Ana, felipe, milena e priscila são tomas de aquino 23m

311 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
311
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
36
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ana, felipe, milena e priscila são tomas de aquino 23m

  1. 1.  Nasceu em na cidade de Roccasecca (Itália) em 1225.  Foi um importante teólogo, filósofo e padre dominicano do século XIII. Foi declarado santo pelo papa João XXII em 18 de julho de 1323. É considerado um dos principais representantes da escolástica (linha filosófica medieval de base cristã). Foi o fundador da escola tomista de filosofia e teologia.  Morreu na cidade de Fossanova (Itália) em 7 de março de 1274.
  2. 2.  Corpo e alma:  Homem, alma e conhecimento: Para Tomas de Aquino, o homem é o corpo e a alma inteligente, incorpórea, e se encontra, no universo, entre os anjos e os animais. O homem segundo ele só pode desejar o que conhece, razão pela qual há duas espécies de apetites ou desejos: os sensíveis e os intelectuais. Escolástica
  3. 3.  Diferença entre o infinito e o finito:  Recusou a existência do infinito como algo irreal ou pensável, o infinito para ele será algo além da razão, mas que pode ser pensando como sendo transcendental ou no domínio do divino.
  4. 4.  Razão e fé:  A razão não é estranha à fé, porquanto procede da mesma Verdade eterna. E, com relação à fé, deve a razão desempenhar os papéis seguintes: 1. A demonstração da fé, não com argumentos intrínsecos, de evidência, o que é impossível, mas com argumentos extrínsecos, de credibilidade que garantem a autenticidade divina da Revelação. 2. A demonstração da não irracionalidade do mistério e da sua conveniência, mediante argumentos prováveis. 3. A determinação, enucleação e sistematização das verdades de fé, pelo que a sacra teologia é ciência, e ciência em grau eminente, porquanto essencialmente especulativa, ao passo que, para os agostinianos, é essencialmente prática.
  5. 5.  Princípios da autoridade:  Autoridade Cientifica: depende do valor intrínseco da obra  Autoridade dogmática: depende da conformidade da obra com a Divina Revelação e de sua recomendação solene pelo Magistério da Igreja, mestra infalível da verdade revelada.
  6. 6.  A natureza que não é criada e não cria  Isto é, Deus, concebido, porém, como ômega, termo, fim da realidade, e não como alfa, princípio. Como se vê, as fases primeira e Quarta coincidem, (Deus = não criado), bem como coincidem as fases Segunda e terceira (mundo = criado).

×