Gestão de Projetos e Empreendedorismo: SIN-NA7 (02/10/2013)

359 visualizações

Publicada em

Slides da aula apresentada no dia 02 de outubro de 2013.

Disciplina: Gestão de Projetos e Empreendedorismo.

Curso: Sistemas de Informação (SIN-NA7).

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Gestão de Projetos e Empreendedorismo: SIN-NA7 (02/10/2013)

  1. 1. AlessandroAlmeida | www.alessandroalmeida.com 02/10/2013 2° Semestre de 2013 SIN-NA7
  2. 2. Quarta-feira, 16 de outubro
  3. 3.  Exemplo de prova (corrigida):  www.slideshare.net/alessandroalmeida/gesto-de- projetos-e-empreendedorismo-23042013
  4. 4.  Principal responsabilidade...  Atingir os objetivos do projeto
  5. 5.  Como?  Planejando as atividades  Organizando e acompanhando a equipe  Gerenciando os stakeholders  Monitorando o andamento do projeto  Comunicando a situação do projeto  Gerenciando os riscos, escopo, prazos e demais parâmetros do projeto
  6. 6. Se preparando para que tudo dê certo...
  7. 7. Execução Monitoramento Encerram ento Iniciação Planejamento
  8. 8. Execução Monitoramento Encerram ento Iniciação Planejamento
  9. 9. 1. Detalhar o mapeamento dos stakeholders do projeto 2. Detalhar o Escopo do projeto 3. Detalhar a EAP e o Cronograma 4. Criar o Plano de Comunicação 5. Criar o Plano de Recursos Humanos 6. Criar o Plano de Riscos 7.Validar e divulgar os planos do projeto Planejamento
  10. 10. 1. Detalhar o mapeamento dos stakeholders do projeto 2. Detalhar o Escopo do projeto 3. Detalhar a EAP e o Cronograma 4. Criar o Plano de Comunicação 5. Criar o Plano de Recursos Humanos 6. Criar o Plano de Riscos 7.Validar e divulgar os planos do projeto Planejamento
  11. 11. 1. Detalhar o mapeamento dos stakeholders do projeto 2. Detalhar o Escopo do projeto 3. Detalhar a EAP e o Cronograma 4. Criar o Plano de Comunicação 5. Criar o Plano de Recursos Humanos 6. Criar o Plano de Riscos 7.Validar e divulgar os planos do projeto Planejamento
  12. 12.  Primeiro, vamos entender a definição de risco...
  13. 13.  Definição do PMBOK, 4ª edição:  Um evento ou condição incerta que, se ocorrer, provocará um efeito positivo ou negativo nos objetivos de um projeto
  14. 14.  O risco envolve...  Incerteza  Impacto  Probabilidade  Oportunidades  Ameaças
  15. 15.  Fonte da imagem “Risco de Afogamento”:  http://www.flickr.com/photos/kiko_fernandes /4148281427/
  16. 16.  Risco...  de atraso  de não atender o escopo  de não cumprir o orçamento  de não ser homologado  de algum membro da equipe sair da empresa
  17. 17.  Risco...  de entregar antes do prazo  de surpreender o cliente com funcionalidades adicionais  de aproveitar uma nova tecnologia que facilitará a implementação de funcionalidades  de empreender com o ProjetoTCC
  18. 18.  Premissa  São fatores que, para fins de planejamento, são considerados verdadeiros, reais ou certos sem prova ou demonstração  Talvez o seu projeto dependa de alguma premissa para dar certo  Restrição  Limitação ou imposição de limite  Seu projeto precisa ser realizado dentro do limite definido
  19. 19.  Premissa:Talvez o seu projeto dependa de alguma premissa para dar certo... ▪ A Roberta, especialista em BI, vai participar do projeto. ▪ O cliente vai disponibilizar um analista de negócios em tempo integral na fase de levantamento de requisitos.  Restrição: Seu projeto precisa ser realizado dentro do limite definido... ▪ O projeto precisa ser concluído antes de 31/12 ▪ O custo não pode ultrapassar R$ 500.000
  20. 20.  Premissas e restrições são um bom ponto de partida para identificação dos riscos a serem monitorados...  A Roberta, especialista em BI, vai participar do projeto. ▪ Quais eventos podem tirar a Roberta do projeto? ▪ O que faremos se ela sair?  O projeto precisa ser concluído antes de 31/12 ▪ Quais eventos podem fazer com que o projeto atrase? ▪ O que faremos se o projeto atrasar?
  21. 21.  Benchmarking  Entrevistas  Check-lists  Opinião especializada  Consultoria  Brainstorming  Lições aprendidas
  22. 22.  Benchmarking  Entrevistas  Check-lists  Opinião especializada  Consultoria  Brainstorming  Lições aprendidas
  23. 23.  Tempestade de idéias ou “toró de parpite”  Diferenças de pensamentos e experiências geram novas ideias  Compartilhar as ideias, sem filtros  Julgamento pode “bloquear” o processo  A avaliação das ideias é feita no final da sessão de brainstorming
  24. 24.  Base histórica de riscos em outros projetos  Reuniões entre equipes  Aprendizado Inter-projetos (http://finito- log.blogspot.com/2004/08/o-aprendizado-inter- projetos.html)
  25. 25. # Descrição Fonte 001 Entrega fora do prazo Falta de planejamento 002 Escopo não atendido Mapeamento de requisitos inexistente 003 Não aceitação do sistema pelos clientes Tecnologia nova
  26. 26. # Descrição FONTE 001 Entrega fora do prazo Falta de planejamento 002 Escopo não atendido Mapeamento de requisitos inexistente 003 Não aceitação do sistema pelos clientes Tecnologia nova Importante: Uma única fonte pode gerar diversos riscos
  27. 27.  Vários riscos serão identificados  A análise permite priorizar o foco no tratamento dos riscos!  Probabilidade: Qual é a chance do risco ocorrer?  Impacto: Qual é o “tamanho” dos danos ou benefícios, caso o risco ocorra?  Probabilidade x Impacto = Prioridade, Criticidade ou Peso do risco
  28. 28. # Descrição Prob. Imp. Criticidade 001 Entrega fora do prazo 4 5 20 002 Escopo não atendido 3 4 12 003 Não aceitação do sistema pelos clientes 2 3 6
  29. 29. Estratégia de Resposta e Plano de Ação
  30. 30.  Quando for um risco negativo...  Eliminar: Remover totalmente a ameaça (pode envolver mudanças radicais)  Transferir: Repassar o risco para um terceiro, mas não o elimina (por exemplo: Seguro)  Mitigar: Reduzir o impacto ou a probabilidade  Aceitar: Conheço o risco, sua probabilidade e seu impacto, mas concluí que é melhor “deixar a vida me levar” e atuar somente se o risco ocorrer
  31. 31.  Quando for um risco positivo...  Explorar: Direciono recursos para garantir que a oportunidade se concretize  Compartilhar: Envolvo um terceiro na exploração da oportunidade (por exemplo:Criação de uma joint venture)  Melhorar: Realizo ações para ampliar a probabilidade ou impacto positivo da oportunidade  Aceitar: Não tomarei ação, somente aproveitando os resultados caso a oportunidade se concretize
  32. 32.  O plano de ação pode ser simples ou complexo, contemplando desde uma única ação até a participação de diversos stakeholders e fornecedores
  33. 33.  O fundamental é que o Gerente de Projeto avalie, considerando a criticidade do risco, quais ações são necessárias para que a estratégia de resposta seja executada
  34. 34. # Descrição Criticidade Estratégia de Resposta ao Risco Plano de Ação 001 Entrega fora do prazo 20 Mitigar O que fazer? Como fazer? Quem fará? Quanto vai custar? Quem será envolvido? 002 Escopo não atendido 12 Mitigar 003 Não aceitação do sistema pelos clientes 6 Aceitar
  35. 35. Planejamento do Projeto: Parte 7_Plano de Riscos
  36. 36.  Montem o Plano de Riscos do ProjetoTCC  Entrega na próxima terça-feira (08/10)
  37. 37. alessandro.almeida@uol.com.br www.alessandroalmeida.com/unifieo.htm www.slideshare.net/alessandroalmeida

×