O ava moodle por que

3.182 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.182
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O ava moodle por que

  1. 1. O AVA MOODLE, por quê?
  2. 2. Ambiente Virtual de Aprendizagem MOODLE O Moodle foi criado por Martin Dougiamas que queria compreender: Como o software na internet pode, de uma forma bem- sucedida, apoiar epistemologias construcionistas sociais de ensino e aprendizagem? Mais especificamente, em que as estruturas e interfaces da Web encorajam ou atrapalham o encontro dos participantes para um diálogo reflexivo numa comunidade de aprendizes – com leituras feitas abertamente, refletindo criticamente e escrevendo construtivamente de modo a engajar suas experiências pessoais? (DOUGIAMAS, 2009, p. 16).
  3. 3. Metodologia A metodologia na plataforma Moodle emprega a abordagem socioconstrutivista, em que os participantes desenvolvem, no processo colaborativo em redes, suas potencialidades de autoaprendizagem e práticas de uma postura colaborativa. A ênfase no ambiente Moodle não está em distribuir informação, mas em compartilhar ideias e engajar os alunos na construção do conhecimento interagindo com o ambiente.
  4. 4. Potencialidades Pedagógicas  A aprendizagem mediada pelo AVA pode permitir que fontes de informação e conhecimento (encontradas no ciberespaço) sejam socializadas dentro do ambiente, através das suas interfaces como por exemplo link para arquivos de quaisquer tipos, armazenados ou não no ambiente. Nesse caso, o professor/aluno pode socializar, por exemplo, um software educativo disponível no ciberespaço, site, vídeo, entre outros.  O ambiente disponibiliza outras interfaces que permitem tanto a socialização quanto a criação de fontes de informações e conhecimentos: criar uma página texto, criar páginas web por meio de um editor do próprio ambiente, criar um disco virtual com matérias, inserir rótulo com imagens e/ou textos que serão exibidos na seção.
  5. 5. Diferencial: potencialidades comunicacionais  Fóruns: neste meio de comunicação encontramos uma rica forma de interação e produção de conhecimento, uma vez que os fóruns “permitem o registro e a partilha das narrativas e dos sentidos entre os sujeitos envolvidos” (SANTOS, 2006, p. 133). Os fóruns são recursos de comunicação assíncrona, o que proporciona aos participantes geograficamente separados ou não a edição de suas postagens e que os demais as visualizem em tempo distinto. Permite que haja uma discussão aberta entre todos os participantes, permitindo, inclusive, mais tempo para reflexão antes que aconteça a participação.  Chats: neste outro meio de comunicação as pessoas trocam mensagens instantâneas (comunicação síncrona) podendo estar em lugar diferente ou não. Este recurso dispõe de uma comunicação onde todos podem trocar mensagens entre si rompendo-se barreiras de tempo e espaço existentes nas aulas convencionais (Santos e Okada, 2008).
  6. 6. Cuidados!!! Segundo Okada e Santos (2008, online): Muitas práticas e-learning ainda se fundamentam na modalidade da comunicação de massa, onde um pólo emissor distribui mensagens, muitas vezes em formatos lineares, com pouca ou quase nenhuma interatividade [...].
  7. 7. Transformando informação em conhecimento Se quisermos um diálogo construído coletivamente com a participação/colaboração, cooperação entre professores/alunos que buscam a informação dialogando com textos, contextos, formando um conhecimento próprio, voltado para sua realidade, é fundamental adotarmos uma prática de comunicação todos-todos (emissor <-> receptor) que encontramos tanto no ciberespaço como no AVA Moodle.

×