SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 91
Marianne Rossi Stumpf SignWriting: as implicações e possibilidades para o futuro dos surdos
Oposições escrita/oral  língua de sinais/línguas orais LO LS Forma falada Forma escrita Forma falada Forma escrita (?)
As línguas e as escritas humanas  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Sistemas de Notações Escritas de Línguas de Sinais 1. Auguste Bébian (1789 – 1934), 1825: la Mimographie 2. Notação de Stokoe (1919 – 2000), 1960 Mais nomes de sistemas criados   à partir de anos 1980 3. Sistema SignWriting, 1974 - 2006 4. Sistema D` Sign (Paul Jouison, 1948-1991), 1985 -  1990 5. Hamnosys, (Susanne Bentele), 1989 - 2006 6. Notação de International Visual Théatre IVT- 1980 utiliza números,letras do alfabeto latino, palavras do francês escrito 7. Notação de François Nève (Béligica, 1996) sistema de Stokoe mais completo escreve em colunas de cima para baixo 8…..
Pesquisador Auguste  Bébian INJS  – Institut National de  Jeunes Sourds de Paris  Livro: Mimographie, ou Essai d´écriture mimique, propre a régulariser le language des sourds-muets Paris, 1825
Auguste Bébian – 1825
Notação de Stokoe – 1960
Hamnosys – 1989
Sistema D` Sign de Paul Jouison – 1990
Notação de François Nève – 1996
DanceWriting   de Valerie Sutton http://www.dancewriting.org
Sistema SignWriting : Sistema para escrita de língua de sinais Sistema de representação gráfica das LS    Orientações e posições de mãos    Tipos de contatos    Configurações de mãos    Movimentos de dedos    Movimentos de braços e apontação    (retos, curvos, flexões-rotações, circulares)    Expressões faciais    Localizações de símbolos da cabeça    Movimentos de cabeça    Orientações de olhar    Movimentos de corpo    Símbolos de pontuações     Dinâmicas de movimentos
Orientações e Posições de mãos Visão de perfil palma da mão Visão do dorso desenho preto Visão de perfil desenho da  metade preta
Mão separada do corpo
Configurações de Mãos Punho fechado de frente Punho fechado, indicador estendido de frente Punho aberto de perfil Punho aberto, indicador estendido de perfil Mão plana de frente Mão plana aberta – forma com 5 de frente Mão curvada de perfil Mão curvada de perfil
Em cada grupo são indicadas diversas configurações manuais daquele grupo,  cada configuração é colocada em seis símbolos conforme a orientação da mão (vista de frente, vista de perfil, vista de dorso) e conforme a posição da mão (perto do corpo ou separada do corpo). A tabela abaixo dá o conjunto de símbolos para o primeiro grupo (índice)  Perto do Corpo  Separada do Corpo Frente Perfil Dorso Frente Perfil Dorso
O fato de o sistema representar unidades gestuais, faz com que ele possa ser aplicado a qualquer LS, e não apenas à língua brasileira de sinais - Libras
Muitas vezes quando há dois ou três sinais parecidos precisamos colocar mais símbolos para que a grafia possa ser bem compreendida verde  frio  muito frio
João gosta de carro.
João entregou o livro  (para alguém)
Espaço de Sinalização   Locutor = zona 1 Interlocutor =  zona 2 Zona 3 Zona 3 Zona 3 Zona 3
 
 
 
Agora, nós vamos discutir sobre a paz e a guerra. Na paz, temos a vida, isso é bom.  Já na guerra, há destruição, isto é ruim.  A paz é melhor do que a guerra.
Formas Simplificadas
Experimentos Realizados ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Alfabetização 1. Modelo teórico proposto por Ferreiro e Teberosky fundamentado em Piaget 2. A alfabetização é uma construção do aprendiz não um conhecimento dado. Ela acontece em 3 grandes etapas: a) Distinção entre desenho e escrita b) Diferenciação entre os elementos que compõe a escrita (no caso entre os elementos que compõe o sinal escrito) c) Estabelecimento de correspondência entre os elementos da escrita e a fala no caso entre os elementos do símbolo do SignWriting com o sinal manual
Narrativa das Interações durante o processo de alfabetização em SignWriting adaptado á LIBRAS Sinal de lobo Sinal de casa e mão fazendo o sinal de casa Sinal de comer e desenho de prato Sinal de pássaro Sinal de pássaro com expressão facial
Produções de crianças em fase de alfabetização pelo sistema SignWriting Sinal de Bola usando o SignWriting  Sinal de futebol formas de mãos  Desenho de indicador e símbolo de indicador em  SignWriting da posição
Jogos Didáticos com ELS Jogo de dominó Jogo de memória
Jogo de memória Jogo de mímica
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Livros em ELS
Using SignWriting to teach VGT  (Flemish Sign Language) Usando SignWriting para ensinar  (Língua de Sinais Flandres)
 
Verbos - verbs   Eu dou para você Você me dá Ele dá para ela
A man passing by. I saw/see a man passing by. Eu vi um homem passando Um homem que passa
www.signwriting.org/belgium/  ou http://kasterlinden.vgc.be
[object Object]
Escola Maternal Saju de Ramonville
MG/GS – Maternal 4 a 5 anos 3 alunos
 
 
Escola Centre de Ramonville
CP/CE1  Educação Infantil  5 alunos – 7 a 8 anos
 
CM1 – Educação Infantil 7 alunos – 9 a 11 anos
 
 
CE2 – Educação Infantil 6 alunos – 9 a 10 anos
Colégio André Malraux de Ramonville
Colégio de Ensino Fundamental Datas Horas Freqüência 8 alunos 12 a 15 anos 17/03 - 16/06 18 2 duas vezes por semana
 
[object Object]
Leitura de Carta
 
Perguntas aos participantes:  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Respostas dos Participantes ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A correspondência
Carta de aluna do Colégio de André Malraux Oi TUDO-BEM DAR SUA  EXPERIÊNCIA TEMA SINAIS ESCREVER QUERER  PRÓXIMO-ANO VOCÊ VIR AQUI. OBRIGADA ME-ENSINAR. H.
Argumentos contra: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Argumentos a favor: 1. O sistema SignWriting é para o surdo visualmente fonético 2. O sistema SignWriting permite operações metalingüísticas em relação à Libras 3. O sistema SignWriting é limitado apenas pela sofisticação do usuário 4. O SignWriting tem na ferramenta computador um aliado muito compatível 5. Sua introdução na escola de surdos é um grande desafio  6. Os alunos prestam muita atenção aos sinais quando precisam escrever 7. A ELS permite a transmissão direta do pensamento para a escrita 8. A escrita do surdo em SignWriting é mais espontânea e coerente 9. Fortalece a auto-estima 10. Ajuda a construir a Identidade Surda 11. O uso do SignWriting na escola de surdos representa uma mudança muito significativa no currículo que acrescenta possibilidades ao estudo da Libras
Softwares utilizados na pesquisa SW-Edit Dr. Antônio Carlos Rocha Costa Rafael P. Torchlsen Graçaliz P. Dimuro
Clica o  símbolo do grupo, e então clica o símbolo, e move o símbolo na caixa
SignPuddle1 http://signbank.org/signpuddle/sgn-BR/index.php
E-mail em SignWriting
Blog
Pesquisas Atuais
Processo de grafia da LS: uma análise fono-morfológica da escrita em SW. Rundesth Saboia Nobre (2011). O autor encontrou determinadas ocorrências que indicam padronização e variação na escrita de surdos usando o SW: Aspectos padronizadores: Os símbolos que representam as CM´s foram centralizados na pilha. Os símbolos de contato na sua maioria foram escritos à esquerda dos símbolos de CM. Os símbolos de movimentos foram inseridos à direita da CM.  Nos sinais com P. A na cabeça o símbolo de cabeça foi escrito no centro, os símbolos de contato, de configuração de mão e de movimento à direita. O símbolo de contato é o principal elemento de ligação da pilha, onde não é permitido dois símbolos diferentes por pilha. A repetição de símbolos só é permitida quando forem dois símbolos iguais.
 
A analise da produção escrita revelou que as ordens predominantes dos símbolos dos parâmetros fonológicos da libras, em pilha, são as seguintes: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Aspectos Pedagógicos ,[object Object],[object Object],[object Object]
 
 
 
 
 
 
 
ANALISANDO O PROCESSO DE LEITURA DE UMA POSSÍVEL ESCRITA DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS: SIGNWRITING.  Fábio Irineu da Silva (2009) Os resultados das análises demonstraram que ao ler em SignWriting, o leitor é capaz de associar informações já adquiridas às novas informações.  Acrescentar, interpretar, resumir, tudo é possível nesta troca de informações entre texto e leitor na língua de sinais. A compreensão de um texto depende de vários fatores complexos e inter-relacionados entre si, dentre eles a bagagem cultural, a legibilidade do texto através do uso de determinadas expressões, o léxico, etc. A coerência não está no texto mas sim no processo de interação com o autor e o texto baseados nos nossos conhecimentos sociocognitivos, diferente da coesão a qual, pode-se, apontar, destacar, sublinhar. Este sistema de escrita faz com que se reflita sobre determinado assunto, manifeste pensamentos adormecidos, e se exercite o pensamento diferentemente de apenas sinalizar. O exercício da escrita da língua de sinais é basilar para o processo de desenvolvimento cognitivo dos surdos. No contexto escolar, mais especificamente nas aulas da disciplina de Libras, a escrita exerce papel principal no processo de memorização – não no sentido de decorar, mas sim de assimilar.
Propostas para a Educação Bilíngue Professores de surdos precisam ter formação de ELS As escolas de surdos precisam colocar a ELS  no currículo Realizar/apoiar pesquisas sobre alfabetização  de crianças surdas em LS, antes da alfabetização  em português Estar incentivado para ajudar a fazer/publicar histórias em quadrinhos e histórias infantis com  textos escritos em LS Preparar  materiais didáticos escritos em LS  e jogos didáticos
Site: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila Libras Intermediario
Apostila Libras IntermediarioApostila Libras Intermediario
Apostila Libras Intermediario
asustecnologia
 
Apostila libras reformulada completa
Apostila libras reformulada  completaApostila libras reformulada  completa
Apostila libras reformulada completa
LiseteLima
 

Mais procurados (20)

Verbos em libras
Verbos em librasVerbos em libras
Verbos em libras
 
Licoes de-sign writing
Licoes de-sign writingLicoes de-sign writing
Licoes de-sign writing
 
LIBRAS AULA 12: Aspectos Linguísticos da língua de sinais – Morfologia
LIBRAS AULA 12: Aspectos Linguísticos da língua de sinais – Morfologia LIBRAS AULA 12: Aspectos Linguísticos da língua de sinais – Morfologia
LIBRAS AULA 12: Aspectos Linguísticos da língua de sinais – Morfologia
 
Sintaxe da libras
Sintaxe da librasSintaxe da libras
Sintaxe da libras
 
Saudações em LIBRAS
Saudações em LIBRASSaudações em LIBRAS
Saudações em LIBRAS
 
Brincando com-a-libras (1)
Brincando com-a-libras (1)Brincando com-a-libras (1)
Brincando com-a-libras (1)
 
OS PRONOMES EM LIBRAS
OS PRONOMES EM LIBRAS OS PRONOMES EM LIBRAS
OS PRONOMES EM LIBRAS
 
LIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de Libras
LIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de LibrasLIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de Libras
LIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de Libras
 
Oficina "O classificador em libras" - Andrea Giovanella
Oficina "O classificador em libras" - Andrea GiovanellaOficina "O classificador em libras" - Andrea Giovanella
Oficina "O classificador em libras" - Andrea Giovanella
 
Curso De Libras 1 Aula
Curso De Libras 1 AulaCurso De Libras 1 Aula
Curso De Libras 1 Aula
 
LIBRAS AULA 11: Aspectos Linguísticos da língua de sinais - Aspectos fonológicos
LIBRAS AULA 11: Aspectos Linguísticos da língua de sinais - Aspectos fonológicosLIBRAS AULA 11: Aspectos Linguísticos da língua de sinais - Aspectos fonológicos
LIBRAS AULA 11: Aspectos Linguísticos da língua de sinais - Aspectos fonológicos
 
Aula de LIBRAS - Inicial
Aula de LIBRAS - InicialAula de LIBRAS - Inicial
Aula de LIBRAS - Inicial
 
Apostila Libras Intermediario
Apostila Libras IntermediarioApostila Libras Intermediario
Apostila Libras Intermediario
 
Apostila libras curso_online_seduc_pg
Apostila libras curso_online_seduc_pgApostila libras curso_online_seduc_pg
Apostila libras curso_online_seduc_pg
 
Modulo 2 libras
Modulo 2 librasModulo 2 libras
Modulo 2 libras
 
Apostila libras reformulada completa
Apostila libras reformulada  completaApostila libras reformulada  completa
Apostila libras reformulada completa
 
Libras ilustrada 1 alfabeto manual
Libras ilustrada 1   alfabeto manualLibras ilustrada 1   alfabeto manual
Libras ilustrada 1 alfabeto manual
 
Estados e Capitais (LIBRAS)
Estados e Capitais (LIBRAS)Estados e Capitais (LIBRAS)
Estados e Capitais (LIBRAS)
 
Curso De Libras 2ª Aula
Curso De Libras 2ª AulaCurso De Libras 2ª Aula
Curso De Libras 2ª Aula
 
Parametros da libras
Parametros da librasParametros da libras
Parametros da libras
 

Destaque

3 (três) momentos didático-pedagógicos capacitação fevereiro de 2013 tema 1 s...
3 (três) momentos didático-pedagógicos capacitação fevereiro de 2013 tema 1 s...3 (três) momentos didático-pedagógicos capacitação fevereiro de 2013 tema 1 s...
3 (três) momentos didático-pedagógicos capacitação fevereiro de 2013 tema 1 s...
Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
Apostila libras
Apostila librasApostila libras
Apostila libras
Jana Bento
 

Destaque (20)

SignWriting Hand Symbols Manual for the ISWA 2010
SignWriting Hand Symbols Manual for the ISWA 2010SignWriting Hand Symbols Manual for the ISWA 2010
SignWriting Hand Symbols Manual for the ISWA 2010
 
SIGNWRITING SYMPOSIUM PRESENTATION 25: Aspects of Reading SignWriting Case St...
SIGNWRITING SYMPOSIUM PRESENTATION 25: Aspects of Reading SignWriting Case St...SIGNWRITING SYMPOSIUM PRESENTATION 25: Aspects of Reading SignWriting Case St...
SIGNWRITING SYMPOSIUM PRESENTATION 25: Aspects of Reading SignWriting Case St...
 
SIGNWRITING SYMPOSIUM PRESENTATION 32: Relevance of SignWriting as a Way of T...
SIGNWRITING SYMPOSIUM PRESENTATION 32: Relevance of SignWriting as a Way of T...SIGNWRITING SYMPOSIUM PRESENTATION 32: Relevance of SignWriting as a Way of T...
SIGNWRITING SYMPOSIUM PRESENTATION 32: Relevance of SignWriting as a Way of T...
 
Apostila: libras básico
Apostila: libras básicoApostila: libras básico
Apostila: libras básico
 
SignWriting Basics Instruction Manual
SignWriting Basics Instruction ManualSignWriting Basics Instruction Manual
SignWriting Basics Instruction Manual
 
Lessons in SignWriting Textbook by Valerie Sutton
Lessons in SignWriting Textbook by Valerie SuttonLessons in SignWriting Textbook by Valerie Sutton
Lessons in SignWriting Textbook by Valerie Sutton
 
American Sign Language Hand Symbols SignWriting Manual
American Sign Language Hand Symbols SignWriting ManualAmerican Sign Language Hand Symbols SignWriting Manual
American Sign Language Hand Symbols SignWriting Manual
 
Apresentação IHA Planejamento 2012
Apresentação IHA Planejamento 2012Apresentação IHA Planejamento 2012
Apresentação IHA Planejamento 2012
 
Planejamento IHA 2011
Planejamento IHA 2011Planejamento IHA 2011
Planejamento IHA 2011
 
Recursos visuais na prática pedagógica - Cultura e pedagogia surda
Recursos visuais na prática pedagógica - Cultura e pedagogia surdaRecursos visuais na prática pedagógica - Cultura e pedagogia surda
Recursos visuais na prática pedagógica - Cultura e pedagogia surda
 
Adequações de materiais paradidáticos e didáticos
Adequações de materiais paradidáticos e didáticosAdequações de materiais paradidáticos e didáticos
Adequações de materiais paradidáticos e didáticos
 
Plano de aula com 3 momentos didático pedagógicos sugest
Plano de aula com 3 momentos didático pedagógicos sugestPlano de aula com 3 momentos didático pedagógicos sugest
Plano de aula com 3 momentos didático pedagógicos sugest
 
Apresentação literatura surda
Apresentação literatura surdaApresentação literatura surda
Apresentação literatura surda
 
3 (três) momentos didático-pedagógicos capacitação fevereiro de 2013 tema 1 s...
3 (três) momentos didático-pedagógicos capacitação fevereiro de 2013 tema 1 s...3 (três) momentos didático-pedagógicos capacitação fevereiro de 2013 tema 1 s...
3 (três) momentos didático-pedagógicos capacitação fevereiro de 2013 tema 1 s...
 
Protagonismo juvenil
Protagonismo juvenilProtagonismo juvenil
Protagonismo juvenil
 
Apresentação de objetivos, metas, estratégias e projetos IHA
Apresentação de objetivos, metas, estratégias e projetos IHAApresentação de objetivos, metas, estratégias e projetos IHA
Apresentação de objetivos, metas, estratégias e projetos IHA
 
Programa inclusivo bilíngue para educação de surdos
Programa inclusivo bilíngue para educação de surdosPrograma inclusivo bilíngue para educação de surdos
Programa inclusivo bilíngue para educação de surdos
 
Práticas pedagógicas no letramento do aluno surdo
Práticas pedagógicas no letramento do aluno surdoPráticas pedagógicas no letramento do aluno surdo
Práticas pedagógicas no letramento do aluno surdo
 
5 Parâmetros da libras
5 Parâmetros da libras5 Parâmetros da libras
5 Parâmetros da libras
 
Apostila libras
Apostila librasApostila libras
Apostila libras
 

Semelhante a SignWriting: as implicações e possibilidades para o futuro dos surdos

1. Fonologia de LS e cinco para_metros.pptx
1. Fonologia de LS e cinco para_metros.pptx1. Fonologia de LS e cinco para_metros.pptx
1. Fonologia de LS e cinco para_metros.pptx
rayanethaynarasantos3
 
Texto basico -_aspectos_introdutorios_a_libras_-_unidade_ii
Texto basico -_aspectos_introdutorios_a_libras_-_unidade_iiTexto basico -_aspectos_introdutorios_a_libras_-_unidade_ii
Texto basico -_aspectos_introdutorios_a_libras_-_unidade_ii
Paula Aparecida Alves
 
Aspectos linguisticos libras
Aspectos linguisticos librasAspectos linguisticos libras
Aspectos linguisticos libras
Izack Gomes
 
Aspectos-linguisticos-de-libras
Aspectos-linguisticos-de-librasAspectos-linguisticos-de-libras
Aspectos-linguisticos-de-libras
Laura Serpa
 
Guia impresso-texto-basico-unidade-3
Guia impresso-texto-basico-unidade-3Guia impresso-texto-basico-unidade-3
Guia impresso-texto-basico-unidade-3
Paula Aparecida Alves
 
Texto basico unidade5-sinais-iconicos
Texto basico unidade5-sinais-iconicosTexto basico unidade5-sinais-iconicos
Texto basico unidade5-sinais-iconicos
Paula Aparecida Alves
 
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontro
Pnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontroPnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontro
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontro
tlfleite
 
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontro
Pnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontroPnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontro
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontro
tlfleite
 

Semelhante a SignWriting: as implicações e possibilidades para o futuro dos surdos (20)

1. Fonologia de LS e cinco para_metros.pptx
1. Fonologia de LS e cinco para_metros.pptx1. Fonologia de LS e cinco para_metros.pptx
1. Fonologia de LS e cinco para_metros.pptx
 
LIBRAS-BASICO C RILLER - SEMED.ppt
LIBRAS-BASICO C RILLER - SEMED.pptLIBRAS-BASICO C RILLER - SEMED.ppt
LIBRAS-BASICO C RILLER - SEMED.ppt
 
Texto basico -_aspectos_introdutorios_a_libras_-_unidade_ii
Texto basico -_aspectos_introdutorios_a_libras_-_unidade_iiTexto basico -_aspectos_introdutorios_a_libras_-_unidade_ii
Texto basico -_aspectos_introdutorios_a_libras_-_unidade_ii
 
Aspectos linguisticos libras
Aspectos linguisticos librasAspectos linguisticos libras
Aspectos linguisticos libras
 
Aspectos linguísticos da libras
Aspectos linguísticos da librasAspectos linguísticos da libras
Aspectos linguísticos da libras
 
Aspectos-linguisticos-de-libras
Aspectos-linguisticos-de-librasAspectos-linguisticos-de-libras
Aspectos-linguisticos-de-libras
 
Aspectos Gramaticas da Libras
Aspectos Gramaticas da LibrasAspectos Gramaticas da Libras
Aspectos Gramaticas da Libras
 
Parâmetros da libras
Parâmetros da librasParâmetros da libras
Parâmetros da libras
 
LIB_COMP_2013.pdf. material de estudo libras
LIB_COMP_2013.pdf. material de estudo librasLIB_COMP_2013.pdf. material de estudo libras
LIB_COMP_2013.pdf. material de estudo libras
 
UNIDADE 3, ENCONTRO 02
UNIDADE 3, ENCONTRO 02UNIDADE 3, ENCONTRO 02
UNIDADE 3, ENCONTRO 02
 
Gramatica da Língua Brasileira de Sinais - Libras
Gramatica da Língua Brasileira de Sinais - Libras Gramatica da Língua Brasileira de Sinais - Libras
Gramatica da Língua Brasileira de Sinais - Libras
 
Guia impresso-texto-basico-unidade-3
Guia impresso-texto-basico-unidade-3Guia impresso-texto-basico-unidade-3
Guia impresso-texto-basico-unidade-3
 
Texto basico unidade5-sinais-iconicos
Texto basico unidade5-sinais-iconicosTexto basico unidade5-sinais-iconicos
Texto basico unidade5-sinais-iconicos
 
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita AlfabéticaUnidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
 
PNAIC Caderno 3 (parte 1) - Construção do Sistema de Numeração Decimal
PNAIC Caderno 3 (parte 1)  - Construção do Sistema de Numeração Decimal PNAIC Caderno 3 (parte 1)  - Construção do Sistema de Numeração Decimal
PNAIC Caderno 3 (parte 1) - Construção do Sistema de Numeração Decimal
 
LIBRAS I.ppt
LIBRAS I.pptLIBRAS I.ppt
LIBRAS I.ppt
 
Curso de Libras - Rosa Virgínia
Curso de Libras - Rosa VirgíniaCurso de Libras - Rosa Virgínia
Curso de Libras - Rosa Virgínia
 
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontro
Pnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontroPnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontro
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontro
 
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontro
Pnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontroPnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontro
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontro
 
Novo-dicionario-libras ilustrado PDF
 Novo-dicionario-libras ilustrado PDF Novo-dicionario-libras ilustrado PDF
Novo-dicionario-libras ilustrado PDF
 

Mais de Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda

Mais de Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda (20)

Francielle Cantarelli - Pedagogia surda
Francielle Cantarelli - Pedagogia surdaFrancielle Cantarelli - Pedagogia surda
Francielle Cantarelli - Pedagogia surda
 
Sueli Fernandes - Educação bilíngue e cultura letrada em Libras
Sueli Fernandes - Educação bilíngue e cultura letrada em LibrasSueli Fernandes - Educação bilíngue e cultura letrada em Libras
Sueli Fernandes - Educação bilíngue e cultura letrada em Libras
 
Janie Amaral - Slides da palestra
Janie Amaral - Slides da palestraJanie Amaral - Slides da palestra
Janie Amaral - Slides da palestra
 
PADEBS PPGEB Síntese Texto 1 Taveira e Rosado 2013 conceitos
PADEBS PPGEB Síntese Texto 1 Taveira e Rosado 2013 conceitosPADEBS PPGEB Síntese Texto 1 Taveira e Rosado 2013 conceitos
PADEBS PPGEB Síntese Texto 1 Taveira e Rosado 2013 conceitos
 
Conto de historias - Comunicação para o COINES 2019
Conto de historias - Comunicação para o COINES 2019Conto de historias - Comunicação para o COINES 2019
Conto de historias - Comunicação para o COINES 2019
 
Apresentação Senac - Dia do Surdo 26/09/2019
Apresentação Senac - Dia do Surdo 26/09/2019Apresentação Senac - Dia do Surdo 26/09/2019
Apresentação Senac - Dia do Surdo 26/09/2019
 
Aula de alfabetismo visual INES
Aula de alfabetismo visual INESAula de alfabetismo visual INES
Aula de alfabetismo visual INES
 
Apresentação COINES 2017 (Cristiane Taveira e Alexandre Rosado)
Apresentação COINES 2017 (Cristiane Taveira e Alexandre Rosado)Apresentação COINES 2017 (Cristiane Taveira e Alexandre Rosado)
Apresentação COINES 2017 (Cristiane Taveira e Alexandre Rosado)
 
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeoSlides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
 
O professor e as tecnologias
O professor e as tecnologiasO professor e as tecnologias
O professor e as tecnologias
 
Políticas públicas e novas tecnologias
Políticas públicas e novas tecnologiasPolíticas públicas e novas tecnologias
Políticas públicas e novas tecnologias
 
Mídia-educação
Mídia-educaçãoMídia-educação
Mídia-educação
 
Educação aberta
Educação abertaEducação aberta
Educação aberta
 
Cultura hacker: origem e ideário
Cultura hacker: origem e ideárioCultura hacker: origem e ideário
Cultura hacker: origem e ideário
 
Filme "Piratas do vale do silício"
Filme "Piratas do vale do silício"Filme "Piratas do vale do silício"
Filme "Piratas do vale do silício"
 
Futuros imaginários
Futuros imagináriosFuturos imaginários
Futuros imaginários
 
Introdução à disciplina
Introdução à disciplinaIntrodução à disciplina
Introdução à disciplina
 
A cibercultura e suas leis
A cibercultura e suas leisA cibercultura e suas leis
A cibercultura e suas leis
 
Letramentos? A oralidade, a escrita e o digital
Letramentos? A oralidade, a escrita e o digitalLetramentos? A oralidade, a escrita e o digital
Letramentos? A oralidade, a escrita e o digital
 
As tecnologias e suas fases
As tecnologias e suas fasesAs tecnologias e suas fases
As tecnologias e suas fases
 

Último

atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 

Último (20)

Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
 

SignWriting: as implicações e possibilidades para o futuro dos surdos

  • 1. Marianne Rossi Stumpf SignWriting: as implicações e possibilidades para o futuro dos surdos
  • 2. Oposições escrita/oral língua de sinais/línguas orais LO LS Forma falada Forma escrita Forma falada Forma escrita (?)
  • 3.
  • 4. Sistemas de Notações Escritas de Línguas de Sinais 1. Auguste Bébian (1789 – 1934), 1825: la Mimographie 2. Notação de Stokoe (1919 – 2000), 1960 Mais nomes de sistemas criados à partir de anos 1980 3. Sistema SignWriting, 1974 - 2006 4. Sistema D` Sign (Paul Jouison, 1948-1991), 1985 - 1990 5. Hamnosys, (Susanne Bentele), 1989 - 2006 6. Notação de International Visual Théatre IVT- 1980 utiliza números,letras do alfabeto latino, palavras do francês escrito 7. Notação de François Nève (Béligica, 1996) sistema de Stokoe mais completo escreve em colunas de cima para baixo 8…..
  • 5. Pesquisador Auguste Bébian INJS – Institut National de Jeunes Sourds de Paris Livro: Mimographie, ou Essai d´écriture mimique, propre a régulariser le language des sourds-muets Paris, 1825
  • 9. Sistema D` Sign de Paul Jouison – 1990
  • 10. Notação de François Nève – 1996
  • 11. DanceWriting de Valerie Sutton http://www.dancewriting.org
  • 12. Sistema SignWriting : Sistema para escrita de língua de sinais Sistema de representação gráfica das LS  Orientações e posições de mãos  Tipos de contatos  Configurações de mãos  Movimentos de dedos  Movimentos de braços e apontação (retos, curvos, flexões-rotações, circulares)  Expressões faciais  Localizações de símbolos da cabeça  Movimentos de cabeça  Orientações de olhar  Movimentos de corpo  Símbolos de pontuações  Dinâmicas de movimentos
  • 13. Orientações e Posições de mãos Visão de perfil palma da mão Visão do dorso desenho preto Visão de perfil desenho da metade preta
  • 15. Configurações de Mãos Punho fechado de frente Punho fechado, indicador estendido de frente Punho aberto de perfil Punho aberto, indicador estendido de perfil Mão plana de frente Mão plana aberta – forma com 5 de frente Mão curvada de perfil Mão curvada de perfil
  • 16. Em cada grupo são indicadas diversas configurações manuais daquele grupo, cada configuração é colocada em seis símbolos conforme a orientação da mão (vista de frente, vista de perfil, vista de dorso) e conforme a posição da mão (perto do corpo ou separada do corpo). A tabela abaixo dá o conjunto de símbolos para o primeiro grupo (índice) Perto do Corpo Separada do Corpo Frente Perfil Dorso Frente Perfil Dorso
  • 17. O fato de o sistema representar unidades gestuais, faz com que ele possa ser aplicado a qualquer LS, e não apenas à língua brasileira de sinais - Libras
  • 18. Muitas vezes quando há dois ou três sinais parecidos precisamos colocar mais símbolos para que a grafia possa ser bem compreendida verde frio muito frio
  • 19. João gosta de carro.
  • 20. João entregou o livro (para alguém)
  • 21. Espaço de Sinalização Locutor = zona 1 Interlocutor = zona 2 Zona 3 Zona 3 Zona 3 Zona 3
  • 22.  
  • 23.  
  • 24.  
  • 25. Agora, nós vamos discutir sobre a paz e a guerra. Na paz, temos a vida, isso é bom. Já na guerra, há destruição, isto é ruim. A paz é melhor do que a guerra.
  • 27.
  • 28. Alfabetização 1. Modelo teórico proposto por Ferreiro e Teberosky fundamentado em Piaget 2. A alfabetização é uma construção do aprendiz não um conhecimento dado. Ela acontece em 3 grandes etapas: a) Distinção entre desenho e escrita b) Diferenciação entre os elementos que compõe a escrita (no caso entre os elementos que compõe o sinal escrito) c) Estabelecimento de correspondência entre os elementos da escrita e a fala no caso entre os elementos do símbolo do SignWriting com o sinal manual
  • 29. Narrativa das Interações durante o processo de alfabetização em SignWriting adaptado á LIBRAS Sinal de lobo Sinal de casa e mão fazendo o sinal de casa Sinal de comer e desenho de prato Sinal de pássaro Sinal de pássaro com expressão facial
  • 30. Produções de crianças em fase de alfabetização pelo sistema SignWriting Sinal de Bola usando o SignWriting Sinal de futebol formas de mãos Desenho de indicador e símbolo de indicador em SignWriting da posição
  • 31. Jogos Didáticos com ELS Jogo de dominó Jogo de memória
  • 32. Jogo de memória Jogo de mímica
  • 33.  
  • 34.  
  • 35.  
  • 36.  
  • 37.  
  • 38.  
  • 39.  
  • 40.  
  • 41.  
  • 43. Using SignWriting to teach VGT (Flemish Sign Language) Usando SignWriting para ensinar (Língua de Sinais Flandres)
  • 44.  
  • 45. Verbos - verbs Eu dou para você Você me dá Ele dá para ela
  • 46. A man passing by. I saw/see a man passing by. Eu vi um homem passando Um homem que passa
  • 47. www.signwriting.org/belgium/ ou http://kasterlinden.vgc.be
  • 48.
  • 49. Escola Maternal Saju de Ramonville
  • 50. MG/GS – Maternal 4 a 5 anos 3 alunos
  • 51.  
  • 52.  
  • 53. Escola Centre de Ramonville
  • 54. CP/CE1 Educação Infantil 5 alunos – 7 a 8 anos
  • 55.  
  • 56. CM1 – Educação Infantil 7 alunos – 9 a 11 anos
  • 57.  
  • 58.  
  • 59. CE2 – Educação Infantil 6 alunos – 9 a 10 anos
  • 60. Colégio André Malraux de Ramonville
  • 61. Colégio de Ensino Fundamental Datas Horas Freqüência 8 alunos 12 a 15 anos 17/03 - 16/06 18 2 duas vezes por semana
  • 62.  
  • 63.
  • 65.  
  • 66.
  • 67.
  • 69. Carta de aluna do Colégio de André Malraux Oi TUDO-BEM DAR SUA EXPERIÊNCIA TEMA SINAIS ESCREVER QUERER PRÓXIMO-ANO VOCÊ VIR AQUI. OBRIGADA ME-ENSINAR. H.
  • 70.
  • 71. Argumentos a favor: 1. O sistema SignWriting é para o surdo visualmente fonético 2. O sistema SignWriting permite operações metalingüísticas em relação à Libras 3. O sistema SignWriting é limitado apenas pela sofisticação do usuário 4. O SignWriting tem na ferramenta computador um aliado muito compatível 5. Sua introdução na escola de surdos é um grande desafio 6. Os alunos prestam muita atenção aos sinais quando precisam escrever 7. A ELS permite a transmissão direta do pensamento para a escrita 8. A escrita do surdo em SignWriting é mais espontânea e coerente 9. Fortalece a auto-estima 10. Ajuda a construir a Identidade Surda 11. O uso do SignWriting na escola de surdos representa uma mudança muito significativa no currículo que acrescenta possibilidades ao estudo da Libras
  • 72. Softwares utilizados na pesquisa SW-Edit Dr. Antônio Carlos Rocha Costa Rafael P. Torchlsen Graçaliz P. Dimuro
  • 73. Clica o símbolo do grupo, e então clica o símbolo, e move o símbolo na caixa
  • 76. Blog
  • 78. Processo de grafia da LS: uma análise fono-morfológica da escrita em SW. Rundesth Saboia Nobre (2011). O autor encontrou determinadas ocorrências que indicam padronização e variação na escrita de surdos usando o SW: Aspectos padronizadores: Os símbolos que representam as CM´s foram centralizados na pilha. Os símbolos de contato na sua maioria foram escritos à esquerda dos símbolos de CM. Os símbolos de movimentos foram inseridos à direita da CM. Nos sinais com P. A na cabeça o símbolo de cabeça foi escrito no centro, os símbolos de contato, de configuração de mão e de movimento à direita. O símbolo de contato é o principal elemento de ligação da pilha, onde não é permitido dois símbolos diferentes por pilha. A repetição de símbolos só é permitida quando forem dois símbolos iguais.
  • 79.  
  • 80.
  • 81.
  • 82.  
  • 83.  
  • 84.  
  • 85.  
  • 86.  
  • 87.  
  • 88.  
  • 89. ANALISANDO O PROCESSO DE LEITURA DE UMA POSSÍVEL ESCRITA DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS: SIGNWRITING. Fábio Irineu da Silva (2009) Os resultados das análises demonstraram que ao ler em SignWriting, o leitor é capaz de associar informações já adquiridas às novas informações. Acrescentar, interpretar, resumir, tudo é possível nesta troca de informações entre texto e leitor na língua de sinais. A compreensão de um texto depende de vários fatores complexos e inter-relacionados entre si, dentre eles a bagagem cultural, a legibilidade do texto através do uso de determinadas expressões, o léxico, etc. A coerência não está no texto mas sim no processo de interação com o autor e o texto baseados nos nossos conhecimentos sociocognitivos, diferente da coesão a qual, pode-se, apontar, destacar, sublinhar. Este sistema de escrita faz com que se reflita sobre determinado assunto, manifeste pensamentos adormecidos, e se exercite o pensamento diferentemente de apenas sinalizar. O exercício da escrita da língua de sinais é basilar para o processo de desenvolvimento cognitivo dos surdos. No contexto escolar, mais especificamente nas aulas da disciplina de Libras, a escrita exerce papel principal no processo de memorização – não no sentido de decorar, mas sim de assimilar.
  • 90. Propostas para a Educação Bilíngue Professores de surdos precisam ter formação de ELS As escolas de surdos precisam colocar a ELS no currículo Realizar/apoiar pesquisas sobre alfabetização de crianças surdas em LS, antes da alfabetização em português Estar incentivado para ajudar a fazer/publicar histórias em quadrinhos e histórias infantis com textos escritos em LS Preparar materiais didáticos escritos em LS e jogos didáticos
  • 91.