SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Baixar para ler offline
Introdução a Agronomia
        Prof. Alex Samuel Rodrigues, Eng. Agro.
1° Semestre do Curso de Engenharia Agronômica
                          UNINOVA/ FUMESUNM
Início da agricultura
 Dez mil anos atrás;
 Primeiras lavouras semeadas.
 Aquino ocidente aprende-se:
     Civilizações do Nilo e Tigre Eufrates

         Antiguidade Greco-Romana

                 Idade Média

                Renascimento

         Expansão Marítima Européia

                à atualidade.
A salinização das áreas irrigadas na antiga
 Mesopotâmia.
 Os gregos se lançaram ao mar por terem
 destruído suas florestas e exaurido seus
 campos.
 Os romanos com suas guerras conquistaram
 ricas terras agrícolas, onde hoje estão os
 areais de um deserto sem esperança.
 Com   escassas possibilidades agrícolas e
 geograficamente voltados para o mar, os
 portugueses tiveram de lançar-se ao oceano
 ainda desconhecido.
 NoBrasil, século XIX, a cafeicultura tornou-
 se a pedra angular da riqueza no Segundo
 Império.
 ...Mas  a história humana não se alimentou
  apenas de catástrofes...
 Civilizações orientais baseadas no arroz
  irrigado, há pelo menos 4000 anos cultivam
  os mesmos terrenos e mantém bons
  rendimentos por hectare.
 Durante  a Idade Média, a França possuía um
  padrão de cultivo que consistia numa rotação
  de trigo, cevada ou centeio e pousio;
 Até 2t de grãos por ha.
 No Brasil, os europeus encontraram sistemas
 relativamente mais sustentáveis, com base na
 agricultura em pequenos roçados e coleta
 combinadas.
A história humana mostra exemplos de relações
 menos predatórias com o ambiente, e hoje,
 podemos resgatar essas formas de uso da terra
 e aprimorá-las à luz do conhecimento atual.
 Com  o pacote composto de monocultura,
 adubos sintéticos e inseticidas, ocorreu o
 crescimento de problemas sanitários com
 doenças e plantas espontâneas.
 Novamente   a solução veio da indústria química
 com a criação dos fungicidas. Os mesmos
 possibilitaram o cultivo de determinadas
 espécies fora daquelas condições normais para
 as quais haviam evoluído.
O   controle de plantas “invasoras” antes se
 operava com o pousio ou por rotações, com os
 sistemas monoculturais ficou difícil seu
 controle.
 Neste momento a indústria química elabora os
 herbicidas, tornando o agricultor totalmente
 dependente de seus produtos.
 Os adubos nitrogenados desenvolvidos a partir da
  indústria do salitre para pólvora;
 Os inseticidas criados a partir da guerra química;
 E os herbicidas foram frutos da guerra do Vietnã.
 Para  combater o inimigo escondido sob a
 floresta era necessário desfolhá-la, para isso foi
 desenvolvido o Agente Laranja.




O Agente laranja é uma mistura de dois herbicidas: o 2,4-D e o 2,4,5-T.
 Isso gerou uma revolução na utilização de mão
  de obra pela agricultura, onde um litro de
  produto podia substituir o trabalho de dezenas
  de homens, possibilitando a expansão das áreas
  cultivadas com monocultura e causando o
  despovoamento do meio rural.
 Na década de 1970 se completou o pacote de
 insumos     químicos:  adubos,   inseticidas,
 fungicidas, herbicidas além das variedades
 modernas.
 Talfoi a expansão do uso dessa tecnologia que
 ficou conhecida como modo “convencional” de
 produção, se incorporando nas mentalidades
 dos agricultores, engenheiros agrônomos e dos
 planejadores.
 Desde    a segunda década do século XX
  começaram      a    surgir  movimentos       que
  apontavam em outras direções;
 Identificando falhas na proposta dominada pela
  química e, dessa perspectiva, propunham-se a
  desenvolver outras soluções, com base numa
  convivência em harmonia com a natureza sob a
  luz do conhecimento científico e espiritual.
 Nas conferências da Organização das Nações
 Unidas sobre o Meio Ambiente e o
 Desenvolvimento, ocorridas em 1972, 1982 e
 1992, materializaram-se as evidências de que
 os impactos causados pela agricultura
 convencional eram de tal magnitude que a
 agricultura se tornara a principal fonte difusa
 de poluição no planeta, afetando todo
 agroecossistema, atingindo o próprio homem.
O conhecimento desses problemas fez com que
 surgisse um mercado para os produtos das
 agriculturas alternativas à convencional.
 Nas  décadas de 1970 e 1980 se sucederam as
  constatações da poluição generalizada do
  planeta;
 Nesse contexto, a busca de uma agricultura
  menos dependente de insumos químicos é parte
  de uma busca maior de desenvolvimento
  sustentável, conciliando as necessidades
  econômicas e sociais da população humana com
  a preservação de sua base natural.
 KHATOUNIAN,C. A. A reconstrução ecológica
 da agricultura. Botucatu, Agroecológica,
 2001.
Histórico sobre o início da agricultura

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasilReforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasil
dinicmax
 
Agropecuária geral e do brasil
Agropecuária   geral e do brasilAgropecuária   geral e do brasil
Agropecuária geral e do brasil
Professor
 
Modernização no campo
Modernização no campoModernização no campo
Modernização no campo
meripb
 

Mais procurados (20)

Reforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasilReforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasil
 
Sistemas Agrícolas
Sistemas AgrícolasSistemas Agrícolas
Sistemas Agrícolas
 
Agricultura mundial
Agricultura mundialAgricultura mundial
Agricultura mundial
 
Introducao agroecologia
Introducao agroecologiaIntroducao agroecologia
Introducao agroecologia
 
Questão agrária no brasil
Questão agrária no brasilQuestão agrária no brasil
Questão agrária no brasil
 
Agropecuária geral e do brasil
Agropecuária   geral e do brasilAgropecuária   geral e do brasil
Agropecuária geral e do brasil
 
REVOLUÇÃO VERDE
REVOLUÇÃO VERDEREVOLUÇÃO VERDE
REVOLUÇÃO VERDE
 
Agricultura brasileira
Agricultura brasileiraAgricultura brasileira
Agricultura brasileira
 
Agronegocio.pptx
Agronegocio.pptxAgronegocio.pptx
Agronegocio.pptx
 
Agricultura brasileira
Agricultura brasileiraAgricultura brasileira
Agricultura brasileira
 
Agricultura sustentável
Agricultura sustentávelAgricultura sustentável
Agricultura sustentável
 
A questão agrária no brasil
A questão agrária no brasilA questão agrária no brasil
A questão agrária no brasil
 
Agronegócio
AgronegócioAgronegócio
Agronegócio
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
Revolução verde
Revolução verdeRevolução verde
Revolução verde
 
Agricultura familiar no Brasil
Agricultura familiar no BrasilAgricultura familiar no Brasil
Agricultura familiar no Brasil
 
Modernização no campo
Modernização no campoModernização no campo
Modernização no campo
 
1.histórico e importância
1.histórico e importância1.histórico e importância
1.histórico e importância
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
 
Mecanização Agrícola - Entraves e Consequências
Mecanização Agrícola - Entraves e ConsequênciasMecanização Agrícola - Entraves e Consequências
Mecanização Agrícola - Entraves e Consequências
 

Semelhante a Histórico sobre o início da agricultura

Agricultura mundial e do brasil
Agricultura mundial e do brasilAgricultura mundial e do brasil
Agricultura mundial e do brasil
profleofonseca
 
Introduo agroecologia
Introduo agroecologiaIntroduo agroecologia
Introduo agroecologia
Adalto Silva
 
O brasil rural aula 16 setor 1701- 2010
O brasil rural   aula 16 setor 1701- 2010O brasil rural   aula 16 setor 1701- 2010
O brasil rural aula 16 setor 1701- 2010
bruno rangel
 
ParaBaixar_Manualhortaurbana
ParaBaixar_ManualhortaurbanaParaBaixar_Manualhortaurbana
ParaBaixar_Manualhortaurbana
Carol Daemon
 
6a série tecnologia - agricultura
6a série   tecnologia - agricultura6a série   tecnologia - agricultura
6a série tecnologia - agricultura
SESI 422 - Americana
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCAS Nº 523 an 12 maio_2015.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCAS  Nº 523 an 12 maio_2015.okAGRISSÊNIOR NOTÍCAS  Nº 523 an 12 maio_2015.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCAS Nº 523 an 12 maio_2015.ok
Roberto Rabat Chame
 

Semelhante a Histórico sobre o início da agricultura (20)

Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
Agricultura mundial e do brasil
Agricultura mundial e do brasilAgricultura mundial e do brasil
Agricultura mundial e do brasil
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
Introduo agroecologia
Introduo agroecologiaIntroduo agroecologia
Introduo agroecologia
 
Agricultura brasileira e mundial/Assuntos Possíveis para Enem!
Agricultura brasileira e mundial/Assuntos Possíveis para Enem!Agricultura brasileira e mundial/Assuntos Possíveis para Enem!
Agricultura brasileira e mundial/Assuntos Possíveis para Enem!
 
O brasil rural aula 16 setor 1701- 2010
O brasil rural   aula 16 setor 1701- 2010O brasil rural   aula 16 setor 1701- 2010
O brasil rural aula 16 setor 1701- 2010
 
Manualhortaurbana
ManualhortaurbanaManualhortaurbana
Manualhortaurbana
 
ParaBaixar_Manualhortaurbana
ParaBaixar_ManualhortaurbanaParaBaixar_Manualhortaurbana
ParaBaixar_Manualhortaurbana
 
AULA 02 ORIGEM DA AGRICULTURA.pptx
AULA 02 ORIGEM DA AGRICULTURA.pptxAULA 02 ORIGEM DA AGRICULTURA.pptx
AULA 02 ORIGEM DA AGRICULTURA.pptx
 
6a série tecnologia - agricultura
6a série   tecnologia - agricultura6a série   tecnologia - agricultura
6a série tecnologia - agricultura
 
6a série tecnologias
6a série   tecnologias6a série   tecnologias
6a série tecnologias
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCAS Nº 523 an 12 maio_2015.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCAS  Nº 523 an 12 maio_2015.okAGRISSÊNIOR NOTÍCAS  Nº 523 an 12 maio_2015.ok
AGRISSÊNIOR NOTÍCAS Nº 523 an 12 maio_2015.ok
 
A Terra E A Humanidade
A Terra E A HumanidadeA Terra E A Humanidade
A Terra E A Humanidade
 
Projeto Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICA
Projeto  Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICAProjeto  Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICA
Projeto Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICA
 
Introducao-AGRICULTURA-ORGANICA
Introducao-AGRICULTURA-ORGANICAIntroducao-AGRICULTURA-ORGANICA
Introducao-AGRICULTURA-ORGANICA
 
Portfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânicaPortfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânica
 
Novos Rurais E Novos Urbanos
Novos Rurais E Novos UrbanosNovos Rurais E Novos Urbanos
Novos Rurais E Novos Urbanos
 
Aula eixo meio ambiente
Aula eixo meio ambienteAula eixo meio ambiente
Aula eixo meio ambiente
 
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambienteA evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
 
Perspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdf
Perspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdfPerspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdf
Perspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdf
 

Último

AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 

Histórico sobre o início da agricultura

  • 1. Introdução a Agronomia Prof. Alex Samuel Rodrigues, Eng. Agro. 1° Semestre do Curso de Engenharia Agronômica UNINOVA/ FUMESUNM
  • 2. Início da agricultura  Dez mil anos atrás;  Primeiras lavouras semeadas.
  • 3.
  • 4.  Aquino ocidente aprende-se: Civilizações do Nilo e Tigre Eufrates Antiguidade Greco-Romana Idade Média Renascimento Expansão Marítima Européia à atualidade.
  • 5.
  • 6. A salinização das áreas irrigadas na antiga Mesopotâmia.
  • 7.  Os gregos se lançaram ao mar por terem destruído suas florestas e exaurido seus campos.
  • 8.  Os romanos com suas guerras conquistaram ricas terras agrícolas, onde hoje estão os areais de um deserto sem esperança.
  • 9.  Com escassas possibilidades agrícolas e geograficamente voltados para o mar, os portugueses tiveram de lançar-se ao oceano ainda desconhecido.
  • 10.  NoBrasil, século XIX, a cafeicultura tornou- se a pedra angular da riqueza no Segundo Império.
  • 11.  ...Mas a história humana não se alimentou apenas de catástrofes...  Civilizações orientais baseadas no arroz irrigado, há pelo menos 4000 anos cultivam os mesmos terrenos e mantém bons rendimentos por hectare.
  • 12.  Durante a Idade Média, a França possuía um padrão de cultivo que consistia numa rotação de trigo, cevada ou centeio e pousio;  Até 2t de grãos por ha.
  • 13.  No Brasil, os europeus encontraram sistemas relativamente mais sustentáveis, com base na agricultura em pequenos roçados e coleta combinadas.
  • 14. A história humana mostra exemplos de relações menos predatórias com o ambiente, e hoje, podemos resgatar essas formas de uso da terra e aprimorá-las à luz do conhecimento atual.
  • 15.  Com o pacote composto de monocultura, adubos sintéticos e inseticidas, ocorreu o crescimento de problemas sanitários com doenças e plantas espontâneas.
  • 16.  Novamente a solução veio da indústria química com a criação dos fungicidas. Os mesmos possibilitaram o cultivo de determinadas espécies fora daquelas condições normais para as quais haviam evoluído.
  • 17. O controle de plantas “invasoras” antes se operava com o pousio ou por rotações, com os sistemas monoculturais ficou difícil seu controle.
  • 18.  Neste momento a indústria química elabora os herbicidas, tornando o agricultor totalmente dependente de seus produtos.
  • 19.  Os adubos nitrogenados desenvolvidos a partir da indústria do salitre para pólvora;  Os inseticidas criados a partir da guerra química;  E os herbicidas foram frutos da guerra do Vietnã.
  • 20.  Para combater o inimigo escondido sob a floresta era necessário desfolhá-la, para isso foi desenvolvido o Agente Laranja. O Agente laranja é uma mistura de dois herbicidas: o 2,4-D e o 2,4,5-T.
  • 21.  Isso gerou uma revolução na utilização de mão de obra pela agricultura, onde um litro de produto podia substituir o trabalho de dezenas de homens, possibilitando a expansão das áreas cultivadas com monocultura e causando o despovoamento do meio rural.
  • 22.
  • 23.  Na década de 1970 se completou o pacote de insumos químicos: adubos, inseticidas, fungicidas, herbicidas além das variedades modernas.
  • 24.  Talfoi a expansão do uso dessa tecnologia que ficou conhecida como modo “convencional” de produção, se incorporando nas mentalidades dos agricultores, engenheiros agrônomos e dos planejadores.
  • 25.  Desde a segunda década do século XX começaram a surgir movimentos que apontavam em outras direções;  Identificando falhas na proposta dominada pela química e, dessa perspectiva, propunham-se a desenvolver outras soluções, com base numa convivência em harmonia com a natureza sob a luz do conhecimento científico e espiritual.
  • 26.
  • 27.  Nas conferências da Organização das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, ocorridas em 1972, 1982 e 1992, materializaram-se as evidências de que os impactos causados pela agricultura convencional eram de tal magnitude que a agricultura se tornara a principal fonte difusa de poluição no planeta, afetando todo agroecossistema, atingindo o próprio homem.
  • 28.
  • 29. O conhecimento desses problemas fez com que surgisse um mercado para os produtos das agriculturas alternativas à convencional.
  • 30.  Nas décadas de 1970 e 1980 se sucederam as constatações da poluição generalizada do planeta;  Nesse contexto, a busca de uma agricultura menos dependente de insumos químicos é parte de uma busca maior de desenvolvimento sustentável, conciliando as necessidades econômicas e sociais da população humana com a preservação de sua base natural.
  • 31.  KHATOUNIAN,C. A. A reconstrução ecológica da agricultura. Botucatu, Agroecológica, 2001.