O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Processos inovadores que facilitam a aprendizagem

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Próximos SlideShares
Tecnologias educacionais
Tecnologias educacionais
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 98 Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (19)

Quem viu também gostou (20)

Anúncio

Semelhante a Processos inovadores que facilitam a aprendizagem (20)

Mais de UFPE (20)

Anúncio

Mais recentes (20)

Processos inovadores que facilitam a aprendizagem

  1. 1. PROCESSOS INOVADORES QUE FACILITAM A APRENDIZAGEM Alex Sandro Gomes, asg@cin.ufpe.br
  2. 2. #becodobatman
  3. 3. Não é complicado; é complexo
  4. 4. “Sua principal falha está em um projeto que não leva em consideração a natureza da aprendizagem, a liberdade de escolha ou a importância do amor e relações humanas no desenvolvimento individual e coletivo.
  5. 5. O funil de Nuremberg (alemão: Nürnberger Trichter) é uma descrição jocosa de uma maneira mecânica de aprender e ensinar. Por um lado, evoca a imagem de um aluno que aprende suas lições com este tipo de método de ensino quase sem esforço e, por outro lado, um professor ensinando tudo até mesmo o "mais estúpido" aluno.
  6. 6. Königlich Preußische Armee O imperador alemão Guilherme II revistando suas tropas prussianas, por Carl Röchling.
  7. 7. "Ensino Normal", In: A Procellaria I/7 (São Paulo, 20 de março de 1887). De Paulo Issberner, Director da Escola Allemã, e Carlos Gerke, Professor da Escola Allemã. GOMES, A. S.; SILVA, P. A. Design de experiências de aprendizagem: criatividade e inovação para o planejamento das aulas. Recife: Pipa Comunicação, 2016. 162p. (Série professor criativo, III)
  8. 8. Século XXI ou XIX? “Chegamos à República e ao final do século XX com uma educação precária. Só há mais ou menos 24 anos é que temos a preocupação séria de melhorar nossa educação. O Brasil até então tinha sido planejado para ter uma educação ruim, para que a sociedade fosse desigual, a mão de obra barata. Tivemos a construção minuciosa do atraso porque não havia interesse de que a população fosse crítica”, apontou. Renato Janine Ribeiro, professor titular de Ética e Filosofia Política na USP e ex-ministro da Educação
  9. 9. FOTO:VIOLETTAMARKELOU Adriana Varejao’s “Carpet-Syle Tilework in Live Flesh”
  10. 10. Gerações Y e Z _“Essa geração não é pior, é apenas diferente.” Don TapScott Geração Y, também chamada geração do milênio ou geração da Internet[1], é um conceito em Sociologia que se refere, segundo alguns autores, à côrte dos nascidos após 1980 e, segundo outros, de meados da década de 1970 até meados da década de 1990, sendo sucedida pela geração Z. TAPSCOTT, Don. Wikinomics: como a colaboração em massa pode mudar o seu negócio. Singular Digital, 2007.
  11. 11. Políticas para desenvolver competências para o Século XXI APEC’2008 Education Reform Symposium in Xi'an, China, define as competências do Século 21 (21CC) 21st Century Skills and Competences for New Millennium Learners in OECD Countries: • Self-regulation of learning • Learning as active construction of knowledge • Collaborative learning www.apec.org
  12. 12. daisywang326.wordpress.com
  13. 13. Paradigma Ubíquo The best technology is truly the type that we no longer have to interact with. (History Repeats Digitally, 2008). The Dal lamp has been exhibited at some of the world's most prestigious museums, including the Centre Pompidou in Paris and The City of Science and Industry in Seoul, Korea. It received the "Star of the Observeur de design, 2004," a design award from the French Agency for the Promotion of Industrial Creations.
  14. 14. Paradigma Ubíquo “Processos de aprendizagem abertos significam processos espontâneos, assistemáticos e mesmo caóticos, atualizados ao sabor das circunstâncias e de curiosidades contingentes” (SANTAELLA, 2010)
  15. 15. Aprendizado Ubíquo (Saccol et al, 2011) O u-learning (aprendizagem ubíqua) se refere a processos de aprendizagem apoiados pelo uso de Tecnologias da Informação e da comunicação Móveis e Sem Fio, sensores e mecanismos de localização, que colaborem para integrar os aprendizes com o seu contexto de aprendizagem e com o seu entorno, permitindo formar redes virtuais e reais entre pessoas, objetos e situações ou eventos, de forma que se possa apoiar uma aprendizagem contínua, contextualizada e significativa para o aprendiz.
  16. 16. Quadros digitais
  17. 17. Volumetric 3D
  18. 18. Head mounted display. Virtual retinal display By Sony, 1992 Qualidade superior a DMD e LCD
  19. 19. Augmented Reality in a Contact Lens
  20. 20. Picoprojetores
  21. 21. off-screen display system 3D holographic projection technology clearly has a big future ahead. As this audio visual display continues to get high profile credibility, we are likely to see more companies advertising their products or marketing their business in this way. Whether it be large scale, big budget product launches or smaller retail POS systems, they are likely to become a common feature in the advertising world.
  22. 22. Realidade Virtual
  23. 23. Realidade Aumentada
  24. 24. Celular • Manipulações físicas • Computing fora de casa: carro versus bicicleta • Movimentos amplos versus minúsculos • O poder ritual das mãos: Lomo > Foto
  25. 25. Modelos Mentais • Sócio técnico – Comunicação – Agenda de contatos – Percepção social • Novo usos – Mensagens de texto – Contexto (ajuste) – Localização
  26. 26. Contexto • Interação com e no ambiente – Serviços baseados em localização – Imagens pelo celular – Realidade Aumentada – Bússolas
  27. 27. Comunidades • Comunicações... – one-to-one, few-to-few e few-to-many (tribal) – Fluxo denso entre amigos
  28. 28. Transmissão ao vivo [no ar] • Desconstrução do conteúdo: separação entre produção e distribuição
  29. 29. “O relatório da OCDE confirma o que conheço há anos: que nenhuma quantidade de tecnologia pode corrigir mau ensino". “The OECD report confirms what we've known for years: that no amount of technology can fix bad teaching".
  30. 30. "Agora temos evidências claras de que o enorme investimento em computadores para as escolas é injustificada. O dinheiro seria melhor gasto na formação de professores". "We now have clear evidence that the huge investment in computers for schools is unjustified. Money would be better spent on teacher training“.
  31. 31. 1920 | Autonomia Like the acquisition of language, the development of learner autonomy depends on social interaction (cf. Vygotsky 1978, 1986).
  32. 32. 1960 | Criatividade “A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe.” (Jean Piaget)
  33. 33. Educação | Prática de liberdade e emancipação • Cultivo da curiosidade • Práticas horizontais mediadas pelo diálogo • Atos de leitura do mundo • Problematização desse mundo • Ampliação do conhecimento que cada um • Interligação dos conteúdos apreendidos • Compartilhamento do mundo a partir do processo de construção e reconstrução do conhecimento jornalggn.com.br
  34. 34. fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Criador da Teoria do Ócio Criativo, na qual propõe a fusão entre trabalho, estudo e lazer como forma de criação de riqueza em uma sociedade pós-industrial, Domenico De Masi perdeu as contas de quantas vezes visitou o Brasil.
  35. 35. Instrumento mediador
  36. 36. Inovar - o quê?
  37. 37. Fenômeno Didático com mídias digitais ANDERSON, T. Toward a Theory of Online Learning. Theory and Practice of Online Learning. Canadá: Athabasca University, 2004. Disponível em: <cde.athabascau.ca/online_bo ok/> Acesso em: maio 2016
  38. 38. http://ethnographymatters.net/ “A guiding model of a large portion of ethnographic work was to provide understanding of people, practices and systems that would reduce probability of failure for an innovation.” (Ken Anderson, 2014)
  39. 39. Diálogo, Estrutura e Autonomia
  40. 40. Novas estruturas da prática docente ☚ Active Learning (MIT)
  41. 41. Sala de aula invertida Espaços, interfaces e sistemas devem ser fáceis de usar e sua organização deve refletir as estruturas da prática docente, desde o planejamento até as atividades de avaliação, monitoramento e consolidação de dados sobre o desenvolvimento dos discentes.
  42. 42. The Microsoft $63 millions School of the future Although the school’s creative ambitions have been frustrated by high principal turnover, curriculum tensions and a student body unfamiliar with laptop computer culture, the school graduated its first senior class Tuesday with each student having been accepted to an institution of higher learning.
  43. 43. @johnccarver www.intoscana.it
  44. 44. Flickr:tinkering_studio
  45. 45. DILLENBOURG, Pierre. What do you mean by collaborative learning?. Collaborative- learning: Cognitive and computational approaches., p. 1-19, 1999.
  46. 46. Apoiar a colaboração e experiências interativas Constitui-se como um canal de comunicação entre os alunos e o professor nos contextos de ensino e aprendizagem, mudando a relação entre professor e aluno.
  47. 47. DE ALMEIDA, V. P. S. et al. Assessing the Problem-Solving Strategies of Linear Function Using Blended Learning: The Effectiveness of Educational Social Network. In: Anais do Workshop de Informática na Escola. 2016. p. 845.
  48. 48. Permite perceber as interações Facilidade para integrar com sistemas de monitoramento de indicadores de qualidade, informando dados já definidos e dados de engajamento e participação nas situações mediadas a distância.
  49. 49. http://openredu.org http://openredu.com SILVA, João Carlos Sedraz et al. Análise do engajamento de estudantes com base na Distância Transacional a partir da Mineração de Dados Educacionais. RENOTE, v. 14, n. 1. INPI: BR512014000803-7
  50. 50. MELO FILHO, I. J.; GOMES, Alex Sandro; CARVALHO, R. S. Acompanhamento formativo no e-learning viabilizados pela integração entre Learning Management Systems e Personal Learning Environments. In: Anais do DesafIE-III Workshop de Desafios da Computação Aplicada à Educação-DesafiE2014-. Brasília: SBC-Sociedade Brasileira de Computação. 2014. p. 607-617.
  51. 51. Informal Learning Conference: CSCL2015 - 11th International Conference on Computer Supported Collaborative Learning - Tutorial on CSCL in Vocational Education and Training: The current critical state and future prospects,, At Gothenburg - Sweden
  52. 52. Presença social MEDEIROS, Francisco et al. Redesigning Collaboration Tools to Enhance Social Presence in Online Learning Environments. In: Collaboration and Technology. Springer Berlin Heidelberg, 2013. p. 175-191.
  53. 53. Autonomia No APEC’2008 Education Reform Symposium in Xi'an, China, define uma das competências do Século 21 (21CC)
  54. 54. Corregulação ROLIM, Ana Luiza et al. Design de um Artefato Social para avaliação formadora. Revista de Informática Aplicada, v. 10, n. 1, 2014.
  55. 55. Corregulação ROLIM, Ana Luiza et al. Design de um Artefato Social para avaliação formadora. Revista de Informática Aplicada, v. 10, n. 1, 2014.
  56. 56. Metacognição Metacognição está intimamente associada a desempenho no aprendizado, pela capacidade de reflexão do indivíduo sobre seus objetivos, estratégia e desempenho. EscherMetacognition
  57. 57. Autorregulação da aprendizagem “a process in which individual take the initiative, with or with out the help of other, to diagnose their learning needs, formulate learning goals, identify resources for learning, select and implement learning strategies, and evaluate learning outcomes” (Knowles, 1975, p.18)
  58. 58. EDM | Autorregulação SILVA, Ricardo et al. Mineração de dados educacionais na análise das interações dos alunos em um Ambiente Virtual de Aprendizagem. In: Anais do Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. 2015. p. 1197.
  59. 59. EDM | Distância transacional RAMOS, Jorge Luis Cavalcanti et al. Analisando Fatores que Afetam o Desempenho de Estudantes Iniciantes em um Curso a Distância. In: Anais do Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. 2014. p. 99.
  60. 60. Ubiquitous Learning DE SOUSA MONTEIRO, Bruno; GOMES, Alex Sandro; NETO, Francisco Milton Mendes. Youubi: Open software for ubiquitous learning. Computers in Human Behavior, v. 55, p. 1145-1164, 2016. INPI: BR512016001326-5
  61. 61. Design #becodobatman Foto:GabrielaPatrícia
  62. 62. Design da experiência de aprendizagem O educar enquanto serviço e inserido em sistemas sociais de atores e instituições
  63. 63. User Mental Model PAYNE, Stephen J. Users' mental models: the very ideas. HCI models, theories, and frameworks: Toward a multidisciplinary science, p. 135-156, 2003.
  64. 64. + Falta de preparação adequada (JONES, 2011) + Baixa autoeficácia (SOUZA ET AL., 2012) + Sistema de crenças (ERTMER, 2012) + Insuficiente compreensão de como usar (YEN ET AL., 2011) + Falta conhecimento quanto à aplicação (KHALIL, 2012) + Resistência em alinhar os métodos (KOKSAL, 2013)
  65. 65. Seis funções que tornam as ferramentas digitais úteis: • Entregar instrução diretamente para os alunos • Diagnosticar necessidades de aprendizagem • Variando o método de entrega de instrução • Adaptando-se às necessidades individuais dos alunos • Apoiar a colaboração e experiências interativas • Promover a prática independente de habilidades específicas
  66. 66. Raciocínio de Design www.designsojourn.com
  67. 67. www.pipacomunica.com.br/livrariadapipa/produto/ design-de-experiencias-de-aprendizagem/
  68. 68. ANÁLISE DE CONTEXTO
  69. 69. Pesquisa Bibliográfica A leitura de estudos sobre a prática docente é uma importante fonte de consulta e de conhecimento para apoiar a fase inicial de planejamento. (GOMES E SILVA, 2016)
  70. 70. Relato de experiência Outro tipo de fontes e leituras que podem nos ajudar a ganhar tempo e evitar erros na criação de experiências de aprendizagem são os relatos de experiências. (...) Existem outros eventos e revistas com conteúdos gratuitos e de fácil acesso onde podemos buscar informações e trocar experiências com colegas lendo seus relatos. (GOMES E SILVA, 2016)
  71. 71. Conheça e utilize software educativo A noção de usabilidade apresentada de forma simples para permitir uma apropriação e reuso www.pipacomunica.com.br/professorcriativo
  72. 72. INVARIANTE SITUAÇÕES DIDÁTICAS D ET K G ET L E ET H F ET K TI-01 LP LP C-LP TI-02 TI-03 LP TI-04 LP TI-05 TI-06 TI-07 TI-08 TI-09 TI-10 VI-01 C TG-01 TG-02 C TG-03 TG-04 C Aprendizagem de geometria usando papel e Lápis e papel (LP) e Cabri (C): Distribuição do conhecimento mobilizado em diferentes situações
  73. 73. ANÁLISE E SÍNTESE
  74. 74. Mapa mental São representações de relações entre conceitos que em muito se aproximam da forma natural como os seres humanos analisam um problema (BUZAN, 2005).
  75. 75. IDEAÇÃO
  76. 76. BrainstormingUma das primeiras técnicas de geração de ideias que vem a pauta quando se propõe criar em grupo é a ‘tempestade de ideias’, do inglês brainstorming (OSBORN, 1957).
  77. 77. PROTOTIPAGEM
  78. 78. Storyboard
  79. 79. Storyboard Frijid Pink http://hfid.olin.edu/
  80. 80. AVALIAÇÃO Ergonomia cognitiva
  81. 81. 0. Fazer várias xícaras de chá 1. Ferver água 2. Pegar bule vazio 3. Fazer o chá 4. Aguardar 4 ou 5 minutos 5. Servir o chá 1.1 Encher a chaleira 1.2 Colocar no fogão 1.4 Esperar ferver 1.5 Desligar o gás plano 0. 1 ao mesmo tempo, se bule cheio 2 então 3 - 4 após 4 ou 5 minutos 5 5.1 Colocar leite na xícara 5.2 Encher a xícara com chá 5.3 Colocar açúcar 3.1 Abrir o bule 3.2 Colocar folhas do chá no bule 3.3 Colocar água fervente 5.3.1 Perguntar se quer açúcar 5.3.2 Adicionar açúcar a gosto 1.3 Ligar o gás plano 1. 1.1 – 1.2 – 1.3 – 1.4 quando a chaleira ferver 1.5 plano 3. 3.1 – 3.2 – 3.3 plano 5.3 5.3.1 – se aceito 5.3.2 *
  82. 82. #becodobatman

Notas do Editor

  • O momento sinaliza para uma nova revolução industrial. Para a primeira (vapor) e a segunda(eletricidade), as modalidades presenciais de ensino, e sua origem militar, foram adequadas à formação de contingentes de cidadãs(ãos) em suas nações. A terceira revolução (Internet) e a emergência das industrias do conhecimento e criativas revelou a necessidade de se conceber sistemas educacionais que formem pessoas capazes de resolver problemas complexos mobilizando muitas formas de raciocínio, em colaboração com distintas culturas e promovendo autonomia para si e para outrem. No amanhecer da 4ª revolução industrial (Internet das coisas) e as necessidades de aprendizagem das nações são ainda mais complexas. Nesta palestra levantaremos alguns cenários futuros com experiências de aprendizagem abertas, flexíveis e a distância para o desenvolvimento humano no momento histórico contemporâneo.
  • Série Professor Criativo
    Linguagem quase sempre científica
    Linguagem
    Diagramação
    Proposição de cenários de aprendizagem
    Relação entre teoria e prática
    Reflexão sobre a adequação de cada tipo de tecnologia
  • É muito complexo ser um bom professor
    Teorias de aprendizagem
    Mediação
    Cultura
    Conteúdos
    Prazos
    Didática
    Didática da EAD
  • Um bom professor = relacionamento com os alunos
    Turmas menores
    Mais comunicação
    Mais diagnósticos
    Acompanhamento
    Espaços criativos
    Desenvolvimento progressivo da autonomia
    Emoção positiva
    Fonte: http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/economia/noticia/2015/09/16/em-breve-um-robo-pode-fazer-o-seu-trabalho-199258.php
  • Um bom professor = relacionamento com os alunos
    Turmas menores
    Mais comunicação
    Mais diagnósticos
    Acompanhamento
    Espaços criativos - Space Make Suécia
    Desenvolvimento progressivo da autonomia
    Emoção positiva
  • https://en.wikipedia.org/wiki/Nuremberg_Funnel
    Imagens:
    http://duepublico.uni-duisburg-essen.de/servlets/DerivateServlet/Derivate-22140/Bilder/Nuremberg%20Funnel.jpg
    https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c2/Nuremberg_Funnel_-_ad_stamp_1910.jpg
  • https://pt.wikipedia.org/wiki/Exército_prussiano
  • https://www.bostonglobe.com/arts/2014/11/27/varejao-fleshy-grisly-art-unconvincing-ica/pqbj9xTfRSjshUPFqRsCqK/story.html
  • http://hrd.apec.org/index.php/
    http://apec.org/Press/Speeches/2008/0115_cn_ednetserminarambcapunay.aspx
    http://www.apec.org/Meeting-Papers/Leaders-Declarations/2008/2008_aelm.aspx
  • A ideia que a EAD reproduz a estrutura da uma sala de aula
  • http://spectrum.ieee.org/biomedical/bionics/augmented-reality-in-a-contact-lens/0
  • http://flyawaysimulation.com/news/3630/3d-holographic-projection-future-of-advertising/
  • Samsung
  • O que são brilhantes professores
    Criam situacões de aprendizagem
    Transformam teorias em prática
    Criam cenários com materiais
    Tecnologia ampliam o leve
  • O que são brilhantes professores
    Criam situacões de aprendizagem
    Transformam teorias em prática
    Criam cenários com materiais
    Tecnologia ampliam o leve
  • É muito complexo ser um bom professor
    Teorias de aprendizagem
    Mediação
    Cultura
    Conteúdos
    Prazos
    Didática
    Didática da EAD
  • http://jornalggn.com.br/noticia/a-importancia-de-paulo-freire-por-lisete-arelaro
  • https://fernandonogueiracosta.files.wordpress.com/2013/01/domenico-de-masi-socic3b3logo-do-c3b3cio.jpg
  • É muito complexo ser um bom professor
    Teorias de aprendizagem
    Mediação
    Cultura
    Conteúdos
    Prazos
    Didática
    Didática da EAD
  • Maior DT, eles exercem (ou necessitam de) mais autonomia.
    Alunos mais autônomos tendem a ficar mais confortáveis com menos diálogo, recebendo instruções através de materiais de cursos mais estruturados.
  • http://newsone.com/nation/good-news-nation/associated-press/good-news-school-of-the-future-bridges-graduation-gap/
  • Fotos: http://hypescience.com/escola-sueca-sem-classes-de-aula-sera-o-futuro-da-educacao/
  • Fotos: http://hypescience.com/escola-sueca-sem-classes-de-aula-sera-o-futuro-da-educacao/
  • https://mobile.twitter.com/johnccarver/status/485869249227784195/photo/1
    http://www.intoscana.it/site/shared/turismo/immagini/elementi/fablab_news.jpg
  • https://www.flickr.com/photos/tinkering_studio/8884410982/in/photostream/
  • Knowles, M. (1975). Self-directed learning: A guide for learners and teachers. New York, Association Press.
  • Design
    Necessidades e concepção
  • + TI mais adotada para fins administrativos Howard (2012)
    + Formação inicial
    + Equipe pedagógica
    + Baixa autoeficácia (Souza et al. (2012)
    + Sistema de crenças Ertmer (2012)
    + Insuficiente compreensão de como usar a tecnologia de forma eficaz e inovadora e permanece a utilizá-la de maneira experimental Yen et al (2011)
    + Khalil (2012) aponta que falta conhecimento relevante quanto à aplicação das TICs em sala de aula
    + Koksal (2013) há ‘resistência’ em alinhar os métodos tradicionais de ensino com adoção das tecnologias
  • http://bienaldolivrosp.tumblr.com/
  • Foto da edição do módulo
  • Tecnologias não ensinam, mas apenas boas pedagogias
    Rádio
    TV
    Internet

    Openredu
    Celular
    Youubi
  • http://elisbsdias.blogspot.com.br/2012/10/foco-e-gestao-do-tempo.html
  • http://www.clixmarketing.com/blog/2015/06/18/why-good-old-fashioned-brainstorming-is-important-in-ppc/
    E
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Brainstorming
  • https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/5c/27/95/5c2795b78cd64fe6e8c85faafd3e9925.gif
    https://br.pinterest.com/pin/263953228132492503/
  • http://hfid.olin.edu/sa2011/s_engr3220-frijid-pink/images/storyboard_download.png
  • Formação

×