Computadores na educação

113 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
113
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Computadores na educação

  1. 1. Alexandre de Assis Avelino - Tecnófobo
  2. 2. Em tempos recentes têm aparecido opiniões críticas sobre o uso de computadores por crianças e adolescentes, especialmente na educação nos níveis fundamental e médio.
  3. 3.  O Ministério de Educação, orgão essencialmente político, sujeito à caução do eleitorado, que tem que ter em conta a opinião pública e que isso se reflita na introdução generalizada dos computadores nas Escolas. É de temer que se faça também de uma forma descurada, sem estudar antecipadamente os efeitos, positivos ou negativos; sem formar seriamente os professores, sem explicitar os objetivos.
  4. 4. O professor é que precisa estar atento às diversas propostas para utilização do computador. Eventualmente, criticar ou rejeitar aquelas que pareçam contraproducentes, Será bom insistir no fato de que é o professor o eixo da Educação, que pode avaliar a forma como trabalhar com uma turma, o ritmo a impor, as revisões a fazer, os meios auxiliares a recorrer. O computador é um destes meios e não o centro do processo.
  5. 5.  É uma grande falácia que crianças e jovens têm que aprender a usar computadores agora, pois caso contrário eles ficarão para trás em sua futura busca por empregos profissionais. Basta olhar para os milhões de pessoas que usam computadores hoje em dia, sem que tenham tido nenhum treino especial antes.
  6. 6.  Uma das razões de computadores parecerem excelentes ferramentas para aprendizado é a atração que eles exercem em crianças e adolescentes. Os usuários são atraídos pelos efeitos "multi-media", tais como figuras fascinantes, som e animação ou por uma excitação semelhante à sentida quando se joga um video-game.
  7. 7.  Uma pergunta interessante é a seguinte: o que acontece com um estudante que se acostuma a aprender com computadores? Será que ele vai tolerar uma classe normal sem todos aqueles efeitos cosméticos e de joguinho eletrônico?
  8. 8. O Passo a Passo  De fato, conjecturamos que a capacidade para formar imagens mentais interiores é prejudicada pelo uso de tal software. Note-se que se esse software não é rico em imagens, consistindo essencialmente de textos, ele será tão maçante para uma criança que acabará por não ser usado.  A aceleração de um desenvolvimento mental e psicológico, fazendo a criança comportar-se interior e exteriormente como adulto, é em nossa opinião a pior influencia exercida por computadores.
  9. 9. Os reais desafios da educação: o Letramento ...  O usuário tem todo o mundo (virtual!) sob seus dedos, e ninguém o orienta no que deve buscar e examinar a não ser que, por software, introduzam-se limites de acesso somente a alguns endereços - "sites" - nesse caso cremos que a experiência será tão maçante que o estudante perderá rapidamente seu interesse.  A abstração excessiva em atividades de aprendizado, faz com a que as criança e jovens detestem a escola. O que acontece, nesse sentido, com os computadores? Sendo máquinas abstratas, que apresentam um ambiente virtual, elas introduzem ainda mais abstração no processo educacional!
  10. 10.  Esperamos que este trabalho sirva para chamar a atenção para a necessária proteção que necessitam as crianças do mundo de hoje, que têm sido atacadas cada vez mais intensamente desde a década de 1950 (começando com a TV, depois os joguinhos eletrônicos e agora os computadores). Estamos convencidos de que apenas preservando-se a sua infância e juventude deliciosa, simples, ingênua e semi-consciente podemos educar futuros adultos equilibrados, criativos, socialmente integrados e com atuação positiva.

×