SlideShare uma empresa Scribd logo
9 de Novembro

Workshop
formativo             2010
Workshop formativo de apresentação
do Modelo de Auto-Avaliação das
Bibliotecas Escolares do
Agrupamento Elias Garcia
Práticas e Modelos na Auto-Avaliação da BE




        Sessão 2: O Modelo de Auto-Avaliação.
        Problemáticas e conceitos implicados
Tarefas 1

Workshop formativo de apresentação do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas
                            Escolares Elias Garcia

Data:                  de 9 de Novembro a 7 Dezembro
Hora:                  das 18:30 às 21:30
Local:                 Biblioteca Escolar Elias Garcia
Duração:               15 horas presenciais + 5 de trabalho autónomo
Dinamizadoras:         Professoras bibliotecárias
Intervenientes:        Equipa da biblioteca, membros do Conselho Pedagógico,
                       coordenadores de Área de Projecto e de Estudo Acompanhado,
                       coordenador de Ensino Especial, representante da Associação de
                       Pais



                                        Objectivos

    1       Tomar conhecimento do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas
            Escolares: problemáticas e conceitos implicados
    2       Identificar o conceito de Evidence-Based practice e de pesquisa/ acção
    3       Reconhecer a relevância da Avaliação da biblioteca escolar Modelo de
            Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares - Objectivos e processos
            implicados.
    4       Reconhecer a Qualidade e Inovação como conceitos centrais.
    5       Contribuir para a implementação do processo de auto-avaliação
            (pressupõe o necessário envolvimento de todos)


                                   Temas abordados:

Sessões                Tema                        Recursos            duração
1       - Pertinência da existência de um         Powerpoint     3 horas
        Modelo de Avaliação para as               Projector
        bibliotecas escolares.

2           - O Modelo enquanto instrumento       Projector      3 horas
            pedagógico e de melhoria.             Powerpoint
            Conceitos implicados:
            Valor; auto-avaliação;processo;
            instrumento pedagógico

Alexandra Lopes                                                                  Página 2
Práticas e Modelos na Auto-Avaliação da BE



3           O conceito de avaliação no             Projector      3 horas
            contexto das organizações:             Powerpoint
4           - Integração/ Aplicação à realidade    Projector      3 horas
            da escola/ biblioteca escolar.         Powerpoint
            Oportunidades e
            constrangimentos.

5           - Gestão participada das mudanças      Projector      3 horas
            que a sua aplicação impõe. Níveis      Powerpoint
            de participação da escola.



                                     Plano de trabalho
1ª sessão

Sessões                                       Temas

18:30       Apresentação dos participantes e dos dinamizadores
19:00       MAABE – o que é?
            Missão da biblioteca escolar no contexto do agrupamento e que a
            relacionam com as aprendizagens, com o desenvolvimento
            curricular e com o sucesso educativo.

            Domínios
            - Integração na escola e no processo de ensino/Aprendizagem
            - Acesso. Qualidade da Colecção
            - Gestão da BE

            Processo;
            - Identificação de um problema ou de um desafio;
            - Recolha de evidências;
            - Interpretação da informação recolhida;
            - Realização das mudanças necessárias;
            - Recolha de novas evidências acerca do impacto dessas mudanças.
19:30       Vantagens do MAABE
            espaço com oportunidades de leitura e aprendizagem acrescidas;
            espaço valorizado e usado pela escola:
            o professor bibliotecário e a escola desenvolvem um trabalho planeado,
            integrado nos objectivos funcionais e de ensino, com impacto no
            funcionamento global da escola e nas aprendizagens.
20:00       Intervalo
20:20       Reflexão sobre a situação actual da BE – pontos fortes e fracos/ o que há
            a melhorar
21:00       Apresentação das conclusões




Alexandra Lopes                                                                 Página 3
Práticas e Modelos na Auto-Avaliação da BE



Sugestão de trabalho autónomo: reflexão crítica sobre a situação actual da BE nas
seguintes áreas :
   1. Aprendizagem
   2. Acesso. Qualidade da Colecção
   3. Gestão da BE


2ª sessão


Sessões                                      Temas

18:30       Debate em torno das sugestões apresentadas na sessão de trabalho
            autónomo
19:00       Apresentação - O Modelo enquanto instrumento pedagógico e de
            melhoria de melhoria.
            A avaliação não é um fim em si mesma. É um processo de melhoria que
            deve facultar informação de qualidade capaz de apoiar a tomada de
            decisão.
            Os resultados devem ser partilhados com o director, ser divulgados e
            discutidos nos órgãos de gestão pedagógica.
19:30       Factores críticos à sua apropriação e implementação: É fundamental que
            o Modelo:
            - se assuma como um instrumento agregador, capaz de unir a escola e a
            equipa em torno do valor da BE;
            - Se assuma como instrumento de mudança e de melhoria da qualidade
            do funcionamento das bibliotecas escolares
            - Tenha pontos de intersecção com a avaliação da escola
20:00       Intervalo
20:20       Reflexão sobre o necessário envolvimento de todos
21;00       Apresentação das conclusões

Sugestão de trabalho autónomo: Como conseguir a necessária articulação com
departamentos, professores e alunos na planificação e desenvolvimento de
actividades educativas e de aprendizagem?


3ª sessão


Sessões                                      Temas

18:30       Debate em torno das sugestões apresentadas na sessão de trabalho
            autónomo
19:00       O conceito de avaliação no contexto das organizações:
            No MAABE, o professor bibliotecário efectiva uma prática avaliativa e de
            recolha de evidências contínuas (prática baseada em evidências -
            evidence based practice) e usa essas evidências junto da escola para
            demonstrar que a BE serve para alguma coisa e tem impacto na

Alexandra Lopes                                                                Página 4
Práticas e Modelos na Auto-Avaliação da BE



            formação e na aprendizagem dos alunos.
19:30       A centralidade da aplicação da Evidence-Based practice e de pesquisa/
            acção:
            Exige uma metodologia de sensibilização e de readiness, que requer:
            1. O conhecimento aprofundado do Modelo e a mobilização da equipa
            para a necessidade de fazer diagnósticos/ avaliar o impacto e o valor da
            BE na escola que serve.
            2. Jornadas formativas para a escola. Definição precisa de conceitos e
            processos cuja calendarização deve ser previamente definida.
            3. A comunicação constante com o órgão directivo, justificando a
            necessidade e o valor da implementação do processo de avaliação.
            4. A apresentação e discussão do processo no Conselho Pedagógico.
            5. A criação de instrumentos de divulgação (Cartazes, folhetos, página
            da biblioteca, Facebook, correio electrónico, outros…) com o objectivo de
            alertar a comunidade e informá-la acerca de um processo que envolve
            todos.
            6. Aproximação/ diálogo com departamentos e professores. Criação e
            difusão de informação/ calendarização sobre o processo e sobre o
            contributo de cada um no processo.
            .
20:00       Intervalo
20:20       Reflexão como aplicar o processo de recolha de evidências, medição,
            avaliação do valor e da qualidade:
            Identifica-se um problema;
               Recolhem-se evidências;
               Avaliam-se, interpretam-se as evidências recolhidas;
               Procura-se extrair conhecimento que oriente futuras acções e que
            delineie caminhos.
21;00       Apresentação das conclusões

Tema de trabalho autónomo: Elaborar um texto sobre o processo de recolha de
evidências.

4ª sessão


Sessões                                            Temas

18:30       Debate em torno das sugestões apresentadas na sessão de trabalho
            autónomo
19:00       Apresentação - Integração/ Aplicação à realidade da escola/ biblioteca
            escolar.
19:30       “Professores Bibliotecários Escolares: resultados da
            aprendizagem e prática baseada em evidências”

            Competências do professor bibliotecário
            Liderança Informada
            Liderança Determinada
            Liderança Estratégica
            Liderança Colaborativa

Alexandra Lopes                                                                Página 5
Práticas e Modelos na Auto-Avaliação da BE



            Liderança Criativa
            Liderança Renovável
            Liderança Sustentável

20:00       Intervalo
20:20       Debate - Oportunidades e constrangimentos.
            Como optimizar o processo?
            Definir oportunidades e constrangimentos e estabelecer fins e
            objectivos, operacionalizando-os em planos que realizam as estratégias;
21;00       Apresentação das conclusões


Tema de trabalho autónomo: Esquematizar o papel da BE no Agrupamento


5ª sessão


Sessões                                      Temas

18:30       Debate em torno das sugestões apresentadas na sessão de trabalho
            autónomo
19:00       Gestão participada das mudanças que a sua aplicação impõe.
19:30       Implementação do processo
20:00       Intervalo
20:20       Debate - Níveis de participação da escola.
            Estabelecer linhas orientadoras dos planos de
            acção, de modo a que estejam concertadas com a estratégia da escola e
            também
            com os factores críticos de sucesso;
21:00       Apresentação das conclusões

Tema de trabalho autónomo: breve relatório sobre o workshop




Alexandra Lopes                                                                Página 6

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Analise Critica Mavbe
Analise Critica MavbeAnalise Critica Mavbe
Analise Critica Mavbe
Antonio Tavares
 
Workshop 1ª Parte
Workshop 1ª ParteWorkshop 1ª Parte
Workshop 1ª Parte
MARIA NOGUE
 
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamentoIntegração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Maria Da Graça Gonçalves
 
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]
franciscarolla
 
MAABE-Metodologias e Operacionalização -(1.ª parte)
MAABE-Metodologias e Operacionalização -(1.ª parte)MAABE-Metodologias e Operacionalização -(1.ª parte)
MAABE-Metodologias e Operacionalização -(1.ª parte)
Manuela Mantas
 
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes SilvaAuto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
lurdesilva
 
Auto Avali Be
Auto Avali BeAuto Avali Be
Auto Avali Be
jebrites
 
Analise Critica Maabe Manuela Varejao
Analise Critica Maabe Manuela VarejaoAnalise Critica Maabe Manuela Varejao
Analise Critica Maabe Manuela Varejao
Manuela Varejao
 
Nelida nabais forum_2_analise_critica_ao_modelo_de_auto_avaliacao[1]
Nelida nabais forum_2_analise_critica_ao_modelo_de_auto_avaliacao[1]Nelida nabais forum_2_analise_critica_ao_modelo_de_auto_avaliacao[1]
Nelida nabais forum_2_analise_critica_ao_modelo_de_auto_avaliacao[1]
nelidavbn
 
Workshop 2ª Parte
Workshop 2ª ParteWorkshop 2ª Parte
Workshop 2ª Parte
MARIA NOGUE
 
Plano De Avaliacao Dominio C
Plano De  Avaliacao  Dominio  CPlano De  Avaliacao  Dominio  C
Plano De Avaliacao Dominio C
Gloria Lopes
 
Apres Modelo Aval Biblio
Apres Modelo Aval BiblioApres Modelo Aval Biblio
Apres Modelo Aval Biblio
guest18311b1
 
Mabe -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
Mabe  -problematicas_e_conceitos_implicados_novoMabe  -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
Mabe -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
candidamatos
 
4ºSessãO Metodologias De OperacionalizaçãO
4ºSessãO Metodologias De OperacionalizaçãO4ºSessãO Metodologias De OperacionalizaçãO
4ºSessãO Metodologias De OperacionalizaçãO
marta.medeiro
 
Tarefa 2 Analise Critica Mod Auto Av
Tarefa 2   Analise Critica Mod Auto AvTarefa 2   Analise Critica Mod Auto Av
Tarefa 2 Analise Critica Mod Auto Av
aevisobibliovis
 
AnáLise CríTica Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
AnáLise CríTica Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Das BeAnáLise CríTica Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
AnáLise CríTica Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
guest7716cf
 
Trabalho sessao 2_maria_jose_bernardes
Trabalho sessao 2_maria_jose_bernardesTrabalho sessao 2_maria_jose_bernardes
Trabalho sessao 2_maria_jose_bernardes
Thumbelina17
 
Tarefa 2 AnáLise CríTica
Tarefa 2   AnáLise CríTicaTarefa 2   AnáLise CríTica
Tarefa 2 AnáLise CríTica
Hélia Jacob
 

Mais procurados (18)

Analise Critica Mavbe
Analise Critica MavbeAnalise Critica Mavbe
Analise Critica Mavbe
 
Workshop 1ª Parte
Workshop 1ª ParteWorkshop 1ª Parte
Workshop 1ª Parte
 
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamentoIntegração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
 
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]
O Modelo De Auto Avaliacao Da Biblioteca Escolar[1]
 
MAABE-Metodologias e Operacionalização -(1.ª parte)
MAABE-Metodologias e Operacionalização -(1.ª parte)MAABE-Metodologias e Operacionalização -(1.ª parte)
MAABE-Metodologias e Operacionalização -(1.ª parte)
 
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes SilvaAuto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
 
Auto Avali Be
Auto Avali BeAuto Avali Be
Auto Avali Be
 
Analise Critica Maabe Manuela Varejao
Analise Critica Maabe Manuela VarejaoAnalise Critica Maabe Manuela Varejao
Analise Critica Maabe Manuela Varejao
 
Nelida nabais forum_2_analise_critica_ao_modelo_de_auto_avaliacao[1]
Nelida nabais forum_2_analise_critica_ao_modelo_de_auto_avaliacao[1]Nelida nabais forum_2_analise_critica_ao_modelo_de_auto_avaliacao[1]
Nelida nabais forum_2_analise_critica_ao_modelo_de_auto_avaliacao[1]
 
Workshop 2ª Parte
Workshop 2ª ParteWorkshop 2ª Parte
Workshop 2ª Parte
 
Plano De Avaliacao Dominio C
Plano De  Avaliacao  Dominio  CPlano De  Avaliacao  Dominio  C
Plano De Avaliacao Dominio C
 
Apres Modelo Aval Biblio
Apres Modelo Aval BiblioApres Modelo Aval Biblio
Apres Modelo Aval Biblio
 
Mabe -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
Mabe  -problematicas_e_conceitos_implicados_novoMabe  -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
Mabe -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
 
4ºSessãO Metodologias De OperacionalizaçãO
4ºSessãO Metodologias De OperacionalizaçãO4ºSessãO Metodologias De OperacionalizaçãO
4ºSessãO Metodologias De OperacionalizaçãO
 
Tarefa 2 Analise Critica Mod Auto Av
Tarefa 2   Analise Critica Mod Auto AvTarefa 2   Analise Critica Mod Auto Av
Tarefa 2 Analise Critica Mod Auto Av
 
AnáLise CríTica Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
AnáLise CríTica Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Das BeAnáLise CríTica Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
AnáLise CríTica Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
 
Trabalho sessao 2_maria_jose_bernardes
Trabalho sessao 2_maria_jose_bernardesTrabalho sessao 2_maria_jose_bernardes
Trabalho sessao 2_maria_jose_bernardes
 
Tarefa 2 AnáLise CríTica
Tarefa 2   AnáLise CríTicaTarefa 2   AnáLise CríTica
Tarefa 2 AnáLise CríTica
 

Destaque

Leer En Familia
Leer En FamiliaLeer En Familia
Leer En Familia
jime9nez
 
A
AA
ComentáRio Tó Zé Forum Matriz Tarefa 2
ComentáRio   Tó Zé Forum Matriz Tarefa 2ComentáRio   Tó Zé Forum Matriz Tarefa 2
ComentáRio Tó Zé Forum Matriz Tarefa 2
bibliotecaescolarsalazar
 
Lectura
LecturaLectura
Lectura
agostinab
 
Los nativos digitales y la alfabetización informacional: desafíos y reflexion...
Los nativos digitales y la alfabetización informacional: desafíos y reflexion...Los nativos digitales y la alfabetización informacional: desafíos y reflexion...
Los nativos digitales y la alfabetización informacional: desafíos y reflexion...
Richard Chiroque Solano
 
BSP Pharmaceuticals
BSP PharmaceuticalsBSP Pharmaceuticals
BSP Pharmaceuticals
Valeria Mancini
 
Store design
Store designStore design
Store design
Sagar Gadekar
 
Sugestoes de leitura1
Sugestoes de leitura1Sugestoes de leitura1
Sugestoes de leitura1
Formadoras
 
Blos pq como para que
Blos pq como para queBlos pq como para que
Blos pq como para que
FabiolaDelMouro
 
web2
 web2 web2
web2
zicoset
 

Destaque (10)

Leer En Familia
Leer En FamiliaLeer En Familia
Leer En Familia
 
A
AA
A
 
ComentáRio Tó Zé Forum Matriz Tarefa 2
ComentáRio   Tó Zé Forum Matriz Tarefa 2ComentáRio   Tó Zé Forum Matriz Tarefa 2
ComentáRio Tó Zé Forum Matriz Tarefa 2
 
Lectura
LecturaLectura
Lectura
 
Los nativos digitales y la alfabetización informacional: desafíos y reflexion...
Los nativos digitales y la alfabetización informacional: desafíos y reflexion...Los nativos digitales y la alfabetización informacional: desafíos y reflexion...
Los nativos digitales y la alfabetización informacional: desafíos y reflexion...
 
BSP Pharmaceuticals
BSP PharmaceuticalsBSP Pharmaceuticals
BSP Pharmaceuticals
 
Store design
Store designStore design
Store design
 
Sugestoes de leitura1
Sugestoes de leitura1Sugestoes de leitura1
Sugestoes de leitura1
 
Blos pq como para que
Blos pq como para queBlos pq como para que
Blos pq como para que
 
web2
 web2 web2
web2
 

Semelhante a Tarefa 1 unidade_2

Sintese da sessao_3-_drelvt3
Sintese da sessao_3-_drelvt3Sintese da sessao_3-_drelvt3
Sintese da sessao_3-_drelvt3
alexandranuneslopes
 
Workshop Auto AvaliaçãO Be
Workshop   Auto AvaliaçãO   BeWorkshop   Auto AvaliaçãO   Be
Workshop Auto AvaliaçãO Be
bibliotecaescolarsalazar
 
Plano Do Workshop
Plano Do WorkshopPlano Do Workshop
Plano Do Workshop
Fernanda Esberard
 
Plano Do Workshop
Plano Do WorkshopPlano Do Workshop
Plano Do Workshop
Fernanda Esberard
 
Plano Do Workshop
Plano Do WorkshopPlano Do Workshop
Plano Do Workshop
Fernanda Esberard
 
Workshop
WorkshopWorkshop
Workshop
sandrinhalopes
 
Plano - Workshop
Plano - WorkshopPlano - Workshop
Plano - Workshop
rosarioduarte
 
Plano - Workshop
Plano - WorkshopPlano - Workshop
Plano - Workshop
rosarioduarte
 
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamentoIntegração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Maria Da Graça Gonçalves
 
Sintese3 O Modelo De Auto Avaliacao Das B Es No Contexto Da Escola Agrupamen...
Sintese3 O Modelo De Auto Avaliacao Das B Es No Contexto Da Escola  Agrupamen...Sintese3 O Modelo De Auto Avaliacao Das B Es No Contexto Da Escola  Agrupamen...
Sintese3 O Modelo De Auto Avaliacao Das B Es No Contexto Da Escola Agrupamen...
Ana Cristina Matias
 
O Modelo de Auto-Avaliação da BE_CPedagógico_ESAA_200809
O Modelo de Auto-Avaliação da BE_CPedagógico_ESAA_200809O Modelo de Auto-Avaliação da BE_CPedagógico_ESAA_200809
O Modelo de Auto-Avaliação da BE_CPedagógico_ESAA_200809
Julieta Silva
 
Mabe -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
Mabe  -problematicas_e_conceitos_implicados_novoMabe  -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
Mabe -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
candidamatos
 
Modelo AA da BE
Modelo AA da BEModelo AA da BE
Modelo AA da BE
Sílvia Baltazar
 
Apresentação do Modelo Auto-avaliação da BE ao CP
Apresentação do  Modelo  Auto-avaliação da BE ao CPApresentação do  Modelo  Auto-avaliação da BE ao CP
Apresentação do Modelo Auto-avaliação da BE ao CP
Lurdes Meneses
 
Trabalho 2
Trabalho 2Trabalho 2
Trabalho 2
jorgemferreira
 
Sintese T3 Sessao 4
Sintese T3 Sessao 4Sintese T3 Sessao 4
Sintese T3 Sessao 4
rbento
 
MAA ao Conselho Pedagógico
MAA ao Conselho PedagógicoMAA ao Conselho Pedagógico
MAA ao Conselho Pedagógico
Biblideias
 
Auto AvaliçãO Da Be Eb 2,3 Dr. A.R.P.
Auto AvaliçãO Da Be   Eb 2,3 Dr. A.R.P.Auto AvaliçãO Da Be   Eb 2,3 Dr. A.R.P.
Auto AvaliçãO Da Be Eb 2,3 Dr. A.R.P.
rbento
 
Workshop Formativo De ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO
Workshop Formativo De ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãOWorkshop Formativo De ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO
Workshop Formativo De ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO
paulaferraz
 
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das BeApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
isabelborges1962
 

Semelhante a Tarefa 1 unidade_2 (20)

Sintese da sessao_3-_drelvt3
Sintese da sessao_3-_drelvt3Sintese da sessao_3-_drelvt3
Sintese da sessao_3-_drelvt3
 
Workshop Auto AvaliaçãO Be
Workshop   Auto AvaliaçãO   BeWorkshop   Auto AvaliaçãO   Be
Workshop Auto AvaliaçãO Be
 
Plano Do Workshop
Plano Do WorkshopPlano Do Workshop
Plano Do Workshop
 
Plano Do Workshop
Plano Do WorkshopPlano Do Workshop
Plano Do Workshop
 
Plano Do Workshop
Plano Do WorkshopPlano Do Workshop
Plano Do Workshop
 
Workshop
WorkshopWorkshop
Workshop
 
Plano - Workshop
Plano - WorkshopPlano - Workshop
Plano - Workshop
 
Plano - Workshop
Plano - WorkshopPlano - Workshop
Plano - Workshop
 
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamentoIntegração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
Integração do modelo de auto avaliação na escola.agrupamento
 
Sintese3 O Modelo De Auto Avaliacao Das B Es No Contexto Da Escola Agrupamen...
Sintese3 O Modelo De Auto Avaliacao Das B Es No Contexto Da Escola  Agrupamen...Sintese3 O Modelo De Auto Avaliacao Das B Es No Contexto Da Escola  Agrupamen...
Sintese3 O Modelo De Auto Avaliacao Das B Es No Contexto Da Escola Agrupamen...
 
O Modelo de Auto-Avaliação da BE_CPedagógico_ESAA_200809
O Modelo de Auto-Avaliação da BE_CPedagógico_ESAA_200809O Modelo de Auto-Avaliação da BE_CPedagógico_ESAA_200809
O Modelo de Auto-Avaliação da BE_CPedagógico_ESAA_200809
 
Mabe -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
Mabe  -problematicas_e_conceitos_implicados_novoMabe  -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
Mabe -problematicas_e_conceitos_implicados_novo
 
Modelo AA da BE
Modelo AA da BEModelo AA da BE
Modelo AA da BE
 
Apresentação do Modelo Auto-avaliação da BE ao CP
Apresentação do  Modelo  Auto-avaliação da BE ao CPApresentação do  Modelo  Auto-avaliação da BE ao CP
Apresentação do Modelo Auto-avaliação da BE ao CP
 
Trabalho 2
Trabalho 2Trabalho 2
Trabalho 2
 
Sintese T3 Sessao 4
Sintese T3 Sessao 4Sintese T3 Sessao 4
Sintese T3 Sessao 4
 
MAA ao Conselho Pedagógico
MAA ao Conselho PedagógicoMAA ao Conselho Pedagógico
MAA ao Conselho Pedagógico
 
Auto AvaliçãO Da Be Eb 2,3 Dr. A.R.P.
Auto AvaliçãO Da Be   Eb 2,3 Dr. A.R.P.Auto AvaliçãO Da Be   Eb 2,3 Dr. A.R.P.
Auto AvaliçãO Da Be Eb 2,3 Dr. A.R.P.
 
Workshop Formativo De ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO
Workshop Formativo De ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãOWorkshop Formativo De ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO
Workshop Formativo De ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO
 
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das BeApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Das Be
 

Mais de alexandranuneslopes

Conto matilde rosa-araujo-misterios
Conto matilde rosa-araujo-misteriosConto matilde rosa-araujo-misterios
Conto matilde rosa-araujo-misterios
alexandranuneslopes
 
Omeninodoespelho
OmeninodoespelhoOmeninodoespelho
Omeninodoespelho
alexandranuneslopes
 
James e o pessego gigante
James e o pessego giganteJames e o pessego gigante
James e o pessego gigante
alexandranuneslopes
 
Filha dos mundos
Filha dos mundosFilha dos mundos
Filha dos mundos
alexandranuneslopes
 
Ai quiseste ir de ferias
Ai quiseste ir de feriasAi quiseste ir de ferias
Ai quiseste ir de ferias
alexandranuneslopes
 
Christmas cards 8_e
Christmas cards 8_eChristmas cards 8_e
Christmas cards 8_e
alexandranuneslopes
 
Christmas traditions 8_e
Christmas traditions 8_eChristmas traditions 8_e
Christmas traditions 8_e
alexandranuneslopes
 
Piratas e corsários
Piratas e corsáriosPiratas e corsários
Piratas e corsários
alexandranuneslopes
 
O barco de chocolate
O barco de chocolateO barco de chocolate
O barco de chocolate
alexandranuneslopes
 
Actividades aprendermais 1_periodo
Actividades aprendermais 1_periodoActividades aprendermais 1_periodo
Actividades aprendermais 1_periodo
alexandranuneslopes
 
Resumo datado do paa
Resumo datado do paaResumo datado do paa
Resumo datado do paa
alexandranuneslopes
 
Reflexão+final
Reflexão+finalReflexão+final
Reflexão+final
alexandranuneslopes
 
Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011
alexandranuneslopes
 
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopesTabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
alexandranuneslopes
 
Manifestoportuguese brazil
Manifestoportuguese brazilManifestoportuguese brazil
Manifestoportuguese brazil
alexandranuneslopes
 
Analise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externaAnalise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externa
alexandranuneslopes
 
Comentario critico 7 sessao
Comentario critico 7 sessaoComentario critico 7 sessao
Comentario critico 7 sessao
alexandranuneslopes
 
Informeapeialfin
InformeapeialfinInformeapeialfin
Informeapeialfin
alexandranuneslopes
 
Comentario critico 7 sessao
Comentario critico 7 sessaoComentario critico 7 sessao
Comentario critico 7 sessao
alexandranuneslopes
 
Analise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externaAnalise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externa
alexandranuneslopes
 

Mais de alexandranuneslopes (20)

Conto matilde rosa-araujo-misterios
Conto matilde rosa-araujo-misteriosConto matilde rosa-araujo-misterios
Conto matilde rosa-araujo-misterios
 
Omeninodoespelho
OmeninodoespelhoOmeninodoespelho
Omeninodoespelho
 
James e o pessego gigante
James e o pessego giganteJames e o pessego gigante
James e o pessego gigante
 
Filha dos mundos
Filha dos mundosFilha dos mundos
Filha dos mundos
 
Ai quiseste ir de ferias
Ai quiseste ir de feriasAi quiseste ir de ferias
Ai quiseste ir de ferias
 
Christmas cards 8_e
Christmas cards 8_eChristmas cards 8_e
Christmas cards 8_e
 
Christmas traditions 8_e
Christmas traditions 8_eChristmas traditions 8_e
Christmas traditions 8_e
 
Piratas e corsários
Piratas e corsáriosPiratas e corsários
Piratas e corsários
 
O barco de chocolate
O barco de chocolateO barco de chocolate
O barco de chocolate
 
Actividades aprendermais 1_periodo
Actividades aprendermais 1_periodoActividades aprendermais 1_periodo
Actividades aprendermais 1_periodo
 
Resumo datado do paa
Resumo datado do paaResumo datado do paa
Resumo datado do paa
 
Reflexão+final
Reflexão+finalReflexão+final
Reflexão+final
 
Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011
 
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopesTabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
 
Manifestoportuguese brazil
Manifestoportuguese brazilManifestoportuguese brazil
Manifestoportuguese brazil
 
Analise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externaAnalise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externa
 
Comentario critico 7 sessao
Comentario critico 7 sessaoComentario critico 7 sessao
Comentario critico 7 sessao
 
Informeapeialfin
InformeapeialfinInformeapeialfin
Informeapeialfin
 
Comentario critico 7 sessao
Comentario critico 7 sessaoComentario critico 7 sessao
Comentario critico 7 sessao
 
Analise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externaAnalise relatorios av.externa
Analise relatorios av.externa
 

Tarefa 1 unidade_2

  • 1. 9 de Novembro Workshop formativo 2010 Workshop formativo de apresentação do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares do Agrupamento Elias Garcia
  • 2. Práticas e Modelos na Auto-Avaliação da BE Sessão 2: O Modelo de Auto-Avaliação. Problemáticas e conceitos implicados Tarefas 1 Workshop formativo de apresentação do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares Elias Garcia Data: de 9 de Novembro a 7 Dezembro Hora: das 18:30 às 21:30 Local: Biblioteca Escolar Elias Garcia Duração: 15 horas presenciais + 5 de trabalho autónomo Dinamizadoras: Professoras bibliotecárias Intervenientes: Equipa da biblioteca, membros do Conselho Pedagógico, coordenadores de Área de Projecto e de Estudo Acompanhado, coordenador de Ensino Especial, representante da Associação de Pais Objectivos 1 Tomar conhecimento do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: problemáticas e conceitos implicados 2 Identificar o conceito de Evidence-Based practice e de pesquisa/ acção 3 Reconhecer a relevância da Avaliação da biblioteca escolar Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares - Objectivos e processos implicados. 4 Reconhecer a Qualidade e Inovação como conceitos centrais. 5 Contribuir para a implementação do processo de auto-avaliação (pressupõe o necessário envolvimento de todos) Temas abordados: Sessões Tema Recursos duração 1 - Pertinência da existência de um Powerpoint 3 horas Modelo de Avaliação para as Projector bibliotecas escolares. 2 - O Modelo enquanto instrumento Projector 3 horas pedagógico e de melhoria. Powerpoint Conceitos implicados: Valor; auto-avaliação;processo; instrumento pedagógico Alexandra Lopes Página 2
  • 3. Práticas e Modelos na Auto-Avaliação da BE 3 O conceito de avaliação no Projector 3 horas contexto das organizações: Powerpoint 4 - Integração/ Aplicação à realidade Projector 3 horas da escola/ biblioteca escolar. Powerpoint Oportunidades e constrangimentos. 5 - Gestão participada das mudanças Projector 3 horas que a sua aplicação impõe. Níveis Powerpoint de participação da escola. Plano de trabalho 1ª sessão Sessões Temas 18:30 Apresentação dos participantes e dos dinamizadores 19:00 MAABE – o que é? Missão da biblioteca escolar no contexto do agrupamento e que a relacionam com as aprendizagens, com o desenvolvimento curricular e com o sucesso educativo. Domínios - Integração na escola e no processo de ensino/Aprendizagem - Acesso. Qualidade da Colecção - Gestão da BE Processo; - Identificação de um problema ou de um desafio; - Recolha de evidências; - Interpretação da informação recolhida; - Realização das mudanças necessárias; - Recolha de novas evidências acerca do impacto dessas mudanças. 19:30 Vantagens do MAABE espaço com oportunidades de leitura e aprendizagem acrescidas; espaço valorizado e usado pela escola: o professor bibliotecário e a escola desenvolvem um trabalho planeado, integrado nos objectivos funcionais e de ensino, com impacto no funcionamento global da escola e nas aprendizagens. 20:00 Intervalo 20:20 Reflexão sobre a situação actual da BE – pontos fortes e fracos/ o que há a melhorar 21:00 Apresentação das conclusões Alexandra Lopes Página 3
  • 4. Práticas e Modelos na Auto-Avaliação da BE Sugestão de trabalho autónomo: reflexão crítica sobre a situação actual da BE nas seguintes áreas : 1. Aprendizagem 2. Acesso. Qualidade da Colecção 3. Gestão da BE 2ª sessão Sessões Temas 18:30 Debate em torno das sugestões apresentadas na sessão de trabalho autónomo 19:00 Apresentação - O Modelo enquanto instrumento pedagógico e de melhoria de melhoria. A avaliação não é um fim em si mesma. É um processo de melhoria que deve facultar informação de qualidade capaz de apoiar a tomada de decisão. Os resultados devem ser partilhados com o director, ser divulgados e discutidos nos órgãos de gestão pedagógica. 19:30 Factores críticos à sua apropriação e implementação: É fundamental que o Modelo: - se assuma como um instrumento agregador, capaz de unir a escola e a equipa em torno do valor da BE; - Se assuma como instrumento de mudança e de melhoria da qualidade do funcionamento das bibliotecas escolares - Tenha pontos de intersecção com a avaliação da escola 20:00 Intervalo 20:20 Reflexão sobre o necessário envolvimento de todos 21;00 Apresentação das conclusões Sugestão de trabalho autónomo: Como conseguir a necessária articulação com departamentos, professores e alunos na planificação e desenvolvimento de actividades educativas e de aprendizagem? 3ª sessão Sessões Temas 18:30 Debate em torno das sugestões apresentadas na sessão de trabalho autónomo 19:00 O conceito de avaliação no contexto das organizações: No MAABE, o professor bibliotecário efectiva uma prática avaliativa e de recolha de evidências contínuas (prática baseada em evidências - evidence based practice) e usa essas evidências junto da escola para demonstrar que a BE serve para alguma coisa e tem impacto na Alexandra Lopes Página 4
  • 5. Práticas e Modelos na Auto-Avaliação da BE formação e na aprendizagem dos alunos. 19:30 A centralidade da aplicação da Evidence-Based practice e de pesquisa/ acção: Exige uma metodologia de sensibilização e de readiness, que requer: 1. O conhecimento aprofundado do Modelo e a mobilização da equipa para a necessidade de fazer diagnósticos/ avaliar o impacto e o valor da BE na escola que serve. 2. Jornadas formativas para a escola. Definição precisa de conceitos e processos cuja calendarização deve ser previamente definida. 3. A comunicação constante com o órgão directivo, justificando a necessidade e o valor da implementação do processo de avaliação. 4. A apresentação e discussão do processo no Conselho Pedagógico. 5. A criação de instrumentos de divulgação (Cartazes, folhetos, página da biblioteca, Facebook, correio electrónico, outros…) com o objectivo de alertar a comunidade e informá-la acerca de um processo que envolve todos. 6. Aproximação/ diálogo com departamentos e professores. Criação e difusão de informação/ calendarização sobre o processo e sobre o contributo de cada um no processo. . 20:00 Intervalo 20:20 Reflexão como aplicar o processo de recolha de evidências, medição, avaliação do valor e da qualidade: Identifica-se um problema; Recolhem-se evidências; Avaliam-se, interpretam-se as evidências recolhidas; Procura-se extrair conhecimento que oriente futuras acções e que delineie caminhos. 21;00 Apresentação das conclusões Tema de trabalho autónomo: Elaborar um texto sobre o processo de recolha de evidências. 4ª sessão Sessões Temas 18:30 Debate em torno das sugestões apresentadas na sessão de trabalho autónomo 19:00 Apresentação - Integração/ Aplicação à realidade da escola/ biblioteca escolar. 19:30 “Professores Bibliotecários Escolares: resultados da aprendizagem e prática baseada em evidências” Competências do professor bibliotecário Liderança Informada Liderança Determinada Liderança Estratégica Liderança Colaborativa Alexandra Lopes Página 5
  • 6. Práticas e Modelos na Auto-Avaliação da BE Liderança Criativa Liderança Renovável Liderança Sustentável 20:00 Intervalo 20:20 Debate - Oportunidades e constrangimentos. Como optimizar o processo? Definir oportunidades e constrangimentos e estabelecer fins e objectivos, operacionalizando-os em planos que realizam as estratégias; 21;00 Apresentação das conclusões Tema de trabalho autónomo: Esquematizar o papel da BE no Agrupamento 5ª sessão Sessões Temas 18:30 Debate em torno das sugestões apresentadas na sessão de trabalho autónomo 19:00 Gestão participada das mudanças que a sua aplicação impõe. 19:30 Implementação do processo 20:00 Intervalo 20:20 Debate - Níveis de participação da escola. Estabelecer linhas orientadoras dos planos de acção, de modo a que estejam concertadas com a estratégia da escola e também com os factores críticos de sucesso; 21:00 Apresentação das conclusões Tema de trabalho autónomo: breve relatório sobre o workshop Alexandra Lopes Página 6