Apostila banco do brasil 2012 e 2013 by robustter downloads

5.080 visualizações

Publicada em

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.080
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
217
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila banco do brasil 2012 e 2013 by robustter downloads

  1. 1. www.zipconcursos.com.br
  2. 2. ÍndiceBanco do BrasilEscriturárioEDITAL Nº 3 –2012/003 –BB, DE 19.10.2012ARTIGO DO WILLIAM DOUGLASPORTUGUÊSGramática (fonética, morfologia e sintaxe: construção frasal, concordância, regência, colocação, emprego e acentuação015159626678838997103RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO011821334650525558ATUALIDADES DO MERCADO FINANCEIRO010913Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  3. 3. ÍndiceCULTURA ORGANIZACIONAL01010202030611121417TÉCNICAS DE VENDAS010309101212161617222324ATENDIMENTO0102030404101011DOMÍNIO PRODUTIVO DA INFORMÁTICAEditor de Texto: edição e formatação de textos (operações do menu: Formatar, Inserir tabelas, Exibir - cabeçalho e01Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  4. 4. Didatismo e ConhecimentoÍndice03030418275367Conceitos de tecnologias relacionadas à Internet e Intranet, Protocolos Web, World Wide Web, Navegador Internet75100108118115116117118CONHECIMENTOS BANCÁRIOS0101Produtos Bancários: Noções de cartões de crédito e débito, crédito direto ao consumidor, crédito rural, caderneta de04101112131426PROVAANTERIORProva Anterior 01Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  5. 5. Didatismo e ConhecimentoArtigoO conteúdo do artigo abaixo é de responsabilidade do autor William Douglas, autorizado gentilmente e sem cláusulade exclusividade, para uso do Grupo Nova.O conteúdo das demais informações desta apostila é de total responsabilidade da equipe do Grupo Nova.CASO ENCERRADO –PARTE IIPor William Douglas, professor, escritor e juiz federal.Se você não leu a coluna da semana passada, leia, pois a de hoje é sua continuação e fechamento. O tema é sobre a utilidade dese dar um “caso”por “encerrado”.Vamos começar pelos casos pessoais: Separações, prejuízos, falências, traições, doença e morte são fatos corriqueiros da vida. Pormais dolorosos que seja, e são, seria imaturidade esperar que passaríamos pela vida sem sermos alcançados por esses acontecimentos.Eles simplesmente fazem parte da vida. Todo mundo passa por isso.É preciso se lembrar que o melhor conceito de felicidade lembra que ela não decorre das circunstâncias, mas da nossa atitudediante das circunstâncias. Se você passou por situações como essa, lamento, mas... bem-vindo ao planeta, à realidade.Fui traído muitas vezes, quebrei negócios por culpa minha, por culpa de sócios, por culpa do governo, minha mãe morreu dew2=o0p-- não adianta, é preciso, como se diz, “levantar,No caso das provas, todos os exemplos dados na semana passada fazem parte do chamado “sistema do concurso público”. Pormais que a Administração Pública, o MP, O Judiciário, a Imprensa, a sociedade procure melhorar o sistema, sempre haverá falhas. Asolução sempre é continuar estudando, fazendo as provas, se aperfeiçoando e seguindo em frente. Sempre haverá vaga para quem fazEm meu livro “A Arte da Guerra para Provas e Concursos”digo que “o único concurso onde você não pode ser reprovado é oúltimo que você for fazer”, em um dos meus mantras reforço ainda que “concurso não se faz para passar, mas até passar”, e que “ador é temporária, mas o cargo é para sempre”.As reprovações e até mesmo algumas injustiças fazem parte do percurso dos concursos públicos. A aprovação, nomeação eruim –é encerrar este capítulo e continuar os estudos. Da prova passada leve apenas a experiência para a próxima! Deixe de lado afrustração e o desânimo.Não desperdice energia emocional, psíquica, com o que já passou e não volta mais. Para sua vida melhorar, junte o que tem hoje(no agora, não no ontem) e vá em direção ao futuro.que podem ensinar como agir melhor no futuro.A vida “é como um vapor que aparece por um pouco e logo desaparece”. Por isso mesmo, crie um carimbo mental de “casoencerrado”para usar quando for necessário. Eu não sei onde você precisa bater esse carimbo... mas você sabe.Encerre alguns “casos”para ter tempo e energia para cuidar da sua vida e do seu futuro.Vou citar mais um pouco do livro:sucedidas investem no longo prazo? Será que elas passam seus dias comprometidas a criar , ou um sucessofeito para durar? Quando nos dispomos a deixar algo para trás, o ciclo é quebrado e ganhamos a liberdade. Caso encerrado.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  6. 6. Didatismo e ConhecimentoArtigo‘O que isso exige, na maior parte das vezes, é que deixemos para lá a história do que aconteceu e nossa ligação com ela. De fato,quando deixamos tudo para rãs, partimos livres para o futuro. Compreendemos que somos maiores do que aquilo que nos aconteceu’,sustenta a reverenda.”Se você tiver alguma situação na qual essa conversa for aplicável ou útil, por favor escreva para mim. Não publico historias deninguém sem autorização, não se preocupe. Quem quiser compartilhar suas experiências, avise; quem não quiser, eu manterei sigilo,lerei o que for escrito e estarei orando para que Deus te abençoe. Utilize o meu site ou minha comunidade no Orkut, ok?Em conclusão, ao criar o carimbo mental do “caso encerrado”e utilizá-lo, você estará se ajudando. Como aponto em meu livrovocê mesmo! Conhecer-se é fundamental para adequar-se à rotina de estudos. Muitas vezes, será preciso abrir mão de festas, hábitose excesso de contato com amigos, o que também pode ser uma hipótese de “dar casos por encerrado”. Tenha um limite saudável parao lazer e o que passar disso é ... “caso encerrado”.Se quiser, converse abertamente com seu cônjuge e/ou sua família sobre seus planos, sobre como o apoio deles pode ser importantepara você. Além disso, encerre alguns assuntos e toque a vida para frente.O budismo cita o princípio do vácuo, onde é preciso criar espaço para que coisas novas surjam. Para isso, é preciso jogar foraaquilo que é “velho”. A Bíblia também usa uma metáfora, a das roupas: “quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem,que se corrompe pelas concupiscências do engano; E vos renoveis no espírito da vossa mente; E vos revistais do novo homem (...)”(Efésios 4:22-24). Jesus chegou a dizer que não se coloca vinho novo em odres velhos. Um novo tempo precisa de um novo espaço,roupa, acondicionamento, atitude.apreciar melhor o presente e a semear melhor o futuro. O carimbo de “caso encerrado”não deve tirar o “caso encerrado”do seuarquivo de vida e de aprendizado, mas pelo menos o tira da mesa de trabalho. É como uma carga que você deixa de levar sobre seusombros.Com abraço,William Douglas*William Douglas é juiz federal, professor universitário, palestrante e autor de mais de 30 obras, dentre elas o best-seller“Como passar em provas e concursos”. Passou em 9 concursos, sendo 5 em 1º Lugarwww.williamdouglas.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  7. 7. PORTUGUÊSApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  8. 8. Didatismo e Conhecimento 1PORTUGUÊSGRAMÁTICA (FONÉTICA, MORFOLOGIAE SINTAXE: CONSTRUÇÃO FRASAL, CON-CORDÂNCIA, REGÊNCIA, COLOCAÇÃO,EMPREGO E ACENTUAÇÃO GRÁFICA).Fonética: Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sis-tema sonoro de um idioma. Ao estudar a maneira como os fones-- Letra e Fonema;- Encontro Vocálicos e Consonantais;- Sílaba;- Pontuação (veremos nos tópicos seguintes).Morfologia: Em Linguística, Morfologia é o estudo da estru--te e não dentro da sua participação na frase ou período. A morfolo-gia está agrupada em dez classes, denominadas classes de palavrasou classes gramaticais. São elas: Substantivo, Artigo, Adjetivo,Numeral, Pronome, Verbo, Advérbio, Preposição, Conjunção eInterjeição.- Estrutura da Palavras;- Classes de Palavras;Sintaxe: A Sintaxe é a parte da gramática que estuda a dispo-sição das palavras na frase e a das frases no discurso, bem como arelação lógica das frases entre si. Ao emitir uma mensagem verbal,-sível. Para isso, as palavras são relacionadas e combinadas entre si.A sintaxe é um instrumento essencial para o manuseio satisfatóriodas múltiplas possibilidades que existem para combinar palavrase orações.- Análise Sintática;- Concordância Nominal e Verbal (veremos nos tópicos se-guintes);- Regência Nominal e Verbal (veremos nos tópicos seguintes);- Crase.Letra e FonemaLetraFonema é o menor elemento sonoro capaz de estabelecer uma-nemas que marcam a distinção entre os pares de palavras:bar –mar tela –vela sela –salaNão confunda os fonemas com as letras. Fonema é um ele--ma. Nem sempre o número de fonemas de uma palavra correspon-de ao número de letras que usamos para escrevê-la. Na palavrasonoras [xuva] e cinco letras.Certos fonemas podem ser representados por diferentes letras.É o caso do fonema /s/, que pode ser representado por: s (pensar) –ss (passado) –x (trouxe) –ç (caçar) –sc (nascer) –xc (excelente)–c (cinto) –sç (desço)Às vezes, a letra “x”pode representar mais de um fonema,como na palavra táxi. Nesse caso, o “x”representa dois sons, poislemos “táksi”. Portanto, a palavra táxi tem quatro letras e cincofonemas.indicar a nasalização de uma vogal, como em canto, tinta, etc.Vogais: são fonemas resultantes das vibrações das cordas vo-cais e em cuja produção a corrente de ar passa livremente na cavi-dade bucal. As vogais podem ser orais e nasais.Orais: quando a corrente de ar passa apenas pela cavidade bu-cal. São elas: a, é, ê, i, ó, ô, u. Exemplos: já, pé, vê, ali, pó, dor, uva.Nasais: quando a corrente de ar passa pela cavidade bucal enasal. A nasalidade pode ser indicada pelo til (~) ou pelas letras ne m. Exemplos: m e, venda, lindo, pomba, nunca.Observação: As vogais ainda podem ser tônicas ou átonas, de-pendendo da intensidade com que são pronunciadas. A vogal tôni-ca é pronunciada com maior intensidade: café, bola, vidro. A vogalátona é pronunciada com menor intensidade: café, bola, vidro.Semivogais: são os fonemas /i/ e /u/ quando, juntos de umavogal, formam com ela uma mesma sílaba. Observe, por exemplo,a palavra papai. Ela é formada de duas sílabas: pa-pai. Na sílabapai, o fonema vocálico /i/ não é tão forte quanto o fonema vocálico/a/; nesse caso, o /i/ é semivogal.Consoantes: são os fonemas em que a corrente de ar, emitidapara sua produção, teve de forçar passagem na boca, onde deter-gato, pena, la o.Encontro Vocálicos- Ditongos: é o encontro de uma vogal e uma semivogal (ouvice-versa) numa mesma sílaba. Exemplos: pai (vogal + semivo-gal = ditongo decrescente); ginásio (semivogal + vogal = ditongocrescente).- Tritongos: é o encontro de uma semivogal com uma vogal eoutra semivogal numa mesma sílaba. Exemplo: Paraguai.- Hiatos: é a sequência de duas vogais numa mesma palavravogal numa sílaba. Exemplos: saída (sa-í-da), juiz (ju-iz)Encontro Consonantais-mediária. Exemplos: or, grade, digno.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  9. 9. Didatismo e Conhecimento 2PORTUGUÊSDígrafosGrupo de duas letras que representa apenas um fonema.Exemplos: passo (ss = fonema /s/), nascimento (sc = fonema /s/),queijo (qu = fonema /k/)Os dígrafos podem ser consonantais e vocálicos.- Consonantais:(guerra)- Vocálicos: am, an (tampa, canto), em, en (tempo, vento), im,in (limpo, cinto), om, on (comprar, tonto), um, un (tumba, mundo)Atenção: nos dígrafos, as duas letras representam um só fone-ma; nos encontros consonantais, cada letra representa um fonema.Observe de acordo com os exemplos que o número de letras efonemas não precisam ter a mesma quantidade.som.tem som.único som.único som.- Nascimento: 10 letras e 8 fonemas, já que não se pronunciao “s”e o “en”tem um único som.som e o “rr”também tem um único som.som.Repare que através do exemplo a mudança de apenas uma le-tra ou fonema gera novas palavras: C a v a l o / C a v a d o / C a l ad o / C o l a d o / S o l a d o.Exercícios01. A palavra que apresenta tantos fonemas quantas são as le-tras que a compõem é:a) importânciac) sequerd) técnicae) adolescente02. Em qual das palavras abaixo a letra x apresenta não um,mas dois fonemas?a) exemplob) complexoc) próximosd) executivoe) luxo03. Qual palavra possui dois dígrafos?a) feb) sombrad) correndoe) pêssego-a) jamais / Deus / luar / daíc) ódio / saguão / leal / poeirab) 12c) 11-mente:08. O “I”não é semivogal em:a) Papaib) Azuisc) Médioe) Heróia) muito, faísca, balaústre.b) guerreiro, gratuito, intuito.d) tua, lua, nua.e) n.d.a.10. Em qual dos itens abaixo todas as palavras apresentamditongo crescente:a) Lei, Foice, Roubob) Muito, Alemão, Viuc) Linguiça, História, Áread) Herói, Jeito, Quiloe) Equestre, Tênue, RibeirãoApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  10. 10. Didatismo e Conhecimento 3PORTUGUÊSRespostas:alternativas, tem-se: a) 10 fone02-B (a palavra complexo, o x equivale ao fonema /ks/).SílabaA palavra amor está dividida em grupos de fonemas pronun-ciados separadamente: a - mor. A cada um desses grupos pronun-ciados numa só emissão de voz dá-se o nome de sílaba. Em nossalíngua, o núcleo da sílaba é sempre uma vogal: não existe sílabaDessa forma, para sabermos o número de sílabas de uma palavra,devemos perceber quantas vogais tem essa palavra. Atenção: asletras i e u (mais raramente com as letras e e o) podem representarsemivogais.- Monossílabas: possuem apenas uma sílaba. Exemplos: mãe,- Dissílabas: possuem duas sílabas. Exemplos: ca-fé, i-ra, a-í,trans-por;- Trissílabas: possuem três sílabas. Exemplos: ci-ne-ma, pró--xi-mo, pers-pi-caz, O-da-ir;- Polissílabas: possuem quatro ou mais sílabas. Exemplos: a--ve-ni-da, li-te-ra-tu-ra, a-mi-ga-vel-men-te, o-tor-ri-no-la-rin-go--lo-gis-ta.Na divisão silábica das palavras, cumpre observar as seguin-tes normas:- Não se separam os ditongos e tritongos. Exemplos: foi-ce,a-ve-ri-guou;- Não se separam os dígrafos ch, lh, nh, gu, qu. Exemplos:cha-ve, ba-ra-lho, ba-nha, fre-guês, quei-xa;- Não se separam os encontros consonantais que iniciam síla-ba. Exemplos: psi-có-lo-go, re-fres-co;- Separam-se as vogais dos hiatos. Exemplos: ca-a-tin-ga, fi--el, sa-ú-de;- Separam-se as letras dos dígrafos rr, ss, sc, sç xc. Exemplos:car-ro, pas-sa-re-la, des-cer, nas-ço, ex-ce-len-te;- Separam-se os encontros consonantais das sílabas internas,excetuando-se aqueles em que a segunda consoante é l ou r. Exem-plos: ap-to, bis-ne-to, con-vic-ção, a-brir, a-pli-car.Acento TônicoNa emissão de uma palavra de duas ou mais sílabas, percebe-secalor - a sílaba lor é a de maior intensidade.faceiro - a sílaba cei é a de maior intensidade.sólido - a sílaba só é a de maior intensidade.Obs.: a presença da sílaba de maior intensidade nas palavras,em meio à sílabas de menor intensidade, é um dos elementos quedão melodia à frase.-Tônica: é a sílaba pronunciada com maior intensidade.- Átona: é a sílaba pronunciada com menor intensidade.- Subtônica: é a sílaba de intensidade intermediária. Ocorre,principalmente, nas palavras derivadas, correspondendo à tônicada palavra primitiva.De acordo com a posição da sílaba tônica, os vocábulos da-cados em:- Oxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a última. Exem-plos: avó, urubu, parabéns- Paroxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a penúltima.Exemplos: dócil, suavemente, banana- Proparoxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a antepenúl-tima. Exemplos: máximo, parábola, íntimoSaiba que:- São palavras oxítonas, entre outras: cateter, mister, Nobel,novel, ruim, sutil, transistor, ureter.- São palavras paroxítonas, entre outras: avaro, aziago, boê--intuito, maquinaria, meteorito, misantropo, necropsia (alguns di-cionários admitem também necrópsia), Normandia, pegada, poli-cromo, pudico, quiromancia, rubrica, subido(a).- São palavras proparoxítonas, entre outras: aerólito, bávaro,bímano, crisântemo, ímprobo, ínterim, lêvedo, ômega, pântano,.- As seguintes palavras, entre outras, admitem dupla tonici-dade:ortoépia/ortoepia, projétil/projetil, réptil/reptil, zângão/zangão.Exercícios1-Assinale o item em que a divisão silábica é incorreta:a) gra-tui-to;b) ad-vo-ga-do;c) tran-si-tó-rio;d) psi-co-lo-gi-a;e) in-ter-stí-cio.2-Assinale o item em que a separação silábica é incorreta:a) psi-có-ti-co;b) per-mis-si-vi-da-de;c) as-sem-ble-ia;d) ob-ten-ção;e) fa-mí-lia.3-Assinale o item em que todos os vocábulos têm as sílabascorretamente separadas:a) al-dei-a, caa-tin-ga , tran-si-ção;b) pro-sse-gui-a, cus-tó-dia, trans-ver-sal;c) a-bsur-do, pra-ia, in-cons-ci-ên-cia;d) o-ccip-tal, gra-tui-to, ab-di-car;e) mis-té-rio, ap-ti-dão, sus-ce-tí-vel.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  11. 11. Didatismo e Conhecimento 4PORTUGUÊSseparadas:a) a-p-ti-dão;b) so-li-tá-ri-o;c) col-me-ia;d) ar-mis-tí-cio;e) trans-a-tlân-ti-co.a) tran-sa-tlân-ti-co / de-sin-fe-tar;b) subs-ta-be-le-cer / de-su-ma-no;c) cis-an-di-no / sub-es-ti-mar;d) ab-di-ca-ção / a-bla-ti-vo;e) fri-is-si-mo / ma-ci-is-si-mo.a) mei-a / pa-ra-noi-a / ba-lai-o;b) oc-ci-pi-tal / ex-ces-so / pneu-má-ti-co;c) subs-tân-cia / pers-pec-ti-va / felds-pa-to;e) tran-sa-tlân-ti-co / trans-cen-der / tran-so-ce-â-ni-co.a) ma-qui-na-ri-a / for-tui-to;b) tun-gs-tê-nio / ri-tmo; ;d) bo-ê-mi-a / ab-scis-sa;e) coe-são / si-len-cio-so.8- Indique a alternativa em que as palavras “sussurro”, ”iguai-9- Na expressão “A icterícia nada tem a ver com hemodiáli-se ou disenteria”, as palavras grifadas apresentam-se corretamentedivididas em sílabas na alternativa:-vigente:a) es-cor-re-gou / in-crí-veis;b) in-fân-cia / cres-ci-a;c) i-dei-a / lé-guas;d) des-o-be-de-ceu / cons-tru-í-da;e) vo-ou / sor-ri-em.Respostas: 1-E / 2-C / 3-E / 4-D / 5-C / 6-D / 7-A / 8-E / 9-E/ 10-DApós vPortuguesa, a partir de 1º de Janeiro de 2009 passou a vigorar noBrasil e em todos os países da CLP (Comunidade de países deLíngua Portuguesa) o período de transição para as novas regras-se destaca por ser proferida com mais intensidade que as outras: é asílaba tônica. Nela recai o acento tônicode intensidade ou prosódico. Exemplos: café, janela, médico, es-tômago, colecionador.O acento tônico é um fato fonético e não deve ser confundido--plo: cedo, res, bote, pessoa, senhor, caju, tatus, siri, abacaxis.átonas (=fracas),e podem ser pretônicas ou postônicas, conforme estejam antes oudepois da sílaba tônica. Exemplo: montanha, facilmente, heroi-zinho.De acordo com a posição da sílaba tônica, os vocábulos comOxítonos: quando a sílaba tônica é a última: café, rapaz, es-critor, maracujá.Paroxítonos: quando a sílaba tônica é a penúltima: mesa, lá-pis, monta dade.Proparoxítonos: quando a sílaba tônica é a antepenúltima: ár-vore, quilômetro, México.Monossílabos são palavras de uma só sílaba, conforme a in-tensidade com que se proferem, podem ser tônicos ou átonos.Monossílabos tônicos são os que têm autonomia fonética, sen-do proferidos fortemente na frase em que aparecem: é, má, si, dó,nó, eu, tu, nós, ré, pôr, etc.Monossílabos átonos são os que não têm autonomia fonética,sendo proferidos fracamente, como se fossem sílabas átonas dovocábulo a que se apoiam. São palavras vazias de sentido comoartigos, pronomes oblíquos, elementos de ligação, preposições,Todos os vocábulos proparoxítonos são acentuados na vogaltônica:- Com acento agudo se a vogal tônica for i, u ou a, e, o aber-tos: xícara, úmido, queríamos, lágrima, término, déssemos, lógico,binóculo, colocássemos, inúmeros, polígono, etc.-sal: lâmpada, pêssego, esplêndido, pêndulo, lêssemos, estômago,sôfrego, fôssemos, quilômetro, sonâmbulo etc.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  12. 12. Didatismo e Conhecimento 5PORTUGUÊSVocábulos ParoxítonosAcentuam-se com acento adequado os vocábulos paroxítonosterminados em:- ditongo crescente, seguido, ou não, de s: sábio, róseo, planí-cie, nódua, Márcio, régua, árdua, espontâneo, etc.- i, is, us, um, uns: táxi, lápis, bônus, álbum, álbuns, jóquei,vôlei, fáceis, etc.etc.- ã, ãs, ão, ãos, guam, guem: ímã, ímãs, órgão, bênçãos, enxá-guam, enxáguem, etc.Não se acentua um paroxítono só porque sua vogal tônica é-Acentuam-se com acento adequado os vocábulos oxítonosterminados em:- a, e, o, seguidos ou não de s: xará, serás, pajé, freguês, vovô,cortá-los, vendê-los, compô-lo, etc.- em, ens: ninguém, armazéns, ele contém, tu conténs, ele con-vém, ele mantém, eles mantêm, ele intervém, eles intervêm, etc.Acentuam-se os monossílabos tônicos: a, e, o, seguidos ouAcentuam-se a vogal dos ditongos abertos éi, éu, ói, quandotônicos.Segundo as novas regras os ditongos abertos “éi”e “ói”nãosão mais acentuados em palavras paroxítonas: assembléia, pla-téia, idéia, colméia, boléia, Coréia, bóia, paranóia, jibóia, apóio,--noico, etc.Nos ditongos abertos de palavras oxítonas terminadas eméi, éu e ói e monossílabas--Xuí, Luís, uísque, balaústre, juízo, país, cafeína, baú, baús, Gra-instruí-la, etc.seja s: cair (ca-ir), sairmos, saindo, juiz, ainda, diurno, Raul, ruim,cauim, amendoim, saiu, contribuiu, instruiu, etc.Segundo as novas regras da Língua Portuguesa não se acen-de ditongo: baiúca, boiúna, feiúra, feiúme, bocaiúva, etc. Ficaram:baiuca, boiuna, feiura, feiume, bocaiuva, etc.perdôo, abençôo, povôo, crêem, dêem, lêem, vêem, relêem. Fi-caram: enjoo, voo, perdoo, abençoo, povoo, creem, deem, leem,veem, releem.Acento DiferencialEmprega-se o acento diferencial como sinal distintivo de vo-- pôr (verbo) - para diferenciar de por (preposição).- verbo poder (pôde, quando usado no passado)palavras forma/fôrma. Em alguns casos, o uso do acento deixa afrase mais clara. Exemplo: Qual é a forma da fôrma do bolo?Segundo as novas regras da Língua Portuguesa não existesom e sentido diferentes) como:- côa(s) (do verbo coar) - para diferenciar de coa, coas (com+ a, com + as);- pára (3ª pessoa do singular do presente do indicativo do ver-bo parar) - para diferenciar de para (preposição);- péla (do verbo pelar) e em péla (jogo) - para diferenciar depela (combinação da antiga preposição per com os artigos ou pro-nomes a, as);- pêlo (substantivo) e pélo (v. pelar) - para diferenciar de pelo(combinação da antiga preposição per com os artigos o, os);- péra (substantivo - pedra) - para diferenciar de pera (formaarcaica de para - preposição) e pêra (substantivo);- pólo (substantivo) - para diferenciar de polo (combinaçãopopular regional de por com os artigos o, os);- pôlo (substantivo - gavião ou falcão com menos de um ano) -para diferenciar de polo (combinação popular regional de por comos artigos o, os);O til sobrepõe-se às letras “a”e “o”para indicar vogal nasal.- tônica: maçã, cãibra, perdão, barões, põe, etc;- pretônica:- átona: órfãs, órgãos, bênçãos, etc.Desapareceu o trema sobre o /u/ em todas as palavras do por-tuguês: Linguiça, averiguei, delinquente, tranquilo, linguístico.Exceto as de língua estrangeira: Günter, Gisele Bü ü-leriano.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  13. 13. Didatismo e Conhecimento 6PORTUGUÊSExercíciosa) Monossílabo átono terminado em ES.b) Oxítono terminado em ESc) Monossílabo tônico terminado em Sd) Oxítono terminado em Se) Monossílabo tônico terminado em ES02- Se o vocábulo concluiuacontece com uma das seguinte formas do verbo concluir:a) concluiab) concluirmosc) concluemd) concluindoe) concluasa) sururub) petecad) mosaicoe) beriberiexceto:a) xadrezb) faiscac) reporterd) Oasise) proteinab) automóvel/fácilc) tá/jád) água/raciocínioe) alguém/comvém-b) logaritmo-urubud) carnauba-germemtrás...”(J.A. de Almei-da-Américo A. Bagaceira). Assinale o item em que nem todas aspalavras são acentuadas pelo mesmo motivo da palavra grifada notexto.a) Más –vêsb) Mês –pásc) Vós –Brásd) Pés –atráse) Dês –pésa) lapis, canoa, abacaxi, jovens,c) saudade, onix, grau, orquídeae) voo, legua, assim, tenis-das as palavras, exceto:a) jesuíta, caráterb) viúvo, sótãod) Ângela, espádua10- Até ........ momento, ........ se lembrava de que o antiquárioa) Aquêle-ninguém-baúb) Aquêle-ninguém-bauc) Aquêle-ninguem-baúd) Aquele-ninguém-baúe) Aquéle-ninguém-bauRespostas:(9-C) (10-D)uma delas. As palavras podem ser divididas em unidades menores,Vamos analisar a palavra “cachorrinhas”. Nessa palavra ob-servamos facilmente a existência de quatro elementos. São eles:cachorr - este é o elemento base da palavra, ou seja, aqueleinh - indica que a palavra é um diminutivoa - indica que a palavra é femininas - indica que a palavra se encontra no pluralMorfemas: -tem palavras que não comportam divisão em unidades menores,elementos de li-gação ou eufônicos.Raiz: É o elemento originário e irredutível em que se concentraraiz que encerra o sentido geral, comum às palavras da mesma fa-mília etimológica. Exemplo: Raiz noc [Latim nocere = prejudicar]origem comum, as palavras nocivo, nocividade, inocente, inocen-tar, inócuo, etc.Uma raiz pode sofrer alterações: at-o; at-or; at-ivo; aç-ão; ac--ionar;Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  14. 14. Didatismo e Conhecimento 7PORTUGUÊS-grupo? Você reparou que o elemento livr serve de base para o sig-o aspecto gramatical e prático. É encontrado através do despojocert-o; cert-eza; in-cert-eza.são elementos secundários (geralmente sem vida autô-noma) que se agregam a um radical ou tema para formar palavrasderivadas. Sabemos que o acréscimo do morfema “-mente”, porexemplo, cria uma nova palavra a partir de “certo”: certamente,-femas “a-”e “-ar”à forma “cert-”cria o verbo acertar. Observeque a- e -ar são morfemas capazes de operar mudança de classegramatical na palavra a que são anexados.Quando são colocados antes do radical, como acontece com“a-”, . Quando, como “-ar”,.Exemplo: in-at-ivo; em-pobr-ecer; inter-nacion-al.Desinências: -xões das palavras. Existem dois tipos:- Desinências Nominais: gênero (mas-culino e feminino) e de número (singular e plural) dos nomes.Exemplos: aluno-o / aluno-s; alun-a / aluna-s. Só podemos falarem desinências nominais de gêneros e de números em palavrasquecomo mesa, tribo, telefonema, por exemplo, não temos desinêncianominal de gênero. Já em pires, lápis, ônibus não temos desinên-cia nominal de número.- Desinências Verbais: número e pes-soa e de modo e tempo dos verbos. A desinência “-o”, presenteem “am-o”, é uma desinência número-pessoal, pois indica que overbo está na primeira pessoa do singular; “-va”, de “ama-va”, édesinência modo-temporal: caracteriza uma forma verbal do pre-térito imperfeito do indicativo, na 1ª conjugação.Vogal Temática: é a vogal que se junta ao radical, preparando-opara receber as desinências. Nos verbos, distinguem-se três vogaistemáticas:- Caracteriza os verbos da 1ª conjugação: buscar, buscavas, etc.- Caracteriza os verbos da 2ª conjugação: romper, rompemos, etc.- Caracteriza os verbos da 3ª conjugação: proibir, proibirá, etc.Tema: é o grupo formado pelo radical mais vogal temática.Nos verbos citados acima, os temas são: busca-, rompe-, proibi-As vogais e consoantes deligação são morfemas que surgem por motivos eufônicos, ou seja,para facilitar ou mesmo possibilitar a pronúncia de uma determi-vogal de ligação=i); gas-ô-metro, alv-i-negro, tecn-o-cracia, pau-l--ada, cafe-t l-eira, inset-i-cida, pe-z e-tão, etc.xistem dois processos básicos pe-los quais se formam as palavras: a Derivação e a Composição. Adiferença entre ambos consiste basicamente em que, no processode derivação, partimos sempre de um único radical, enquanto noé o processo pelo qual se obtém uma palavra nova,-terreiro, aterrar). Observamos que «mar» e «terra» não se formam-Logo, mar e terra são palavras primitivas, e as demais, derivadas.esulta do acréscimo decrer- descrer; ler- reler; capaz- incapaz.esulta de acréscimo deou mudança de classe gramatical: alfabetização. No exemplo, o-ção transforma em substantivo o verbo alfabetizar. Este,por sua vez, já é derivado do substantivo alfabeto pelo acréscimo-izar.Nominal, formando substantivos e adjetivos: papel –papela-ria; riso –risonho.Verbal, formando verbos: atual - atualizar., formando advérbios de modo: feliz –felizmente.Ocorre quando a-xo à palavra primitiva. Por meio da parassíntese formam-se nomes(substantivos e adjetivos) e verbos. Considere o adjetivo “triste”.Do radical “trist-”formamos o verbo entristecer através da junçãopalavra, pois em nossa língua não existem as palavras “entriste”,nem “tristecer”. Exemplos:mudo –palavra inicialmud –radicalalma –palavra inicialalm –radicalNão devemos confundir derivação parassintética, em que ocom casos como os das palavras desvalorização e desigualdade.-rização provém de desvalorizar, que provém de valorizar, que porsua vez provém de valor.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  15. 15. Didatismo e Conhecimento 8PORTUGUÊSÉ impossível fazer o mesmo com palavras formadas porparassíntese: não se pode dizer que expropriar provém de “pro-priar”ou de “expróprio”, pois tais palavras não existem. Logo,expropriar provém diretamente de próprio, pelo acréscimo conco-ocorre derivação regressiva quandouma palavra é formada não por acréscimo, mas por redução: com-prar (verbo), compra (substantivo); beijar (verbo), beijo (substan-tivo).Para descobrirmos se um substantivo deriva de um verbo ouse ocorre o contrário, podemos seguir a seguinte orientação:- Se o substantivo denota ação, será palavra derivada, e o ver-bo palavra primitiva.contrário.Vamos observar os exemplos acima: compra e beijo indicamações, logo, são palavras derivadas. O mesmo não ocorre, porém,com a palavra âncora, que é um objeto. Neste caso, um substanti-vo primitivo que dá origem ao verbo ancorar.Por derivação regressiva, formam-se basicamente substanti-vos a partir de verbos. Por isso, recebem o nome de substanti-vos deverbais. Note que na linguagem popular, são frequentes osexemplos de palavras formadas por derivação regressiva. o portu-ga (de português); o boteco (de botequim); o comuna (de comu-nista); agito (de agitar); amasso (de amassar); chegoO processo normal é criar um verbo a partir de um substanti-vo. Na derivação regressiva, a língua procede em sentido inverso:forma o substantivo a partir do verbo.A derivação imprópria ocorre quandodeterminada palavra, sem sofrer qualquer acréscimo ou supressãoem sua forma, muda de classe gramatical. Neste processo:Os adjetivos passam a substantivos: Os bons serão contem-plados.Os particípios passam a substantivos ou adjetivos: Aquele ga-roto alcançou um feito passando no concurso.Os substantivos passam a adjetivos: O funcionário fantasmafoi despedido; O menino prodígio resolveu o problema.Os adjetivos passam a advérbios: Falei baixo para que nin-guém escutasse.Palavras invariáveis passam a substantivos: Não entendo oporquê disso tudo.Substantivos próprios tornam-se comuns: Aquele coordena-Os processos de derivação vistos anteriormente fazem parteda Morfologia porque implicam alterações na forma das palavras.No entanto, a derivação imprópria lida basicamente com seu sig-essa razão, entendemos o motivo pelo qual é denominada “impró-pria”.é o processo que forma palavras compostas, apartir da junção de dois ou mais radicais. Existem dois tipos:ao juntarmos duas ou maispalavras ou radicais, não ocorre alteração fonética: passatempo,--terada a sonoridade da palavra.ao unirmos dois ou maisvocábulos ou radicais, ocorre supressão de um ou mais de seus+ elétrico); pla-nalto (plano alto). Ao aglutinarem-se, os componentes subordi-nam-se a um só acento tônico, o do último componente.algumas palavras apresentam, ao lado de sua for-ma plena, uma forma reduzida. Observe: auto - por automóvel;cine - por cinema; micro - por microcomputador; Zé - por José.ser citadas também as siglas, muito frequentes na comunicaçãoatual.ocorre -ção entram elementos de línguas diferentes: auto (grego) + móvel(latim).- Onomatopeia: numerosas palavras devem sua origem a uma-dos da natureza. As onomatopeias são vocábulos que reproduzemaproximadamente os sons e as vozes dos seres: miau, zumzum,-te esses morfemas produzem mudança de classe gramatical. Ose do grego, línguas em que funcionavam como preposições ou ad-pouco ou nada produtivos em português. Outros, por sua vez, tive-ram grande vitalidade na formação de novas palavras: a- , contra- ,des- , em- (ou en-) , es- , entre- re- , sub- , super- , anti-.a-, an -cia: anônimo, amoral, ateu, afônico.ana-: inversão, mudança, repetição: analogia, análise, anagra-ma, anacrônico.-: em redor, em torno, de um e outro lado, duplicidade:anti-: oposição, ação contrária: antídoto, antipatia, antagonis-ta, antítese.apo-: afastamento, separação: apoteose, apóstolo, apocalipse,apologia.arqui-, arcearquiduque, arquétipo, arcebispo, arquimilionário.cata-: movimento de cima para baixo: cataplasma, catálogo,catarata.di-: duplicidade: dissílabo, ditongo, dilema.dia-: movimento através de, afastamento: diálogo, diagonal,diafragma, diagrama.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  16. 16. Didatismo e Conhecimento 9PORTUGUÊSdisdisfasia.ec-, ex-, exo-, ecto-: movimento para fora: eclipse, êxodo, ec-toderma, exorcismo.en-, em-, e-: posição interior, movimento para dentro: encé-falo, embrião, elipse, entusiasmo.endo-: movimento para dentro: endovenoso, endocarpo, en-dosmose.epi-: posição superior, movimento para: epiderme, epílogo,eu-: excelência, perfeição, bondade: eufemismo, euforia, eu-caristia, eufonia.hemihiper -hipo -dérmico.meta-: mudança, sucessão: metamorfose, metáfora, metacarpo.para -sita, paradoxo, paradigma.peri-: movimento ou posição em torno de: periferia, peripé-cia, período, periscópio.pro-: posição em frente, anterioridade: prólogo, prognóstico,profeta, programa.pros-: adjunção, em adição a: prosélito, prosódia.proto -po, protomártir.poli-: multiplicidade: polissílabo, polissíndeto, politeísmo.sin-, sim -patia, sinopse.tele-: distância, afastamento: televisão, telepatia, telégrafo.a-, ab-, abs-: afastamento, separação: aversão, abuso, absti-nência, abstração.a-, ad-: aproximação, movimento para junto:adjunto,advogado, advir, aposto.ante-: anterioridade, procedência: antebraço, antessala, an-teontem, antever.ambi-: duplicidade: ambidestro, ambiente, ambiguidade, am-bivalente.ben(e)-, bem-: bem, excelência de fato ou ação: benefício,bendito.bis-, bi-: repetição, duas vezes: bisneto, bimestral, bisavô,biscoito.circu(m)-: movimento em torno: circunferência, circunscrito,circulação.cis-: posição aquém: cisalpino, cisplatino, cisandino.co-, con-, com- -rativa, condutor.contra-: oposição: contrapeso, contrapor, contradizer.de-: movimento de cima para baixo, separação, negação: de-capitar, decair, depor.de(s)-, di(s)-: negação, ação contrária, separação: desventura,discórdia, discussão.e-, es-, ex-: movimento para fora: excêntrico, evasão, expor-tação, expelir.en-, em-, in-: movimento para dentro, passagem para um es-tado ou forma, revestimento: imergir, enterrar, embeber, injetar,importar.extra-: posição exterior, excesso: extradição, extraordinário,extraviar.i-, in-, im-: sentido contrário, privação, negação: ilegal, im-possível, improdutivo.inter-, entre-: posição intermediária: internacional, interpla-netário.intra-: posição interior: intramuscular, intravenoso, intraverbal.intro-: movimento para dentro: introduzir, introvertido, in-trospectivo.justa-: posição ao lado: justapor, justalinear.ob-, o-: posição em frente, oposição: obstruir, ofuscar, ocupar,obstáculo.per-: movimento através: percorrer, perplexo, perfurar, per-verter.pos-: posterioridade: pospor, posterior, pós-graduado.pre-pro-: movimento para frente: progresso, promover, prosse-guir, projeção.re-: repetição, reciprocidade: rever, reduzir, rebater, reatar.retro-: movimento para trás: retrospectiva, retrocesso, retroa-gir, retrógrado.so-, sob-, sub-, su-: movimento de baixo para cima, inferiori-dade: soterrar, sobpor, subestimar.super-, supra-, sobre-: posição superior, excesso: supercílio,soto-, sota-: posição inferior: soto-mestre, sota-voga, soto-pôr.trans-, tras-, tres-, tra-: movimento para além, movimentoatravés: transatlântico, tresnoitar, tradição.ultra-: posição além do limite, excesso: ultrapassar, ultrarro-mantismo, ultrassom, ultraleve, ultravioleta.vice-, vis-: em lugar de: vice-presidente, visconde, vice-almirante.acrescentados a um radical, formam nova palavra. Sua principalcaracterística é a mudança de classe gramatical que geralmentenum contexto em que se deve usar um substantivo, por exemplo.--mamente importantes para o funcionamento da língua. São os queformam nomes de ação e os que formam nomes de agente.-ada-ança –mudança; -ância –abundância; -ção –emoção; -dão –so-lidão; -ença –presença; -ez(a) –sensatez, beleza; -ismo –civismo;-mento –casamento; -são –compreensão; -tude –amplitude; -ura–formatura.-ário(a) –secretário;-eiro(a) –ferreiro; -ista –manobrista; -or –lutador; -nte –fei-rante.-aria –-ário -eiro –açucareiro; -or –corre-dor; -tério –cemitério; -tório –dormitório.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  17. 17. Didatismo e Conhecimento 10PORTUGUÊS-aço –ricaço; -ada –papelada; -agem –-al –capinzal; -ame –gentame; -ario(a) - casario, in-fantaria; -edo –arvoredo; -eria –correria; -io -ume–negrume.-ite --oma - mioma, epitelioma, carcinoma (tumores).-ato, eto, Ito --ina --ol --ema - morfema, fonema, semema, semantema (ciência lin-guística).-io - sódio, potássio, selênio (corpos simples)sistemas políticos: - ismo: budismo, kantismo, comunismo.- -aco –maníaco; -ado –barbado; -áceo(a)- herbáceo, liláceas; -aico –prosaico; -al –anual; -ar –escolar;-ário - diário, ordinário; -ático –problemático; -az –mordaz;-engo –cruento; -eo –róseo; -esco –pito-resco; -este –agreste; -estre –terrestre; –ferrenho; -eno–terreno; -ício –alimentício; -ico –geométrico; -il –febril; -ino–cristalino; -ivo –lucrativo; –tristonho; -oso –bondoso;-udo –barrigudo.--(a)(e)(i)nte: ação, qualidade, estado – semelhante, doente,seguinte.-(á)(í)vel: possibilidade de praticar ou sofrer uma ação –lou-vável, perecível, punível.-io, -(t)ivo: ação referência, modo de ser –pensativo.-(d)iço, -(t)ício: possibilidade de praticar ou sofrer uma ação,referência –-(d)ouro,-(t)ório: ação, pertinência –casadouro, preparatório.Na Língua Portuguesa, existe apenas um“-mente”, derivado do substan-tivo feminino latino mens, mentisfeminina, para indicar circunstâncias, especialmente a de modo.Exemplos: altiva-mente, brava-mente, bondosa-mente, nervo-sa-mente, fraca-mente, pia-mente. Já os advérbios que se derivamde adjetivos terminados em –ês (burgues-mente, portugues-men-te, etc.) não seguem esta regra, pois esses adjetivos eram outrorauniformes. Exemplos: cabrito montês / cabrita montês.ao radical de substantivos e adjetivos para formar novos verbos.Em geral, os verbos novos da língua formam-se pelo acréscimoda terminação-ar. Exemplos: esqui-ar; radiograf-ar; (a)doç-ar;nivel-ar ar; telefon-ar; (a)portugues-ar.Os verbos exprimem, entre outras ideias, a prática de ação.-ar: cruzar, analisar, limpar-ear: guerrear, golear-entar: afugentar, amamentar-izar:Verbo Frequentativo: é aquele que traduz ação repetida.Verbo Factitivo: é aquele que envolve ideia de fazer ou causar.Verbo Diminutivo: é aquele que exprime ação poucointensa.Exercícios01. Assinale a opção em que todas as palavras se formam pelomesmo processo:b) atraso / embarque / pescac) o jota / o sim / o tropeçod) entrega / estupidez / sobrevivere) antepor / exportação / sanguessuga02. A palavra “aguardente”formou-se por:b) aglutinaçãoc) justaposiçãod) parassíntesee) derivação regressiva03. Que item contém somente palavras formadas por justa-posição?a) desagradável –complementeb) vaga-lume - pé-de-cabrad) supersticiosa –valiosase) desatarraxou –estremeceua) forma primitivab) formado por derivação parassintéticac) formado por derivação regressivad) formado por derivação imprópriae) formado por onomatopéia-cessos de formação numerados à direita. Em seguida, marque aalternativa que corresponde à sequência numérica encontrada:( ) aguardente 1) justaposição( ) casamento 2) aglutinação( ) portuário 3) parassínteseApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  18. 18. Didatismo e Conhecimento 11PORTUGUÊSa) zunzumb) reco-recoc) toque-toqued) tlim-tlime) vivido-ção imprópria?.b) Pereirinha estava mesmo com a razão. Sigilo... Voto secre-to... Bobagens, bobagens!c) Sem radical reforma da lei eleitoral, as eleições continua-riam sendo uma farsa!isto de prosa, e se entenderam.e) Dr. Osmírio andaria , senão bufando de raiva.08. Assinale a série de palavras em que todas são formadaspor parassíntese:b) solução, passional, corrupção, visionárioc) enrijecer, deslealdade, tortura, vidente-das por:a) derivaçãob) onomatopeiad) composição10. Assinale a alternativa em que uma das palavras não é for-a) readquirir, predestinado, proporb) irregular, amoral, demoverc) remeter, conter, antegozard) irrestrito, antípoda, prevere) dever, deter, anteverRespostas:/ 10-E /Artigo-artigos podem ser:- : o, a, os, as; determinam os substantivos, trata deum ser j A grande reforma doensino superior é a reforma do ensino fundamental e do médio.”- : um, uma, uns, umas; estes; trata-se de um serumuma taquara na mão.”(A. Lima)- com a palavra ambos: falou-nos que ambos os culpados fo-ram punidos.o Brasil, o rio Amazonas, a Argentina, o ocea-a Suíça, o Pará, a o Canadá mas nãoà históricaOuro Preto.- depois de todos/todas + numeral + substantivo: Todos osvinte atletas participarão do campeonato.- com toda a/todo o, a expressão que vale como totalidade,inteira. Toda cidade será enfeitada para as comemorações de ani-versário. Sem o artigo, o pronome todo/toda vale como qualquer.Toda cidade será enfeitada para as comemorações de aniversário.(qualquer cidade)as mais lindas- com a palavra outro, com sentido determinado: Marcelo temdois amigos: Rui é alto e lindo, o outro é atlético e simpático.- antes dos nomes das quatro estações do ano: Depois da pri-mavera vem o verão.- com expressões de peso e medida: O álcool custa um real olitro. (=cada litro)- antes de pronomes de tratamento iniciados por possessivos:Alteza.Vossa Alteza estará presente ao debate?“Nosso Senhor -- antes de nomes de meses:O campeonato aconteceu em maio de 2002. Mas: O campeo-nato aconteceu no inesquecível maio de 2002.Itália podem ser construídos sem o artigo, principalmente quandoregidos de preposição.- antes de todos / todas + numeral: Eles são, todos quatro,os três irmãos eu vinascer. (o substantivo está claro)- antes de palavras que designam matéria de estudo, empre-gadas com os verbos: aprender, estudar, cursar, ensinar: EstudoInglês e Cristiane estuda Francês.O uso do artigo é facultativo:- antes do pronome possessivo: Sua / A sua incompetência éirritante.- antes de nomes próprios de pessoas: Você já visitou Luciana/ a Luciana?- “Daqui para a frente, tudo vai ser diferente.”(para :exige a preposição)de + o,a = do, da / em + o, a = no, na / por + o, a = pelo, pela.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  19. 19. Didatismo e Conhecimento 12PORTUGUÊSUsa-se o artigo :- para indicar aproximação numérica: Nicole devia ter unsuns meses.- antes dos nomes de partes do corpo ou de objetos em pares:Usava umas calças largas e umas botas longas.- em linguagem coloquial, com valor intensivo: Rafaela é umameiguice só.- para comparar alguém com um personagem célebre: LuísAugust é um Rui Barbosa.O artigo não é usado:- em expressões de quantidade: pessoa, porção, parte, gente,quantidade: Reservou para todos boa parte do lucro.- com substantivo que denota espécie: Cão que ladra não morde.Formas combinadas do artigo : Preposição de e em+ um, uma = num, numa, dum, duma.O artigo (o, a, um, uma) anteposto a qualquer palavra trans-forma-a em substantivo. O ato literário é o conjunto do ler e doescrever.Exercícios01. Em que alternativa o termo grifado indica aproximação:a) Ao visitar umauns dezoito anos.c) Ao aproximar de umaume) Uns diziam que ela sabia tudo, outros que não.b) Procure-o, ele é o médico! Ninguém o supera.e) Muito é a procura; pouca é a oferta.erradamente. Em qual?b) A “Paraíba”é uma bela fragata.d) O gato escaldado tem medo de água fria.e) O Havre é um porto de muito movimento.artigo:a) Portugal, Copacabana.c) Viena, Rio de Janeiro.d) Madri, Itália.Respostas:SubstantivoSubstantivo é a palavra que dá nomes aos seres. Inclui os no-mes de pessoas, de lugares, coisas, entes de natureza espiritual oumitológica: vegetação, sereia, cidade, anjo, árvore, passarinho,abraço, quadro, universidade, saudade, amor, respeito, criança.Os substantivos exercem, na frase, as funções de: sujeito, pre-dicativo do sujeito, objeto direto, objeto indireto, complementonominal, adjunto adverbial, agente da passiva, aposto e vocativo.- Comuns: nomeiam os seres da mesma espécie: menina, pia-no, estrela, rio, animal, árvore.- Próprios: referem-se a um ser em particular: Brasil, Américado Norte, Deus, Paulo, Lucélia.- Concretos: são aqueles que têm existência própria; sãoalma, Deus, vento, DVD, fada, criança, saci.- Abstrato: são os que não têm existência própria; dependesempre de um ser para existir: é necessário alguém ser ou estartriste para a tristeza manifestar-se; é necessário alguém beijar ouabraçar para que ocorra um beijo ou um abraço; designam quali-dades, sentimentos, ações, estados dos seres: dor, doença, amor,. Os subs-tantivos abstratos podem ser concretizados dependendo do seusubstantivo abstrato; a caça, neste caso, refere-se ao animal, por-tanto, concreto).- Simples: como o nome diz, são aqueles formados por apenasum radical: chuva, tempo, sol, guarda, pão, raio, água, ló, terra,, mar, raio, cabeça.- Compostos: são os que são formados por mais de doisradicais: guarda-chuva, girassol, água-de-colônia, pão-de-ló,para-raio, sem-terra, mula-sem-cabeça.- Primitivos: são os que não derivam de outras palavras;vieram primeiro,deram origem a outras palavras:mês, queijo, chave, chuva, pão, trovão, casa.são formados de outra palavra já existente; vie--veiro, padeiro, trovoada, casarão, casebre.- Coletivos: os substantivos comuns que, mesmo no singular,designam um conjunto de seres de uma mesma espécie: bando,.Eis alguns substantivos coletivos: ; al-banda –de músicos; bando –de aves, de crianças; baixela –uten-sílios de mesa; banca –de examinadores; biblioteca –de livros;vadios, malvados; cancioneiro –de canções; cardume –de peixes;–de bispos em assembleia; conclave –de cardeais; confraria –de-co –de atores; enxoval –de roupas; fato –de cabras; fornada –de–de invasores; iconoteca –de imagens; irmandade –de religiosos;mapoteca –de mapas; milênio –de mil anos; miríade –de muitasApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  20. 20. Didatismo e Conhecimento 13PORTUGUÊSem bando; penca –de frutas; pinacoteca –de quadros; piquete –degrevistas; plêiadequarentena –quarenta dias; quinquênio –cinco anos; renque –deárvores, pessoas, coisas; repertório –de peças teatrais, música; res-–de seis versos; súcia –de malandros, patifes; terceto –de trêspessoas, três versos; tríduo –período de três dias; triênio –períodovideoteca –de videocassetes; xiloteca –de amostras de tipos demadeiras.“Na livre do arrabaldezinhoUm homem loquaz apregoa balõezinhos de corcrianças!menininhos pobres,Fitando com olhos muito redondos os grandesBalõezinhos muito redondos.”(Manoel Bandeira)Observe que o poema apresenta vários substantivos e apre-sentam variações ou gênero (masculino/feminino), de(plural/singular) e de grau (aumentativo/diminutivo).gênero é a troca de o por a, ou o acréscimoda vogal aO feminino se realiza de três modos:mestra / leão, leoa;-xo feminino: autor, autora / deus, deusa / cônsul, consulesa / can-tor, cantora / reitor, reitora.- Utilizando-se uma palavra feminina com radical diferente:pai, mãe mulher / boi, vaca / carneiro, ovelha / cavalo,égua.Observe como são formados os femininos: parente, parentahospeda / monge, monja / presidente, presidenta / gi-gante, giganta / peru, perua / cidadão, cidadã /aldeão, aldeã / ancião, anciã / guardião, guardiã char-latã / escrivão, escrivã / papa, papisa / faisão,imperatriz / profeta, / píton, pitonisa / abade, abadessa /czar, czarina / perdigão, perdiz / cão, cadela / pigmeu, pigmeia /ateu, ateia hebreia / réu, ré / cerzidor, cerzideira / frade,/ frei, sóror / rajá, rani / dom, dona / cavaleiro, dama / zan-gão, abelha /Substantivos UniformesOs substantivos apresentam uma única forma paraambos os gêneros: dentista, vítima. Os substantivosdividem-se em:- Epicenos: designam certos animais e têm um só gênero, quer: apenas uma forma e designamindivíduos dos dois sexos. São masculinos ou femininos. A in-dicação do sexo é feita com uso do artigo masculino ou feminino:o, a intérprete / o, a colega / o, a médium / o, a personagem / o, acliente / o, a fã / o, a motorista / o, a estudante / o, a artista / o, a re-pórter / o, a menequim / o, a gerente / o, a imigrante / o, a pianista/ o, a rival / o a jornalista.- Sobrecomuns: designam pessoas e têm um só gênero paracriança (menino, menina) / a testemunhapessoa cônjuge (marido,guia ídoloSubstantivos que mudam de sentido, quando se troca o gê-nero: o lotação (veículo) - a lotação (efeito de lotar); o capitalo moral (ânimo) - a moral (ética); o grama (peso) - a grama (relva);-dio (emissora); o crisma (óleo salgado) - a crisma (sacramento); ocoma (perda dos sentidos) - a coma (cabeleira); o cura (vigário) - acura; (ato de curar); o lente (prof. Universitário) - a lente (vidro deaumento); o língua (intérprete) - a língua (órgão, idioma); o voga(o remador) - a voga (moda).Alguns substantivos oferecem dúvida quanto ao gênero. Sãosoprano, o clã -pécime, o guaraná, o diabete ou diabetes, o tapa, o lança-perfume,São geralmente masculinos os substantivos de origem gregaterminados em –ma: o dilema, o teorema, o emblema, o trema, oo anátema, o tracoma, oaanálise, a cal, a gênese, a entorse, a faringe, a cólera (doença),a cataplasma, a pane, a mascote, a libido (desejo sexual), a rês,Xerox, a aguardante.Há várias maneiras de se formar o plural dos substantivos:Acrescentam-se:- S –aos substantivos terminados em vogal ou ditongo: povo,povos / feira, / série, séries.- S –aos substantivos terminados em N: líquen, liquens / ab-. Também: líquenes, abdômenes,- ES –aos substantivos terminados em R, S, Z: cartaz, carta-zes / motor, motores / mês, meses. Alguns terminados em R mu-dam sua sílaba tônica, no plural: júnior, juniores / caráter, caracte-res / sênior, seniores.- IS –aos substantivos terminados em al, el, ol, ul: jornal,jornais / sol, sóis / túnel, túneis / mel, meles, méis. Exceções: mal,males / cônsul, cônsules / real, réis (antiga moeda portuguesa).- ÃO –aos substantivos terminados em ão, acrescenta S: cida-dão, cidadãos / irmão, irmãos / mão, mãos.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  21. 21. Didatismo e Conhecimento 14PORTUGUÊSTrocam-se:- ão por ões: botão, botões / limão, limões / portão, portões /mamão, mamões.- ão por ãe/ cão, cães.- il por is (oxítonas): funil, / fuzil, / canil, canis /pernil, pernis, e por EIS (Paroxítonas): fóssil, / réptil, rép-teis / projétil, projéteis.- m por ns: nuvem, nuvens / som, sons / vintém, vinténs /atum, atuns.- zito, zinho - 1º coloca-se o substantivo no plural: balão, ba-Cão –cães - cãe + zitos: Cãezitos.- alguns substantivos terminados em X são invariáveis (valorfonético = cs): os tórax, os tórax / o ônix, os ônix / a fênix,/ uma Xerox, duas Xerox / um fax, .- Outros (fora de uso) têm o mesmo plural que suas variantesem ice (ainda em vigor): apêndix ou apêndice, apêndices / cálixo ucálice, cálices (x, som de s) / látex, látice ou láteces / códexou códice, códices / córtex ou córtice, córtices / índex ou índice,índices (x, som de cs).- substantivos terminados em ÃO com mais de uma formano plural: aldeão, aldeões, aldeãos; verão, verões, verãos; anão,anões, anãos; guardião, guardiões, guardiães; corrimão, corri-ancião, anciões,anciães, anciãos; ermitão, ermitões, ermitães, ermitãos.A tendência é utilizar a forma em ÕES.- Há substantivos que mudam o timbre da vogal tônica, nometafonia. Apresentam o “o”tônica nosingular e aberto no plural: caroço (ô), coroços (ó) / imposto (ô),impostos (ó) / (ô), fornos (ó) / miolo (ô), miolos (ó) / poço(ô), poços (ó) / olho povo (ô), povos (ó) / corvo (ô),corvos (ó). Também são abertos no plural (ó): fogos, ovos, ossos,portos, porcos, postos, reforços. Tijolos, destroços.- Há substantivos que mudam de sentido quando usados noplural: Fez bem a todos (alegria); Houve separação de bens. (patri-mônio); Conferiu a do dia. (salário); As foram maravi-honra foi exaltada. (dignidade); Recebeuhonras bem = virtude, be-nefício / bens = valores / costa = litoral / costas = dorso / =renda diária / = descanso / vencimento vencimento =salário / letra letras = literatura.acordos, adornos, almoços, bodas, bojos, bolos, cocos, confortos,dorsos, encontros, esposos, estojos, forros, globos, gostos, moços,- Substantivos empregados somente no plural: Arredores,belas-artes, bodas (ô), condolências, cócegas, costas, exéquias,férias núpcias, óculos, parabéns, pêsames, viveres,idos, afazeres, algemas.- A forma singular das palavras ciúme e saudade são tambémusadas no plural, embora a forma singular seja preferencial, já quea maioria dos substantivos abstratos não se pluralizam. Aceita-seos ciúmes, nunca o ciúmes.“Quando você me deixou,meu bem,me disse pra eu ser felize passar bemQuis morrer de ciúme,quase enloquecimas depois, como erade costume, obedeci”“Às vezes passo dias inteirosimaginando e pensando em vocêsaudadeque até parece que eu posso morrer.Pode creditar em mim.(Fernanda Abreu)Atenção: avô –avôs (o avô materno e o avô paterno; avôs,ó - avós (o avô e a avó). Termos no singular com valorde plural: Muito negro ainda sofre com o preconceito social. / Temmorrido muito pobre de fome.Não é muito fácil a formação do plural dos substantivos com-postos.pontapé = pontapés / girassol =girassóis / autopeça = autopeças.saca-rolhas= arranha-céus / bate-bola = bate-bolas / guarda-roupa = guarda--roupas / guarda-sol = guarda-sóis / vale-refeição = .- elemento invariável + palavra variável: sempre-viva = sem-pre-vivas / abaixo-assinado = abaixo-assinados / recém-nascido= recém-nascidos / ex-marido = ex-maridos / auto-escola = auto--escolas.- palavras repetidas: o reco-reco = os reco-recos / o tico-tico= os tico-ticos / o corre-corre = os corre-corres.- substantivo composto de três ou mais elementos não ligadospor preposição: o bem-me-quer = os bem-me-queres / o bem-te-vi= os bem-te-vis / o sem-terra = os sem-terra / o fora-da-lei = -ra-da-lei / o João-ninguém = os joões-ninguém / o ponto-e-vírgula= os ponto-e-vírgula / o bumba-meu-boi = os bumba-meu-boi.- quando o primeiro elemento for: grão, grã (grande), bel:grão-duque = grão-duques / grã-cruz = grã-cruzes / bel-prazer =bel-prazeres.Somente o primeiro elemento vai para o plural:- substantivo + preposição + substantivo: água de colônia =águas-de-colônia / mula-sem-cabeça = mulas-sem-cabeça / pão--de-ló = pães-de-ló / sinal-da-cruz = sinais-da-cruz.- quando o segundo elemento limita o primeiro ou dá ideia detipo sambas-enredos / pombo-correio= pombos-correio / salário-família = banana--maçã = bananas-maçã / vale-refeição = (vale = terApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  22. 22. Didatismo e Conhecimento 15PORTUGUÊSA tendência na língua portuguesa atual é pluralizar os dois--balões.--tudo = os cola-tudo / o bota-fora = os bota-fora- os compostos de verbos de sentido oposto: o entra-e-sai =os entra-e-sai / o leva-e-traz = os leva-e-traz / o vai-e-volta = osvai-e-volta.- substantivo + substantivo: decreto-lei = decretos-leis /abelhas-mestras / tia-avó = tias-avós / tenente--coronel = tenentes-coronéis /Coloque entre dois elementos a conjunção e, observe se é possível-- substantivo + adjetivo: amor-perfeito = amores-perfeitos /capitão-mor = capitães-mores / carro-forte = carros-fortes / obra-- adjetivo + substantivo: boa-vida = boas-vidas / curta-metra-gem = curtas-metragens / má-língua = más-línguas /- numeral ordinal + substantivo: segunda-feira = segundas--feiras / quinta-feira = quintas-feiras.pessoa:-tantivos: Gritavam vivas e morras; Fiz a prova dos noves; Peseibem os prós e contras.Numerais substantivos terminados em s ou z não variam noplural. Este semestre tirei alguns seis e apenas um dez.os Almeidas / osOliveiras / os Picassos / os Mozarts / os Kennedys / os Silvas.CDs /damos o nome de grau do substantivo. São dois os graus dos subs-tantivos: aumentativo e .Os graus aumentativos e diminutivos são formados por doisprocessos:- Sintético: -minutivo: peixe –peixão (aumentativo sintético); peixe-peixinho- Analítico: formado com palavras de aumento: grande, enor-me, imensa, gigantesca: obra imensa / lucro enorme / carro grande/ prédio gigantesco; e formado com as palavras de diminuição: di-minuto, pequeno, minúscula, casa pequena, peça minúscula / saiadiminuta.- Sem falar em aumentativo e diminutivo alguns substantivosexprimem também desprezo, crítica, indiferença em relação a cer-tas pessoas e objetos: gentalha, mulherengo, narigão, gentinha,coisinha, povinho, livreco.-- Em consequência do dinamismo da língua, alguns substantivos- As palavras proparoxítonas e as palavras terminadas emzinho(a): lâmpada (proparoxítona)- As palavras terminadas em s ou z, ou em uma dessas con-inho-ção: minissaia, maxissaia, supermercado, minicalculadora.os adjetivos referen--na, azul petróleo, amarelo ouro, roxo batata, verde garrafa.Exercícios-da erradamente:d) Fulano e Beltrano são dois grandes caráteres.e) os répteis são animais ovíparos.02. Assinale o par de vocábulos que fazem o plural da mesmaforma que “balão”e “caneta-tinteiro”:a) vulcão, abaixo-assinado;b) irmão, salário-família;c) questão, manga-rosa;d) bênção, papel-moeda;03. Assinale a alternativa em que está correta a formação doplural:a) cadáver –cadáveis;b) gavião –gaviães;c) fuzil –fuzíveis;d) mal –maus;e) atlas –os atlas.abstratos:a) tempo –angústia –saudade –ausência –esperança–imagem;b) angústia –sorriso –luz –ausência –esperança –inimizade;c) inimigo –luz –esperança –espaço –tempo;d) angústia –saudade –ausência –esperança –inimizade;Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  23. 23. Didatismo e Conhecimento 16PORTUGUÊSmasculinos:a) enigma –idioma –cal;b) pianista –presidente –planta;d) estudante –cal –alface;e) edema –diabete –alface.-A capital = cidade principal;b) O grama = unidade de medida;A grama = vegetação rasteira;A rádio = estação geradora;A cabeça = parte do corpo;e) A cura = o médico.O cura = ato de curar.sobrecomuns:a) pianista –estudante –criança;b) dentista –borboleta –comentarista;e) criança –desportista –cônjuge.08. Aponte a sequência de substantivos que, sendooriginalmente diminutivos ou aumentativos, perderam essaacepção e se constituem em formas normais, independentes dotermo derivante:09. Dados os substantivos “caroço”, “imposto”, “coco” e“ovo”, conclui-se que, indo para o plural a vogal tônica soará aber-ta em:a) apenas na palavra nº 1;b) apenas na palavra nº 2;c) apenas na palavra nº 3;d) em todas as palavras;e) N.D.A.10. Marque a alternativa que apresenta os femininos de “Mon-ge”, “Duque”, “Papa”e “Profeta”:a) monja –duqueza –papisa –profetisa;b) freira –duqueza –papiza –profetisa;c) freira –duquesa –papisa –profetisa;d) monja –duquesa –papiza –profetiza;e) monja –duquesa –papisa –profetisa.Respostas: 008-C / 09-E / 10-E /Não digas: “o mundo é belo.”Não digas: “o amor é triste.”Não digas: “a vida é .”(Cecília Meireles)Os adjetivos belo, triste e rápida expressa uma qualidade dossujeitos: o mundo, o amor, a vida.Adjetivo é a palavra variável em gênero, número e grau quemodo de ser: laranjeira céu mau cavalocomida político professor funcio-nário pais responsáveis- simples: apresentam um único radical, uma única palavra emsua estrutura: alegre, medroso, simpático, covarde, jovem, exube-rante, teimoso;- compostos: apresentam mais de um radical, mais de duaspalavras em sua estrutura: estrelas sapatos marrom-garoto surdo-mudo;- primitivos: são os que vieram primeiro; dão origem a outraspalavras: atual, livre, triste, amarelo, brando, amável, confortável.- são aqueles formados por derivação, vieram de-pois dos primitivos: amarelado, ilegal, infeliz, desconfortável, en-tristecido, atualizado.- pátrios: indicam procedência ou nacionalidade, referem-se acidades, estados, países.é a expressão que tem o mesmo valor deum adjetivo. A locução adjetiva é formada por preposição + umsubstantivo. Vejamos algumas locuções adjetivas: angelical = deabdominal = apícola = aquilino = deargente = áureo = auricular =bucal = bélico = cervical = cutâ-neo = discente = docente = estelar= etário = fabril = deurbano = gástrica = domatutino = vespertino = inodoro =insípido = pluvial =umbilical = têxtil = de tecido.Algumas locuções adjetivas não possuem adjetivoscorrespondentes: lata de lixo, sacola de papel, parede de tijolo, fo-de papel, e outros.Amapá: amapen-se; Amazonas: amazonense ou baré; Anápolis: anapolino; AngraApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  24. 24. Didatismo e Conhecimento 17PORTUGUÊS-sil: brasileiro; Brasília: brasiliense; Buenos Aires: buenairense oucampo-grandese; Ceará: cearense; Curitiba: curitibano; DistritoFederal: candango ou brasiliense; Espírito Santo: espírito-santenseou capixaba; Estados Unidos: estadunidense ou norte americano;fortalezense; Goiânia: goianiense; Goiás: goiano; Japão: japonêsou nipônico; João Pessoa: pessoense; Londres: londrino; Maceió:--to-grossense-do-sul; Minas Gerais: mineiro; Natal: natalense oupapa-jerimum; Nova Iorque: nova-iorquino; Niterói: niteroiense;-se; Paraíba: paraibano; Paraná: paranaense; Pernambuco: pernam-bucano; Petrópolis: petropolitano; Piauí: piauiense; Porto Alegre:(estado); Rio Grande do Norte: rio-grandense-do-norte ou po-rondoniano; Roraima: roraimense; Salvador: soteropolitano; SantaCatarina: catarinense ou barriga-verde; São Paulo: paulista/pau-listano (cidade); São Luís: são-luisense ou ludovicense; Sergipe:sergipano; Teresina: teresinense; Tocantins: tocantinense; Três Co-rações: tricordiano; Três Rios: trirriense; Vitória: vitoriano.- pode-se utilizar os adjetivos pátrios compostos, como:-brasileiro; Anglo-americano, -italiano, sino-japonêsAmérico-francês; luso-brasileira; nipo-argentina(Japão e Argentina); teuto-argentinos (alemão).- “O professor fez uma simples observação”. O adjetivo, sim-ples, colocado antes do substantivo observação, equivale à banal.- “O professor fez uma observação simples”. O adjetivo sim-ples colocado depois do substantivo observação, equivale à .O adjetivo, como palavra variável, sofre-cam-se em:- uniformes: têm forma única para o masculino e o .Funcionário incompetente = funcionária Homensdesonestos desonestas- biformes: troca-se a vogal o pela vogal a ou com o acréscimo= atriz / jogadorbrasileiro = jogador brasileira.no segundo elemento: sociedade luso-brasileira / festa cívico-re-ligiosa / saia verde-escura. Vejamos alguns adjetivos biformes queateu –ateia / europeu –europeia/ glutão –glutona / hebreu –hebreia / Judeu –judia / mau –má /plebeu –plebeia / são –sã / vão –vã.Atenção:- às vezes, os adjetivos são empregados como substantivos ucomo advérbios: Agia como um ingênuo. (adjetivo como substan-- A cerveja que desce redondo. (adjetivo como advérbio: re-dondamente).- substantivos que funcionam como adjetivos, num processode derivação imprópria, isto é, palavra que tem o valor de outraclasse gramatical, que não seja a sua: Alguns brasileiros recebemum salário- . (substantivo com valor de adjetivo).- substituto do adjetivo: palavras / expressões de outra classe-dinadas na frase.Semântica e sintaticamente falando, valem por adjetivos.Vale associar ao substantivo principal outro substantivo emforma de aposto.O rio Tietê atravessa o estado de São Paulo.de acordo com o substantivo a que se referem: menino chorão =meninos chorões / garota sensível = garotas sensíveis / vitamina= vitaminas / exemplo útil = exemplos úteis.- quando os dois elementos formadores são adjetivos, só osurdo-mudo = surdos-mudos, variam os dois elementos.- Composto formado de adjetivo + substantivo referindo-sea cores, o adjetivo cor e o substantivo permanecem invariáveis,não vão para o plural: terno azul-petróleo = ternos azul-petróleo(adjetivo azul, substantivo petróleo); saia amarelo-canário = saiasamarelo-canário (adjetivo, amarelo; substantivo canário).- As locuções adjetivas formadas de cor + de + substantivo,- São invariáveis os adjetivos raios ultravioleta / alegrias sem--par, piadas sem-sal.Grau comparativo de: igualdade, superioridade (Analítico eSintético) e Inferioridade;Grau superlativo: absoluto (analítico e sintético) ou relativo(superioridade e inferioridade).O grau do adjetivo exprime a intensidade das qualidades dosseres. O adjetivo apresenta duas variações de grau: comparativoe superlativo.O grau comparativo é usado para comparar uma qualidadeentre dois ou mais seres, ou duas ou mais qualidades de um mesmoser. O comparativo pode ser:: iguala duas coisas ou duas pessoas: Sou tãoalto quão / quanto / como você. (as duas pessoas têm a mesmaaltura): iguala duas pessoas / coisas sendo queuma é mais do que mais elevante doque / que eu. (das duas, a Many é mais)O grau comparativo de superioridade possui duas formas:Analítica: mais bom / mais mau / mais grande / mais pequeno:O salário é mais pequeno do que / que justo (salário pequeno ejusto). Quando comparamos duas qualidades de um mesmo ser,podemos usar as formas: mais grande, mais mau, mais bom,maispequeno.Sintética: bom, melhor / mau, pior / grande, maior / pequeno,menor do que / que aquela.um elemento é menor do que outro: Somosmenos passivos do que / que tolerantes.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  25. 25. Didatismo e Conhecimento 18PORTUGUÊSO grau superlativo: a característica do adjetivo se apresentauperlativo pode ser absoluto ou relativo.- Superlativo Absoluto: atribuída a um só ser; de forma abso-luta. Pode ser:Analítico: advérbio de intensidade muito, intensamente, bas-tante, extremamente, excepcionalmente + adjetivo: Nicola é extre-mamente simpático.Sintético: adjetivo + issimo, imo, ílimo, érrimo -agradabilíssima.érrimo é restrito aos adjetivos latinos terminadosem r; pauper (pobre) = paupérrimo; macer (magro) = macérrimo;- forma popular: radical do adjetivo português + íssimo: po-bríssimo;- adjetivos terminados em vel + bilíssimo: amável = amabi-líssimo;- adjetivos terminados em eio formam o superlativo apenascom i: feio eio- os adjetivos terminados em io forma o superlativo em iís-simo: sério = seriíssimo / necessário = necessariíssimo / frio =friíssimo.Algumas formas do superlativo absoluto sintético erudi-to (culto): ágil = agílimo; agradável = agradabilíssimo; agudo =acutíssimo; amargo = amaríssimo; amigo = amicíssimo; antigo =antiquíssimo; áspero = aspérrimo; atroz = atrocíssimo; benévolo =benevolentíssimo; bom = boníssimo, ótimo; capaz = capacíssimo;--vel = incredibilíssimo; inimigo = inimicíssimo; jovem = juvenilís-macérrimo, magérrimo; mau = péssimo; miserável = miserabilíssi-mo; negro = nigérrimo, negríssimo; nobre = nobilíssimo; pessoal =personalíssimo; pobre = paupérrimo, pobríssimo; sábio = sapien-tíssimo; sagrado = sacratíssimo; simpático = simpaticíssimo; sim-ples = simplícimo; tenro = teneríssimo; terrível = terribilíssimo;veloz = velocíssimo.Usa-se também, no superlativo:max hipermercado / ultrasupersimpática.- expressões: suja à beça / pra lá de sério / duro que nemsola / podre de rico / linda de morrer / magro de dar pena.- adjetivos repetidos: (=fofíssimo) / linda,linda (=lindíssima).- diminutivo ou aumentativo: cheinha / pequenininha / gran-dalhão / gostosão / bonitão.érrimo, em fez de íssimo -- Superlativo Relativo: ressalta a qualidade de um ser entremuitos, com a mesma qualidade. Pode ser:Superlativo Relativo de Superioridade: Wilma é a mais pren-dada de todas as suas amigas. (ela é a mais de todas)Paulo César é o menosO menino dorme tranquilo. / As meninas dormem tranquilas.Em ambas as frases o adjetivo concorda em gênero e número como sujeito.O menino dorme tranquilamente. / As meninas dormem tran-quilamente. O adjetivo assume um valor adverbial, com o acrés-mente, sendo, portanto, invariável, não vai para oplural.Sorriu amarelo e saiu. / Ficou meioadjetivo amarelode advérbio; o adjetivo meio + chateada (adjetivo) assume, tam-bém, a função de advérbio.Exercíciossubstantivo seja explicativo:b) água morna;c) moça bonita;d) fogo quente;02. Assinale a alternativa que contém o grupo de adjetivosgentílicos, relativos a “Japão”, “Três Corações”e “Moscou”:a) Oriental, Tricardíaco, Moscovita;b) Nipônico,Tricordiano, Soviético;c) Japonês, Trêscoraçoense, Moscovita;d) Nipônico, Tricordiano, Moscovita;e) Oriental, Tricardíaco, Soviético.03. Ainda sobre os adjetivos gentílicos, diz-se que quem nasceem “Lima”, “Buenos Aires”e “Jerusalém”é:e) Limeiro-Bonaerense-Judeu;a) um superlativo relativo de superioridade;b) um comparativo de superioridade;c) um superlativo absoluto;d) um comparativo de igualdade.e) um superlativo analítico de ágil.3 - água de rio ( ) FelinoAssim temos:Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  26. 26. Didatismo e Conhecimento 19PORTUGUÊSé mais lindo que aquele”, Há os graus comparativos:a) de superioridade, respectivamente sintético e analítico;b) de superioridade, ambos analíticos;c) de superioridade, ambos sintéticos;d) relativos;e) superlativos.-a diferentes clínicas ____”.a) médicas-cirúrgicas;b) médica-cirúrgicas;c) médico-cirúrgicas;d) médicos-cirúrgicas;e) médica-cirúrgicos.08. Sabe-se que a posição do adjetivo, em relação ao substan-tivo, pode ou não mudar o sentido do enunciado. Assim, nas frases-mem infeliz;recursos materiais;referência a questões materiais;-cursos;ambas.09.O item em que a locução adjetiva não corresponde ao ad-jetivo dado é:c) discente - de alunos;d) docente - de professor;10. Assinale a alternativa em que todos os adjetivos têm umasó forma para os dois gêneros:b) europeu, cortês, feliz;c) fofo, incolor, cru;d) superior, agrícola, namorador;e) exemplar, fácil, simples.Respostas:/ 9- B / 10-ENumeralOs numerais exprimem quantidade, posição em uma série,em: cardinais, ordinais, multiplicativos e .- : indica número, quantidade: um, dois, três, oito,vinte, cem, mil;- : indica ordem ou posição: primeiro, segundo, tercei-ro, sétimo, centésimo;- Fracionário: indica uma fração ou divisão: meio, terço,quarto, quinto, um doze avos;- Multiplicativo: indica a multiplicação de um número: duplo,dobro, triplo, quíntuplo.Os numerais que indicam conjunto de elementos de quan-tidade exata são os coletivos: bimestre: período de dois meses;centenário: período de cem anos; decálogo: conjunto de dez leis;decúria: período de dez anos; dezena: conjunto de dez coisas; dís-tico: dois versos; dúzia: conjunto de doze coisas; grosa: conjuntode doze dúzias; lustro: período de cinco anos; milênio: período dedias; quarentena: período de quarenta dias; quinquênio: período dede seis meses; septênio: período de sete meses; sexênio: período deseis anos; terno: conjunto de três coisas; trezena: período de trezedias; triênio: período de três anos; trinca: conjunto de três coisas.Algarismos: Arábicos e Romanos, respectivamente: 1-I, 2-II,DCC, 800-DCCC, 900-CM, 1.000-M.Numerais Cardinais: um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete,oito, nove, dez, onze, doze, treze, catorze ou quatorze, quinze, de-zesseis, dezessete, dezoito, dezenove, vinte..., trinta..., quarenta...,cinquenta..., sessenta..., setenta..., oitenta..., noventa..., cem..., du-setecentos..., oitocentos..., novecentos..., mil.Numerais Ordinais: primeiro, segundo, terceiro, quarto,quinto, sexto, sétimo, oitavo, nono, décimo, décimo primeiro,décimo segundo, décimo terceiro, décimo quarto, décimo quinto,décimo sexto, décimo sétimo, décimo oitavo, décimo nono, vigé-simo..., trigésimo..., quadragésimo..., quinquagésimo..., sexagési-mo..., septuagésimo..., octogésimo..., nonagésimo..., centésimo...,ducentésimo..., trecentésimo..., quadringentésimo..., quingentési-mo..., sexcentésimo..., septingentésimo..., octingentésimo..., non-gentésimo..., milésimo.Numerais Multiplicativos: dobro, triplo, quádruplo, quíntu-plo, sêxtuplo, sétuplo, óctuplo, nônuplo, décuplo, undécuplo, duo-décuplo, cêntuplo.Numerais Fracionários: meia, metade, terço, quarto, quinto,sexto, sétimo, oitavo, nono, décimo, onze avos, doze avos, trezeavos, catorze avos, quinze avos, dezesseis avos, dezessete avos,dezoito avos, dezenove avos, vinte avos..., trinta avos..., quarentaavos..., cinquenta avos..., sessenta avos..., setenta avos..., oitentaavos..., noventa avos..., centésimo..., ducentésimo..., trecentési-mo..., quadringentésimo..., quingentésimo..., sexcentésimo..., sep-tingentésimo..., octingentésimo..., nongentésimo..., milésimo.Gênero- os numerais cardinais um, dois e as centenas a partir de du-zentos Um menino e uma meninaforam os vencedores. / Comprei duzentos gramas de presunto eduzentasApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  27. 27. Didatismo e Conhecimento 20PORTUGUÊS- os numerais ordinais variam em gênero: Marcela foi a nonacolocada no vestibular.- os numerais multiplicativos, quando usados com o valor detriplo da sua. (triplo–valor de substantivo)triplas na lotofácil. (triplas valor deadjetivo)- os numerais fracionários concordam com os cardinais queindicam o número das partes: Dois terços dos alunos foram con-templados.- o fracionário meio concorda em gênero e número com osubstantivo no qual se refere: O início do concurso será meio-dia emeia meias palavras.-riam em número: Venderam um milhão de ingressos para a festado peão. / Somos 180 milhões de brasileiros.- os numerais ordinais variam em número: As segundas colo-cadas disputarão o campeonato.- os numerais multiplicativos são invariáveis quando usadosdobro da sua. (valor desubstantivo –invariável)- os numerais multiplicativos variam quando usados como ad-jetivos: Fizemos duas apostas triplas. (valor de adjetivo –variável)- os numerais fracionários variam em número, concordandocom os cardinais que indicam números das partes.Grau-mil vezes. / Aquele quarentão é um “gato”! /Morri com cincão- para designar séculos, reis, papas, capítulos, cantos (na poe-sia épica), empregam-se: os ordinais até décimo: João Paulo II(segundo). Canto X (décimo) / Luís IV (nono); os cardinais paraos demais: Papa Bento XVI (dezesseis); Século XXI (vinte e um).- se o numeral vier antes do substantivo, usa-se o ordinal. O- com referência ao primeiro dia do mês, usa-se o numeralordinal: O pagamento do pessoal será sempre no dia primeiro.- na enumeração de leis, decretos, artigos, circulares, portariasordinal até o nono:O diretor leu pausadamente a portaria 8ª. (portaria oitava)- emprega-se o numeral cardinal, a partir de dezquartos, poltronas, emprega-se o numeral cardinal: Reservei a pol-trona vinte e oito. / O texto quatro está na página sessenta e cinco.- se o numeral vier antes do substantivo, emprega-se o ordi-nal- não se usa o numeral um antes de mil: Mil e duzentos reaisé muito para mim.- o artigo e o numeral, antes dos substantivos milhão, milhare bilhão, devem concordar no masculino:- Quando o sujeito da oração é milhões + substantivoplural, o particípio ou adjetivo podem concordar, no masculino,-dos / notas resgatadas)- os numerais multiplicativos quíntuplo, sêxtuplo, sétuplo eóctuplo valem como substantivos para designar pessoas nascidasdo mesmo parto: Os sêxtuplos, nascidos em Lucélia, estão reagin-do bem.- emprega-se, na escrita das horas, o símbolo de cada unidadeapós o numeral que a indica, sem espaço ou ponto: 10h20min –- nmil oitocentos e noventa e seis. Mas 1.200 –mil e duzentos (o nú-mero termina numa centena com dois zeros)Exercícios01. Marque o emprego incorreto do numeral:a) século III (três)b) página 102 (cento e dois)c) 80º (octogésimo)d) capítulo XI (onze)e) X tomo (décimo)Alternativa correta: AO numeral quando for usado para designar Papas, reis, sécu-los, capítulos etc, usam-se: Os ordinais de 1 a 10; Os cardinais de11 em diante.Logo, a letra A está incorreta por está grafado século três,quando o correto é século terceiro.02. Indique o item em que os numerais estão corretamenteempregados:a) Ao Papa Paulo seis sucedeu João Paulo primeiro.b) após o parágrafo nono, virá o parágrafo dez.c) depois do capítulo sexto, li o capítulo décimo primeiro.d) antes do artigo décimo vem o artigo nono.e) o artigo vigésimo segundo foi revogado.Alternativa correta: BEstá corretamente grafado parágrafo nono e parágrafo dez naalternativa B, pois os numerais ordinais são de 1 a 09. De 10 emdiante usamos os cardinais.VerboVerbo é a palavra que indica ação, movimento, fenômenos danatureza, estado, mudança de estado. Flexiona-se em (sin-gular e plural), pessoa (primeira, segunda e terceira), (indi--nitivo e particípio), tempo (presente, passado e futuro) e apresentavozverbos estão agrupados em três conjugações:1ª conjugação –ar: cantar, dançar, pular.2ª conjugação –er: beber, correr, entreter.3ª conjugação –ir: partir, rir, abrir.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  28. 28. Didatismo e Conhecimento 21PORTUGUÊSO verbo pôr e seus derivados (repor, depor, dispor, compor,impor) pertencem a 2ª conjugação devido à sua origem latina poer.As formas verbais apresen-tam três elementos em sua estrutura: Radical, Vogal Temática eTema.: --gação: contar, esperar, brincar. Flexionando esses verbos, nota-sedo verbo.cont é o radical do verbo contar;esper é o radical do verbo esperar;brinc é o radical do verbo brincar.Se tiramos as terminações ar, er, ir-xos ao radical: des nutr ir / re conduz ir.Vogal Temática: -jugação pertence o verbo. Há três vogais temáticas: 1ª conjugação:a; 2ª conjugação: e; 3ª conjugação: i.Tema: é o elemento constituído pelo radical mais a vogal te-mática: contar: -cont (radical) + a (vogal temática) = tema. Se= cont ei.Desinências: são elementos que se juntam ao radical, ou aodesinências modotemporais e número pessoa, desinências número pessoais.ContávamosCont = radicala = vogal temáticava = desinência modo temporalmos = desinência número pessoalFlexões Verbais: Flexão de número e de pessoa: o verbo variapara indicar o número e a pessoa.- eu estudo –1ª pessoa do singular;- nós estudamos –1ª pessoa do plural;- tu estudas –2ª pessoa do singular;- vós estudais –2ª pessoa do singular;- ele estuda –3ª pessoa do singular;- eles estudam –3ª pessoa do plural.- Algumas regiões do Brasil, usam o pronome tu de forma di-tu pega, tu tem, em vez de: tu fostes, tu pegas, tu tens. O pronomevós aparece somente em textos literários ou bíblicos. Os prono-mes: você, vocês, que levam o verbo na 3ª pessoa, é o mais usadono Brasil.- Flexão de tempo e de modo –os tempos situam o fato ou aação verbal dentro de determinado momento; pode estar em plenaocorrência, pode já ter ocorrido ou não. Essas três possibilidadesbásicas, mas não únicas, são: presente, pretérito, futuro.O modo indica as diversas atitudes do falante com relação aofato que enuncia. São três os modos:- : a atitude do falante é de certeza, precisão:o fato é ou foi uma realidade; Apresenta presente, pretérito perfei-to, imperfeito e mais que perfeito, futuro do presente e futuro dopretérito.- : a atitude do falante é de incerteza, de dú-vida, exprime uma possibilidade; O subjuntivo expressa uma in--rito imperfeito e futuro. Ex: Tenha paciência, Lourdes; Se tivessevir, dê lembranças- : a atitude do falante é de ordem, um dese-jo, uma vontade, uma solicitação. Indica uma ordem, um pedido,-tivoPara enunciar um fato momentâneo.-quindicação de ações ou estados permanentes, verdades universais.Ex: A água é incolor, inodora, insípida.- Pretérito Imperfeito: Para expressar um fato passado, nãoconcluído. Ex: Nós comíamos pastel na feira; Eu cantava muitobem.- Pretérito Perfeito: É usado na indicação de um fato passado- Pretérito Mais-Que-Perfeito: Expressa um fato passadoanterior a outro acontecimento passado. Ex: Nós cantáramos nocongresso de música.Na indicação de um fato realizado numinstante posterior ao que se fala. Ex: Cantarei domingo no coro daigreja matriz.Para expressar um acontecimento pos-terior a um outro acontecimento passado. Ex: Compraria um car-Presente: danço, danças, dança, dançamos, dançais, dançam.Pretérito Perfeito: dancei, dançaste, dançou, dançamos, dan-çastes, dançaram.Pretérito Imperfeito: dançava, dançavas, dançava, dançáva-mos, dançáveis, dançavam.Pretérito Mais-Que-Perfeito: dançara, dançaras, dançara,dançáramos, dançáreis, dançaram.Futuro do Presente: dançarei, dançarás, dançará, dançare-mos, dançareis, dançarão.Futuro do Pretérito: dançaria, dançarias, dançaria, dançaría-mos, dançaríeis, dançariam.Presente: como, comes, come, comemos, comeis, comem.Pretérito Perfeito: comi, comeste, comeu, comemos, comes-tes, comeram.Pretérito Imperfeito: comia, comias, comia, comíamos, co-míeis, comiam.Pretérito Mais-Que-Perfeito: comera, comeras, comera, co-mêramos, comêreis, comeram.Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  29. 29. Didatismo e Conhecimento 22PORTUGUÊSFuturo do Presente: comerei, comerás, comerá, comeremos,comereis, comerão.Futuro do Pretérito: comeria, comerias, comeria, comería-mos, comeríeis, comeriam.Presente: parto, partes, parte, partimos, partis, partem.Pretérito Perfeito: parti, partiste, partiu, partimos, partistes,partiram.Pretérito Imperfeito: partia, partias, partia, partíamos, par-tíeis, partiam.Pretérito Mais-Que-Perfeito: partira, partiras, partira, partí-ramos, partíreis, partiram.Futuro do Presente: partirei, partirás, partirá, partiremos,partireis, partirão.Futuro do Pretérito: partiria, partirias, partiria, partiríamos,partiríeis, partiriam.Presente: é empregado para indicar um fato incerto ou duvi-doso, muitas vezes ligados ao desejo, à suposição: Duvido de queapurem os fatos; Que surjamPretérito Imperfeito: é empregado para indicar uma condi-Futuro-Presente: que eu dance, que tu dances, que ele dance, que nósdancemos, que vós danceis, que eles dancem.Pretérito Imperfeito: se eu dançasse, se tu dançasses, se eledançasse, se nós dançássemos, se vós dançásseis, se eles danças-sem.Futuro: quando eu dançar, quando tu dançares, quando eledançar, quando nós dançarmos, quando vós dançardes, quandoeles dançarem.Presente: que eu coma, que tu comas, que ele coma, que nóscomamos, que vós comais, que eles comam.Pretérito Imperfeito: se eu comesse, se tu comesses, se elecomesse, se nós comêssemos, se vós comêsseis, se eles comessem.Futuro: quando eu comer, quando tu comeres, quando ele co-mer, quando nós comermos, quando vós comerdes, quando elescomerem.Presente: que eu parta, que tu partas, que ele parta, que nóspartamos, que vós partais, que eles partam.Pretérito Imperfeito: se eu partisse, se tu partisses, se elepartisse, se nós partíssemos, se vós partísseis, se eles partissem.Futuro: quando eu partir, quando tu partires, quando ele par-tir, quando nós partirmos, quando vós partirdes, quando eles par-tirem.Impera- Não apresenta a primeira pessoa do singular.- É formado pelo presente do indicativo e pelo presente dosubjuntivo.- O Tu e o Vós saem do presente do indicativo sem o “s”.Presente do Indicativo: eu amo, tu amas, ele ama, nós ama-mos, vós amais, eles amam.Presente do subjuntivo: que eu ame, que tu ames, que eleame, que nós amemos, que vós ameis, que eles amem.(X), ama tu, ame você, amemos nós,amai vós, amem vocês.Imperativo Negativo:- É formado através do presente do subjuntivo sem a primeirapessoa do singular.- Não retira os “s”do tu e do vós.Presente do Subjuntivo: que eu ame, que tu ames, que eleame, que nós amemos, que vós ameis, que eles amem.Imperativo negativo: (X), não ames tu, não ame você, nãoamemos nós, não ameis vós, não amem vocês.Além dos três modos citados, os verbos apresentam ainda as for-mas nominais: –impessoal e pessoal, e particípio.-tivo. Por exemplo: Viver é lutar. (= vida é luta); É indispensávelcombater a corrupção. (= combate à)simples) ou no passado (forma composta). Por exemplo: É precisoler este livro; Era preciso ter lido este livro.é invariável. Assim,considera-se apenas o processo verbal. Por exemplo: Amar é so-número e pessoa.--soal), elas não deixam de referir-se às respectivas pessoas do dis-curso (o que será esclarecido apenas pelo contexto da frase). Porexemplo: Para ler uso estes óculos. (1ª pessoa); Paraler usa estes óculos. (3ª pessoa)As regras que orientam o emprego da forma variável ou inva-mais preciso e determinado, recomenda-se usar este último sempreque for necessário dar à frase maior clareza ou ênfase.- Quando apresenta uma ideia vaga, genérica, sem se referira um sujeito determinado; Por exemplo: Querer é poder; Fumarprejudica a saúde; É proibido colar cartazes neste muro.- Quando tiver o valor de Imperativo; Por exemplo: Soldados,marcharApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br
  30. 30. Didatismo e Conhecimento 23PORTUGUÊS- Quando é regido de preposição e funciona como comple-mento de um substantivo, adjetivo ou verbo da oração anterior;Por exemplo: Eles não têm o direito de gritar assim; As meninasforam impedidas de participar do jogo; Eu os convenci a aceitar.No entanto, na voz passiva dos verbos “contentar”, “tomar”e “ouvir -xionado. Por exemplo: Eram pessoas difíceis de serem contenta-das; Aqueles remédios são ruins de serem tomados; Os CDs quevocê me emprestou são agradáveis de serem ouvidos.Nas locuções verbais; Por exemplo:- Queremos acordar- Eles não podiam reclamar do colégio.- Vamos pensar no seu caso.anterior; Por exemplo:- Eles foram condenados a pagar pesadas multas.-tiver distante do verbo da oração principal (verbo regente), podeenfatizar o sujeito (agente) da ação verbal. Por exemplo:- Na esperança de sermosde jogarem fute-bol.- Para estudarmos, estaremos sempre dispostos.- Antes de nascerem, já estão condenadas à fome muitascrianças.Com os verbos causativos “deixar”, “mandar”e “fazer”e seussegue; Por exemplo: Deixei-os sairCom os verbos sensitivos “ver”, “ouvir”, “sentir”e sinôni-Vi-os entrar atrasados; Ouvi-as dizer que não iriam à festa.É inadequado o emprego da preposição “para” antes dosobjetos diretos de verbos como “pedir”, “dizer”, “falar” esinônimos;- Pediu para Carlos entrar (errado),- Pediu para que Carlos entrasse (errado).- Pediu que Carlos entrasse (correto).Quando a preposição “para”estiver regendo um verbo, comopronome pessoal “eu”, que se revela, neste caso, como sujeito. Ou-tros exemplos:- Aquele exercício era para eu corrigir.- Esta salada é para eu comer?- Ela me deu um relógio para eu consertar.Em orações como “Esta carta é para mim!”, a preposição estáligada somente ao pronome, que deve se apresentar oblíquo tônico.do discurso. Na 1ª e 3ª pessoas do singular, não apresenta desi-nências, assumindo a mesma forma do impessoal; nas demais,2ª pessoa do singular: Radical + ES. Ex.: teres (tu)1ª pessoa do plural: Radical + mos. Ex.: termos (nós)2ª pessoa do plural: Radical + dês. Ex.: terdes (vós)3ª pessoa do plural: Radical + em. Ex.: terem (eles)Por exemplo: Foste elogiado por teres alcançado uma boa co-locação.-do-se.- Quando o sujeito da oração estiver claramente expresso; Porexemplo: Se tu não perceberes isto...; Convém vocês irem primei-ro; O bom é sempre lembrarmos desta regra (sujeito desinencial,sujeito implícito = nós).- Quando tiver sujeito diferente daquele da oração principal;Por exemplo: O professor deu um prazo de cinco dias para os alu-nos estudarem bastante para a prova; Perdôo-te por me traíres; Opreparou tudo para os turistas à vontade; O guardafez sinal para os motoristas pararem.- Quando se quiser indeterminar o sujeito (utilizado na tercei-ra pessoa do plural); Por exemplo: Faço isso para não me achareminútil; Temos de agir assim para nos promoverem; Ela não saifalarem mal da sua conduta.Por exemplo: Vi os alunos abraçarem-se alegremente; Fizemos osadversários cumprimentarem-se com gentileza; Mandei as meni-nas olharem-sefeita sempre que se quer enfatizar o agente (sujeito) da ação ex-pressa pelo verbo.j”, esse “j”apa-recerá em todas as outras formas. Por exemplo:enferrujou, enferrujaria, enferrujem, enferrujarão,enferrujassem, etc. (Lembre, contudo, que o substantivo ferrugemé grafado com “g”.).Viajar: viajou, viajaria, viajem (3ª pessoa do plural do presen-te do subjuntivo, não confundir com o substantivo viagem) viaja-rão, viajasses, etc.g”, como em “dirigir”e “agir”este “g”deverá ser trocado por um “j”apenas na primeirapessoa do presente do indicativo. Por exemplo: eu dirijo/ eu ajo- O verbo “parecer”pode relacionar-se de duas maneiras dis-outro verbo: Elas parecem mentir. Elas parece mentirem. Nesteexemplo ocorre, na verdade, um período composto. “Parece”é overbo de uma oração principal cujo sujeito é a oração subordina-Como desdobramento dessa reduzida, podemos ter a oração “Pa-rece que elas mentem.”O gerúndio pode funcionar como adjetivo ou ad-vérbio. Por exemplo: Saindo de casa, encontrei alguns amigos.vendendo doces.(função adjetivo)Apostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.brApostilas para Concursos? Acesse www.zipconcursos.com.br

×