[curso] Ferramentas para Empreendedores (TURMA 3)

1.748 visualizações

Publicada em

Slides apresentados para a TURMA 3 do curso "Ferramentas para Empreendedores".

Tópicos abordados:

- Design Thinking;
- Empatia;
- Mapa da Empatia;
- Canvas da Proposta de Valor;
- Business Model Canvas;
- Lean Canvas;
- Lean Startup.

Última atualização: 22/05/2016

Publicada em: Negócios
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.748
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
214
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
92
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

[curso] Ferramentas para Empreendedores (TURMA 3)

  1. 1. FERRAMENTAS PARA EMPREENDEDORES Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com TURMA 3
  2. 2. NAVEGUE PELO CONTEÚDO DATA DA AULA TÓPICOS ABORDADOS LINK 05/03/2016 Introdução ao conceito do Design Thinking. Empatia. Acesse 12/03/2016 Canvas da Proposta de Valor. Acesse 19/03/2016 Business Model Canvas e Lean Canvas. Acesse 02/04/2016 Plano de Negócios x Canvas. Lean Startup. Dicas para o TCC. Acesse
  3. 3. FERRAMENTAS PARA EMPREENDEDORES Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com AULA 1 05/03/2016 TURMA 3 Clique aqui para escolher outra aula
  4. 4. QUEM SOU EU?
  5. 5. MINHA MOTIVAÇÃO... Por que estou aqui?
  6. 6. Será que a minha motivação combina com a sua motivação?
  7. 7. COMBINANDO O JOGO
  8. 8. OBJETIVOS DO CURSO Aplicar o Design Thinking para identificar possibilidades de empreendimento Descrever um modelo de negócio através do Lean Canvas e do Business Model Canvas Ter condições de aplicar os conceitos do Lean Startup para viabilizar o empreendimento
  9. 9. COMO VAMOS ATINGIR OS OBJETIVOS? Prática! Revisão da prática e dos conceitos Apresentação dos conceitos
  10. 10. NOSSA PROGRAMAÇÃO Sala de aula: Próximos 4 sábados (05/03 até 02/04), das 13:15 às 16:00 (11 horas) Extra aula: Revisão dos conceitos e das atividades (~14 horas) Surgiu alguma dúvida durante a semana? ME PROCUREM! (contatos nos próximos slides)
  11. 11. Dá para encerrar o lenga-lenga e dizer como essa baboseira vai me ajudar?
  12. 12. COMO O CURSO IRÁ AJUDÁ-LOS? Alunos de SI e TADS: Desenvolvimento do TCC Todos: Desenvolvimento de um empreendimento
  13. 13. COMO O CURSO IRÁ AJUDÁ-LOS? É claro que também valerá como atividade complementar
  14. 14. CONTATOS alessandro.almeida@uol.com.br slideshare.net/alessandroalmeida linkedin.com/in/alessandroalmeida fb.com/alessandroalmeida 9 9229-2043
  15. 15. Relembrando o conceitoEMPREENDEDORISMO
  16. 16. EMPREENDEDORISMO DISPOSIÇÃO ou capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços, negócios INICIATIVA de implementar novos negócios ou mudanças em empresas já existentes, geralmente com alterações que envolvem inovação e riscos  Fonte: Dicionário Houaiss
  17. 17. EMPREENDEDORISMO Resumindo em uma frase... Empreendedorismo é atitude!
  18. 18. COMO NASCE UM EMPREENDIMENTO? Ou, o gatilho do empreendedor!
  19. 19. COMO PODE NASCER UM EMPREENDIMENTO? Uma ideia! Execução! Uma necessidade ou desejo (meu, de outra pessoa ou da minha empresa) Incômodo com alguma situação Ociosidade Crises Problemas ONDE TUDO COMEÇA:
  20. 20. FOTO DO BOOMERANG Fonte: http://www.flickr.com/photos/sapiamaia/4200296153/
  21. 21. Tá, mas como eu desenvolvo a minha ideia de empreendimento?
  22. 22. Calma, jovem... Vamos fazer um parênteses e conversar sobre Design Thinking
  23. 23. DESIGN THINKING Nosso modelo mental
  24. 24. WTF O que é Design Thinking?
  25. 25. Design Thinking Ao ouvir a palavra design, provavelmente imaginamos coisas assim...
  26. 26. O design como disciplina tem por objetivo máximo promover o bem-estar na vida das pessoas
  27. 27. Design Thinking • Não é “coisa de designer”, mas reflete a essência do Design, que é o foco nas pessoas • Pega emprestado do Design o olhar necessário para criar coisas melhores para as pessoas
  28. 28. Design Thinking • Não é um framework ou metodologia! É um modelo mental, uma maneira de pensar e abordar os problemas • Para aplicá-lo, você pode (e deve) usar conceitos multidisplinares... Tudo depende do problema que precisa ser resolvido!
  29. 29. Três palavras que compõem a essência do Design Thinking: Empatia Colaboração Experimentação
  30. 30. VOCÊ define o processo mais adequado ao problema que precisa ser resolvido! (sempre respeitando a essência do Design Thinking)
  31. 31. O PROCESSO (EXEMPLO 1)...
  32. 32. O PROCESSO (EXEMPLO 2)...
  33. 33. O PROCESSO (EXEMPLO 3)...
  34. 34. SAIBA MAIS...
  35. 35. Cara, o que isso tem a ver com empreendedorismo?!?!
  36. 36. CARA, O QUE ISSO TEM A VER COM EMPREENDEDORISMO? A aplicação do Design Thinking vai ajudá-lo a entender PLENAMENTE a necessidade do seu público-alvo e a desenvolver a solução mais adequada Três palavras que compõem a essência do Design Thinking: Empatia | Colaboração | Experimentação
  37. 37. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo
  38. 38. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente
  39. 39. EMPATIA Como olhar com os olhos do meu público-alvo?
  40. 40. EMPATIA Capacidade de se identificar com outra pessoa, de sentir o que ela sente, de querer o que ela quer, de apreender do modo como ela apreende etc. Fonte: Dicionário Houaiss
  41. 41. EMPATIA Não existe Design Thinking sem um grande esforço de observar, conhecer, entrevistar e compreender as pessoas que você quer servir Fonte: Livro Design Thinking Brasil
  42. 42. EMPATIA 1º passo para desenvolver a empatia Aprenda a escutar, ao invés de somente ouvir o que as pessoas dizem!
  43. 43. SUGESTÃO DE FERRAMENTA: MAPA DA EMPATIA Para conhecer o meu público-alvo
  44. 44. EXEMPLO 1 TODAS AS PESSOAS QUE VOTAM (PREFEITO, GOVERNADOR, PRESIDENTE ETC.)
  45. 45. MAPA DA EMPATIA
  46. 46. MAPA DA EMPATIATodas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.)
  47. 47. MAPA DA EMPATIA O QUE ELE VÊ? Descreva o que seu público-alvo vê em seu ambiente • Como é? • Quem está em torno dele? • Quem são seus amigos? • A quais tipos de ofertas ele está exposto diariamente? • Quais problemas encontra? Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.)
  48. 48. MAPA DA EMPATIATodas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.) O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção O QUE ELE VÊ? Descreva o que seu público-alvo vê em seu ambiente • Como é? • Quem está em torno dele? • Quem são seus amigos? • A quais tipos de ofertas ele está exposto diariamente? • Quais problemas encontra?
  49. 49. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção O QUE ELE ESCUTA? Descreva como o ambiente influencia o público-alvo • O que os amigos e outras pessoas próximas dizem? • Quem realmente influencia? Como? • Quais canais de mídia são influentes? Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.)
  50. 50. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção O QUE ELE ESCUTA? Descreva como o ambiente influencia o público-alvo • O que os amigos e outras pessoas próximas dizem? • Quem realmente influencia? Como? • Quais canais de mídia são influentes? Todo mundo revoltado no Facebook Você é um coxinha! A corrupção nunca vai acabar A solução é votar nulo Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.)
  51. 51. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção Todo mundo revoltado no Facebook Você é um coxinha! A corrupção nunca vai acabar A solução é votar nulo Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.) O QUE ELE REALMENTE PENSA E SENTE? Tente desenhar o que acontece na mente do público-alvo • O que é realmente importante para ele (que talvez não diria publicamente)? • Imagine suas emoções. • O que o motiva? • O que pode mantê-lo acordado à noite? • Tente descrever seus sonhos e desejos.
  52. 52. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção Todo mundo revoltado no Facebook Você é um coxinha! A corrupção nunca vai acabar A solução é votar nulo Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.) O QUE ELE REALMENTE PENSA E SENTE? Tente desenhar o que acontece na mente do público-alvo • O que é realmente importante para ele (que talvez não diria publicamente)? • Imagine suas emoções. • O que o motiva? • O que pode mantê-lo acordado à noite? • Tente descrever seus sonhos e desejos. Tem como votar sem ficarem no meu pé? Eu também fico irritado com a corrupção, mas não gosto de me expor
  53. 53. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção Todo mundo revoltado no Facebook Você é um coxinha! A corrupção nunca vai acabar A solução é votar nulo Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.) Tem como votar sem ficarem no meu pé? Eu também fico irritado com a corrupção, mas não gosto de me expor O QUE ELE DIZ E FAZ? Imagine o que o público-alvo pode dizer ou como se comporta em público • Qual a atitude dele? • O que ele pode estar dizendo para outras pessoas? • Preste atenção principalmente nos conflitos potenciais entre o que um cliente pode dizer e o que realmente pensa e sente
  54. 54. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção Todo mundo revoltado no Facebook Você é um coxinha! A corrupção nunca vai acabar A solução é votar nulo Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.) Tem como votar sem ficarem no meu pé? Eu também fico irritado com a corrupção, mas não gosto de me expor O QUE ELE DIZ E FAZ? Imagine o que o público-alvo pode dizer ou como se comporta em público • Qual a atitude dele? • O que ele pode estar dizendo para outras pessoas? • Preste atenção principalmente nos conflitos potenciais entre o que um cliente pode dizer e o que realmente pensa e sente Sigo meu candidato no Facebook! Sou um cara politicamente engajado!
  55. 55. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção Todo mundo revoltado no Facebook Você é um coxinha! A corrupção nunca vai acabar A solução é votar nulo Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.) Tem como votar sem ficarem no meu pé? Eu também fico irritado com a corrupção, mas não gosto de me expor Sigo meu candidato no Facebook! Sou um cara politicamente engajado! QUAL A SUA DOR? • Quais são suas maiores frustrações? • Que obstáculos existem entre ela e o que ela quer e precisa obter? • Quais riscos teme enfrentar?
  56. 56. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção Todo mundo revoltado no Facebook Você é um coxinha! A corrupção nunca vai acabar A solução é votar nulo Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.) Tem como votar sem ficarem no meu pé? Eu também fico irritado com a corrupção, mas não gosto de me expor Sigo meu candidato no Facebook! Sou um cara politicamente engajado! QUAL A SUA DOR? • Quais são suas maiores frustrações? • Que obstáculos existem entre ela e o que ela quer e precisa obter? • Quais riscos teme enfrentar? Meu último candidato está envolvido na Lava Jato Eu queria ser mais engajado
  57. 57. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção Todo mundo revoltado no Facebook Você é um coxinha! A corrupção nunca vai acabar A solução é votar nulo Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.) Tem como votar sem ficarem no meu pé? Eu também fico irritado com a corrupção, mas não gosto de me expor Sigo meu candidato no Facebook! Sou um cara politicamente engajado! QUAIS SÃO AS OPORTUNIDADES? • O que ele realmente quer ou precisa obter? • Como mede o sucesso? • Pense em algumas estratégias que pode utilizar para obter seus objetivos Meu último candidato está envolvido na Lava Jato Eu queria ser mais engajado
  58. 58. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção Todo mundo revoltado no Facebook Você é um coxinha! A corrupção nunca vai acabar A solução é votar nulo Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.) Tem como votar sem ficarem no meu pé? Eu também fico irritado com a corrupção, mas não gosto de me expor Sigo meu candidato no Facebook! Sou um cara politicamente engajado! QUAIS SÃO AS OPORTUNIDADES? • O que ele realmente quer ou precisa obter? • Como mede o sucesso? • Pense em algumas estratégias que pode utilizar para obter seus objetivos Meu último candidato está envolvido na Lava Jato Eu queria ser mais engajado Acompanhar - em tempo real - as ações do meu candidato Transparência sobre todos projetos realizados
  59. 59. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção Todo mundo revoltado no Facebook Você é um coxinha! A corrupção nunca vai acabar A solução é votar nulo Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.) Tem como votar sem ficarem no meu pé? Eu também fico irritado com a corrupção, mas não gosto de me expor Sigo meu candidato no Facebook! Sou um cara politicamente engajado! Meu último candidato está envolvido na Lava Jato Eu queria ser mais engajado Acompanhar - em tempo real - as ações do meu candidato Transparência sobre todos projetos realizados
  60. 60. MAPA DA EMPATIA O cara ganha a eleição e some Sempre surge um novo escândalo de corrupção Todo mundo revoltado no Facebook Você é um coxinha! A corrupção nunca vai acabar A solução é votar nulo Todas as pessoas que votam (prefeito, governador, presidente etc.) Tem como votar sem ficarem no meu pé? Eu também fico irritado com a corrupção, mas não gosto de me expor Sigo meu candidato no Facebook! Sou um cara politicamente engajado! Meu último candidato está envolvido na Lava Jato Eu queria ser mais engajado Acompanhar - em tempo real - as ações do meu candidato Transparência sobre todos projetos realizados
  61. 61. EXEMPLO 2 CRIANÇAS E ADOLESCENTES DA PERIFERIA (10 A 18 ANOS)
  62. 62. Crianças e adolescentes da periferia (10 a 18 anos) Amigos (adolescentes) virando pais e mães Drogas Ostentação Amigos partindo para a marginalidade Faculdade é coisa de rico, vá trabalhar! O mundo é dos espertos! Estudar pra quê? Bora pro rolê! Você nasceu para ser pobre! Eu vou me dar bem na vida! Escola chata da p#$%@a!!!! Vamos para o rolezinho! Quero poder ostentar! Medo! E se der confusão no rolezinho? Quero ajudar os meus pais! Não quero sofrer igual os meus pais sofrem. Onde estarei daqui 20 anos?!?! Como não ter o mesmo futuro que alguns amigos? E se eu não conseguir ter sucesso? Rever o modelo de ensino Escola como espaço de convivência Formação e Educação Coaching através de professores
  63. 63. VAMOS PRATICAR? Chega de blablabla... Crédito da imagem: Learning to fly, por @assaf_f
  64. 64. VAMOS PRATICAR? 1. Montem os grupos (sem restrições quanto ao número de componentes!) 2. Definam o público-alvo 3. Construam o Mapa da Empatia 4. Revisem o Mapa da Empatia durante a semana (visitem o público- alvo!) 5. Me enviem a versão final até a próxima sexta (11/3)
  65. 65. DÚVIDAS? Crédito da imagem: I doubt my mission for the Dark side - sir..., por @kalexanderson
  66. 66. FERRAMENTAS PARA EMPREENDEDORES Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com AULA 2 12/03/2016 TURMA 3 Clique aqui para escolher outra aula
  67. 67. O QUE FIZEMOS NA AULA PASSADA?
  68. 68. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo
  69. 69. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente
  70. 70. MAPA DA EMPATIA
  71. 71. MAPA DA EMPATIA
  72. 72. Acesse as imagens em alta resolução: www.flickr.com/photos/alessandroalmei da/albums/72157663657025913
  73. 73. Próximo passo...
  74. 74. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo
  75. 75. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo
  76. 76. PROPOSTA DE VALOR! Criando soluções para os nossos clientes
  77. 77. PROPOSTA DE VALOR Produto ou serviço que você entrega para o seu cliente (e que ele entende que vale a pena pagar para que você faça)
  78. 78. CRIANDO A PROPOSTA DE VALOR Após mergulhar no mundo do seu cliente, é hora de listar os seus anseios e identificar soluções.
  79. 79. Como faremos isso?
  80. 80. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR
  81. 81. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR
  82. 82. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR PERFIL DO CLIENTE Esclarece a nossa compreensão sobre o cliente
  83. 83. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR PERFIL DO CLIENTE Esclarece a nossa compreensão sobre o cliente Descreve aquilo que os clientes estão tentando realizar (no trabalho e na vida)
  84. 84. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR PERFIL DO CLIENTE Esclarece a nossa compreensão sobre o cliente Descreve os resultados ruins, os riscos e os obstáculos relativos às tarefas do cliente
  85. 85. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR PERFIL DO CLIENTE Esclarece a nossa compreensão sobre o cliente Descreve os resultados que os clientes querem alcançar ou os benefícios que estão procurando
  86. 86. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR MAPA DE VALOR Descreve como pretendemos criar valor para o cliente
  87. 87. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR MAPA DE VALOR Descreve como pretendemos criar valor para o cliente Lista de todos os produtos e serviços em torno dos quais uma proposta de valor é construída
  88. 88. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR MAPA DE VALOR Descreve como pretendemos criar valor para o cliente Descreve como seus produtos e serviços aliviam as dores do cliente
  89. 89. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR MAPA DE VALOR Descreve como pretendemos criar valor para o cliente Descreve como os seus produtos e serviços criam ganhos para o cliente
  90. 90. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR encaixe crie valor observe os clientes
  91. 91. EXEMPLO PROPOSTA DE VALOR PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES DA PERIFERIA (10 A 18 ANOS)
  92. 92. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR
  93. 93. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR CÉLULAS DE ESTUDO Aumenta a empregabilidade Parceria com empresas Evolução cultural Metodologia adequada com a faixa etária Comunidade das Células de Estudo Atividades culturais Conteúdo dinâmico, aderente com o mercado Aprendizado de linguagens de programação Preenche o tempo livre com atividades Aumento da autoestima CRIANÇAS E ADOLESCENTES DA PERIFERIA 10 A 18 ANOS Proporciona uma nova rede social Ajudar os pais Ser reconhecido de forma positiva Aprender de forma divertida Ter uma vida tranquila Desemprego Não ter roupas de marca Tédio na escola Ter o mesmo fim que alguns amigos Ir à escola todos os dias Fugir de brigas Cuidar da casa enquanto os pais trabalham Impressionar as pessoas
  94. 94. VAMOS PRATICAR? Chega de blablabla... Crédito da imagem: Learning to fly, por @assaf_f
  95. 95. VAMOS PRATICAR? 1. Construam o Canvas da Proposta de Valor para o segmento de cliente escolhido pelo grupo na aula passada
  96. 96. DÚVIDAS? Crédito da imagem: I doubt my mission for the Dark side - sir..., por @kalexanderson
  97. 97. FERRAMENTAS PARA EMPREENDEDORES Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com AULA 3 19/03/2016 TURMA 3 Clique aqui para escolher outra aula
  98. 98. O QUE FIZEMOS NA AULA PASSADA?
  99. 99. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo
  100. 100. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente
  101. 101. PROPOSTA DE VALOR! Criando soluções para os nossos clientes
  102. 102. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR
  103. 103. CANVAS DA PROPOSTA DE VALOR
  104. 104. Acesse as imagens em alta resolução: www.flickr.com/photos/alessandroalmei da/albums/72157666576297585
  105. 105. Próximo passo...
  106. 106. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo
  107. 107. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente
  108. 108. DEFININDO O MODELO DE NEGÓCIOS Como o seu empreendimento vai funcionar?
  109. 109. MODELO DE NEGÓCIOS Um Modelo de Negócios descreve a lógica de criação, entrega e captura de valor por parte de uma organização
  110. 110. Como documentar o nosso modelo de negócios?
  111. 111. PLANO DE NEGÓCIOS
  112. 112. PLANO DE NEGÓCIOS Documento onde o negócio é descrito nos detalhes pertinentes aos objetivos que visa cumprir e ao público a quem é apresentado objetivos que visa cumprir...  desde um estudo da viabilidade da ideia até a obtenção de recursos para iniciar o empreendimento
  113. 113. PLANO DE NEGÓCIOS Pode ser um documento complexo...  Plano de Marketing  Análise do mercado, dos concorrentes, dos fornecedores e dos clientes  Estratégia de Marketing  Objetivos, produto, preço, distribuição, comunicação  Plano Financeiro  Investimentos iniciais, apuração dos resultados, fluxo de caixa, ponto de equilíbrio  Produção e Operações  Equipamentos  Etc... ... e com dezenas de páginas
  114. 114. PLANO DE NEGÓCIOS Basicamente, sua construção é um exercício de pesquisa feito por um empreendedor...  Antes mesmo de ter começado a criar o produto
  115. 115. PLANO DE NEGÓCIOS Considera a premissa de que é possível responder a maioria das interrogações de um empreendimento, antes de colocar a ideia em prática
  116. 116. PLANO DE NEGÓCIOS
  117. 117. Somente após finalizar o plano de negócios o empreendimento entra em operação...
  118. 118. PLANO DE NEGÓCIOS
  119. 119. PLANO DE NEGÓCIOS Mas, em poucas semanas ou meses, alguém pode REALIZAR a ideia que você teve hoje!
  120. 120. PLANO DE NEGÓCIOS Por isso, talvez o modelo tradicional de Plano de Negócios fique obsoleto...
  121. 121. PLANO DE NEGÓCIOS ...ou possa ser resultado de um trabalho mais dinâmico, colaborativo e centrado no cliente
  122. 122. DEFININDO O NOSSO MODELO DE NEGÓCIOS Business Model Canvas: Se preparando para a execução!
  123. 123. EXEMPLO: NESPRESSO
  124. 124. SEGMENTOS DE CLIENTES Para quem estamos criando valor? Quem são os nossos clientes mais importantes?
  125. 125. SEGMENTOS DE CLIENTES Nespresso Residências Empresas
  126. 126. PROPOSTAS DE VALOR Quais problemas de nossos clientes estamos ajudando a resolver? Quais necessidades estamos satisfazendo? Quais pacotes de produtos e serviços estamos oferecendo a cada segmento de clientes?
  127. 127. PROPOSTAS DE VALOR Nespresso Expresso de alto nível e qualidade de restaurante em casa
  128. 128. CANAIS Através de quais canais os segmentos de clientes querem ser abordados? Como iremos alcançar e nos comunicar com os Segmentos de Clientes?
  129. 129. CANAIS Nespresso Nespresso Boutiques nespresso.com Call Center Revenda Pedido por correio
  130. 130. RELAÇÕES COM OS CLIENTES Como conquistamos, mantemos e expandimos nossa base de clientes?  Quais tipos de relações desejamos estabelecer?  Pode variar desde relações pessoais até automatizadas
  131. 131. RELAÇÕES COM OS CLIENTES Nespresso Clube Nespresso
  132. 132. FONTES DE RECEITA Por qual benefício (valor) nossos clientes estão dispostos a pagar? Por qual pagam atualmente? Qual é o modelo de precificação?
  133. 133. FONTES DE RECEITA Nespresso Principais receitas: Cápsulas Outras: Máquinas e Acessórios
  134. 134. PRINCIPAIS RECURSOS Quais são os recursos mais importantes exigidos pelas Propostas de Valor, Segmentos de Clientes, Canais, Relações com os Clientes e Fontes de Receita para fazer o modelo de negócios funcionar?
  135. 135. PRINCIPAIS RECURSOS Nespresso Canais de distribuição Fábricas Marcas Patentes do sistema
  136. 136. PRINCIPAIS ATIVIDADES Quais são as atividades mais importantes exigidas pelas Propostas de Valor, Segmentos de Clientes, Canais, Relações com os Clientes e Fontes de Receita para fazer o modelo de negócios funcionar?
  137. 137. PRINCIPAIS ATIVIDADES Nespresso Marketing Produção Logística
  138. 138. PRINCIPAIS PARCEIROS Quem são os nossos principais parceiros e fornecedores? Quais recursos cruciais estamos adquirindo de nossos parceiros? Quais atividades cruciais nossos parceiros executam?
  139. 139. PRINCIPAIS PARCEIROS Nespresso Fabricantes de máquinas de café Produtores de café
  140. 140. ESTRUTURA DE CUSTOS Quais os custos mais importantes em nosso modelo de negócios? Dentre os principais recursos e atividades, quais são os mais caros?
  141. 141. ESTRUTURA DE CUSTOS Nespresso Fabricação Marketing Distribuição & Canais
  142. 142. JUNTANDO TUDO! O Quadro do Modelo de Negócios permite a visualização dos nove componentes de um negócio em uma única página...
  143. 143. BUSINESS MODEL CANVAS
  144. 144. EXEMPLO: NESPRESSO
  145. 145. EXEMPLO: NESPRESSO Referências: http://bmgenbrasil.com/ e http://www.businessmodelgeneration.com/ Nespresso Expresso de alto nível e qualidade de restaurante em casa Clube Nespresso Residências Nespresso Boutiques nespresso.com Call Center Revenda Principais receitas: Cápsulas Outras: Máquinas e Acessórios Fabricação Marketing Distribuição & Canais Marketing Produção Canais de distribuição Fábricas Marcas Patentes do sistema Fabricantes de máquinas de café Produtores de café Logística Empresas Pedido por correio
  146. 146. EXEMPLO: CÉLULAS DE ESTUDO
  147. 147. EXEMPLO: NESPRESSO
  148. 148. EXEMPLO: NESPRESSO Células de Estudo Promover a evolução cultural de crianças, jovens e adultos de comunidades carentes através da utilização de todos os recursos tecnológicos e pedagógicos disponíveis
  149. 149. EXEMPLO: NESPRESSO Células de Estudo Adolescentes Crianças Adultos Famílias dos participantes do projeto Somente moradores de regiões periférias (avaliar indicador: IDH?) Promover a evolução cultural de crianças, jovens e adultos de comunidades carentes através da utilização de todos os recursos tecnológicos e pedagógicos disponíveis
  150. 150. EXEMPLO: NESPRESSO Células de Estudo Adolescentes Crianças Adultos Famílias dos participantes do projeto Somente moradores de regiões periférias (avaliar indicador: IDH?) Escolas públicas (rede estadual) ONGs da região? Promover a evolução cultural de crianças, jovens e adultos de comunidades carentes através da utilização de todos os recursos tecnológicos e pedagógicos disponíveis
  151. 151. EXEMPLO: NESPRESSO Células de Estudo Adolescentes Crianças Adultos Famílias dos participantes do projeto Somente moradores de regiões periférias (avaliar indicador: IDH?) Escolas públicas (rede estadual) ONGs da região? Rede de empregos Encontro anual das células APLs e Cooperativas Promover a evolução cultural de crianças, jovens e adultos de comunidades carentes através da utilização de todos os recursos tecnológicos e pedagógicos disponíveis
  152. 152. EXEMPLO: NESPRESSO Células de Estudo Adolescentes Crianças Adultos Famílias dos participantes do projeto Somente moradores de regiões periférias (avaliar indicador: IDH?) Escolas públicas (rede estadual) ONGs da região? Rede de empregos Encontro anual das células APLs e Cooperativas Principal: Doações (PF ou PJ) Venda de material didático (preço de custo) Promover a evolução cultural de crianças, jovens e adultos de comunidades carentes através da utilização de todos os recursos tecnológicos e pedagógicos disponíveis
  153. 153. EXEMPLO: NESPRESSO Células de Estudo Adolescentes Crianças Adultos Famílias dos participantes do projeto Somente moradores de regiões periférias (avaliar indicador: IDH?) Escolas públicas (rede estadual) ONGs da região? Rede de empregos Encontro anual das células APLs e Cooperativas Principal: Doações (PF ou PJ) Venda de material didático (preço de custo) Marca Voluntários Dinâmica inovadora Promover a evolução cultural de crianças, jovens e adultos de comunidades carentes através da utilização de todos os recursos tecnológicos e pedagógicos disponíveis
  154. 154. EXEMPLO: NESPRESSO Células de Estudo Adolescentes Crianças Adultos Famílias dos participantes do projeto Somente moradores de regiões periférias (avaliar indicador: IDH?) Escolas públicas (rede estadual) ONGs da região? Rede de empregos Encontro anual das células APLs e Cooperativas Principal: Doações (PF ou PJ) Venda de material didático (preço de custo) Criar material didático Promover os cursos e eventos Captação de recursos e de voluntários Marca Voluntários Dinâmica inovadora Promover a evolução cultural de crianças, jovens e adultos de comunidades carentes através da utilização de todos os recursos tecnológicos e pedagógicos disponíveis
  155. 155. EXEMPLO: NESPRESSO Células de Estudo Adolescentes Crianças Adultos Famílias dos participantes do projeto Somente moradores de regiões periférias (avaliar indicador: IDH?) Escolas públicas (rede estadual) ONGs da região? Rede de empregos Encontro anual das células APLs e Cooperativas Principal: Doações (PF ou PJ) Venda de material didático (preço de custo) Criar material didático Promover os cursos e eventos Captação de recursos e de voluntários Marca Voluntários Dinâmica inovadora Escolas Empresas ONGs Associações dos Bairros Promover a evolução cultural de crianças, jovens e adultos de comunidades carentes através da utilização de todos os recursos tecnológicos e pedagógicos disponíveis
  156. 156. EXEMPLO: NESPRESSO Células de Estudo Adolescentes Crianças Adultos Famílias dos participantes do projeto Somente moradores de regiões periférias (avaliar indicador: IDH?) Escolas públicas (rede estadual) ONGs da região? Rede de empregos Encontro anual das células APLs e Cooperativas Principal: Doações (PF ou PJ) Venda de material didático (preço de custo)Material didático Ajuda de custo para os voluntários Criar material didático Promover os cursos e eventos Captação de recursos e de voluntários Marca Voluntários Dinâmica inovadora Escolas Empresas ONGs Associações dos Bairros Promover a evolução cultural de crianças, jovens e adultos de comunidades carentes através da utilização de todos os recursos tecnológicos e pedagógicos disponíveis
  157. 157. BUSINESS MODEL CANVAS VALOR
  158. 158. BUSINESS MODEL CANVAS EFICIÊN CIA
  159. 159. BUSINESS MODEL CANVAS Construção colaborativa!  Equipe  Clientes  Parceiros e Fornecedores  Todos que puderem contribuir! Permite uma visão clara e rápida do modelo de negócios
  160. 160. BUSINESS MODEL CANVAS A construção do Quadro pode ser tão trabalhosa quanto a criação de um Plano de Negócios, mas o processo é menos burocrático...  E muito mais dinâmico e divertido!
  161. 161. LEAN CANVAS Mais uma opção para definir o seu modelo de negócios
  162. 162. LEAN CANVAS A partir das ideias do Business Model Canvas, Ash Maurya criou o Lean Canvas
  163. 163. LEAN CANVAS A estrutura do Lean Canvas é semelhante ao BMC, mas o autor substituiu alguns componentes... Quadro do Modelo de Negócios Lean Canvas Principais parceiros O problema Principais atividades A solução Principais recursos Métricas principais Relações com os clientes Vantagem competitiva
  164. 164. Business Model Canvas
  165. 165. Lean Canvas
  166. 166. SAIBA MAIS...
  167. 167. SAIBA MAIS... www.strategyzer.com www.leanstack.com
  168. 168. VAMOS PARA O ROCK‘N‘ROLL! Vamos praticar?
  169. 169. CRIE O CANVAS DO SEU PRODUTO! Escolha um! Lean Canvas Business Model Canvas
  170. 170. DÚVIDAS? Crédito da imagem: I doubt my mission for the Dark side - sir..., por @kalexanderson
  171. 171. FERRAMENTAS PARA EMPREENDEDORES Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com AULA 4 02/04/2016 TURMA 3 Clique aqui para escolher outra aula
  172. 172. O QUE FIZEMOS NA AULA PASSADA?
  173. 173. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo
  174. 174. COMO APLICAREMOS O DESIGN THINKING? CANVAS definindo o nosso modelo de negócios MAPA DA EMPATIA definindo e conhecendo o meu público-alvo PROPOSTA DE VALOR criando soluções para o nosso cliente
  175. 175. DEFININDO O MODELO DE NEGÓCIOS Como o seu empreendimento vai funcionar?
  176. 176. CANVAS: DEFININDO O MODELO DE NEGÓCIOS
  177. 177. Acesse as imagens em alta resolução: www.flickr.com/photos/alessandroalmei da/albums/72157666427193652
  178. 178. Próximo passo...
  179. 179. EXECUÇÃO! Colocando a ideia em prática!
  180. 180. A STARTUP ENXUTA
  181. 181. STARTUP Instituição humana projetada para criar novos produtos e serviços sob condições de extrema incerteza Ou seja: Um empreendimento
  182. 182. A STARTUP ENXUTA Em vez de lançar um produto totalmente acabado, a partir de um plano de negócios, a ideia é testar hipóteses, apresentando um produto mínimo viável aos stakeholders  Hipóteses apresentadas no Canvas...
  183. 183. A STARTUP ENXUTA Produto Mínimo Viável...  Maneira mais rápida de entregar valor para o cliente (produto ou serviço), obtendo feedbacks para rodar novamente o ciclo e gerar um novo produto mínimo viável
  184. 184. A STARTUP ENXUTA Produto Mínimo Viável...  É definido na Proposta de Valor do Canvas Qual será o produto mínimo viável?
  185. 185. A STARTUP ENXUTA O foco é buscar um modelo de negócios adequado a partir da constante interação com o público-alvo
  186. 186. STARTUP ENXUTA: DESENVOLVIMENTO VELOZ Planejamento Requisitos Análise & DesignImplementação Teste Avaliação
  187. 187. STARTUP ENXUTA: DESENVOLVIMENTO VELOZ Planejamento Requisitos Análise & DesignImplementação Teste Avaliação Produto mínimo viável
  188. 188. STARTUP ENXUTA: DESENVOLVIMENTO VELOZ Planejamento Requisitos Análise & DesignImplementação Teste Avaliação Feedback de clientes
  189. 189. QUADRO DO MODELO DE NEGÓCIOS VERSUS PLANO DE NEGÓCIOS
  190. 190. Jogarei fora meus livros sobre Plano de Negócios!!!
  191. 191. CANVAS X PLANO DE NEGÓCIOS CANVAS PLANO DE NEGÓCIOS • Foco na entrega de valor no menor prazo possível (fluxo da startup enxuta) • Maior participação das partes interessadas no processo de criação • Dinamismo • Permite testar as hipóteses (fluxo da startup enxuta) • Apresentação simples pode ser essencial para a “venda” da ideia (pitch) • Análise detalhada do cenário • Mais planejamento • Foco na mitigação de riscos • Visão das possibilidades • Mais tempo para ter algum produto ou serviço disponível • Pode ser exigido pelos possíveis investidores
  192. 192. CANVAS X PLANO DE NEGÓCIOS CANVAS PLANO DE NEGÓCIOS • Foco na entrega de valor no menor prazo possível (fluxo da startup enxuta) • Maior participação das partes interessadas no processo de criação • Dinamismo • Permite testar as hipóteses (fluxo da startup enxuta) • Apresentação simples pode ser essencial para a “venda” da ideia (pitch) • Análise detalhada do cenário • Mais planejamento • Foco na mitigação de riscos • Visão das possibilidades • Mais tempo para ter algum produto ou serviço disponível • Pode ser exigido pelos possíveis investidores
  193. 193. CANVAS X PLANO DE NEGÓCIOS CANVAS PLANO DE NEGÓCIOS • Foco na entrega de valor no menor prazo possível (fluxo da startup enxuta) • Maior participação das partes interessadas no processo de criação • Dinamismo • Permite testar as hipóteses (fluxo da startup enxuta) • Apresentação simples pode ser essencial para a “venda” da ideia (pitch) • Análise detalhada do cenário • Mais planejamento • Foco na mitigação de riscos • Visão das possibilidades • Mais tempo para ter algum produto ou serviço disponível • Pode ser exigido pelos possíveis investidores
  194. 194. CANVAS X PLANO DE NEGÓCIOS O Canvas pode ser um ponto de partida para o Plano de Negócios...  Após vários ciclos de teste das hipóteses
  195. 195. CANVAS X PLANO DE NEGÓCIOS O Canvas pode ser um resumo do Plano de Negócios existente...  Para colher os benefícios da metodologia, você terá que assumir o risco de descartar o Plano de Negócios criado
  196. 196. CANVAS X PLANO DE NEGÓCIOS Eles também podem ser criados em paralelo...  Loucura!
  197. 197. CONCLUSÕES
  198. 198. CONCLUSÕES A combinação do Desing Thinking + Canvas + metodologia Startup Enxuta pode ser o ideal para quem deseja empreender – principalmente – em negócios digitais...  Colaboração  Velocidade  Simplicidade  Participação constante do cliente
  199. 199. CONCLUSÕES O Plano de Negócios não pode ser ignorado, pois será útil para fornecer uma visão detalhada de como o empreendimento vai funcionar...  O empreendedor deve avaliar o melhor momento de construí-lo
  200. 200. SAIBA MAIS...
  201. 201. SAIBA MAIS...
  202. 202. O que vi nas bancas deTCC?
  203. 203.  As orientações apresentadas nos próximos slides não representam o critério de avaliação do UNIFIEO  Quaisquer dúvidas sobre como proceder (na apresentação, na documentação ou no sistema) devem ser tratadas com a professora orientadora
  204. 204.  As dicas representam a visão de alguém que participou de algumas bancas deTCC, ou seja...  não é imparcial  não deve ser tratado como regra
  205. 205.  O produto (sistema) deve estar impecável, mas é importante o grupo mostrar também o problema que será resolvido...  Justificativa do projeto e Proposta deValor
  206. 206.  Parece óbvio, mas na correria o grupo pode inserir algum texto de livro ou da Internet e esquecer de fazer a referência  Mesmo fazendo a referência, cuidado com a inclusão de textos. OTCC é um trabalho de autoria do grupo
  207. 207.  O ensaio não deve ser feito somente com o grupo!  A visão externa ajuda a identificar oportunidades e problemas óbvios  Convidem outros grupos para assistir a apresentação!  É bom evitar que os defeitos no sistema e na apresentação sejam percebidos somente pela banca
  208. 208.  Definam os discursos de cada membro do grupo...  Se necessário, monte um script com todos os discursos e marcação de tempo  A repetição ajuda a alcançar a perfeição!  Sim, é cansativo... Mas vale a pena!
  209. 209.  As diferenças pessoais podem interferir no resultado  Durante a apresentação, a voz deve ser única...  Todos devem ter condições de responder as perguntas  Questões mais complexas e específicas podem ser respondidas pelo responsável (mas combinem antes quem será)
  210. 210. Conflitos internos fazem parte do jogo!
  211. 211.  Fonte: http://www.flickr.com/photos/jamison/25781 40900/
  212. 212.  Percebeu que vai dar problema? RESOLVA!
  213. 213.  Percebeu que vai dar problema?  Compartilhe com o grupo, se entendam  Compartilhe com os professores  Solicite ajuda!  Não “sente no problema”!
  214. 214.  Percebeu que vai dar problema?  Compartilhe com o grupo, se entendam  Compartilhe com os professores  Solicite ajuda!  Não “sente no problema”!
  215. 215.  Percebeu que vai dar problema?  Compartilhe com o grupo, se entendam  Compartilhe com os professores  Solicite ajuda!  Não “sente no problema”!
  216. 216.  Todos os “fatos” apresentados devem ser provados:  Usabilidade  Funcionalidades  Desempenho  Etc.  Durante a apresentação, sejam sábios e humildes
  217. 217.  (caso algum grupo ainda não tenha pesquisado)  Faça uma pesquisa exaustiva das soluções que já existem no mercado  Defina os critérios de comparação  Monte uma tabela comparativa  Não “force” o resultado...  Em alguns tópicos, as outras soluções podem ser melhores
  218. 218.  Não deixem a revisão somente para o final!  Façam revisões periódicas  A revisão não precisa ficar centralizada!  O grupo pode fazer um revezamento, assim não será tão cansativo  A ajuda dos colegas de outros grupos também é válida!
  219. 219.  GRUDEM nos professores!
  220. 220.  A Internet não é tudo, vocês PRECISAM consultar livros  Não deixem para a última hora...  Não conte somente com o que está na biblioteca, talvez seja necessário comprar algum livro
  221. 221. http://www.flickr.com/photos/marciomilesi/3936331193/
  222. 222. Todos estão no mesmo barco!
  223. 223. A união, além de açúcar, pode fazer a diferença!
  224. 224.  “Sintam o drama!” http://www.praticadapesquisa.com.br/2012/06/charge-banca.html
  225. 225. DÚVIDAS? Crédito da imagem: I doubt my mission for the Dark side - sir..., por @kalexanderson
  226. 226. MUITO OBRIGADO! alessandro.almeida@uol.com.br slideshare.net/alessandroalmeida linkedin.com/in/alessandroalmeida alessandroalmeida.com

×