SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 61
Baixar para ler offline
Inscrições, registros e memórias
surdas em produções visuais digitais
escritas, gramáticas e visualidades em Libras
Prof. Alexandre Rosado
Dia Nacional dos Surdos
26.09.2019 SENAC RJ
EDUCAÇÃO, MÍDIAS E COMUNIDADE SURDA
Grupo de pesquisa do Departamento de Ensino Superior do INES
[ ]
tecnologias enquanto
próteses/extensões do corpo
[ ]1964 1993 1995 2014
[oralidade e gestualidade]
a tribo e o tempo circular
[escrita]
a memória e a história
[digital]
o registro maleável em rede
3grandesperíodos…
o círculo
a linha reta
a rede
[oralidade e gestualidade]
a fala e o gesto
fugaz, sem registro[ ]
o registro manual e
impresso
[escrita]
[ ]
o formato digital unificador, a
aldeia global e as redes
[digital]
[ ]
}{
[reprodução]
mídia de massa 1
1450 d. C. (prensa) e 1870 d. C. (fotografia)
[difusão]
mídia de massa 2
1900 d. C. (cinema e rádio) e 1930 d. C. (TV)
[disponível]
personalização 1
1980 d. C. (walkman e videocassete)
… que se desdobram em outros.
[escrita]
a memória e a história
3200 a. C.
[digital 1]
o registro maleável
1980 d. C. (computador)
[digital 2]
o registro em rede
1995 d. C. (internet BR)
ecologia midiática
contemporânea
[digital]
["imaterialidades”, convergência digital e
liberação do polo da emissão]
[ ]
{
a multiplicação dos
signos e dos letramentos[ ]
signos
predominantemente
visuais
signos
predominantemente
escritos/textuais
signos
hipermidiáticos
híbridos
[a memória ouvinte escrita impressa]
mais de 5000 anos de acumulação
≅3200 a.c (sumérios) - 2019 d.c
[baixo impacto comunidade surda]
[a surdo-memória visual analógica]
aproximadamente 130 anos
≅1890 (filme) e ≅1970 (fita magnética) - 2019 d.c
[médio impacto comunidade surda]
[a surdo-memória visual digital]
aproximadamente 30 anos
≅1990 (web 1.0) - ≅2005 (web 2.0) - 2019 d.c
[alto impacto comunidade surda]
as materialidades da
comunicação[ ]
[baixo impacto] [médio impacto] [alto impacto]
1ª grande liberação do polo da emissão
(formato impresso)[ ]
[crescimento da produção de livros impressos
entre 1454 e 1800 - em milhares]
Produção de livros impressos (em milhares de livros), 1454-1800
[crescimento de uploads de vídeos no Youtube
entre 2005 e 2018]
Uploads por ano
Ano
2ª grande liberação do polo da emissão
(formato digital)[ ]
[crescimento de verbetes na Wikipédia em
Língua Inglesa entre 2001 e 2018]
2ª grande liberação do polo da emissão
(formato digital)[ ]
Número de artigos
na Wikipédia em
Língua Inglesa
{
{
[o renascimento da visualidade surda]
liberação do polo da emissão
+ formato digital[ ]
2005 d. C.2004 d. C. 2004 d. C. 2009 d. C.1996 d. C.1995 d. C. ][[ ]
[o renascimento da visualidade surda]
movimentos de registro e
dicionarização das línguas de sinais[ ]
[semelhante ao movimento de dicionarização e criação
de glossários técnicos nos séc. XVI, XVII e XVIII]
[o renascimento da visualidade surda]
movimentos de registro e
dicionarização das línguas de sinais[ ]
[semelhante ao movimento de dicionarização e criação
de glossários técnicos nos séc. XVI, XVII e XVIII]
Algumas explorações de pesquisa
em inscrições, registros e memórias surdas (surdo-memória)[ ]
[visualidades]
"Contudo, como sabemos, na
verdade, que esses grandes
escritores (inclusive, o das
sagradas escrituras) não teriam
preferido filmar ou gravar seus
textos?" (FLUSSER, 2010
[1987], p. 14)
[ ]
Nosso interesse está na Comunidade surda, como esta produz
condições de registro, no enfrentamento de limitações de
estocagem de vídeos e de obstáculos às revisões de suas
próprias mensagens armazenadas.
[ ]
As limitações estão na dificuldade de registrar e
manipular o próprio pensamento em artefatos de outra
ordem que não o suporte impresso, da armazenagem à
decodificação por maior número de pares surdos e não-surdos.
Vilém Flusser e as comunicações não-humanas abissais:
o exemplo do Vampyroteuthis infernalis
[produção de 5 monografias entre 2015 e 2018]
[a pesquisa]
monografias em Libras[ ]
[produção acadêmica]
[a pesquisa]
monografias em Libras[ ]
[produção acadêmica]
[a pesquisa]
monografias em Libras[ ]
[produção de 10 videonovelas com alunos
de graduação em 2017-2018]
[a pesquisa]
videonovelas em Libras[ ]
[produção acadêmica]
[a pesquisa]
[ ]videonovelas em Libras
[produção de informes bilíngues em 2017-2018]
[a pesquisa]
informes bilíngues[ ]
[visualidades]
Alfabetismo visual: a visualidade é aprendida, ou
seja, não é inata, não é natural e nem muito
menos espontânea.[ ]
[visualidades]
"O alfabetismo visual implica
compreensão, e meios de ver e
compartilhar o significado a certo
nível de universalidade. A realização
disso exige que se ultrapassem os
poderes visuais inatos do
organismo humano, além das
capacidades intuitivas em nós
programadas para a tomada de
decisões visuais numa base mais
ou menos comum, e das
preferências pessoais e dos gostos
individuais." (DONDIS, 2007, p. 227).
[
[produção de oficinas de letramento midiático]
[a pesquisa]
mídia-educação[ ]
[produção de oficinas de letramento midiático]
[a pesquisa]
mídia-educação[ ]
[produção de infografia para cursos de extensão em 2016-2017]
[a pesquisa]
infografia[ ]
[produção de infografia com alunos de graduação em 2019]
[a pesquisa]
infografia[ ]
No Maranhão é canção.
Em Alagoas é
chamada de avião.
Na Bahia e no Pará, diz-
se pular macaco ou
macaca, semelhante a
Portugal.
Em Minas Gerais é
maré. Diz-se "pular
maré", não "jogar
maré".
No Rio Grande do Norte é avião,
como em Moçambique. Embora em
Natal tal como PB e PE a
nomenclatura seja a mesma do RJ
provavelmente pela migração.
Na Paraíba e
Pernambuco é
academia ou
cadmia.
Em Sergipe
se chama
macacão.
No Rio Grande do Sul é
Sapata ou Zapata.
No Piauí é
boneca.
No Rio de Janeiro pode
ser ainda academia ou
cadmia e Amarelinha.
VARIAÇÕESNOMINAIS
1. Lateralidade
2. Equilíbrio
3. Auto controle
4. Coordenação motora ampla
5. Noção espacial
6. Diversão
7. Senso de prioridade
8. Ritmo
9. Força muscular
10.Coordenação óculo-manual
11.Relação inter-pessoal
BENEFÍCIOS
Cada jogador
precisa de uma
pedrinha ou
uma tampinha
Quem começa a jogar a
pedrinha na casa
marcada com numero 1 e
vai pulando de casa em
casa partindo da casa 2
até o céu
Só é permitido por um
pé em cada casa
.quando há uma casa ao
lado da outra pode por
os pés no chão
Quando chegar no céu, o
jogador vira e volts
pulando na mesma
maneira ,pegando a
pedrinha quando estiver
na casa 2
A mesma pessoa
começa de novo ,
jogando a
pedrinha na casa
2.
Perde a vez quem:
Pisar na linha:
Pisar na casa onde está a pedrinha;
Não acerta a pedrinha na casa ;
Não conseguir ou esquecer de pegar a
pedrinha de volta
Ganha quem
terminar de
pular todas
as casas
primeiro .
1 2 3 4 5 6 7
amarelinha
[produção de infografia com alunos de graduação em 2019]
[a pesquisa]
infografia[ ]
TEMPODEDECOMPOSIÇÃO
DOSMATERIAIS(emanos)
A Política Nacional de Resíduos Sólidos
(PNRS) estabelecia que os municípios
brasileiros erradicassem os lixões até o
ano de 2014. Como 60% como não se
adequaram, o prazo para o fim dos lixões
foi prorrogado para entre 2018 e 2021.
O problema dos LIXÕES
O primeiro passo é saber separar o seu
lixo seguindo as 5 cores.
SEPARE o seu lixo
PAPEL
PLÁSTICO
ORGÂNICO
METAL
VIDRO
A separação do lixo gera empregos.
Existem cooperativas de catadores e
separadores de lixo que, além de minorar o
impacto ambiental do lixo sem tratamento,
geram renda para milhares de pessoas.
Ajude!
Gere mais EMPREGOS
RECICLE REDUZA REUSE
FLORESTA DE REPLANTIO
Mariana (MG)/2015
– Mortes 19 pessoas
Danos aos
ecossistemas do Rio
Doce
Danos aos
ecossistemas
marinhos
MINERAÇÃOAÇO/ALUMÍNIO
CELULOSE DE EUCALIPTOINDÚSTRIA DE PAPEL
PLÁSTICO
Desastre ambiental em 2000, na Baia de
Guanabara.
Os peixes desapareceram e mais de 20
mil famílias ficaram sem trabalho, porque
viviam da pesca.
Plásticos lançados no
mar matam mais de
100 mil animais por
ano. Pesquisa da
Universidade da
Austrália.
Os animais marinhos
confundem plásticos
com comida.
Brumadinho
(MG/2019) – 246
mortes identificadas
e 24 desaparecidas.
Aproximadamente
125 hectares de
florestas foram
perdidos ...
MADEIRA
DE ONDEM VEM ?
Durante o primeiro mês
de 2019 foi registrado
um crescimento de 54%
no desmatamento da
região amazônica, em
comparação ao mesmo
período do ano anterior.
Em janeiro, segundo o
Boletim do
Desmatamento (SAD)
IMPACTO AMBIENTAL
MINERAÇÃO
PETRÓLEO
NOSMARES&FLORESTA
PETRÓLEO
[produção de infografia com alunos de graduação em 2019]
[a pesquisa]
infografia[ ]
No Maranhão é canção.
Em Alagoas é
chamada de avião.
Na Bahia e no Pará, diz-
se pular macaco ou
macaca, semelhante a
Portugal.
Em Minas Gerais é
maré. Diz-se "pular
maré", não "jogar
maré".
No Rio Grande do Norte é avião,
como em Moçambique. Embora em
Natal tal como PB e PE a
nomenclatura seja a mesma do RJ
provavelmente pela migração.
Na Paraíba e
Pernambuco é
academia ou
cadmia.
Em Sergipe
se chama
macacão.
No Rio Grande do Sul é
Sapata ou Zapata.
No Piauí é
boneca.
No Rio de Janeiro pode
ser ainda academia ou
cadmia e Amarelinha.
VARIAÇÕESNOMINAIS
1. Lateralidade
2. Equilíbrio
3. Auto controle
4. Coordenação motora ampla
5. Noção espacial
6. Diversão
7. Senso de prioridade
8. Ritmo
9. Força muscular
10.Coordenação óculo-manual
11.Relação inter-pessoal
BENEFÍCIOS
Cada jogador
precisa de uma
pedrinha ou
uma tampinha
Quem começa a jogar a
pedrinha na casa
marcada com numero 1 e
vai pulando de casa em
casa partindo da casa 2
até o céu
Só é permitido por um
pé em cada casa
.quando há uma casa ao
lado da outra pode por
os pés no chão
Quando chegar no céu, o
jogador vira e volts
pulando na mesma
maneira ,pegando a
pedrinha quando estiver
na casa 2
A mesma pessoa
começa de novo ,
jogando a
pedrinha na casa
2.
Perde a vez quem:
Pisar na linha:
Pisar na casa onde está a pedrinha;
Não acerta a pedrinha na casa ;
Não conseguir ou esquecer de pegar a
pedrinha de volta
Ganha quem
terminar de
pular todas
as casas
primeiro .
1 2 3 4 5 6 7
amarelinha
TEMPODEDECOMPOSIÇÃO
DOSMATERIAIS(emanos)
A Política Nacional de Resíduos Sólidos
(PNRS) estabelecia que os municípios
brasileiros erradicassem os lixões até o
ano de 2014. Como 60% como não se
adequaram, o prazo para o fim dos lixões
foi prorrogado para entre 2018 e 2021.
O problema dos LIXÕES
O primeiro passo é saber separar o seu
lixo seguindo as 5 cores.
SEPARE o seu lixo
PAPEL
PLÁSTICO
ORGÂNICO
METAL
VIDRO
A separação do lixo gera empregos.
Existem cooperativas de catadores e
separadores de lixo que, além de minorar o
impacto ambiental do lixo sem tratamento,
geram renda para milhares de pessoas.
Ajude!
Gere mais EMPREGOS
RECICLE REDUZA REUSE
FLORESTA DE REPLANTIO
Mariana (MG)/2015
– Mortes 19 pessoas
Danos aos
ecossistemas do Rio
Doce
Danos aos
ecossistemas
marinhos
MINERAÇÃOAÇO/ALUMÍNIO
CELULOSE DE EUCALIPTOINDÚSTRIA DE PAPEL
PLÁSTICO
Desastre ambiental em 2000, na Baia de
Guanabara.
Os peixes desapareceram e mais de 20
mil famílias ficaram sem trabalho, porque
viviam da pesca.
Plásticos lançados no
mar matam mais de
100 mil animais por
ano. Pesquisa da
Universidade da
Austrália.
Os animais marinhos
confundem plásticos
com comida.
Brumadinho
(MG/2019) – 246
mortes identificadas
e 24 desaparecidas.
Aproximadamente
125 hectares de
florestas foram
perdidos ...
MADEIRA
DE ONDEM VEM ?
Durante o primeiro mês
de 2019 foi registrado
um crescimento de 54%
no desmatamento da
região amazônica, em
comparação ao mesmo
período do ano anterior.
Em janeiro, segundo o
Boletim do
Desmatamento (SAD)
IMPACTO AMBIENTAL
MINERAÇÃO
PETRÓLEO
NOSMARES&FLORESTA
PETRÓLEO
[produção de contações de histórias com alunos de graduação]
[a pesquisa]
contações de histórias[ ]
[produção acadêmica]
[a pesquisa]
contações de histórias[ ]
[escritas]
"A escrita põe uma distância entre
um homem e seus atos verbais. Ele
agora pode examinar o que diz de
uma maneira mais objetiva. Pode
ficar de longe, comentar sobre sua
criação, até corrigi-la - seu estilo
bem como sua sintaxe. Portanto, a
atitude para com a escrita difere da
atitude para com a apresentação
oral [gestual].” (GOODY, 2012
[1977], p. 159)
[
[produção de layouts de teclados
para escrita de línguas de sinais - padrão ELiS, criada em 1998]
[a pesquisa]
registros escritos ou
“as línguas de sinais não são ágrafas”[ ]
[produção acadêmica no prelo sem previsão de publicação]
[a pesquisa]
registros escritos ou
“as línguas de sinais não são ágrafas”[ ]
Importa-nos com maior intensidade, abrir mão da
disputa entre as línguas, e observar o comportamento
de ambas na constituição de suportes e de recursos no que se
refere aos encadeamentos, as misturas entre imagem e texto.
[ ]
Explorando a ideia de
gramática visual[ ]
[gramaticalidades]
"Nós pensamos de
maneira diferente quando
temos uma linguagem
para descrever o que
pensamos.” (LEBORG,
2015 [2004], p. 5)
[ ]
[análise de 24 vídeos selecionados em 2017 e 2018]
[a pesquisa]
gramática visual[ ]
[os efeitos de edição e pós-produção são
uma marca dos vídeos multimodais do nosso tempo]
[a pesquisa]
[ ]gramática visual
[a gramática visual clássica foi construída para
produções gráficas desenhadas/pintadas/impressas]
[a pesquisa]
[ ]gramática visual
1954 d. C. 1973 d. C. 2004 d. C.
[mas que composições visuais estão sendo
geradas por estes softwares?]
[o meio de pós-produção é a mensagem]
[a pesquisa]
[ ]gramática visual
[produção acadêmica no prelo - setembro de 2019]
[a pesquisa]
[ ]gramática visual
[produção acadêmica no livro “Letramento visual e surdez"]
[a pesquisa]
[ ]letramento visual
Proposta de uma gramática visual
para os vídeos em línguas de sinais[ ]
[resultados]
[proposta de uma gramática visual]
os sete elementos básicos
[proposta de uma gramática visual]
representação icônica dos frames dos vídeos
[resultados]
[proposta de uma gramática visual]
representação icônica dos frames dos vídeos
[resultados]
[proposta de uma gramática visual]
variações
[resultados]
[proposta de uma gramática visual]
variações
[resultados]
[proposta de uma gramática visual]
relações
[resultados]
[proposta de uma gramática visual]
relações
[resultados]
[proposta de uma gramática visual]
catálogo de soluções visuais
[resultados]
[proposta de uma gramática visual]
catálogo de soluções visuais
[resultados]
[conclusões]
[e qual a utilidade desta gramática?]
tornar legíveis camadas presentes nas composições visuais
suporte aos produtores de vídeos em línguas de sinais
construção fácil de roteiros para vídeos em línguas de sinais
construções de representações icônicas simples e fáceis de usar
previsão de novas composições ainda por serem criadas
construção de um catálogo de melhores práticas
[ ]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (9)

Modos De Interagir
Modos De InteragirModos De Interagir
Modos De Interagir
 
Cartilha com orientações ao instrutor de libras
Cartilha com orientações ao instrutor de librasCartilha com orientações ao instrutor de libras
Cartilha com orientações ao instrutor de libras
 
Caderno Pedagógico 2017 SME/RJ - aluno
Caderno Pedagógico 2017 SME/RJ - alunoCaderno Pedagógico 2017 SME/RJ - aluno
Caderno Pedagógico 2017 SME/RJ - aluno
 
Gírias
GíriasGírias
Gírias
 
Topico8 geografia cultura e natureza
Topico8 geografia cultura e naturezaTopico8 geografia cultura e natureza
Topico8 geografia cultura e natureza
 
Topico8 geografia cultura e natureza
Topico8 geografia cultura e naturezaTopico8 geografia cultura e natureza
Topico8 geografia cultura e natureza
 
Tópico 8. cultura e natureza22
Tópico 8. cultura e natureza22Tópico 8. cultura e natureza22
Tópico 8. cultura e natureza22
 
Módulo 2015.1
Módulo 2015.1Módulo 2015.1
Módulo 2015.1
 
Capoeira
CapoeiraCapoeira
Capoeira
 

Semelhante a Apresentação Senac - Dia do Surdo 26/09/2019

Mini Oficina Fapa - O que é ensino de Língua Portuguesa para surdos?
Mini Oficina Fapa - O que é ensino de Língua Portuguesa para surdos?Mini Oficina Fapa - O que é ensino de Língua Portuguesa para surdos?
Mini Oficina Fapa - O que é ensino de Língua Portuguesa para surdos?Vanessa Dagostim
 
Linguagens Prof. Fernando Santos
Linguagens  Prof. Fernando SantosLinguagens  Prof. Fernando Santos
Linguagens Prof. Fernando SantosPré-Enem Seduc
 
O GIMP COMO FERRAMENTA NO AUXÍLIO DA INCLUSÃO DIGITAL PARA O PÚBLICO DA TERCE...
O GIMP COMO FERRAMENTA NO AUXÍLIO DA INCLUSÃO DIGITAL PARA O PÚBLICO DA TERCE...O GIMP COMO FERRAMENTA NO AUXÍLIO DA INCLUSÃO DIGITAL PARA O PÚBLICO DA TERCE...
O GIMP COMO FERRAMENTA NO AUXÍLIO DA INCLUSÃO DIGITAL PARA O PÚBLICO DA TERCE...Vis-UAB
 
Linguagem digital - a internet.ppt
Linguagem digital - a internet.pptLinguagem digital - a internet.ppt
Linguagem digital - a internet.pptTainTorres4
 
Slides curso online unieducar alfabetização e letramento no brasil
Slides curso online unieducar alfabetização e letramento no brasilSlides curso online unieducar alfabetização e letramento no brasil
Slides curso online unieducar alfabetização e letramento no brasilUnichristus Centro Universitário
 
Abciber final
Abciber finalAbciber final
Abciber final3ponto14
 
Linguagem digital - a internet (1).pptx
Linguagem digital - a internet (1).pptxLinguagem digital - a internet (1).pptx
Linguagem digital - a internet (1).pptxCharlesPorfirio3
 
Caderno atividades geografia_6_anola
Caderno atividades geografia_6_anolaCaderno atividades geografia_6_anola
Caderno atividades geografia_6_anolaAluisiane Kraisch
 
Acessibilidade para deficiêntes visuais
Acessibilidade para deficiêntes visuaisAcessibilidade para deficiêntes visuais
Acessibilidade para deficiêntes visuaisMara Limias
 
Roteiro de VT para Copa 2014 -Estereótipo do Brasileiro
Roteiro de VT para Copa 2014 -Estereótipo do BrasileiroRoteiro de VT para Copa 2014 -Estereótipo do Brasileiro
Roteiro de VT para Copa 2014 -Estereótipo do BrasileiroPâmela Guimarães
 
Alive: apresentação da coleção ALIVE
Alive: apresentação da coleção ALIVEAlive: apresentação da coleção ALIVE
Alive: apresentação da coleção ALIVEVera Menezes
 
Carajás canaãn-2012)
Carajás canaãn-2012)Carajás canaãn-2012)
Carajás canaãn-2012)FALE - UFMG
 
Workshop Plau - Fabulosa Verão no IED
Workshop Plau - Fabulosa Verão no IEDWorkshop Plau - Fabulosa Verão no IED
Workshop Plau - Fabulosa Verão no IEDPlau
 
Caderno atividades geografia_7_anola
Caderno atividades geografia_7_anolaCaderno atividades geografia_7_anola
Caderno atividades geografia_7_anolaAluisiane Kraisch
 
Atividades educativas 5 ano 19nov20
Atividades educativas 5 ano 19nov20Atividades educativas 5 ano 19nov20
Atividades educativas 5 ano 19nov20Washington Rocha
 

Semelhante a Apresentação Senac - Dia do Surdo 26/09/2019 (20)

Vamos em Sinais
Vamos em SinaisVamos em Sinais
Vamos em Sinais
 
Mini Oficina Fapa - O que é ensino de Língua Portuguesa para surdos?
Mini Oficina Fapa - O que é ensino de Língua Portuguesa para surdos?Mini Oficina Fapa - O que é ensino de Língua Portuguesa para surdos?
Mini Oficina Fapa - O que é ensino de Língua Portuguesa para surdos?
 
GEOGRAFIA(2).pdf
GEOGRAFIA(2).pdfGEOGRAFIA(2).pdf
GEOGRAFIA(2).pdf
 
Linguagens Prof. Fernando Santos
Linguagens  Prof. Fernando SantosLinguagens  Prof. Fernando Santos
Linguagens Prof. Fernando Santos
 
GEOGRAFIA(1).pdf
GEOGRAFIA(1).pdfGEOGRAFIA(1).pdf
GEOGRAFIA(1).pdf
 
O GIMP COMO FERRAMENTA NO AUXÍLIO DA INCLUSÃO DIGITAL PARA O PÚBLICO DA TERCE...
O GIMP COMO FERRAMENTA NO AUXÍLIO DA INCLUSÃO DIGITAL PARA O PÚBLICO DA TERCE...O GIMP COMO FERRAMENTA NO AUXÍLIO DA INCLUSÃO DIGITAL PARA O PÚBLICO DA TERCE...
O GIMP COMO FERRAMENTA NO AUXÍLIO DA INCLUSÃO DIGITAL PARA O PÚBLICO DA TERCE...
 
Linguagem digital - a internet.ppt
Linguagem digital - a internet.pptLinguagem digital - a internet.ppt
Linguagem digital - a internet.ppt
 
Slides curso online unieducar alfabetização e letramento no brasil
Slides curso online unieducar alfabetização e letramento no brasilSlides curso online unieducar alfabetização e letramento no brasil
Slides curso online unieducar alfabetização e letramento no brasil
 
Abciber final
Abciber finalAbciber final
Abciber final
 
Linguagem digital - a internet (1).pptx
Linguagem digital - a internet (1).pptxLinguagem digital - a internet (1).pptx
Linguagem digital - a internet (1).pptx
 
Caderno atividades geografia_6_anola
Caderno atividades geografia_6_anolaCaderno atividades geografia_6_anola
Caderno atividades geografia_6_anola
 
Acessibilidade para deficiêntes visuais
Acessibilidade para deficiêntes visuaisAcessibilidade para deficiêntes visuais
Acessibilidade para deficiêntes visuais
 
Roteiro de VT para Copa 2014 -Estereótipo do Brasileiro
Roteiro de VT para Copa 2014 -Estereótipo do BrasileiroRoteiro de VT para Copa 2014 -Estereótipo do Brasileiro
Roteiro de VT para Copa 2014 -Estereótipo do Brasileiro
 
Alive: apresentação da coleção ALIVE
Alive: apresentação da coleção ALIVEAlive: apresentação da coleção ALIVE
Alive: apresentação da coleção ALIVE
 
Carajás canaãn-2012)
Carajás canaãn-2012)Carajás canaãn-2012)
Carajás canaãn-2012)
 
Workshop Plau - Fabulosa Verão no IED
Workshop Plau - Fabulosa Verão no IEDWorkshop Plau - Fabulosa Verão no IED
Workshop Plau - Fabulosa Verão no IED
 
Semanário | 05 a 11.11.2012
Semanário | 05 a 11.11.2012Semanário | 05 a 11.11.2012
Semanário | 05 a 11.11.2012
 
Caderno atividades geografia_7_anola
Caderno atividades geografia_7_anolaCaderno atividades geografia_7_anola
Caderno atividades geografia_7_anola
 
GEOGRAFIA(3).pdf
GEOGRAFIA(3).pdfGEOGRAFIA(3).pdf
GEOGRAFIA(3).pdf
 
Atividades educativas 5 ano 19nov20
Atividades educativas 5 ano 19nov20Atividades educativas 5 ano 19nov20
Atividades educativas 5 ano 19nov20
 

Mais de Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda

Mais de Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda (20)

Francielle Cantarelli - Pedagogia surda
Francielle Cantarelli - Pedagogia surdaFrancielle Cantarelli - Pedagogia surda
Francielle Cantarelli - Pedagogia surda
 
Sueli Fernandes - Educação bilíngue e cultura letrada em Libras
Sueli Fernandes - Educação bilíngue e cultura letrada em LibrasSueli Fernandes - Educação bilíngue e cultura letrada em Libras
Sueli Fernandes - Educação bilíngue e cultura letrada em Libras
 
Janie Amaral - Slides da palestra
Janie Amaral - Slides da palestraJanie Amaral - Slides da palestra
Janie Amaral - Slides da palestra
 
PADEBS PPGEB Síntese Texto 1 Taveira e Rosado 2013 conceitos
PADEBS PPGEB Síntese Texto 1 Taveira e Rosado 2013 conceitosPADEBS PPGEB Síntese Texto 1 Taveira e Rosado 2013 conceitos
PADEBS PPGEB Síntese Texto 1 Taveira e Rosado 2013 conceitos
 
Conto de historias - Comunicação para o COINES 2019
Conto de historias - Comunicação para o COINES 2019Conto de historias - Comunicação para o COINES 2019
Conto de historias - Comunicação para o COINES 2019
 
Aula de alfabetismo visual INES
Aula de alfabetismo visual INESAula de alfabetismo visual INES
Aula de alfabetismo visual INES
 
Apresentação COINES 2017 (Cristiane Taveira e Alexandre Rosado)
Apresentação COINES 2017 (Cristiane Taveira e Alexandre Rosado)Apresentação COINES 2017 (Cristiane Taveira e Alexandre Rosado)
Apresentação COINES 2017 (Cristiane Taveira e Alexandre Rosado)
 
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeoSlides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
 
O professor e as tecnologias
O professor e as tecnologiasO professor e as tecnologias
O professor e as tecnologias
 
Políticas públicas e novas tecnologias
Políticas públicas e novas tecnologiasPolíticas públicas e novas tecnologias
Políticas públicas e novas tecnologias
 
Mídia-educação
Mídia-educaçãoMídia-educação
Mídia-educação
 
Educação aberta
Educação abertaEducação aberta
Educação aberta
 
Cultura hacker: origem e ideário
Cultura hacker: origem e ideárioCultura hacker: origem e ideário
Cultura hacker: origem e ideário
 
Filme "Piratas do vale do silício"
Filme "Piratas do vale do silício"Filme "Piratas do vale do silício"
Filme "Piratas do vale do silício"
 
Futuros imaginários
Futuros imagináriosFuturos imaginários
Futuros imaginários
 
Introdução à disciplina
Introdução à disciplinaIntrodução à disciplina
Introdução à disciplina
 
A cibercultura e suas leis
A cibercultura e suas leisA cibercultura e suas leis
A cibercultura e suas leis
 
Letramentos? A oralidade, a escrita e o digital
Letramentos? A oralidade, a escrita e o digitalLetramentos? A oralidade, a escrita e o digital
Letramentos? A oralidade, a escrita e o digital
 
As tecnologias e suas fases
As tecnologias e suas fasesAs tecnologias e suas fases
As tecnologias e suas fases
 
Discussão sobre o filme Metrópolis
Discussão sobre o filme MetrópolisDiscussão sobre o filme Metrópolis
Discussão sobre o filme Metrópolis
 

Último

Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 

Último (20)

Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 

Apresentação Senac - Dia do Surdo 26/09/2019

  • 1. Inscrições, registros e memórias surdas em produções visuais digitais escritas, gramáticas e visualidades em Libras Prof. Alexandre Rosado Dia Nacional dos Surdos 26.09.2019 SENAC RJ EDUCAÇÃO, MÍDIAS E COMUNIDADE SURDA Grupo de pesquisa do Departamento de Ensino Superior do INES [ ]
  • 2. tecnologias enquanto próteses/extensões do corpo [ ]1964 1993 1995 2014
  • 3. [oralidade e gestualidade] a tribo e o tempo circular [escrita] a memória e a história [digital] o registro maleável em rede 3grandesperíodos… o círculo a linha reta a rede
  • 4. [oralidade e gestualidade] a fala e o gesto fugaz, sem registro[ ]
  • 5. o registro manual e impresso [escrita] [ ]
  • 6. o formato digital unificador, a aldeia global e as redes [digital] [ ]
  • 7. }{ [reprodução] mídia de massa 1 1450 d. C. (prensa) e 1870 d. C. (fotografia) [difusão] mídia de massa 2 1900 d. C. (cinema e rádio) e 1930 d. C. (TV) [disponível] personalização 1 1980 d. C. (walkman e videocassete) … que se desdobram em outros. [escrita] a memória e a história 3200 a. C. [digital 1] o registro maleável 1980 d. C. (computador) [digital 2] o registro em rede 1995 d. C. (internet BR)
  • 9. { a multiplicação dos signos e dos letramentos[ ] signos predominantemente visuais signos predominantemente escritos/textuais signos hipermidiáticos híbridos
  • 10. [a memória ouvinte escrita impressa] mais de 5000 anos de acumulação ≅3200 a.c (sumérios) - 2019 d.c [baixo impacto comunidade surda]
  • 11. [a surdo-memória visual analógica] aproximadamente 130 anos ≅1890 (filme) e ≅1970 (fita magnética) - 2019 d.c [médio impacto comunidade surda]
  • 12. [a surdo-memória visual digital] aproximadamente 30 anos ≅1990 (web 1.0) - ≅2005 (web 2.0) - 2019 d.c [alto impacto comunidade surda]
  • 13. as materialidades da comunicação[ ] [baixo impacto] [médio impacto] [alto impacto]
  • 14. 1ª grande liberação do polo da emissão (formato impresso)[ ] [crescimento da produção de livros impressos entre 1454 e 1800 - em milhares] Produção de livros impressos (em milhares de livros), 1454-1800
  • 15. [crescimento de uploads de vídeos no Youtube entre 2005 e 2018] Uploads por ano Ano 2ª grande liberação do polo da emissão (formato digital)[ ]
  • 16. [crescimento de verbetes na Wikipédia em Língua Inglesa entre 2001 e 2018] 2ª grande liberação do polo da emissão (formato digital)[ ] Número de artigos na Wikipédia em Língua Inglesa
  • 17. { { [o renascimento da visualidade surda] liberação do polo da emissão + formato digital[ ] 2005 d. C.2004 d. C. 2004 d. C. 2009 d. C.1996 d. C.1995 d. C. ][[ ]
  • 18. [o renascimento da visualidade surda] movimentos de registro e dicionarização das línguas de sinais[ ] [semelhante ao movimento de dicionarização e criação de glossários técnicos nos séc. XVI, XVII e XVIII]
  • 19. [o renascimento da visualidade surda] movimentos de registro e dicionarização das línguas de sinais[ ] [semelhante ao movimento de dicionarização e criação de glossários técnicos nos séc. XVI, XVII e XVIII]
  • 20. Algumas explorações de pesquisa em inscrições, registros e memórias surdas (surdo-memória)[ ]
  • 21. [visualidades] "Contudo, como sabemos, na verdade, que esses grandes escritores (inclusive, o das sagradas escrituras) não teriam preferido filmar ou gravar seus textos?" (FLUSSER, 2010 [1987], p. 14) [ ]
  • 22. Nosso interesse está na Comunidade surda, como esta produz condições de registro, no enfrentamento de limitações de estocagem de vídeos e de obstáculos às revisões de suas próprias mensagens armazenadas. [ ] As limitações estão na dificuldade de registrar e manipular o próprio pensamento em artefatos de outra ordem que não o suporte impresso, da armazenagem à decodificação por maior número de pares surdos e não-surdos. Vilém Flusser e as comunicações não-humanas abissais: o exemplo do Vampyroteuthis infernalis
  • 23. [produção de 5 monografias entre 2015 e 2018] [a pesquisa] monografias em Libras[ ]
  • 26. [produção de 10 videonovelas com alunos de graduação em 2017-2018] [a pesquisa] videonovelas em Libras[ ]
  • 27. [produção acadêmica] [a pesquisa] [ ]videonovelas em Libras
  • 28. [produção de informes bilíngues em 2017-2018] [a pesquisa] informes bilíngues[ ]
  • 29. [visualidades] Alfabetismo visual: a visualidade é aprendida, ou seja, não é inata, não é natural e nem muito menos espontânea.[ ]
  • 30. [visualidades] "O alfabetismo visual implica compreensão, e meios de ver e compartilhar o significado a certo nível de universalidade. A realização disso exige que se ultrapassem os poderes visuais inatos do organismo humano, além das capacidades intuitivas em nós programadas para a tomada de decisões visuais numa base mais ou menos comum, e das preferências pessoais e dos gostos individuais." (DONDIS, 2007, p. 227). [
  • 31. [produção de oficinas de letramento midiático] [a pesquisa] mídia-educação[ ]
  • 32. [produção de oficinas de letramento midiático] [a pesquisa] mídia-educação[ ]
  • 33. [produção de infografia para cursos de extensão em 2016-2017] [a pesquisa] infografia[ ]
  • 34. [produção de infografia com alunos de graduação em 2019] [a pesquisa] infografia[ ] No Maranhão é canção. Em Alagoas é chamada de avião. Na Bahia e no Pará, diz- se pular macaco ou macaca, semelhante a Portugal. Em Minas Gerais é maré. Diz-se "pular maré", não "jogar maré". No Rio Grande do Norte é avião, como em Moçambique. Embora em Natal tal como PB e PE a nomenclatura seja a mesma do RJ provavelmente pela migração. Na Paraíba e Pernambuco é academia ou cadmia. Em Sergipe se chama macacão. No Rio Grande do Sul é Sapata ou Zapata. No Piauí é boneca. No Rio de Janeiro pode ser ainda academia ou cadmia e Amarelinha. VARIAÇÕESNOMINAIS 1. Lateralidade 2. Equilíbrio 3. Auto controle 4. Coordenação motora ampla 5. Noção espacial 6. Diversão 7. Senso de prioridade 8. Ritmo 9. Força muscular 10.Coordenação óculo-manual 11.Relação inter-pessoal BENEFÍCIOS Cada jogador precisa de uma pedrinha ou uma tampinha Quem começa a jogar a pedrinha na casa marcada com numero 1 e vai pulando de casa em casa partindo da casa 2 até o céu Só é permitido por um pé em cada casa .quando há uma casa ao lado da outra pode por os pés no chão Quando chegar no céu, o jogador vira e volts pulando na mesma maneira ,pegando a pedrinha quando estiver na casa 2 A mesma pessoa começa de novo , jogando a pedrinha na casa 2. Perde a vez quem: Pisar na linha: Pisar na casa onde está a pedrinha; Não acerta a pedrinha na casa ; Não conseguir ou esquecer de pegar a pedrinha de volta Ganha quem terminar de pular todas as casas primeiro . 1 2 3 4 5 6 7 amarelinha
  • 35. [produção de infografia com alunos de graduação em 2019] [a pesquisa] infografia[ ] TEMPODEDECOMPOSIÇÃO DOSMATERIAIS(emanos) A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) estabelecia que os municípios brasileiros erradicassem os lixões até o ano de 2014. Como 60% como não se adequaram, o prazo para o fim dos lixões foi prorrogado para entre 2018 e 2021. O problema dos LIXÕES O primeiro passo é saber separar o seu lixo seguindo as 5 cores. SEPARE o seu lixo PAPEL PLÁSTICO ORGÂNICO METAL VIDRO A separação do lixo gera empregos. Existem cooperativas de catadores e separadores de lixo que, além de minorar o impacto ambiental do lixo sem tratamento, geram renda para milhares de pessoas. Ajude! Gere mais EMPREGOS RECICLE REDUZA REUSE FLORESTA DE REPLANTIO Mariana (MG)/2015 – Mortes 19 pessoas Danos aos ecossistemas do Rio Doce Danos aos ecossistemas marinhos MINERAÇÃOAÇO/ALUMÍNIO CELULOSE DE EUCALIPTOINDÚSTRIA DE PAPEL PLÁSTICO Desastre ambiental em 2000, na Baia de Guanabara. Os peixes desapareceram e mais de 20 mil famílias ficaram sem trabalho, porque viviam da pesca. Plásticos lançados no mar matam mais de 100 mil animais por ano. Pesquisa da Universidade da Austrália. Os animais marinhos confundem plásticos com comida. Brumadinho (MG/2019) – 246 mortes identificadas e 24 desaparecidas. Aproximadamente 125 hectares de florestas foram perdidos ... MADEIRA DE ONDEM VEM ? Durante o primeiro mês de 2019 foi registrado um crescimento de 54% no desmatamento da região amazônica, em comparação ao mesmo período do ano anterior. Em janeiro, segundo o Boletim do Desmatamento (SAD) IMPACTO AMBIENTAL MINERAÇÃO PETRÓLEO NOSMARES&FLORESTA PETRÓLEO
  • 36. [produção de infografia com alunos de graduação em 2019] [a pesquisa] infografia[ ] No Maranhão é canção. Em Alagoas é chamada de avião. Na Bahia e no Pará, diz- se pular macaco ou macaca, semelhante a Portugal. Em Minas Gerais é maré. Diz-se "pular maré", não "jogar maré". No Rio Grande do Norte é avião, como em Moçambique. Embora em Natal tal como PB e PE a nomenclatura seja a mesma do RJ provavelmente pela migração. Na Paraíba e Pernambuco é academia ou cadmia. Em Sergipe se chama macacão. No Rio Grande do Sul é Sapata ou Zapata. No Piauí é boneca. No Rio de Janeiro pode ser ainda academia ou cadmia e Amarelinha. VARIAÇÕESNOMINAIS 1. Lateralidade 2. Equilíbrio 3. Auto controle 4. Coordenação motora ampla 5. Noção espacial 6. Diversão 7. Senso de prioridade 8. Ritmo 9. Força muscular 10.Coordenação óculo-manual 11.Relação inter-pessoal BENEFÍCIOS Cada jogador precisa de uma pedrinha ou uma tampinha Quem começa a jogar a pedrinha na casa marcada com numero 1 e vai pulando de casa em casa partindo da casa 2 até o céu Só é permitido por um pé em cada casa .quando há uma casa ao lado da outra pode por os pés no chão Quando chegar no céu, o jogador vira e volts pulando na mesma maneira ,pegando a pedrinha quando estiver na casa 2 A mesma pessoa começa de novo , jogando a pedrinha na casa 2. Perde a vez quem: Pisar na linha: Pisar na casa onde está a pedrinha; Não acerta a pedrinha na casa ; Não conseguir ou esquecer de pegar a pedrinha de volta Ganha quem terminar de pular todas as casas primeiro . 1 2 3 4 5 6 7 amarelinha TEMPODEDECOMPOSIÇÃO DOSMATERIAIS(emanos) A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) estabelecia que os municípios brasileiros erradicassem os lixões até o ano de 2014. Como 60% como não se adequaram, o prazo para o fim dos lixões foi prorrogado para entre 2018 e 2021. O problema dos LIXÕES O primeiro passo é saber separar o seu lixo seguindo as 5 cores. SEPARE o seu lixo PAPEL PLÁSTICO ORGÂNICO METAL VIDRO A separação do lixo gera empregos. Existem cooperativas de catadores e separadores de lixo que, além de minorar o impacto ambiental do lixo sem tratamento, geram renda para milhares de pessoas. Ajude! Gere mais EMPREGOS RECICLE REDUZA REUSE FLORESTA DE REPLANTIO Mariana (MG)/2015 – Mortes 19 pessoas Danos aos ecossistemas do Rio Doce Danos aos ecossistemas marinhos MINERAÇÃOAÇO/ALUMÍNIO CELULOSE DE EUCALIPTOINDÚSTRIA DE PAPEL PLÁSTICO Desastre ambiental em 2000, na Baia de Guanabara. Os peixes desapareceram e mais de 20 mil famílias ficaram sem trabalho, porque viviam da pesca. Plásticos lançados no mar matam mais de 100 mil animais por ano. Pesquisa da Universidade da Austrália. Os animais marinhos confundem plásticos com comida. Brumadinho (MG/2019) – 246 mortes identificadas e 24 desaparecidas. Aproximadamente 125 hectares de florestas foram perdidos ... MADEIRA DE ONDEM VEM ? Durante o primeiro mês de 2019 foi registrado um crescimento de 54% no desmatamento da região amazônica, em comparação ao mesmo período do ano anterior. Em janeiro, segundo o Boletim do Desmatamento (SAD) IMPACTO AMBIENTAL MINERAÇÃO PETRÓLEO NOSMARES&FLORESTA PETRÓLEO
  • 37. [produção de contações de histórias com alunos de graduação] [a pesquisa] contações de histórias[ ]
  • 39. [escritas] "A escrita põe uma distância entre um homem e seus atos verbais. Ele agora pode examinar o que diz de uma maneira mais objetiva. Pode ficar de longe, comentar sobre sua criação, até corrigi-la - seu estilo bem como sua sintaxe. Portanto, a atitude para com a escrita difere da atitude para com a apresentação oral [gestual].” (GOODY, 2012 [1977], p. 159) [
  • 40. [produção de layouts de teclados para escrita de línguas de sinais - padrão ELiS, criada em 1998] [a pesquisa] registros escritos ou “as línguas de sinais não são ágrafas”[ ]
  • 41. [produção acadêmica no prelo sem previsão de publicação] [a pesquisa] registros escritos ou “as línguas de sinais não são ágrafas”[ ]
  • 42. Importa-nos com maior intensidade, abrir mão da disputa entre as línguas, e observar o comportamento de ambas na constituição de suportes e de recursos no que se refere aos encadeamentos, as misturas entre imagem e texto. [ ]
  • 43. Explorando a ideia de gramática visual[ ]
  • 44. [gramaticalidades] "Nós pensamos de maneira diferente quando temos uma linguagem para descrever o que pensamos.” (LEBORG, 2015 [2004], p. 5) [ ]
  • 45. [análise de 24 vídeos selecionados em 2017 e 2018] [a pesquisa] gramática visual[ ]
  • 46. [os efeitos de edição e pós-produção são uma marca dos vídeos multimodais do nosso tempo] [a pesquisa] [ ]gramática visual
  • 47. [a gramática visual clássica foi construída para produções gráficas desenhadas/pintadas/impressas] [a pesquisa] [ ]gramática visual 1954 d. C. 1973 d. C. 2004 d. C.
  • 48. [mas que composições visuais estão sendo geradas por estes softwares?] [o meio de pós-produção é a mensagem] [a pesquisa] [ ]gramática visual
  • 49. [produção acadêmica no prelo - setembro de 2019] [a pesquisa] [ ]gramática visual
  • 50. [produção acadêmica no livro “Letramento visual e surdez"] [a pesquisa] [ ]letramento visual
  • 51. Proposta de uma gramática visual para os vídeos em línguas de sinais[ ]
  • 52. [resultados] [proposta de uma gramática visual] os sete elementos básicos
  • 53. [proposta de uma gramática visual] representação icônica dos frames dos vídeos [resultados]
  • 54. [proposta de uma gramática visual] representação icônica dos frames dos vídeos [resultados]
  • 55. [proposta de uma gramática visual] variações [resultados]
  • 56. [proposta de uma gramática visual] variações [resultados]
  • 57. [proposta de uma gramática visual] relações [resultados]
  • 58. [proposta de uma gramática visual] relações [resultados]
  • 59. [proposta de uma gramática visual] catálogo de soluções visuais [resultados]
  • 60. [proposta de uma gramática visual] catálogo de soluções visuais [resultados]
  • 61. [conclusões] [e qual a utilidade desta gramática?] tornar legíveis camadas presentes nas composições visuais suporte aos produtores de vídeos em línguas de sinais construção fácil de roteiros para vídeos em línguas de sinais construções de representações icônicas simples e fáceis de usar previsão de novas composições ainda por serem criadas construção de um catálogo de melhores práticas [ ]