O Sumiço de
Laurinha
O dia em que a menina se perdeu de
sua família, na praia de Copacabana
IRMÃOS

lAURINHA

S
O
L

COPACABANA
fAMÍLIA
DOMINGO
1

2

3
4
6

5

7

8
9

11

10

12
MEDO E TERROR
PAIXÃO
“[...]sentir medo diante de um perigo iminente que
possa prejudicar ou destruir a si mesmo, são
evoca...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

4.12.2013 Oficina Literatura surda: o sumiço de Laurinha por Laura Jane (IHA SME Rio / INES)

1.409 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

4.12.2013 Oficina Literatura surda: o sumiço de Laurinha por Laura Jane (IHA SME Rio / INES)

  1. 1. O Sumiço de Laurinha O dia em que a menina se perdeu de sua família, na praia de Copacabana
  2. 2. IRMÃOS lAURINHA S O L COPACABANA fAMÍLIA DOMINGO
  3. 3. 1 2 3 4
  4. 4. 6 5 7 8
  5. 5. 9 11 10 12
  6. 6. MEDO E TERROR PAIXÃO “[...]sentir medo diante de um perigo iminente que possa prejudicar ou destruir a si mesmo, são evocadas as paixões, as quais surgem provocadas pela presença ou imagem de algo que me leva a reagir, geralmente de improviso .” “A história presente perpassa pela idade de seis anos quando, numa ida à praia de Copacabana, num domingo, com a família, logo eu, tão esperta e inteligente, falante e bem articulada, me perdi de meus pais, num ponto da praia, no Posto Seis. A praia estava cheia, e eu estava com a incumbência de tomar conta de meu irmão que era bem ‘arteiro’ e, no entanto, quem se perdeu, fui eu!” Delumeau fala que “a palavra medo está carregada de tanta vergonha que a escondemos, enterramos no mais profundo de nós o medo que nos domina as entranhas.” CORAGEM “Eu, já me dando conta de que me perdera e, apavorada, interpelei uma mulher que me pareceu ser uma mãe com seu filhinho e marido. Abordei-a perguntando se ela havia visto “uma mulher com bolinhas amarelas no cabelo”, referindo-me a uma presilha que minha mãe estava usando. Ao falar com ela, não aguentei e chorei... Ela prontamente se encarregou de me ajudar a encontrar meus pais.” “Ao sentir medo ou imaginar um perigo que pudesse me prejudicar, diante de reações improvisadas, devo ter suscitado alguma paixão na moça que me ajudava.” “Assim como o termo paixão vem a ser associado a um estágio inferior dos sentimentos humanos, o medo, igualmente é levado a ser comparado à covardia. Mas ambos deveriam ser considerados como fatores que levam a ação, posto que grandes feitos sejam geralmente, motivados por eles. O que não existe de paixão no medo? Ou quanto de medo, há nas paixões?”

×