SlideShare uma empresa Scribd logo
Conselho de Classe
FORMAÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO
PROPOSTA DE ATIVIDADE –
INTERVENÇÃO E PRÁTICA
 Proposta inicial de prática de Orientação
Educacional
 Análise de conselho de classe
 Formação de grupos de estudos
Etapa 1
 Análise da realidade da escola
 Análise do regimento escolar
 Análise dos procedimentos de avaliação
 Análise dos conselhos de classe
 Tipos de conselho de classe:
# a cultura do faz de
conta
# Conselho Bingo
# Conselho UTI ou
Necrotério
# Conselho plangente
# a cultura do faz de conta
 “Você finge que me ensina eu finjo que aprendo”
 Conselho de classe que serve apenas para cumprimento do
calendário escolar
 O conselho é apenas rotina, aborrecedora, ineficiente e não
tem uma pauta que busca analisar o ensino-aprendizagem
# Conselho Bingo
 Caracteriza-se por uma luta constante pelo tempo,
evidenciado em momentos fracionados, períodos ou turnos
quando são “avaliados” ou “cantados” os nomes de listas
intermináveis de alunos.
 Exemplo: “Este menino é horrível, não adianta nem falar,
vamos para o próximo”
 “passa”, “esse foi”, “este tá bom”, esquece”, “Ih parou”
 Os professores correm para entregar cadernos de chamada
e saem apressados.
# Conselho UTI ou Necrotério
 Caracteriza-se por ser um conselho onde os coordenadores
e professores gritam o nomes dos alunos ou os seus
respectivos números e dizem as seguintes expressões
referentes aos alunos:
 “Tá morto”, “este ai já morreu”, “é só enterrar”, “Tá mal mais
um pouquinho e foi”, “não adianta mais, nem com reza
brava”, “sem chance”, “tá muito fraquinho”, “tá muito
fraquinho... É melhor fazer um reforço... Quem sabe repetir
para ficar mais forte”
# Conselho plangente
 Caracteriza-se por uma espaço aberto para todo tipo de
lamentações, com as seguintes afirmações:
 “não tenho tesão, esta turma é a pior”, “está é a turma dos
alunos-problema”, “essa ai só sabe conversar”, “um bando
de chatinhos”, “nós não prestamos para mais nada, por isso
somos professores”, “Eu não aguento mais” “se continuar
assim desisto”
CONSELHO DE CLASSE
 Qual a finalidade?
 O Conselho de Classe é uma atividade por excelência
avaliativa, que permite a discussão e análise coletiva do
processo de ensino em curso se tornando um instrumento
indispensável ao processo educacional uma vez que
dinamiza o processo de avaliação por intermédio das
múltiplas análises de seus participantes bem como a
corresponsabilidade das decisões tomadas e dos seus
resultados. Neste sentido o conselho de classe deverá
privilegiar a reflexão coletiva e democrática, onde todos
avaliam se auto avaliam em busca de melhores alternativas,
para o sucesso da escola, se tornando um elemento básico
para a integração das relações na Unidade Escolar, e
consequentemente para a construção de um projeto político
pedagógico de ação integradora e transformadora.
CONSELHO DE CLASSE
 Por que Conselho de Classe?
 1. Fornece a integração entre os professores, aluno e família;
 2. Torna a avaliação mais dinâmica e compreensiva;
 3. Possibilita um desenvolvimento progressivo da tarefa educacional;
 4. Conscientiza o aluno de sua atuação dividindo responsabilidades;
 5. Considera as áreas afetivas, cognitivas e psicomotora;
 6. Permite a busca coletiva de instrumentos e critérios na dinâmica
educacional que permitam abranger os diferentes domínios do
comportamento humano, em função do desenvolvimento integral;
 7. Oportuniza reflexão e conscientização quanto aos objetivos do ensino-
aprendizagem, no sentido de que a avaliação integral, volta-se mais para o
desenvolvimento, do que para o conhecimento, oferecendo melhores
condições de motivação para uma aprendizagem eficiente, eficaz e
duradoura;
 8. Dinamiza o dialogo entre todos os envolvidos no processo educacional,
evitando uma avaliação cujo objetivo são fundamentados apenas em
identificar e determinar;
 9. Possibilita a avaliação do desempenho de todos os educadores
envolvidos no processo educacional junto à escola;
CONSELHO DE CLASSE
 É necessário pensar em um conselho de classe que seja capaz
de verificar:
 • A postura do educador frente ao processo ensino-aprendizagem;
 • A coerência entre prática pedagógica e a proposta da escola;
 • Aproximação e melhor relacionamento entre professor e aluno;
 • O comportamento do aluno frente à classe, ao professor e a
escola;
 • Se há coerência entre critérios de avaliação adotados pelos
diferentes professores;
 • Avaliação do trabalho do professor e demais profissionais da
escola, pela visão do aluno;
Etapa 2
 Interpretação dos dados do conselho de
classe
 Detecção das dificuldades de
aprendizagem por área de conhecimento
 Observação das características
específicas da turma selecionada para o
apoio pedagógico.
 Entrevista com os professores da turma
Etapa 3
 Formação do grupo de apoio
pedagógico (monitores)
 Oferecimento de oficinas de
aprendizagem para os alunos com
dificuldades de aprendizagem nas
diferentes áreas de conhecimento (por
adesão)
 Elaboração de roteiro para estudos
(professores e monitores)
Etapa 4
 Oficinas de aprendizagem em turno
contrário
 Elaboração de rotinas de estudos
 Atendimento individual aos alunos com
dificuldades de aprendizagem
Etapa 5
 Após o término das oficinas, reunião
com professores e monitores para
avaliar os resultados das mesmas.
 Analisar os resultados dos grupos de
estudos
 Propor a troca de experiências entre
professores e monitores, para continuar
o projeto.
Etapa 6
 Produção textual sobre a intervenção
de:
 Conselho de classe (resignificação)
 Formação e execução dos grupos de
estudo
 Análise do projeto
 Conclusões sobre a intervenção e a
ação da Orientação Educacional no
processo de ensino-aprendizagem
Referências Bibliográficas
 Imagem 1: https://sites.google.com/site/emefcapelozza/260413_conselho5.jpg
 Imagem 2:
http://s2.glbimg.com/yjdiTCUZDR6Gr1Gpso7wyR2ZSlo=/s.glbimg.com/og/rg/f/original/
2014/11/17/site_1.jpg
 Imagem 3:
https://s3.amazonaws.com/static.jogatina.com/imagens/2013/jogos/online/bingo/regras
-bingo.jpg
 Imagem 4:
http://ww2.baguete.com.br/admin//cache/sites/default/files/multimedia/imagens/noticia/
89046-medicapa.jpg
 Imagem 5:
http://41.media.tumblr.com/9fb53b6da12102e4db6203ab830565e7/tumblr_ncrobgIJLp1
r1a5e3o1_r2_250.jpg
 Imagem 6: http://www.dicionario10.com.br/images/significado/p/plangente-
297680yu6PcKdnRH.jpg

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Observação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reisObservação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reis
sitedcoeste
 
Diretrizes que norteiam os caminhos da escola: Conselho de Classe
Diretrizes que norteiam os caminhos da escola:   Conselho de ClasseDiretrizes que norteiam os caminhos da escola:   Conselho de Classe
Diretrizes que norteiam os caminhos da escola: Conselho de Classe
Adilson P Motta Motta
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
Breno Lacerda
 
Ficha de conselho de classe
Ficha de conselho de classeFicha de conselho de classe
Ficha de conselho de classe
SimoneHelenDrumond
 
DIDATICA Didática i aula
DIDATICA Didática i   aulaDIDATICA Didática i   aula
DIDATICA Didática i aula
Leandro Pereira
 
PROJETO LÍDERES DE TURMAS, AJUDANDO A GERENCIAR A ESCOLA. IDEALIZADOR: DIRETO...
PROJETO LÍDERES DE TURMAS, AJUDANDO A GERENCIAR A ESCOLA. IDEALIZADOR: DIRETO...PROJETO LÍDERES DE TURMAS, AJUDANDO A GERENCIAR A ESCOLA. IDEALIZADOR: DIRETO...
PROJETO LÍDERES DE TURMAS, AJUDANDO A GERENCIAR A ESCOLA. IDEALIZADOR: DIRETO...
Antônio Fernandes
 
Tendência progressista libertária1
Tendência progressista libertária1Tendência progressista libertária1
Tendência progressista libertária1
Cássio Landher Alves
 
PEI NA PRÁTICA.pdf
PEI NA PRÁTICA.pdfPEI NA PRÁTICA.pdf
PEI NA PRÁTICA.pdf
PatrciaDaSilvaGaldin1
 
CONSELHO DE CLASSE - Prof. Noe Assunção
CONSELHO DE CLASSE - Prof. Noe AssunçãoCONSELHO DE CLASSE - Prof. Noe Assunção
CONSELHO DE CLASSE - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Conselho de classe - Pedagogo César Tavares
Conselho de classe - Pedagogo César TavaresConselho de classe - Pedagogo César Tavares
Conselho de classe - Pedagogo César Tavares
CÉSAR TAVARES
 
Avaliação: tipos e funções
Avaliação: tipos e funçõesAvaliação: tipos e funções
Avaliação: tipos e funções
Kogen Gouveia
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
Gerdian Teixeira
 
ATPC Como Espaço de Formação - Avaliação
ATPC Como Espaço de Formação - AvaliaçãoATPC Como Espaço de Formação - Avaliação
ATPC Como Espaço de Formação - Avaliação
Claudia Elisabete Silva
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Dirce Cristiane Camilotti
 
Roteiro para o conselho de classe C.B.
Roteiro para o conselho de classe C.B. Roteiro para o conselho de classe C.B.
Roteiro para o conselho de classe C.B.
Elisângela Chaves
 
Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva
Política nacional  de educação especial  na perspectiva da educação inclusivaPolítica nacional  de educação especial  na perspectiva da educação inclusiva
Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva
ceciliaconserva
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
lucavao2010
 
FORMAÇÃO TUTORIA PARA ENSINO INTEGRAL.pptx
FORMAÇÃO TUTORIA PARA ENSINO INTEGRAL.pptxFORMAÇÃO TUTORIA PARA ENSINO INTEGRAL.pptx
FORMAÇÃO TUTORIA PARA ENSINO INTEGRAL.pptx
Paul Roger Gonçalves Ocampos .'.
 
Relatório da entrevista sobre gestão
Relatório da entrevista sobre gestãoRelatório da entrevista sobre gestão
Relatório da entrevista sobre gestão
Karina Barbosa
 
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolarSupervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
francinethmedeiros
 

Mais procurados (20)

Observação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reisObservação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reis
 
Diretrizes que norteiam os caminhos da escola: Conselho de Classe
Diretrizes que norteiam os caminhos da escola:   Conselho de ClasseDiretrizes que norteiam os caminhos da escola:   Conselho de Classe
Diretrizes que norteiam os caminhos da escola: Conselho de Classe
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
 
Ficha de conselho de classe
Ficha de conselho de classeFicha de conselho de classe
Ficha de conselho de classe
 
DIDATICA Didática i aula
DIDATICA Didática i   aulaDIDATICA Didática i   aula
DIDATICA Didática i aula
 
PROJETO LÍDERES DE TURMAS, AJUDANDO A GERENCIAR A ESCOLA. IDEALIZADOR: DIRETO...
PROJETO LÍDERES DE TURMAS, AJUDANDO A GERENCIAR A ESCOLA. IDEALIZADOR: DIRETO...PROJETO LÍDERES DE TURMAS, AJUDANDO A GERENCIAR A ESCOLA. IDEALIZADOR: DIRETO...
PROJETO LÍDERES DE TURMAS, AJUDANDO A GERENCIAR A ESCOLA. IDEALIZADOR: DIRETO...
 
Tendência progressista libertária1
Tendência progressista libertária1Tendência progressista libertária1
Tendência progressista libertária1
 
PEI NA PRÁTICA.pdf
PEI NA PRÁTICA.pdfPEI NA PRÁTICA.pdf
PEI NA PRÁTICA.pdf
 
CONSELHO DE CLASSE - Prof. Noe Assunção
CONSELHO DE CLASSE - Prof. Noe AssunçãoCONSELHO DE CLASSE - Prof. Noe Assunção
CONSELHO DE CLASSE - Prof. Noe Assunção
 
Conselho de classe - Pedagogo César Tavares
Conselho de classe - Pedagogo César TavaresConselho de classe - Pedagogo César Tavares
Conselho de classe - Pedagogo César Tavares
 
Avaliação: tipos e funções
Avaliação: tipos e funçõesAvaliação: tipos e funções
Avaliação: tipos e funções
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
 
ATPC Como Espaço de Formação - Avaliação
ATPC Como Espaço de Formação - AvaliaçãoATPC Como Espaço de Formação - Avaliação
ATPC Como Espaço de Formação - Avaliação
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
Roteiro para o conselho de classe C.B.
Roteiro para o conselho de classe C.B. Roteiro para o conselho de classe C.B.
Roteiro para o conselho de classe C.B.
 
Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva
Política nacional  de educação especial  na perspectiva da educação inclusivaPolítica nacional  de educação especial  na perspectiva da educação inclusiva
Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
 
FORMAÇÃO TUTORIA PARA ENSINO INTEGRAL.pptx
FORMAÇÃO TUTORIA PARA ENSINO INTEGRAL.pptxFORMAÇÃO TUTORIA PARA ENSINO INTEGRAL.pptx
FORMAÇÃO TUTORIA PARA ENSINO INTEGRAL.pptx
 
Relatório da entrevista sobre gestão
Relatório da entrevista sobre gestãoRelatório da entrevista sobre gestão
Relatório da entrevista sobre gestão
 
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolarSupervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
Supervisao escolar-o-papel-do-supervisor-escolar
 

Destaque

1 conselho de classe 2014
1 conselho de classe  20141 conselho de classe  2014
1 conselho de classe 2014
Polivalente Linhares
 
Conselho de classe para que
Conselho de classe para queConselho de classe para que
Plano de ação -1
Plano de ação   -1Plano de ação   -1
Plano de ação -1
Luciene Vales
 
Reunião professores coordenadores conselho de classe 2013
Reunião professores coordenadores   conselho de classe 2013Reunião professores coordenadores   conselho de classe 2013
Reunião professores coordenadores conselho de classe 2013
Rosemary Batista
 
Conselho de Classe
Conselho de ClasseConselho de Classe
Conselho de Classe
Mário Monte
 
Conselho de classe 2011
Conselho de classe 2011Conselho de classe 2011
Conselho de classe 2011
equipeanosiniciais
 

Destaque (6)

1 conselho de classe 2014
1 conselho de classe  20141 conselho de classe  2014
1 conselho de classe 2014
 
Conselho de classe para que
Conselho de classe para queConselho de classe para que
Conselho de classe para que
 
Plano de ação -1
Plano de ação   -1Plano de ação   -1
Plano de ação -1
 
Reunião professores coordenadores conselho de classe 2013
Reunião professores coordenadores   conselho de classe 2013Reunião professores coordenadores   conselho de classe 2013
Reunião professores coordenadores conselho de classe 2013
 
Conselho de Classe
Conselho de ClasseConselho de Classe
Conselho de Classe
 
Conselho de classe 2011
Conselho de classe 2011Conselho de classe 2011
Conselho de classe 2011
 

Semelhante a Orientação escolar conselho de classe e grupos de estudos

A avaliação deve orientar a aprendizagem
A avaliação deve orientar a aprendizagemA avaliação deve orientar a aprendizagem
A avaliação deve orientar a aprendizagem
Roberto Costa
 
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Polivalente Linhares
 
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Polivalente Linhares
 
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Polivalente Linhares
 
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Polivalente Linhares
 
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Polivalente Linhares
 
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
Dilma Franchi
 
Conselho de classe_e_serie
Conselho de classe_e_serieConselho de classe_e_serie
Conselho de classe_e_serie
Rosemary Batista
 
A avaliação da aprendizagem
A avaliação da aprendizagemA avaliação da aprendizagem
A avaliação da aprendizagem
André Pereira Rocha
 
007 - MANUAL DO LÍDER_rev2.pdf
007 - MANUAL DO LÍDER_rev2.pdf007 - MANUAL DO LÍDER_rev2.pdf
007 - MANUAL DO LÍDER_rev2.pdf
CoordenaoEPGBA
 
avaliação da aprendizagem . Educação, ppt
avaliação da aprendizagem . Educação, pptavaliação da aprendizagem . Educação, ppt
avaliação da aprendizagem . Educação, ppt
Milene452635
 
Teresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
Teresa_Steban_22-10-2014_2.pptTeresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
Teresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
JOAOMAZZUTTI
 
Avaliação da aprendizagem na escola
Avaliação da aprendizagem na escolaAvaliação da aprendizagem na escola
Avaliação da aprendizagem na escola
Elis Zampieri
 
Hoffmann, jussara o jogo em avaliação
Hoffmann, jussara   o jogo em avaliaçãoHoffmann, jussara   o jogo em avaliação
Hoffmann, jussara o jogo em avaliação
marcaocampos
 
Hoffmann, jussara o jogo em avaliação
Hoffmann, jussara   o jogo em avaliaçãoHoffmann, jussara   o jogo em avaliação
Hoffmann, jussara o jogo em avaliação
Diego Garcia
 
Apresentação estágio maria luiza de melo
Apresentação estágio maria luiza de meloApresentação estágio maria luiza de melo
Apresentação estágio maria luiza de melo
UNIVERSIDADE DE SÃO JOSÉ - USJ
 
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptxAvaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
CARLOSANTONIOCUNHADO
 
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010
Paulinha2011
 
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
Eduardo Lopes
 
Formação sobre o papel do supervisor escolar
Formação sobre o papel do supervisor escolarFormação sobre o papel do supervisor escolar
Formação sobre o papel do supervisor escolar
Maria Cecilia Silva
 

Semelhante a Orientação escolar conselho de classe e grupos de estudos (20)

A avaliação deve orientar a aprendizagem
A avaliação deve orientar a aprendizagemA avaliação deve orientar a aprendizagem
A avaliação deve orientar a aprendizagem
 
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
 
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
 
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
 
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
 
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
Slides conselho de classe 1º trimestre 2014
 
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
 
Conselho de classe_e_serie
Conselho de classe_e_serieConselho de classe_e_serie
Conselho de classe_e_serie
 
A avaliação da aprendizagem
A avaliação da aprendizagemA avaliação da aprendizagem
A avaliação da aprendizagem
 
007 - MANUAL DO LÍDER_rev2.pdf
007 - MANUAL DO LÍDER_rev2.pdf007 - MANUAL DO LÍDER_rev2.pdf
007 - MANUAL DO LÍDER_rev2.pdf
 
avaliação da aprendizagem . Educação, ppt
avaliação da aprendizagem . Educação, pptavaliação da aprendizagem . Educação, ppt
avaliação da aprendizagem . Educação, ppt
 
Teresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
Teresa_Steban_22-10-2014_2.pptTeresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
Teresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
 
Avaliação da aprendizagem na escola
Avaliação da aprendizagem na escolaAvaliação da aprendizagem na escola
Avaliação da aprendizagem na escola
 
Hoffmann, jussara o jogo em avaliação
Hoffmann, jussara   o jogo em avaliaçãoHoffmann, jussara   o jogo em avaliação
Hoffmann, jussara o jogo em avaliação
 
Hoffmann, jussara o jogo em avaliação
Hoffmann, jussara   o jogo em avaliaçãoHoffmann, jussara   o jogo em avaliação
Hoffmann, jussara o jogo em avaliação
 
Apresentação estágio maria luiza de melo
Apresentação estágio maria luiza de meloApresentação estágio maria luiza de melo
Apresentação estágio maria luiza de melo
 
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptxAvaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
 
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010
 
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
 
Formação sobre o papel do supervisor escolar
Formação sobre o papel do supervisor escolarFormação sobre o papel do supervisor escolar
Formação sobre o papel do supervisor escolar
 

Mais de Alexandre Misturini

Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais  21032017 2 e 3 º anosReunião de pais  21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Alexandre Misturini
 
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais  21032017 2 e 3 º anosReunião de pais  21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Alexandre Misturini
 
Reunião de pais 20032017 1º anos
Reunião de pais  20032017 1º anosReunião de pais  20032017 1º anos
Reunião de pais 20032017 1º anos
Alexandre Misturini
 
Reunião de pais 20032017 1º anos
Reunião de pais  20032017 1º anosReunião de pais  20032017 1º anos
Reunião de pais 20032017 1º anos
Alexandre Misturini
 
Política filo 33 mp
Política filo 33 mpPolítica filo 33 mp
Política filo 33 mp
Alexandre Misturini
 
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mpFilosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Alexandre Misturini
 
éTica
éTicaéTica
Modelo de divulgação do projeto social
Modelo de divulgação do projeto socialModelo de divulgação do projeto social
Modelo de divulgação do projeto social
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilianFilosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 npFilosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 np
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval 27 np
Filosofia medieval 27 npFilosofia medieval 27 np
Filosofia medieval 27 np
Alexandre Misturini
 
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval julia 22mp
Filosofia medieval julia 22mpFilosofia medieval julia 22mp
Filosofia medieval julia 22mp
Alexandre Misturini
 
Fslide de filo 22mpppppp
Fslide de filo 22mppppppFslide de filo 22mpppppp
Fslide de filo 22mpppppp
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval 01 pimel 24
Filosofia medieval 01 pimel 24Filosofia medieval 01 pimel 24
Filosofia medieval 01 pimel 24
Alexandre Misturini
 
Filo 02 26tptptptp
Filo 02 26tptptptpFilo 02 26tptptptp
Filo 02 26tptptptp
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval 24
Filosofia medieval 24Filosofia medieval 24
Filosofia medieval 24
Alexandre Misturini
 
Trabalho ética 15 tp
Trabalho ética 15 tpTrabalho ética 15 tp
Trabalho ética 15 tp
Alexandre Misturini
 
Trabalho 26 tp mateus e pedro - escolástica e patrística
Trabalho 26 tp   mateus e pedro - escolástica e patrísticaTrabalho 26 tp   mateus e pedro - escolástica e patrística
Trabalho 26 tp mateus e pedro - escolástica e patrística
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tpFilosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tp
Alexandre Misturini
 

Mais de Alexandre Misturini (20)

Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais  21032017 2 e 3 º anosReunião de pais  21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
 
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais  21032017 2 e 3 º anosReunião de pais  21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
 
Reunião de pais 20032017 1º anos
Reunião de pais  20032017 1º anosReunião de pais  20032017 1º anos
Reunião de pais 20032017 1º anos
 
Reunião de pais 20032017 1º anos
Reunião de pais  20032017 1º anosReunião de pais  20032017 1º anos
Reunião de pais 20032017 1º anos
 
Política filo 33 mp
Política filo 33 mpPolítica filo 33 mp
Política filo 33 mp
 
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mpFilosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
 
éTica
éTicaéTica
éTica
 
Modelo de divulgação do projeto social
Modelo de divulgação do projeto socialModelo de divulgação do projeto social
Modelo de divulgação do projeto social
 
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilianFilosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
 
Filosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 npFilosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 np
 
Filosofia medieval 27 np
Filosofia medieval 27 npFilosofia medieval 27 np
Filosofia medieval 27 np
 
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
 
Filosofia medieval julia 22mp
Filosofia medieval julia 22mpFilosofia medieval julia 22mp
Filosofia medieval julia 22mp
 
Fslide de filo 22mpppppp
Fslide de filo 22mppppppFslide de filo 22mpppppp
Fslide de filo 22mpppppp
 
Filosofia medieval 01 pimel 24
Filosofia medieval 01 pimel 24Filosofia medieval 01 pimel 24
Filosofia medieval 01 pimel 24
 
Filo 02 26tptptptp
Filo 02 26tptptptpFilo 02 26tptptptp
Filo 02 26tptptptp
 
Filosofia medieval 24
Filosofia medieval 24Filosofia medieval 24
Filosofia medieval 24
 
Trabalho ética 15 tp
Trabalho ética 15 tpTrabalho ética 15 tp
Trabalho ética 15 tp
 
Trabalho 26 tp mateus e pedro - escolástica e patrística
Trabalho 26 tp   mateus e pedro - escolástica e patrísticaTrabalho 26 tp   mateus e pedro - escolástica e patrística
Trabalho 26 tp mateus e pedro - escolástica e patrística
 
Filosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tpFilosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tp
 

Último

A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 

Último (20)

A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 

Orientação escolar conselho de classe e grupos de estudos

  • 1. Conselho de Classe FORMAÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO
  • 2. PROPOSTA DE ATIVIDADE – INTERVENÇÃO E PRÁTICA  Proposta inicial de prática de Orientação Educacional  Análise de conselho de classe  Formação de grupos de estudos
  • 3. Etapa 1  Análise da realidade da escola  Análise do regimento escolar  Análise dos procedimentos de avaliação  Análise dos conselhos de classe  Tipos de conselho de classe: # a cultura do faz de conta # Conselho Bingo # Conselho UTI ou Necrotério # Conselho plangente
  • 4. # a cultura do faz de conta  “Você finge que me ensina eu finjo que aprendo”  Conselho de classe que serve apenas para cumprimento do calendário escolar  O conselho é apenas rotina, aborrecedora, ineficiente e não tem uma pauta que busca analisar o ensino-aprendizagem
  • 5. # Conselho Bingo  Caracteriza-se por uma luta constante pelo tempo, evidenciado em momentos fracionados, períodos ou turnos quando são “avaliados” ou “cantados” os nomes de listas intermináveis de alunos.  Exemplo: “Este menino é horrível, não adianta nem falar, vamos para o próximo”  “passa”, “esse foi”, “este tá bom”, esquece”, “Ih parou”  Os professores correm para entregar cadernos de chamada e saem apressados.
  • 6. # Conselho UTI ou Necrotério  Caracteriza-se por ser um conselho onde os coordenadores e professores gritam o nomes dos alunos ou os seus respectivos números e dizem as seguintes expressões referentes aos alunos:  “Tá morto”, “este ai já morreu”, “é só enterrar”, “Tá mal mais um pouquinho e foi”, “não adianta mais, nem com reza brava”, “sem chance”, “tá muito fraquinho”, “tá muito fraquinho... É melhor fazer um reforço... Quem sabe repetir para ficar mais forte”
  • 7. # Conselho plangente  Caracteriza-se por uma espaço aberto para todo tipo de lamentações, com as seguintes afirmações:  “não tenho tesão, esta turma é a pior”, “está é a turma dos alunos-problema”, “essa ai só sabe conversar”, “um bando de chatinhos”, “nós não prestamos para mais nada, por isso somos professores”, “Eu não aguento mais” “se continuar assim desisto”
  • 8. CONSELHO DE CLASSE  Qual a finalidade?  O Conselho de Classe é uma atividade por excelência avaliativa, que permite a discussão e análise coletiva do processo de ensino em curso se tornando um instrumento indispensável ao processo educacional uma vez que dinamiza o processo de avaliação por intermédio das múltiplas análises de seus participantes bem como a corresponsabilidade das decisões tomadas e dos seus resultados. Neste sentido o conselho de classe deverá privilegiar a reflexão coletiva e democrática, onde todos avaliam se auto avaliam em busca de melhores alternativas, para o sucesso da escola, se tornando um elemento básico para a integração das relações na Unidade Escolar, e consequentemente para a construção de um projeto político pedagógico de ação integradora e transformadora.
  • 9. CONSELHO DE CLASSE  Por que Conselho de Classe?  1. Fornece a integração entre os professores, aluno e família;  2. Torna a avaliação mais dinâmica e compreensiva;  3. Possibilita um desenvolvimento progressivo da tarefa educacional;  4. Conscientiza o aluno de sua atuação dividindo responsabilidades;  5. Considera as áreas afetivas, cognitivas e psicomotora;  6. Permite a busca coletiva de instrumentos e critérios na dinâmica educacional que permitam abranger os diferentes domínios do comportamento humano, em função do desenvolvimento integral;  7. Oportuniza reflexão e conscientização quanto aos objetivos do ensino- aprendizagem, no sentido de que a avaliação integral, volta-se mais para o desenvolvimento, do que para o conhecimento, oferecendo melhores condições de motivação para uma aprendizagem eficiente, eficaz e duradoura;  8. Dinamiza o dialogo entre todos os envolvidos no processo educacional, evitando uma avaliação cujo objetivo são fundamentados apenas em identificar e determinar;  9. Possibilita a avaliação do desempenho de todos os educadores envolvidos no processo educacional junto à escola;
  • 10. CONSELHO DE CLASSE  É necessário pensar em um conselho de classe que seja capaz de verificar:  • A postura do educador frente ao processo ensino-aprendizagem;  • A coerência entre prática pedagógica e a proposta da escola;  • Aproximação e melhor relacionamento entre professor e aluno;  • O comportamento do aluno frente à classe, ao professor e a escola;  • Se há coerência entre critérios de avaliação adotados pelos diferentes professores;  • Avaliação do trabalho do professor e demais profissionais da escola, pela visão do aluno;
  • 11. Etapa 2  Interpretação dos dados do conselho de classe  Detecção das dificuldades de aprendizagem por área de conhecimento  Observação das características específicas da turma selecionada para o apoio pedagógico.  Entrevista com os professores da turma
  • 12. Etapa 3  Formação do grupo de apoio pedagógico (monitores)  Oferecimento de oficinas de aprendizagem para os alunos com dificuldades de aprendizagem nas diferentes áreas de conhecimento (por adesão)  Elaboração de roteiro para estudos (professores e monitores)
  • 13. Etapa 4  Oficinas de aprendizagem em turno contrário  Elaboração de rotinas de estudos  Atendimento individual aos alunos com dificuldades de aprendizagem
  • 14. Etapa 5  Após o término das oficinas, reunião com professores e monitores para avaliar os resultados das mesmas.  Analisar os resultados dos grupos de estudos  Propor a troca de experiências entre professores e monitores, para continuar o projeto.
  • 15. Etapa 6  Produção textual sobre a intervenção de:  Conselho de classe (resignificação)  Formação e execução dos grupos de estudo  Análise do projeto  Conclusões sobre a intervenção e a ação da Orientação Educacional no processo de ensino-aprendizagem
  • 16. Referências Bibliográficas  Imagem 1: https://sites.google.com/site/emefcapelozza/260413_conselho5.jpg  Imagem 2: http://s2.glbimg.com/yjdiTCUZDR6Gr1Gpso7wyR2ZSlo=/s.glbimg.com/og/rg/f/original/ 2014/11/17/site_1.jpg  Imagem 3: https://s3.amazonaws.com/static.jogatina.com/imagens/2013/jogos/online/bingo/regras -bingo.jpg  Imagem 4: http://ww2.baguete.com.br/admin//cache/sites/default/files/multimedia/imagens/noticia/ 89046-medicapa.jpg  Imagem 5: http://41.media.tumblr.com/9fb53b6da12102e4db6203ab830565e7/tumblr_ncrobgIJLp1 r1a5e3o1_r2_250.jpg  Imagem 6: http://www.dicionario10.com.br/images/significado/p/plangente- 297680yu6PcKdnRH.jpg