SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 53
Baixar para ler offline
PROFESSORA ALESSANDRA
7º ANO - GEOGRAFIA
Aspectos físicos da região
Nordeste
Formada por 9 estados;
Área 1 558 196 km²
População 53 591 197 hab – IBGE/2009
Área 18,25% do território nacional;
Diferentes paisagens;
Temperaturas elevadas; Baixo volume pluviométrico
(chuvas);
Grande potencial de evaporação;
Tipos de Vegetação e Clima
Clima semi árido: Caatinga;
Clima litorâneo úmido: Mangues e Mata Atlântica;
Clima tropical: cerrado;
Clima equatorial úmido: Mata dos Cocais;
Polígono das Secas
Região localizada entre a região nordeste e o norte de
minas Gerais;
Reconhecida pelo governo federal;
Passa por longos períodos de estiagem;
Criação de políticas contra secas prolongadas;
CHUVA Orográfica
Planalto da Borborema;
Barreira natural ás massas de ar carregadas de
umidades vindas do oceano;
Hidrografia do Nordeste
Rios temporários;
Rio São Francisco: único rio perene, que atravessa o
sertão nordestino;
Rio de planalto;
“Velho Chico” – uso: irrigação, transporte ( eclusas) ,
pesca, produção de energia elétrica;
Assoreamento, desmatamento da mata ciliar;
O Relevo do Nordeste
Planície costeira;
Áreas mais rebaixadas;
Planaltos na área central: Planalto da Borborema,
Chapada Diamantina, serra Geral e Grande;
São áreas mais elevadas;
EXERCÍCIOS
1)Explique o que é chuva orográfica.
2) Quais os quatro climas predominantes no
nordeste?
3) Explique o que é o mangue.
4) Fale sobre o polígono das secas.
AULA 3: NORDESTE
A indústria da seca
Seca é uma característica do clima semi árido;
“explicação” para a pobreza de quem vive no Sertão
Nordestino;
Governos dessas áreas solicitam verbas para
solucionar os “problemas”;
Dinheiro público: investir em açudes para levar água
até as pessoas necessitadas é desviado;
Para onde vai as verbas
milionárias?
Para os grandes latifundiários da região; Recebem o
dinheiro dos pobres coitados;
Daí o nome de indústria da seca.
Projetos criados
Cisternas;
Açudes;
Transposição das águas do Rio São Francisco;
Para irrigação;
Parte da água será levada até os rios temporários do
nordeste;
Projeto polêmico: quem serão realmente
beneficiados?
• ELABORAR CARTAZES
DENUNCIANDO O QUE É A
TAL DA TRANSPOSIÇÃO.
Nordeste: Ocupação e Organização
do Espaço
Região de ocupação mais antiga do país;
Atividade canavieira;
Primeiros núcleos urbanos do país;
Preocupação em defender o território;
Portos: exportar o pau Brasil, e recebiam utensílios
vindos da Europa;
A cana de açúcar
Trouxe á região poder político e econômico;
Formação de grandes latifúndios;
Monocultura;
Trabalho indígena e escravo;
Primeira capital;
Ocupação do litoral;
A ocupação do interior da região
Criação de gado;
Usados: transporte das canas, carne, e couro;
Criados em áreas mais distantes do litoral, onde o
dolo não era bom para a cana de açúcar;
A decadência econômica do
Nordeste
XVII- cana de açúcar em crise;
Preços mais baixos, conquistaram o mercado
europeu;
Algodão – crise com o produto dos EUA;
Auge da mineração e pedras preciosas, pólos de maior
importância;
As Sub regiões do Nordeste
A grande região nordeste é regionalizada em quatro
regiões.
Critérios: aspectos naturais ( clima, vegetação, relevo,
e hidrografia), e sociais;
 São elas: - Zona da Mata;
Agreste;
Sertão;
Meio Norte;
Zona da Mata
Sub região nordestina;
Localizada no litoral nordestino;
Primeiro local de exploração do Brasil;
Desmatamento da Mata Atlântica;
Mais desenvolvida e industrializada da região;
Problemas sociais: moradias irregulares, desemprego,
baixos salários;
Zona da Mata
A sub região da zona da mata é dividida em três áreas
distintas:
Zona da mata açucareira;
Recôncavo baiano;
Zona da mata cacaueira;
Zona da mata açucareira
Origem no período colonial;
Área do cultivo da cana de açúcar;
Ocupa a faixa que vai do Rio Grande do Norte até o
norte da Bahia;
Hoje: usinas de cana de açúcar e álcool;
Grandes latifúndios monocultores;
Atividades pecuárias;
Produção de frutas, indústrias e serviços;
Zona da mata cacaueira
Localiza-se no sul da Bahia;
Importante produtora de cacau;
1950: crise do cacau;
Diversificação econômica: pecuária, ind. De polpa de
frutas, celulose;
Maior exportadora de cacau do país;
Faixas da Mata Atlântica preservadas;
Turismo;
Recôncavo Baiano
 Localização: municípios ao redor de Salvador;
Áreas industriais;
Produção de tabaco;
Agricultura de subsistência;
Pesca;
AgresteSub região nordestina;
Localizado entre a área seca ( sertão) e área úmida
( zona da mata), faixa de transição;
Vegetação de caatinga e mata atlântica;
Minifúndios policultores;
Feijão, milho, mandioca, café, algodão, agave;
Pecuária, ind. De derivados do leite;
Ind. Calçados, móveis e têxteis;
Algodão
Grande importância para o desenvolvimento dos
municípios da região;
Algodão colorido;
Exportação mundial;
O Sertão
Maior sub região do nordeste;
Ocupa a área do clima semi árido;
Encostas de serras, áreas mais úmidas: brejos, onde
existem importantes áreas agrícolas;
Pecuária, agricultura ( frutas), café, algodão, soja,
milho, feijão, arroz e mandioca;
Agricultura de subsistência;
Áreas irrigadas: mercado externo e interno;
Vale do AçuVale do Açu (RN)(RN) – grande produtor de frutas –
manga, melão e uva;
Pólo de Juazeiro (BA) - Petrolina (PE)Pólo de Juazeiro (BA) - Petrolina (PE) – forte
produção de frutas –uva e manga;
Oeste da BahiaOeste da Bahia: produção de café, soja e frutas;
Empresas agrícolas do sul, estão indo para o nordeste:
terras baratas e localização estratégica;
O Meio Norte
Ocupa todo o estado do Maranhão, e parte do Piauí;
Faixa de transição, entre a região norte e o Sertão
nordestino;
Vegetação de Matas de Cocais;
Extrativismo vegetal: indústria de cosméticos;
Criação de gado, algodão, e de arroz;
 Recentemente soja e minérios;
Nordeste : espaço geográfico atual
A economia nordestina cresceu nos últimos anos;
Isso ocorreu graças á integração ás demais regiões;
Mercados internos e externos;
Representa cerca de 13% do PIB nacional;
Atividades Econômicas
Importantes áreas de produção agrícola irrigadas;
Indústrias e serviços (comércios): setores que mais
contribuem para o PIB da região;
Industria:1990 - desconcentração industrial;
Isenção de impostos;
Cessão de terrenos, mão de obra barata;
Proximidade dos portos e dos fornecedores;

Industrias
Mão de obra barata;
Desqualificada;
Formação e qualificação de trabalhadores;
Crescimento econômico da região;
Serviços
Regiões metropolitanas: Grande São Luís, Fortaleza,
Natal, Recife, Maceió, Salvador;
Turismo ( praias, riqueza histórico cultural, e turismo
religioso);
Luxuosos hotéis: redes nacionais e internacionais;
Turismo
Melhoria nos meios de transporte;
Aeroportos;
Degradação ambiental ( esgoto nas praias,);
Desmatamento e degradação de manguezais;
Indicadores sociais
Mortalidade, esperança de vida, analfabetismo:
melhorou;
Grandes desigualdades e piores indicadores sociais do
país;
Concentração de renda e de terras;
Aplicação inadequada de recursos públicos;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
Agropecuária geral e do brasil
Agropecuária   geral e do brasilAgropecuária   geral e do brasil
Agropecuária geral e do brasil
 
Ásia
ÁsiaÁsia
Ásia
 
Regioes brasil
Regioes brasilRegioes brasil
Regioes brasil
 
Brasil territorio e fronteiras 7º ano
Brasil territorio e fronteiras   7º anoBrasil territorio e fronteiras   7º ano
Brasil territorio e fronteiras 7º ano
 
O Território Brasileiro
O Território BrasileiroO Território Brasileiro
O Território Brasileiro
 
Regionalização
RegionalizaçãoRegionalização
Regionalização
 
O continente americano completo
O continente americano  completoO continente americano  completo
O continente americano completo
 
Geografia continente europeu
Geografia   continente europeuGeografia   continente europeu
Geografia continente europeu
 
O relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasO relevo e as suas formas
O relevo e as suas formas
 
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
 
A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
 
Revisão de geografia europa - 9º ano
Revisão de geografia   europa - 9º anoRevisão de geografia   europa - 9º ano
Revisão de geografia europa - 9º ano
 
Região sudeste slides
Região sudeste slidesRegião sudeste slides
Região sudeste slides
 
Sub região do nordeste
Sub região do nordesteSub região do nordeste
Sub região do nordeste
 
Europa LocalizaçãO
Europa   LocalizaçãOEuropa   LocalizaçãO
Europa LocalizaçãO
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Geografia continente africano
Geografia   continente africanoGeografia   continente africano
Geografia continente africano
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônica
 
Região norte
Região norteRegião norte
Região norte
 

Semelhante a Região nordeste 7º ano

O complexo regional do nordeste
O complexo regional do nordesteO complexo regional do nordeste
O complexo regional do nordesteRosemildo Lima
 
Complexos geoeconômicos.
Complexos geoeconômicos.Complexos geoeconômicos.
Complexos geoeconômicos.Lara Lídia
 
Geografia sudeste-aspectos gerais
Geografia   sudeste-aspectos geraisGeografia   sudeste-aspectos gerais
Geografia sudeste-aspectos geraisLenivaldo Costa
 
Regiões Geoeconômicas
Regiões GeoeconômicasRegiões Geoeconômicas
Regiões GeoeconômicasPré Master
 
Região nordeste
Região nordesteRegião nordeste
Região nordesteLuisAlfra
 
Região nordeste zona da mata e agreste
Região nordeste   zona da mata e agresteRegião nordeste   zona da mata e agreste
Região nordeste zona da mata e agresteflaviocosac
 
Espaço agrário
Espaço agrárioEspaço agrário
Espaço agrárioAlmir
 
Região sudeste café, população e economia
Região sudeste   café, população e economiaRegião sudeste   café, população e economia
Região sudeste café, população e economiaflaviocosac
 
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestino
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestinoIECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestino
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestinoprofrodrigoribeiro
 
Complexos Econômicos
Complexos EconômicosComplexos Econômicos
Complexos Econômicosjoao paulo
 
Complexos econômicos
Complexos econômicosComplexos econômicos
Complexos econômicosjoao paulo
 

Semelhante a Região nordeste 7º ano (20)

Cap. 9 - O nordeste
Cap. 9 - O nordesteCap. 9 - O nordeste
Cap. 9 - O nordeste
 
O complexo regional do nordeste
O complexo regional do nordesteO complexo regional do nordeste
O complexo regional do nordeste
 
Complexos geoeconômicos.
Complexos geoeconômicos.Complexos geoeconômicos.
Complexos geoeconômicos.
 
Geografia sudeste-aspectos gerais
Geografia   sudeste-aspectos geraisGeografia   sudeste-aspectos gerais
Geografia sudeste-aspectos gerais
 
Geografia sudeste
Geografia   sudesteGeografia   sudeste
Geografia sudeste
 
Regiões Geoeconômicas
Regiões GeoeconômicasRegiões Geoeconômicas
Regiões Geoeconômicas
 
Geo28
Geo28Geo28
Geo28
 
Região nordeste
Região nordesteRegião nordeste
Região nordeste
 
Nordeste.
Nordeste.Nordeste.
Nordeste.
 
Região Nordeste.
Região Nordeste.Região Nordeste.
Região Nordeste.
 
Nordeste
NordesteNordeste
Nordeste
 
Região nordeste zona da mata e agreste
Região nordeste   zona da mata e agresteRegião nordeste   zona da mata e agreste
Região nordeste zona da mata e agreste
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
Espaço agrário
Espaço agrárioEspaço agrário
Espaço agrário
 
Região sudeste café, população e economia
Região sudeste   café, população e economiaRegião sudeste   café, população e economia
Região sudeste café, população e economia
 
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestino
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestinoIECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestino
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestino
 
Complexos Econômicos
Complexos EconômicosComplexos Econômicos
Complexos Econômicos
 
Complexos econômicos
Complexos econômicosComplexos econômicos
Complexos econômicos
 
Argentina
ArgentinaArgentina
Argentina
 

Último

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 

Região nordeste 7º ano

  • 2.
  • 3. Aspectos físicos da região Nordeste Formada por 9 estados; Área 1 558 196 km² População 53 591 197 hab – IBGE/2009 Área 18,25% do território nacional; Diferentes paisagens; Temperaturas elevadas; Baixo volume pluviométrico (chuvas); Grande potencial de evaporação;
  • 4. Tipos de Vegetação e Clima Clima semi árido: Caatinga; Clima litorâneo úmido: Mangues e Mata Atlântica; Clima tropical: cerrado; Clima equatorial úmido: Mata dos Cocais;
  • 5.
  • 6. Polígono das Secas Região localizada entre a região nordeste e o norte de minas Gerais; Reconhecida pelo governo federal; Passa por longos períodos de estiagem; Criação de políticas contra secas prolongadas;
  • 7.
  • 8. CHUVA Orográfica Planalto da Borborema; Barreira natural ás massas de ar carregadas de umidades vindas do oceano;
  • 9.
  • 10.
  • 11. Hidrografia do Nordeste Rios temporários; Rio São Francisco: único rio perene, que atravessa o sertão nordestino; Rio de planalto; “Velho Chico” – uso: irrigação, transporte ( eclusas) , pesca, produção de energia elétrica; Assoreamento, desmatamento da mata ciliar;
  • 12. O Relevo do Nordeste Planície costeira; Áreas mais rebaixadas; Planaltos na área central: Planalto da Borborema, Chapada Diamantina, serra Geral e Grande; São áreas mais elevadas;
  • 13. EXERCÍCIOS 1)Explique o que é chuva orográfica. 2) Quais os quatro climas predominantes no nordeste? 3) Explique o que é o mangue. 4) Fale sobre o polígono das secas.
  • 15. A indústria da seca Seca é uma característica do clima semi árido; “explicação” para a pobreza de quem vive no Sertão Nordestino; Governos dessas áreas solicitam verbas para solucionar os “problemas”; Dinheiro público: investir em açudes para levar água até as pessoas necessitadas é desviado;
  • 16. Para onde vai as verbas milionárias? Para os grandes latifundiários da região; Recebem o dinheiro dos pobres coitados; Daí o nome de indústria da seca.
  • 17. Projetos criados Cisternas; Açudes; Transposição das águas do Rio São Francisco; Para irrigação; Parte da água será levada até os rios temporários do nordeste; Projeto polêmico: quem serão realmente beneficiados?
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25. • ELABORAR CARTAZES DENUNCIANDO O QUE É A TAL DA TRANSPOSIÇÃO.
  • 26. Nordeste: Ocupação e Organização do Espaço Região de ocupação mais antiga do país; Atividade canavieira; Primeiros núcleos urbanos do país; Preocupação em defender o território; Portos: exportar o pau Brasil, e recebiam utensílios vindos da Europa;
  • 27. A cana de açúcar Trouxe á região poder político e econômico; Formação de grandes latifúndios; Monocultura; Trabalho indígena e escravo; Primeira capital; Ocupação do litoral;
  • 28. A ocupação do interior da região Criação de gado; Usados: transporte das canas, carne, e couro; Criados em áreas mais distantes do litoral, onde o dolo não era bom para a cana de açúcar;
  • 29. A decadência econômica do Nordeste XVII- cana de açúcar em crise; Preços mais baixos, conquistaram o mercado europeu; Algodão – crise com o produto dos EUA; Auge da mineração e pedras preciosas, pólos de maior importância;
  • 30. As Sub regiões do Nordeste A grande região nordeste é regionalizada em quatro regiões. Critérios: aspectos naturais ( clima, vegetação, relevo, e hidrografia), e sociais;  São elas: - Zona da Mata; Agreste; Sertão; Meio Norte;
  • 31.
  • 32. Zona da Mata Sub região nordestina; Localizada no litoral nordestino; Primeiro local de exploração do Brasil; Desmatamento da Mata Atlântica; Mais desenvolvida e industrializada da região; Problemas sociais: moradias irregulares, desemprego, baixos salários;
  • 33.
  • 34.
  • 35. Zona da Mata A sub região da zona da mata é dividida em três áreas distintas: Zona da mata açucareira; Recôncavo baiano; Zona da mata cacaueira;
  • 36. Zona da mata açucareira Origem no período colonial; Área do cultivo da cana de açúcar; Ocupa a faixa que vai do Rio Grande do Norte até o norte da Bahia; Hoje: usinas de cana de açúcar e álcool; Grandes latifúndios monocultores; Atividades pecuárias; Produção de frutas, indústrias e serviços;
  • 37. Zona da mata cacaueira Localiza-se no sul da Bahia; Importante produtora de cacau; 1950: crise do cacau; Diversificação econômica: pecuária, ind. De polpa de frutas, celulose; Maior exportadora de cacau do país; Faixas da Mata Atlântica preservadas; Turismo;
  • 38. Recôncavo Baiano  Localização: municípios ao redor de Salvador; Áreas industriais; Produção de tabaco; Agricultura de subsistência; Pesca;
  • 39. AgresteSub região nordestina; Localizado entre a área seca ( sertão) e área úmida ( zona da mata), faixa de transição; Vegetação de caatinga e mata atlântica; Minifúndios policultores; Feijão, milho, mandioca, café, algodão, agave; Pecuária, ind. De derivados do leite; Ind. Calçados, móveis e têxteis;
  • 40. Algodão Grande importância para o desenvolvimento dos municípios da região; Algodão colorido; Exportação mundial;
  • 41.
  • 42. O Sertão Maior sub região do nordeste; Ocupa a área do clima semi árido; Encostas de serras, áreas mais úmidas: brejos, onde existem importantes áreas agrícolas; Pecuária, agricultura ( frutas), café, algodão, soja, milho, feijão, arroz e mandioca; Agricultura de subsistência; Áreas irrigadas: mercado externo e interno;
  • 43. Vale do AçuVale do Açu (RN)(RN) – grande produtor de frutas – manga, melão e uva; Pólo de Juazeiro (BA) - Petrolina (PE)Pólo de Juazeiro (BA) - Petrolina (PE) – forte produção de frutas –uva e manga; Oeste da BahiaOeste da Bahia: produção de café, soja e frutas; Empresas agrícolas do sul, estão indo para o nordeste: terras baratas e localização estratégica;
  • 44. O Meio Norte Ocupa todo o estado do Maranhão, e parte do Piauí; Faixa de transição, entre a região norte e o Sertão nordestino; Vegetação de Matas de Cocais; Extrativismo vegetal: indústria de cosméticos; Criação de gado, algodão, e de arroz;  Recentemente soja e minérios;
  • 45.
  • 46. Nordeste : espaço geográfico atual A economia nordestina cresceu nos últimos anos; Isso ocorreu graças á integração ás demais regiões; Mercados internos e externos; Representa cerca de 13% do PIB nacional;
  • 47. Atividades Econômicas Importantes áreas de produção agrícola irrigadas; Indústrias e serviços (comércios): setores que mais contribuem para o PIB da região; Industria:1990 - desconcentração industrial; Isenção de impostos; Cessão de terrenos, mão de obra barata; Proximidade dos portos e dos fornecedores; 
  • 48. Industrias Mão de obra barata; Desqualificada; Formação e qualificação de trabalhadores; Crescimento econômico da região;
  • 49.
  • 50. Serviços Regiões metropolitanas: Grande São Luís, Fortaleza, Natal, Recife, Maceió, Salvador; Turismo ( praias, riqueza histórico cultural, e turismo religioso); Luxuosos hotéis: redes nacionais e internacionais;
  • 51. Turismo Melhoria nos meios de transporte; Aeroportos; Degradação ambiental ( esgoto nas praias,); Desmatamento e degradação de manguezais;
  • 52.
  • 53. Indicadores sociais Mortalidade, esperança de vida, analfabetismo: melhorou; Grandes desigualdades e piores indicadores sociais do país; Concentração de renda e de terras; Aplicação inadequada de recursos públicos;