Objetivos, Metas e Estratégias do IHA 2013-2014

2.656 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.656
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.514
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Objetivos, Metas e Estratégias do IHA 2013-2014

  1. 1. Secretaria Municipal de Educação Helena Bomeny Subsecretaria de Ensino Jurema Holperin Coordenadora deEducação Maria Nazareth Instituto Municipal Helena Antipoff Katia Nunes
  2. 2. O Instituto Municipal Helena Antipoff(IHA) é o órgão da Secretaria Municipal de Educação (SME) responsável pela implementação das Políticas Públicas da Educação Especial, em consonância com as diretrizes do MEC/SECADI. Educação Especial no Município do Rio de Janeiro
  3. 3. Estatística Público Alvo de Educação Especial SME/RJ -ano base 2013 Áreas 1ª CRE 2ª CRE 3ª CRE 4ª CRE 5ª CRE 6ª CRE 7ª CRE 8ª CRE 9ª CRE 10ª CRE 11ª CRE CREJA Total AH Altas habilidades /Superdotação 3 12 1 11 5 2 7 4 9 4 1 0 59 AU _ TGD autismo 32 99 57 82 90 42 85 87 111 39 19 0 743 BV Deficiente Visual /baixa visão 6 11 15 17 20 16 12 22 32 17 5 0 173 CT Conduta típicas de síndrome 45 132 132 152 115 79 100 79 184 129 53 1 1201 DF -Deficiência Física 76 118 123 106 109 123 197 186 125 166 37 2 1368 DV -Deficiência visual/cegueira 5 26 13 16 17 13 28 18 22 22 4 0 184 MD -Deficiência Múltipla 14 109 51 110 122 51 113 108 127 161 56 1 1023 PS-TGD / Transtorno des. Da inf. (psicose) 2 4 6 4 6 8 15 15 18 5 2 0 85 RM-Deficiência Intelectual 204 389 383 707 534 335 663 556 936 720 214 2 5643 SA -TGD/ Síndrome de Asperger 6 11 8 16 17 4 13 8 12 9 5 0 109 SR -TGD / Síndrome de Rett 1 1 3 4 1 1 3 3 4 1 2 0 24 SU -surdez 1 5 5 2 5 2 7 3 32 5 1 0 68 TI -TGD / Trans, Inv, s/ outra especificidade 10 17 25 23 22 9 45 17 64 19 9 0 260 Surdocegueira 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 1 DA -Deficiência auditiva 39 34 50 58 82 55 84 81 110 82 20 0 695 Total de atendimento de alunos 444 968 872 1308 1146 740 1372 1187 1786 1379 428 6 11636 Alunos Público-Alvo da Educação Especial –SME Rio de Janeiro -2013
  4. 4. Mapeamento 2014 Escolas Municipais –1.006 Creches Publicas Integral –247 Escolas com modalidade Creches –56 Espaços de Desenvolvimento Infantil –201 Escolas Municipais Pilotos Bilíngues (LP/ LIBRAS) -23 Alunos na Educação Infantil –6.7687 Alunos no PEJA –2.5425 Alunos no Ensino Fundamental –508.052 Alunos Incluídos –7.173 Alunos em Classes Especiais –5.095 Alunos matriculados –664.384 Fonte: SME/RJ 14/05/2014
  5. 5. Alunos Público-Alvo da Educação Especial –SME Rio de Janeiro -2014 Fonte: http://www.rio.rj.gov.br/web/sme/educacao-em-numeros
  6. 6. Ingresso à Educação Especial da Rede Pública de Ensino da Cidade do Rio de Janeiro em 2014 MatrículaspelaInternetemperíododeterminadoEndereçoeletrônico:matriculadigital.rioeduca.rio.gov.br Avaliaçãodenovosalunosparaenturmação OrganizaçãodeturmasconformecritériosestabelecidosporPortariaE/SUBE/CED
  7. 7. Educação na Perspectiva Inclusiva ESCOLA RELATÓRIO do Aluno Avaliação pela CRE/GED/Agente de Educação Especial e Equipe de Acompanhamento IHA/SME
  8. 8. Encaminhamentos Turma comum Relatórios Sala de Recursos Professor Itinerante Estagiário / Voluntário Intérprete / Instrutor
  9. 9. Atendimento Educacional Especializado (AEE) ÉumserviçodaEducaçãoEspecialqueidentifica,elaboraeorganizaosrecursospedagógicosedeacessibilidadequeeliminemasbarreirasparaaplenaparticipaçãodosalunos,considerandoassuasnecessidadesespecíficas,desenvolvidonasSalasdeRecursosMultifuncional. EnsinodaLínguaBrasileirasdeSinais(LIBRAS); EnsinodoCódigoBraille; UtilizaçãodeRecursosdeTecnologiaAssistiva(TA); ComunicaçãoalternativaeAmpliada(CAA); Produçãoderecursosdeacessibilidade; AcompanhamentoPedagógico.
  10. 10. Professor itinerante e itinerante domiciliar Itinerante>Serviçodeorientaçãoedesupervisãopedagógicadesenvolvidaporprofessoresespecializadosquefazemvisitasperiódicasàsescolasparatrabalharcomosalunosqueapresentemnecessidadeseducacionaisespeciaisecomseusprofessoresdeclassecomumdarederegulardeensino. Itinerantedomiciliar>Serviçodestinadoaosalunosimpossibilitadosdefrequentaraescola,conformeResoluçãoCNE/CEBnº02/2011.
  11. 11. CIAD 11 EQUIPES Instituto Municipal Helena Antipoff
  12. 12. META OInstitutoMunicipalHelenaAntipoff(IHA),emconsonânciacomaSecretariaMunicipaldeEducação,realizaaçõesquepossibilitamaimplantaçãodePolíticasPúblicasparaviabilizaçãodaEducaçãoEspecialnaPerspectivaInclusiva, garantindoassim,oacesso,aparticipação,apermanênciaeaaprendizagemdosalunoscomdeficiência,transtornosglobaisdodesenvolvimentoealtashabilidades/superdotaçãonasescolasdaRedePúblicaMunicipal.
  13. 13. Inclusão Escolar e Social Abertura de Salas de Recursos Multifuncionais (SRM) Ampliação da Rede de Apoio Melhoria das Estatísticas Acessibilidade Arquitetônica, Atitudinal Formação Continuada e em Serviço DESAFIOS BIÊNIO 2013-2014
  14. 14. Enxergar além das limitações, acreditar nas possibilidades Katia Nunes
  15. 15. O Centro de Referência em Educação Especial -IHA - é um espaço de estudo e pesquisa que oferece atividades pedagógicas para desenvolvimento dos alunos matriculados nas unidades escolares da Secretaria Municipal de Educação com o objetivo de construir conhecimentos que contribuam para uma prática pedagógica inclusiva. .
  16. 16. Cursos do IHA/SME Estatísticas sobre alunos da Educação Especial Acompanhamento Pedagógico das Salas de Recursos Atendimento Educacional Especializado (AEE) Formação para Coordenadores Pedagógicos, Diretores, Professores das Classes Comuns, Classes Hospitalares, Classes Especiais Acompanhamento de Estagiários, Voluntários Formação de Instrutores e Intérpretes de LIBRAS Acolhida das Famílias Parcerias Intersetoriais Casa Viva Serviços Contínuos
  17. 17. Oficinas Pedagógicas e Serviços Oficinas /Serviços Oficina Vivencial de Ajudas Técnicas Centro de Transcrição a Braille Informática Educativa/DV Oficina de Soroban InformáticaEducativa Laboratório de LIBRAS Artes Plásticas Brinquedoteca Música Dança Centro de Ginástica Comunicação Alternativa -CAA Teatro Oficina de Linguagem Alunos matriculados 66 alunos
  18. 18. Espaço de construção de conhecimento destinado às pessoas com Deficiência e Transtornos Globais do Desenvolvimento com idade superior a 18 anos onde são oferecidas oficinas pedagógicas. Projeto de Oficinas de Artes/IHA/CIAD
  19. 19. Centro Integrado de Atenção à Pessoa com Deficiência Oficinas Pedagógicas Cerâmica Artes Plásticas Teatro Dança Percussão Teatro Total de Alunos atendidos -76
  20. 20. É o atendimento pedagógico-educacional que ocorre em ambientes de tratamento de saúde, seja na circunstância de internação, seja na circunstância do atendimento em hospital-dia ou semana. O alunado das Classes Hospitalares é aquele composto por educandos cuja condição clínica ou exigências de cuidado em saúde interferem a permanência escolar ou nas condições de construção de conhecimento ou, ainda, que impedem a frequência escolar, temporária ou permanente (MEC/2002). Atendimento Escolar Hospitalar
  21. 21. CRE HOSPITAL 1ª Hemorio INCA Hosp.Federal dos Servidores do Estado 2ª Instituto Fernandes Figueira Casa Ronald McDonald Hospital Municipal Jesus 3ª Hosp. Naval Marcilio Dias 4ª Hospital Federalde Bonsucesso 7ª Hosp. Federal Cardoso Fontes 11ª Inst.Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira
  22. 22. Parcerias para apoio às Altas Habilidades Instituição Área Instituto Consuelo Pinheiro Deficientes Associação de Assistênciaàs Causas Sociais Deficientes SMART Altas Habilidades/superdotação Instituto Rogério Steinberg Altas Habilidades/superdotação
  23. 23. Instituto Municipal Helena Antipoff(IHA)
  24. 24. OIHAtemaatribuiçãodeorientaraRedeMunicipaldeEnsinovisandopromover: TransversalidadedaEducaçãoEspecialdesdeaEducaçãoInfantilatéosegundosegmentodaEducaçãoFundamental; AtendimentoEducacionalEspecializado(AEE)emSalasdeRecursosMultifuncionais(SEM); FormaçãodeprofessoresparaoAEEedemaisprofissionaisdaEducaçãoparaainclusãoescolar; ArticulaçãointersetorialnaimplementaçãodasPolíticasPúblicas.
  25. 25. Garantir a oferta de Educação Especial em todas as Unidades Escolares da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. Garantia da oferta do Atendimento Educacional Especializado às crianças, público alvo da Educação Especial: Matriculadas na Educação Infantil. Matriculadas no Ensino Fundamental. Educação de Jovens e Adultos Ampliação dos apoios em Salas de Recursos Multifuncionais.
  26. 26. Garantir, no que diz respeito à Educação Especial, as metas pertinentes estabelecidas nos capítulos referentes à Educação Infantil, ao Ensino Fundamental, à Formação de Professores e ao financiamento e gestão. Cumprimento das metas estabelecidas para a Educação Especial em conjunto com as metas da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Formação de Professores. . Destaque para o planejamento de ações em conjunto com os gestores das gerências envolvidas. Formação do PEJA Formação de Educação Infantil Escola de Formação Paulo Freire
  27. 27. Formação Continuada e em Serviço TotaldeProfissionaisenvolvidoscomaEducaçãoEspecial: ANO2013–4.288 ANO2014(atéJulho)–3.855
  28. 28. Dar continuidade aos programas de formação iniciale continuada para os profissionais da rede pública municipal, oferecendo cursos sobre o atendimento básico a alunos com Deficiências, com Transtornos Globais do Desenvolvimento e com Altas Habilidades/Superdotação. Oferecimento do Curso Básico em Educação Especial e de cursos de suporte técnico e de práticas pedagógicas especializadas. Jornada de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Realização de ações de capacitação voltadas para Instrutores Surdos e Intérpretes Educacionais de LIBRAS. Formação continuada sobre TGD/TEA São ofertados DVDs produzidos pelo IHA em parceria com a MULTIRIO, que contemplam os seguintes assuntos: Políticas Públicas, Deficiência Visual, TGD, Deficiência Física.
  29. 29. JornadadeEducaçãoEspecialnaPerspectivadaEducaçãoInclusiva CursoBásicodeEducaçãoEspecialnaPerspectivadaEducaçãoInclusiva CursoTablet/TGD-Projeto”EducaçãoEspecialDigitalparaAlunoscomAutismo” FormaçãoContinuadaparaProfissionaisdaEducaçãoenvolvidoscomAlunoscomTGD CursodeInformáticaEscolarInclusiva(Boardmaker) CursodeLIBRAS CursodeBraille CursodeSoroban CursodeProduçãodeMateriaisAdaptadosparaAlfabetização CursodeAdaptaçãoeTranscriçãodeTextoparaBraille CursodeInformáticaEducativaparaDV/DosvoxparaAlunosComDeficiênciaVisual Seminário/FormaçãoContinuadadeEducaçãoFísicaInclusiva ProjetoBochaAdaptada FormaçãoContinuadadosAgentesdeEducaçãoEspecial–AvaliaçãoPedagógicadosAlunosPúblicoAlvodaEducaçãoEspecial CursodeTecnologiaAssistiva–CAA–ComunicaçãoalternativaAmpliada CursodeSaladeRecursodeReferenciaemTecnologiaAssistiva
  30. 30. Estimular parcerias entre as universidades e as instituições públicas e filantrópicas especializadas, para aperfeiçoamento dos profissionais que trabalham no atendimento aos alunos com Deficiências, Transtornos Globais do Desenvolvimento e Altas Habilidades/Superdotação. Consolidação de parcerias com universidades em projetos de pesquisas voltados para o processo de ensino aprendizagem dos alunos atendidos pela Educação Especial. Encontro de Profissionais das Universidades Parceiras para discussão de questões relacionadas a Educação Especial Readaptando a Educação Física: A Formação Inclusiva em Foco (UFRJ/IHA) Curso de Altas Habilidades/Superdotação –UFF Formação de Professores da SRM para o uso da TA no contexto da Sala de Aula Inclusiva(UERJ) Desenvolvimento de TA para Alunos com Deficiência matriculados nas Escolas da Rede Municipal (CEFET) Formação de Professores de AEE (UFRJ)
  31. 31. Incentivar a parceria entre os institutos de pesquisa, universidades, IHA e as escolas para realização e divulgação de estudos e pesquisas nas diferentes áreas do conhecimento, relativas às necessidades específicas apresentadas pelas pessoas com algum tipo de deficiência.  Atendimento a alunos e profissionais interessados em desenvolver estudos e pesquisas nesta Rede de Ensino, elegendo temas/objetos relacionados à Educação Especial. Pesquisa do Laboratório de Libras sobre a Surdez PUC/RJ Pesquisa de Riscos de Atrasos no Desenvolvimento Infantil – Lampreia/PUC/RJ
  32. 32. Manter, na área pública, a oferta de Atendimentos Educacionais Especializados, adequados às características e necessidades apresentadas individualmente pelas crianças, ampliando-os quando necessário.  Garantia da oferta de Atendimento Educacional Especializado a todos os alunos com Deficiências, Transtornos Globais do Desenvolvimento e com Altas Habilidades/Superdotação matriculados nesta Rede de Ensino. A Rede Municipal de Ensino da Cidade do Rio de Janeiro, até o ano de 2009, contava com 14 Salas de Recursos; em 2012 o quantitativo atingiu o numérico de 314 Salas de Recursos Multifuncionais. Atualmente contamos com 314 SRM. Sala de Recursos- Professora utilizando o Tablet com aluno. SRM – EM Octavio Frias
  33. 33. Ampliar, para as escolas públicas do município do Rio de Janeiro, a produção e aquisição de livros didáticos e de literatura, em braillee tinta, para todos os alunos cegos e produzir livros adaptados aos alunos público alvo da Educação Especial. Distribuição de livros, mobiliário adaptado e equipamentos de acessibilidade para o atendimento às necessidades específicas dos estudantes com Deficiências, com Transtornos Globais do Desenvolvimento e Altas Habilidades/Superdotação, assim como produção de materiais didático- pedagógicos para este mesmo público. Aquisição de material específico para os alunos público alvo da Educação Especial e produção própria nas oficinas voltadas para a formação de profissionais da Rede. Aluna com a maquina Perkins Laptop para aluno com baixa visão e cego
  34. 34. Manter as escolas com equipamentos com aparelhos de amplificação sonora para surdos, através da parceria com a Secretaria Municipal de Saúde. Acompanhamento das especificidades pedagógicas dos alunos que recebem aparelhos de amplificação sonora da SMS. O aparelho de amplificação sonora é utilizado em terapias clínicas oral-auditivas, que devem ser realizadas por profissionais da área de saúde. Destaque para a aquisição de “microfones ampliados” para alunos com implante coclear.
  35. 35. Garantir a utilização da língua brasileira de sinais para os alunos surdos, para o pessoal da unidade escolar e, sempre que possível, para seus familiares, mediante um programa de formação de usuários da língua. Ampliação das Escolas Bilíngues –Português/LIBRAS Contratação de Intérpretes de LIBRAS para turmas comuns e de Instrutores surdos para Salas de Recursos, em atenção à necessidade de consolidação do modelo bilíngue para a educação de estudantes surdos. Oferecimento do Curso de LIBRAS aos professores da Rede. O IHA atua no planejamento, organização e alocação dos profissionais envolvidos com a Educação de Surdos. Formação de Interpretes e Instrutores Encontros Bilíngue SME/RJ
  36. 36. Em coerência com a política de inclusão, estabelecer padrões para adaptação de prédios e novas construções, de acordo com as leis vigentes. Orientações aos gestores e às comunidades escolares para observação e cumprimento das leis que visam à adaptação de prédios em consonância com o ideal de acessibilidade. Progressivamente, as Unidades Escolares estão buscando atender as exigências para garantir a acessibilidade ao espaço físico. Os novos prédios escolares já contemplam os padrões estabelecidos pela política de inclusão. Brinquedoteca 11ªCRE Manual de Acessibilidade
  37. 37. Garantir o cumprimento das normas do Conselho Municipal no que se refere à Educação Especial. Estreitamento de relações e troca constante de informações entre o IHA e o Conselho Municipal de Educação. Conselho Municipal de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiências Como Centro de Referência em Educação Especial neste Município, o IHA está comprometido com o cumprimento das normas oriundas do Conselho Municipal no que se refere à Educação Especial. COMDEF-RIO
  38. 38. Ampliar o fornecimento e uso de equipamentos, inclusive os de informática, adaptados às necessidades específicasdos alunos. Investimento na aquisição de recursos considerados importantes instrumentos de acessibilidade e inclusão. Mobiliário adaptado (cadeiras de diferentes tamanhos /mesas infantis e juvenis), mouses adaptados, acionadores diversos, livros para escolas bilíngues, DVDs em LIBRAS, Tabletes para alunos com Autismo, etc.
  39. 39. Prover transporte escolar com as adaptações necessárias aos alunos que apresentem dificuldade de locomoção. (Coordenadoria Regional de Eeducação) Garantia de transporte escolar adaptado para estudantes com limitações físicas e mobilidade reduzida. (CRE) . Capacitação dos motoristas e monitores que atuam neste serviço de transporte.
  40. 40. Assegurar a inclusão, no projeto pedagógico das unidades escolares, do atendimento às necessidades educacionais específicas de seus alunos, definindo os recursos disponíveis. Orientações às Unidades Escolares no sentido de fomentar a inclusão, no projeto pedagógico das instituições, de práticas capazes de atender às necessidades específicas dos alunos público-alvo da Educação Especial. . Visitas sistemáticas às Unidades Escolares acompanhando o trabalho desenvolvido, sugerindo ações e auxiliando no planejamento e execução de avaliações. Interprete do aluno incluído Cartilha da Educação Especial Reunião alunos do Grêmio – Agentes de Inclusão
  41. 41. Garantir a cooperação com as áreas de Saúde e de Assistência Social, para disponibilidade de órteses e próteses e atendimento terapêuticos especializados. Garantia, através de parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, de avaliação e aquisição de cadeiras de rodas específicas. Parcerias com PSE-(Programa Saúde na Escola) e convênios com instituições públicas de saúde (CAPS –Centro de Atenção Psicossocial), Encontros periódicos com SMS(Saúde Mental). . Indicação dos alunos para a avaliação da área de saúde, intersetorializaçãocom esta Secretaria, além da SMPD e SMAS. Encontro CIAD – SME/SMPD/SMEL Aluna com cadeira adaptada -SMA
  42. 42. Manter programas de atendimento a alunos com altas habilidades. Parceria com Institutos particulares e criação do Grupo Técnico de Trabalho em Altas Habilidades/Superdotação. . Interlocução com organizações privadas que têm parceria com a SME para atendimento aos alunos da Rede Municipal –Instituto Social para Motivar Apoiar e Reconhecer Talentos (ISMART) e Instituto Rogerio Steinberg. Parceria Profa. Dra. Delou/UFF Instituto Rogerio Steinberg ISMART
  43. 43. Trabalho cooperativoFamília& Escola -Participação da família e da comunidadeno acompanhamento e desenvolvimento dos alunos GT (grupo de Trabalho) dePais e Responsáveis de alunos publico alvo da Educação Especial . Reuniões mensais de acompanhamento ao GT de pais; Construção conjunta da Cartilha da Educação Especial Reunião GT de Pais Cartilha construída em conjunto IHA/GT de Pais
  44. 44. Manter o pleno funcionamento do Instituto Helena Antipoffe seu Centro de Referência, como órgão de desenvolvimento da Educação Especial. Realização de ações de formação, acompanhamento às Unidades Escolares, colaboração com as Coordenadorias de Educação e intersetorialidadecom os sistemas de Educação, instituições privadas e Conselho Municipal de Educação. O IHA vem investindo em pesquisas e na produção de materiais que contemplam diferentes temáticas relacionadas à Educação Especial. Tais ações buscam oferecer alternativas pedagógicas para uma prática docente que favoreça o paradigma da inclusão. . Seminário de Educação Física Escolar Sitehttp://ihainforma.wordpress.com/
  45. 45. Implementação da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva partir de ações conjuntas com entidades e municípios parceiros. Formaçãoem Educação e Diversidade dos Gestores de 22 (vinte e dois) Municípios -Ação em parceira com o MEC –Ministério da Educação Participação da construção da Cartilha UNICEF/ RioInclui“Todos Podemos” Acompanhamento da Série “Inclusive Eu” MultiRiosobre pessoas com . Formação de Gestores MEC/ SECADI/ IHA SME Série Inclusive Eu Multirio Cartilha UNICEF / Rioinclui
  46. 46. http://peei.mec.gov.br/arquivos/politica_nacional_educacao_especial.pdf file:///D:/Users/IHA/Downloads/politica_nacional_seesp%20(1).pdf http://download.rj.gov.br/documentos/10112/448712/DLFE-31621.pdf/planoestadualdeeducacao.pdf http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=258&Itemid=826 http://www.conselhodacidade.com/v3/pdf/planejamento_estrategico_13-16.pdf http://www.escoladegente.org.br/teatro-e-oficinas-para-quase-400-criancas-e-adolescentes-de-tres- favelas-cariocas/ •http://ihainforma.wordpress.com/

×