAL -1ª AULA2LA.pptx
RESPONSABILIDADE SOCIAL -1ª AULA2LA.pptxRESPONSABILIDADE SOCIAL -1ª AULA2LA.pptx
RESPONSABILIDADE SOCIAL -1ª AULA2LA.pptx
 
1AULASRS_1.ppt
1AULASRS_1.ppt1AULASRS_1.ppt
1AULASRS_1.ppt
 
Responsabilidade social aprendiz
Responsabilidade social aprendizResponsabilidade social aprendiz
Responsabilidade social aprendiz
 
alcides
alcidesalcides
alcides
 
Ae aula 23_10_14 (3)
Ae aula 23_10_14 (3)Ae aula 23_10_14 (3)
Ae aula 23_10_14 (3)
 
Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras
Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras
Projeto de responsabilidade social para empresas brasileiras
 
Responsabilidade Social 1
Responsabilidade Social 1Responsabilidade Social 1
Responsabilidade Social 1
 
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambientalTrabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
Trabalho pesquisa sobre responsabilidade social e ambiental
 
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdf
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdfIndicadores Ethos de responsabilidade social.pdf
Indicadores Ethos de responsabilidade social.pdf
 
Sustentavel - Febrac
Sustentavel - FebracSustentavel - Febrac
Sustentavel - Febrac
 
Responsabilidade Social Professor Danilo Pires
Responsabilidade Social  Professor Danilo PiresResponsabilidade Social  Professor Danilo Pires
Responsabilidade Social Professor Danilo Pires
 
Responsabilidade social empresarial e sustentabilidade para a gestão empresarial
Responsabilidade social empresarial e sustentabilidade para a gestão empresarialResponsabilidade social empresarial e sustentabilidade para a gestão empresarial
Responsabilidade social empresarial e sustentabilidade para a gestão empresarial
 
Apresentacao4_Responsabilidade.ppt
Apresentacao4_Responsabilidade.pptApresentacao4_Responsabilidade.ppt
Apresentacao4_Responsabilidade.ppt
 
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria
Os Retornos da Responsabilidade Social - Dialogus Consultoria
 
Guia ASGI - Metrô de São Paulo
Guia ASGI - Metrô de São PauloGuia ASGI - Metrô de São Paulo
Guia ASGI - Metrô de São Paulo
 
A responsabilidade social corporativa como instrumento de marketing
A responsabilidade social corporativa como instrumento de marketingA responsabilidade social corporativa como instrumento de marketing
A responsabilidade social corporativa como instrumento de marketing
 
A Sustentabilidade e o Pacto Global
A Sustentabilidade e o Pacto GlobalA Sustentabilidade e o Pacto Global
A Sustentabilidade e o Pacto Global
 
Responsabilidade social como imperativo ético
Responsabilidade social como imperativo éticoResponsabilidade social como imperativo ético
Responsabilidade social como imperativo ético
 
RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO IMPERATIVO ETICO
RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO IMPERATIVO ETICORESPONSABILIDADE SOCIAL COMO IMPERATIVO ETICO
RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO IMPERATIVO ETICO
 

Mais de Aline Corso

A(narqueologia) entre ruína e (re)construção: intersecções dos legados arquit...
A(narqueologia) entre ruína e (re)construção: intersecções dos legados arquit...A(narqueologia) entre ruína e (re)construção: intersecções dos legados arquit...
A(narqueologia) entre ruína e (re)construção: intersecções dos legados arquit...Aline Corso
 
Seminário discente ufrgs 2019
Seminário discente ufrgs 2019Seminário discente ufrgs 2019
Seminário discente ufrgs 2019Aline Corso
 
VII Congresso de Pesquisa e Extensão da FSG - artigo
VII Congresso de Pesquisa e Extensão da FSG - artigoVII Congresso de Pesquisa e Extensão da FSG - artigo
VII Congresso de Pesquisa e Extensão da FSG - artigoAline Corso
 
Apresentação comercial
Apresentação comercialApresentação comercial
Apresentação comercialAline Corso
 
Apresentação XII Abciber
Apresentação XII AbciberApresentação XII Abciber
Apresentação XII AbciberAline Corso
 
Planejamento de marketing
Planejamento de marketingPlanejamento de marketing
Planejamento de marketingAline Corso
 
Marketing digital em 2019 - as maiores tendencias
Marketing digital em 2019 - as maiores tendenciasMarketing digital em 2019 - as maiores tendencias
Marketing digital em 2019 - as maiores tendenciasAline Corso
 
Apresentação SDCOM PPGCCOM UNISINOS 2019
Apresentação SDCOM PPGCCOM UNISINOS 2019Apresentação SDCOM PPGCCOM UNISINOS 2019
Apresentação SDCOM PPGCCOM UNISINOS 2019Aline Corso
 
Seminário discente Epistemologia da Comunicação
Seminário discente Epistemologia da ComunicaçãoSeminário discente Epistemologia da Comunicação
Seminário discente Epistemologia da ComunicaçãoAline Corso
 
Dia mundial da criatividade 2019
Dia mundial da criatividade 2019 Dia mundial da criatividade 2019
Dia mundial da criatividade 2019 Aline Corso
 
Atividade avaliativa - Comunicação Digital
Atividade avaliativa - Comunicação DigitalAtividade avaliativa - Comunicação Digital
Atividade avaliativa - Comunicação DigitalAline Corso
 
Atividade avaliativa - Comportamento do Consumidor
Atividade avaliativa - Comportamento do ConsumidorAtividade avaliativa - Comportamento do Consumidor
Atividade avaliativa - Comportamento do ConsumidorAline Corso
 
Atividade avaliativa - comunicação digital e multimeios
Atividade avaliativa  - comunicação digital e multimeiosAtividade avaliativa  - comunicação digital e multimeios
Atividade avaliativa - comunicação digital e multimeiosAline Corso
 
Atividade avaliativa - design digital
Atividade avaliativa  - design digitalAtividade avaliativa  - design digital
Atividade avaliativa - design digitalAline Corso
 
A promoção da área da saúde nas redes sociais
A promoção da área da saúde nas redes sociaisA promoção da área da saúde nas redes sociais
A promoção da área da saúde nas redes sociaisAline Corso
 
O futuro do passado: uma arqueologia da inteligência artificial
O futuro do passado: uma arqueologia da inteligência artificialO futuro do passado: uma arqueologia da inteligência artificial
O futuro do passado: uma arqueologia da inteligência artificialAline Corso
 
Questões comentadas ENADE 2012 e 2015 Publicidade e Propaganda
Questões comentadas ENADE 2012 e 2015 Publicidade e PropagandaQuestões comentadas ENADE 2012 e 2015 Publicidade e Propaganda
Questões comentadas ENADE 2012 e 2015 Publicidade e PropagandaAline Corso
 
Videogame é arte?
Videogame é arte?Videogame é arte?
Videogame é arte?Aline Corso
 
O consumidor brasileiro
O consumidor brasileiroO consumidor brasileiro
O consumidor brasileiroAline Corso
 

Mais de Aline Corso (20)

A(narqueologia) entre ruína e (re)construção: intersecções dos legados arquit...
A(narqueologia) entre ruína e (re)construção: intersecções dos legados arquit...A(narqueologia) entre ruína e (re)construção: intersecções dos legados arquit...
A(narqueologia) entre ruína e (re)construção: intersecções dos legados arquit...
 
Seminário discente ufrgs 2019
Seminário discente ufrgs 2019Seminário discente ufrgs 2019
Seminário discente ufrgs 2019
 
VII Congresso de Pesquisa e Extensão da FSG - artigo
VII Congresso de Pesquisa e Extensão da FSG - artigoVII Congresso de Pesquisa e Extensão da FSG - artigo
VII Congresso de Pesquisa e Extensão da FSG - artigo
 
Apresentação comercial
Apresentação comercialApresentação comercial
Apresentação comercial
 
Apresentação XII Abciber
Apresentação XII AbciberApresentação XII Abciber
Apresentação XII Abciber
 
Planejamento de marketing
Planejamento de marketingPlanejamento de marketing
Planejamento de marketing
 
Marketing digital em 2019 - as maiores tendencias
Marketing digital em 2019 - as maiores tendenciasMarketing digital em 2019 - as maiores tendencias
Marketing digital em 2019 - as maiores tendencias
 
Apresentação SDCOM PPGCCOM UNISINOS 2019
Apresentação SDCOM PPGCCOM UNISINOS 2019Apresentação SDCOM PPGCCOM UNISINOS 2019
Apresentação SDCOM PPGCCOM UNISINOS 2019
 
Seminário discente Epistemologia da Comunicação
Seminário discente Epistemologia da ComunicaçãoSeminário discente Epistemologia da Comunicação
Seminário discente Epistemologia da Comunicação
 
Dia mundial da criatividade 2019
Dia mundial da criatividade 2019 Dia mundial da criatividade 2019
Dia mundial da criatividade 2019
 
Atividade avaliativa - Comunicação Digital
Atividade avaliativa - Comunicação DigitalAtividade avaliativa - Comunicação Digital
Atividade avaliativa - Comunicação Digital
 
Atividade avaliativa - Comportamento do Consumidor
Atividade avaliativa - Comportamento do ConsumidorAtividade avaliativa - Comportamento do Consumidor
Atividade avaliativa - Comportamento do Consumidor
 
Atividade avaliativa - comunicação digital e multimeios
Atividade avaliativa  - comunicação digital e multimeiosAtividade avaliativa  - comunicação digital e multimeios
Atividade avaliativa - comunicação digital e multimeios
 
Atividade avaliativa - design digital
Atividade avaliativa  - design digitalAtividade avaliativa  - design digital
Atividade avaliativa - design digital
 
A promoção da área da saúde nas redes sociais
A promoção da área da saúde nas redes sociaisA promoção da área da saúde nas redes sociais
A promoção da área da saúde nas redes sociais
 
O futuro do passado: uma arqueologia da inteligência artificial
O futuro do passado: uma arqueologia da inteligência artificialO futuro do passado: uma arqueologia da inteligência artificial
O futuro do passado: uma arqueologia da inteligência artificial
 
Questões comentadas ENADE 2012 e 2015 Publicidade e Propaganda
Questões comentadas ENADE 2012 e 2015 Publicidade e PropagandaQuestões comentadas ENADE 2012 e 2015 Publicidade e Propaganda
Questões comentadas ENADE 2012 e 2015 Publicidade e Propaganda
 
Vigilância
VigilânciaVigilância
Vigilância
 
Videogame é arte?
Videogame é arte?Videogame é arte?
Videogame é arte?
 
O consumidor brasileiro
O consumidor brasileiroO consumidor brasileiro
O consumidor brasileiro
 

Último

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 

Último (20)

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 

RSE Guia Completo

  • 2. O que é? A responsabilidade social é quando empresas, de forma voluntária, adotam posturas, comportamentos e ações que promovam o bem-estar dos seus públicos interno e externo. É uma prática voluntária pois não deve ser confundida exclusivamente por ações compulsórias impostas pelo governo ou por quaisquer incentivos externos (como fiscais, por exemplo). O conceito, nessa visão, envolve o beneficio da coletividade, seja ela relativa ao público interno (funcionários, acionistas, etc) ou atores externos (comunidade, parceiros, meio ambiente, etc.).
  • 3. Com o passar do tempo, tal concepção originou algumas variantes ou nuances. Assim, conceitos novos – muitas vezes complementares, distintos ou redundantes – são usados para definir responsabilidade social, entre eles Responsabilidade Social Corporativa (RSC), Responsabilidade Social Empresarial (RSE) e Responsabilidade Social Ambiental (RSA).
  • 4. A chamada RSC é, na maioria dos casos, conceito usado na literatura especializada sobretudo para empresas, principalmente de grande porte, com preocupações sociais voltadas ao seu ambiente de negócios ou ao seu quadro de funcionários. O conceito de RSE, ainda que muitos vejam como sinônimo de RSC, tende a envolver um espectro mais amplo de beneficiários (stakeholders), envolvendo aí a qualidade de vida e bem estar do público interno da empresa, mas também a redução de impactos negativos de sua atividade na comunidade e meio ambiente. Na maioria das vezes tais ações são acompanhadas pela adoção de uma mudança comportamental e de gestão que envolve maior transparência, ética e valores na relação com seus parceiros.
  • 5. Por fim, o conceito de Responsabilidade Social Ambiental (RSA), talvez mais atual e abrangente, ilustra não apenas o compromisso de empresas com pessoas e valores humanos, mas também preocupações genuínas com o meio ambiente. Independentemente de que linha ou conceituação utilizar, fica evidente que empresas variam bastante – o que muitas vezes é natural e reflete sua vocação como negócio – na prioridade a ser dada a questões socioambientais, às vezes focando em certos públicos em detrimento de outras ações sociais igualmente relevantes.
  • 6. Críticas em relação ao papel das empresas na responsabilidade social É importante frisar que o conceito não deve ser confundido com filantropia ou simples assistência social. Aqui, na lógica do “é melhor ensinar a pescar, do que dar o peixe”, entende-se responsabilidade social como um processo contínuo e de melhoria da empresa na sua relação com seus funcionários, comunidades e parceiros. Não há viés assistencialista uma vez que há uma lógica embutida de desenvolvimento sustentável e crescimento responsável. A maior parte das empresas que adotam postura socialmente responsáveis auferem um crescimento mais sustentável, ganhos de imagem e visibilidade e são menos propícias a litígios ou problemas judiciais.
  • 7. Apesar disso, não são poucos os críticos ou céticos desse movimento, que ganhou força principalmente nos anos 70 e 80 após uma série de escândalos de imagem e uma sucessão de problemas corporativos num ambiente de capitalismo predatório e desumanizado. Um dos maiores críticos a esse engajamento crescente das empresas em causas sociais foi o economista Milton Friedman o qual sempre defendeu que o propósito de qualquer empresa é a “maximização do lucro” e geração de empregos, não devendo portanto substituir atribuições do Estado. Se é bem verdade que o conceito foi excessivamente explorado em campanhas publicitárias ou em projetos de questionável impacto social, é fato que as empresas ainda necessitam aprimorar sua relação com a sociedade de maneira a promover um desenvolvimento baseado na ideia do “triple bottom line”, ou seja, calcado em um tripé que envolve o meio ambiente, a economia e o social.
  • 8. Certificações socioambientais No intuito de estimular a responsabilidade social empresarial, uma série de instrumentos de certificação foram criadas nos últimos anos. O apelo relacionado a esses selos ou certificados é de fácil compreensão. Num mundo cada vez mais competitivo, empresas vêm vantagens comparativas em adquirir certificações que atestem sua boa prática empresarial. A pressão por produtos e serviços socialmente corretos faz com que empresas adotem processos de reformulação interna para se adequarem às normas impostas pelas entidades certificadoras. Entre algumas das certificações mais cobiçadas atualmente enumeramos as seguintes:
  • 9. *Selo Empresa Amiga da Criança* Selo criado pela Fundação Abrinq para empresas que não utilizem mão-de-obra infantil e contribuam para a melhoria das condições de vida de crianças e adolescentes.
  • 10. *ISO 14000* O ISO 14000 é apenas mais uma das certificações criadas pela International Organization for Standardization (ISO). O ISO 14000, parente do ISO 9000, dá destaque às ações ambientais da empresa merecedora da certificação.
  • 11. *AA1000* O AA1000 foi criada em 1996 pelo Institute of Social and Ethical Accountability. Esta certificação de cunho social enfoca principalmente a relação da empresa com seus diversos parceiros, ou “stakeholders”. Uma de suas principais características é o caráter evolutivo já que é uma avaliação regular (anual).
  • 12. *SA8000* A “Social Accountability 8000” é uma das normas internacionais mais conhecidas. Criada em 1997 pelo Council on Economic Priorities Accreditation Agency (CEPAA), o SA8000 enfoca, primordialmente, relações trabalhistas e visa assegurar que não existam ações antissociais ao longo da cadeia produtiva, como trabalho infantil, trabalho escravo ou discriminação.
  • 13. *ABNT-ISO 26000* No dia 1º de novembro de 2010, foi publicada a Norma Internacional ISO 26000 – Diretrizes sobre Responsabilidade Social, cujo lançamento foi em Genebra, Suíça. No Brasil, no dia 8 de dezembro de 2010, a versão em português da norma, a ABNT NBR ISO 26000, foi lançada em São Paulo. A norma é de grande utilidade a empresas interessadas em adotar programas de RSE uma vez que oferece orientações relacionadas a sete princípios norteadores de responsabilidade social:
  • 14. ● “Accountability”: ato de responsabilizar-se pelas consequências de suas ações e decisões, respondendo pelos seus impactos na sociedade, na economia e no meio ambiente, prestando contas aos órgãos de governança e demais partes interessadas declarando os seus erros e as medidas cabíveis para remediá-los. ● Transparência: fornecer às partes interessadas de forma acessível, clara, compreensível e em prazos adequados todas as informações sobre os fatos que possam afetá-las. ● Comportamento ético: agir de modo aceito como correto pela sociedade – com base nos valores da honestidade, equidade e integridade, perante as pessoas e a natureza – e de forma consistente com as normas internacionais de comportamento. ● Respeito pelos interesses das partes interessadas (stakeholders): ouvir, considerar e responder aos interesses das pessoas ou grupos que tenham um interesses nas atividades da organização ou por ela possam ser afetados.
  • 15. ● Respeito pelo Estado de Direito: o ponto de partida mínimo da responsabilidade social é cumprir integralmente as leis do local onde está operando. ● Respeito pelas Normas Internacionais de Comportamento: adotar prescrições de tratados e acordos internacionais favoráveis à responsabilidade social, mesmo que não que não haja obrigação legal. ● Direito aos humanos: reconhecer a importância e a universalidade dos direitos humanos, cuidando para que as atividades da organização não os agridam direta ou indiretamente, zelando pelo ambiente econômico, social e natural que requerem.
  • 17. ● Alcoa busca a sustentabilidade no setor de mineração ● Amanco investe em materiais de menor impacto ambiental ● Anglo American aposta no diálogo com as comunidades ● Bradesco leva educação financeira à população carente ● Braskem é líder global no uso de materiais renováveis ● Bunge cria embalagem biodegradável para margarina ● Etc.
  • 18. Dicas para otimizar a responsabilidade socioambiental da sua empresa
  • 19. 1) O respeito ao meio ambiente como parte dos valores da empresa A postura consciente, independente do que preconiza a legislação ambiental brasileira, deve fazer parte dos valores da empresa. É preciso estabelecer, antes de mais nada, o respeito por meio da adoção de práticas em favor da sociedade e do meio ambiente, encarando as ações preventivas e sustentáveis como meta final. A empresa que investe em açõs ambientais responsáveis beneficia o colaborador, constrói uma imagem positiva no mercado e também sai na frente em produtividade, inovação e satisfação ao cliente.
  • 20. 2) Os benefícios da inclusão da responsabilidade socioambiental na gestão Para as empresas e indústrias que investem na gestão socioambiental como tópico relevante de suas agendas, há inúmeras vantagens. Além do ganho de imagem pública positiva e de vendas, há a possibilidade de investimentos estrangeiros, já que esse quesito tem um importante peso na seleção desses negócios para receber o benefício. Para que os empreendimentos possam usufruir desses frutos, no entanto, vale destacar que é preciso que todas as suas ações nesse sentido sejam comunicadas à sociedade e stakeholders. A comunicação adequada das ações socioambientais gera mídia espontânea e retorno publicitário à empresa, além de reconhecimento por sua postura de respeito à natureza e ao capital humano. Outro cuidado necessário por parte das indústrias é o de prestação de contas aos investidores e à sociedade, o que denota apreço e crescimento planejado, minimizando riscos judiciais. Transparência é a palavra de ordem.
  • 21. 3) Exemplos práticos: como implantar e otimizar a responsabilidade socioambiental nas corporações? Gerenciar o ciclo de vida dos produtos, desde sua concepção até o descarte pelo cliente, é o primeiro passo do planejamento. Outros bons exemplos são o reúso da água dentro do processo produtivo e a criação de um sistema de reciclagem dos resíduos sólidos, assim como o uso de fontes de energia limpas e renováveis no processo produtivo. A empresa deve implantar sistema de gestão ambiental eficiente, comprar matérias primas de empresas que compartilham dessa postura e dar prioridade aos sistemas de transportes não poluentes com baixo índice de poluição (como ferroviário e marítimo), adotando práticas que não provoquem danos ao meio ambiente. A poluição de rios e os desmatamentos, ainda comuns no meio industrial, são exemplos de práticas que acarretam prejuízos ecológicos e também comprometem a imagem e o crescimento sustentável dos empreendimentos.
  • 22. Os funcionários também devem ser envolvidos por meio de um treinamento que enfoque a importância da sustentabilidade: é importante que o público interno seja o primeiro a assumir uma atitude sustentável. De fato, é somente através da conscientização dos colaboradores que as atitudes sustentáveis se transformam em hábitos permanentes. Fornecedores também devem fazer parte deste ciclo, e a comunidade precisa ser incentivada a compartilhar desses valores adotados pela empresa. Para implantar as ações acima como pertencentes ao modelo de gestão da sua indústria, 3 passos essenciais se fazem necessários:
  • 23. ● Criar e implementar diretrizes estratégicas que explicite as novas metas e princípios socioambientais da empresa e integrá-la aos processos cotidianos, compartilhando-a com funcionários e dirigentes; ● Formular um código de ética que formalize e consolide os valores instituídos, de modo que funcionários e dirigentes tomem decisões coerentes com esses valores; ● Implementar uma política corporativa de responsabilidade socioambiental, com o intuito de avaliar os processos da indústria de maneira conivente com suas metas e necessidades internas e também com as demandas e valores da sociedade, do governo, do mercado e do meio ambiente.
  • 25. Bibliografia http://www.responsabilidadesocial.com/o-que-e-responsabilidade-social EON, Fábio. O que é responsabilidade social? Revista ResponsabiliadeSocial.com, 2015. http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/as-20-empresas-modelo-em-responsabili dade-socioambiental#6 http://www.teraambiental.com.br/blog-da-tera-ambiental/dicas-para-otimizar-a-resp onsabilidade-socioambiental-da-sua-empresa