Entendendo o contexto sócio-técnico
O contexto sócio-técnico: Fatores geradores da  disseminação da informação :   <ul><li>A digitalização da informação;  </l...
<ul><li>As informações são compartilhadas no ciberespaço que: </li></ul><ul><li>“ é um espaço de comunicação aberto a inte...
Consequentemente...
...há alteração do ambiente e do estilo de vida das pessoas.  <ul><li>Como afirma Lemos (2004, p. 19):  </li></ul><ul><li>...
Surge uma nova cultura: cibercultura <ul><li>Uma vez que as informações de todo o tipo circulam a todo tempo em um espaço ...
Assim...
“ Participar, ser cidadão hoje, é estar conectado”. Lemos (2004, p. 19) <ul><li>Mas o cidadão de hoje está preparado par l...
A informação como matéria-prima do conhecimento  <ul><li>De acordo com Vilares e Silva (online): </li></ul><ul><li>A infor...
Precisamos de...
Mudanças! <ul><li>Esse contexto de mudanças traz consigo a necessidade de repensar não só o papel do professor e do aluno,...
Referência Bibliográfica <ul><li>LEMOS, André (Org.). Cibercidades: as cidades na cibercultura. In: LEMOS, André. Cibercid...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Entendendo o contexto sócio técnico

2.338 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.338
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Entendendo o contexto sócio técnico

  1. 1. Entendendo o contexto sócio-técnico
  2. 2. O contexto sócio-técnico: Fatores geradores da disseminação da informação : <ul><li>A digitalização da informação; </li></ul><ul><li>O barateamento dos preços do computador digital; </li></ul><ul><li>Os novos modos (síncrono e assíncrono) e formas (chat, fórum, softwares sociais, dentre outros) de comunicação que surgiram com a difusão das tecnologias da informação e comunicação (SANTOS, 2002/2000). </li></ul>
  3. 3. <ul><li>As informações são compartilhadas no ciberespaço que: </li></ul><ul><li>“ é um espaço de comunicação aberto a interconexões mundiais dos computadores e das memórias dos computadores”. Lévy (1999, p. 33) </li></ul><ul><li>As informações são manipuladas de forma extremamente rápida e flexível. </li></ul>
  4. 4. Consequentemente...
  5. 5. ...há alteração do ambiente e do estilo de vida das pessoas. <ul><li>Como afirma Lemos (2004, p. 19): </li></ul><ul><li>Vivemos na cidade e sentimos sua transformação a cada dia. As novas tecnologias da comunicação e informação estão reconfigurando os espaços urbanos bem como as práticas sociais desse mesmo espaço. </li></ul>
  6. 6. Surge uma nova cultura: cibercultura <ul><li>Uma vez que as informações de todo o tipo circulam a todo tempo em um espaço amplo/aberto e, através dos novos meios de comunicação disponíveis nesse novo espaço (e-mail, chat, fórum, dentre outros), nos conectamos com outras pessoas e trocamos tanto informações como produzimos conhecimentos, deparamo-nos com diferentes raças, cores, credos provenientes de espaços geográficos diversos formando/integrando novas comunidades, configurando-se uma nova cultura, a cibercultura. </li></ul>
  7. 7. Assim...
  8. 8. “ Participar, ser cidadão hoje, é estar conectado”. Lemos (2004, p. 19) <ul><li>Mas o cidadão de hoje está preparado par lidar com as informações no/fora do ciberespaço? </li></ul><ul><li>Nossas escolas estão preparadas para formar o cidadão do século XXI? </li></ul>
  9. 9. A informação como matéria-prima do conhecimento <ul><li>De acordo com Vilares e Silva (online): </li></ul><ul><li>A informação é a matéria-prima do conhecimento e o conhecimento é provisório, podendo tornar-se obsoleto, o cidadão deverá ser capaz de aprender sempre. Precisará tornar-se consciente, crítico, empreendedor e criativo, sabendo trabalhar de forma cooperativa. </li></ul>
  10. 10. Precisamos de...
  11. 11. Mudanças! <ul><li>Esse contexto de mudanças traz consigo a necessidade de repensar não só o papel do professor e do aluno, mas também de repensar os meios e as formas como as informações chegam e são recebidas pelos alunos. </li></ul>
  12. 12. Referência Bibliográfica <ul><li>LEMOS, André (Org.). Cibercidades: as cidades na cibercultura. In: LEMOS, André. Cibercidades: um modelo de inteligência coletiva. Rio de Janeiro: e-papers, 2004, p. 19-26. </li></ul><ul><li>LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999. </li></ul><ul><li>VILARES, Ana Regina; SILVA, Marco. Interatividade como perspectiva comunicacional no laboratório de informática: um desafio ao professor. Disponível em www.anped.org.br . Acesso em 20 de julho 2008. </li></ul><ul><li>SANTOS, Edméa. Formação de professores e cibercultura: novas práticas curriculares na educação presencial e a distância. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v.11, n.17, p. 113-122, jan./jun.,2002. </li></ul>

×