OS ESTILOS DE COAPRENDIZAGEM
PARA AS NOVAS CARACTERÍSTICAS
DA EDUCAÇÃO (3.0)
http://labspace.open.ac.uk/
O Projeto “WESPOT”
WESPOT é um novo projeto que tem como objetivo a
investigação em combinação com práticas atuais, curríc...
Surge com Keats & Schmidt (2007) que
mencionam a importância de preparar todos os
estudantes para a Sociedade Digital.
“di...
Tecnologias para al aprendizagem: redes sociais, microblogs, wikis, RSS
feeders, ambientes personalizados, webinars.
Servi...
Conteúdo de Aprendizagem: Diversidade de formatos
abertos, híbridos, editáveis e reutilizáveis, autorias...
Produção de co...
Okada (2012) explica
que o termo
coaprendizagem foi
inicialmente definido
em 1996 por Frank
Smith no livro“Joining
the Lit...
Para desenvolver os estilos de coaprendizagem estamos
utilizando a investigação sobre os estilos de uso de espaço
virtual ...
Os estilos de coaprendizagem podem ser entendidos como
os diversos modos de coaprender, ou seja, aprender na rede
de forma...
Muito obrigada!!!!
Alexandra Okada
ale.okada@open.ac.uk
Colearn – Open University
Researcher in Knowledge Mapping for Open...
Barros okada
Barros okada
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Barros okada

741 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
741
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
277
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Barros okada

  1. 1. OS ESTILOS DE COAPRENDIZAGEM PARA AS NOVAS CARACTERÍSTICAS DA EDUCAÇÃO (3.0)
  2. 2. http://labspace.open.ac.uk/
  3. 3. O Projeto “WESPOT” WESPOT é um novo projeto que tem como objetivo a investigação em combinação com práticas atuais, currículos e tecnologias inovadoras. (Okada, 2012).
  4. 4. Surge com Keats & Schmidt (2007) que mencionam a importância de preparar todos os estudantes para a Sociedade Digital. “digital, móvel, conectada, personalizada, criativa e aberta”. Os avanços tecnológicos se desenvolvem a grande velocidade. Existe muito mais acessibilidade, maior capacidade para a construção de conhecimento e também novas formas de aprender.
  5. 5. Tecnologias para al aprendizagem: redes sociais, microblogs, wikis, RSS feeders, ambientes personalizados, webinars. Serviços da web: Web 3.0 - Mobile apps, medias com conteúdo, RSS feeds, widgets, marcadores, redes sociais, nuvens, agentes semânticos, ciência analítica, interoperabilidade entre ontologias. Professor: mentor colaborativo, orientador de aprendizagem, facilitador para adquisição de conhecimento e competências. Estudantes: “coaprendizes”, gestores colaborativos, coautores, investigadores, revisões colaborativas, gestores de aprendizagem social.
  6. 6. Conteúdo de Aprendizagem: Diversidade de formatos abertos, híbridos, editáveis e reutilizáveis, autorias... Produção de conteúdos: fluxo, planeamento colaborativo, criação coletiva, publicação aberta, amplia difusão, revisão interpares, reutilização e readaptação, contínuo aperfeiçoamento. Copyright: Licencias abertas (exemplo: Creative Commons). Cenário de aprendizagem: baseados em investigação, aprendizagem autentico, personalizado, contexto social e real. Avaliação: coavaliuação, orientação guiada. feedback informal, avaliação baseada em competências, flexibilidade para validação de REAs, sistemas de avaliação. Autonomia do estudante aprendizagem definida de forma aberta e colaborativa; memoria de uso e recomendações de outros coaprendizes; revisões comparadas e feedbacks de cada usuário. Estudante: possibilidade de acessar de forma aberta, ambientes diversos conectados, usuários que decidem sobre o que é publico o privado.
  7. 7. Okada (2012) explica que o termo coaprendizagem foi inicialmente definido em 1996 por Frank Smith no livro“Joining the Literacy Club”. Este conceito foi descrito por Smith para enfatizar a importância de trocar os papéis tanto dos professores, como distribuidores de conhecimentos, como dos estudantes que rebem conteúdos, para colaborar no processo de aprendizagem. Brantmeier (2005) explica a coaprendizagem na interação centrada na aprendizagem colaborativa...
  8. 8. Para desenvolver os estilos de coaprendizagem estamos utilizando a investigação sobre os estilos de uso de espaço virtual (Barros, 2013) sobre como se aprende no o virtual e quais as características de coaprendizagem e seus estilos. Fonte: Barros; Miranda; Goulão; Henriques; Morais ( 2012) http://oer.kmi.open.ac.uk
  9. 9. Os estilos de coaprendizagem podem ser entendidos como os diversos modos de coaprender, ou seja, aprender na rede de forma colaborativa, interativa e participativa. Os estilos de coaprendizagem são referenciais para as estratégias didático-pedagógicas nos espaços que contemplam a Web 2.0 e 3.0? Esta é a pregunta chave para o estudo que está sendo desenvolvido. Podemos apresentar o início da investigação sobre os estilos de coaprendizagem, indicando algumas conexões para a Educação 3.0 e suas práticas de aprendizagem aberta. Os resultados serão utilizados como fundamentos para a investigação qualitativa e de campo sobre a Educação 3.0
  10. 10. Muito obrigada!!!! Alexandra Okada ale.okada@open.ac.uk Colearn – Open University Researcher in Knowledge Mapping for Open Content Initiative at the Knowledge Media Institute, UK. http://labspace.open.ac.uk/ Daniela Melaré Vieira Barros REDE DE ESTILOS DE APRENDIZAGEM e EDUCAção A DISTANCIA https://plus.google.com https://sites.google.com/site/estilosetecnologias/ dbarros@uab.pt dmelare@gmail.com III Colóquio Luso Brasileiro de Educação a Distância e Elearning – 6 e 7 de dezembro de 2013 Lisboa- Universidade Aberta http://lead.uab.pt/clb/

×