Português 00 - l

274 visualizações

Publicada em

Português para IBGE. aula demonstrativa.

Publicada em: Internet
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
274
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Português 00 - l

  1. 1. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 11 Prezado amigo concurseiro, Certamente você já deve ter lido o edital do novo concurso do IBGE. Além dos benefícios do cargo – como um salário inicial que pode ultrapassar R$ 4.000,00 –, a carreira lhe oferece estabilidade profissional. Acho que você não precisa de mais incentivos para começar a estudar, certo? Pensando em ajudá-lo a superar a concorrência, a equipe do Ponto montou este pacote de matérias, e eu estou responsável pela parte de Língua Portuguesa. Convém lembrar a você que esta disciplina é a mais importante da sua prova, ao lado de Raciocínio Lógico. De acordo com o edital, ela terá 10 questões de múltipla escolha, e cada uma valerá 2,5 pontos. Apresentação do Professor Ah, você não me conhece ainda? Então, permita-me fazer uma breve apresentação. Sou o professor Albert Iglésia, formado em Letras (Português/Literatura) pela Universidade de Brasília (UnB) e pós-graduado em Língua Portuguesa pelo Departamento de Ensino e Pesquisa do Exército Brasileiro em parceria com a Universidade Castelo Branco. Há onze anos ministro aulas de Língua Portuguesa voltadas para concursos públicos. Iniciei minhas atividades docentes no Rio de Janeiro – meu estado de origem. Desde 2004 moro em Brasília, onde dou aulas de gramática, interpretação de texto e redação oficial. Durante quase seis anos estive cedido à Casa Civil da Presidência da República, onde atuei no setor de capacitação de servidores e ministrei cursos de atualização gramatical e redação oficial. Já integrei o quadro de instrutores da Esaf e de outras instituições particulares. No Ponto dos Concursos, já participei de vários trabalhos, por exemplo: ICMS-RJ, ICMS-SP, CGU, Susep, Anvisa, Incra, TCM-CE, TCU, MinC, MPOG, DPU, MPU, Seplag-RJ, Tribunais (FCC), TJSP, Abin, Senado Federal, Câmara dos
  2. 2. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 22 Deputados, Ministério do Turismo, INSS, Inmetro, TRT-21ª Região, TRT-12ª Região, Petrobras, BNDES, PF, TJDFT, STJ, Bacen, CEF, Banco do Brasil... A lista é extensa. Atualmente, também integro a equipe de professores que assessoram os candidatos na elaboração de recursos (Ponto Recursos). Meu endereço eletrônico é albert@pontodosconcursos.com.br. Sempre que precisar, faça contato comigo. Mas lembre-se de que dúvidas, críticas, sugestões e elogios (muitos, por favor!!!) sobre este curso devem ser direcionados ao fórum de cada aula. Para você refletir: “O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade” (Winston Churchill). Língua Portuguesa e o Concurso do IBGE Você agora deve querer saber como este curso de Língua Portuguesa está estruturado, não é mesmo? Tudo bem, eu vou explicar cada detalhe. Nossas aulas serão desenvolvidas com base no EDITAL Nº 02/2013, DE 20 DE SETEMBRO DE 2013. A Cesgrnario, banca contratada para elaborar as provas, estabeleceu o seguinte conteúdo programático: Compreensão e interpretação de texto; A organização textual dos vários modos de organização discursiva; Coerência e coesão; Ortografia; Classe, estrutura, formação e significação de vocábulos; Derivação e composição; A oração e seus termos; A estruturação do período; As classes de palavras: aspectos morfológicos, sintáticos e estilísticos; Linguagem figurada; Pontuação. Embora alguns estudantes já estejam aflitos por causa de algumas expressões utilizadas pela banca – como “organização textual dos vários modos de organização discursiva”, por exemplo –, garanto que você não precisa ficar preocupado. Eu esclarecerei tudo para você neste curso!
  3. 3. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 33 Cada item do programa será estudado e exercitado em nove aulas (incluindo esta aula demonstrativa). Eis abaixo a distribuição do conteúdo de cada uma: AULA CONTEÚDO 0 Ortografia oficial Acentuação gráfica 1 Ocorrência da crase Regência 2 Sintaxe dos termos da oração 3 Sintaxe das orações do período (processos de coordenação e subordinação; emprego das conjunções) 4 Pontuação 5 Concordância 6 Classes de palavras (ênfase nos verbos e pronomes; sintaxe de colocação pronominal) 7 Estrutura e formação de palavras Estilística (figuras de linguagem) 8 Compreensão e interpretação de textos Processos de coesão e coerência Significação de palavras Organização textual dos vários modos de organização discursiva (tipologia textual) Note que a Cesgranrio economizou as palavras, mas foi muito abrangente em relação ao conteúdo que poderá ser cobrado na sua prova. Comentarei questões de provas elaboradas tanto pela Cesgranrio, quanto por outras bancas examinadoras, a fim de consolidar o seu aprendizado sobre cada ponto do programa. Reproduzirei os textos e os itens (será respeitada a grafia original dos enunciados) que tratam do assunto abordado em cada aula. Como a
  4. 4. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 44 instituição tem o costume de usar um mesmo texto para, a partir dele, apresentar várias assertivas, é possível que eu repita o mesmo texto (ou fragmento dele) na explicação do conteúdo de outras aulas. Portanto, não estranhe se isso acontecer. O procedimento é puramente didático. Analisei diversas provas elaboradas pela Cesgranrio para perceber a tendência da instituição a respeito da nossa disciplina. E é com base nisso que preparei este curso para você. Espero que aproveite cada explicação e cada exemplo da melhor forma possível. Interaja comigo nos fóruns. A sua participação é fundamental para o bom rendimento do curso! Não custa nada lembrar que a prova já está com a data marcada: 1º de dezembro. Apresentação da Matéria A aula de hoje será sobre ortografia e acentuação. Caso surja alguma dúvida em relação ao conteúdo, utilize o fórum de dúvidas. Utilize-o também para fazer sugestões, críticas e elogios pertinentes. Saiba que o nosso diálogo é fundamental para o sucesso deste curso. No Brasil, quem dita as normas para a correta escrita das palavras é a Academia Brasileira de Letras (ABL). Em seu Vocabulário ortográfico da língua portuguesa (VOLP), a instituição mantém registrada a forma oficial de escrever as palavras. Apesar da vigência do novo Acordo Ortográfico desde 1º de janeiro de 2009, as regras antigas também valerão até 31 de dezembro de 2015. É isso mesmo, meu prezado aluno! O período de transição, que antes era até 31 de dezembro de 2012, foi prorrogado pela presidenta Dilma no dia 28 de dezembro do ano passado. Portanto convém estudar ainda aquilo que é importante nos dois sistemas ortográficos vigentes. Obviamente, eu vou ressaltar os principais
  5. 5. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 55 casos afetados pela mudança, pois até as provas já estão sendo redigidas conforme as novas regras. Sendo assim, observaremos a extinção do trema e do acento dos hiatos EE e OO; a manutenção do acento diferencial nas formas verbais TÊM e VÊM; e os casos em que o acento nos ditongos ÉU, ÉI e ÓI foram preservados. Você e eu sabemos que é humanamente impossível decorar a grafia de todas as palavras da nossa Língua. Entretanto podemos sistematizar a grafia de certas palavras, em decorrência, por exemplo, da sua origem, do seu radical. É isso que você verá aqui. A experiência nos permite dizer que esse processo é muito útil no momento de resolver uma questão de concurso. Não estou dizendo que tudo se resumirá ao que será demonstrado nestas poucas linhas. O que você precisa entender é que a prática de leitura de livros, jornais, revistas e dicionários deve ser somada à minha explicação. Comecemos pelo EMPREGO DE ALGUMAS LETRAS. Sempre que for preciso, trarei para nossa aula as mudanças das novas regras ortográficas. • Usa-se, normalmente, a letra X: QUANDO EXEMPLO CUIDADO 1 – depois de ditongos ameixa, frouxo, peixe Recauchutar 2 – depois da sílaba EN enxame, enxergar encher, encharcar, enchova, enchumaçar e derivados dessas palavras 3 – depois da sílaba ME, quando “fechada” mexa (verbo), mexerico mecha (substantivo) = pronúncia “aberta” • Usa-se, normalmente, a letra G: QUANDO EXEMPLO CUIDADO 1 – nos sufixos AGEM, viagem (substantivo), pajem, lajem,
  6. 6. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 66 IGEM e UGEM vertigem, ferrugem lambujem 2 – nos sufixos AGIO, EGIO, IGIO, OGIO e UGIO pedágio, colégio, prestígio, relógio, refúgio 3 – nas palavras derivadas daquelas que possuem G no radical (você perceberá que esse princípio vale também para o emprego de outras letras) margem/margear, homenagem/homenagear monge/monja, eu dirijo (flexão do verbo dirigir). Imaginem se mantivéssemos a letra “g” nas palavras derivadas... • Usa-se, normalmente, a letra J: QUANDO EXEMPLO 1 – nas palavras de origem indígena, africana e árabe pajé, jiboia, jeca, jenipapo, jirau, jiló, cafajeste, jerico, jequitibá 2 – nas flexões dos verbos que possuem J no radical viajar (verbo) – que eles viajem; bocejar – eu bocejei 3 – nas palavras derivadas daquelas que possuem J no radical gorja – gorjeta; lisonja – lisonjeado 4 – nas palavras de origem latina jeito, hoje, majestade, injetar, objeto, ultraje • Usa-se, normalmente, a letra Ç: QUANDO EXEMPLO 1 – nas palavras derivadas daquelas que possuem T no radical exceto – exceção, setor – seção, cantar – canção 2 – nas palavras de origem indígena, árabe e africana miçanga, paçoca, muriçoca, muçulmano, açougue, açoite
  7. 7. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 77 3 – nos sufixos AÇU e AÇO babaçu, Paraguaçu, Nova Iguaçu, golaço, poetaço, atrevidaço 4 – depois de ditongo compleição, feição, beiço • Usa-se, normalmente, a letra S: QUANDO EXEMPLO 1 – nos substantivos que designam origem, título honorífico e feminino chinês, japonês, baronesa, duquesa, sacerdotisa, poetisa 2 – Nos sufixos ASE, ESE, ISI e OSE fase, ascese, eletrólise, apoteose 3 – nos sufixos OSO e OSA formoso, formosa, gostoso, gostosa 4 – nas palavras derivadas daquelas que possuem D, RT ou RG no seu radical iludir – ilusão, defender – defesa; divertir – diversão, inverter – inversão; imergir – imersão, submergir – submersão 5 – no prefixo TRANS e nos seus derivados transatlântico, trasladar (ou transladar) 6 – após os ditongos maisena, Sousa, coisa 7 – nas formas verbais derivadas dos verbos QUERER e PÔR quis, quisera, pusera, compusera • Usa-se, normalmente, SS: QUANDO EXEMPLO CUIDADO 1 – nas palavras derivadas daquelas que possuem as expressões CED, GRED, PRIM, MIT, MET e CUT no radical suceder – sucessão, regredir – regressão, comprimir – compressão, demitir – demissão, intrometer – intromissão, discutir – discussão
  8. 8. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 88 2 – prefixo terminado em vogal + palavra começada por S pre + sentir = pressentir (repare que o “s” foi duplicado”) • Usa-se, normalmente, a letra Z: QUANDO EXEMPLO CUIDADO 1 – nas terminações EZ e EZA, formando substantivos abstratos derivados de adjetivos insensato – insensatez, nu – nudez; claro – clareza, belo – beleza 2 – nas terminações IZAR, formando infinitivos verbais sintonia – sintonizar, real – realizar, visual – visualizar a) se a palavra possuir S em sua parte final, o infinitivo verbal também levará S: análise – analisar, paralisia – paralisar; b) Hipnose – hipnotizar; Síntese – sintetizar; Batismo – batizar; Catequese – catequizar; Ênfase – enfatizar. (Lembre-se da sigla de um famoso banco, só que com E no final: HSBCE). 3 – como consoante de ligação pé + udo = pezudo; guri + ada = gurizada
  9. 9. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 99 • Usa-se, normalmente, a letra H: QUANDO EXEMPLO CUIDADO 1 – nas palavras ligadas por hífen em que o segundo elemento começa com H anti-higiênico, pré- histórico, super-homem desarmonia, lobisomem 2 – na palavra Bahia as palavras derivadas não possuem H: baiano • Verbos terminados em EAR e IAR: 1 – são irregulares os verbos terminados em EAR; eles recebem a letra I nas formas rizotônicas (eu, tu, ele, eles – a sílaba tônica integra o radical) passear: passeio, passeias, passeia, passeamos, passeais, passeiam 2 – são regulares os verbos terminados em IAR premiar: premio, premias, premia, premiamos, premiais, premiam Mediar, Ansiar, Remediar, Incendiar, Odiar (MARIO): apesar de terminarem em IAR, são irregulares e recebem a letra E nas formas rizotônicas (eu, tu, ele, eles): odeio, odeias, odeia, odiamos, odiais, odeiam Passemos agora ao EMPREGO DE ALGUMAS EXPRESSÕES que, certamente, já deixaram muita gente com dúvida na hora de optar por uma ou
  10. 10. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 1010 outra forma. Selecionei para esta aula apenas alguns vocábulos que, volta e meia, surgem em diversos textos. Vejamos quais são. • MAL x MAU a) Ela se houve mal na prova. (advérbio de modo, contrário de bem, refere-se a um verbo) b) Mal entrou, os portões foram fechados. (conjunção subordinativa adverbial, equivale-se a quando, indica circunstância de tempo) c) Apesar do mau tempo, foi à praia. (adjetivo, refere-se a um substantivo, contrário de bom) ATENÇÃO! Quero que você perceba que o vocábulo MAL não possui a mesma classificação gramatical nas alternativas “a)” e “b)”. Isso é importante porque a banca examinadora pode sugerir o contrário. Por exemplo, pode selecionar duas frases de um texto em que esses vocábulos aparecem, destacá-los e formular a seguinte assertiva: “Nas linhas X e Y, os vocábulos em destaque possuem a mesma classificação gramatical”. Muito cuidado antes de responder. Como vimos anteriormente, isso nem sempre será verdade. Quero que note ainda as diferentes classificações dos vocábulos que surgirão nos próximos exemplos. • POR QUE x POR QUÊ a) Por que você não veio? (advérbio interrogativo de causa, usado no início da oração, equivale-se a por qual motivo, o “que” é átono) b) Quero saber por que você não veio. (a única diferença é que a frase interrogativa é indireta) c) Você não veio por quê? (agora a expressão aparece no final da frase, e o “que” é tônico)
  11. 11. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 1111 d) Quero saber o motivo por que você não veio. (preposição + pronome relativo, usado no início da oração, equivale-se a pelo qual) ATENÇÃO! Note a colocação no final da frase ou no final de oração, antes de pausa, com sentido de motivo, razão pela qual, sendo tônico. Ex.: O cantor estava inquieto, sem saber por quê. (Sem saber por quê, o cantor estava inquieto. Advertido pelo presidente da Mesa, o deputado quis saber por quê. Ninguém lhe dava atenção. Por quê? • PORQUE x PORQUÊ a) Não vim porque estava cansado. (conjunção subordinativa adverbial, indica circunstância de causa) b) Fique quieto, porque você está incomodando. (conjunção coordenativa explicativa) c) Quero saber o porquê da sua falta. (vem precedido de artigo, é substantivo, equivale-se a motivo, razão, causa) • ATENÇÃO! Sempre que estiver diante de uma pergunta (direta ou indireta), use a expressão separada. • SENÃO x SE NÃO a) Estudem, senão ficarão reprovados. (pode ser substituído por ou, indica alternância de ideias que se excluem mutuamente) b) Não fazia coisa alguma, senão criticar. (equivale-se a mas sim, porém,) c) Essa pessoa só tem um senão. (significa defeito, mácula, mancha; é substantivo)
  12. 12. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 1212 d) Se não houver dedicação, ficarão reprovados. (“Se” = conjunção subordinativa adverbial condicional; “não” = advérbio de negação) ATENÇÃO! É muito útil perceber que a expressão será separada apenas quando introduzir uma oração subordinada adverbial condicional. • ACERCA DE x A CERCA DE x HÁ CERCA DE a) Hoje falaremos acerca dos pronomes. (locução prepositiva – “dos” = de + os –, equivale-se a sobre, a respeito de) b) Os primeiros colonizadores surgiram há cerca de quinhentos anos. (refere-se a acontecimento passado) c) Estamos a cerca de quatro meses da prova. (equivale-se a aproximadamente) • AFIM x A FIM DE a) Temos ideias afins. (adjetivo, refere-se a um substantivo, varia em número para com ele concordar) b) Estudou muito, a fim de tirar o primeiro lugar. (locução prepositiva, denota finalidade, objetivo, intenção) • DEMAIS x DE MAIS a) Estudei demais. (advérbio de intensidade, liga-se a um verbo, equivale-se a muito, bastante, demasiadamente, em excesso) b) Eu estudo muito; os demais, pouco. (pronome indefinido, equivale-se a outros, restantes, vem precedido de artigo) c) Surgiram candidatos de mais. (locução que se contrapõe a de menos)
  13. 13. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 1313 ATENÇÃO! Com relação a de menos, a professora Maria Tereza de Queiroz Piacentini ensina que nem sempre tal expressão tem como oposto de mais. De menos pode se referir a substantivo ("gente de menos") e verbo ("saber de menos"), segundo a autora do livro Português para redação (edição esgotada). Moral da história: junto a substantivo, use de mais e de menos; junto a verbo, use demais e pode usar de menos também. • ONDE x DONDE x AONDE a) Onde você está? (usa-se onde com verbo estático que pede a preposição em, na língua portuguesa não existe a suposta contração nonde, indicada por em + onde) b) Donde você vem? (usa-se com verbo de movimento que peça, em razão sua regência, a preposição de, caso do verbo “vem”: “Donde” = de + onde) c) Aonde você vai? (usa-se com verbo de movimento que exige, também por causa de sua regência, a preposição a, caso da forma verbal “vai”: “Aonde” = a + onde) • MAS x MAIS a) Ela estudou muito, mas não foi aprovada. (conjunção coordenativa adversativa, conecta orações que guardam entre si ideias opostas) b) Ela era a aluna mais simpática da turma. (advérbio de intensidade, refere-se a adjetivo, outro advérbio ou verbo) c) Menos ódio e mais amor. (pronome indefinido adjetivo, refere-se a substantivo)
  14. 14. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 1414 • HÁ x A a) Ele chegou da Europa há dois anos. (refere-se a acontecimento passado) b) Ela voltará daqui a um ano. (refere-se a acontecimento futuro) • DE ENCONTRO A x AO ENCONTRO DE a) O ônibus foi de encontro ao carro, causando a morte de duas pessoas. (indica posição contrária, colisão, confronto) A proposta da diretoria foi de encontro aos anseios dos funcionários. b) O filho foi ao encontro do pai, abraçando-o. (sugere posição favorável, concordância) • À TOA (o novo Acordo retirou o hífen, a diferença se dará pelo contexto) a) Ele era uma pessoa à toa. (locução adjetiva invariável; refere-se a um substantivo; significa desprezível, sem valor, insignificante) b) Ele andava à toa na rua. (locução adverbial; indica maneira, modo, sem rumo certo, a esmo, sem fazer nada) • DIA A DIA (o novo Acordo aboliu o hífen, a diferença se dará pelo contexto) a) O dia a dia do operário brasileiro é desgastante. (substantivo, precedido por artigo, equivale-se a cotidiano) b) Os preços das mercadorias aumentam dia a dia. (locução adverbial de tempo, equivale-se a diariamente)
  15. 15. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 1515 • TAMPOUCO x TÃO POUCO a) Não realizou a tarefa, tampouco apresentou qualquer justificativa. (advérbio de negação, equivale-se a também não) b) Tenho tão pouco entusiasmo pelo trabalho. (tão = advérbio de intensidade; pouco = pronome indefinido adjetivo, alude a um substantivo) c) Estudamos tão pouco. (tão = advérbio de intensidade, refere-se a outro advérbio: pouco = advérbio de intensidade, refere-se ao verbo) A respeito do EMPREGO DO HÍFEN, várias mudanças foram introduzidas pelo novo Acordo Ortográfico. Resumirei aqui os casos importantes. Prefixos Usa-se hífen Não se usa hífen Agro, ante, anti, arqui, auto, contra, extra, infra, intra, macro, mega, micro, maxi, mini, semi, sobre, supra, tele, ultra... Quando a palavra seguinte começa com h ou com vogal igual à última do prefixo: auto- -hipnose, auto- -observação, anti-herói, anti-imperalista, micro- -ondas, mini-hotel a) Em todos os demais casos: autorretrato, autossustentável, autoanálise, autocontrole, antirracista, antissocial, antivírus, minidicionário, minissaia, minirreforma, ultrassom... (perceba que as letras R e S são duplicadas). b) Quando se usam os prefixos des- e in-, caem o h e o hífen: desumano, inabitável, desonra, inábil. c) Também com os
  16. 16. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 1616 prefixos co- e re- caem o h e o hífen: coordenar, coerdeiro, coabitar, reabilitar, reeditar, reeleição. Hiper, inter, super Quando a palavra seguinte começa com h ou com r: super-homem, inter-regional Em todos os demais casos: hiperinflação, supersônico Sub, sob, ob, ab Quando a palavra seguinte começa com b, h ou r: sub-base, sub- -reino, sub-humano (ou subumano) Em todos os demais casos: subsecretário, subeditor Vice, ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró Sempre: vice-rei, vice-presidente, além-mar, além-túmulo, aquém-mar, ex-aluno, ex-diretor, ex-hospedeiro, ex-prefeito, ex-presidente, pós-graduação, pré-história, pré-vestibular, pró-europeu, recém-casado, recém-nascido, sem-terra Pan, circum, mal Quando a palavra seguinte começa com h, m, n ou vogais: pan- americano, circum- hospitalar Em todos os demais casos: pansexual, circuncisão Quero enfatizar as seguintes mudanças: 1 – Com prefixos, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por h. Exemplos: anti-higiênico, anti-histórico, macro-história, mini-hotel, proto-história, sobre-humano, super-homem, ultra-humano.
  17. 17. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 1717 2 – Não se usa o hífen quando o prefixo termina em vogal diferente da vogal com que se inicia o segundo elemento. Exemplos: aeroespacial, agroindustrial, anteontem, antiaéreo, antieducativo, autoaprendizagem, autoescola, autoestrada, autoinstrução, coautor, coedição, extraescolar, infraestrutura, plurianual, semiaberto, semianalfabeto, semiesférico, semiopaco. 3 – Quando o prefixo termina por consoante, usa-se o hífen se o segundo elemento começar pela mesma consoante. Exemplos: hiper-requintado, inter-racial, inter-regional, sub-bibliotecário, super-racista, super-reacionário, super-resistente, super-romântico. 4 – Quando o prefixo termina por consoante, não se usa o hífen se o segundo elemento começar por vogal. Exemplos: hiperacidez, hiperativo, interescolar, interestadual, interestelar, interestudantil, superamigo, superaquecimento, supereconômico, superexigente, superinteressante, superotimismo. EMPREGO DO HÍFEN NA COMPOSIÇÃO A regra geral para palavras compostas é que se deve empregar o hífen APENAS SE OS SEUS ELEMENTOS FORMADORES (palavras que formam o composto) PERDERAM SUA SIGNIFICAÇÃO INDIVIDUAL para que a palavra composta adquirisse um significado único. Observe os exemplos seguintes. Abaixo assinado x abaixo-assinado Mesa redonda x mesa-redonda testa de ferro x testa-de-ferro Sem o hífen, as palavras mantêm seu significado individual. Abaixo assinado – indivíduo que subscreve, que assina abaixo de um texto ou reivindicação.
  18. 18. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 1818 Mesa redonda – é uma mesa de formato redondo. Nas palavras compostas, nas quais o hífen é usado, repare que OS ELEMENTOS FORMADORES PERDEM SUA SIGNIFICAÇÃO INDIVIDUAL para que a palavra composta formada adquira um significado completamente novo. Abaixo-assinado – é o documento que normalmente contém um texto ou reivindicação assinada por várias pessoas. Mesa-redonda – é uma reunião destinada a debater determinado assunto. Fique de olho agora nas regras estabelecidas pelo atual Acordo Ortográfico. 1. Usa-se o hífen quando, nos COMPOSTOS SEM ELEMENTO DE LIGAÇÃO (de, da, do etc.), os elementos de natureza nominal, adjetiva, numeral ou verbal constituem uma unidade sintagmática e semântica e mantêm acento próprio. abaixo-assinado, amor-perfeito, água-marinha, ano-luz, arco-íris, beija-flor, decreto-lei, joão-ninguém, médico-cirurgião, mesa-redonda, tenente-coronel, tio-avô, zé-povinho, afro-brasileiro, azul-escuro, amor-perfeito, boa-fé, guarda-costas, guarda-noturno, má-fé, mato-grossense, norte-americano, sempre-viva, sobrinha-neta, sul-africano, verbo-nominal, primeiro-ministro, segundo-sargento, segunda-feira, conta-gotas, guarda-chuva, vaga-lume, porta-aviões, porta-retrato, porta-moedas etc. As palavras iniciadas por afro, anglo, euro, franco, indo, luso, sino e outros adjetivos pátrios, reduzidos ou não, seguidos por outros adjetivos pátrios, serão grafadas com hífen:
  19. 19. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 1919 afro-americano, luso-brasileiro, anglo-saxão, euro-asiático, euro-afro-americano, greco-romano, latino-americano etc. Observação: indo-chinês se refere à Índia e à China, mas indochinês se refere à Indochina, assim como centro-africano se refere à porção central da África, enquanto centroafricano se refere à República Centroafricana. Os compostos em que há uso de apóstrofo no elemento de ligação entre as palavras também serão grafados com hífen: cobra-d'água, mãe-d'água, olho-d'água, mestre-d'armas. O novo Acordo Ortográfico não trata especificamente de compostos formados de palavras repetidas ou parecidas; mas, por analogia, esses compostos se acomodam na primeira regra e, por isso, são hifenizados: blá-blá-blá, reco-reco, lenga-lenga, zum-zum-zum, tico-tico, xique-xique, zás-trás, zigue-zague, pingue-pongue, tique-taque. Emprega-se o hífen quando a primeira palavra for além, aquém, recém, bem e sem: além-mar, aquém-mar, recém-casado, recém-eleito, recém- nascido, bem-aventurado, bem-estar, bem-humorado, bem-criado, bem-dizer, bem-mandado, bem-nascido, bem-vestido, bem-vindo, bem-visto, sem-número, sem-vergonha, sem-terra. Em alguns casos, o advérbio bem se junta à segunda palavra, sem uso do hífen: benfeitor, benfeitoria, benquerer, benquisto, etc. 2. Tratando-se de nomes geográficos, emprega-se o hífen em qualquer dos casos abaixo: – iniciados por Grã e Grão: Grã-Bretanha, Grão-Pará;
  20. 20. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 2020 – iniciados por forma verbal: Abre-Campo, Passa-Quatro, Quebra-Costas, Quebra-Dentes; – ligados por artigo: Baía de Todos-os-Santos, Entre-os-Rios, Trás-os-Montes. Os demais nomes geográficos compostos grafam-se sem hífen: América do Sul, Belo Horizonte, Cabo Verde etc. Exceção: Guiné-Bissau Os adjetivos gentílicos, que são adjetivos que se referem ao local de nascimento, quando derivados de nomes compostos, serão hifenizados: belo-horizontino (Belo Horizonte) cabo-verdiano (Cabo Verde) americano-do-sul (América do Sul) mato-grossense (Mato Grosso) mato-grossense-do-sul (Mato Grosso do Sul) juiz-forano (Juiz de Fora) cruzeirense-do-sul (Cruzeiro do Sul) 3. O hífen também é empregado em nomes compostos de espécies botânicas e zoológicas (mato e bicho, entendeu?!): Andorinha-do-mar, bem-me-quer, bem-te-vi, coco-da-baía, couve- flor, dente-de-leão, erva-doce, fava-de-santo-inácio, feijão-verde, joão-de-barro, lesma-de-conchinha, vassoura-de-bruxa etc. ATENÇÃO! Se o significado da palavra composta for outro, o hífen não será usado. não-me-toques (espécie de planta) Ela é cheia de não me toques. (melindres, frescuras) O hífen também é usado para ligar palavras que se combinam para formar encadeamentos vocabulares. A ponte Rio-Niterói;
  21. 21. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 2121 o trecho Paraná-Goiás; a divisa Liberdade-Igualdade-Fraternidade; o acordo Brasil-Inglaterra; a liga Itália-França-Alemanha. Acentuação Gráfica A partir de agora, vamos falar sobre acentuação gráfica, que também é mais um tópico do programa. Novamente, enfatizarei as regras novas. Tudo da forma mais clara e objetiva possível. Comecemos assim: REGRAS GERAIS DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA O propósito delas é sistematizar a leitura das palavras de nossa língua; assim sendo, baseiam-se na posição da sílaba tônica, no timbre da vogal, nos padrões prosódicos menos comuns da língua. Em relação aos vocábulos: 1 – MONOSSÍLABOS TÔNICOS o acento é empregado naqueles terminados por A(S), E(S) ou O(S) Ex.: Elas são más. / Pisaram o meu pé. / Ninguém ficará só. CUIDADO! Quando os prefixos PRÉ e PRÓ vierem separados por hífen, eles serão acentuados: pré-técnico, pró-labore. Quando não estiverem, não serão acentuados: pressentir, prosseguir. Nas formas verbais terminadas em R, S ou Z e seguidas por pronomes oblíquos átonos A(s) ou O(S), essas consoantes são suprimidas, as vogais A, E ou O da terminação verbal recebem acento gráfico e os pronomes oblíquos átonos A(S) ou O(S) recebem a letra “L”: dar + o = dá-lo; pôs + os = pô-los; fez + a = fê-la.
  22. 22. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 2222 2 – OXÍTONOS (a sílaba tônica da palavra é a última) usa-se o acento quando terminarem em A(S), E(S), O(S), EM, ENS: Ex.: cajá, cafés, cipó, armazém, armazéns CUIDADO! Os vocábulos oxítonos terminados por I ou U não serão acentuados, salvo se estiverem em hiato. Ex.: Bangu – Grajaú // dividi-lo – construí-lo 3 – PAROXÍTONOS (a sílaba tônica é a penúltima) são acentuados aqueles que terminam em I(S), US, Ã(S), ÃO(S), UM, UNS, L, N, R, X, PS, DITONGO ORAL. Ex.: júri, íris, vírus, ímã, órfãs, órgão, sótãos, médium, álbuns, amável, abdômen, mártir, látex, bíceps, íon, íons, vôlei, jóquei, história, gênio. CUIDADO! Não serão acentuados os vocábulos paroxítonos terminados por EM ou ENS: item, itens, hifens (mas: hífen ou hífenes), polens (mas: pólen ou pólenes) Os prefixos paroxítonos terminados por I ou R não serão acentuados: semi-histórico, super-homem. 1. (Cesgranrio/BNDES/Nível Superior/213) O grupo em que ambas as palavras devem ser acentuadas de acordo com as regras de acentuação vigentes na língua portuguesa é (A) aspecto, inicio (B) instancia, substantivo (C) inocente, maiuscula (D) consciente, ritmo (E) frequencia, areas Comentário – As palavras frequência e áreas (letra E) são acentuadas por serem paroxítonas terminadas em ditongo. Na letra A, só a palavra início
  23. 23. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 2323 recebe acento, pois também é uma paroxítona terminada em ditongo. Em B, somente instância recebe acento, pelo mesmo motivo mencionado. Em C, apenas o vocábulo maiúscula, com a justificativa de que a letra u representa a segunda vogal do hiato, é tônica e está acompanhada de s na sílaba (poderia também aparecer sozinha: sa-ú-de) – isso diz respeito à regra dos hiatos. Em D, nenhuma palavra recebe acento. Resposta – E 4 – PROPAROXÍTONOS (a sílaba tônica é a antepenúltima) todos são acentuados. Ex.: histórico, cântico, lâmpada, hífenes, pólenes. 2. (Cesgranrio/BNDES/Técnico Administrativo/2013) A palavra que deve ser acentuada pela mesma regra que olímpico é (A) revolver (B) carater (C) bocaiuva (D) solido (E) amavel Comentário – Olímpico é uma palavra proparoxítona e por isso deve ser acentuada. Entre as opções, a única que também é proparoxítona é a palavra sólido. As palavras revólver, caráter e amável são acentuadas com base na regras das palavras paroxítonas. Já a palavra bocaiúva segue a regra dos hiatos em i e u, que será vista logo a seguir. Resposta – D REGRAS ESPECIAIS DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA (note as mudanças introduzidas pelas novas regras)
  24. 24. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 2424 1 – HIATOS a) Não se acentua mais a primeira vogal dos hiatos OO, EE. Ex.: voo, enjoos, creem, deem, leem, veem. (3ª pessoa do plural dos verbos crer, dar, ler e ver) ATENÇÃO! De acordo com as novas regras, o acento circunflexo deixa de existir, mas até 31/12/2015 é possível usá-lo (vôo, crêem etc.). b) Acentuam-se as vogais I(S) e U(S), quando formam a sílaba tônica e ocupam a segunda posição do hiato, sozinhas ou acompanhadas de S. Ex.: saída, saúde, país, baús, incluí-lo. Compare com mia, via, lua, nua. Nessas palavras, as vogais I e U não ocupam a segunda posição do hiato, ainda que constituam a sílaba tônica. CUIDADO! Se as vogais I ou U formarem sílabas com L, M, N, R, Z ou vierem seguidas de NH, não haverá acento gráfico: pa-ul, ru-im, a-in-da, sa-ir, ju-iz, ra-i-nha. Se as vogais I ou U formarem hiato com uma vogal idêntica, não se usará acento gráfico: xi-i-ta, va-di-i-ce, su-cu-u-ba (nome de uma planta). O acento só surgirá se a palavra for uma proparoxítona: fri-ís-si-mo. ATENÇÃO! Conforme as novas regras, se essas vogais surgirem após ditongos e a palavra for paroxítona, não levarão acento: baiuca, feiura. Ressalto que até 31/12/2015 você decidirá se quer ou não usar o acento: baiúca, feiúra. Interessante é o que acontece, por exemplo, com o vocábulo Piauí. Observe que, agora, a vogal tônica I ocupa a última posição, ou seja, a palavra é oxítona. Casos como esse não foram atingidos pelas mudanças ortográficas.
  25. 25. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 2525 2 – DITONGOS a) EU, EI, OI: deixam de receber acento agudo quanto tônicos, abertos e como sílabas tônicas de palavras paroxítonas; mas o recebem quando a palavra for oxítona ou monossílaba tônica. Ex.: chapéu, assembleia, jiboia, céu, herói. ATENÇÃO! Ressalto que até 31/12/2015 é facultativo recorrer ao novo Acordo Ortográfico. Portanto até lá ainda é possível escrever jibóia, assembléia etc. 3 – GUE, GUI e QUE, QUI a) Diante de E ou I, a letra U que compõe os grupos GUE, GUI e QUE, QUI receberá trema quando for pronunciada fracamente; sendo, pois, semivogal. Ex.: agüentar, pingüim, lingüiça, eloqüente, qüinqüênio. b) A letra U receberá acento agudo quando for pronunciada fortemente; sendo, pois, vogal. Ex.: averigúe, apazigúe, argúi, obliqúes. CUIDADO! Quando a letra U não for pronunciada, não receberá trema nem acento agudo: quilo, quente, guerra, guincho. O que temos aqui é simplesmente um dígrafo representado pelas letras “qu” e “gu”. Diante de A e O, a letra U não receberá trema: água, quota (ou cota), mesmo sendo semivogal. Mas receberá acento agudo, sendo vogal, em flexões dos verbos aguar (agúo), apaniguar, apaziguar, apropinquar, averiguar (averigúo), desaguar, enxaguar, obliquar, delinqüir e afins. ATENÇÃO! O trema foi abolido pelas novas regras. Também o foi o acento agudo no U tônico dos grupos verbais mencionados acima (averiguar, apaziguar, arguir, redarguir, enxaguar e afins). Exemplos: arguo, arguis, argui, arguem, argua, arguas, arguam, redarguo, averiguo, enxague, oblique.
  26. 26. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 2626 Repito: até 31/12/2015 estaremos no período de transição, sendo aceitas as duas formas. 4 – ACENTO DIFERENCIAL (com a vigência das novas regras, foi abolido, salvo algumas exceções, que estão destacadas abaixo; todavia o período de transição – que vai até 31/12/2015 – dá-nos a faculdade quanto ao uso) Ele tem – eles têm (verbo TER na 3ª pessoa do plural do presente do indicativo) Ele vem – eles vêm (verbo VIR na 3ª pessoa do plural do presente do indicativo) ATENÇÃO! Repare que as formas TEM e VEM constituem monossílabos tônicos terminado por EM. Lembre-se de que apenas as terminações A(S), E(S) e O(S) recebem acento: má, fé, nó. É muito comum as bancas examinadoras explorarem questões envolvendo esses verbos. Elas relacionam, por exemplo, um sujeito no singular à forma verbal TÊM (com acento circunflexo mesmo) e perguntam se a concordância está correta. Obviamente, se a forma verbal empregada é TÊM, o sujeito deve ser representado por um nome plural. Fique atento para esse detalhe. Atente ainda para o fato de o acento circunflexo (diferencial) não ter sido abolido desses verbos nem de seus derivados. Portanto, continue a usá-lo. Ele detém – eles detêm (verbo DETER na 3ª pessoa do plural do presente do indicativo) Ele provém – eles provêm (verbo PROVIR na 3ª pessoa do plural do presente do indicativo) ATENÇÃO! Agora, a “pegadinha” é outra. As bancas gostam de explorar o motivo do acento nos pares detém/detêm, mantém/mantêm, provém/provêm,
  27. 27. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 2727 todos derivados dos verbos TER e VIR. Repare que a forma correspondente à terceira pessoa do singular recebe acento AGUDO em virtude de ser uma oxítona terminada por EM. Já a forma correspondente à terceira pessoa do plural recebe acento CIRCUNFLEXO para diferenciar-se do singular. Pôde (3ª pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo) Pode (3ª pessoa do singular do presente do indicativo) ATENÇÃO! O novo acordo não aboliu o acento diferencial de PÔDE. Você deve usá-lo. Pôr (verbo) Por (preposição) ATENÇÃO! O novo acordo também não aboliu o acento diferencial de PÔR. Você deve usá-lo. Fôrma (substantivo = molde) Forma (substantivo = disposição exterior de algo) ATENÇÃO! É facultativo o uso do acento circunflexo para diferenciar as palavras forma/fôrma. Em alguns casos, o uso do acento deixa a frase mais clara: Qual é a forma da fôrma do bolo? Muito bem, se você chegou até aqui é sinal de que está pronto para encarar uma bateria de exercícios. Então, vamos lá! 3. (Cesgranrio/Sec. Administ.-TO/Assistente Social/2009) A segunda palavra é grafada com a(o) mesma(o) letra(dígrafo) que foi destacada(o) na palavra anterior em (A) propensão conten____ão
  28. 28. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 2828 (B) recreação ___mpecilho (C) lazer anali____ar (D) socialização parali____ar (E) estresse exce___ão Comentário – A palavra contenção (= ação ou resultado de conter(-se): contenção de encostas, contenção de despesas; estado do que é impedido de se deslocar, se espalhar ou progredir) deriva de conter. As palavras derivadas daquelas que possuem T no radical são grafadas com Ç (deter > detenção; abster > abstenção). Ocorre que há também o registro da palavra contensão (= contenda, luta, confronto; do latim contensio), escrita com S. O vocábulo empecilho (= obstáculo, estorvo) é registrado com E inicial. As formas verbais analisar e paralisar derivam, respectivamente, dos substantivos análise e paralisia, grafados com S. Tentou-se confundir o candidato com a escrita do sufixo IZAR (com Z) formador de verbos derivados de palavras que NÃO possuem a letra S em sua terminação. Comparem: canal > canalizar bis > bisar ameno > amenizar aviso > avisar visual > visualização liso > alisar Exceção, com Ç, deriva de exceto. As palavras derivadas daquelas que possuem T no radical, como já foi dito anteriormente, são escritas com a letra Ç. Atente para a escrita correta da palavra excesso (com SS). Ela deriva de exceder, ou seja, se a palavra de origem possuir CED no radical, a sua cognata será escrita com SS. Por admitir duas alternativas igualmente corretas (A e B), a questão foi anulada. Resposta – Anulada
  29. 29. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 2929 4. (Cesgranrio/Fafen Energia S.A./Administrador/2009) As razões _________ não simpatizo com você são muitas. Não faça críticas negativas, _________ se arrependerá. O que eu disser poderá ser _________ interpretado. A opção cuja sequência completa, corretamente, as sentenças acima é (A) por quê – senão – mal (B) por que – senão – mal (C) porquê – se não – mal (D) porque – se não – mau (E) porque – senão – mau Comentário – A primeira lacuna deve ser preenchida com por que, cujo significado é o mesmo de pelas quais (= preposição + pronome relativo). A segunda lacuna deve ser preenchida com senão (junto), pois o vocábulo equivale-se a caso contrário. Mal é advérbio de modo, contrário de bem: Ela se houve mal na prova. Cuidado durante a prova, pois o examinador pode dar alguns exemplos e explorar a classe gramatical dessa palavra. Há possibilidade de mal ser advérbio, adjetivo e conjunção. Na dúvida, releia a parte teórica. Resposta – B 5. (Cesgranrio/Decea/Tradutor e Intérprete/2009) São acentuadas graficamente pela mesma razão as palavras: (A) audácia – prudência – imprescindíveis – equilíbrio (B) política – sábia – destrói – ótimo (C) catástrofes – histórica – econômica – entretém (D) além – ninguém – você – órfão (E) três – há – até – só
  30. 30. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 3030 Comentário – Na alternativa B, temos uma verdadeira “salada” de regras de acentuação: política e ótimo é acentuada por serem proparoxítonas; sábia recebe acento por ser paroxítona terminada em ditongo; o acento agudo em destrói justifica-se por causa do ditongo aberto OI formador da sílaba tônica final. Cuidado: o novo Acordo Ortográfico extinguiu o acento desse encontro vocálico quando ele formar a sílaba subtônica (anzoizinhos) ou a sílaba tônica de palavras paroxítonas (ovoide). Em C, o motivo da acentuação da palavra entretém difere do motivo das demais (todas proparoxítonas); ela é oxítona terminada por EM (ninguém, além etc.). Em D, a palavra você, apesar de oxítona, recebe acento por terminar em E (café, boné etc.); órfão é paroxítona terminada em ÃO (órgão, acórdão etc.). Em E, até recebe acento por ser oxítona terminadas em E(S); as outras palavras são monossílabas tônicas terminadas por A(S), E(S) e O(S). A alternativa A foi inicialmente divulgada como o gabarito. Admitiu-se que todas as palavras são acentuadas por serem paroxítonas terminadas em ditongo oral (crescente ou decrescente): au-dá-cia; pru-dên-cia; im-pres-cin-dí-veis; e-qui-lí-brio. Ocorre que os encontros vocálicos IA, IE, IO, UA, EU, UO finais átonos, seguidos ou não de S, classificam-se quer como ditongos (crescentes), quer como hiatos. Portanto é possível considerar au-dá-ci-a, pru-dên-ci-a e e-qui-lí-bri-o como hiatos. Nesse caso, elas passam a ser acentuadas por serem proparoxítonas. Resposta – Anulada 6. (Cesgranrio/Bacen/Técnico2010) As palavras que se acentuam pelas mesmas regras de “conferência”, “razoável”, “países” e “será”, respectivamente, são (A) trajetória, inútil, café e baú.
  31. 31. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 3131 (B) exercício, balaústre, níveis e sofá. (C) necessário, túnel, infindáveis e só. (D) médio, nível, raízes e você. (E) éter, hífen, propôs e saída. Comentário – Verifiquemos os porquês dos acentos nas palavras destacadas no enunciado: – “conferência”: paroxítona finalizada em ditongo oral; – “razoável”: paroxítona terminada em L; – “países”: enquadra-se na regra dos hiatos I e U que constituem a sílaba tônica da palavra, figuram sozinhos nela ou acompanhados de S, não estão diante de H nem de outra vogal idêntica. – “será”: regra das oxítonas terminadas em A(S), E(S), O(S), EM, ENS. Portanto, as únicas palavras que correspondem às mesmas regras de acentuação são: médio, nível, raízes e você. Resposta – D 7. (Cesgranrio/Petrobras/Administrador Júnior/2010) Qual sequência completa corretamente a frase abaixo? Para _______ a ______________ de um especialista na área poderá ajudá-lo a superar momentos do cotidiano, com _______________ dos criados por você mesmo. (A) mim – intercessão – exceção (B) mim – interseção – exceção (C) mim– intersecção – excessão (D) eu – interseção – excessão (E) eu – intercessão – exceção.
  32. 32. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 3232 Comentário – A primeira lacuna deve ser preenchida com o pronome pessoal do caso oblíquo tônico mim. Pronome pessoal do caso reto funciona, via de regra, como sujeito de verbo – que não é o caso aqui. Grave uma coisa: diante de preposição, o pronome pessoal do caso reto só será empregado se funcionar como sujeito de verbo (explícito ou oculto). Exemplos: Para eu fazer a prova, necessito estudar. A segunda lacuna deve ser preenchida com a palavra intercessão. Usa-se SS nas palavras derivadas daquelas que possuem as expressões CED (interceder), GRED, PRIM, MIT, MET e CUT no radical (suceder – sucessão, regredir – regressão, comprimir – compressão, demitir – demissão, intrometer – intromissão, discutir – discussão). A última lacuna deve ser preenchida com exceção. Usa-se Ç nas palavras derivadas daquelas que possuem T no radical: exceto – exceção, setor – seção, cantar – canção. Resposta – A 8. (Cesgranrio/Empresa de Pesquisa Energética/Assistente Administrativo/2010) Observe a frase abaixo. “A pedreira aonde, no início dos anos 1960, eu ia com meu irmão e seus amigos para soltar pipa.” A palavra “aonde” está corretamente empregada, tal como no trecho acima, em (A) Aonde você colocou o telefone sem fio? (B) Este é o bairro aonde nasci e fui criado. (C) Gostaria de saber aonde você está agora. (D) O pedido será enviado à direção do shopping, aonde será analisado. (E) Para manter o público informado, a imprensa deve ir aonde a notícia está.
  33. 33. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 3333 Comentário – Esclareça-se que o pronome relativo onde deve ser usado restritivamente para substituir nome que designa lugar. A casa onde morei era muito antiga. (certo) A reunião onde estávamos acabou tarde. (errado) Nos outros casos, convém usar a locução em que ou no qual. Usaremos aonde (contração de a + onde) quando o verbo que surgir após esse pronome relativo exprimir ideia de movimento e exigir a preposição “a”. Se o verbo indicativo de movimento reger preposição “de”, usaremos “donde” (contração de de + onde). Ressalto que o verbo seguinte deve indicar movimento e não permanência, como ocorre nas alternativas A, B e C (colocou em; nasci em fui criado em; está em). Com verbos estáticos, que exprimem permanência, a preposição empregada será “em”. Na Língua Portuguesa não existe nonde, isto é, a suposta contração de em + onde. Então, a preposição “em” desaparece. Eis a correção das três primeiras alternativas: Onde você colocou o telefone sem fio? Este é o bairro onde nasci e fui criado. Gostaria de saber onde você está agora. Na alternativa D, o melhor é construir a frase utilizando outro pronome relativo: O pedido será enviado à direção do shopping, pela qual será analisado. Resposta – E 9. (Cesgranrio/BNDES/Direito/2010) Ao redigir respostas para “Por que quero conseguir um trabalho novo?”, cometeu-se, segundo o registro culto e formal da língua, um erro de ortografia em
  34. 34. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 3434 (A) Não quero passar a minha vida inteira só cumprindo ordens sem nunca entender por quê. (B) Alguns constrangimentos porque venho passando me obrigam a considerar outras opções. (C) Para mim, a realização profissional, no momento presente, é importante porque implica melhoria de vida. (D) Desse modo, eu poderei saber o motivo por que o sucesso de ontem não nos garante o de amanhã. (E) Um dia, atingindo o meu objetivo, eu talvez possa contar-lhe o porquê. Comentário – Alternativa A: certa. Colocado no final da frase (antes de ponto final, de exclamação ou interrogação) ou no final de oração, antes de pausa, com o sentido de motivo, razão pela qual, sendo tônico. Exemplos: O cantor estava inquieto, sem saber por quê. (Sem saber por quê, o cantor estava inquieto. Advertido pelo presidente da Mesa, o deputado quis saber por quê. Ninguém lhe dava atenção. Por quê? Alternativa B: errada. Preposição + pronome relativo, usado separadamente e sem acento, equivale-se a pelos quais. Alternativa C: certa. Quando usada como conjunção subordinativa adverbial (indicando circunstância de causa): Não vim porque estava cansado. Ou, ainda, quando usada como conjunção coordenativa explicativa: Fique quieto, porque você está incomodando. Alternativa D: certa. Confirma-se o que disse anteriormente, na letra B. Alternativa E: certa. Vem precedido de determinante, é substantivo, equivale-se a motivo, razão, causa
  35. 35. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 3535 ATENÇÃO! Sempre que estiver diante de uma pergunta (direta ou indireta), use a expressão separada. Resposta – B 10. (Cesgranrio/Prominp/Técnico/2010) A palavra que NÃO obedece à mesma regra de acentuação de domésticas, sendo acentuada por motivo distinto do vocábulo em destaque, é (A) plástico. (B) difícil. (C) obstáculo. (D) acúmulo. (E) protótipo. Comentário – No enunciado, o emprego do acento agudo em doméstica justifica-se porque a palavra é proparoxítona, como as palavras das alternativas A, C, D e E. Toda proparoxítona deve ser acentuada. A palavra difícil recebe acento por ser uma paroxítona terminada em L, assim como as que terminam em I(S), U(S), Ã(S), ÃO(S), UM, UNS, N, R, X, PS, DITONGO ORAL. Ex.: júri, íris, vírus, ímã, órfãs, órgão, sótãos, médium, álbuns, abdômen, mártir, látex, bíceps, íon, ions, vôlei, jóquei, história, gênio. Resposta – B 11. (Cesgranrio/Petrobras/Administrador Júnior/2010) O par de palavras que NÃO deve ser acentuado, segundo o registro culto e formal da língua, é (A) interim – polen. (B) itens – pudico. (C) juizes – prototipo.
  36. 36. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 3636 (D) economico – refem. (E) heroi – biceps. Comentário – Alternativa A: os dois vocábulos devem ser acentuados. Ínterim é proparoxítono; pólen é paroxítona terminada em N. Alternativa B: nenhum dos vocábulos recebem acento. Itens é paroxítono terminado em ENS, terminação que justifica o acento em palavras oxítonas (parabéns). Pudico também é vocábulo paroxítono. Com a terminação O, são acentuados os oxítonos (cipó) e os monossílabos tônicos (pó). Alternativa C: juízes enquadra-se na regra dos hiatos: vogal I como a segunda do hiato, tônica e sozinha na sílaba. Já protótipo é proparoxítona – todas recebem acento, como econômico (alternativa D). Alternativa D: depois de ter citado acima a palavra econômico como exemplo de proparoxítona acentuada, resta-me justificar o acento agudo na palavra refém. Toda oxítona com terminação EM é acentuada (alguém). Alternativa E: a palavra herói recebe acento não porque é uma oxítona, mas sim porque o ditongo OI (EI e EU também), segundo o novo Acordo Ortográfico, é aberto, tônico e não constitui a sílaba forte de palavra paroxítona (compare com heroico, em que o ditongo OI, aberto e tônico, agora surge em uma paroxítona). Bíceps é paroxítona terminada em PS. Resposta – B 12. (Cesgranrio/Prefeitura de Salvador/Professor de Língua Portuguesa/2010) Quanto à acentuação gráfica, a relação de palavras em que todas estão conformes ao atual Acordo Ortográfico é (A) família – arcaico – espermatozóide – pólo. (B) epopeia – voo – tranquilo – constrói. (C) troféu – bilíngue – feiúra – entrevêem. (D) decompor – agüentar – apóio – colmeia.
  37. 37. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 3737 (E) linguística – joia – refém – assembléia. Comentário – Alternativa A: conforme comentário anterior (alternativa E), deixou de existir o acento agudo no ditongo OI (em EI e EU também) de palavras paroxítonas, como em espermatozoide. Também foram abolidos os acentos diferenciais, com exceção de: – pôde (terceira pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo do verbo poder); – têm e vêm (terceira pessoa do plural dos verbos ter e vir – e seus derivados: mantêm, intervêm etc.); – pôr (verbo); – fôrma (substantivo, molde). Alternativa B: aqui está a resposta. Os ditongos OI e EI já foram objetos do nosso comentário. O acento circunflexo na primeira vogal dos hiatos OO (enjoo, voo) e EE (creem, deem, leem, veem) foi abolido. A respeito da palavra tranquilo, o trema também foi extinto. Alternativa C: só me resta falar sobre a vogal U (vale para a vogal I também), tônica, em palavras paroxítonas e após ditongos. Ela não será mais acentuada nessas condições. Antes era assim: feiúra, baiúca, Bocaiúva; agora é deste jeito: feiura, baiuca, Bocaiuva. Na palavra Piauí, por exemplo, o acento continua porque a letra I constitui a sílaba tônica de uma oxítona. O novo Acordo “pegou no pé” das paroxítonas. Alternativa D: depois do que já expliquei até agora, fica fácil entender que os vocábulos aguentar e apoio são grafados sem trema e sem acento agudo. Alternativa E: o problema está no acento do ditongo “éi” da palavra paroxítona “assembléia”, que desrespeita as novas regras ortográficas. Resposta – B
  38. 38. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 3838 13. (Cesgranrio/BNDES/Direito/2010) De acordo com o registro culto e formal da língua, os vocábulos que são acentuados, respectivamente, pelas mesmas regras de “aí” e “até” são (A) sabiá – fé. (B) café – além. (C) diário – reféns. (D) egoísta – você. (E) consciência – três. Comentário – No enunciado, a palavra “aí” é acentuada porque a letra I representa a segunda vogal do hiato, está sozinha na sílaba (poderia estar acompanhada de S) e representa a sílaba tônica da palavra – ela NÃO é acentuada porque a palavra é oxítona, como café e sabiá, por exemplo. A palavra “até” enquadra-se na regra de acentuação das oxítonas terminadas em E. Semelhantemente, egoísta e você (alternativa D) são acentuadas pelos mesmos motivos. Sabiá, café, além, reféns e você são acentuadas por serem oxítonas terminadas em A, E, EM e ENS. Diário e consciência são paroxítonas terminadas em ditongo oral. O vocábulo três é monossílabo tônico terminado em E(S). Resposta – D 14. (Cesgranrio/Petrobras/Técnico/2010) Qual sentença tem todas as palavras grafadas corretamente? (A) Nenhum cidadão cautelozo expalha lixo pelas ruas. (B) A despeza da família cresceu com o nacimento dos gêmeos. (C) A estenção dos extragos só vai ser medida após as chuvas. (D) Luiz economizava gasolina pois ia a pé para a empresa.
  39. 39. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 3939 (E) É nessessário planejar as comprar para evitar escessos. Comentário – Alternativa A: usa-se normalmente a letra S nos sufixos OSO e OSA: cauteloso. O verbo espalhar e suas flexões grafam-se também com S. Alternativa B: a grafia correta da palavra despesa é com S em sua parte final; da palavra nascimento é com S após a vogal “a”. Alternativa C: cuidado, pois as palavras extenso e extensão são escritas com X; mas estendido e estender são com S. Com S também escrevemos a palavra estragos. Alternativa E: necessário grafa-se com C em vez de SS; e a palavra excessos deve ser corretamente escrita com X no lugar do S. A palavra comprar (infinitivo verbal) também não foi empregada adequadamente; para produzir os efeitos necessários, dando coerência à frase, deveria ser compras (substantivo). Resposta – D 15. (Cesgranrio/Petrobras/Técnico de Informática/2011) Em qual das frases abaixo, a palavra destacada está de acordo com as regras de acentuação gráfica oficial da língua portuguesa? (A) Vende-se côco gelado. (B) Se amássemos mais, a humanidade seria diferente. (C) É importante que você estude êste item do edital. (D) Estavam deliciosos os caquís que comprei. (E) A empresa têm procurado um novo empregado. Comentário – Alternativa A: errada. Paroxítona terminada em O não recebe acento. Somente as oxítonas é que serão acentuadas nesse caso. Compare: fogo, cipó. Alternativa B: certa. Toda palavra proparoxítona recebe acento: a-más-se-mos.
  40. 40. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 4040 Alternativa C: errada. Paroxítona terminada em E também não recebe acento. Somente as oxítonas é que serão acentuadas nesse caso. Compare: teste, café. Alterantiva D: errada. Oxitona terminada em I (seguido ou não de S) não recebe acento. Somente as paroxítonas é que serão acentuadas nesse caso. Compare: Paris, júri. Alternativa E: errada. Na terceira pessoa do singular do presente do indicativo, o verbo TER não recebe acento. Somente quando flexionado na terceira pessoa do plural é que o acento circunflexo será usado para fazer distinção de número: As empresas têm... Resposta – B 16. (Cesgranrio/Petrobras/Técnico de Administração e Controle Júnior/2011) A frase em que ocorre ERRO quanto à acentuação gráfica é: (A) Eles têm confiança no colega da equipe. (B) Visitou as ruínas do Coliseu em Roma. (C) O seu sustento provém da aposentadoria. (D) Descoberta a verdade, ele ficou em maus lençóis. (E) Alguns ítens do edital foram retificados. Comentário – Alternativa A: certa. Na questão anterior, disse que o verbo TER receberá acento circunflexo quando estiver conjugado na terceira pessoa do plural do presente do indicativo. Alternativa B: certa. O emprego do acento em “ruínas” está fundamentado na regra do hiato: a letra I (poderia ser a letra U também) representa a segunda vogal do hiato, constitui a sílaba tônica e está sozinha na sílaba (poderia vir acompanhada de S: pa-ís). Alternativa C: certa. Palavras oxítonas terminadas por EM e ENS são acentuadas: armazém, armazéns. O cuidado que você deve ter é quando os derivados dos verbos VIR e TER surgem flexionados na terceira
  41. 41. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 4141 pessoa do plural. Nesse caso, o acento a ser empregado é o circunflexo: Os seus sustentos provêm... Eles mantêm... Alternativa D: certa. A regra aqui diz respeito aos ditongos EI e OI tônicos, abertos e em palavras oxítonas. Cuidado que o novo Acordo eliminou esse acento em palavras paroxítonas: herói, heroico. Alternativa E: errada. Somente as palavras oxítonas terminadas por ENS é que recebem acento: parabéns, nenéns. Resposta – E 17. (Cesgranrio/Petrobras/Administrador Júnior/2011) Em relação às regras de acentuação gráfica, a frase que NÃO apresenta erro é: (A) Ele não pode vir ontem à reunião porque fraturou o pé. (B) Encontrei a moeda caida perto do sofá da sala. (C) Alguém viu, além de mim, o helicóptero que sobrevoava o local? (D) Em péssimas condições climaticas você resolveu viajar para o exterior. (E) Aqui so eu é que estou preocupado com a saúde das crianças. Comentário – Alternativa A: errada. Preste atenção: o novo Acordo não eliminou o acento diferencial do verbo pôde, flexionado no pretérito perfeito do indicativo. Compare com pode, presente do indicativo, sem acento. Alternativa B: errada. Onde está o acento agudo do vocábulo “caida”? O fundamento é a regra dos hiatos I e U, que já foi objeto do meu comentário. Eis a correção: caída. Alternativa D: errada. Toda palavra proparoxítona deve ser acentuada. Portanto a grafia correta é climáticas. Alternativa E: errada. A palavra “so” é monossílaba tônica terminada em O. Por isso o acento é devido: só. Resposta – C
  42. 42. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 4242 18. (Cesgranrio/Finep/Técnico - Apoio Adm. e Secretariado/2011) Que palavra obedece à mesma regra de acentuação que país? (A) Compôs (B) Baú (C) Índio (D) Negócios (E) Águia Comentário – O acento em país decorre da regra dos hiatos representados pelas letras I e U, conforme explicado anteriormente. Inclusive, usei como exemplo esta mesma palavra. Perigoso é alguém achar que a palavra é acentuada por ser uma oxítona. Releia a regrinha e observe que as oxítonas são acentuadas por terminarem em A(S), E(S), O(S), EM e ENS, como “Compôs” (letra A). As demais palavras estão fundamentadas na regra das paroxítonas terminadas em ditongo. Resposta – B 19. (FCC/2009/TRT 16ª Região/Técnico Judiciário) A frase em que há palavras escritas de modo INCORRETO é: a) A aridez que sempre caracterizou as paisagens do Nordeste brasileiro aparece agora, para assombro de todos, na região Sul, comprometendo as safras de grãos. b) Alguns estudiosos reagem com sensatez às recentes explicações, considerando se o papel da bomba biótica é realmente crucial na circulação do ar. c) Se for comprovada a correção da nova teoria, a preservação das florestas torna-se essencial para garantir a qualidade de vida em todo o planeta.
  43. 43. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 4343 d) O desmatamento indescriminado, que reduz os índices de chuvas e altera o ciclo das águas, pode transformar um continente em um estenso e inabitável deserto. e) Com ventos mais próximos ao mar, o ar úmido resultante da evaporação da água do oceano é puxado para o continente, distribuindo a chuva ao redor do planeta. Comentário – A alternativa D apresenta dois problemas. A palavra “indescriminado” deve ser grafada assim: indiscriminado (= sem controle, sem ordem, sem critério, descontrolado, desordenado, desregrado). Veja outro exemplo da aplicação dessa palavra: Ministério Público quer reprimir o uso indiscriminado de agrotóxicos na capital e no interior de Sergipe. O segundo erro está na grafia do vocábulo “estenso”, que deve ser escrito com x: extenso (= que tem (grande) extensão, amplo, espaçoso, vasto). Veja outra aplicação desse palavra: planície extensa. Resposta – D 20. (FCC/2009/PGE-RJ/TÉCNICO ASSISTENTE DE PROCURADORIA) Todas as palavras estão escritas corretamente na frase (não estão sendo consideradas as alterações que passaram a vigorar recentemente): (A) Intervensões governamentais massiças e até agora sem precedentes não conseguiram conter os impactos da crise financeira em diversos países. (B) A permanência e a gravidade dos desdobramentos da crise financeira deicham dúvidas e originam expeculações em todo o mundo. (C) A ganância por lucros cada vez maiores fez com que os riscos dos investimentos crecessem esponencialmente no mercado financeiro. (D) A excessiva circulação de instrumentos financeiros imbutia imenço potencial de perigos redundando, como se viu, em enormes prejuízos.
  44. 44. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 4444 (E) O êxito das resoluções tomadas em outros países depende de um maior controle das instituições financeiras, o que atinge interesses múltiplos e provoca resistência. Comentário – Alternativa A: as palavras “Intervensões” e “massiças” estão erradas. A primeira grafa-se com Ç no lugar do “s”: intervenções; a segunda, com C no lugar do “ss": maciças. Alternativa B: note o uso incorreto do dígrafo “ch” após o ditongo “ei” na palavra “deicham”. Vamos corrigi-la: deixam (com X). Com S no lugar do “x” é a correta forma de escrever o substantivo especulações. Alternativa C: há aqui dois erros sequenciais: “crecessem esponencialmente”, percebeu? No verbo, faltou a letra “s” para compor o dígrafo SC: crescessem. No advérbio, o “s” deve dar lugar ao X: exponencialmente. Alternativa D: outra sequência de erros: “imbutia imenço”. O verbo é escrito com E inicial: embutia. Já o adjetivo é grafado com S no lugar do “ç”: imenso. Alternativa E: sem erros ortográficos. Observe a forma correta de grafar a palavra “êxito”: com X, e não com Z. Resposta – E 21. (FCC/2010/TRE-RS/TÉCNICO JUDUCIÁRIO – PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS) A palavra em destaque está adequadamente empregada na seguinte frase: (A) Esse é o produto anticético mais poderoso já utilizado no hospital. (B) Temendo que sua fala fosse caçada, evitou agressões. (C) Esse estrato social é o mais afetado quando há chuvas torrenciais. (D) A correta emersão dos pães no caldo é que vai garantir o sucesso da receita. (E) O ilícito tráfego de influências que praticava o levou ao banco dos réus.
  45. 45. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 4545 Comentário – Foram cometidos vários erros ortográficos. Na alternativa A, a grafia correta da palavra sublinhada é antisséptico – produto que impede a contaminação e combate a infecção (diz-se de medicamento). Anticéptico (com p) indica aquele que é adversário dos cépticos ou do cepticismo, isto é, doutrina dos que examinam e duvidam; estado dos que duvidam ou afetam duvidar de tudo; descrença. Em B, “caçada” com “ç” significa ação ou resultado de caçar, procurar com grande empenho, perseguição. Eis a forma adequada: cassada – revogação, anulação (mandato, licença, direitos políticos etc.); impedimento da continuidade ou da realização de algo; proibição. Na alternativa C, a palavra foi corretamente escrita e empregada adequadamente na frase; ela significa grupo ou camada social de uma população, definido em relação ao nível de renda, educação etc. Extrato com “x” pode expressar o produto de uma extração, aquilo que se extraiu; pequeno trecho extraído de um texto maior, para ilustração ou exemplificação; registro pormenorizado de operações bancárias realizadas em um determinado período. Na alternativa D, deveria ter sido utilizada a palavra imersão para indicar a ação ou o resultado de imergir(-se), de mergulhar(-se) em um líquido (imersão de um submarino). Emersão é a ação ou o resultado de emergir, vir à tona (emersão do submarino), antônimo de imersão. Em E, a palavra adequada é tráfico, comércio ilegal e clandestino. Tráfego é o mesmo que movimentação ou fluxo de veículos; trânsito. Resposta – C 22. (FCC/2010/TRE-RS/TÉCNICO JUDUCIÁRIO – PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS) A lacuna que deve ser preenchida pela forma grafada como na piada − Por quê −, ou pela forma por quê, para que esteja em conformidade com o padrão culto escrito, é a da frase:
  46. 46. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 4646 (A) Eu não sei o ...... de sua indecisão. (B) ...... foi tão inábil na condução do problema? (C) Ele está tão apreensivo ......? (D) Decidiu-se somente ontem ...... dependia de consulta à família. (E) A razão ...... partiu sem avisar ainda é desconhecida. Comentário – Como o examinador indicou a grafia separada e com acento, o melhor a fazermos é encontrar uma lacuna no final de uma pergunta. Ela só aparece na letra C, na frase Ele está tão apreensivo por quê? Veja agora a grafia correta referente às outras lacunas: - alternativa A: porquê (substantivo). Note que o vocábulo está antecedido do artigo “o”. - alternativa B: Por que (advérbio interrogativo). A expressão encontra-se numa frase interrogativa, mas no início dela. - alternativa D: porque (conjunção). Quando se tratar de uma explicação, justificativa, causa ou razão, a expressão é escrita sem separação, como um vocábulo apenas. - alternativa E: por que (preposição + pronome relativo). Observe que é possível a substituição por pela qual. Resposta – C 23. (FCC/2010/TRE-RS/TÉCNICO JUDUCIÁRIO – PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS) A frase totalmente correta do ponto de vista da grafia e/ou da acentuação é: (A) É o caso de se por em discussão se ele realmente crê na veracidade dos dados. (B) Referiu-se àquilo que todos esperavam − sua ascensão na empresa −, com um misto de humildade e prepotência. (C) Enquanto construimos esta ala, eles constroem a reservada aos aparelhos de rejuvenecimento.
  47. 47. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 4747 (D) Ele é sempre muito cortês, mas não pode evitar que sua ogeriza à ela transpareça. (E) Assinou o cheque, mas ninguém advinha o valor registrado, porisso foi devolvido pelo banco. Comentário – Alternativa A: incorreta. O verbo pôr grafa-se com acento circunflexo para ser diferenciado da preposição por. Alternativa B: correta. Destaque para o acento circunflexo do vocábulo “prepotência”, justificado por ser uma paroxítona terminada em ditongo oral. Alternativa C: incorreta. A forma verbal “construimos” deve receber acento agudo no “i”, pois esta letra constitui a sílaba tônica da palavra, representa a segunda vogal do hiato que forma com a vogal “u” e está sozinha na sílaba: construímos. Além disso, faltou um s na palavra “rejuvenecimento”: rejuvenescimento. Alternativa D: incorreta. A grafia correta da palavra é com j: ojeriza, e não com g, como foi escrita. Além disso, não se emprega acento grave indicativo de crase antes de pronome pessoal, seja do caso reto, seja do caso oblíquo. O certo, então, é: a ela. Alternativa E: incorreta. Escreve-se separadamente a conjunção conclusiva por isso. Resposta – B 24. (FCC/2010/TRE-RS/ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA) A frase em que a palavra destacada está empregada de modo equivocado é: (A) Inerme diante da ofensiva tão violenta, não lhe restou nada a fazer senão render-se. (B) Há quem proscreva construções linguísticas de cunho popular. (C) Fui informado do diferimento da reunião em que o fato seria analisado. (D) A descriminalização de algumas drogas é questão polêmica.
  48. 48. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 4848 (E) A flagrância do perfume inebriava a todos os convidados. Comentário – Alternativa A: a palavra “Inerme” foi empregada adequadamente e significa que não tem meios de se defender. Alternativa B: a palavra “proscreva” foi empregada adequadamente e significa proíba, condene. Alternativa C: a palavra “diferimento” foi empregada adequadamente e significa adiamento. Alternativa D: a palavra “descriminalização” foi empregada adequadamente e significa ato ou efeito de descriminalizar, anular a criminalidade de um ato. Alternativa E: a palavra “flagrância” exprime a condição daquilo que é flagrante, o momento em que ocorre um flagrante e não foi adequadamente empregada na frase. Em seu lugar, deveria ser usada a palavra fragrância, que significa cheiro agradável das flores, plantas, perfumes etc. (fragrância de morango, fragrância de rosas); aroma. Resposta – E 25. (FCC/2008/TRF 5ª Região/Analista Judiciário – adaptada) Todas as palavras estão corretamente grafadas na frase: O autor do texto se apoia na tese segundo a qual não se deve descriminar em definitivo entre o pessimismo e o otimismo. Comentário – Em primeiro lugar, frise-se que a prova foi aplicada em 2008, momento alheio à vigência do novo Acordo Ortográfico. Portanto, a grafia correta para a terceira pessoa do singular do presente do indicativo do verbo apoiar(-se) era apóia(-se) ditongo ÓI aberto e tônico. A partir de 2009 e até 31/12/2015, as duas formas estão corretas. O outro problema do item diz respeito ao emprego de “descriminar” (= considerar ou declarar inocente; tirar a culpa; absolver;
  49. 49. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 4949 inocentar). Percebe-se sem dificuldade que a informação do período não comporta esse significado, mas sim o de discrimimar (= perceber distinções em alguma coisa ou entre coisas diversas; diferençar; discernir; distinguir). Resposta – Item errado. 26. (FCC/2008/TRT 18ª Região (GO)/Analista Judiciário – adaptada) Está correta a grafia de todas as palavras da frase: Muitos se deixam embalar por um mixto de torpor e devaneio, quando se entretém à janela do ônibus. Comentário – A palavra “mixto” (com X) não existe. O correto é “misto” (= que resulta da mistura de dois ou mais elementos diversos (salada mista, método misto; com S). Além dela, a palavra “entretém” apresenta problema. Como se refere à terceira pessoa do plural (“Muitos”), o acento adequado é o circunflexo (^). Resposta – Item errado. Por hoje é só. Não deixe de revisar o conteúdo durante a semana. Fique com Deus e um forte abraço. Professor Albert Iglésia
  50. 50. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 5050 Lista das Questões Comentadas 1. (Cesgranrio/BNDES/Nível Superior/213) O grupo em que ambas as palavras devem ser acentuadas de acordo com as regras de acentuação vigentes na língua portuguesa é (A) aspecto, inicio (B) instancia, substantivo (C) inocente, maiuscula (D) consciente, ritmo (E) frequencia, areas 2. (Cesgranrio/BNDES/Técnico Administrativo/2013) A palavra que deve ser acentuada pela mesma regra que olímpico é (A) revolver (B) carater (C) bocaiuva (D) solido (E) amavel 3. (Cesgranrio/Sec. Administ.-TO/Assistente Social/2009) A segunda palavra é grafada com a(o) mesma(o) letra(dígrafo) que foi destacada(o) na palavra anterior em (A) propensão conten____ão (B) recreação ___mpecilho (C) lazer anali____ar (D) socialização parali____ar (E) estresse exce___ão 4. (Cesgranrio/Fafen Energia S.A./Administrador/2009)
  51. 51. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 5151 As razões _________ não simpatizo com você são muitas. Não faça críticas negativas, _________ se arrependerá. O que eu disser poderá ser _________ interpretado. A opção cuja sequência completa, corretamente, as sentenças acima é (A) por quê – senão – mal (B) por que – senão – mal (C) porquê – se não – mal (D) porque – se não – mau (E) porque – senão – mau 5. (Cesgranrio/Decea/Tradutor e Intérprete/2009) São acentuadas graficamente pela mesma razão as palavras: (A) audácia – prudência – imprescindíveis – equilíbrio (B) política – sábia – destrói – ótimo (C) catástrofes – histórica – econômica – entretém (D) além – ninguém – você – órfão (E) três – há – até – só 6. (Cesgranrio/Bacen/Técnico2010) As palavras que se acentuam pelas mesmas regras de “conferência”, “razoável”, “países” e “será”, respectivamente, são (A) trajetória, inútil, café e baú. (B) exercício, balaústre, níveis e sofá. (C) necessário, túnel, infindáveis e só. (D) médio, nível, raízes e você. (E) éter, hífen, propôs e saída.
  52. 52. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 5252 7. (Cesgranrio/Petrobras/Administrador Júnior/2010) Qual sequência completa corretamente a frase abaixo? Para _______ a ______________ de um especialista na área poderá ajudá-lo a superar momentos do cotidiano, com _______________ dos criados por você mesmo. (A) mim – intercessão – exceção (B) mim – interseção – exceção (C) mim– intersecção – excessão (D) eu – interseção – excessão (E) eu – intercessão – exceção. 8. (Cesgranrio/Empresa de Pesquisa Energética/Assistente Administrativo/2010) Observe a frase abaixo. “A pedreira aonde, no início dos anos 1960, eu ia com meu irmão e seus amigos para soltar pipa.” A palavra “aonde” está corretamente empregada, tal como no trecho acima, em (A) Aonde você colocou o telefone sem fio? (B) Este é o bairro aonde nasci e fui criado. (C) Gostaria de saber aonde você está agora. (D) O pedido será enviado à direção do shopping, aonde será analisado. (E) Para manter o público informado, a imprensa deve ir aonde a notícia está. 9. (Cesgranrio/BNDES/Direito/2010) Ao redigir respostas para “Por que quero conseguir um trabalho novo?”, cometeu-se, segundo o registro culto e formal da língua, um erro de ortografia em
  53. 53. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 5353 (A) Não quero passar a minha vida inteira só cumprindo ordens sem nunca entender por quê. (B) Alguns constrangimentos porque venho passando me obrigam a considerar outras opções. (C) Para mim, a realização profissional, no momento presente, é importante porque implica melhoria de vida. (D) Desse modo, eu poderei saber o motivo por que o sucesso de ontem não nos garante o de amanhã. (E) Um dia, atingindo o meu objetivo, eu talvez possa contar-lhe o porquê. 10. (Cesgranrio/Prominp/Técnico/2010) A palavra que NÃO obedece à mesma regra de acentuação de domésticas, sendo acentuada por motivo distinto do vocábulo em destaque, é (A) plástico. (B) difícil. (C) obstáculo. (D) acúmulo. (E) protótipo. 11. (Cesgranrio/Petrobras/Administrador Júnior/2010) O par de palavras que NÃO deve ser acentuado, segundo o registro culto e formal da língua, é (A) interim – polen. (B) itens – pudico. (C) juizes – prototipo. (D) economico – refem. (E) heroi – biceps.
  54. 54. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 5454 12. (Cesgranrio/Prefeitura de Salvador/Professor de Língua Portuguesa/2010) Quanto à acentuação gráfica, a relação de palavras em que todas estão conformes ao atual Acordo Ortográfico é (A) família – arcaico – espermatozóide – pólo. (B) epopeia – voo – tranquilo – constrói. (C) troféu – bilíngue – feiúra – entrevêem. (D) decompor – agüentar – apóio – colmeia. (E) linguística – joia – refém – assembléia. 13. (Cesgranrio/BNDES/Direito/2010) De acordo com o registro culto e formal da língua, os vocábulos que são acentuados, respectivamente, pelas mesmas regras de “aí” e “até” são (A) sabiá – fé. (B) café – além. (C) diário – reféns. (D) egoísta – você. (E) consciência – três. 14. (Cesgranrio/Petrobras/Técnico/2010) Qual sentença tem todas as palavras grafadas corretamente? (A) Nenhum cidadão cautelozo expalha lixo pelas ruas. (B) A despeza da família cresceu com o nacimento dos gêmeos. (C) A estenção dos extragos só vai ser medida após as chuvas. (D) Luiz economizava gasolina pois ia a pé para a empresa. (E) É nessessário planejar as comprar para evitar escessos.
  55. 55. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 5555 15. (Cesgranrio/Petrobras/Técnico de Informática/2011) Em qual das frases abaixo, a palavra destacada está de acordo com as regras de acentuação gráfica oficial da língua portuguesa? (A) Vende-se côco gelado. (B) Se amássemos mais, a humanidade seria diferente. (C) É importante que você estude êste item do edital. (D) Estavam deliciosos os caquís que comprei. (E) A empresa têm procurado um novo empregado. 16. (Cesgranrio/Petrobras/Técnico de Administração e Controle Júnior/2011) A frase em que ocorre ERRO quanto à acentuação gráfica é: (A) Eles têm confiança no colega da equipe. (B) Visitou as ruínas do Coliseu em Roma. (C) O seu sustento provém da aposentadoria. (D) Descoberta a verdade, ele ficou em maus lençóis. (E) Alguns ítens do edital foram retificados. 17. (Cesgranrio/Petrobras/Administrador Júnior/2011) Em relação às regras de acentuação gráfica, a frase que NÃO apresenta erro é: (A) Ele não pode vir ontem à reunião porque fraturou o pé. (B) Encontrei a moeda caida perto do sofá da sala. (C) Alguém viu, além de mim, o helicóptero que sobrevoava o local? (D) Em péssimas condições climaticas você resolveu viajar para o exterior. (E) Aqui so eu é que estou preocupado com a saúde das crianças. 18. (Cesgranrio/Finep/Técnico - Apoio Adm. e Secretariado/2011) Que palavra obedece à mesma regra de acentuação que país?
  56. 56. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 5656 (A) Compôs (B) Baú (C) Índio (D) Negócios (E) Águia 19. (FCC/2009/TRT 16ª Região/Técnico Judiciário) A frase em que há palavras escritas de modo INCORRETO é: (A) A aridez que sempre caracterizou as paisagens do Nordeste brasileiro aparece agora, para assombro de todos, na região Sul, comprometendo as safras de grãos. (B) Alguns estudiosos reagem com sensatez às recentes explicações, considerando se o papel da bomba biótica é realmente crucial na circulação do ar. (C) Se for comprovada a correção da nova teoria, a preservação das florestas torna-se essencial para garantir a qualidade de vida em todo o planeta. (D) O desmatamento indescriminado, que reduz os índices de chuvas e altera o ciclo das águas, pode transformar um continente em um estenso e inabitável deserto. (E) Com ventos mais próximos ao mar, o ar úmido resultante da evaporação da água do oceano é puxado para o continente, distribuindo a chuva ao redor do planeta. 20. (FCC/2009/PGE-RJ/Técnico Assistente de Procuradoria) Todas as palavras estão escritas corretamente na frase (não estão sendo consideradas as alterações que passaram a vigorar recentemente): (A) Intervensões governamentais massiças e até agora sem precedentes não conseguiram conter os impactos da crise financeira em diversos países.
  57. 57. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 5757 (B) A permanência e a gravidade dos desdobramentos da crise financeira deicham dúvidas e originam expeculações em todo o mundo. (C) A ganância por lucros cada vez maiores fez com que os riscos dos investimentos crecessem esponencialmente no mercado financeiro. (D) A excessiva circulação de instrumentos financeiros imbutia imenço potencial de perigos redundando, como se viu, em enormes prejuízos. (E) O êxito das resoluções tomadas em outros países depende de um maior controle das instituições financeiras, o que atinge interesses múltiplos e provoca resistência. 21. (FCC/2010/TRE-RS/Técnico Judiciário – Programação de Sistemas) A palavra em destaque está adequadamente empregada na seguinte frase: (A) Esse é o produto anticético mais poderoso já utilizado no hospital. (B) Temendo que sua fala fosse caçada, evitou agressões. (C) Esse estrato social é o mais afetado quando há chuvas torrenciais. (D) A correta emersão dos pães no caldo é que vai garantir o sucesso da receita. (E) O ilícito tráfego de influências que praticava o levou ao banco dos réus. 22. (FCC/2010/TRE-RS/Técnico Judiciário – Programação de Sistemas) A lacuna que deve ser preenchida pela forma grafada como na piada − Por quê −, ou pela forma por quê, para que esteja em conformidade com o padrão culto escrito, é a da frase: (A) Eu não sei o ...... de sua indecisão. (B) ...... foi tão inábil na condução do problema? (C) Ele está tão apreensivo ......? (D) Decidiu-se somente ontem ...... dependia de consulta à família. (E) A razão ...... partiu sem avisar ainda é desconhecida.
  58. 58. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 5858 23. (FCC/2010/TRE-RS/Técnico Judiciário – Programação de Sistemas) A frase totalmente correta do ponto de vista da grafia e/ou da acentuação é: (A) É o caso de se por em discussão se ele realmente crê na veracidade dos dados. (B) Referiu-se àquilo que todos esperavam − sua ascensão na empresa −, com um misto de humildade e prepotência. (C) Enquanto construimos esta ala, eles constroem a reservada aos aparelhos de rejuvenecimento. (D) Ele é sempre muito cortês, mas não pode evitar que sua ogeriza à ela transpareça. (E) Assinou o cheque, mas ninguém advinha o valor registrado, porisso foi devolvido pelo banco. 24. (FCC/2010/TRE-RS/Analista Judiciário – Área Judiciária) A frase em que a palavra destacada está empregada de modo equivocado é: (A) Inerme diante da ofensiva tão violenta, não lhe restou nada a fazer senão render-se. (B) Há quem proscreva construções linguísticas de cunho popular. (C) Fui informado do diferimento da reunião em que o fato seria analisado. (D) A descriminalização de algumas drogas é questão polêmica. (E) A flagrância do perfume inebriava a todos os convidados. 25. (FCC/2008/TRF 5ª Região/Analista Judiciário – adaptada) Todas as palavras estão corretamente grafadas na frase: O autor do texto se apoia na tese segundo a qual não se deve descriminar em definitivo entre o pessimismo e o otimismo.
  59. 59. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 5959 26. (FCC/2008/TRT 18ª Região (GO)/Analista Judiciário – adaptada) Está correta a grafia de todas as palavras da frase: Muitos se deixam embalar por um mixto de torpor e devaneio, quando se entretém à janela do ônibus.
  60. 60. PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS PARA O IBGE TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS LÍNGUA PORTUGUESA – PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 6060 Gabarito das Questões Comentadas 1. E 2. D 3. Anulada 4. B 5. Anulada 6. D 7. A 8. E 9. B 10. B 11. B 12. B 13. D 14. D 15. B 16. E 17. C 18. B 19. D 20. E 21. C 22. C 23. B 24. E 25. Item errado 26. Item errado

×