Sofistas 21m ççç

431 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
431
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
176
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sofistas 21m ççç

  1. 1. Sofistas Nome: Joice Camargo Turma: 21MP Professor: Alexandre 2º ano
  2. 2. Pensamento Clássico Grego • A partir do século V. a.C a atenção dos filósofos começa a ser atraída por outros problemas. • Interesse maior por questões filosóficas voltadas ao ser humano e nas suas relações com o mundo (vida politica e vida social). • Marcou profundamente a história do pensamento ocidental e boa parte de nossa maneira de ser e perceber as coisas até os dias atuais.
  3. 3. Contexto Histórico • Com a expansão marítima e o desenvolvimento do comércio na cidade de Atenas, outras classes sociais se desenvolvia e reivindicavam participação política, que antes era dominada pelos aristocratas. • Aristocratas: do grego αριστοκρατία, literalmente “ poder dos melhores”, é uma forma de governo na qual o poder politico é dominado por um grupo elitista. • Foi por conta dessa nova necessidade, que reformas legislativas feitas por Drácon, Sólon e Clístenes fizeram surgir uma nova e autentica forma de governo: a Democracia.
  4. 4. Democracia Ateniense • A democracia ateniense guiava-se basicamente pelo principio da isonomia, isto é, de que todos os cidadãos têm o mesmo direito perante as leis. • Eram considerados cidadãos apenas homens maiores de 21 anos nascidos na cidade de Atenas. • Mulheres, estrangeiros e escravos não participavam da vida politica. • Democracia direta: através do voto e da palavra.
  5. 5. • Durante esse período, valorizava-se muito a participação dos cidadãos nas assembleias. • O cidadão tinha que ser politizado, caso contrário não era bem visto pelos demais. • Para ser bem aceito nas assembleias, os cidadãos precisavam conquistar o povo por meio da palavra. Eram necessárias habilidades argumentativas e dialéticas. • Foi nesse contexto de valorização da palavra, que surgiram os sofistas.
  6. 6. Os Sofistas • Eram professores de varias partes do mundo grego que, mediante pagamento, vendiam seus ensinamentos práticos da filosofia. • Seus ensinamentos concentrava-se no logos ou discurso, com foco em estratégias de argumentação. Os mestres sofistas alegavam que podiam “melhorar” seus discípulos, ou em outras palavras que a “virtude” seria passível de ser ensinada. Principais sofistas: • Protágoras (481 a.C. -420 a.C.) • Górgias (483 a.C. -376 a.C.) • Sócrates (436 a.C. -338 a.C.) • Protágoras foi o primeiro sofista a aceitar dinheiro dos seus ensinamentos.
  7. 7. • Questionaram a sabedoria recebida pelos deuses e a supremacia da cultura grega. • Argumentavam que as práticas culturais existiam em função de convenções e que poderia ser julgada fora do contexto cultural que aquele ocorreu. • Tal posição questionadora levou-os a serem perseguidos, inclusive, por aqueles que se diziam amar a sabedoria: os filósofos gregos. • Uma das mais famosas doutrinas sofistas é a teoria do contra- argumento. Eles ensinavam que todo e qualquer argumento poderia ser refutado por outro argumento, e que a efetividade de um argumento residiria na verossimilhança (aparência de verdadeiro, mas não necessariamente verdadeiro) perante as pessoas. • Os sofistas ensinavam seus alunos pagantes a convencer de suas ideais, mesmo que não fossem verdadeiras.
  8. 8. • Depois de algum tempo, os sofistas foram vistos como enganadores, pois foram vistos como mestres da arte de manipular raciocínios, produzir conhecimento falso e iludir os ouvintes, sem qualquer amor pela verdade. Protágoras de Abdera • E o primeiro e mais importante sofista. • “ O homem é a medida de todas as coisas” • A realidade é, para ele, relativa a cada um, depende de suas disposições. • O mundo é como os seres humanos o interpretam. • Criticas á sua filosofia: grande subjetivismo.
  9. 9. Ágora: local de debates • Ágora é a denominação de uma praça pública, nas antigas cidades da Grécia. • As Ágoras eram espaços onde os cidadãos livres discutiam politicas, faziam negócios, ouviam filosofia e aplaudiam os grandes oradores. Era a Tribuna popular para a discussão dos destinos da comunidade.

×