O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Próximos SlideShares
Introdução à disciplina
Avançar
Transfira para ler offline e ver em ecrã inteiro.

Compartilhar

As tecnologias e suas fases

Baixar para ler offline

As tecnologias e suas fases

Audiolivros relacionados

Gratuito durante 30 dias do Scribd

Ver tudo

As tecnologias e suas fases

  1. 1. O que é a tecnologia? As tecnologias e suas fases
  2. 2. Fases ou gerações tecnologias Santaella segue em seu texto uma abordagem evolutiva/acumulativa dos artefatos técnicos. As novas mídias não fazem desaparecer as anteriores, mas vão gradativamente existindo e provocando transformações e refuncionalizações nas anteriores. Ela associa essas tecnologias a transformações sociais-culturais e psíquicas pelas quais a humanidade vem passando. https://www.attachmate.com/blogs/legacymoderniz ation/wp-content/uploads/lm/evolution- technology21.jpg
  3. 3. Fases ou gerações tecnologias Argumento central Santaella opera na lógica de que as formas de educação e aprendizagem são derivadas das gerações tecnológicas. Ela lista 5 fases das tecnologias surgidas nos dois últimos séculos (da reprodução; da difusão; do disponível; do acesso e de conexão contínua) e seus consequentes modos de educação/aprendizagem. https://www.attachmate.com/blogs/legacymoderniz ation/wp-content/uploads/lm/evolution- technology21.jpg
  4. 4. Fases ou gerações tecnologias https://sci10sectionm.files.wordpress.com/2013/12/timeline.jpg
  5. 5. Fases ou gerações tecnologias https://designanddigitaltechnology.files.wordpress.com/2014/06/timeline- telephone-01.png
  6. 6. Fases ou gerações tecnologias http://cache.gawker.com/assets/images/gizmodo/2009/05/Sony-Timeline- HD.jpg
  7. 7. Fases ou gerações tecnologias http://anddum.com/timeline/timelinepics/inteltimeline.gif
  8. 8. (1) tecnologias da reprodução Era da reprodutibilidade técnica (em referência a Walter Benjamin) Cultura de massas. Massa aqui entendida como grande número de pessoas. Acompanha o crescimento das metrópoles. Evidenciaram o automatismo e mecanização da vida: do tempo e das fábricas. Esquema (E)missão  (M)eio  (R)ecepção http://d2a9xce884pp5y.cloudfront.net/PDFs_XMLs_paginas/o_globo/ 1925/07/29/01-primeira_secao/ge290725001PRM1-1234_m.jpg https://pixabay.com/static/uploads/photo/2015/08/27/13/04/vinta ge-910420_960_720.png http://www.fromoldbooks.org/pictures-of-old-books/pages/cimg6452- withered-love-romantic/cimg6452-withered-love-romantic-q75- 1199x644.jpg
  9. 9. (1) tecnologias da reprodução A metrópole do começo do século XX começada a ser dominada pela mídia de massa, pelos letreiros, pelos jornais, revistas e cinemas. https://s-media-cache- ak0.pinimg.com/origin als/ff/86/b1/ff86b1b1 bf0fcf13b4588535184 4e8c6.jpg
  10. 10. (2) tecnologias da difusão É o rádio e a televisão como grande novidade. Os dois tem enorme poder de difusão, cobrindo vastos territórios. Os satélites trazem possibilidade ainda maior de expansão. https://www.bchydro.com/content/dam/hydro/medialib/intern et/images/products/electronics/old-television-550x310.jpeg http://4.bp.blogspot.com/-Y6VXS87Vl68/UDy- GcqcicI/AAAAAAAAAJY/ZZ4JPxgHcPY/s1600/oldradio.jpg
  11. 11. (2) tecnologias da difusão O Intelsat I foi lançado em 1965 pela Organização Intergovernamental Intelsat, formada por 11 países inicialmente. Hoje, conta com mais de 100 países. https://pt.wikipedia.org /wiki/Intelsat#/media/ File:INTELSAT_I_(Early_ Bird).jpg
  12. 12. (2) tecnologias da difusão Os satélites formam um rede que cobre a Terra e suporta a globalização das telecomunicações. http://gisoko.com.vn/w p- content/uploads/2016 /03/vetinh.jpg
  13. 13. (3) tecnologias do disponível São tecnologias de pequeno porte, fazendo emergir a cultura das mídias. Segmentação e personalização, com estratos culturais variados. Estão aí as redes de televisão a cabo, o vídeo cassete, a xérox, o walkman. Cópias personalizadas. Começa a se diferenciar da comunicação de massa. http://blog.boombotix.com/wp- content/uploads/2014/04/sony-walkman.jpg http://ecx.images-amazon.com/images/I/41DEKQRD5NL.jpg
  14. 14. (4) tecnologias do acesso (digitais) Convergência dos computadores com as telecomunicações. Revolução do digital e surgimento da internet nos anos 70-80. Manancial de acesso à informações (texto, som, voz, imagens) convertidos em uma única linguagem informática (bits). Fluxo multimídia como resultado da convergência de diferentes formatos: multiplicidade e mutação constante dos dados. http://www.hw-server.com/obrazek/rs232-f1.gif http://www.appsense.com/wp- content/uploads/images//jw_desktoppc.jpg
  15. 15. (4) tecnologias do acesso (digitais) Em 2012 um anônimo criou uma rede gigantesca que infectou dispositivos chamada Carna Botnet, que inclui 420 mil aparelhos com senhas fracas. Sistemas infectados foram usados para enviar um sinal (ping) para qualquer um ao seu alcance. No fim, o autor produziu um mapa, que mostra 460 bilhões de dispositivos conectados à internet. https://blog.kaspersky.com.br/amazing-internet-maps/5778/
  16. 16. (4) tecnologias do acesso (digitais) As redes informáticas deram origem a palavras novas: cibercultura e ciberespaço. As tecnologias do acesso alteraram as formas tradicionais de armazenamento, manipulação e diálogo com as informações. O acesso se torna: livre (?), descentrado (?), diversificado (?). Boa questão! http://questioneverything.typepad.com/.a/6a00e54f9ea2 e588340115706953c9970b-pi http://networkcultures.org/unlikeus/wp- content/uploads/sites/2/2013/03/networktypes.png
  17. 17. (4) tecnologias do acesso (digitais) A ficção científica visualizou o ciberespaço nos anos 80 como um lugar em que o corpo poderia ser desmaterializado e transportado. Acima, filme Tron (1982). Já o filme Matrix (1999) vai além e apresenta uma estrutura autônoma de máquinas que escravizam seres humanos. https://borgdotcom.files.wordpress.com/2011/06/leestetson-tron-003308.png http://www.cgw.com/images/Media/PublicationsArticle/138436.jpg
  18. 18. Vamos assistir? Trailers Matrix e Tron: imaginário da cibercultura Os trailers dos filmes Tron e Matrix nos trazem elementos visuais de como a cibercultura (cultura gestada no ciberespaço) faz parte também do imaginário literário/cinematográfico. https://www.youtube.com/watch?v=Ne Me33Xt4fA (legendas em português) 6:00 https://www.youtube.com/watch?v=1P UXW1YSYBg (legendas em português) 2:46
  19. 19. (5) tecnologias de conexão contínua (digitais) São um segundo estágio das tecnologias do acesso, quando se acrescenta o elemento mobilidade. É a cidade, os espaços físicos e não-físicos, com dispositivos móveis conectando pessoas em rede. Formam-se espaços híbridos, com subjetividades em construção sendo abrigadas por tecnologias maleáveis. http://www.publicceo.com/wp-content/uploads/2013/11/Wifi- City-800x400.jpg http://smallbiztrends.com/wp- content/uploads/2013/04/multitasking-mobile-devices- 557x362.jpg
  20. 20. 6 lógicas comunicacionais culturas simultâneas (não eliminam as anteriores) (1) Cultural oral (2) Cultura escrita (3) Cultura impressa (4) Cultura de massas (5) Cultura das mídias (6) Cibercultura
  21. 21. 6 lógicas comunicacionais culturas simultâneas (não eliminam as anteriores) (1) Cultural oral (2) Cultura escrita (3) Cultura impressa (4) Cultura de massas (5) Cultura das mídias (6) Cibercultura Cada uma que surge altera as funções sociais das precedentes Cada uma que surge aumenta a complexidade das linguagens e culturas humanas Cada uma que surge origina perfis cognitivos próprios e multiplicam as facetas do ser humano Cada uma que surge produz mudanças neurológicas e sensórias que afetam percepções e ações.
  22. 22. Aprendizagem ubíqua o que é? Derivada a última onda, as Tecnologias e Conexão Contínua: acesso em qualquer lugar e hora do dia. É aberta, espontânea, assistemática, caótica. Depende de circunstâncias e curiosidade contingentes. Põe em questão a educação formal e a continuidade do seu papel face às tecnologias de acesso livre ao conhecimento. http://cdn.skilledup.com/wp- content/uploads/2015/10/mobile-learning-Feature- 1290x688-MS-1.jpg http://www.gamesandlearning.org/wp- content/uploads/2016/03/BETTmlearning-1-1024x518.jpg
  23. 23. Aprendizagem ubíqua quatro processos Processo 1 • Tecnologia do livro • Modelo gutenberguiano Processo 2 • Educação a distância • Modelo das mídias massivas (TV, rádio) Processo 3 • Ambientes virtuais de aprendizagem • Modelo da educação online Processo 4 • Dispositivos móveis • Modelo de aprendizagem ubíqua?
  24. 24. Aprendizagem ubíqua quatro processos Processo 1 •Tecnologia do livro •Modelo gutenberguiano Processo 2 •Educação a distância •Modelo das mídias massivas (TV, rádio) Processo 3 •Ambientes virtuais de aprendizagem •Modelo da educação online Processo 4 •Dispositivos móveis •Modelo de aprendizagem ubíqua? Conceito de participação do aluno, controle do fluco de informações Abolição das distâncias pela simultaneidade; formação de comunidades AVAs e educação online Conceito tradicional de educação, passividade do aluno receptor Legitimidade da linguagem escrita e do livro Modelo massivo da EAD nos telecursos Os modelos de comunicação em choque e a escola Hipótese de uma aprendizagem nova emergindo
  25. 25. Aprendizagem ubíqua questões geracionais A exclusão informática pouco a pouco diminui Custos menores e simplificação dos procedimentos de acesso Práticas em conflito Há uma disparidade entre a casa e a escola quanto às práticas, usos e intensidade, causando divergências pedagógicas Transmissão horizontal dos saberes Os jovens aprendem intensivamente entre eles sobre computadores, de modo não estruturado Inversão da transmissão geracional Os jovens transmitem aos mais velhos saberes e habilidades ligados a serviços dos computadores http://marketingland.com/wp-content/ml-loads/2015/01/teens-kids- chat-text-messaging-ss-1920-800x510.jpg
  26. 26. Aprendizagem ubíqua argumentos Os meios de comunicação tradicionais (livros, jornais e revistas) traziam um modelo de educação transmissiva e contemplativa. Os meios digitais (computador, internet, dispositivos móveis) trouxeram outro modelo de educação, participativa, interativa, flexível e instantânea. Há uma oposição entre formalidade (estrutura sistemática) e informalidade (espontaneidade fragmentária). Síntese de Santaella: Nova aprendizagem sem ensino? http://marketingland.com/wp-content/ml- loads/2015/01/teens-kids-chat-text-messaging-ss-1920- 800x510.jpg Educação transmissiva Educação interativa
  27. 27. Aprendizagem ubíqua argumentos Santaella conclui com a ideia de que as “educações” (gutenberguiana, EAD, online e ubíqua) estão em complementariedade, uma influenciando a outra. Dessa forma, a escola não tem o dever de eliminar as aprendizagens existentes, mas procurar formas de complementar umas com as outras. Aprendizagem gutenberguiana Aprendizagem a distância Aprendizagem online Aprendizagem ubíqua
  28. 28. Bibliografia complementar alguns livros sobre transições da escrita
  • victorinocalisto

    Sep. 25, 2018

As tecnologias e suas fases

Vistos

Vistos totais

4.508

No Slideshare

0

De incorporações

0

Número de incorporações

1.877

Ações

Baixados

28

Compartilhados

0

Comentários

0

Curtir

1

×