Historico da instituicao

259 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Historico da instituicao

  1. 1. Histórico da Instituição A Escola Municipal de Educação Básica Profª “Maria Barbosa Martins”. Tem sua sede no Distrito de Bonsucesso. A Região ribeirinha foi povoada nas primeiras décadas do século XIX, ainda nos tempos coloniais, quando fora Criada a sesmaria de Bonsucesso em 1823. A escola esta localizada na barranca direita do Rio Cuiabá, a 300 metros de sua margem. Funciona em regime de externato, nos períodos matutinos e vespertinos, oferecendo Educação Infantil: Pré- escolar e Ensino Fundamental 1º ao 9º ano. Fu nciona em regime de externato, nos períodos matutinos e vespertinos, oferecendo Educação Infantil: Pré-escola e Ensino Fundamental 1º ao 9º ano. Inauguração do Novo prédio da Escola Profª Maria Barbosa Martins – após sua destruição com a enchente de 1974.
  2. 2. A condição de moradia existente na Localidade é um aspecto bastante positivo, pelo fato de a maioria possuir casa própria, apesar de em muitos casos serem terras devolutas, não estarem regularizadas em escrituradas de lavratura pública, são donatários por gerações de suas residências, a possuindo por herança as que estão regularizadas junto ao poder público. Em contrapartida as residências são abastecidas por uma rede publica de água, a qual é imprópria para consumo, devido à alta concentração de minério de ferro ocasionando a sua alcalinidade. A formação profissional dos membros da comunidade é diversificada. Em vista da mudança nas atividades econômicas de subsistência, os pais viram-se na iminência de perderem a única fonte de renda e voltaram às escolas para concluírem o Ensino fundamental, ainda que muitos não tenham prosseguido os estudos e concluído o Ensino Médio. Esta volta à escola contribui sobre maneira na educação dos filhos uma vez que eles podem auxiliá-los em casa. Entretanto a elevação do nível de escolaridade ainda não contribuiu para uma boa formação profissional e qualidade de vida, visto que as ocupações continuam sendo em subemprego, o que gera baixa estima. Em relação à organização popular da comunidade a mesma é congregada nos movimentos sociais, sendo hoje representados, pela: Associação de Moradores do Distrito de Bonsucesso; Associação de Cultura e turismo de Bonsucesso – sendo uma proposta de congregação os proprietários de peixarias e a comunidade do entorno do turismo local da Rota do Peixe sob assessoria do SEBRAE-MT desde 2003, em convênio com a Prefeitura Municipal – Associação de Pescadores do Distrito de Bonsucesso; CORIMBATÁ – Cooperativa de Pescadores e Artesanato de Bonsucesso e Pai André, que em parceria coma Unidade Escolar via Fundação Banco do Brasil mantem a Estação Digital dentro do Laboratório da Escola.
  3. 3. Assim, a Unidade Escolar e uma referencia na comunidade local e Região, com seus eventos anuais, como: Feira das Ciências, Festa do Folclore, Dia das Crianças, OLIMBM – Olimpíadas da Escola Cidadã Profª Maria Barbosa Martins – organizadas e realizadas pela COMFESCI – Comissão de Festa da Escola Cidadã – constituída por membros da comunidade organizada e escola sendo eleita anualmente para o evento que tem duração de três dias com muitas atividades desportivas e momentos de lazer com a participação de todos. Quanto à participação na vida pública e política do Distrito como movimento de bairro, as associações e ONG’s, a comunidade tem uma participação incipiente. Como movimento da Sociedade Organizada, o compromisso é bastante tímido, uma vez que as lideranças que as congregam não dispõe de uma formação e esclarecimento de seus direitos constitucionais, suficientes para buscar soluções de seus problemas do cotidiano da comunidade e região. A relação da escola com as lideranças Comunitárias é harmônica, estando sempre que preciso unidos para a ocupação de seus espaços na vida da comunidade. A formação populacional de Bonsucesso é diversificada, tendo sua origem em diversas regiões brasileiras, exemplos: cuiabanos, goianos, paulistas, paranaenses e mineiros. Mesmo assim, há a predominância de filhos da terra, embora este processo imigratório já conte com algumas décadas,
  4. 4. promovidos pela vocação de aventura e pro buscarem melhores condições de vida e tranqüilidade do lugar. A comunidade é bastante solidaria, não há a constatação de discriminação racial, religiosa e opção sexual, sendo bastante acolhedora e há uma harmonia no convívio popular do cotidiano da população.
  5. 5. Criação e Aspectos Legais A Escola Municipal de Educação Básica Profª. Maria Barbosa Martins é herdeira direta da historia da Educação no distrito ainda em tempos memoriais na primeira década do século XX. A historia da Educação Distrital em Bonsucesso está inteiramente ligada a criação da primeira escola com o nome de Escola Mista de Bonsucesso nesta região em 1908, tendo como primeiro educador o professor Miguel José da Silva, porém em 1915 foi transferida para Capão Grande. Em seu lugar foi criada outra escola pelo Decreto lei nº 511-A, no governo de Dom Aquino Correa, sendo instalada neste local em 16 de março de 1920, a qual veio transferida da localidade de Sucuri, então denominada Escola Rural Mista. Durante as grande chuvas de 1974, como uma das maiores enchente do Rio Cuiabá, O prédio escolar, fora totalmente destruído. Vale salientar que até a enchente, a Unidade era de responsabilidade do governo do Estado de Mato Grosso. A sua reconstrução, sob a responsabilidade do governo Municipal de Várzea Grande, ocorre em 1976, durante a gestão do então prefeito Municipal Engº. Júlio José de Campos, a qual passa a partir desta reconstrução para a administração pública municipal, que a recriou pelo e denominou com a edição do Decreto Municipal nº 163/76 de 23 de Junho de 1976, como Escola Municipal de 1º Grau Professora Maria Barbosa Martins. Pela Lei Municipal nº 2.389 de 22 de Novembro de 2001, fora A Profª Maria Barbosa Martins, como patrona, descerrando Placa de inauguração do Novo Prédio Escola - pós enchente de 1974.
  6. 6. ratificado no Art. 3º, a denominação da Unidade como Escola Municipal de Educação Básica Prof.ª Maria Barbosa Martins, atendendo aos dispositivo legais da Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional – LDB. A atual Unidade escolar foi, autorizada a funcionar pela Resolução nº 158/86, de 13/05/1986 - CEE, tendo seu reconhecimento renovado pela Portaria nº 147/02-CEE - D.O. 25/09/2002 - mantida pelo Governo Municipal, através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, situada à Av. Castelo Branco, nº 2500, Paço Municipal Couto Magalhães, Bairro Água Limpa – Várzea Grande - MT. Em 2008, obteve O Recredenciamento junto ao Conselho Municipal de Educação - em nível de Ensino para a Educação Infantil – Pré-Escolar e Ensino Fundamental pela Resolução nº 013 de Junho de 2008 e estando Autorizada Pelo Conselho Municipal de Educação através da Resolução nº 036 de 10 de Dezembro de 2012. Desde 2002, compartilhamos as instalações de nosso prédio escolar com o governo de Mato Grosso – Secretaria de estado de Educação, havendo a sedencia a Escola Estadual Luiz Pedroso e Silva, que o utiliza na oferta, no período noturno do Ensino Médio a uma clientela do distrito e região, atendendo a 160 alunos, matriculados da Educação de Jovens e Adultos e Ensino Médio. A Atual Unidade Escolar, hoje ligada a modernidade com linhas telefônicas com acesso a internet e contando com um laboratório de informática totalmente equipado, fax e possuindo um sistema de informática própria na sua administração é a herdeira direta dos primórdios da educação aqui na Barranca direita do Rio Cuiabá que teve suas origens ainda na primeira década do Século XX. Como detentora desta historicidade os filhos destas terras ribeirinhas e os que por adoção as ocupam tem orgulho de ser simples e viver uma cultura forte em suas práticas sociais no dia a dia de sua vida calma, que nos finais de semana é alterado pelos inúmeros visitantes vindo degustar de sua rica culinária a base de peixe. Assim, Várzea Grande é a mãe que tem no filho mais velho assegurada as suas tradições e a manutenção dos princípios da religiosidade popular nas Festa de Santos como São Benedito, Divino espírito Santo e São Pedro, além das festa profanas como o tradicional Carnaval de Rua de Bonsucesso.
  7. 7. A Patrona da Unidade de Ensino A Professora Maria Barbosa Martins, nasceu em São Luis do Maranhão, no dia 29 de julho de 1915, filha de José Joaquim Barbosa e de Severa da Cunha Barbosa. Iniciou seus estudos em 1922, tendo concluído o curso normal (Magistério), em 1934 no Instituto Rosa Castro, na capital maranhense. Em 1978, em nível de pós-graduação, fez especialização em planejamento educacional, em curso promovido pelo Instituto de Estudos Avançados IESAE, da Fundação Getúlio Vargas, em Cuiabá. Suas atividades profissionais tiveram início em 1934, quando cursava o último ano da escola normal, em substituição a uma professora que adoecera, lecionando como voluntária numa instituição espírita beneficente, em São Luis. Casou-se com o Sr. Hilton Teixeira Martins. Na década de 40, acompanhada de seu marido, mudou-se para Mato Grosso, na cidade Torixoréu. E mais tarde, para Cuiabá, sempre no exercício de sua função. Em 1971, assumiu a Coordenação do Movimento de Educação de Base - MEB, tendo com sua equipe, desenvolvida intensa atividade junto às
  8. 8. comunidades ribeirinhas da baixada cuiabana, entre elas a Comunidade Distrital de Bonsucesso, seu trabalho buscava envolver as pessoas para serem alfabetizadas a partir de suas próprias experiências culturais. Dentre as diversas localidades onde o MEB atuou, a do Distrito de Bonsucesso, em Várzea Grande, na opinião da professora Maria Barbosa Martins, foi a que apresentou melhores resultados com conquista incomparáveis, no desempenho na apropriação de novos conhecimentos e manutenção dos valores locais. Na época, foram realizados trabalhos com grande repercussão na história da comunidade, a qual sofrera um impacto com a enchente de 1974, uma das maiores já registradas, que destruiu várias casas da Comunidade, desabrigando várias famílias. Juntamente com o MEB, Maria Barbosa Martins, fez de tudo para a reconstrução das casas e do prédio escolar que ruíram com as enchentes de 1974, em regime de mutirão. Tendo recebido apoio financeiro de uma organização Assistencial Alemã foram construídas casas de alvenaria pelos próprios moradores. Devido a essa grande ação comunitária, coordenada por Maria Barbosa, a professora Maria Benedita de Magalhães, a popular Maria Titi, filha e moradora do Distrito, em agradecimento e reconhecimento da comunidade a esta grande educadora, sugeriu o nome da benfeitora à escola do Distrito, em sua homenagem. Maria Barbosa Martins fora visitada pelo gestor Escolar em 2003, na Capital matogrossense, contando com 88 anos de vida dedicada a educação e alimentando grandes sonhos, para o segmento educacional da sociedade brasileira, embora já não possa fazer muito pela
  9. 9. causa, sendo seu exemplo o guia das novas gerações de docentes. Faleceu em 2006 aos 91 anos.
  10. 10. Órgão de Representação Colegiada e Gestão CCDE - Conselho consultivo e Deliberativo Escolar Profª. Maria Barbosa Martins – Inscrito no CNPJ: nº 02.003.455/0001-96 – com sede no mesmo endereço da Unidade de Ensino. Composto nos termos da Lei Federal 9.394 de 20 de Dezembro de 1996 – Lei de diretrizes e Base da Educação Nacional e Lei Municipal nº 2.380 de 03 de Setembro de 2001 e resoluções do Conselho Municipal de Educação. Composto, por representação paritária dos segmentos da comunidade escolar interna. O Conselho Escolar, com personalidade Jurídica de Direito civil Privado, organização da sociedade Civil sem fins lucrativos, composto pelos representantes dos segmentos da Unidade de Ensino, sua comunidade Interna, indicados através de eleições livres entre seus pares, é o Órgão consultivo e Deliberativo nos assuntos referentes à Gestão Pedagógica, Administrativa e Financeira da Unidade Escolar. O Conselho Escolar visa ao desenvolvimen to das atividades de ensino, dentro do espírito democrático, assegurando a participação dos segmentos da Comunidade Escolar na discussão das questões pedagógico-administrativo-financeiras. Tem funcionamento de Caráter deliberativo e representativo da Comunidade Escolar, e fiel guardião das práticas Democráticas da comunidade escolar interna e do seu entorno, tendo por atribuições principais:
  11. 11. I. Ser um Órgão Gestor que junto a direção da Unidade Delibera e compartilha responsabilidade na Gestão dos serviços Educacionais oferecidos a Comunidade no cumprimento da função social da Escola; II. Ser um canal de ligações garantia dos segmentos a seus pares, na defesa imparcial dos interesses coletivos e primar por uma educação de qualidade e igualitária; III. Deliberar as ações de interesses coletivos, quanto as questões administrativas, pedagógicas e a gestão financeira dos recursos disponibilizados pelo poder público e outras fontes nos termos da legislação vigente; IV. Participar do Planejamento Curricular a fim de garantir conteúdos que atendam aos anseios da comunidade e respeitem suas raízes culturais; V. Dialogar com a Secretaria Municipal de Educação e com a comunidade, buscando apóio para o bom andamento das atividades educacionais; VI. Incentivar e participar das comemorações e demais acontecimentos cívicos e culturais. Organização da Instituição seguinte o Seguinte Organograma Funcional: Gestão, Administração Funcional e Comunidade:
  12. 12. Departamento que compõem a Unidade de Ensino: Direção; Coordenação Pedagógica; Secretaria; Salas de Aulas; Laboratório de informática; Cozinha; Zeladoria; Arquivo; Deposito de Materiais. Recursos Financeiros e Manutenção A Autonomia Financeira Escolar, concedida pela vigência da Lei Municipal nº 2.380 de 03 de setembro de 2001, em seu Capitulo III art. 127 escreve o legislador: “A autonomia da Gestão Financeira da Unidade Escolar, objetiva o seu funcionamento eficiente e a melhoria do padrão de qualidade, observando-se: I. Elaboração de projetos visando a implementação da qualidade de ensino na Unidade Escolar; II. Promoção e garantia do desenvolvimento de estudos e pesquisas, buscando o aperfeiçoamento constante e progressivo do processo de ensino aprendizagem. Em Seu Art. 128, escreve a origem do dos recursos que constituem as fontes de financiamento da Educação em sua Unidade de Ensino: I. Repasse, doações, subvenções que lhe forem concedidas pela União, Estado e Município, Entidades Públicas ou Privadas e quaisquer outras categorias ou entes comunitários; II. Renda de exploração de cantina, bem como outras iniciativas ou promoções. Assim, cremos que a educação de qualidade, é responsabilidade de toda a sociedade inclusive aquele que vive em seu entorno, com obrigações para garanti-lhe qualidade e quantidade, e não só do poder Público, mas é preciso que cada cidadão assuma o seu papel para que
  13. 13. possa garantir a sua funcionalidade e cumprir a sua função social, disponibilizando acesso irrestrito aos que em idade certa dela precise para sua formação, proteção e garantias educacionais e sociais. Escola Municipal de Educação Básica Profª. “Maria Barbosa Martins” Herdeira da Genesis da Educação Distrital de 1908 - “105 Anos Promovendo a apropriação do Saber e a Cultura do Sucesso”

×