Web 2.0, mercado e tendências - CEFET - RR

2.657 visualizações

Publicada em

Palestra na CeFET de Roraima, a respeito da Web 2.0, mercado e tendências para 2008

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.657
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
100
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
152
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Web 2.0, mercado e tendências - CEFET - RR

  1. 1. Web 2.0, mercado e tendências da web Alexandre Formagio
  2. 2. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Quem é Alexandre Formagio?
  3. 3. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Informações importantes <ul><li>Não se preocupem em anotar, estes slides estarão na segunda-feira no SlideShare e no meu blog; </li></ul><ul><li>Fiquem a vontade para perguntar quando surgirem dúvidas. </li></ul>
  4. 4. Antes da Web 2.0... Web 1.0 O que foi a Web 1.0?
  5. 5. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Web 1.0 <ul><li>As atualizações são menos freqüentes e são por conta do proprietário do site ou do webmaster; </li></ul><ul><li>Sem interatividade - o usuário apenas lê e navega; </li></ul><ul><li>Poucos sites na Internet e pouca variedade de conteúdo; </li></ul>
  6. 6. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Formato da Web 1.0
  7. 7. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Mas o que é a Web 2.0? O termo WEB 2.0 surgiu em 2004 em uma conferência, e Dale Dougherty (O'Reilly Media) foi o responsável pela criação do termo. Este evento reuniu empresas que sobreviveram à bolha da Internet do ano 2000.
  8. 8. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Mas o que é a Web 2.0? <ul><li>Aproveitamento da inteligência coletiva; </li></ul><ul><li>Conteúdo gerado pelo usuário; </li></ul><ul><li>Sites mais interativos; </li></ul><ul><li>Sistemas web cada vez mais parecidos com sistemas desktop. </li></ul>
  9. 9. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Mas o que é a Web 2.0? <ul><li>Foco no usuário e em suas necessidades. </li></ul><ul><li>Diferente de programas, o site pode ser atualizado a qualquer hora e todos teremos a mesma versão do site; </li></ul><ul><li>Integração de diversos sites através de “componentes” </li></ul>
  10. 10. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Formato da Web 2.0
  11. 11. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Mas o que é a Web 2.0? <ul><li>Foco no usuário e em suas necessidades. </li></ul><ul><li>Diferente de programas, o site pode ser atualizado a qualquer hora e todos teremos a mesma versão do site; </li></ul><ul><li>Integração de diversos sites através de “componentes” </li></ul>
  12. 12. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Mas o que é a Web 2.0? “ Segunda geração de serviços baseados na web como sites de redes sociais , wikis , ferramentas de comunicação e folksonomias . Enfatizam a colaboração online e o compartilhamento entre usuários .” Ross Mayfield, CEO, Socialtext
  13. 13. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Sabe o que é a Web 2.0? Inteligência coletiva
  14. 14. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Web 1.0 x Web 2.0 Web 1.0 – Rede de Computadores
  15. 15. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Web 1.0 x Web 2.0 Web 2.0 – Rede de Pessoas
  16. 16. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que compõe a Web 2.0?
  17. 17. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Folksonoquê? Você deve conhecer um dos estudos relacionados a Arquitetura da Informação mais conhecido hoje, a Folksonomia... Não sabe o que é isso?
  18. 18. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Folksonomia Como você classificaria a imagem abaixo?
  19. 19. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Folksonomia
  20. 20. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Folksonomia Folksonomia nada mais é do que a classificação de informações pelos próprios usuários. Exemplo: Flickr , del.icio.us e YoutTube
  21. 21. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  22. 22. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  23. 23. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  24. 24. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  25. 25. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  26. 26. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  27. 27. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  28. 28. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  29. 29. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  30. 30. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  31. 31. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  32. 32. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  33. 33. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de Web 2.0
  34. 34. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Web 2.0 na prática <ul><li>Colaborar e compartilhar conteúdo ; </li></ul><ul><li>Chega de apenas ler, agora vamos participar e opinar; </li></ul><ul><li>Sites interativos; </li></ul><ul><li>Vamos trocar dados entre sites (Vídeos do YouTube no Orkut); </li></ul><ul><li>“ Conteúdo é o Rei” e o usuário também. </li></ul>
  35. 35. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Marketing viral <ul><li>Exemplo claro da força da Internet; </li></ul><ul><li>Grandes empresas investindo em ações de marketing na Internet; </li></ul><ul><li>Usuários mostram seu poder na Internet: basta vermos os números. </li></ul>
  36. 36. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Marketing viral 3,178,843 visitas
  37. 37. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Marketing viral 3,607,716 visitas
  38. 38. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Marketing viral - Batman
  39. 39. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Marketing viral - Nunca fez propaganda; - 220 milhões de usuários; - Vendido por US$4,1 bilhões.
  40. 40. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Marketing viral <ul><li>Não trabalha com a marca diretamente; </li></ul><ul><li>Não é apenas vídeo; </li></ul><ul><li>O principal meio de propagação é o “boca a boca” </li></ul>
  41. 41. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0 Julho/2006
  42. 42. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0 Julho/2006
  43. 43. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Mas e o lado ruim? <ul><li>Falta de privacidade (Já experimentou buscar seu nome no Google ?); </li></ul><ul><li>Muito conteúdo muitas vezes dificulta achar o que nós REALMENTE queremos; </li></ul><ul><li>Confiança no conteúdo publicado; </li></ul><ul><li>Tendências levam a se criar coisas parecidas; </li></ul><ul><li>Saturação do mercado. </li></ul>
  44. 44. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Empresas 2.0
  45. 45. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Coisas boas vem ai APML A ttention P rofiling M arkup L anguage “Linguagem de marcação de perfil de atenção” Você fala o que gosta e não gosta em um arquivo XML (eXtensible Markup Language) e se o programa suportar este tipo de tecnologia, você filtra o conteúdo.
  46. 46. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Web 2.0 ganhando seu espaço Web 2.0 mostra seu poder. Estadão ataca os bloggers, você viu?
  47. 47. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Web 2.0 ganhando seu espaço
  48. 48. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Web 2.0 ganhando seu espaço
  49. 49. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Web 2.0 ganhando seu espaço Sabe em quantos anos é estimado o fim dos impressos? 20 anos Não era para eles realmente estarem preocupados?
  50. 50. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0 Novo posicionamento do IG. Por que será que ele mudou de postura?
  51. 51. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0 O que há em comum em todos os sites e portais apresentados até o momento? Simplicidade e foco no usuário Quanto mais simples, mais fácil. Quanto mais focado, mais chances de alcançar o objetivo
  52. 52. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0 Quais os maiores exemplos de sites ou portais com foco no usuário e na simplicidade?
  53. 53. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0
  54. 54. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0
  55. 55. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0
  56. 56. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio RadioHead na Web 2.0 O álbum “In Rainbows” da banda RadioHead foi comercializado em faixas apenas na internet e a pessoa pagava o QUANTO quisesse ou até nada. Visitas: 1,2 milhões no mês de lançamento Download gratuitos: 62% Download pago: 38%
  57. 57. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0 Sabe o que as pessoas gostam? 43% de conteúdo X 33% de comunicação Ou seja, elas gostam mais de ler e trocar informações do que vídeos por exemplo
  58. 58. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0 <ul><li>Conteúdo responsável por atrair a massa na internet: </li></ul><ul><li>Entretenimento – Vídeos; </li></ul><ul><li>Notícias & Informações – Jornalismo; </li></ul><ul><li>Família – Saúde; </li></ul><ul><li>Educação – Universidades. </li></ul>
  59. 59. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0 <ul><li>O país com mais cadastros no Orkut; </li></ul><ul><li>O país onde os internautas ficam mais tempo conectados ( Quase 21 horas por mês em média ); </li></ul><ul><li>o 2º maior usuário do YouTube; </li></ul>
  60. 60. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0 <ul><li>O 3º maior comprador de computadores ( 6 milhões em 2006 ); </li></ul><ul><li>O 4º maior usuário do Second Life; </li></ul><ul><li>E o país que possui mais de 30 milhões de internautas. </li></ul>
  61. 61. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Crescimento da Web 2.0 Será que esta festa pela web 2.0 é realmente necessária? Será que ela é a coisa mais importante?
  62. 62. Focando no usuário Pois é ele quem usa
  63. 63. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Primeiro lugar, a culpa é nossa... vamos admitir os erros?
  64. 64. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Como são planejados os sites?
  65. 65. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Mas como eles utilizados?
  66. 66. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Opa, mas o que fazer então? <ul><li>Acessibilidade; </li></ul><ul><li>Arquitetura da Informação; </li></ul><ul><li>Usabilidade; </li></ul><ul><li>Experiência do usuário. </li></ul>Vamos discutir e aprender mais sobre foco no usuário, abordando os seguintes assuntos:
  67. 67. Acessibilidade Trabalhando com sites acessíveis e inclusivos
  68. 68. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que é Acessibilidade? Acessibilidade serve para criar sites que possam ser usados por qualquer pessoa, inclusive com algum tipo de deficiência, palms, celulares, navegadores diversos e etc.
  69. 69. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Quem precisa de Acessibilidade?
  70. 70. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de má Acessibilidade
  71. 71. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de boa Acessibilidade
  72. 72. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos de boa Acessibilidade
  73. 73. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Melhorando a Acessibilidade <ul><li>Conhecer as necessidade especiais; </li></ul><ul><li>Seguindo os padrões web e diretrizes da WCAG; </li></ul><ul><li>Testando em situações reais; </li></ul>
  74. 74. Arquitetura da Informação Ajudando o usuário a chegar aos seus objetivos
  75. 75. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que é Arquitetura da Informação? A Arquitetura da Informação organiza os sistemas de informação, para que as pessoas possam encontrar de forma fácil o que desejam e não se percam pelo site.
  76. 76. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que é Arquitetura da Informação? <ul><li>Fluxo de navegação fácil e lógico; </li></ul><ul><li>Disposição dos elementos na melhor forma possível; </li></ul><ul><li>Pontos importantes visíveis e destacados; </li></ul><ul><li>Nomes de seções, campos de formulário e etc, devem ser intuitivas para qualquer pessoa; </li></ul><ul><li>Texto direto, fácil e na linguagem do usuário. </li></ul>
  77. 77. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Erros de Arquitetura da Informação <ul><li>Resultados de busca mal organizados; </li></ul><ul><li>Nomes confusos (campos, seções); </li></ul><ul><li>Página desorganizada; </li></ul><ul><li>Performance lenta; </li></ul><ul><li>Navegação inconsistente. </li></ul>
  78. 78. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Exemplos - Sky Após a reformulação recente, a taxa de conversão de vendas de 0,2% para 50% em 4 meses
  79. 79. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Melhorando a Arquitetura da Informação “ Se o consumidor não consegue encontrar o produto, ele não poderá comprá-lo” Jakob Nielsen (2003)
  80. 80. Usabilidade Facilitando a vida do usuário
  81. 81. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que é Usabilidade? Usabilidade é sinônimo de facilidade de uso, ou seja, se é fácil de usar, o usuário aprende rápido a usar, memoriza as operações, comete menos erros e chega aos seus objetivos.
  82. 82. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que é Usabilidade? Usabilidade vem do estudo de Ergonomia, que busca criar que objetos, sistemas e etc sejam fáceis de serem utilizados. Por exemplo:
  83. 83. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Princípios da Usabilidade <ul><li>Ser fácil de aprender; </li></ul><ul><li>Ser eficiente na utilização; </li></ul><ul><li>Ser fácil de ser recordado; </li></ul><ul><li>Ter poucos erros; </li></ul><ul><li>Ser agradável. Jakob Nielsen (2003) </li></ul>
  84. 84. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade Onde está o botão ou link de download na página a seguir? Você consegue encontrá-lo em menos de 5 segundos ?
  85. 85. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade
  86. 86. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade Conseguiu achar facilmente? Foi intuitivo?
  87. 87. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade
  88. 88. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade Qual é mais fácil fazer o download? Este...
  89. 89. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade Ou este abaixo?
  90. 90. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade Onde posso criar um cadastro no site a seguir? Você consegue encontrá-lo em menos de 10 segundos ?
  91. 91. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade
  92. 92. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade Bom, vamos clicar em “ Meu cadastro ” e ver o que acontece.
  93. 93. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade
  94. 94. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade
  95. 95. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade Alguém conseguiu ver onde é possível se cadastrar? Não? Nem eu!
  96. 96. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafio de Usabilidade Como resolver isto? Fácil...
  97. 97. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Melhorando a Usabilidade <ul><li>Conhecendo os usuários e como eles usam o site; </li></ul><ul><li>Dando prioridade a estas pessoas ao invés das tecnologias; </li></ul><ul><li>Seguindo os estudos e pesquisadores; </li></ul><ul><li>Testando em situações reais; </li></ul>
  98. 98. O que devemos fazer? O que fazer para obter melhores resultados
  99. 99. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que devemos fazer? <ul><li>Trabalhar com padrões web, mas por que? </li></ul><ul><li>Fácil manutenção de código; </li></ul><ul><li>Redução de até 50% de código e peso dos arquivos; </li></ul><ul><li>Sites acessíveis para dispositivos móveis, deficientes, diversos navegadores e etc; </li></ul><ul><li>Bom posicionamento no Google. </li></ul>
  100. 100. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que devemos fazer? <ul><li>Começar a entender REALMENTE seu cliente, seu mercado, seu público alvo e etc; </li></ul><ul><li>Acompanhar e entender as mudanças da WEB, AJAX, métricas, RSS, Mashup, acessibilidade, design de interação e por aí vai; </li></ul><ul><li>Trabalhar com planejamento e com métricas; </li></ul>
  101. 101. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que devemos fazer? Trabalhar com a simplicidade, objetividade e facilidade sempre! Quer exemplos de que isto dá certo?
  102. 102. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que devemos fazer? Google em 1998 Quer exemplos de que isto dá certo?
  103. 103. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que devemos fazer? Google em 2007
  104. 104. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que devemos fazer? Altavista em 1998
  105. 105. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que devemos fazer? Altavista em 2001
  106. 106. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que devemos fazer? Altavista em 2007
  107. 107. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que devemos fazer? Criar diferenciais competitivos, não adianta ser mais um no meio de tantos. Qual a diferença entre os 2 automóveis abaixo?
  108. 108. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio O que devemos fazer? Trabalhar sempre focado no usuário (Vale ressaltar!).
  109. 109. Quem ganha com o foco no usuário? Por que ter este trabalho todo?
  110. 110. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Quem ganha com o foco no usuário? Nós que somos usuários, que alcançamos nossos objetivos ao navegar em um site.
  111. 111. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Quem ganha com o foco no usuário? Você desenvolvedor, que cria projetos bons e será reconhecido no mercado;
  112. 112. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Quem ganha com o foco no usuário? Sua empresa, que será reconhecida por criar projetos úteis e fáceis;
  113. 113. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Quem ganha com o foco no usuário? O cliente, que terá retorno de várias formas, como mais contatos, melhores posições em buscadores, aumento de seu público, maior retorno e etc;
  114. 114. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Quem ganha com o foco no usuário? Ou seja, todos nós ganhamos quando trabalhamos focados no usuário final.
  115. 115. Tendências do mercado O que podemos esperar daqui para frente
  116. 116. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Tendências do mercado “ Anunciantes vão investir recorde de 31 bilhões de dólares na web em 2007” Fonte: BlueBus Isso é muito dinheiro!
  117. 117. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Tendências do mercado <ul><li>Mídias são o futuro e a web será a centralizadora disto tudo </li></ul><ul><li>Vídeos; </li></ul><ul><li>Televisão on-line; </li></ul><ul><li>Celulares e pal-m’s acessando a web; </li></ul><ul><li>Tudo falando a mesma língua. </li></ul>
  118. 118. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Tendências do mercado <ul><li>As empresas que souberem organizar e enxergar a importância de focar nos objetivos de seu usuário estarão à frente da concorrência; </li></ul><ul><li>Não confie no formato atual da web e muito menos em seus conhecimentos atuais, basta olhar o número de mudanças nos últimos anos; </li></ul><ul><li>Manter-se atualizado não é mais uma necessidade, e sim uma OBRIGAÇÃO nos dias de hoje; </li></ul>
  119. 119. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Tendências do mercado <ul><li>Criar sites que sejam acessíveis e interajam com o maior número de dispositivos possíveis; </li></ul><ul><li>Entenda de teorias e conceitos antes e técnicas e ferramentas depois. Por a mão na massa hoje em dia não é mais luxo; </li></ul>
  120. 120. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Tendências do mercado Mantenha o foco no que você gosta de fazer. Em seguida, busque parceiros que façam o restante! Com certeza os resultados serão melhores! Grandes empresas (Globo.com, AgênciaClick, 10’Minutos, iThink e etc), não contratam os profissionais “fazem tudo” (Também conhecido antigamente como WebMaster )
  121. 121. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Tendências do mercado “ Cada macaco no seu galho” como diria o ditado popular!
  122. 122. Desafios para o futuro O que devemos esperar e buscar
  123. 123. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafios para o futuro <ul><li>Criar soluções agradáveis que sejam fáceis de usar; </li></ul><ul><li>Estar bem posicionado em buscadores; </li></ul><ul><li>Criar projetos que se integrem com outras soluções (Celulares, pal-m’s, TV Digital e etc); </li></ul><ul><li>Acompanhar o ritmo do mercado, os próximos 5 anos mudarão mais do que os últimos 30 anos; </li></ul>
  124. 124. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafios para o futuro <ul><li>Criar conteúdo realmente relevante, de preferência com poucas linhas; </li></ul><ul><li>Alinhar necessidades do cliente e de seu usuário (Cliente quer dados do usuário, usuário quer manter sua privacidade, por exemplo); </li></ul><ul><li>Tratar o excesso de informações da melhor forma possível; </li></ul>
  125. 125. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Desafios para o futuro <ul><li>Criar experiências ricas, apenas ler não satisfaz mais o usuário; </li></ul><ul><li>Trabalhar com planejamentos e gerenciamento de projetos FUNCIONAIS ; </li></ul><ul><li>Trabalhar sempre focado no usuário (Vale ressaltar pela última vez!). </li></ul>
  126. 126. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio A internet mudou e você? <ul><li>As pessoas têm pouco tempo; </li></ul><ul><li>A Internet agora está ao alcance de pessoas de qualquer nível social ou de conhecimento; </li></ul><ul><li>Concorrência cresceu; </li></ul>
  127. 127. Web 3.0 Já que alguém sempre pergunta a respeito...
  128. 128. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Web 3.0 Segundo estudiosos, a Web 3.0 pode ser a a integração de diversos sistemas, dispositivos e etc, através de pequenas aplicações que podem ser utilizados em todos os dispositivos. Muito parecido com o que já acontece hoje, de você colocar o Google Maps em seu site através de APIs (Application Programming Interface - Interface de Programação de Aplicativos)
  129. 129. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Web 3.0 Também há possibilidades de integrar perfis através do “OpenSocial”, que seria uma padronização de perfis. Então o mesmo “Alexandre Formagio” do Orkut pode usar sua senha no FaceBook ou no Via6 ou no Amazon.com e ser a mesma pessoa e não uma pessoa se passando por ele.
  130. 130. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Reflexão <ul><li>O que você pode fazer pelo usuário? </li></ul><ul><li>Como criar experiências ricas para o usuário? </li></ul><ul><li>Como vou me manter informado o bastante? </li></ul>
  131. 131. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Referências Design de Interação : Além da Interação Homem-Computador Jennifer Preece Information Architecture Louis Rosenfeld e Peter Morville Projetando website compatíveis Jeffrey Zeldman Mirando Resultados Ricardo Almeida
  132. 132. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Referências Projetando websites com Usabilidade Jakob Nielsen e Hoa Loranger Design para a Internet Felipe Memória Projetando websites Jakob Nielsen Ergodesign e Arquitetura da Informação Luiz Agner
  133. 133. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Referências Não me faça pensar Steve Krug Webwriting Bruno Rodrigues Usabilidade na Web Cláudia Dias A cauda longa Chris Anderson
  134. 134. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio Referências Usabilidoido: www.usabilidoido.com.br Luiz Agner: www.agner.com.br Complicado: www.complicado.wordpress.com Acesso Digital: www.acessodigital.net FatorW: www.fatorw.com Revolução e Etc: www.revolucao.etc.br Tableless: www.tableless.com.br Planta Baixa: www.plantabaixa.wordpress.com Petitpois: www.lulileslie.com
  135. 135. SEMINF - CEFET-RR Alexandre Formagio

×