Expansaomaritimaeuropeia

829 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
829
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Expansaomaritimaeuropeia

  1. 1. EXPANSÃO MARÍTIMA EUROPÉIA Século XV
  2. 2. CONCEITO Também chamada de GRANDES NAVEGAÇÕES, foi um movimento que ocorreu na Europa, a partir do séc. XV, quando países europeus – liderados por Portugal e Espanha – lançaram-se na conquista dos mares
  3. 3. Causas Catequese: a Igreja Católica desejava conquistar novos fieis para compensar as perdas na Europa. Tecnologias: alguns inventos, como bússola, astrolábio e a caravela tornavam as viagens mais seguras. Especiarias: temperos como canela, cravo e pimenta-do-reino custavam caro na Europa e foram uma das principais causas da expansão marítima.
  4. 4. Motivos que levaram às Grandes Navegações: 1. Falta de alimento para abastecer as cidades. 2. A produção artesanal nas cidades era alta e não encontrava consumidores na zona rural. 3. Falta de moedas. 4. Encarecimento das especiarias. 5. Conversão ao cristianismo.
  5. 5. Rotas das especiarias As rotas mais conhecidas para buscar especiarias eram a rota por terra ou via Mar Mediterrâneo. A rota por terra era dominada, geralmente, pelos árabes. Além disso, o percurso era muito grande, o que desestimulava a burguesia. A rota pelo Mar Mediterrâneo era dominada pelos italianos – especialmente de Gênova e Veneza. Cabia aos portugueses buscar uma rota alternativa. A escolha foi o Oceano Atlântico.
  6. 6. Principais especiarias  Cravo da Índia
  7. 7. Principais especiarias  Pimenta do reino
  8. 8. Principais especiarias  Noz Moscada
  9. 9. Principais especiarias  Eram especiarias também o gengibre, a canela, o açúcar entre outras.  Os europeus compravam outros produtos do Oriente, como: tecidos finos,tapetes, cristal,perfumes,porcelana e seda.
  10. 10. Visões de Mundo
  11. 11. Visões de Mundo
  12. 12. O Mundo Hoje
  13. 13. Riscos (imaginários) de navegação Navegar no Oceano Atlântico não era tarefa fácil. Este oceano era conhecido como MarTenebroso, pois havia a ideia de que era habitado por monstros marinhos. Além disso, alguns acreditavam na ideia – propagada nas escrituras bíblicas – daTerra Plana. Assim, em determinado ponto da viagem, as embarcações seriam atacadas por monstros ou cairiam em um abismo sem fim.
  14. 14. Visões dos mares
  15. 15. Riscos (reais) de navegação  Além das crenças e superstições da época, os navegadores enfrentavam outras ameaças.  Problemas como fome, sede, doenças, tédio e tempestades ofereciam perigos reais.  Desta forma, das embarcações que partiam, poucas retornavam.
  16. 16. Pioneirismo português  Portugal já era uma nação unificada e independente no século XII.  Revolução de Avis (1385) - subiu ao trono D. João I que, apoiado pelos burgueses, tinha grande interesse na expansão marítima.  Boa parte da população portuguesa vivia da pesca.  Escola de Sagres – século XV.  Localização privilegiada.
  17. 17. (Alguns) navegadores portugueses  Bartolomeu Dias: chegou ao sul da África em 1488, no local denominado Cabo dasTormentas. Este local foi, futuramente, denominado Cabo da Boa Esperança.  Vasco da Gama: primeiro navegador a atingir a Índia, em 1498.Trouxe um grande carregamento de especiarias.  Pedro Álvares Cabral: veio ao Brasil, em 1500, antes de seguir até a Índia. A idéia predominante hoje é que esta vinda ao Brasil foi intencional.
  18. 18. Expansão marítima portuguesa  Objetivo: alcançar o Oriente contornando o litoral sul africano.  Primeiras conquistas: Ceuta (1415), Ilha da Madeira (1418-1419), Açores (1427-1428).  1434 – o cabo do Bojador foi ultrapassado.
  19. 19. Expansão marítima portuguesa  1487-1488 – Bartolomeu Dias atravessou o Cabo das Tormentas, chamado depois de Cabo da Boa Esperança.EuropeanVoyages of Exploration: Winds and Routes  1498 –Vasco da Gama chegou às Índias.  1500 – Pedro Álvares Cabral tomou posse das terras que, mais tarde, foram chamadas de Brasil.  Até 1530, Portugal esteve mais interessado em explorar as riquezas do Oriente. Apenas quando esse comércio parou de gerar tantos lucros e a posse das terras americanas estava ameaçada,Portugal iniciou a colonização na América.
  20. 20. (Alguns) navegadores espanhóis  Cristóvão Colombo: era genôves, mas navegou em nome da coroa espanhola. Propôs a chegada na Índia navegando em sentido Oeste, mas acabou alcançando a América, em 1492.  Fernão de Magalhães: era português, mas navegou pela Espanha. Comandou a expedição que efetuou a primeira circunavegação do planeta, partindo em 1519.  Hernán Cortés: conquistou o Império Asteca, em 1519, no atual México.  A Espanha entrou atrasada em relação à Portugal na conquista dos mares, pois estava expulsando os mulçumanos de seu território, na chamada Reconquista.
  21. 21. Expansão Marítima Espanhola  Enquanto Portugal se lançava ao mar, os reinos de Castela e Aragão ainda lutavam contra os mouros.  1492 – Colombo chegou a América. http://www.ucalgary.ca/applied_history/tutor/eurvoya/map.html  1519 – Fernão de Magalhães – primeira viagem em torno do mundo – circunavegação.
  22. 22. Portugal e Espanha - diferenças -  Portugueses: fixavam-se no litoral das terras conquistadas.  Espanhóis: procuravam explorar o interior. Assim, com o trabalho forçado da população nativa conseguiram explorar minas de ouro e prata para enriquecer a metrópole.  A Espanha conquistou a supremacia européia.
  23. 23. Portugal e Espanha - conflitos-  Problemas gerados pelos feitos de Colombo.  1479 –Tratado de Alcáçovas - que garantia a Portugal a posse de todas as ilhas do Oceano Atlântico.  1493 – bula Inter Coetera  1494 –Tratado deTordesilhas.
  24. 24. A divisão do mundo...  Para dividir as terras conquistadas (Novo Mundo) entre Portugal e Espanha, foram criados dois documentos:  Bula Intercoetera: foi assinada em 1493, pelo papa Alexandre VI, e dividia as novas terras através de um meridiano situado a 100 léguas da ilha de CaboVerde. Portugal não se beneficiava com esta divisão, e exigiu um novo documento.  Tratado deTordesilhas: foi assinado em 1494, por pressões de Portugal. Estabelecia um meridiano situado a 370 léguas a partir da ilha de CaboVerde.  Estes documentos foram questionados por outros países europeus que não participaram desta divisão.
  25. 25. Ingleses e franceses  Encorajados pelas conquistas dos portugueses e dos espanhóis, lançaram-se ao mar.  Muitas vezes, desrespeitaram oTratado de Tordesilhas o que gerou muitos conflitos.  Chegaram em muitas terras da América do Norte, mas a importância da França e da Inglaterra no processo de colonização só cresceu no século XVII.

×