Matrimónio

10.641 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
1 comentário
10 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.641
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
198
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
681
Comentários
1
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Matrimónio

  1. 1. O Sacramento do Matrimónio
  2. 2. “…prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida.”
  3. 3. Palavras ditas com o Coração.
  4. 4. …com ainteligência
  5. 5. …com aVontade
  6. 6. Um contrato fantástico para ambas as partes… Mas muito difícil de cumprir Sem a ajuda e a força do sacramento
  7. 7. Casamento-sacramento? Uma modernice…
  8. 8. O casamento não foi desde sempre um sacramentoAté aos séculos IV e V ainda não tinha honras de constar na lista dos gestos sacramentais . Porquê?
  9. 9. Como implicava inevitavelmente uma relação sexual, isso baralhava algumas cabeças clericais, porque apesar da santidade da procriação… havia sempre o perigo de pecado – já que o desejo da procriação podia ser superado pelo desejo do prazer, coisa vista como muito pouco santa…
  10. 10. Só no século XII, no Concílio de Verona, o casamento é incluído pela primeira vez na lista dos sacramentos, juntamente com o baptismo, a eucaristia e a penitência.A confirmação final foi feita no concílio de Florença, já no século XV, e afirma que todos os sete sacramentos contêm Graça e conferem Graça a todos os que os receberem dignamente.
  11. 11. Mas o que significa o casamento serum Sacramento?
  12. 12. No Antigo TestamentoO profeta Oseias é o primeiro a referir-se ao matrimónio como sinal da aliança entre o povo de Israel e Deus. No Novo TestamentoO casamento revela-se, já não só sinal da relação entre Deus e o Seu Povo, mas relação entre Cristo e a Sua Igreja.
  13. 13. Não é só um símbolo Não é só uma referênciaé muito mais
  14. 14. Realiza, torna presentea Pessoa de Cristo na relação entre marido e mulher.
  15. 15. O casamentonão é só amor humano, não é só lei; é tambémgraça e redenção
  16. 16. Afirmar que o casamento entre cristãos é um sacramento é, então, dizer que
  17. 17. A um nível revela e celebra a íntima união de amor e comunhão de vida entre um homem e uma mulher
  18. 18. A outro nível, revela e celebra a íntima união deamor e comunhão de vida entre Deus e o SeuPovo, entre Cristo e a Sua Igreja. É na comunhãodo homem e da mulher que se casam que serevela a comunhão entre Cristo e a Sua Igreja.
  19. 19. O amor dos esposos cristãos é símbolo dapresença de Deus no mundo.
  20. 20. Desde o início, o casamento cristão éintencionalmente mais do que comunhãode vida entre um homem e uma mulher.
  21. 21. É sobretudoGRAÇA
  22. 22. Desde o início, Cristo está presente e activono casamento, modelando-o, agraciando-o, garantindo-lhe estabilidade.Esta presença da graça faz parte da suaestrutura e essência, algo sem o qual não seriacasamento cristão
  23. 23. É neste sentido que tal gesto é um sacramento: um gesto simbólico que é sinal e causada presença graciosa de Cristo e do Deus que Ele revela.
  24. 24. Ora, se este sacramento é sinal concreto do amor de Cristo pela Sua Igreja, deve necessariamente ser indissolúvel, porque assim é o amor de Cristo.Nada nos separará do amor de Cristo, diz S. Paulo
  25. 25. O que significa afirmar que o matrimónio é indissolúvel?
  26. 26. “Antes do mais, é importante superar a visãoda indissolubilidade do casamento como umlimite à liberdade do homem e da mulher epor isso como um peso que por vezes se podetornar insuportável.” João Paulo II
  27. 27. • Para responder a esta pergunta é necessário partir da palavra de Deus.• Segundo Jesus, foi Deus quem uniu o homem e a mulher, através do livre consentimento de ambos.• Mas esse consentimento humano versa sobre um desígnio divino que a ultrapassa. É a vontade humana “soprada” pelo próprio Deus
  28. 28. No Evangelho de S. Mateus (19, 3-12) Jesus supera as discussões que havia na época sobre os motivos que podiam autorizar o divórcio.“Por causa da dureza do vosso coração Moisés permitiu que repudiásseis as vossas mulheres. Mas no princípio não era assim”
  29. 29. Por isso, não separar o que Deus uniu é umregresso à pureza e à perfeição do plano queDeus tem para cada um de nós.
  30. 30. Assim o casamento cristão é uma comunhãode vida total. É considerado como uma uniãoda vida inteira em dois sentidos:Tudo, todos os bens, materiais eespirituais, são para ser partilhados,E esta partilha é para se manter até à morte.
  31. 31. Casar-se é comprometer-se total, radical esolenemente para toda a vida. Quando omatrimónio é um sacramento, essa comunhãonão se resume a uma partilha da vida entredois iguais, mas uma partilha de fé, que incluia abertura e a relação com o Criador
  32. 32. Tal como Deus não é uma divindade que cria edepois abandona a sua criação, tal como Jesusnão é um Cristo que dá a vida pela Igreja edepois a abandona, assim nenhum cristão criaum casamento (são os esposos que se casam enão o padre que os casa) e depois o“abandona”, deixando-o sobrevivendo por sipróprio, à mercê das circunstâncias.
  33. 33. . Quando um homem e uma mulher se casam, comprometem-se a criar regras decomportamento que deverão alimentar e sustentar o casamento.
  34. 34. Como uma relação precisa de tempo paracrescer, como um casamento necessita de tempo paraamadurecer, assim também um sacramento leva tempoa maturar. No casamento cristão, ainda mais do que emqualquer outro casamento, a resposta à questão dequando se dá realmente o casamento é simples: navida inteira, vivida pelo menos a partir do mútuoconsentimento.

×