Os Três Portinhos

13.700 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.700
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os Três Portinhos

  1. 1. Era uma vez três porquinhos, e um grande lobo mau. Os três porquinhos viviam com a mãe, numa linda casinha no sopé de um monte. O lobo mau vivia sozinho numa casa no alto do monte. Um dia, a mãe dos porquinhos disse-lhe: “ Meninos, chegou a ocasião de se desembaraçarem sozinhos. E de construir as vossas casinhas. “ “ Realmente é altura.” Disse o porquinho mais velho , ” De nos desembaraçarmos”, disse o porquinho do meio, ” E de construir as nossas próprias casinhas”, disse o porquinho mais novo. Então, os três porquinhos arrumaram as suas coisas e deixaram a casinha do sopé da colina. “ Adeus, meus filhos”, disse-lhe a mãe. “ E não se esqueçam das minhas recomendações – cuidado com o lobo mau! O seu petisco favorito são porcos pequeninos”.
  2. 2. “ C de cuidado ”, disse o porquinho mais velho “ F de feroz”, disse o porquinho do meio. “ L de lobo”, disse o porquinho mais novo. E os porquinhos partiram, muito contentes dizendo adeus a mãe. Algum tempo depois chegaram a uma encruzilhada. “ Eu vou por aqui para construir a minha casa” disse o porquinho mais velho. “ Eu vou por ali para construir a minha casa” disse o porquinho do meio. “ E eu vou construir a minha casa aqui mesmo ” disse o porquinho mais novo. O porquinho mais novo fez a sua casa de palha. Um, dois, três, zás, trás, pás! A casa ficou pronta num abrir e fechar de olhos. Mas não era uma casa nada resistente, nem bem feita. “ Que diferença faz?” pensou o porquinho. “ Não estou para trabalhar o dia inteiro. Quero mas é ir cantar e dançar!” e assim fez .
  3. 3. <ul><li>MAS… ALGUÉM o espiava do alto do monte. </li></ul><ul><li>Alguém cujo petisco favorito era…porquinhos gorduchos. </li></ul><ul><li>O porquinho do meio fez a sua casa de estacas. </li></ul><ul><li>Um, dois, três, zás, trás, pás! </li></ul><ul><li>Foi um instante enquanto a acabou. </li></ul><ul><li>“ Que diferença faz?”, pensou o porquinho. </li></ul><ul><li>“ Não estou para trabalhar o dia inteiro. Quero mas é ir cantar e dançar!” </li></ul><ul><li>E foi isso mesmo que fez. </li></ul><ul><li>MAS… ALGUÉM o espiava do alto do monte. </li></ul><ul><li>Alguém cujo petisco favorito era…porquinhos gorduchos. </li></ul><ul><li>O porquinho mais velho construiu a sua casa de tijolos. </li></ul><ul><li>Teve muito mais trabalho que os irmãos. </li></ul><ul><li>Fez o soalho de madeira. </li></ul><ul><li>Carpinteirou a porta. </li></ul><ul><li>Pacientemente, uniu os tijolos um a um com argamassa. </li></ul><ul><li>No telhado colocou uma chaminé. </li></ul><ul><li>Quando terminou, a casa ficou muito bem feita. </li></ul><ul><li>E muito sólida e resistente. </li></ul><ul><li>“ Agora posso, finalmente, descansar e divertir-me” </li></ul><ul><li>E assim fez. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>MAS… ALGUÉM o espiava do alto do monte. </li></ul><ul><li>Alguém cujo petisco favorito era…porquinhos gorduchos. </li></ul><ul><li>No dia seguinte, ALGUÉM desceu o monte. </li></ul><ul><li>O LOBO MAU. </li></ul><ul><li>Dirigiu-se a casa de palhas. </li></ul><ul><li>E bateu a porta. </li></ul><ul><li>“ Porquinho, porquinho, deixa-me entrar” disse ele. </li></ul><ul><li>O porquinho mais novo espreitou pela janela e viu o lobo mau. </li></ul><ul><li>“ Pelos meus presuntos, garanto-te que não te deixo entrar”. </li></ul><ul><li>“ Se não abres, encho-me de ar, sopro e derrubo-te a casa”, disse o lobo. </li></ul><ul><li>Encheu o peito de ar, soprou e a frágil casa de palha desapareceu. </li></ul><ul><li>O porquinho mal teve tempo de se escapar. </li></ul><ul><li>Correu, então, a refugiar-se na casa de estacas do irmão. </li></ul><ul><li>“ Socorro, socorro! O lobo mau vem atrás de mim”, gritou. </li></ul><ul><li>O porquinho do meio abriu-lhe a porta rapidamente e deixou-o entrar. </li></ul><ul><li>O lobo mau resolveu, então disfarçar-se com uma pele de carneiro. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>O lobo mau resolveu, então disfarçar-se com uma pele de carneiro. </li></ul><ul><li>E foi bater a porta da casa de estacas. </li></ul><ul><li>“ Porquinhos, porquinhos, deixem-me entrar” disse ele com uma voz muito fininha. </li></ul><ul><li>“ Quem és tu?”, perguntou o porquinho do meio. </li></ul><ul><li>“ Sou um carneirinho”, disse o lobo em voz suave. </li></ul><ul><li>Os dois porquinhos espreitaram pela janela e viram o focinho do lobo por baixo da pele do carneiro. </li></ul><ul><li>“ Pelos meus presuntos, garanto-te que não te deixo entrar ”. </li></ul><ul><li>“ Se não abres, encho-me de ar, sopro e derrubo-te a casa”, disse o lobo. </li></ul><ul><li>Encheu o peito de ar e soprou. </li></ul><ul><li>Tornou a encher o peito de ar e a soprar. </li></ul><ul><li>E a frágil casa de estacas ficou desfeita. </li></ul><ul><li>Os dois porquinhos mal tiveram tempo de escapar. </li></ul><ul><li>Correram então a refugiar-se na casa de tijolos do irmão mais velho. </li></ul><ul><li>“ Socorro, socorro! O lobo feroz vem atrás de nós”. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>O porquinho mais velho deixou-os entrar rapidamente e fechou a porta à chave. </li></ul><ul><li>O lobo chegou logo a seguir. E começou a bater a porta. </li></ul><ul><li>“ Porquinhos, porquinhos, deixem-me entrar” dizia ele. </li></ul><ul><li>“ Pelos meus presuntos, garanto-te que não te deixo entrar”, disse o porquinho mais velho. </li></ul><ul><li>“ Se não abres, encho-me de ar, sopro e derrubo-te a casa”, disse o lobo. </li></ul><ul><li>Os dois porquinhos mais novos ficaram cheios de medo mas o irmão mais velho sossegou-os: ”Não tenham medo, o lobo mau não é capaz de destruir esta casa. É muito resistente”. </li></ul><ul><li>“ Assopra a vontade”, disse ele ao lobo ,”Assopra ate rebentares. Não nos metes medo nenhum”. </li></ul><ul><li>O lobo começou… </li></ul><ul><li>Encheu o peito de ar e soprou. </li></ul><ul><li>Tornou a encher o peito de ar e a soprar. </li></ul><ul><li>Encheu. Assoprou. Encheu. Assoprou… </li></ul><ul><li>Assoprou… </li></ul><ul><li>Já tinha o focinho mais vermelho que um tomate e as orelhas roxas como beringelas. </li></ul><ul><li>Os olhos enchiam-se de lágrimas. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Mas…apesar disso… </li></ul><ul><li>Não conseguia nem fazer estremecer a casa de tijolos! </li></ul><ul><li>O lobo mau estava furioso! </li></ul><ul><li>Fosse como fosse, ele tinha de deitar a pata aos porquinhos. </li></ul><ul><li>“ Já sei o que vou fazer”, disse com os seus botões. </li></ul><ul><li>“ Vou subir pelos tijolos até ao telhado e depois desço pela chaminé!” </li></ul><ul><li>Mas os três porquinhos ouviram o lobo no telhado. </li></ul><ul><li>“ Está em cima do telhado”, disse o porquinho mais novo. </li></ul><ul><li>“ Vai descer pela chaminé”, disse o porquinho do meio. </li></ul><ul><li>O porquinho mais velho então disse: </li></ul><ul><li>“ Tragam depressa uma panela cheia de água a ferver!” </li></ul><ul><li>E os irmãos obedeceram. </li></ul><ul><li>Estava mesmo a ferver! </li></ul><ul><li>Puseram-na na chaminé. </li></ul><ul><li>O lobo desceu pela chaminé… </li></ul><ul><li>CATRAPUZ! Caiu direitinho na panela. </li></ul><ul><li>“ Socorro! Acudam! Vou ficar cozido!” , gritava o lobo. </li></ul><ul><li>Quando conseguiu sair da panela o lobo fugiu a correr. </li></ul><ul><li>Correu, correu, coreu e só parou quando se viu na sua casa. </li></ul><ul><li>E nunca mais voltou a descer o monte. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>E nunca mais voltou a descer o monte. </li></ul><ul><li>O lobo ainda vive na sua casa no alto do monte. </li></ul><ul><li>Vive sozinho. </li></ul><ul><li>Continua a ser lobo, mas já não é tão mau. </li></ul><ul><li>E nunca mais quis comer porquinhos. </li></ul><ul><li>Os três porquinhos vivem agora, todos juntos na casa de tijolos. </li></ul><ul><li>Vivem muito felizes e todos os dias cantam e dançam: </li></ul><ul><li>“ Quem tem medo o lobo mau? </li></ul><ul><li>O lobo? Que venha cá! </li></ul><ul><li>Quem tem medo o lobo mau </li></ul><ul><li>Trás – lá – lá - lá – lá - lá – lá !.” </li></ul>

×