Abordagem T.D.O.

499 visualizações

Publicada em

Parte II; Evolução histórica da administração.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
499
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Abordagem T.D.O.

  1. 1. Parte II: Evolução histórica da administração Abordagem humanística: Preocupação com as pessoas e grupos sociais Migração dos aspectos técnicos e formais para os aspectos psicológicos e sociológicos. Ênfase nas pessoas que participam das organizações.
  2. 2. Parte II: Evolução histórica da administração Abordagem humanística: Ocorre na década de 1930, com o surgimento da Teoria das Relações Humanas, nos E.U.A. Desenvolvimento das ciências sociais, notadamente a Psicologia do trabalho.
  3. 3. Parte II: Evolução histórica da administração Abordagem humanística: Duas etapas: 1)Análise do trabalho e adaptação do trabalhador ao trabalho Aspecto meramente produtivo. Consiste na análise das características humanas que cada tarefa exige do executante e a seleção científica do empregados. Temas: seleção de pessoal; treinamento e métodos de aprendizagem.
  4. 4. Parte II: Evolução histórica da administração Abordagem humanística: Duas etapas: 2) Adaptação do trabalho ao trabalhador Aspectos individuais e sociais do trabalho. Temas: estudo da personalidade do trabalhador e do gerente; motivação e incentivos do trabalho; liderança.
  5. 5. Parte II: Evolução histórica da administração Grande Depressão de 1929: crise mundial e busca da eficiência intensificou-se. - Reelaboração de conceitos e reavaliação dos princípios clássicos de administração. - Alguns autores clássicos iniciaram trabalho de revisão, crítica e reformulação das bases da teoria administrativa: Hugo Munsterberg; Mary Parker Follet; Chester Barnard. - Anteciparam-se à Teoria das Relações Humanas.
  6. 6. Parte II: Evolução histórica da administração Teoria das Relações humanas: Elton Mayo Experiência de Hawthorne: experimentos realizados na fábrica da Western Eletric Movimento de reação e oposição à Teoria Clássica da Administração.
  7. 7. Parte II: Evolução histórica da administração Origem baseada em: 1)Necessidade de humanizar e democratizar a administração: libertação dos conceitos rígidos e mecanicistas da Teoria Clássica e adequação aos novos padrões de vida do povo americano. 2) Desenvolvimento das ciências humanas: psicologia e suas aplicações à organização industrial.
  8. 8. Parte II: Evolução histórica da administração 3) As ideias da filosofia de John Dewey e psicologia dinâmica de Kurt Lewin: também a sociologia de Pareto. 4) As conclusões da experiência de Hawthorne: de 1927 a 1932.
  9. 9. Parte II: Evolução histórica da administração A experiência de Hawthorne: - Objetivos: avaliar a correlação entre a iluminação e a eficiência dos operários, medida por meio da produção e se estendeu para fadiga no trabalho, acidentes e rotatividade). - Três fases (Chiavenato) e quatro (Silva).
  10. 10. Parte II: Evolução histórica da administração 1ª fase: de 1924 a 1927. Dois grupos de operários com mesmo tipo de trabalho e em condições idênticas: - grupo observação: intensidade luz variável; - grupo controle: intensidade luz constante. Objetivo: conhecer o efeito da iluminação sobre o rendimento dos operários. NÃO encontraram correlação direta entre as duas variáveis, mas outra variável: fator psicológico.
  11. 11. Parte II: Evolução histórica da administração Operários reagiam de acordo com suas suposições pessoais. Eles julgavam ser necessário produzir mais quando a intensidade aumentava e produzir menos quando a iluminação diminuía. Fator psicológico: preponderante em relação ao fator fisiológico. Eficiência é afetada por condições psicológicas: entenderam como influência negativa. Experiência estendeu-se.
  12. 12. Parte II: Evolução histórica da administração 2ª fase: começou em 1927. - grupo de observação: 5 moças, supervisora e um observador para registrar e criar clima agradável; - grupo de controle: operários e supervisor. Grupo de observação: Funcionárias convidadas a participar; esclarecidas sobre os objetivos de avaliar o efeito das mudanças nas condições de trabalho (descanso, lanches).
  13. 13. Parte II: Evolução histórica da administração Modificações eram aprovadas por elas e os resultados informados. Relacionamento mais amistoso, com > na produção. Grupo de controle: operárias consideravam supervisão constrangedora. Fase dividida em 12 períodos. Diferenças entre os 2 grupos: condições e valores sociais -> estudo das relações humanas no trabalho.
  14. 14. Parte II: Evolução histórica da administração 3ª fase: começou em 1928 (entrevistas com os empregados para conhecer seus sentimentos e atitudes, ouvir suas opiniões quanto ao trabalho e o tratamento dos supervisores). - Programa bem recebido e resultados animadores. - Criada a Divisão de Pesquisas Industriais, para entrevista com todos os empregados anualmente. - Entre 1928 e 1930: 21.126 entrevistas.
  15. 15. Parte II: Evolução histórica da administração Descobertas: - A organização informal dos operários, com laços de lealdade ao grupo; forma de protegê- los ao que consideravam ameaças da organização contra seu bem-estar. - Se o operário pretende também ser leal à empresa, ocorre conflito, tensão e inquietação.
  16. 16. Parte II: Evolução histórica da administração Conclusões da experiência de Hawthorne: - Nível de produção é resultante da integração social: Não é determinado pela capacidade física ou fisiológica do empregado, mas por normas sociais e expectativas grupais; - Comportamento social do trabalhador: comportamento do indivíduo se apoia totalmente no grupo; - Relações humanas: interação social;
  17. 17. Parte II: Evolução histórica da administração Conclusões da experiência de Hawthorne: - Recompensas e sanções sociais: comportamento dos operários é condicionado por normas e padrões sociais; - Grupos informais: aspectos informais como comportamento social, grupos informais, crenças, atitudes, motivação; - Ênfase nos aspectos emocionais: elementos emocionais não planejados e irracionais merecem atenção.
  18. 18. Parte II: Evolução histórica da administração Conclusões da experiência de Hawthorne: Importância do conteúdo do cargo: especialização não é a maneira mais eficiente de divisão de trabalho. Mudanças de posição para evitar monotonia, com efeitos negativos na produção, mas elevação da moral. Trabalhos simples e repetitivos: monótonos e maçantes, reduzem satisfação e eficiência.
  19. 19. Parte II: Evolução histórica da administração Importância dos experimentos em Hawthorne para a T.O.: 1)os teóricos começaram a aprender como o trabalho de grupos, as atitudes e as necessidades dos empregados afetavam sua motivação e comportamento; 2)Pesquisou e mostrou a enorme complexidade do problema da produção em relação à eficiência; aplicação de métodos científicos.
  20. 20. Parte II: Evolução histórica da administração Conceito de homem social: motivado pela necessidade de “reconhecimento”, de “aprovação social” e de “participação” nas atividades dos grupos sociais.
  21. 21. Parte II: Evolução histórica da administração Críticas à teoria das Relações Humanas: - Oposição cerrada à Teoria Clássica; - Visualização inadequada e distorcida dos problemas de relações industriais; - Concepção ingênua e romântica do operário; - Abordagem incompleta da organização; - Visão complacente dos grupos informais; - Manipulação dos indivíduos.
  22. 22. Parte II: Evolução histórica da administração Fontes: - CHIAVENATO, I. Introdução à Teoria Geral da Administração. Rios de Janeiro: Elsevier, 2004. Caps. 5 e 6. - SILVA, R. O. Teorias da administração. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2008. Cap. 8.

×