Apresentação do Laboratório de LIBRAS e específico de surdez - Estatísticas

4.507 visualizações

Publicada em

Apresentação do Laboratório de LIBRAS e específico de surdez - Estatísticas

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Apresentação do Laboratório de LIBRAS e específico de surdez - Estatísticas

  1. 1. IHA de Laboratório LIBRASPolíticas Públicas em Surdez
  2. 2. Direção GeralKátia Cristina Vieira Nunes da Silva
  3. 3. IHA de Laboratório LIBRASPARTE 1 – Cristiane Taveira 30 min
  4. 4. O que é o Laboratório de LIBRAS? O Laboratório de LIBRAS do IHA tem como objetivo a investigação e a promoção de experiências de pesquisa e estudo com alunos surdos, professores e familiares.
  5. 5. O que é o Laboratório de LIBRAS? Viabiliza projetos de Serviço Contínuo visando a aprendizagem da língua de sinais e o aprimoramento no uso da LIBRAS.
  6. 6. O que é o Laboratório de LIBRAS? Com a entrada de instrutores surdos e intérpretes de LIBRAS nas escolas da rede municipal do Rio, acrescenta-se a incumbência de colaborar com o acompanhamento e a formação continuada dos profissionais e da implantação de metodologias de ensino voltadas para a educação de surdos.
  7. 7. Componentes do Laboratório Mônica Astuto Lopes Martins Laura Jane Messias Belém Cristiane Correia Taveira Paula de Carvalho Fragoso Sônia Cristina de Medeiros Rocha
  8. 8. O que é o Específico de Surdez? O Específico de Surdez realiza trabalho de estudo e de pesquisa para orientar e fundamentar a elaboração de materiais e de conhecimento técnico especializado.
  9. 9. O que é o Específico de Surdez? Textos sobre a prática pedagógica são produzidos nos centros de estudo do IHA. Os componentes deste estudo Específico de Surdez têm a incumbência de contribuir em reuniões e visitas a campo.
  10. 10. Componentes do Específico de SurdezMônica Astuto Martins Vânia Azevedo LemesLaura Jane Belém Miriam NascimentoCristiane Taveira Regina Celi MoraesPaula Fragoso Micheli Accioly Sônia Cristina de Medeiros
  11. 11. Fluxo de trabalho Implementação de Políticas Públicas
  12. 12. Estatística realizada peloLaboratório de LIBRAS IHA - 2011
  13. 13. Amostragem n = 750
  14. 14. Sexo
  15. 15. Idade
  16. 16. Alunos com +14
  17. 17. Alunos por escolaridade
  18. 18. Alunos por escolaridade
  19. 19. Considerado pela família
  20. 20. Considerado pelos Exames
  21. 21. Comunicação
  22. 22. Aparelho Auditivo
  23. 23. Implante Coclear
  24. 24. Pesquisa realizada peloLaboratório de LIBRAS IHA - 2011
  25. 25. Questionário da Pesquisa Com os questionários são construídos mapas visuais e análises para aquisição de recursos humanos, de serviços, materiais didáticos e tecnológicos. Pegue o seu!
  26. 26. IHA de Laboratório LIBRASPARTE 2 – Mônica Astuto e Paula Fragoso 30min
  27. 27. Projeto Escolas Pilotos deEducação Bilíngue - 2012
  28. 28. PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DAEDUCAÇÃO BILÍNGUE EM ESCOLAS DAREDE MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO21 (vinte e uma) escolas municipais do Rio de Janeiro
  29. 29. Justificativa de implantação da Educação Bilíngue:A) Diretrizes e princípios dispostos no Decreto nº 5.626, de 22 de dezembrode 2005;B) Discussões sobre a melhoria da qualidade de escolarização deste alunadoa partir de convidados pesquisadores de surdez de Universidades Públicaspresentes ao encontro promovido pelo IHA/SME;C) Análise de Estatísticas e de observações e estudos dos palestrantespesquisadores do próprio IHA e dos professores da rede municipal do Rioque possuem experiências bem sucedidas
  30. 30. Critérios de seleção das Escolas Pilotos de Educação Bilíngue:•Foram indicadas pelas Equipes de Acompanhamento da Educação Especialdo IHA, duas escolas por Coordenadoria Regional de Educação (CRE) quepossuíssem um número maior que três alunos surdos e, preferencialmente,que as escolas indicadas fossem aquelas com maior número de alunossurdos da CRE, como também,•Nestas escolas houvesse a presença de profissionais de AtendimentoEducacional Especializado (AEE) em acompanhamento a esses alunos, emSala de Recursos (SR) da própria Unidade Escolar (U.E.) ou em SR bempróxima a esta e/ou com disponibilidade em promover a abertura de SRno ano seguinte, na própria U.E.
  31. 31. Definição do que o Específico de Surdez / Laboratório de LIBRAS doIHA entende por Educação Bilíngue:Acesso às duas línguas: a língua de sinais e a língua portuguesa,preferencialmente na modalidade escrita, face à característica pela formaem apreender o mundo de forma visual-espacial.A Educação Bilíngue é entendida como um direito linguístico da pessoasurda a ter acesso aos conhecimentos sociais e culturais por meio de sualíngua de domínio, a língua de sinais, e aprender a língua majoritária de seupaís como segunda língua, tornando-se bilíngue (LACERDA, 2009).
  32. 32. Definição do que o Específico de Surdez / Laboratório de LIBRAS doIHA entende por Professor Bilíngue:Necessidade de investimento na formação continuada e em serviço,conforme legislação vigente, do Professor da Rede Municipal de modo a seajustar as seguintes formulações:A) de apresentar conhecimento e apropriação da Língua de Sinais Brasileira(LIBRAS);B) de considerar a preparação de aulas atendendo a singularidade cultural,linguística e perceptual da pessoa surda e a realidade bilíngue destapopulação;C) de proporcionar à quebra de preconceitos, oferecendo condições deacesso a comunicação dos surdos.
  33. 33. Compreensão do Específico de Surdez / Laboratório de LIBRAS do IHAem relação ao Letramento do aluno surdo:O letramento do aluno surdo ocorrerá por meio do uso de recursosimagéticos, visuais (visualidade), pela circulação da LIBRAS e por meio doconhecimento de práticas letradas. Letramento é mais que leitura e escrita.É o uso da língua em contextos significativos, incluindo contexto(s) ecultura(s) (KELMAN, 2011).Nas crianças surdas, enquanto processo, faz sentido se significado por meioda LIBRAS. A língua Portuguesa será, portanto, a segunda língua (L2), sendosignificada pela criança na forma escrita com as funções sociaisrepresentadas no contexto brasileiro (QUADROS, 2006)
  34. 34. Formação Continuada e em serviço dos profissionais das Escolas deEducação Bilíngue e Troca de Experiências:-Encontros com Laboratório de LIBRAS IHA (Instrutores Surdos, Intérpretes Educacionais deLIBRAS e AEEs);-Consultorias na CRE com apenas duas escolas por CRE (Gestor, Coordenador Pedagógico, AEE,Professor Representante, Instrutores, Intérprete Educacional, Funcionário Representante)-Encontro de Educação Bilíngue no 2º Semestre do Ano Letivo;-Outras iniciativas: Encontros de familiares, de crianças e de jovens surdos e de amigosouvintes-Outras iniciativas: Oferecimento de Serviço Contínuo de Curso de LIBRAS por meio deEmpresa/Associação contratada, a partir de licitação anual, ocorrendo a realização de turmasde Básico, Intermediário e Avançado nas dependências do IHA.
  35. 35. IHA de Laboratório LIBRASPARTE 3 – Sônia Cristina Medeiros 30 min
  36. 36. Etapas de Visita Escolas-PilotoImplantação do Projeto:1º Bimestre – VALIDAÇÃO das Indicações2º Bimestre – FORNECER materiais2º e 3º Bimestre – PROPOSIÇÃO de projetos de orientação da prática pedagógica e FILMAGENS4º Bimestre – II Encontro de Educação Bilíngue e AVALIAÇÃO
  37. 37. Relatório de Visita Escolas- Piloto
  38. 38. Relatório de Visita Escolas- Piloto
  39. 39. Relatório de Visita Escolas- Piloto
  40. 40. Textos no IHA InformaTexto deOrientação doLaboratório deLIBRAS Aba “FAQ” com Dúvidas respondidas sobre a surdez

×