SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Apresentação ALFOB
Preparado por RM Consult – mar-2014
1. Alinhamento estratégico com as Políticas de Governo
2. Alfob e sua potencial abrangência no seguimento
3. Organização da Associação
4. Nova Imagem reforçando a proposta de REDE
5. Avaliação do cenário histórico
6. Planejamento estratégico 2014 -15
7. Alfob como ferramenta do Complexo Industrial da Saúde
8. Propostas de trabalho
9. Ações imediatas
Conteúdo
Tendências da Inovação em Saúde
• Novos medicamentos biológicos para DCD
• Câncer, Diabetes, Doença cardio-vascular
• Hemoderivados e hemocomponentes
• Doenças reumatológicas
• Doenças neurológicas e psiquiátricas
• Stents e Próteses ortopédicas
• Novos imunosupressores para transplantes
• Novos anti-retrovirais: AIDS e HepatiteC
• Novos Soros e Vacinas: HPV
• Produtos para diagnóstico de uso in vitro
• Materiais, partes, peças, software e outros componentes
tecnológicos críticos
Alinhamento com o projeto Brasil maior
Alinhamento com o Complexo Industrial da Saúde
I. Apoiar a modernização e estruturação produtiva e gerencial;
II. Apoiar a qualificação da produção e manter vigente o CBPF emitido pela
ANVISA;
III. Fortalecer as PDPs visando desenvolver e absorver produtos estratégicos
para o SUS;
IV. Apoiar a qualificação da gestão com vistas a promover maior eficiência e
efetividade;
V. Apoiar o desenvolvimento tecnológico e a transferência de tecnologias,
estratégicos para SUS;
VI. Manter o aproveitamento das complementariedades entre os laboratórios
e respeitar as vocações e o perfil produtivo; e
VII. Apoiar a infraestrutura pública de tecnologia e inovação para suporte à
produção no País de produtos estratégicos para o SUS.
vulnerabilidade SUS – Complexo Econômico-Industrial
da Saúde - participação no déficit em 2012
Alfob – Parcerias para o Desenvolvimento Produtivoparceriasemprodutossaúde
ProdutosregistradosnaANVISA
produtosadquiridospeloMS
Hemodiálise
Cardiologia
Cirurgia Geral
Urgência e Emergência
Oftalmologia
Diagnóstico e
Monitoração
Transplante
Oncologia (radioterapia)
11 parcerias
15 produtos
7 indicações de uso
15 parceiros
7 públicos
8 privados
Expectativa média de
economia R$ 80 milhões ano
Potencial abrangência Alfob x cadeia produtiva
universo do seguimento
Identificação
Patente
Otimização
Screening
P & D
Laboratorial
IFA Experimental
Desenvolvimento
de Tecnologias
Testes
Clínicos e
Pré-Clínicos
Submissão
p/ aprovação
Desenvolvimento
de Produto
Produção
Piloto
Semiacabado
Produção
Validação
Produção
Excipientes
Formulação
tecnológica
Logística
Propaganda
Colocação no
Ponto de Venda
Marketing
Vendas
Distribuição
Contratos Comerciais
Contratos
Manufatura
Contratos
terceirização
Start-up
Universidades
C
a
d
e
i
a
d
e
V
a
l
o
r
O
u
t
s
o
u
r
c
i
n
g
integração< >
• 104 parcerias anunciadas
– 97 produtos acabados
• 66 medicamentos
• 7 vacinas
• 19 produtos para saúde
• 5 P&D
Alfob – consolidado das parcerias anunciadas
A estimativa média de economia com a participação da REDE de
Laboratórios Produtores Oficiais R$ 4,1 bilhões por ano
Economia de divisas no final dos projetos US$ 3,9 bilhões
Importância da ALFOB e o impacto financeiro proporcionado pelas
PDPs
1- NUPLAM/RN - Medicamentos
2 - LIFESA/PB
3- IPEFARM/PB
4- LAFEPE/PE - Medicamentos
5- HEMOBRÁS/PE - Medicamentos
6- LIFAL/AL - Medicamentos
7- BAHIAFARMA/BA - Medicamentos
8 - IQUEGO/GO - Medicamentos
9- FUNED/MG Medicamentos e Vacinas
10 - FAP/RJ – Vacinas
11- BIO-MANGUINHOS/RJ - Vacinas e Biofármacos
12- FAR-MANGUINHOS/RJ - Medicamentos
13- LFM/RJ – Medicamentos
14- IVB/RJ - Medicamentos e Soros
15- LQFEX/RJ -- Medicamentos
16- LQFA/RJ - Medicamentos
17- BUTANTAN/SP - Vacinas e Soros
18- FURP/SP - Medicamentos
19- TECPAR/PR – Vacinas
20 - CPPI/PR
21- LAFERGS/RS
22- CERTBIO/PB
19,20
17,18
10,11,12,13,
14,15,16
9
8
4,5
6
7
Rede de Laboratórios Farmacêuticos Oficiais
associados
1
2,3
21
Alfob – objetivo, membros e estâncias de governança
ALFOB é uma associação civil sem fins lucrativos, de direito privado, que se pauta
pelos princípios do direito público, com autonomia administrativa, financeira e
patrimonial, de duração indeterminada, regida pelo presente Estatuto e normas
complementares.
Poderão se associar empresas
públicas e organizações não
governamentais sem fins lucrativos,
sociedades de economia mista,
autarquias, institutos, fundações,
centros e universidades que
produzem medicamentos, soros,
vacinas, kits diagnósticos,
biofármacos, hemoderivados,
produtos para saúde e produtos e
serviços complementares às
atividades de interesse do Sistema
Único de Saúde (SUS)
A ALFOB é organizada em instâncias:
 Deliberativas
Assembleia Geral
Presidência
(diretoria) Vice Presidências
 Conselhos:
Conselho Consultivo
Conselho Fiscal
 Executiva
Secretaria Executiva
Comissões Técnicas
Presidente
Ronaldo Dias
Assembleia
Todos os Membros
Vice
Presidente
*********
Vice
Presidente
***********
Vice
Presidente
***********
Vice
Presidente
************
Vice
Presidente
************
Conselhos
Consultivos
Grupos
Temáticos
Secretaria Executiva
Conselho
Fiscal
Presidente
Conselheiro Conselheiro
Auditoria
suplentes
Governança
J.G. Temporão
Ex-presidentes
Biofármacos, Quimioterápicos, Kits diagnósticos,
Hemoderivados, Produtos para Saúde
• Durval de Morais Junior
• ******
• ******
Nova imagem e veículos de comunicação
O blog: www.alfob.blogspot.com
O Site: www.alfob.org
• Fortalece a Proposta de REDE
• Equiparação a Estrutura de Funcionamento do CONASS e CONASSEMS
• 5 Vice Presidências Regionais, maior participação & interação
• Profissionalização da Equipe Operacional para exercer a função da
Secretaria Executiva (nos mesmos moldes do CONASS e CONASSEMS)
• Criação do Conselho Consultivo*, composto por ex-presidentes e pessoas
de notório saber
• Reorganização dos Grupos Temáticos (espelhados aos Grupos da ANVISA)
• Estruturação da Instituição como Ferramenta para Fortalecimento da REDE
Técnico Científica de formação, consultoria, engenharia, treinamento
* O Ex Ministro da Saúde José G. Temporão já aceitou o convite para compor o
Conselho
O Novo Estatuto
Alfob - cenário atual
Os Laboratórios oficiais estruturados, em sua maioria, há mais de 20 anos,
em sinergia com a política implementada pela antiga CEME
A dependência das ações e do fomento proporcionados pelo MS
A diversificação de modelos e estruturas jurídicas e administrativas com
diferentes sistemas de governança
A rápida modernização do marco regulatório sanitário e a competitividade
preconizada pela Politica Estratégica implementada pelo CIS
O papel atribuído a REDE de Laboratórios como instrumento imprescindível
para o êxito dos projetos das PDPs
A inadiável necessidade de modernizar o parque industrial e tecnológico,
seu processos de: gestão, capacitação, motivação e fixação dos recursos
humanos no âmbito da REDE
Os investimentos necessários para: atualizar as plantas industriais e certificá-las em
Boas Práticas de Fabricação e Controle
As dificuldades dos Laboratórios em manter os registros sanitários, as
certificações de BPFC e de atualizar seu elenco de produtos
Requer um organismo público de cunho técnico, científico, independente,
imparcial, que possa proporcionar o necessário suporte à REDE sem conflito de
interesses, para:
 Executar, implementar e acompanhar projetos,
 Assessorar tecnicamente às áreas reguladas que envolvem a ANVISA
(Desenvolvimentos, Estudos, Registros, Inspeções, Certificações),
 Catalisar e Induzir novas Alianças,
 Certificador qualificado de Fornecedores e Serviços, com
intercâmbio dentro da REDE,
 Facilitador qualificado que possa interagir e colaborar na busca de
sinergias e soluções dentro e fora da REDE, de forma direta e
independente
 Formador de Recursos Qualificados, focado nas necessidades
específicas da REDE
Alfob - cenário atual 2
0
50
100
150
200
250
300
2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015
Investimentos na REDE de Produtores Oficiais
PPA 2012-2015 (Lei 12.593/2012):
produtores públicos objeto de medidas voltadas para
qualificação da gestão, estruturação e modernização
produtiva
considera prioritária a Política Nacional de Saúde e a
Política Industrial (Plano Brasil Maior)
Dotação orçamentária de cerca R$1 bilhão para os
próximos quatro anos, com a expectativa de alavancar
mais R! 1 bilhão nas contrapartidas. Total: R$ 2 bilhões
Estabelecimento dos Comitês Gestores do Gecis, do
Projeto, e da ANVISA
Acumulado de 2000 a 2011 em 2012 De 2012 a 2015
512 milhões 250 milhões 1 bilhão
Expectativa de Governança
Implantação de sistema eficiente de gestão que assegure o
efetivo cumprimento dos objetivos estabelecidos;
Gestão compatível com os projetos em desenvolvimento
interlocução regular com o Comitê Gestor PROCIS, nas áreas:
regulatória;
controle e garantia da qualidade;
produtiva;
logística;
suprimentos; e
jurídica.
Alfob - ferramenta do Compl. Ind. da Saúde
A REDE possui mais valias e expertises que podem e devem ser disponibilizadas
para o MS–SCTIE, à ANVISA e para a REDE
Existe capacitação na REDE para contribuir com as soluções das carências
identificadas
O regime jurídico da Alfob, como Associação, proporciona flexibilidade para
instrumentalizar as ações do Ministério da Saúde, da SCTIE, da ANVISA e as
próprias iniciativas da REDE
A experiência do Grupo gestor da Alfob em sinergia com a profissionalização
do TIME e a reativação das Câmaras Temáticas contribuirão para a governança
de projetos, desenvolvimentos técnicos, científicos regulatórios e estratégicos,
proporcionando capacitação para toda cadeia envolvida
Canal privilegiado para absorção e consolidação do conhecimento adquirido
com as potenciais parcerias que envolvem transferência de tecnologia
Ações de Integração
 Consolidação da imagem de REDE
 Espaço para que os produtores divulguem suas
atividades no site e no blog
 Gestão Regionalizada (5 vice presidências)
 Reuniões mensais, e, algumas itinerantes, alternadas
em cada sede de um produtor oficial, que será o
anfitrião
 Abertura do Estatuto para receber todos os
produtores oficiais como parceiros da REDE
 Abertura para participação de potenciais parceiros de
interesse da REDE e do SUS; como o Universidades,
Centros de Pesquisa & ensaios clínicos, dentre outros
Ações Estruturantes
o Atualização do Estatuto permitirá maior interação e desenvolvimento
de ações em REDE
o Profissionalização do TIME da Secretaria Executiva
o Retomada das oficinas dos Grupo Temáticos
o Desenvolvimento de convênios de parceria e colaboração técnico
científica com: SCTIE, ANVISA, CNPQ, FINEP, EMBRAPII outras
Associações de classe afins de interesse dos Associados; ABIQUIF,
ABIFINA, ABIIS, ABIMO, ABRAIDI, ABIMED, CBDL, Sindusfarma,
SEBRAE, FIOCRUZ, ABDI, TECPAR EDUCAÇÂO, CONASS, CONASEMSS,
dentre outras
o Identificar e qualificar Consultorias Especializadas nas áreas
Regulatórias, Projetos, desenvolvimento técnico, gestão, logística
Assento permanente na Comissão Gestora das
PDPs e no GECIS
Participação nos trabalhos dos Grupos Temáticos
Participação no Comitê Gestor Regulatório
Proposta de Formação Continuada para os
Colaboradores da cadeia envolvida com o CIS
Outros projetos de interesse da SCTIE e da ANVISA
Trabalho em Sinergia com o SCTIE e com a ANVISA
Contatos
Alfob – Associação dos Laboratórios
Farmacêuticos Oficiais do Brasil
SRTVS Quadra 701 Bloco “O” Salas
662/663 –Ed. Novo Centro
Multiempresarial
CEP 70.340-000
Brasília – DF
Tel.: (61) 3323-9501 ou (61) 3225-4456
E-mail: alfob@alfob.org
Blog: alfob.blogspot.com.br
Site: alfob.org

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório de atividades farmanguinhos
Relatório de atividades farmanguinhosRelatório de atividades farmanguinhos
Relatório de atividades farmanguinhosAndre Nogueira
 
16° Conitec em Evidência-2017 “Perspectivas e inovações no desenvolvimento de...
16° Conitec em Evidência-2017 “Perspectivas e inovações no desenvolvimento de...16° Conitec em Evidência-2017 “Perspectivas e inovações no desenvolvimento de...
16° Conitec em Evidência-2017 “Perspectivas e inovações no desenvolvimento de...CONITEC
 
13º Conitec em evidencia-2017 REBRATS: atuação e oportunidades para a comuni...
13º Conitec em evidencia-2017  REBRATS: atuação e oportunidades para a comuni...13º Conitec em evidencia-2017  REBRATS: atuação e oportunidades para a comuni...
13º Conitec em evidencia-2017 REBRATS: atuação e oportunidades para a comuni...CONITEC
 
Apresentação Institucional Quality Assurance
Apresentação Institucional Quality AssuranceApresentação Institucional Quality Assurance
Apresentação Institucional Quality Assuranceqaconsultoria
 

Mais procurados (8)

Apostila 13485 2012
Apostila 13485 2012Apostila 13485 2012
Apostila 13485 2012
 
Relatório de atividades farmanguinhos
Relatório de atividades farmanguinhosRelatório de atividades farmanguinhos
Relatório de atividades farmanguinhos
 
Nillo qsms
Nillo qsmsNillo qsms
Nillo qsms
 
Aula 02 02 SGQ ISO
Aula 02 02 SGQ ISOAula 02 02 SGQ ISO
Aula 02 02 SGQ ISO
 
16° Conitec em Evidência-2017 “Perspectivas e inovações no desenvolvimento de...
16° Conitec em Evidência-2017 “Perspectivas e inovações no desenvolvimento de...16° Conitec em Evidência-2017 “Perspectivas e inovações no desenvolvimento de...
16° Conitec em Evidência-2017 “Perspectivas e inovações no desenvolvimento de...
 
Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015
Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015
Palestra gestão de riscos na nova ISO 9001:2015
 
13º Conitec em evidencia-2017 REBRATS: atuação e oportunidades para a comuni...
13º Conitec em evidencia-2017  REBRATS: atuação e oportunidades para a comuni...13º Conitec em evidencia-2017  REBRATS: atuação e oportunidades para a comuni...
13º Conitec em evidencia-2017 REBRATS: atuação e oportunidades para a comuni...
 
Apresentação Institucional Quality Assurance
Apresentação Institucional Quality AssuranceApresentação Institucional Quality Assurance
Apresentação Institucional Quality Assurance
 

Semelhante a Apresentação alfob 2016 2017 - 2

Apresentação alfob 2016 2017 - 2
Apresentação alfob 2016 2017 - 2Apresentação alfob 2016 2017 - 2
Apresentação alfob 2016 2017 - 2Alfob
 
Afobapressite 141105073005-conversion-gate01
Afobapressite 141105073005-conversion-gate01Afobapressite 141105073005-conversion-gate01
Afobapressite 141105073005-conversion-gate01Alfob
 
Apresentação ALFOB
Apresentação ALFOBApresentação ALFOB
Apresentação ALFOBAlfob
 
Como montar um laboratório de análises clínicas
Como montar um laboratório de análises clínicasComo montar um laboratório de análises clínicas
Como montar um laboratório de análises clínicasLiana Leuck
 
Plano de-maketing-empresa-alimento(2)
Plano de-maketing-empresa-alimento(2)Plano de-maketing-empresa-alimento(2)
Plano de-maketing-empresa-alimento(2)Vitória Dantas
 
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.CompanyWeb
 
Transformação de processo funed - juliana ramos
Transformação de processo   funed - juliana ramosTransformação de processo   funed - juliana ramos
Transformação de processo funed - juliana ramosEloGroup
 
[BPM DAY SP 2015] [BPM DAY SP 2015] Análise e proposição do Mix de Produtos (...
[BPM DAY SP 2015] [BPM DAY SP 2015] Análise e proposição do Mix de Produtos (...[BPM DAY SP 2015] [BPM DAY SP 2015] Análise e proposição do Mix de Produtos (...
[BPM DAY SP 2015] [BPM DAY SP 2015] Análise e proposição do Mix de Produtos (...EloGroup
 
Plano quadrienal
Plano quadrienalPlano quadrienal
Plano quadrienalmanococs
 
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31Giselle Quartin
 
Super nova desenvolvimento de produtos imunobiológicos e farmacêuticos (3)
Super nova desenvolvimento de produtos imunobiológicos e farmacêuticos (3)Super nova desenvolvimento de produtos imunobiológicos e farmacêuticos (3)
Super nova desenvolvimento de produtos imunobiológicos e farmacêuticos (3)sparksupernova
 
Palestra VI SIMINOVE: Formação acadêmica, empreendedorismo e inovação - Adri...
Palestra VI SIMINOVE: Formação acadêmica, empreendedorismo e inovação -  Adri...Palestra VI SIMINOVE: Formação acadêmica, empreendedorismo e inovação -  Adri...
Palestra VI SIMINOVE: Formação acadêmica, empreendedorismo e inovação - Adri...Sistema Mineiro de Inovação
 
Apresentação Institucional KaVo do Brasil
Apresentação Institucional KaVo do BrasilApresentação Institucional KaVo do Brasil
Apresentação Institucional KaVo do BrasilKaVo do Brasil
 
Balanço da PITCE - Avanços Conquistados e Desafios Imediatos (1).pdf
Balanço da PITCE - Avanços Conquistados e Desafios Imediatos (1).pdfBalanço da PITCE - Avanços Conquistados e Desafios Imediatos (1).pdf
Balanço da PITCE - Avanços Conquistados e Desafios Imediatos (1).pdfThiagoVictor35
 

Semelhante a Apresentação alfob 2016 2017 - 2 (20)

Apresentação alfob 2016 2017 - 2
Apresentação alfob 2016 2017 - 2Apresentação alfob 2016 2017 - 2
Apresentação alfob 2016 2017 - 2
 
Afobapressite 141105073005-conversion-gate01
Afobapressite 141105073005-conversion-gate01Afobapressite 141105073005-conversion-gate01
Afobapressite 141105073005-conversion-gate01
 
Apresentação ALFOB
Apresentação ALFOBApresentação ALFOB
Apresentação ALFOB
 
Dra. eliane bahruth
Dra. eliane bahruthDra. eliane bahruth
Dra. eliane bahruth
 
Como montar um laboratório de análises clínicas
Como montar um laboratório de análises clínicasComo montar um laboratório de análises clínicas
Como montar um laboratório de análises clínicas
 
Apresentação dr. dante alário p&di
Apresentação dr. dante alário   p&diApresentação dr. dante alário   p&di
Apresentação dr. dante alário p&di
 
Plano de-maketing-empresa-alimento(2)
Plano de-maketing-empresa-alimento(2)Plano de-maketing-empresa-alimento(2)
Plano de-maketing-empresa-alimento(2)
 
20150525 apresentação defesa final
20150525 apresentação defesa   final20150525 apresentação defesa   final
20150525 apresentação defesa final
 
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.
 
Transformação de processo funed - juliana ramos
Transformação de processo   funed - juliana ramosTransformação de processo   funed - juliana ramos
Transformação de processo funed - juliana ramos
 
[BPM DAY SP 2015] [BPM DAY SP 2015] Análise e proposição do Mix de Produtos (...
[BPM DAY SP 2015] [BPM DAY SP 2015] Análise e proposição do Mix de Produtos (...[BPM DAY SP 2015] [BPM DAY SP 2015] Análise e proposição do Mix de Produtos (...
[BPM DAY SP 2015] [BPM DAY SP 2015] Análise e proposição do Mix de Produtos (...
 
ADKNOMA . Apresentação Corporativa
ADKNOMA . Apresentação CorporativaADKNOMA . Apresentação Corporativa
ADKNOMA . Apresentação Corporativa
 
Plano quadrienal
Plano quadrienalPlano quadrienal
Plano quadrienal
 
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31
 
FUKUDA_ADITEC
FUKUDA_ADITECFUKUDA_ADITEC
FUKUDA_ADITEC
 
Inspecao Sanitaria
Inspecao SanitariaInspecao Sanitaria
Inspecao Sanitaria
 
Super nova desenvolvimento de produtos imunobiológicos e farmacêuticos (3)
Super nova desenvolvimento de produtos imunobiológicos e farmacêuticos (3)Super nova desenvolvimento de produtos imunobiológicos e farmacêuticos (3)
Super nova desenvolvimento de produtos imunobiológicos e farmacêuticos (3)
 
Palestra VI SIMINOVE: Formação acadêmica, empreendedorismo e inovação - Adri...
Palestra VI SIMINOVE: Formação acadêmica, empreendedorismo e inovação -  Adri...Palestra VI SIMINOVE: Formação acadêmica, empreendedorismo e inovação -  Adri...
Palestra VI SIMINOVE: Formação acadêmica, empreendedorismo e inovação - Adri...
 
Apresentação Institucional KaVo do Brasil
Apresentação Institucional KaVo do BrasilApresentação Institucional KaVo do Brasil
Apresentação Institucional KaVo do Brasil
 
Balanço da PITCE - Avanços Conquistados e Desafios Imediatos (1).pdf
Balanço da PITCE - Avanços Conquistados e Desafios Imediatos (1).pdfBalanço da PITCE - Avanços Conquistados e Desafios Imediatos (1).pdf
Balanço da PITCE - Avanços Conquistados e Desafios Imediatos (1).pdf
 

Mais de Alfob

Apresentação alfob 2016 2017 - 2
Apresentação alfob 2016 2017 - 2Apresentação alfob 2016 2017 - 2
Apresentação alfob 2016 2017 - 2Alfob
 
Bio manguinhos 17
Bio manguinhos 17Bio manguinhos 17
Bio manguinhos 17Alfob
 
Funed 17
Funed   17Funed   17
Funed 17Alfob
 
Far manguinhos 17
Far manguinhos   17Far manguinhos   17
Far manguinhos 17Alfob
 
Certbio imeq apresentação
Certbio imeq  apresentaçãoCertbio imeq  apresentação
Certbio imeq apresentaçãoAlfob
 
Lafepe17.4
Lafepe17.4Lafepe17.4
Lafepe17.4Alfob
 
Lafepe17.3
Lafepe17.3Lafepe17.3
Lafepe17.3Alfob
 
Lfm 2017
Lfm   2017Lfm   2017
Lfm 2017Alfob
 
Ivb 17
Ivb 17Ivb 17
Ivb 17Alfob
 
Butantan 17
Butantan 17Butantan 17
Butantan 17Alfob
 
Folder workshop pdp
Folder workshop pdpFolder workshop pdp
Folder workshop pdpAlfob
 
Lafepe17
Lafepe17Lafepe17
Lafepe17Alfob
 
Carta manifestacao i encontro ciis
Carta manifestacao i encontro ciisCarta manifestacao i encontro ciis
Carta manifestacao i encontro ciisAlfob
 
Carta manifestacao i encontro ciis
Carta manifestacao i encontro ciisCarta manifestacao i encontro ciis
Carta manifestacao i encontro ciisAlfob
 
Lafepe
LafepeLafepe
LafepeAlfob
 
Progr. 28.07
Progr. 28.07Progr. 28.07
Progr. 28.07Alfob
 
Flay pdf
Flay pdfFlay pdf
Flay pdfAlfob
 
Progr. preliminar
Progr. preliminarProgr. preliminar
Progr. preliminarAlfob
 
Lafepe
LafepeLafepe
LafepeAlfob
 

Mais de Alfob (20)

Apresentação alfob 2016 2017 - 2
Apresentação alfob 2016 2017 - 2Apresentação alfob 2016 2017 - 2
Apresentação alfob 2016 2017 - 2
 
Bio manguinhos 17
Bio manguinhos 17Bio manguinhos 17
Bio manguinhos 17
 
Funed 17
Funed   17Funed   17
Funed 17
 
Far manguinhos 17
Far manguinhos   17Far manguinhos   17
Far manguinhos 17
 
Certbio imeq apresentação
Certbio imeq  apresentaçãoCertbio imeq  apresentação
Certbio imeq apresentação
 
Lafepe17.4
Lafepe17.4Lafepe17.4
Lafepe17.4
 
Lafepe17.3
Lafepe17.3Lafepe17.3
Lafepe17.3
 
Lfm 2017
Lfm   2017Lfm   2017
Lfm 2017
 
Ivb 17
Ivb 17Ivb 17
Ivb 17
 
Butantan 17
Butantan 17Butantan 17
Butantan 17
 
Folder workshop pdp
Folder workshop pdpFolder workshop pdp
Folder workshop pdp
 
Lafepe17
Lafepe17Lafepe17
Lafepe17
 
Carta manifestacao i encontro ciis
Carta manifestacao i encontro ciisCarta manifestacao i encontro ciis
Carta manifestacao i encontro ciis
 
Carta manifestacao i encontro ciis
Carta manifestacao i encontro ciisCarta manifestacao i encontro ciis
Carta manifestacao i encontro ciis
 
Lafepe
LafepeLafepe
Lafepe
 
Progr. 28.07
Progr. 28.07Progr. 28.07
Progr. 28.07
 
Flay pdf
Flay pdfFlay pdf
Flay pdf
 
Progr. preliminar
Progr. preliminarProgr. preliminar
Progr. preliminar
 
Lafepe
LafepeLafepe
Lafepe
 
Funed
FunedFuned
Funed
 

Último

ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....TharykBatatinha
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfGiza Carla Nitz
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoDjalmadeAndrade2
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfThiagoAlmeida458596
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOvilcielepazebem
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAndersonMoreira538200
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfmarrudo64
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfGiza Carla Nitz
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfRodrigoSimonato2
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfGiza Carla Nitz
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfamaroalmeida74
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 

Último (17)

ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
 
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalho
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 

Apresentação alfob 2016 2017 - 2

  • 1. Apresentação ALFOB Preparado por RM Consult – mar-2014
  • 2. 1. Alinhamento estratégico com as Políticas de Governo 2. Alfob e sua potencial abrangência no seguimento 3. Organização da Associação 4. Nova Imagem reforçando a proposta de REDE 5. Avaliação do cenário histórico 6. Planejamento estratégico 2014 -15 7. Alfob como ferramenta do Complexo Industrial da Saúde 8. Propostas de trabalho 9. Ações imediatas Conteúdo
  • 3. Tendências da Inovação em Saúde • Novos medicamentos biológicos para DCD • Câncer, Diabetes, Doença cardio-vascular • Hemoderivados e hemocomponentes • Doenças reumatológicas • Doenças neurológicas e psiquiátricas • Stents e Próteses ortopédicas • Novos imunosupressores para transplantes • Novos anti-retrovirais: AIDS e HepatiteC • Novos Soros e Vacinas: HPV • Produtos para diagnóstico de uso in vitro • Materiais, partes, peças, software e outros componentes tecnológicos críticos
  • 4. Alinhamento com o projeto Brasil maior
  • 5. Alinhamento com o Complexo Industrial da Saúde I. Apoiar a modernização e estruturação produtiva e gerencial; II. Apoiar a qualificação da produção e manter vigente o CBPF emitido pela ANVISA; III. Fortalecer as PDPs visando desenvolver e absorver produtos estratégicos para o SUS; IV. Apoiar a qualificação da gestão com vistas a promover maior eficiência e efetividade; V. Apoiar o desenvolvimento tecnológico e a transferência de tecnologias, estratégicos para SUS; VI. Manter o aproveitamento das complementariedades entre os laboratórios e respeitar as vocações e o perfil produtivo; e VII. Apoiar a infraestrutura pública de tecnologia e inovação para suporte à produção no País de produtos estratégicos para o SUS.
  • 6. vulnerabilidade SUS – Complexo Econômico-Industrial da Saúde - participação no déficit em 2012
  • 7. Alfob – Parcerias para o Desenvolvimento Produtivoparceriasemprodutossaúde ProdutosregistradosnaANVISA produtosadquiridospeloMS Hemodiálise Cardiologia Cirurgia Geral Urgência e Emergência Oftalmologia Diagnóstico e Monitoração Transplante Oncologia (radioterapia) 11 parcerias 15 produtos 7 indicações de uso 15 parceiros 7 públicos 8 privados Expectativa média de economia R$ 80 milhões ano
  • 8. Potencial abrangência Alfob x cadeia produtiva universo do seguimento Identificação Patente Otimização Screening P & D Laboratorial IFA Experimental Desenvolvimento de Tecnologias Testes Clínicos e Pré-Clínicos Submissão p/ aprovação Desenvolvimento de Produto Produção Piloto Semiacabado Produção Validação Produção Excipientes Formulação tecnológica Logística Propaganda Colocação no Ponto de Venda Marketing Vendas Distribuição Contratos Comerciais Contratos Manufatura Contratos terceirização Start-up Universidades C a d e i a d e V a l o r O u t s o u r c i n g integração< >
  • 9. • 104 parcerias anunciadas – 97 produtos acabados • 66 medicamentos • 7 vacinas • 19 produtos para saúde • 5 P&D Alfob – consolidado das parcerias anunciadas A estimativa média de economia com a participação da REDE de Laboratórios Produtores Oficiais R$ 4,1 bilhões por ano Economia de divisas no final dos projetos US$ 3,9 bilhões Importância da ALFOB e o impacto financeiro proporcionado pelas PDPs
  • 10. 1- NUPLAM/RN - Medicamentos 2 - LIFESA/PB 3- IPEFARM/PB 4- LAFEPE/PE - Medicamentos 5- HEMOBRÁS/PE - Medicamentos 6- LIFAL/AL - Medicamentos 7- BAHIAFARMA/BA - Medicamentos 8 - IQUEGO/GO - Medicamentos 9- FUNED/MG Medicamentos e Vacinas 10 - FAP/RJ – Vacinas 11- BIO-MANGUINHOS/RJ - Vacinas e Biofármacos 12- FAR-MANGUINHOS/RJ - Medicamentos 13- LFM/RJ – Medicamentos 14- IVB/RJ - Medicamentos e Soros 15- LQFEX/RJ -- Medicamentos 16- LQFA/RJ - Medicamentos 17- BUTANTAN/SP - Vacinas e Soros 18- FURP/SP - Medicamentos 19- TECPAR/PR – Vacinas 20 - CPPI/PR 21- LAFERGS/RS 22- CERTBIO/PB 19,20 17,18 10,11,12,13, 14,15,16 9 8 4,5 6 7 Rede de Laboratórios Farmacêuticos Oficiais associados 1 2,3 21
  • 11. Alfob – objetivo, membros e estâncias de governança ALFOB é uma associação civil sem fins lucrativos, de direito privado, que se pauta pelos princípios do direito público, com autonomia administrativa, financeira e patrimonial, de duração indeterminada, regida pelo presente Estatuto e normas complementares. Poderão se associar empresas públicas e organizações não governamentais sem fins lucrativos, sociedades de economia mista, autarquias, institutos, fundações, centros e universidades que produzem medicamentos, soros, vacinas, kits diagnósticos, biofármacos, hemoderivados, produtos para saúde e produtos e serviços complementares às atividades de interesse do Sistema Único de Saúde (SUS) A ALFOB é organizada em instâncias:  Deliberativas Assembleia Geral Presidência (diretoria) Vice Presidências  Conselhos: Conselho Consultivo Conselho Fiscal  Executiva Secretaria Executiva Comissões Técnicas
  • 12. Presidente Ronaldo Dias Assembleia Todos os Membros Vice Presidente ********* Vice Presidente *********** Vice Presidente *********** Vice Presidente ************ Vice Presidente ************ Conselhos Consultivos Grupos Temáticos Secretaria Executiva Conselho Fiscal Presidente Conselheiro Conselheiro Auditoria suplentes Governança J.G. Temporão Ex-presidentes Biofármacos, Quimioterápicos, Kits diagnósticos, Hemoderivados, Produtos para Saúde • Durval de Morais Junior • ****** • ******
  • 13. Nova imagem e veículos de comunicação O blog: www.alfob.blogspot.com O Site: www.alfob.org
  • 14. • Fortalece a Proposta de REDE • Equiparação a Estrutura de Funcionamento do CONASS e CONASSEMS • 5 Vice Presidências Regionais, maior participação & interação • Profissionalização da Equipe Operacional para exercer a função da Secretaria Executiva (nos mesmos moldes do CONASS e CONASSEMS) • Criação do Conselho Consultivo*, composto por ex-presidentes e pessoas de notório saber • Reorganização dos Grupos Temáticos (espelhados aos Grupos da ANVISA) • Estruturação da Instituição como Ferramenta para Fortalecimento da REDE Técnico Científica de formação, consultoria, engenharia, treinamento * O Ex Ministro da Saúde José G. Temporão já aceitou o convite para compor o Conselho O Novo Estatuto
  • 15. Alfob - cenário atual Os Laboratórios oficiais estruturados, em sua maioria, há mais de 20 anos, em sinergia com a política implementada pela antiga CEME A dependência das ações e do fomento proporcionados pelo MS A diversificação de modelos e estruturas jurídicas e administrativas com diferentes sistemas de governança A rápida modernização do marco regulatório sanitário e a competitividade preconizada pela Politica Estratégica implementada pelo CIS O papel atribuído a REDE de Laboratórios como instrumento imprescindível para o êxito dos projetos das PDPs A inadiável necessidade de modernizar o parque industrial e tecnológico, seu processos de: gestão, capacitação, motivação e fixação dos recursos humanos no âmbito da REDE Os investimentos necessários para: atualizar as plantas industriais e certificá-las em Boas Práticas de Fabricação e Controle
  • 16. As dificuldades dos Laboratórios em manter os registros sanitários, as certificações de BPFC e de atualizar seu elenco de produtos Requer um organismo público de cunho técnico, científico, independente, imparcial, que possa proporcionar o necessário suporte à REDE sem conflito de interesses, para:  Executar, implementar e acompanhar projetos,  Assessorar tecnicamente às áreas reguladas que envolvem a ANVISA (Desenvolvimentos, Estudos, Registros, Inspeções, Certificações),  Catalisar e Induzir novas Alianças,  Certificador qualificado de Fornecedores e Serviços, com intercâmbio dentro da REDE,  Facilitador qualificado que possa interagir e colaborar na busca de sinergias e soluções dentro e fora da REDE, de forma direta e independente  Formador de Recursos Qualificados, focado nas necessidades específicas da REDE Alfob - cenário atual 2
  • 17. 0 50 100 150 200 250 300 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 Investimentos na REDE de Produtores Oficiais PPA 2012-2015 (Lei 12.593/2012): produtores públicos objeto de medidas voltadas para qualificação da gestão, estruturação e modernização produtiva considera prioritária a Política Nacional de Saúde e a Política Industrial (Plano Brasil Maior) Dotação orçamentária de cerca R$1 bilhão para os próximos quatro anos, com a expectativa de alavancar mais R! 1 bilhão nas contrapartidas. Total: R$ 2 bilhões Estabelecimento dos Comitês Gestores do Gecis, do Projeto, e da ANVISA Acumulado de 2000 a 2011 em 2012 De 2012 a 2015 512 milhões 250 milhões 1 bilhão
  • 18. Expectativa de Governança Implantação de sistema eficiente de gestão que assegure o efetivo cumprimento dos objetivos estabelecidos; Gestão compatível com os projetos em desenvolvimento interlocução regular com o Comitê Gestor PROCIS, nas áreas: regulatória; controle e garantia da qualidade; produtiva; logística; suprimentos; e jurídica.
  • 19. Alfob - ferramenta do Compl. Ind. da Saúde A REDE possui mais valias e expertises que podem e devem ser disponibilizadas para o MS–SCTIE, à ANVISA e para a REDE Existe capacitação na REDE para contribuir com as soluções das carências identificadas O regime jurídico da Alfob, como Associação, proporciona flexibilidade para instrumentalizar as ações do Ministério da Saúde, da SCTIE, da ANVISA e as próprias iniciativas da REDE A experiência do Grupo gestor da Alfob em sinergia com a profissionalização do TIME e a reativação das Câmaras Temáticas contribuirão para a governança de projetos, desenvolvimentos técnicos, científicos regulatórios e estratégicos, proporcionando capacitação para toda cadeia envolvida Canal privilegiado para absorção e consolidação do conhecimento adquirido com as potenciais parcerias que envolvem transferência de tecnologia
  • 20. Ações de Integração  Consolidação da imagem de REDE  Espaço para que os produtores divulguem suas atividades no site e no blog  Gestão Regionalizada (5 vice presidências)  Reuniões mensais, e, algumas itinerantes, alternadas em cada sede de um produtor oficial, que será o anfitrião  Abertura do Estatuto para receber todos os produtores oficiais como parceiros da REDE  Abertura para participação de potenciais parceiros de interesse da REDE e do SUS; como o Universidades, Centros de Pesquisa & ensaios clínicos, dentre outros
  • 21. Ações Estruturantes o Atualização do Estatuto permitirá maior interação e desenvolvimento de ações em REDE o Profissionalização do TIME da Secretaria Executiva o Retomada das oficinas dos Grupo Temáticos o Desenvolvimento de convênios de parceria e colaboração técnico científica com: SCTIE, ANVISA, CNPQ, FINEP, EMBRAPII outras Associações de classe afins de interesse dos Associados; ABIQUIF, ABIFINA, ABIIS, ABIMO, ABRAIDI, ABIMED, CBDL, Sindusfarma, SEBRAE, FIOCRUZ, ABDI, TECPAR EDUCAÇÂO, CONASS, CONASEMSS, dentre outras o Identificar e qualificar Consultorias Especializadas nas áreas Regulatórias, Projetos, desenvolvimento técnico, gestão, logística
  • 22. Assento permanente na Comissão Gestora das PDPs e no GECIS Participação nos trabalhos dos Grupos Temáticos Participação no Comitê Gestor Regulatório Proposta de Formação Continuada para os Colaboradores da cadeia envolvida com o CIS Outros projetos de interesse da SCTIE e da ANVISA Trabalho em Sinergia com o SCTIE e com a ANVISA
  • 23. Contatos Alfob – Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Oficiais do Brasil SRTVS Quadra 701 Bloco “O” Salas 662/663 –Ed. Novo Centro Multiempresarial CEP 70.340-000 Brasília – DF Tel.: (61) 3323-9501 ou (61) 3225-4456 E-mail: alfob@alfob.org Blog: alfob.blogspot.com.br Site: alfob.org