Projecto de Intervenção Cultural “ Um Museu de se lhe tirar o chapéu” Alexandra  Alves Arquitecta Margarida Coelho Dr.ª In...
Identificação e caracterização da Instituição   Nome da instituição:  Museu da Industria Chapeleira   Morada: Museu da Ind...
<ul><li>Empresa Industrial de Chapelaria </li></ul><ul><li>Foi fundada em 1914 por António José Oliveira Júnior, figura gr...
<ul><li>Comissão de trabalho </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>A Câmara Municipal convidou um conjunto de técnicos e i...
<ul><li>História Do Chapéu </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>A palavra  CHAPÉU  provém do latim antigo &quot;cappa&quo...
<ul><li>Objectivos a Cumprir </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Pretendo:  </li></ul><ul><li>Divulgar e difundir o novo...
Localização espacial:  Tecido urbano, numa antiga malha industrial,     Localização do Museu da Indústria Chapeleira
<ul><li>Concepção do projecto de intervenção cultural </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Resultados esperados </li></ul...
Possibilidades de fazer parte de um programa comunitário   Ao integrar os antigos funcionários da fábrica, este projecto i...
CRONOGRAMAS
Desenho pré - definido 8 8 8 7 7 48 lugares sentados Público em geral  Convidados estrangeiros Convidados Nacionais REGIE ...
<ul><li>Dia do desfile </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Manhã </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Chegada dos maneq...
<ul><li>O Desfile </li></ul><ul><li>    20 manequins – 14 femininos e 6 masculinos.  </li></ul><ul><li>Chapéus da colecção...
<ul><li>Um dia após o desfile (dia 15 de Junho) </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Desmontagem do desfile </li></ul><ul...
Custos com o pessoal       Recursos Humanos Nª de Pessoas Tarefa Tempo afecto ao Projecto Total pago por mês Total pago   ...
Técnico Superior 2ª classe 1 Conhecimento de línguas, Atendimento ao público. 1 dia € 1241.32 p/ mês 1241.32/22= € 56.43 p...
Fornecimentos de Serviços Externos F.S.E. Total pago Subcontratos [1] €  17770.72 Electricidade €  1083.75 Combustíveis € ...
Subsídios à exploração Outros Proveitos Operacionais RUBRICAS VALOR Estados e outros Entes públicos   Câmara Municipal (SJ...
Receitas Geradas FONTES Valor unitário Qt à venda Receita total Lucro Bilhetes €  3 500 €  1500 €  1325 Catálogos €  7.50 ...
RÚBRICAS ABRIL MAIO JUNHO CUSTOS       Fornecimento de serviços externos       Subcontratos       Representação Miguel Vie...
Rendas e Alugueres       Florista Orquídea     €  174.213 Projectores (Pacpi.com)     €  300 Som e iluminação(Acústica)   ...
RÚBRICAS ABRIL MAIO JUNHO PROVEITOS       Subsídios à Exploração ]       Câmara Municipal (S.J.M.) €  516.34 €  987.27 €  ...
Trabalho realizado por: Alexandra Alves A Moda vai revolucionar a cidade de S. João da Madeira!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projecto De Intervenção Cultural - Museu da Chapelaria

2.937 visualizações

Publicada em

Apresentação do trabalho académico da disciplina Gestão Cultural 3º ano do curso de Gestão do Património.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.937
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
68
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projecto De Intervenção Cultural - Museu da Chapelaria

  1. 1. Projecto de Intervenção Cultural “ Um Museu de se lhe tirar o chapéu” Alexandra Alves Arquitecta Margarida Coelho Dr.ª Inês Pinho Dr.º António Guedes
  2. 2. Identificação e caracterização da Instituição   Nome da instituição: Museu da Industria Chapeleira   Morada: Museu da Indústria Chapeleira Rua Oliveira Júnior 3700 São João da Madeira   Horário de Funcionamento: ainda não está definido Propriedade: Câmara Municipal de São João da Madeira Morada: Câmara Municipal de S. João da Madeira Av. da Liberdade 3700 S. João da Madeira   Responsável pela coordenação da equipa de trabalho: Dr.ª Susana Menezes Telefone da Câmara: 256200200                
  3. 3. <ul><li>Empresa Industrial de Chapelaria </li></ul><ul><li>Foi fundada em 1914 por António José Oliveira Júnior, figura grata a S. João da Madeira e a quem foi atribuído pelo governo de então o diploma de Mérito Industrial e Agrícola. </li></ul><ul><li>Inovadora ao nível das técnicas de fabrico e sempre actualizada perante as necessidades de mercado. </li></ul><ul><li>Foi responsável pela introdução do chapéu de lã merina (lã fina), o chamado &quot;chapéu da moda&quot;. </li></ul><ul><li>A partir da I Guerra Mundial. Com o decorrer dos anos S. João da Madeira torna-se o principal centro de chapelaria do País. </li></ul><ul><li>Encerrada em 1995, a Empresa Industrial de Chapelaria acompanhou toda a história desta indústria, reflectindo naturalmente as suas épocas de prosperidade e declínio, e ficou para sempre associada à imagem da fábrica que empregou e formou gerações sucessivas de chapeleiros que lhe devotaram uma vida inteira de trabalho. </li></ul>Museu da Indústria Chapeleira S. João da Madeira ciente de que a sua “mais valia”, quer em termos de desenvolvimento económico e social, quer de afirmação externa, tem residido na capacidade industrial do concelho, optou pela preservação deste tipo de património criando assim o Museu da Indústria Chapeleira.
  4. 4. <ul><li>Comissão de trabalho </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>A Câmara Municipal convidou um conjunto de técnicos e investigadores para trabalharem em conjunto e prepararem o Programa Museológico e o Programa de Intervenção arquitectónica no edifício que vai albergar: </li></ul><ul><ul><li>A coordenação científica do projecto que está a cargo do Professor Sérgio Lira, docente na Universidade Fernando Pessoa. </li></ul></ul><ul><ul><li>No que diz respeito, ao Projecto educativo do Museu, é responsável a Dr.ª Ermelinda Silva, docente na Escola EB2, 3 de S. João da Madeira. </li></ul></ul><ul><ul><li>A investigação antropológica está a ser realizada pela Dr.ª Clotilde Oliveira, assim como por dois alunos finalistas do curso de antropologia da Universidade Fernando Pessoa, a Marta Vaz e o Pedro Malaquias. </li></ul></ul><ul><ul><li>O Projecto de arquitectura é da Arquitecta Susana Fernandes, funcionária da Câmara Municipal. </li></ul></ul><ul><ul><li>A pesquisa de arquivo é da responsabilidade da técnica de arquivo Graça Oliveira, funcionária da Biblioteca Municipal. </li></ul></ul>
  5. 5. <ul><li>História Do Chapéu </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>A palavra CHAPÉU provém do latim antigo &quot;cappa&quot;, &quot;capucho&quot; que significa peça usada para cobrir a cabeça. </li></ul><ul><li>Apareceu por volta do ano 4.000 a.C. no antigo Egipto e na Grécia quando o uso de faixas na cabeça tinha a finalidade de prender e proteger o cabelo. </li></ul><ul><li>Mais tarde vieram os turbantes, as tiaras e as coroas, usadas por nobres. </li></ul><ul><li>O primeiro chapéu efectivamente usado foi o &quot;PÉTASO&quot; por volta do ano 2.000 a.C. </li></ul><ul><li>Na Antiga Roma (por volta do ano 1.000 a.C.), os escravos eram proibidos de usar chapéus. Quando eram libertados passavam a adoptar uma espécie de chapéu semelhante ao barrete, em sinal de liberdade. </li></ul><ul><li>Identificação do projecto </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Direccionado para o dia da inauguração do futuro Museu da Industria de Chapeleira. </li></ul><ul><li>Concepção e organização de: Porto de Honra, visita guiada ao museu, desfile de moda </li></ul><ul><li>A moda é hoje em dia um meio apelativo, logo este projecto servirá de chamamento. Será possível estender este projecto em vários meses e fazendo divulgação de vários estabelecimentos comerciais entre outros novos talentos da cidade. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Objectivos a Cumprir </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Pretendo: </li></ul><ul><li>Divulgar e difundir o novo museu; </li></ul><ul><li>Demostrar a importância do chapéu para a cidade de S. João da Madeira; </li></ul><ul><li>Fazer reviver os velhos tempos dos antigos funcionários, com a ajuda dos seus conhecimentos na matéria. </li></ul>Localização   Localização do projecto: Museu da Indústria Chapeleira  
  7. 7. Localização espacial: Tecido urbano, numa antiga malha industrial,     Localização do Museu da Indústria Chapeleira
  8. 8. <ul><li>Concepção do projecto de intervenção cultural </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Resultados esperados </li></ul><ul><li>Uma maior sensibilização por parte do público em relação ao novo museu. </li></ul><ul><li>Captar a atenção do público para um museu relacionado com a indústria característica da cidade – a chapelaria. </li></ul><ul><li>Com a ajuda deste projecto sendo este, de interesse comum, penso que atrairá o público para visitar/utilizar o museu, as suas instalações e os seus serviços. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Destinatários </li></ul><ul><li>Pessoas interessadas pelo tema do Chapéu, antigos funcionários, indústrias paralelas, etc. </li></ul><ul><li>Com a ajuda da divulgação feita para o dia da inauguração pretendo atingir destinatários de várias zonas periféricas. </li></ul><ul><li>Escolas para reavivar as memórias no presente prolongado – as no futuro. </li></ul><ul><li>   </li></ul><ul><li>Actividade a realizar </li></ul><ul><li>Uma visita guiada ao museu (exposição permanente, instalações) </li></ul><ul><li>Participação dos antigos funcionários da fábrica para explicarem o processo de funcionamento das máquinas e dar mais vida aqueles monstros de ferro. </li></ul><ul><li>Um desfile de moda duma colecção de Miguel Vieira </li></ul>
  9. 9. Possibilidades de fazer parte de um programa comunitário   Ao integrar os antigos funcionários da fábrica, este projecto irá contribuir para um aumento da auto – estima dessas pessoas e mesmo realçar – se perante os seus familiares e amigos. Também poderá ser encaixado num programa comunitário visto, a moda ser algo de apelativo e assim convidar não só á visita do desfile como também do museu e dos seus serviços. Noutra perspectiva, podemos encarar este projecto como comunitário se se o tornasse, um hábito da agenda cultura da cidade. Logo poderia divulgar novos talentos da zona. Metodologia Utilizada Entrevistas realizadas: Equipa Miguel Vieira -----> informações sobre desfiles, material necessários e manequins. Susana Meneses encarregues dos assuntos do Museu. todos os intervenientes da parte do Orçamento ------> carpinteiro, designer, vidraria, florista, hotel, loja de informática, etc.
  10. 10. CRONOGRAMAS
  11. 11. Desenho pré - definido 8 8 8 7 7 48 lugares sentados Público em geral Convidados estrangeiros Convidados Nacionais REGIE CAMARINS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
  12. 12. <ul><li>Dia do desfile </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Manhã </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Chegada dos manequins e outros serviços necessários </li></ul><ul><li>Ensaios na passarela e delegação das roupas e dos chapéus </li></ul><ul><li>Últimos retoques na música, luz e som. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Almoço </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Ao 12.30 a equipa de trabalho e manequins almoçam no Hotel Dighton. </li></ul><ul><li>O almoço será oferecido pelo restaurante em troca de publicidade no catálogo do desfile. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Tarde </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Ensaios </li></ul><ul><li>Limpeza nas instalações durante 2 horas </li></ul><ul><li>Jantar por conta própria, das 19:00 às 20:30 </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Porto de honra </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>O porto de honra, é no bar / restaurante do Museu, pelas 21 horas com o serviço do Hotel Dighton. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>O Desfile </li></ul><ul><li>  20 manequins – 14 femininos e 6 masculinos. </li></ul><ul><li>Chapéus da colecção (Chapéus de todo o mundo) oferecida à Câmara de S. João da Madeira. </li></ul><ul><li>A abertura do desfile é feita pelo Director do Museu; pela coordenadora do projecto e pelo presidente da Câmara de São João da Madeira que irá fazer um breve discurso. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Final do Desfile </li></ul><ul><li>  No final do evento, o público que não assistiu à visita no início poderá visitar naquele momento. Após tudo isto, estarão à disposição do público 4 livros para dedicatórias, na recepção. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Acolhimento do público em geral </li></ul><ul><li>  O visitante efectuará o pagamento do bilhete (3€). </li></ul><ul><li>De seguida, início da visita -----> antigos funcionários da fábrica. </li></ul><ul><li>Entrega de um conjunto de informações cedidas pela Câmara, e publicidade dos patrocinadores. </li></ul><ul><li>  Abertura do desfile </li></ul><ul><li>  O Director do Museu de Indústria Chapeleira e a Coordenadora </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Um dia após o desfile (dia 15 de Junho) </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Desmontagem do desfile </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>A desmontagem do desfile e limpeza </li></ul><ul><li>3 funcionários da Câmara para a desmontagem dos materiais </li></ul><ul><li>Empresa de som vem recuperar os aparelhos de som, cedidos em troca de publicidade. </li></ul><ul><li>Recuperação das plantas, levantamento dos projectores e do computador </li></ul><ul><li>Material de carpintaria, ----->armazém da Câmara </li></ul>RECURSOS HUMANOS
  15. 15. Custos com o pessoal       Recursos Humanos Nª de Pessoas Tarefa Tempo afecto ao Projecto Total pago por mês Total pago   Técnico Superior 2ª classe (coordenadora) 1 Selecção; material; Textos; Entrevistas; Contactos Comunicação aos média; Acolhimento do público; Abertura do desfile. 92 dias (3 meses) € 1’241.32 p/mês   1’241.32/22= € 56.43 p/dia   92 x 56.43= € 5191.56 € 5191.56 Director do Museu da Indústria Chapeleira 1 Comunicação aos média; Abertura do desfile. 2 dias € 2543.87/mês 2543.87/22= 115.63 /dia 2dias x115.63= €231.26 € 231.26 Assistente administrativo 1 Elaboração dos textos; convites, Todas as questões administravas (patrocínios, reservas, tesouraria) com o apoio do coordenador   80 dias € 548.68 /mês 548.68/22 dias = € 24.94 /dia 80 x 24.94 = € 1995.2 € 1995.2
  16. 16. Técnico Superior 2ª classe 1 Conhecimento de línguas, Atendimento ao público. 1 dia € 1241.32 p/ mês 1241.32/22= € 56.43 p/dia 1 x 56.43= € 56.43 € 56.43 Técnico profissional de 2ª classe 1 Venda de catálogos; bilhetes. 1 dia € 667.21 p/ mês 667.21 / 22= € 30.33 p/ dia € 30.33 Servente/ auxiliar de limpeza 3 de limpeza 3 serventes Assegurar a limpeza do espaço do desfile, casas de banho, bengaleiro, restaurante, guiché. Os serventes estão encarregues do posicionamento das mesas, das cadeiras, entre outro material necessário. 4 dias € 548.68 /mês 548.68/22 = € 24.94 /dia 6x24.94 = € 149.64 € 149.64 Segurança 3 Estarem atentos a qualquer movimento suspeito; assegurar toda a protecção ao desfile, aos manequins e aos convidados. 1 dia € 598.56 /mês 598.56/22 = € 27.21 /dia € 27.21         Total = € 7681.63
  17. 17. Fornecimentos de Serviços Externos F.S.E. Total pago Subcontratos [1] € 17770.72 Electricidade € 1083.75 Combustíveis € 51.98 Água e saneamento € 261.3 Material de escritório [2] € 60 Rendas e Alugueres [3] € 874.22 Comunicações [4] € 1237.34 Trabalhos especializados [5] € 2449.98 TOTAL € 23789.29
  18. 18. Subsídios à exploração Outros Proveitos Operacionais RUBRICAS VALOR Estados e outros Entes públicos   Câmara Municipal (SJM) € 23881.9 Museu da Ind. Chapeleira € 440 TOTAL € 24321.9 RUBRICAS VALOR Vidraria Mota € 242.42 Fiat Punto € 875.25 Computador (Pacpi.com) € 100 Hotel Dighton (almoço) € 1160 WhY Not? (Dinheiro) € 500 TOTAL € 2877.67
  19. 19. Receitas Geradas FONTES Valor unitário Qt à venda Receita total Lucro Bilhetes € 3 500 € 1500 € 1325 Catálogos € 7.50 250 € 1875 € 737.5
  20. 20. RÚBRICAS ABRIL MAIO JUNHO CUSTOS       Fornecimento de serviços externos       Subcontratos       Representação Miguel Vieira     € 9975.96 Agência de Modelos     € 4963 Designer + Tipografia     € 2008.26 Empresa de Estilisno (fardas)     € 623.5 Hotel Dighton (Porto Honra)   € 200   Electricidade € 325.13 € 325.13 € 361.25 Combustíveis € 17.06 € 14.96 € 19.95 Água e saneamento € 124.43 € 124.43 € 136.87 Material de escritório € 20 € 20 € 20
  21. 21. Rendas e Alugueres       Florista Orquídea     € 174.213 Projectores (Pacpi.com)     € 300 Som e iluminação(Acústica)     € 400 Comunicação       Correios     € 883.2 Telefone € 29.72 € 29.72 € 27.11 Envelopes (envio de convites)   € 273   Limpeza, higiene e conforto [1]     € 35 Trabalhos especializados       Carpinteiro     € 2449.98 Restaurante       TOTAL DOS CUSTOS € 516.34 € 987.24 € 22378.29
  22. 22. RÚBRICAS ABRIL MAIO JUNHO PROVEITOS       Subsídios à Exploração ]       Câmara Municipal (S.J.M.) € 516.34 € 987.27 € 22378.29 Museu da Indústria Chapeleira € 440 € 440 € 440 Outros Prov. Operacionais       Vidraria Mota     € 242.42 Computador (Pacpi.com)     € 100 Hotel Dighton (almoço)   € 1160   Fiat Punto     € 875.25 Why Not     € 500 TOTAL DOS PROVEITOS € 956.34 € 2587.27 € 24535.96 TOTAL DOS CUSTOS E PROVEITOS € 1472.68 € 3574.51 € 46914.25
  23. 23. Trabalho realizado por: Alexandra Alves A Moda vai revolucionar a cidade de S. João da Madeira!

×