Curso de educação ambiental

136 visualizações

Publicada em

Curso de educação ambiental

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
136
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Curso de educação ambiental

  1. 1. Dessa forma, meio ambiente em seu conceito moderno, é um conjunto de elementos relacionados, com fluxo dinâmico e contínuo de processos naturais, históricos, culturais, sociais, políticos e econômicos que ocorrem através de uma rede de relações que dependem entre si. As principais características de um ambiente natural são:  não acumula energia em excesso, a qual tem como fonte principal a radiação solar. Toda energia é aproveitada e reutilizada de forma a manter os processos que sustentam a vida e os níveis de população de cada espécie;  as comunidades são organizadas de acordo com as interações biológicas. Essas comunidades sobrevivem com recursos disponíveis nos próprios locais onde estão situadas;  a maioria dos organismos interage com uma grande variedade de outros organismos, sempre buscando a evolução e perpetuação de suas espécies. O equilíbrio deste ambiente é mantido por processos naturais; As principais características de um ambiente construído são:  os seus processos que são sempre acompanhados pela geração de resíduos não reaproveitados. Fabricamos, muitas vezes, produtos que podem ser utilizados apenas uma vez e que, após o uso, é jogado fora.  utiliza, principalmente, fontes de energia finitas tais como a proveniente dos combustíveis fósseis; ex: gasolina e óleo diesel para o abastecimento de veículos automotores.  suas comunidades e seus processos dependem dos recursos naturais que podem ser provenientes de outras áreas ou regiões. Lembra-se do ambiente natural que é auto- suficiente, pois produz tudo que suas comunidades precisam para sobreviver por meio dos seus próprios recursos? No ambiente construído é ao contrário. Precisamos buscar recursos do ambiente natural para sobrevivermos. Recursos naturais renováveis - São recursos que se renovam muito rapidamente na natureza e estão disponíveis em grandes quantidades, como a água, o oxigênio, o nitrogênio. Recursos naturais não renováveis - São recursos que demoram muito tempo para serem renovados na natureza tais como os minerais, que são ricos em certos metais, e o petróleo. Biosfera Apesar de a Terra ser "a grande casa" de todos os seres, a vida só é possível numa camada muito estreita denominada Biosfera. É na Biosfera que todos os seres vivos encontram os elementos básicos necessários para todos os processos da vida, tais como: luz, calor e água. Biosfera significa "camada da vida". A Biosfera é subdividida em três regiões:  Atmosfera – é representada pela camada gasosa que circunda toda a superfície da Terra e envolve a hidrosfera e a litosfera.  Hidrosfera – é representada pelas águas dos rios, lagos e oceanos.  Litosfera – é representada pelo solo e por rochas.  Ecossistema
  2. 2.  É um espaço onde ocorrem as relações entre os seres vivos e o ambiente em que estes habitam. Todo o Ecossistema é constituído de elementos Abióticos e Bióticos.  Os Abióticos são elementos referentes ao meio físico como ar, solo, água e todos os minerais. E elementos Bióticos se referem aos seres vivos como, por exemplo, as árvores e os animais.  Em um Ecossistema, as árvores utilizam a luz do sol e os sais minerais para se desenvolver e crescer e, também, servem de alimentos para outros seres vivos ali presentes. tipos de seres  Seres produtores ou fotossintetizadores - são seres capazes de utilizar a luz do sol para produzir seu próprio alimento. Também são chamados de seres AUTÓTROFOS, ou seja, que produzem sua própria energia. Exemplo: as plantas.  Seres consumidores - são seres que necessitam de outros seres para se alimentarem já que não possuem a capacidade de transformar a luz do sol em alimento, como fazem as plantas. Também, são chamados de seres HETERÓTROFOS. Exemplos: animais, como o boi que se alimenta das plantas.  Seres decompositores - São seres que fazem a decomposição (apodrecimento) de animais ou plantas, transformando-os em substâncias simples para que as plantas as absorvam. Exemplos: microorganismos como fungos e bactérias. Ciclos Biogeoquímicos Os Ciclos Biogeoquímicos são ciclos que envolvem o fluxo de elementos biológicos, químicos, geoquímicos presentes no solo, água, ar,
  3. 3. onde estes podem se encontrar como elementos puros ou combinados a outros elementos. Estes fluxos cíclicos e contínuos permitem que os recursos naturais se mantenham, garantindo a vida das espécies que deles dependem. Se você observar a natureza com atenção, vai verificar que todos os processos que ela realiza são cíclicos e contínuos. Para tentar aprender com a natureza, veja alguns exemplos de seus ciclos.  Ciclo da água  Ciclo do carbono  Ciclo do nitrogênio  Ciclo da água A água (H2O) é uma das substâncias mais abundantes na natureza e também o recurso mais ameaçado do planeta. O ciclo da água é também denominado deCiclo Hidrológico. A água evapora dos mares, oceanos, lagos, rios e plantas pela ação da luz solar. O vapor é condensado, ou seja, transforma-se em líquido e volta à Terra em forma de chuva. Essas águas podem sofrer escoamento superficial no solo, infiltração, escoamento subterrâneo ou evaporação, quando retornam de novo para a atmosfera.  Ciclo do Carbono O carbono, embora exista na forma de gás carbônico (CO2) na atmosfera, está presente também em grandes quantidades nos oceanos, na forma de carbonatos. Assim, os oceanos constituem o seu maior reservatório. O carbono é retirado do ar através do processo de fotossíntese realizado pelas plantas e algas, que também são responsáveis pela restituição da concentração do gás carbônico no ar, através do processo de respiração. Com a morte, os seres vivos são decompostos por microorganismos que ao respirarem também liberam gás carbônico para a atmosfera.  Ciclo do Nitrogênio O Nitrogênio (N) é um dos elementos mais importantes para a constituição das células e, portanto, dos seres vivos. Esse participa das moléculas das proteínas e outros compostos orgânicos essenciais à vida. Vamos descrever o seu ciclo? O ar constantemente recebe nitrogênio devido à ação de bactérias denominadas desnitrificantes, que transformam os nitratos em nitrogênio gasoso (N2). Do ar, o nitrogênio pode ser retirado pela ação de algumas bactérias e algas capazes de fixá-lo novamente, formando matéria orgânica nitrogenada e passando esta ao solo e à água. Também no ar, a ação de descargas elétricas (raios), pode provocar a combinação do nitrogênio com o oxigênio e água, formando nitratos que se precipitam sobre o solo e a água. Do solo e da água, o elemento é retirado pelos vegetais fotossintetizantes, sendo utilizado na formação de compostos orgânicos. A restituição ao solo e à água ocorre através de decomposição. Vale salientar que parte do nitrogênio retirado do solo pelas plantas é transferida para as cidades, na forma de produtos vegetais e depois para as águas, através da decomposição de resíduos e de esgotos domésticos e industriais. Como podemos perceber na nossa casa (planeta), tudo está interligado, os seres vivos, os elementos químicos, os processos de transformação etc. Tudo que fizermos para ela terá conseqüências tanto boas como ruins, certo? Então, temos que cuidar de nossa casa (planeta)
  4. 4. de uma maneira responsável para que os nossos filhos, netos, bisnetos possam também freqüentá-la e utilizá-la. No ar, podem ser encontrados os seguintes componentes:  Material com minúsculas partículas É a forma de poluição mais perceptível, pois interfere diretamente na visibilidade. Pode ser encontrado na forma de aerosol (spray), partículas sólidas ou partículas líquidas em um gás.  Gases poluentes Os gases poluentes presentes na atmosfera são resultantes de diversas atividades, como por exemplo os processos industriais, a queima de combustíveis em veículos e indústrias, refino de petróleo, queimadas (desmatamento) etc. Dentre os gases mais poluentes gerados nessas atividades encontram-se:  Gases de Enxofre: podem ser compostos pelos gases SO2, SO3, H2S.  Monóxido de Carbono: é o poluente que ocorre em maior quantidade na atmosfera. A emissão mundial está estimada em 200 milhões de toneladas/ano.  Ozônio: é um subproduto de reações entre os óxidos de nitrogênio e hidrocarbonetos, na presença de luz solar.
  5. 5.  Composto de Nitrogênio: Os principais compostos de nitrogênio são NO, NO2, NH3, HNO3.  Compostos Orgânicos: a emissão dos compostos orgânicos voláteis é derivada do uso de solventes em colas, tintas, produtos de proteção de superfícies, aerosóis, limpeza de metais e lavanderias. São exemplos de compostos orgânicos os Hidrocarbonetos, os Aldeídos e o Peroxi-acetilnitrato (PAN). Danos causados pela poluição do ar:  Cidades poluídas afastam os turistas e seus próprios moradores. Com isso, as cidades param de produzir e sofrem prejuízos financeiros.  Um ar carregado de elementos poluentes causa danos à vegetação e ao solo que perde sua fertilidade.  Um ar poluído pode destruir esculturas ou outros materiais através de processos de corrosão ou erosão.  Doenças respiratórias, alterações em órgãos vitais e outras doenças mais graves podem ser causadas pela poluição atmosférica.  Veja alguns exemplos de substâncias e microorganismos encontrados associadas a água.  Matéria Orgânica: pelo menos 50% dos constituintes do esgoto (efluente doméstico ou industrial), são substâncias orgânicas. Basicamente, estas substâncias possuem em sua estrutura átomos de carbono, hidrogênio, nitrogênio, fósforo, enxofre e ferro, os quais atribuem características especiais ao efluente, como odor desagradável proveniente do gás sulfídrico.  Matéria Inorgânica: encontramos também uma grande quantidade de matéria inorgânica na água, dentre as quais os metais que são considerados prejudiciais ao ser humano (mercúrio, zinco etc.), pois atingem o sistema nervoso central, os ossos e os rins. Estão presentes nos esgotos industriais, fabricação de couro, indústria têxtil, tintas e corantes.  Microorganismos: os microorganismos, como bactérias, fungos, protozoários, vírus e algas estão sempre presentes em águas poluídas e fazem parte do sistema natural de depuração da matéria orgânica. As análises bacteriológicas que determinam e quantificam a presença de microorganismos nos esgotos são os coliformes.
  6. 6. Bio = vida. Diversidade = qualidade daquilo que é diverso, diferente, variado; variedade. Modelo de Desenvolvimento Sustentável O Desenvolvimento Sustentável foi definido pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente, no relatório "Nosso Futuro Comum", documento publicado pelas Nações Unidas, em 1987 como: "Modelo de Desenvolvimento que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade das gerações futuras atenderem a suas próprias necessidades". A adoção do Modelo de Desenvolvimento Sustentável exige o envolvimento de toda a sociedade. Antes de tudo, é necessário um processo de reeducação para que as pessoas optem por uma melhor forma de utilizar os recursos que a natureza oferece. Consiste na alternativa ideal para a prevenção dos problemas ambientais; é a adoção de um novo modelo de desenvolvimento. O bioplástico é um bom exemplo de um produto baseado no conceito de desenvolvimento sustentável. Utiliza um recurso renovável, a fibra vegetal, que se decompõe com facilidade na natureza. Os produtos de bioplásticos substituem os produtos derivados do petróleo (recurso não renovável).
  7. 7. Extinção de espécies Se os níveis atuais de desmatamento das florestas continuarem, dentro de um século haverá a perda de inúmeras espécies de plantas e animais na bacia Amazônica, nas Américas Central e do Sul. Não se pode estimar precisamente o número de espécies que estão se extinguindo nas florestas tropicais ou em qualquer habitat pela simples razão de não conhecermos o número de espécies originalmente presentes. A União Internacional para Conservação na Natureza – IUCN – utiliza critérios para caracterizar as espécies ameaçadas de extinção contidas em listas e livros vermelhos. As espécies são classificadas em categorias que indicam o grau de ameaça:  Extintas: espécies não encontradas na natureza nos últimos 50 anos.  Em perigo: inclui espécies cujos números foram reduzidos a níveis críticos ou cujos habitats se reduziram drasticamente e que se encontram em perigo iminente de extinção.  Vulneráveis: nesta categoria, estão incluídas as espécies em que as populações estão decrescendo pelo excesso de exploração e destruição extensiva de habitats ou por outro distúrbio ambiental.  Raros: espécies localizadas em áreas geográficas ou habitats isolados ou distribuídos em áreas maiores, mas com populações pouco numerosas.  Indeterminados: são espécies que podem ser enquadradas nas categorias “em perigo”, “vulnerável” ou “rara”, mas as informações existentes não permitem determinar a categoria mais apropriada.  Insuficiente conhecido: são espécies de que se suspeita pertencer a uma das categorias acima, embora não se possa definir com segurança por insuficiência de informações. Uso de transgênicos De acordo com a definição do Greenpeace, transgênicos ou organismos geneticamente modificados – OGM –, são seres vivos criados em laboratório a partir de cruzamentos que jamais aconteceriam na natureza: planta com bactéria, animal com inseto, bactéria com vírus etc., usando uma técnica que permite cortar genes de uma determinada espécie e colá-los em outra, os cientistas criam organismos totalmente novos com características específicas. Entre os principais problemas ambientais relacionados aos transgênicos está a mistura genética, que acontece quando plantas transgênicas cruzam com plantas convencionais e se sobrepõem, causando uma perda da diversidade genética da espécie. Isso já aconteceu com o milho no México, por exemplo. Variedades que vinham sendo melhoradas há séculos pelos agricultores foram perdidas quando tiveram contato com o milho transgênico. Além disso, os OGM também podem aumentar o uso de agrotóxicos. A soja da Monsanto (indústria que produz alimentos geneticamente modificados), por exemplo, foi feita para ser resistente a um único pesticida. Após alguns anos usando sempre o mesmo produto, o agricultor começa a ter problemas para matar as ervas daninhas, que passam a ficar mais fortes e resistentes.
  8. 8. Para acabar com esse problema, ele é obrigado a aplicar o veneno mais vezes e em quantidades cada vez maiores. E isso significa que mais agrotóxico será depositado no solo e na água ao redor da lavoura, conseqüentemente, o consumidor acaba ingerindo alimento com maior grau de contaminação por agrotóxicos. Agenda 21 A Agenda 21 é um plano de ação para ser adotado global, nacional e localmente, por organizações do Sistema das Nações Unidas, governo e pela sociedade civil, em todas as áreas em que a ação humana traz conseqüências para o meio ambiente. Constitui-se na mais abrangente tentativa já realizada de orientar para um novo padrão de desenvolvimento para o século XXI, buscando a sustentabilidade ambiental, social e econômica, em todas as suas ações propostas. Reaproveitamento e reciclagem de recursos A natureza tem seus ciclos, em que todos os recursos são reaproveitados e/ou reciclados naturalmente. O ser humano quando manufatura esses recursos para produzir bens de consumo gera resíduos que devem ser reaproveitados ou reciclados de alguma forma. Você já deve ter ouvido falar em coleta seletiva de lixo, certo? Esta é apenas uma maneira de reaproveitar e/ou reciclar os recursos. Quer saber mais? A coleta seletiva é a etapa essencial quando se busca uma maior eficiência na reciclagem. Tudo começa com a separação dos materiais recicláveis no próprio local onde são produzidos. Após a separação, os materiais são coletados e encaminhados para o beneficiamento. Este sistema facilita a reciclagem, porque os materiais estarão mais limpos e, conseqüentemente, com maior potencial de reaproveitamento. Os sistemas mais utilizados na coleta seletiva são:  Coleta porta-a-porta - os resíduos são selecionados e coletados diretamente nas casas, escolas, escritórios etc., pelo serviço de limpeza pública, sucateiros ou empresas responsáveis pelo serviço.  Postos de coleta ou entrega voluntária - os resíduos são colocados em recipientes, containeres ou caçambas adequadas, em locais previamente definidos. A educação ambiental é uma educação transformadora, uma educação voltada para as mudanças de atitudes e comportamentos. Os problemas ambientais atuais são frutos das nossas ações e, para que esse cenário se modifique, é necessário ter consciência dessa problemática e mudar de atitude para que a nossa realidade se transforme.
  9. 9. E d u c a ç ã o p a r a a Q u a l i d a d e A m b i e n t a l | 2/4 Educação para a Qualidade Ambiental Como você já deve ter percebido ao longo do nosso curso, é inegável a prática da educação ambiental para uma melhoria da qualidade de vida do nosso planeta, certo? Nas empresas, a prática da educação ambiental está diretamente ligada às questões do aumento da competitividade no mercado interno (Brasil) e no mercado externo (outros países). Veja a seguir alguns mecanismos e iniciativas de conformidade e atuação com responsabilidade ambiental utilizados na indústria para garantir uma melhoria da qualidade ambiental:  Programa Poluidor Pagador Este Princípio foi popularizado, em 1975, pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico – CECD, que estabelece que o poluidor potencial deve agir de modo a prevenir a poluição e arcar com os custos referentes à remediação e recuperação dos danos decorrentes desta poluição.  Programa de Atuação Responsável (Responsible Care Program) Este Programa foi criado no Canadá, em 1984, com o objetivo de melhorar a imagem pública da indústria química, acuada pela sociedade em virtude dos fortes impactos ambientais que esta vinha provocando ao meio ambiente. Atualmente, este programa é
  10. 10. obrigatório para os membros da Associação das Indústrias Químicas (Chemical Industries Association), baseia-se nos princípios da gestão da qualidade total, incluindo a avaliação dos impactos atuais e potenciais sobre a Saúde, Segurança e Meio Ambiente. Prevê, ainda, a prestação de informações da empresa a todas as suas partes interessadas. No Brasil, este Programa é gerenciado pela ABIQUIM - Associação Brasileira das Indústrias Químicas.  EMAS = Eco - Management and Audit Scheme Trata-se da Regulamentação de Gestão e Auditoria Ambiental (EEC N° 1836/93), criada em 1992 e adotada pelos Ministros do Conselho da União Européia em 1993. Os principais requisitos para uma empresa adotar o EMAS são:  Declaração de uma Política Ambiental;  Realização de uma auditoria ambiental;  Implementação de um Sistema de Gestão Ambiental aplicável em todas as atividades desenvolvidas pela empresa;  Compromisso com a melhoria contínua de desempenho ambiental. Mecanismos para garantir melhor qualidade ambiental Veja abaixo mais alguns mecanismos utilizados na indústria para garantir uma melhoria da qualidade ambiental:  Selos ecológicos São selos concedidos às empresas que comprovam que estão fabricando e/ou utilizando processos que não causam danos ao meio ambiente. O primeiro selo ecológico surgiu na Holanda, em 1972, mas só na década de 90, quando a questão ambiental começou a ser considerada um diferencial competitivo no mundo dos negócios, é que houve o maior incentivo para a criação destes selos em diversos países.  Protocolo Verde Este Protocolo foi publicado pelo Ministério do Meio Ambiente em 1995. Seu objetivo é incorporar a variável ambiental no processo de gestão e concessão oficial de créditos e benefícios fiscais às atividades produtivas. Os bancos devem adotar sistemas internos de classificação de projetos que levem em conta o impacto ambiental e suas implicações em termos de risco de crédito. O BNDS, Banco do Brasil, BASA, BNB, CEF já vêm atuando dentro dos Princípios do Protocolo Verde. As práticas de Produção Limpa estão mais próximas do topo da pirâmide.  Produção Limpa
  11. 11. Os princípios da Produção Limpa (Clean Production) surgiram nos anos 80, como proposta da organização ambientalista internacional Greenpeace, na campanha para mudança mais profunda do comportamento industrial. A boa idéia ganhou maior visibilidade, a partir de 1989, quando o PNUMA Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente criou o programa de Produção Mais Limpa. Os Programas de Produção Limpa já vêm sendo amplamente disseminados no mundo e já existem cerca de 30 Centros de Produção Limpa criados com o apoio da UNIDO/UNEP envolvendo muitos países e organizações. O CNTL - Centro de Tecnologias Limpas foi o primeiro Centro deste tipo criado no Brasil. Sua implantação, em julho de 1995, foi fruto de um convênio com a UNIDO/UNEP e o Ministério das Relações Exteriores, em parceria com a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, estado onde este centro está localizado. O site do CNTL é: http://www.rs.senai.br/cntl . Existem também Núcleos de Produção Limpa no Brasil sediados em diversos estados brasileiros os quais atuam em conjunto com universidades e empresas, formando uma rede voltada para a disseminação destes programas no Brasil. Nesses Programas, procura-se investigar as causas da geração dos resíduos, substituindo a pergunta convencional usada na gestão de resíduos: "Como se podem tratar os resíduos?" pela pergunta "De onde vêm os resíduos e por que eles se formam?" A questão econômica e as normas ISO 14000 A sigla ISO significa Organização Internacional para Normalização (International Organization for Standardization ). Essa organização está localizada em Genebra, na Suíça, e foi fundada em 1947. Trata-se de uma referência à palavra grega ISO, que significa igualdade. O propósito da ISO é desenvolver e promover normas e padrões mundiais que traduzam o consenso dos diferentes países do mundo de forma a facilitar o comércio internacional. A ISO tem 119 países membros. A série de normas ISO-14000 é fruto do trabalho do Comitê Técnico TC-207 da ISO. O Brasil faz parte da ISO, como sócio fundador, através da ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas. A ISO é uma grande família que possui diversas normas como por exemplo: NBR ISO 14001, NBR ISO14004, NBR ISO 14010, NBR ISO 14011e a ISO 14001 (enfoque ambiental). ISO 14001- Sistema de Gestão Ambiental Esta norma fornece informações para a implantação de um Sistema de Gestão Ambiental a partir da identificação e priorização dos aspectos e impactos ambientais da empresa. É a única norma da série ISO 14000 que permite a empresa receber um certificado ambiental. O ciclo mostrado abaixo é o "Ciclo do PDCA", iniciais das palavras inglesas Plan (planejar), Do (fazer), Check, (checar, avaliar) Act (agir para a melhoria). O ciclo do PDCA é muito utilizado nos processos de implantação do Gerenciamento pela Qualidade Total - GQT.
  12. 12. Elaboração da ISO-14000 Com o apoio de diversos setores da economia brasileira, o GANA - Grupo de Apoio à Normalização Ambiental, criou em 1994, as principais atribuições no processo de elaboração das normas ISO-14000:  Acompanhar as discussões que ocorriam nas reuniões do TC-207;  Avaliar como as sugestões e opiniões levantadas nessas reuniões poderiam influenciar na competitividade dos produtos nacionais;  Propor alternativas que atendessem aos interesses do Brasil. Com o desenvolvimento da maioria das normas da série ISO-14000, o GANA - Grupo de Apoio à Normalização Ambiental foi extinto e deu lugar ao Comitê Brasileiro CB-38. A presença brasileira na elaboração da ISO-14000 é muito importante. Essa participação tem colocado o Brasil numa posição respeitável perante o TC-207.

×