ALEXANDRE SANTOS  PROFESSOR DE LITERATURA BRASILEIRA AULA DE HOJE   ABORDAGEM TEMÁTICA E   ESTILÍSTICA DO ROMANCE   A ESTR...
A ESTRELA SOBE
INTRODUÇÃO Á NARRATIVA <ul><ul><li>A Estrela Sobe  se passa em grande parte “no pequeno mundo das estações de rádio&quot;,...
<ul><li>Sua jornada rumo ao estrelato é marcada por percalços e dilemas morais: quer cortar os laços com todos os que poss...
<ul><li>Ciente de que sua beleza é um tipo de mercadoria, ela procura se beneficiar mesclando malícia, cálculo e ingenuida...
<ul><li>Salva-se, mas sua crise está longe de terminar. Antes de dar um fecho convencional à história, porém, o autor pref...
<ul><li>Em   A estrela sobe , o fio condutor da ficção se revela mais resistente. Contando a história de uma jovem suburba...
<ul><li>O romance de Marques Rebelo aborda um outro pesadelo feminino presente ainda nos dias atuais: o aborto. Fora da le...
A PROBLEMÁTICA DA OBRA <ul><li>A estrela sobe  é um painel social do Rio de Janeiro nos anos 30, quando sofria intensa urb...
<ul><li>Percebe-se a influência do estrelato de Carmen Miranda, que monopolizou a atenção dos ouvintes. Como Leniza, ela s...
<ul><li>A trajetória de Leniza não permite se afirmar com certeza, ela é vítima ou algoz, embora tivesse qualquer coisa de...
<ul><li>Leniza é ambiciosa; dotada de algum talento, tem no entanto os atributos que mais podem ajudá-la a alcançar seus o...
<ul><li>Ainda criança, morando na pensão que seria herdada por sua mãe, via nus os homens que lá se hospedavam; adolescent...
<ul><li>É significativo o contraste entre a promiscuidade com que ela se depara no meio profissional, onde escasseia a mor...
OS PERSONAGENS <ul><li>Leniza  é a estrela que vai brilhar sobre o charco. Filha de humilde viúva, não demora a conhecer a...
<ul><li>As lutas caseiras, os cuidados com os hóspedes, as despesas sempre à frente da renda minguada que lhe dava a traba...
<ul><li>A primeira paixão da mocinha foi um dos hóspedes,  Astério , um pobretão que acabou brigando com ela e dando o for...
<ul><li>Deixou-se  arrastar pela lábia de  Mário Alves , um contador que vendia aparelhos de rádio e lhe disse ser advogad...
<ul><li>Apresentada a  Porto,  o diretor da rádio Metrópolis, emissora que andava à porta da falência, Leniza , que havia ...
<ul><li>“  Sentia-se miserável, imunda, escória humana, campo de todos os pecados, lama, pura lama. Mas subira. Dois ou tr...
<ul><li>Leniza não conta para Oliveira que está cantando no rádio: alega estar em férias. Ela passa a se chamar Leniza Mái...
<ul><li>Leniza consegue algum dinheiro. Muda-se da casa do subúrbio para um apartamento na zona sul carioca. A mãe vai jun...
<ul><li>Dulce  ensina: as cantoras não ganham dinheiro na rádio, é preciso ter um amante. Leniza abandona Dulce e se ofere...
<ul><li>Passa a ser amante de  Amaro,  um homem rico que a engravida e a abandona. Ela vai cantar em outra emissora de rád...
<ul><li>Desesperada e grávida procurou o  Dr. Oliveira , mas o médico, que a amava, não quis atendê-la: e aconselhou-a a n...
<ul><li>Amaro ,  o “pai da criança”, se afasta. Oliveira nega-se a participar da operação, mas  Leniza  procura uma clínic...
<ul><li>No desfecho, Leniza tem uma idéia: precisa ir até uma igreja, onde acredita que irá encontrar a solução para seus ...
<ul><li>Leniza Máier é uma jovem pobre em busca de sucesso na grande fábrica de sonhos da época: o rádio. E, como visto, p...
<ul><li>A prosa urbana moderna é a classificação que se pode dar ao romance de Marques Rebelo, que, deste modo, se insere ...
<ul><li>Para o escritor Mário de Andrade, o final inacabado confirma a modernidade do romance, pois privilegia mais o flui...
<ul><li>É pouco o tempo cronológico que separa Leniza Máier de Leila Diniz. A personagem de ficção, se tivesse &quot;vivid...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A estrela sobe

2.985 visualizações

Publicada em

Aula do professor Alexandre Santos para o pré-vestibular e terceiros anos

Publicada em: Educação, Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.985
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A estrela sobe

  1. 1. ALEXANDRE SANTOS PROFESSOR DE LITERATURA BRASILEIRA AULA DE HOJE ABORDAGEM TEMÁTICA E ESTILÍSTICA DO ROMANCE A ESTRELA SOBE DE MARQUES REBELO.
  2. 2. A ESTRELA SOBE
  3. 3. INTRODUÇÃO Á NARRATIVA <ul><ul><li>A Estrela Sobe se passa em grande parte “no pequeno mundo das estações de rádio&quot;, contando as peripécias e sofrimentos de Leniza Maier, moça suburbana que, no Rio de Janeiro da década de 1930, sonha com o sucesso como cantora. </li></ul></ul>
  4. 4. <ul><li>Sua jornada rumo ao estrelato é marcada por percalços e dilemas morais: quer cortar os laços com todos os que possam atrapalhar sua ascensão, mas a nostalgia pela vida pregressa a domina. No fim, engravida e aborta, chegando à beira do delírio e da morte. Salva-se, mas sua crise está longe de terminar. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Ciente de que sua beleza é um tipo de mercadoria, ela procura se beneficiar mesclando malícia, cálculo e ingenuidade. Ao fim e ao cabo, ao invés de admiração, ela só consegue o desprezo e o isolamento. Leniza termina a história solitária, embora não perca sua persistência e petulância. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Salva-se, mas sua crise está longe de terminar. Antes de dar um fecho convencional à história, porém, o autor prefere deixá-la em aberto. Diz o narrador: “ ... aqui termino a história de Leniza. Não a abandonei, mas, como romancista perdi-a &quot;. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Em A estrela sobe , o fio condutor da ficção se revela mais resistente. Contando a história de uma jovem suburbana, Leniza Máier, Marques Rebelo, na verdade, revela a importância do rádio na sociedade carioca dos anos 30. Mas, mesmo sem perceber, ele cria um romance cuja importância para o conhecimento da condição da mulher carioca no início do século 20 se torna uma marca inquestionável. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>O romance de Marques Rebelo aborda um outro pesadelo feminino presente ainda nos dias atuais: o aborto. Fora da lei brasileira, continua tendo que ser praticado às escondidas, muitas vezes por &quot;curiosos&quot; que não se preocupam com a higiene nem oferecem recursos caso o procedimento tenha complicações. O drama está todo retratado no romance e toma destaque dentro da narrativa. </li></ul>
  9. 9. A PROBLEMÁTICA DA OBRA <ul><li>A estrela sobe é um painel social do Rio de Janeiro nos anos 30, quando sofria intensa urbanização e testemunhava a era de ouro do rádio. </li></ul><ul><li>Para mostrar uma cidade congestionada e apressada, Rebelo contou a trajetória de uma garota pobre, filha de relojoeiro alemão e de mestiça disfarçada. </li></ul><ul><li>A história tem como fio condutor a ascensão e queda da protagonista leniza mayer. </li></ul><ul><li>. Ao crescer, Leniza não se acomodou em empregos de remuneração modesta. Queria sair da miséria, integrando o elenco de uma rádio, no tempo em que ser dona do próprio nariz equivalia a ser tachada como mulher de vida fácil. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Percebe-se a influência do estrelato de Carmen Miranda, que monopolizou a atenção dos ouvintes. Como Leniza, ela se criou na Lapa mítica, dos malandros e músicos, onde aprendeu a malícia da vida. Mas, ao contrário de Leniza, Carmen conquistou a independência além do sucesso internacional. </li></ul><ul><li>O fim é parecido, ambas tiveram de lidar com dilemas morais, como o aborto, e foram trituradas pela indústria de sonhos do show biz. Rebelo mostrou que o sucesso atual se transforma na tragédia futura. </li></ul><ul><li>O romancista carioca desvendou o lado negro da vida artística. Fala dos intermediários exploradores das cantoras, muitas vezes escolhidas menos pelo talento do que pela beleza. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>A trajetória de Leniza não permite se afirmar com certeza, ela é vítima ou algoz, embora tivesse qualquer coisa de égua de corrida e gostasse de ser desejada, Leniza só queria mesmo era amar. </li></ul><ul><li>Assim, oscilava entre a condição de anjo e demônio: era uma moça em flor dividida; que freqüentava a leiteria após sair da garçonniere. </li></ul><ul><li>Não fica claro se a personagem sentiu amor verdadeiro pelos homens que conheceu. Se teve, renunciou a esse sentimento, lamentando-se depois, quando tudo ia mal. Ela era assim, piedosa e cruel com os sujeitos que lhe tiraram uma casquinha. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Leniza é ambiciosa; dotada de algum talento, tem no entanto os atributos que mais podem ajudá-la a alcançar seus objetivos: grandes olhos castanhos, seios redondos que desafiam decotes, belas coxas morenas. </li></ul><ul><li>A princípio, ela ainda acredita que pode vencer graças aos seus dotes musicais; contudo, num mundo em que os homens dão as cartas, é o corpo que aos poucos se torna sua chave para o sucesso. </li></ul><ul><li>Quando finalmente o percebe, Leniza já está demasiado envolvida pelo glamour da “vida de artista” para que um recuo seja possível: mora na rua do Riachuelo, freqüenta outras cantoras, recebe cartas de fãs, tem sua imagem estampada nos jornais. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Ainda criança, morando na pensão que seria herdada por sua mãe, via nus os homens que lá se hospedavam; adolescente, deixava-se bolinar pelos primeiros namorados. </li></ul><ul><li>Todo o resto da história seria apenas a concretização desse destino que já se anunciava para a pequena Leniza: uma caminhada rumo à “perdição”. </li></ul><ul><li>É representativa uma das cenas finais do livro: Leniza delirante ao lado da mãe que, embora atenta, trata-a com frieza, consumida pelo desgosto. O homem que vem visitar a enferma é despachado pela mãe, que sequer o conhece: para ela, o mero fato de ser um homem faz dele um símbolo de todos aqueles que cruzaram com sua filha no retorto caminho. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>É significativo o contraste entre a promiscuidade com que ela se depara no meio profissional, onde escasseia a moralidade, e o acolhimento que encontra no ambiente doméstico – onde a mãe, mesmo desgostosa, permanece ao seu lado. </li></ul><ul><li>Esta a mensagem nas entrelinhas: se Leniza tivesse ficado em casa, quem sabe arranjado um marido, nada daquilo teria acontecido. Ao fim, movida pelas lembranças da primeira comunhão, Leniza cogita visitar uma igreja; contudo, recua diante das portas fechadas. </li></ul>
  15. 15. OS PERSONAGENS <ul><li>Leniza é a estrela que vai brilhar sobre o charco. Filha de humilde viúva, não demora a conhecer a realidade da vida de uma mulher. D. Manuela, a boa mãe, não conseguiu enxergar sob a transparência do falso sucesso da filha a verdadeira vida que a cercava. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>As lutas caseiras, os cuidados com os hóspedes, as despesas sempre à frente da renda minguada que lhe dava a trabalhosa pensão, tudo isso servia de tormentos para aquela modesta mulher que desejava ver a filha no bom caminho e reservada a um destino melhor </li></ul>
  17. 17. <ul><li>A primeira paixão da mocinha foi um dos hóspedes, Astério , um pobretão que acabou brigando com ela e dando o fora. </li></ul><ul><li>O grande sonho de Leniza era ser cantora numa estação de rádio. Seu Alberto , o melhor hóspede de sua mãe, que gostava de tocar violão após o jantar, passou a estimular a garota. </li></ul><ul><li>Empregada como representante de produtos farmacêuticos, não tardou a conhecer o Dr. Oliveira , que se apaixonou por ela. Nem mesmo os presentes do médico arrancavam Leniza de seu sonho. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Deixou-se arrastar pela lábia de Mário Alves , um contador que vendia aparelhos de rádio e lhe disse ser advogado e amigo de gente que trabalhava em radio emissoras. O crápula era casado, pai de cinco filhos, conseguiu convencê-la, sob o pretexto de lhe arranjar uma oportunidade na Rádio Metrópolis. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Apresentada a Porto, o diretor da rádio Metrópolis, emissora que andava à porta da falência, Leniza , que havia deixado o emprego certo, ao ver-se em apertos, passou a aceitar o dinheiro fácil do homem para saldar suas dívidas e auxiliar a mãe, de quem tudo escondia. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>“ Sentia-se miserável, imunda, escória humana, campo de todos os pecados, lama, pura lama. Mas subira. Dois ou três degraus na escada do mundo. Via que já estava num plano bem acima, algumas figuras já ficavam menores, a miséria escondia-se já numa bruma longínqua. Mas precisava subir mais, sempre mais, custasse o que custasse.” </li></ul>
  21. 21. <ul><li>Leniza não conta para Oliveira que está cantando no rádio: alega estar em férias. Ela passa a se chamar Leniza Máier. Suas fotos são publicadas em revistas. Oliveira reprova a opção de Leniza. Ela se relaciona com Mário Alves, mas pensa em Oliveira. </li></ul>
  22. 22. <ul><li>Leniza consegue algum dinheiro. Muda-se da casa do subúrbio para um apartamento na zona sul carioca. A mãe vai junto. Leniza rompe com Mário Alves. Oliveira não a quer mais. Ela, então, passa a namorar Dulce , uma colega da rádio. </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Dulce ensina: as cantoras não ganham dinheiro na rádio, é preciso ter um amante. Leniza abandona Dulce e se oferece para ser amante de Porto, homem forte na rádio. A mãe de Leniza fica doente. Leniza dá um fora em Porto. </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Passa a ser amante de Amaro, um homem rico que a engravida e a abandona. Ela vai cantar em outra emissora de rádio. Sente-se infeliz. E toda vez que encontra com Oliveira , casualmente, na rua, imagina que ele, e somente ele, poderia tirá-la do mundo infeliz em que ela se encontra. </li></ul>
  25. 25. <ul><li>Desesperada e grávida procurou o Dr. Oliveira , mas o médico, que a amava, não quis atendê-la: e aconselhou-a a não cometer aborto. Ela não o ouve e depois vai pagar caro por isso, atitude que atormentou bastante a sua pobre mãe. </li></ul>
  26. 26. <ul><li>Amaro , o “pai da criança”, se afasta. Oliveira nega-se a participar da operação, mas Leniza procura uma clínica clandestina e aborta. Fica vários dias entre a vida e a morte, agonizando em seu quarto. A mãe, que recebeu cartas anônimas denunciando a vida imoral e amoral que Leniza levava, se afasta da filha. </li></ul>
  27. 27. <ul><li>No desfecho, Leniza tem uma idéia: precisa ir até uma igreja, onde acredita que irá encontrar a solução para seus problemas. Numa sexta-feira 13, Leniza acorda decidida. E sai do apartamento, vagando pelas ruas do Rio de Janeiro. </li></ul>
  28. 28. <ul><li>Leniza Máier é uma jovem pobre em busca de sucesso na grande fábrica de sonhos da época: o rádio. E, como visto, para conseguir seus objetivos utiliza de todos os meios – a ponto de recusar o amor verdadeiro e aceitar outros, menos sinceros. </li></ul><ul><li>A personagem é uma alegoria da cidade do Rio de Janeiro. Os conflitos, as perplexidades, as angústias, as alegrias da personagem, na verdade, são os conflitos, as perplexidades, as angústias e as alegrias da cidade. Sua voz se confunde com a voz do rádio; sua ascensão como cantora representa a modernização da sociedade. </li></ul>Considerações finais
  29. 29. <ul><li>A prosa urbana moderna é a classificação que se pode dar ao romance de Marques Rebelo, que, deste modo, se insere na linha de Manuel Antônio de Almeida, de Machado de Assis e de Lima Barreto que, como seus predecessores, aprendeu as armas do distanciamento e da ironia, que usa nos melhores momentos de sua ficção. </li></ul><ul><li>O crítico Alfredo Bosi classifica A estrela sobe como um romance neo-realista que, contudo, não perde sua veia lírica, empregada comedidamente. Seu mundo é o de gente simples, mocinhas aventureiras, pequenos funcionários, caixeiros-viajantes, donas-de-casa, estudantes, malandros, marinheiros, boêmios, sambistas, cujos pequenos dramas são focados numa prosa “tensa e lírica. </li></ul>
  30. 30. <ul><li>Para o escritor Mário de Andrade, o final inacabado confirma a modernidade do romance, pois privilegia mais o fluir da vida do que a elaboração de um enredo bem-acabado. </li></ul><ul><li>Assim para Mário de Andrade o fator decisivo para a vitalidade da obra é a capacidade de representar as tensões do quadro social, sem que o romancista ceda a dogmatismos ideológicos. Leniza não se arrepende ou se converte, salvando o romance de um possível esquematismo tardiamente romântico. </li></ul><ul><li> </li></ul>
  31. 31. <ul><li>É pouco o tempo cronológico que separa Leniza Máier de Leila Diniz. A personagem de ficção, se tivesse &quot;vivido&quot; uma geração após, teria como modelo não as hipócritas divas do rádio, mas a libertária atriz. Desprezada nos anos 30, a mulher que se desejava dona de sua sexualidade foi capaz de transformar o pensamento de um grupo social, que hoje vê em Leila Diniz um ícone. </li></ul>

×