Alexandra Okada
Coaprender &
Co-investigar em rede
Coaprender &
Co-investigar em rede
Alexandra Okada
Coaprender &
Co-investigar em rede
•
•
•
•
COLEARN - CoAprendizagem
AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET
COLEARN – colearn.open.ac.uk
oer.kmi.open.ac.uk
COLEARN – colearn.open.ac.uk
Projetos Praticos e Principios Teoricos:
• Conhecimento-Rede (Freire/Maturana&Varela - 2003),...
Coaprender &
Co-investigar em rede
O que significa o uso
de tecnologia? Como as tecnologias
podem enriquecer o
processo co...
AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET
OpenLearn – Recursos Educacionais Abertos
acesso aberto: reutilizar, reconstruir, ...
•
•
•
•
weSPOT is an EC-funded Research
Project under the Grant Agreement no.
318499 of ICT FP7 Programme in
Technology En...
Coaprender &
Co-investigar em rede
coLearn.open.ac.uk
2007
Coaprender &
Co-investigar em rede
2013
oer.kmi.open.ac.uk
Coaprender &
Co-investigar em rede
Os ambientes virtuais de aprendizagem
de 6 anos atrás não mais os mesmos de hoje
Coaprender &
Co-investigar em rede
Como atuam professores e estudantes ?
Quais teorias para práticas educativas?
Quais desafios e oportunidades?
Quais método...
Coaprender & Co-investigar
em rede
Produção em parceria
com base em interesses
comuns
Benkler et al.(2006)
Comunic.&Cultur...
Como atuam professores e alunos?
Quais teorias para práticas educativas?
Quais desafios e oportunidades?
Quais métodos e r...
Como atuam professores e alunos?
Quais teorias para práticas educativas?
Quais desafios e oportunidades?
Quais métodos e r...
Como atuam professores e alunos?
Quais teorias para práticas educativas?
Quais desafios e oportunidades?
Quais métodos e r...
Metodologia Ciber-etno-pesquisação
1. Refletir sobre o processo evolutivo
• Identificar nichos (clusters) do Colearn
• Ide...
REDE SOCIAL
online
interface
pesquisador e comunidade
imersão do pesquisador
no campo
observação
Participação
estrutura
te...
REDE SOCIAL
online
estrutura
• coletar e prover
dados para análise
• visualizar
dimensões
complexas da rede
• obter detalh...
Junho 2011 – disseminação da Tool-Library com FM
Gpdoc
Grupar
AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET
FACEBOOK – GRUPO COLEARN
AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET
março 2012 – inicio da divulgação das produções dos grupos
Gpdoc
Grupar
AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET
Twitter: @colearn
Facebook grupo: COLEARN
Blog OER: http://oer.kmi.open.ac.uk
Flickr: coLearn-coAprender
Wikimedia Commons...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Challenges2013 okada

920 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Challenges2013 okada

  1. 1. Alexandra Okada Coaprender & Co-investigar em rede
  2. 2. Coaprender & Co-investigar em rede
  3. 3. Alexandra Okada Coaprender & Co-investigar em rede • • • •
  4. 4. COLEARN - CoAprendizagem AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET COLEARN – colearn.open.ac.uk oer.kmi.open.ac.uk
  5. 5. COLEARN – colearn.open.ac.uk Projetos Praticos e Principios Teoricos: • Conhecimento-Rede (Freire/Maturana&Varela - 2003), • OpenLearn (Wenger - 2006), • OpenScout & weSpot (diversos …2013) Participantes: • Comunidade de 50 participantes(2003), • Rede de 180 membros (2006), • Coletividade 3500 (2013) AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET UM Aprendizagem e Pesquisa Abertas Colaborativas • Ambientes: • Lista Yahoo+openTools (2003), • AVA Moodle (2006) , • Redes Elgg,+… (2010),
  6. 6. Coaprender & Co-investigar em rede O que significa o uso de tecnologia? Como as tecnologias podem enriquecer o processo cognitivo? Como ir alem do uso da tecnologia pela tecnologia?
  7. 7. AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET OpenLearn – Recursos Educacionais Abertos acesso aberto: reutilizar, reconstruir, remixar e compartilhar Conteudos, metodologias, tecnologias e praticas (REA) COLEARN – colearn.open.ac.uk 1o. ponto-chave 2006 Aprendizagem colaborativa aberta
  8. 8. • • • • weSPOT is an EC-funded Research Project under the Grant Agreement no. 318499 of ICT FP7 Programme in Technology Enhanced Learning colearn@gmail.com COLEARN – colearn.open.ac.uk 2o. ponto-chave 2014
  9. 9. Coaprender & Co-investigar em rede
  10. 10. coLearn.open.ac.uk 2007 Coaprender & Co-investigar em rede
  11. 11. 2013 oer.kmi.open.ac.uk Coaprender & Co-investigar em rede
  12. 12. Os ambientes virtuais de aprendizagem de 6 anos atrás não mais os mesmos de hoje Coaprender & Co-investigar em rede
  13. 13. Como atuam professores e estudantes ? Quais teorias para práticas educativas? Quais desafios e oportunidades? Quais métodos e recursos para análise? Coaprender & Co-investigar em rede
  14. 14. Coaprender & Co-investigar em rede Produção em parceria com base em interesses comuns Benkler et al.(2006) Comunic.&Culture (opensource) Colaboração de massa Tapscott (2006) Econ.&Business (Amazon, ebay, Wikipedia) Mídia participatória Rheingold (2007) Journalism &Citizenship (Redes Socio-Criticas OpenScience Como atuam professores e alunos? Quais teorias para práticas educativas? Quais desafios e oportunidades? Quais métodos e recursos para análise?
  15. 15. Como atuam professores e alunos? Quais teorias para práticas educativas? Quais desafios e oportunidades? Quais métodos e recursos para análise? WEB 1.0 e-Learning WEB 2.0 Co-Learning Web 3.0 Co-Inquiry Ambiente Individual e centralizado Colaborativo em rede Móvel e personalizado Foco Informacional Construção coletiva Agentes inteligentes Conteúdo Gerado por Instituições Gerado por qualquer usuário Focado nas preferências dos indivíduos Formato Limitado – páginas web ou arquivos para impressão Aberto e diversificado – podendo incluir som, vídeo, animações... Conteúdo dinâmico Recursos Navegadores Aplicações Diversas e Abertas Busca, localização, compartilhamento e integração inteligente, Tecnologias Informação e comunicação Conhecimento e de redes sociais Redes semânticas, widgets Acesso Leitura Edição com Autoria Compartilhada Via agentes inteligentes Exemplos Enciclopédias Vários tipos de Wikis, blogs, LMS ... Smart search, loja virtual, 3Dworlds Características Imagem ou hipertexto Espaços abertos para download, reedição e remixagem Web semântica, analítica, comportamento e motivação Aprendizes Leitores passivos Comunidades de Coautores Coletividades, cidadãos participativos Web 3.0 Ana Arellano
  16. 16. Como atuam professores e alunos? Quais teorias para práticas educativas? Quais desafios e oportunidades? Quais métodos e recursos para análise? Ensino Tradicional Fechado Coaprendizagem Aberta com REA co-investigação para Coaprendizagem Contexto Desconectado do aprendizes Situações contextualizadas no mundo real investigação do interesse dos estudantes Conteúdo Programa curricular impresso, livro texto, leitura complementar. Rede web, múltiplos formatos, materiais em vários canais, variedade de interfaces Selecionados e construídos durante o processo de investigação Status do Conteúdo Material educacional preescrito e preestabelecido pelo currículo. Conteúdo flexível selecionado e compartilhado dentro de contextos. Conteúdos personalizados, acesso portátil, móvel Acesso Restrito, registro, autenticação. Acesso aberto, coletivo ou individual. Aberto, múltiplo, flexível Design Produção externa, Montagem, Publicação, Distribuição em massa. Criação Colaborativa – Compartilhamento Reutilização – Acesso Aberto. metodologia científica, metacognicao, metadatados, sistemas ontológicos, Educador Instrutor, detentor do conhecimento. Facilitador da aprendizagem, mentor, gestor aberto do contexto Orientador nas diversas etapas da pesquisa. Avaliador critico construtivo Aprendiz Receptor e reprodutor de conhecimentos. Agente ativo, social, colaborativo, co-autor e co-gestor da coaprendizagem. Pesquisador-colaborador, cientista-coaprendiz Autoria Poucos profissionais autores. múltiplos co-autores educadores, outros profissionais, e aprendizes. Múltiplas coautorias Copyright Rígido, direitos reservados, materiais institucionais. Licenças Abertas (ex. creative commons) Licença, metodologia e dados abertos Tecnologias Tecnologias desktop, e aplicações eletrônicas individuais. Wikis, Weblogs, Redes Sociais, RSS feeds, peer-to-peer content bookmark sharing, Semanticas, móveis, personalizadas, analiticas Avaliação especialistas da área. comunidades de prática Científica – revisão de pares,
  17. 17. Como atuam professores e alunos? Quais teorias para práticas educativas? Quais desafios e oportunidades? Quais métodos e recursos para análise? Exemplos de Práticas Ambientes Virtuais para criação, reutilização e disseminação de REA Redes Sociais para criação, reutilização e disseminação de pesquisas como REA Coletividadespara criação, reutilização e disseminação de investigações colaborativas Projetos OpenLearn (Open University UK) OpenScout (Projeto Europeu) weSPOT (Projeto Europeu) Plataforma Moodle Elgg, Wordpress & Facebook Elgg, diversas redes & repositórios Participantes 2006 – 50 participantes 2013 – 3500 membros 2011 – 113 coautores 2013 - 9,526 visitantes por mês 2013 – 16 membros Perfil Organizadores de cursos online, professores e estudantes Centros, Laboratórios e Grupos de pesquisas e interessados em REA. pesquisadores da pós-graduação, educadores estudantes(Iniciação Científica) e suas redes produções PERIODO DE 3 ANOS 30 papers, 90 mapas, 70 webconferências PERIODO DE 5 MESES 25 papers, 84 imagens, 20 clips, 48 tools PERIODO DE 1 MES 13 pesquisas, 4 survey, 84 competências análise Pesquisa quali-quantitativa, entrevistas, questionários, produções & indicadores co-produções, grupo focal, peer-review, Mapas (gephi, nodeXL, TouchGraph) ciber-etnografia & ciber-pesquisação Benefícios Familiaridade com ambiente Compreensão inicial de REA Ampliação de contatos Produção, colaborativa em rede Ampla disseminação Novas pesquisa em parceria Inovação da prática pedagógica Desenvolvimento das competências Integração teórias e práticas Desafios Acesso lento Dificuldades de navegação e uso Dificuldade em produção REA Necessidade de maior organização Gerenciamento de contribuições Dificuldades - como colaborar Necessidade de orientador e facilitadores Compreensão do processo p/implementação Uso integrado das mídias sociais Estratégias para implementação Gestão do tempo, ambientes e tecnologias. Entrepeneurismo
  18. 18. Metodologia Ciber-etno-pesquisação 1. Refletir sobre o processo evolutivo • Identificar nichos (clusters) do Colearn • Identificar os agentes de mudança – hubs • Investigar as motivações dos agentes de mudança (pessoas – grupos – tecnologia ) 2. Estabelecer diretrizes para aprimorar Comunicação e Compartilhamento • Analisar as ações que provocam mudanças • Identificar as barreiras • Refletir sobre estratégias para abertura dos dados e pesquisas colaborativas COLEARN – REDES / Coletividades AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET
  19. 19. REDE SOCIAL online interface pesquisador e comunidade imersão do pesquisador no campo observação Participação estrutura tecnologias provêm dados para análise dimensões complexas da rede detalhe e escala de estruturas complexas estudo da interação humana em mídias sociais [plataformas para esta interação] como fenômeno multidimensional significado - Semânticaecossistema - Sintaxe AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET
  20. 20. REDE SOCIAL online estrutura • coletar e prover dados para análise • visualizar dimensões complexas da rede • obter detalhe e escala de estruturas complexas evolução da comunidade tamanho da população que consome e produz conteúdo gênero dos elementos básicos tipos de conexão Conhecimento individual e coletivo Dimensões possíveis para análise Possibilidades do uso da tecnologia: AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET
  21. 21. Junho 2011 – disseminação da Tool-Library com FM Gpdoc Grupar AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET
  22. 22. FACEBOOK – GRUPO COLEARN AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET
  23. 23. março 2012 – inicio da divulgação das produções dos grupos Gpdoc Grupar AlexandraOkada.IzabelMeister2012IIEIRET
  24. 24. Twitter: @colearn Facebook grupo: COLEARN Blog OER: http://oer.kmi.open.ac.uk Flickr: coLearn-coAprender Wikimedia Commons: colearn YouTube: Colearn´s or Coaprendizagem AVA: http://labspace.open.ac.uk/colearn ELGG: http://openscout.kmi.open.ac.uk/tool-library/ Web Videoconference: http://fm.ea-tel.eu/groups/colearn

×