O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Estudo das constelações

2.926 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Estudo das constelações

  1. 1. De fora da Via-Láctea, vê-se a pequena mancha roxa querepresenta todas as estrelas que compõem as 88 constelações que vemos da Terra.
  2. 2. Descemos e giramos um pouco para ver de outro ângulo. 88constelações, centenas de estrelas espalhadas por milhares de anos-luz, e mal as vemos dessa distância.
  3. 3. Vamos chegar mais perto.
  4. 4. Note que 99% das estrelas que compõem nossasconstelações estão concentradas numa região quasepontual da Via-Láctea.
  5. 5. As linhas mais compridas terminam nas estrelas mais distantes quecompõem a imagem de uma constelação. A Via-Láctea tem 30 Kpc de diâmetro; nosso grupo "constelatório" mal passa de 5 Kpc.
  6. 6. Agora vamos iniciar um zoom progressivo. O destino final é o nosso Sistema Solar.
  7. 7. Como as constelações são desenhosimaginários vistos da Terra, olhando-se de fora a maioria das linhas imagináriasconverge para um ponto central, onde está nosso planeta.
  8. 8. Algumas estrelas individuais começam a ficar visíveis.Estamos nos aproximando.
  9. 9. Observe as linhas que unem umas estrelas aoutras. Se estivéssemos na Terra, veríamos essas linhas formando as constelações.
  10. 10. Continuamos nos aproximando, sempre na mesma direção. No centro da imagem já se pode distinguir onosso Sol, apesar de ainda muito tenuamente: estamos a quase 150 anos-luz dele.
  11. 11. A essa distância, algumas linhas começam a se parecer mais com as constelações que conhecemos.
  12. 12. O brilho da nossa estrela-natal já começa a se destacar.
  13. 13. As coisas começam a ficar mais familiares; eis a órbita de Plutão.
  14. 14. Aqui, vemos todo o sistema solar exterior. As constelações próximas já aparecem como estamos acostumados a vê-las.
  15. 15. Aqui, vemos apenas o sistema solar interior. O quinto planeta, Júpiter, está tão longe do Sol que não cabe na tela.
  16. 16. Nossa viagem chegou ao fim: vemos a Terra nocentro e a Lua no alto. Repare como ela também fica tão longe de nós que parece apenas um pontinho perdido no espaço.
  17. 17. Imagens: livre manipulação do software de simulação astronômica ‘Celestia’ http://www.shatters.net/celestia/ Texto: Alexandre Rosas https://twitter.com/#!/Alelex88

×