Capítulo vii – o orgulho e a humildade

3.100 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.100
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
160
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Capítulo vii – o orgulho e a humildade

  1. 1. EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO-CAPÍTULO VII - BEM AVENTURADOS OS POBRES DE ESPÍRITO Instruções dos Espíritos O orgulho e a humildade - Item 11
  2. 2. O objetivo deste estudo é mostrar que a humildade é a virtude fundamental, dela deriva todas as demais virtudes.
  3. 3. Orgulho – Conceito elevado ou exagerado de si próprio; amor- próprio demasiado; soberba. Humildade – Virtude que conduz o indivíduo à consciência das suas limitações. O humilde não se envaidece com o elogio ou com a situação de destaque em que se encontre.
  4. 4. Religião – Virtude cristã, oposta à soberba, muito recomendada por Jesus.
  5. 5. O Espiritismo nos revela que ao longo de suas inúmeras reencarnações, o Espírito escolhe as situações que enveredam mais para o orgulho do que para a humildade. Pela simples razão da facilidade de se entrar pela porta larga que conduz à perdição, isto é, pelos prazeres materiais.
  6. 6. Todo ser orgulhoso se sente melhor e/ou maior que o seu semelhante...ele precisa possuir alguma coisa; o nada lhe amargura a vida. Por isso, a sigla de “doutor”, mesmo no meio cristão. Não é uma espécie de orgulho, de vaidade? Sempre que alguém quer saber algo a nosso respeito, não nos pergunta o que somos, mas o que temos, ou seja, profissão, bens, propriedades, religião etc.
  7. 7. Por isso, a luta para possuir bens, mesmo que esses bens não nos satisfaçam interiormente, mas, nos dá uma certa segurança. Em geral, as pessoas que de repente ficam ricas ou passam a ocupar uma posição de destaque social mudam-se rapidamente seu comportamento...
  8. 8. O Ter, quase sempre, pode gerar orgulho e soberba. São poucas as pessoas que sabem administrar a riqueza. Os desejos humanos insaciáveis induzem-nos a procurar sempre mais. . Semelhante ao viciado em drogas: começa com pequenas doses; depois, tem que aumentá-las, pois o pouco já não lhe satisfaz. .
  9. 9. O desejo descontrolado acaba torturando a maioria das pessoas. Aliado à posse de bens, há o medo: de que seremos roubados, de que não teremos o que comer, etc. . A virtude integra à essência da alma. Não é a pobreza que significa humildade., pois há muitos pobres que invejam os ricos, de modo que eles são mais orgulhosos do que aqueles...
  10. 10. Quando o homem compreende sua condição de servo do senhor, tudo à sua volta toma outro sentido. Ele fala, ouve, age, discute, sofre, chora e ri como outro ser humano qualquer, mas o faz de forma civilizada, equilibrada. . Esta é a grande lição que os Espíritos benfeitores nos trazem. O verdadeiro humilde geralmente não sabe que o é. Para ele, essa condição é tão natural que nem o percebe.
  11. 11. O humilde coloca-se dentro de sua capacidade, observando sempre as suas limitações. Ele simplesmente atende a um chamado de ordem superior e segue o seu caminho com uma fé inabalável. . Jesus Cristo deu-nos o exemplo da virtude máxima, amando e ordenando que amássemos os próprios inimigos.
  12. 12. É inútil conhecer profundamente a teologia e as concepções filosóficas, se não nos fizermos humildes como as crianças, não entraremos na posse da verdade. . “Oh, rico! Enquanto dormes sob tetos dourados, ao abrigo do frio, não sabes que milhares de teus irmãos, iguais a ti, estão estirados sobre a palha? O infeliz que dorme sobre a palha não é teu igual?...”
  13. 13. Olhemos com outros olhos sobre a realidade das coisas desse mundo. O Evangelho se fundamenta numa lei científica: desprendimento dos bens materiais. Aquele que construir a sua vida, seguindo os exemplos de Cristo, terá como recompensa as bem-aventuranças do reino de Deus. .
  14. 14. Para as pessoas realmente humildes, não há separação entre raças, religião, cor da pele...etc. Não nos iludamos com a subida inesperada do orgulhoso e as vantagens aparentes da riqueza.
  15. 15. “Lembra-te de que os bons Espíritos só dispensam assistência aos que servem a Deus com humildade e desinteresse e que repudiam a todo aquele que busca nas sendas do céu um degrau para conquistar as coisas da Terra; que se afastam do orgulhoso e do ambicioso...” . Que atendamos resignadamente às determinações da vontade de Deus a nosso respeito. (Livro dos Espíritos - Prolegômenos)
  16. 16. Bibliografia Consultada: KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 39. ed. São Paulo: IDE, 1984. KARDEC, A. O Livro dos Espíritos. 8. ed. São Paulo: Feesp, 1995. DICIONÀRIO, Online Texto em HTML: http://www.sergiobiagigregorio.com.br/palestra/orgulho- humildade.htm

×