Balanceamento de equações de reações de oxidorredução

1.988 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.988
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
77
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Balanceamento de equações de reações de oxidorredução

  1. 1. BALANCEAMENTO DE EQUAÇÕES DE REAÇÕES DE OXIDORREDUÇÃO Página 231
  2. 2. LEI DA LAVOISIER “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.” LEI DA CONSERVAÇÃO DA MASSA “A soma das massas dos reagentes é igual a soma das massas dos produtos.”
  3. 3. BALANCEAMENTO DE EQUAÇÕES Balancear uma equação consiste em determinar os coeficientes estequiométricos das substâncias presentes na equação química com o objetivo de igualar a quantidade de átomos dos reagentes com o dos produtos.
  4. 4. MÉTODOS DE BALANCEAMENTO Tentativa e erro Oxidorredução
  5. 5. BALANCEAMENTO POR OXIDORREDUÇÃO O balanceamento de uma equação de oxidorredução se baseia na igualdade do número de elétrons cedidos com o número de elétrons recebidos, ou seja, o número de elétrons cedidos pela espécie redutora deve ser igual ao recebido pela espécie oxidante .
  6. 6. No balanceamento por oxidorredução, o número de elétrons cedidos pela espécie redutora deve ser igual ao recebido pela espécie oxidante. Um método simples de se realizar esse balanceamento é dado pelos passos a seguir:
  7. 7. Vejamos na prática como aplicar esses passos, por meio do seguinte exemplo: Reação entre uma solução aquosa de permanganato de potássio e ácido clorídrico: KMnO4 + HCl → KCl + MnCl2 + Cl2 + H2O
  8. 8. 1º passo Determinar os números de oxidação +1 +7 -2 +1 -1 +1 -1 +2 -1 0 +1 -2 KMnO4 + HCl → KCl + MnCl2 + Cl2 + H2O
  9. 9. 2º passo Determinação da variação da oxidação e da redução: O manganês (Mn) sofre redução Cloro (Cl) sofre oxidação MnCl2  +7 para +2  ∆Nox = 5 Cl2  -1 para 0  ∆Nox = 2 (2 átomos) Podemos notar que o HCl originou 3 compostos (KCl, MnCl2, e Cl2), mas o que nos interessa é o Cl2, pois é o seu Nox que sofreu variação. Cada cloro que forma Cl2 perde 1 elétron; como são necessários 2 cloros para formar cada Cl2, são perdidos então dois elétrons.
  10. 10. 3º passo Inversão dos valores de ∆: Nesse passo, os valores de ∆ são trocados entre as espécies citadas, tornando-se os coeficientes delas: MnCl2 = ∆Nox = 5 → 5 será o coeficiente de Cl2 Cl2 = ∆Nox = 2→ 2 será o coeficiente de MnCl2 KMnO4 + HCl → KCl + 2 MnCl2 + 5 Cl2 + H2O Nesse momento já é possível conhecer dois coeficientes da equação.
  11. 11. 4º passo Balanceamento por tentativa: KMnO4 + HCl → KCl + 2 MnCl2 + 5 Cl2 + H2O 2 KMnO4 + HCl → KCl + 2 MnCl2 + 5 Cl2 + H2O 2 KMnO4 + 16 HCl → 2 KCl + 2 MnCl2 + 5 Cl2 + H2O 2 KMnO4 + 16 HCl → 2 KCl + 2 MnCl2 + 5 Cl2 + 8 H2O
  12. 12. EXERCÍCIOS Página 233 Questões 1 a 16

×