Gestão de Projetos e Empreendedorismo: SIN-NA7 (30/10/2013)

417 visualizações

Publicada em

Slides da aula apresentada no dia 30 de outubro de 2013.

Disciplina: Gestão de Projetos e Empreendedorismo.

Curso: Sistemas de Informação (SIN-NA7).

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
417
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestão de Projetos e Empreendedorismo: SIN-NA7 (30/10/2013)

  1. 1. 2° Semestre de 2013 SIN-NA7 Alessandro Almeida | www.alessandroalmeida.com 30/10/2013
  2. 2. Instituto Beleza Natural: Uma história que poderia ser sua!
  3. 3. Vídeo disponível no endereço http://www.endeavor.org.br/videos/start-up/day1/aprendendo-a-ser-empreendedor/a-formula-da-autoestima-zica-e-leila-velez-e-o-beleza-natural-day1
  4. 4. O que este exemplo nos ensina?
  5. 5.  Alguns fatores críticos para um empreendimento ser bem sucedido:  Atitude e disposição!  Acreditar na causa (Paixão)!  Foco e persistência!  Desejo de construir uma história (ou, não querer “viver a vida de outros”) Cuidado com a busca por histórias inspiradoras!
  6. 6.  Alguns fatores críticos para um empreendimento ser bem sucedido:  Atitude e disposição!  Acreditar na causa (Paixão)!  Foco e persistência!  Desejo de construir uma história (ou, não querer “viver a vida de outros”) Pergunte a um empreendedor bem sucedido quantos livros de autoajuda ele leu.
  7. 7.  Alguns fatores críticos para um empreendimento ser bem sucedido:  Atitude e disposição!  Acreditar na causa (Paixão)!  Foco e persistência!  Desejo de construir uma história (ou, não querer “viver a vida de outros”)  Desapego dos ganhos financeiros...
  8. 8.  Alguns fatores críticos para um empreendimento ser bem sucedido:  Atitude e disposição!  Acreditar na causa (Paixão)!  Foco e persistência!  Desejo de construir uma história (ou, não querer “viver a vida de outros”)  Desapego dos ganhos financeiros...  Concordam?
  9. 9. Como as duas empreendedoras se complementam?
  10. 10. Como dosar empreendedorismo e gestão?
  11. 11. Definições do livro “O Segredo de Luísa”
  12. 12. O empreendedor é um insatisfeito que transforma seu inconformismo em descobertas e propostas positivas para si mesmo e para os outros.
  13. 13. É alguém que prefere seguir caminhos não percorridos, que define a partir do indefinido, acredita que seus atos podem gerar consequências.
  14. 14. Empreendedorismo é atitude!
  15. 15. Não tente seguir a história de terceiros! Construa a sua história.
  16. 16. Empreendedorismo (ainda) não é um tema que faz parte da rotina do brasileiro.
  17. 17. Pesquisas acadêmicas identificaram alguns traços que acompanham os empreendedores bem-sucedidos:
  18. 18.      Tem iniciativa, autonomia, autoconfiança, otimismo e necessidade de realização Tem perseverança e tenacidade Considera o fracasso um resultado como outro qualquer; aprende com resultados negativos, com os próprios erros Tem grande energia. É um trabalhador incansável Sabe fixar metas e atingí-las
  19. 19.     Tem sempre alto comprometimento. Crê no que faz É um sonhador realista. Embora racional, sabe usar a parte direita do cérebro É orientado para resultados, para o futuro, para o longo prazo Conhece muito bem o ramo em que atua
  20. 20.     Define o que deve aprender (a partir do não definido) para realizar suas visões Cria um método próprio de aprendizagem. Aprende a partir do que faz Tem alta tolerância à ambiguidade e à incerteza; é hábil em definir a partir do indefinido Traduz seus pensamentos em ações
  21. 21.      Capacidade de influenciar as pessoas com as quais lida. A empresa é um sistema social que gira em torno do empreendedor Tece rede de relações Sabe buscar, utilizar e controlar recursos Tem um “modelo”, uma pessoa que o influencia É líder
  22. 22.      Capacidade de influenciar as pessoas com as quais lida. A empresa é um sistema social que gira em torno do empreendedor Tece rede de relações Sabe buscar, utilizar e controlar recursos Tem um “modelo”, uma pessoa que o influencia É líder
  23. 23.  Muitas das características listadas são aprendidas, outras já estão em você e são despertadas pela sua vontade de realizar os próprios sonhos
  24. 24. O empreendedor é alguém que busca resultados financeiros (ou, ficar rico)?
  25. 25. O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?
  26. 26. O empreendedor é alguém que busca resultados financeiros (ou, ficar rico)?
  27. 27. NÃO!
  28. 28. O empreendedor é um insatisfeito que transforma seu inconformismo em descobertas e propostas positivas para si mesmo e para os outros.
  29. 29. É alguém que prefere seguir caminhos não percorridos, que define a partir do indefinido, acredita que seus atos podem gerar consequências.
  30. 30.  O empreendedor pode sim desejar resultados financeiros...  Talvez não como objetivo final, mas como um caminho para algo maior O que você faria com R$ 10.000.000?
  31. 31.  Mas o empreendedor também pode estar buscando outro tipo de realização... Ser um agente de mudança do seu mundo  Promover o desenvolvimento da sua comunidade (trabalhos assistenciais, cooperativas, atividades culturais, etc.)
  32. 32. Erros e acertos com o empreendimento Células de Estudo
  33. 33.  Centralização  A preocupação com a integridade da marca Células de Estudo fez com que eu centralizasse diversas atividades de gestão, limitando a expansão do empreendimento
  34. 34.  Desejo de resolver tudo de uma vez (ou, abraçando o mundo) Fonte: http://nantboechat.blogspot.com.br/2008/10 /evangelizar-servindo-comunidade.html
  35. 35.  Desejo de resolver tudo de uma vez (ou, abraçando o mundo)  Talvez o correto teria sido aguardar os resultados da primeira Célula, validar o modelo (através de indicadores) e só depois buscar ampliar a atuação e focar em outras iniciativas  Foco na progressão lenta, mas consistente
  36. 36.  Definir uma missão e uma marca  Definir uma missão e uma marca – além de saber comunicá-los – foi um diferencial para conseguir espaço nas escolas e manifestar o interesse dos voluntários
  37. 37.  Construção de uma rede consistente  O processo de seleção de voluntários garantiu que somente aqueles realmente engajados na proposta do Células de Estudo participassem do empreendimento  Comunicação constante (através de relatórios e conversas informais) com os responsáveis pelo Escola da Família e Diretores das escolas fortaleceram a relação
  38. 38.  Organização  Mesmo na fase embrionária, o empreendimento foi organizado com documentos, apresentações e planilhas de controle (foco no necessário para a gestão)  Aplicação de conceitos do mundo corporativo  Aprendizado compartilhado com outros empreendimentos sociais
  39. 39.  Paixão e Atitude  Principal lição!  Provavelmente o empreendimento não surgiria sem a junção da PAIXÃO (acreditar na causa) com a ATITUDE (sair da zona de conforto)
  40. 40. alessandro.almeida@uol.com.br www.alessandroalmeida.com/unifieo.htm www.slideshare.net/alessandroalmeida

×