Filosofia moderna 22 444444

725 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
725
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
250
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Filosofia moderna 22 444444

  1. 1.  Renascimento, é o período do século XIV e inicio do século XVII. Chamou-se "Renascimento" em virtude da redescoberta e revalorização das referências culturais da antiguidade clássica. Esse período teve transformações bem evidentes na cultura, sociedade, economia, política e religião, na arte, na ciência e caracterizou a transição do feudalismo para o capitalismo.  O Renascimento cultural se manifestou primeiro em Florença e Siena, de onde se difundiu para o resto da península Itálica e depois para praticamente todos os países da Europa Ocidental.
  2. 2.  A cultura renascentista teve quatro características marcantes: o racionalismo – defendia que a razão era o único caminho para se chegar ao conhecimento, e que tudo podia ser explicado pela razão e pela ciência; o experimentalismo - todo conhecimento deveria ser demonstrado através da experiência científica; o individualismo - necessidade do homem conhecer a si próprio, buscando afirmar a sua própria personalidade, mostrar seus talentos, atingir a fama e satisfazer suas ambições, através da concepção de que o direito individual estava acima do direito coletivo; e o antropocentrismo - colocando o homem como a suprema criação de Deus e como centro do universo.
  3. 3.  Durante o Renascimento surgiu o humanismo, que substituiu o teocentrismo pelo antropocentrismo, que colocou o Homem no centro do universo. O pensamento humanista provocou uma reforma no ensino das universidades, com a introdução de disciplinas como poesia, história e filosofia.  A arte renascentista alcançou o conceito científico da perspectiva linear, que possibilitou a representação tridimensional do espaço, de forma convincente, numa superfície plana. O gênio das artes plásticas foi o italiano Michelangelo, cuja obra é marcada pelo humanismo. Além de pintor foi um dos maiores escultores do Renascimento
  4. 4.  O Renascimento científico foi marcado por importantes descobertas nos campos da astronomia, da física, da medicina, da matemática e da geografia.  Nicolau Copérnico afirmou que "a terra não é o centro do universo, mas simplesmente um planeta que gira em torno do Sol". Galileu Galilei descobriu os anéis de Saturno, as manchas solares, os satélites de Júpiter. Na medicina os conhecimentos avançaram com trabalhos e experiências sobre circulação sanguínea, métodos de cauterização e princípios gerais de anatomia.
  5. 5.  O Renascimento deu origem a grandes gênios da literatura, entre eles, Dante Alighieri autor da Divina Comédia, Maquiavel, autor de O Príncipe, obra precursora da ciência política onde o autor dá conselhos aos governadores da época. Considerado um dos maiores dramaturgos de todos os tempos, o inglês Shakespeare abordou em sua obra os conflitos humanos nas mais diversas dimensões: pessoais, sociais, políticas etc., escreveu comédias e tragédias, como Romeu e Julieta, Macbeth, A Megera Domada, Otelo e várias outras.  No campo da tecnologia, a invenção da imprensa, no século XV, revolucionou a difusão dos conhecimentos e o uso da pólvora transformou as táticas militares.
  6. 6.  Além do desenvolvimento do pensamento científico, com implicações evidentes no campo filosófico, outras questões importantes desse período dizem respeito à essência humana, à moral e à política. Nesse âmbito destacam-se:  Michel de Montaigne: desenvolveu um pensamento de fundo ceticista, afirmava não ser possível estabelecer os mesmos preceitos à todos os seres humanos;  Nicolau Maquiavel: iniciou uma nova faze do pensamento político ao abandonar o enfoque ético e religioso e procurar uma abordagem mais realista da política;
  7. 7.  Nicolau Maquiavel procurou dar origem à filosofia moderna tendo como principio a dominação dos homens, ele pretendia mostrar e ter como base uma natureza humana que não poderia ser mudada. Ele acreditava que se havia uniformidade em leis gerais das ciências naturais também poderia haver em leis para as ciências humanas.  Maquiavel foi o fundador da filosofia política moderna, a filosofia dele não parte de relações entre indivíduos e sim um sujeito reconstrói o mundo a partir de si. Essa reconstrução do mundo é a característica mais típica do pensamento moderno que aparece muito no ponto epistemológico segundo Descartes. Escreveu o livro O Príncipe defendendo a legitimidade do poder, ignorando o direito divino e determinando como origem do poder a força.
  8. 8.  As principais partes de O Príncipe são:  Métodos para se manter no poder.  Apontamentos, opiniões e observações acerca da dinâmica do poder.  Tendo em vista tal perspectiva nitidamente estratégica Maquiavel afirma que não está interessado em imaginar como as coisas deveriam ser, mas sim em abordar a verdade efetiva, com o termo verdade efetiva, Maquiavel está forjando pela primeira vez o conceito moderno de efetividade, voltando à descrição dos fenômenos em sua superfície que pode ser observada, apresentando uma maior proximidade com os sofistas segundo os quais as aparências eram o que importava.
  9. 9.  Maquiavel é avesso ao essencialismo grego que vê na natureza humana uma tendência à excelência moral: não pode definir a natureza humana; o máximo que se pode dizer acerca dos homens e que são múltiplos e refratários à unidade, mas tendem a serem egoístas ou seja amar e pensar apenas em si mesmos, em seu pensamento há traços de um pessimismo antropológico já presente nos sofistas e bastante forte em inúmeros pensadores modernos.  Afirma que aquele que quiser praticar a bondade esta condenada a sofrer entre tanto que não são bons. É necessário, portanto que o príncipe que deseja manter-se aprenda a agir sem bondade.  Nicolau Maquiavel encontra-se no inicio de um movimento realizado pela filosofia moderna em geral de separação entre ética e política. Mais importante do que realmente possuir tais virtudes e aparenta-las, temos novamente o elogio à aparência, à superfície observável.
  10. 10.  O racionalismo é a doutrina que afirma que tudo existente em nosso redor tem uma causa inteligível, mesmo que não possa ser demonstrada de fato como a origem do universo. Privilegia a razão como via de acesso ao conhecimento em detrimento da experiência do mundo sensível. Considera a dedução como método superior de investigação filosófica tendo como a única autoridade: a razão.  O primeiro do racionalismo foi René Descartes conhecido também como Cartésio, é contra argumentos da fé medieval. De acordo com René Descartes só podemos conhecer a realidade pelo uso da razão, pois a verdade é representada na consciência do homem e não no mundo. “Eu penso, logo existo”.
  11. 11.  A filosofia moderna recupera o conceito de razão, exaltando a à supremacia da apreensão do mundo, os pensadores modernos expressavam atitudes antireligiosa, anticlerical, e é inaugurado o que se evidencia em um mito da modernidade: a visão religiosa incompatível com a ciência, destroem os principais da autoridade que era a bíblia, os grandes filósofos erigiam o dogma, mais sim o principio da realidade, da experiência e o da própria razão. É uma filosofia profana e crítica baseada nos paradigmas da racionalidade, da experiência e natureza.
  12. 12. Componentes: Turma: 22 MP Raiane Nascimento; Gabriela Scalon; Aline Soares dos Santos; Emanuelle Zanella; Ana Paula Bagnara;

×